Maldivas? Seychelles? Taiti? Maurício?

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

mald450.jpg

Com o real valorizado e o novo vôo da Emirates (que leva quase direto às Maldivas, com uma conexão bem rápida em Dubai), muita gente volta a sonhar com as ilhas paradisíacas do Índico e do Pacífico Sul.

Se a gente criasse uma moeda chamada txai, ou Tx$, que equivalesse à diária do bangalô mais barato do resort de Itacaré (R$ 1.250,00, ou cerca de 600 dólares), veríamos que dá para se hospedar em resorts top dessas ilhas entre Tx$ 1 e Tx$ 1,50. Claro que é preciso levar em consideração a passagem aérea, o tempo de deslocamento, e todos os extras. Mas se você já cogitou alguma vez fazer essa extravagância, esse é um bom momento.

Eu já estive nas Maldivas, em Zanzibar e em Bora Bora. E acrescento o que sei de orelhada das Seychelles e de Maurício.

Maldivas. 1.100 ilhotas de cartum de náufrago (só areia e coqueiros), um pouco acima da linha do Equador, próximas à Índia. Apenas 100, escolhidas a dedo, têm hotéis -- e somente um hotel em cada ilha. Águas transparentes. Barreiras de corais pertíssimo da areia. Snorkel facílimo. Hotéis de luxo -- e, devido à grande concorrência, com boa relação custo x benefício. Os hotéis mais novos importaram a estética palafita-chic do Taiti. (Às vezes, com densidade demasiada, para o meu gosto.) Os pontos baixos são o exotismo zero (não há hotéis em ilhas habitadas) e o fato de não haver nada a fazer a não ser tomar sol e mergulhar. O ponto alto é não haver nada a fazer a não ser tomar sol e mergulhar grin Acesso: via Dubai (Emirates), Cingapura (Singapore) ou Viena (Austrian). Quando ir: novembro a abril. Site oficial: Visit Maldives.

Seychelles. 115 ilhas de vários tamanhos, um pouco ao sul do Equador, no meio do Índico, à altura (mas longe) da costa da Tanzânia. Há desde ilhas bem grandotas, como Mahé (onde fica a capital) e Praslin, até ilhotinhas desabitadas. A paisagem mistura montanhas com vegetação densa e praias pequenas; as mais fotografadas -- normalmente em La Digue -- têm enormes pedras graníticas sobre a areia (em Trindade -- Paraty -- a gente tem umas meio que por aí, mas não com água turquesa). A maioria dos visitantes passa por essas três ilhas, ou então monta base em Mahé e faz bate-e-voltas de avião para outras ilhas. Na alta temporada, as praias de La Digue podem ficar cheias demais durante a estada dos excursionistas. Além desse circuito mais popular existem as ilhas-de-um-hotel-só, como Frégate, North Island e Desroches. Vendo pelas fotos, acho que North Island e Frégate podem ser páreo para as Maldivas, sim -- sobretudo para quem acha o visual ilha-de-cartum-de-náufrago muito monótono. Mas os hotéis dessas ilhas exclusivas são mais caros que as Maldivas (até porque têm menos bangalôs). Há um ótimo mapa interativo no site Seyexclusive. Acesso: via Johanesburgo (Air Seychelles), Dubai (Emirates), Maurício, Munique, Roma e Paris (Air Seychelles). Quando ir: maio a outubro. Site oficial: Seychelles Travel.

Maurício. Uma grande ilha no Índico, a leste de Madagascar, numa latitude que, no continente africano, daria em Moçambique. Há montanhas, florestas, praias azul-turquesa e uma capital pitoresca, Port-Louis. O povo é de origem predominantemente indiana, com imigrantes africanos, malgaxes e chineses. O turismo é controlado, com poucas opções para o mochileiro e inexistência de turismo de massa de pacotes. Os resorts são elegantes. Sem nunca ter ido a nenhum dos dois lugares, eu arriscaria dizer que Maurício seria uma Jamaica mais segura e com resorts, na média, mais sofisticados. Acesso: via Johanesburgo (South African, Air Mauritius), Seychelles (Air Seychelles) ou Londres (British). Quando ir: maio a setembro. Site oficial: Discover Mauritius.

Zanzibar. Ilha na costa da Tanzânia (é o "Zan" de Tanzânia; "Tan" vem da parte continental do país, a antiga Tanganica.) Um dos lugares mais exóticos do planeta: mistura mundo árabe com África negra e colonização britânica. É o lugar mais em conta de todos esses listados aqui; e, a julgar somente pelas praias, talvez nem merecesse estar nesta seleção. A praia realmente sensacional da ilha fica na ponta norte: é Nungwi, que também é um vilarejo de pescadores. O resto da costa é tomado por resorts melhorzinhos ou piorzinhos, como no nosso Nordeste. A pequena (e labiríntica) capital -- a cidade histórica de Stone Town -- é fascinante, e merece pelo menos uns dois pernoites, em algum hotelzinho de charme como o Emerson & Green. Se em vez de ficar numa pousada em Nungwi a idéia for gastar Tx$ 1,50 por noite, então vá direto ao Mnemba Club, um hotel caríssimo de cabanas rusticíssimas (tudo de madeira e palha, chão de areia) numa ilha privada. Foi lá que eu passei um réveillon com Emma Thompson... Acesso: via Johanesburgo e Dar Es Salaam (South African, depois companhias regionais). Quando ir: julho a fevereiro. Guia independente: Zanzibar.org.

Taiti. Ilha principal da Polinésia Francesa, cujo nome é erroneamente atribuído ao país inteiro (perdão, à dependência francesa ultramarina inteira). Um lugar LLL: lindo, longe e louco de caro. O que faz essas ilhas tão especiais é a topografia: montanhas majestosas dominando ilhas relativamente pequenas, circundadas por anéis de coral. Se você for até lá, ponha a mão no bolso e passe pelo menos uns dias em Bora Bora, onde esse visual é ainda mais lindo. Foi aqui que inventaram a palafita chic; mas se você não quiser pagar entre Tx$ 1 e Tx$ 1,50 para dormir debruçado na água transparente, pode tentar a sorte num hotel simples ou pousadinha... Acesso: via Santiago (Lan). Quando ir: maio a agosto. Site oficial: Tahiti Tourisme.

E você? Esteve recentemente num desses lugares? Ou foi a Fiji, Marquesas, Ilhas Cook, Tuvalu, Vanuatu, Comores, Moçambique? Conta pra gente vai...

Leia mais:

216 comentários

Maisa
MaisaPermalinkResponder

Ótimo post gente!
só senti falta de um mapinha mostrando as localizações...
Parabéns pelo site!!

César Cezão
César CezãoPermalinkResponder

Essa lista sempre é atualizada, ano a ano:
http://www.priceoftravel.com/992/the-11-cheapest-overwater-bungalow-resorts-in-the-world/
Considero ela um ponto de partida, apenas. Acho que fazer uma "trip of a lifetime" sem meses de pesquisa é pedir para dar errado. Ainda que os bangalôs budgets indicados realmente surpreendam nos preços e os reviews deles sejam na maioria positivos, é sempre bom ver direitinho o que se está comprando, antes de entrar no avião.
De resto, mostra que é possível, sim, para assalariados, dormir em cima d'água.

César Cezão
César CezãoPermalinkResponder

Lendo um pouco mais sobre Maurício e olhando no Booking, dá para ver que é acessível, sim.
Simulei 10 dias em maio deste ano (supostamente o início da temporada seca). Tem hotéis 5 estrelas por 600-800 reais a diária pra o casal (menos do que os tops de Ipanema e do Leblon e mesmo alguns de São Paulo).
Mas, é claro, sempre tem o Four Seasons por 12 mil o dia.

thereza lopes
thereza lopesPermalinkResponder

eu estive recentemente em Fiji (Lautoka e Suva) Lautoka tem agua cristalina mas mais para o tom verde, não curti muito, com certeza longe demais, não achei nada de excepcional. Suva nem vale a pena o comentário. Ja a Polinesia francesa é maravilhosa,fui para Bora Bora, Moorea e Papeete (tahiti) das três ilhas a que mais amei foi bora bora, lugar magico agua absurdamente linda, quente, perfeita. As pessoas da ilha são super educadas e das 3 ilhas a única em que a maioria fala ingles, nas outras duas so francês ( mesmo quem trabalha com turismo). Voltaria mais vezes se não fosse a distancia e a vontade de conhecer outros lugares do mundo. Recomendo para quem ja viajou muito, para quem ainda não conhece muitos lugares o melhor custo beneficio é o caribe, muita mais perto, acesso mais fácil e em comparação com a polonesa muito mais barato, a agua é muito linda apesar de ter tonalidades diferentes da agua na polinesia. Existe uma praia em Aruba, Baby beach que a agua é escandalosa também.

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Estive já na Polinésia Francesa (Tahiti, Moorea e Bora Bora) e realmente Bora Bora é das três a mais bonita e idílica. Vale a pena gastar os tubos pra ir lá pelo menos uma vez na vida. Na mesma viagem fui a Fiji e achei ok, nada de mais as praias que fui. Quanto às Ilhas Cook conheci Rarotonga (onde vale a pena alugar um carro adquirindo a licença para dirigir de estaleiros lá mesmo) e Tb uma outra ilha chamada Aitutaki, que foi uma grata e linda surpresa, principalmente o passeio a One Foot Island.
Beeeem mais próximo do Brasil, me surpreendeu também o arquipélago de Los Roques, na Venezuela. Pena que agora está complicado ir pra lá. Tanto pela situação econômica e de segurança do país quanto pela escassez de voos também.

Flavia braz
Flavia brazPermalinkResponder

Ja estive em seychelles, mauricio e tahiti. Tambem conheco algumas praias do caribe, praias da tailandia e grecia. Na minha opiniao, nada se compara ao tahiti. Conheci rangiroa, papeete, huahie, (nao sei se estou escrevendo certo), moorea e bora bora. Moorea foi a minha preferida.
Dizem que maldivas supera. Espero conhecer em breve pra poder opinar. Minha dica: conhecam as "menos" bonitas primeiro, pois voce sempre vai comparar.... Chegar no lugar, achar lindo, mas pensar "ehh... Moorea e mais bonito". Risos.

Djean Antunes
Djean AntunesPermalinkResponder

Engraçado, minha opinião é bem contrária à sua.
Amei Fakarava, estou até pensando em mudar para lá(sério...), gostei muito de Rangiroa, mas, achei Moorea um pouco sem graça depois disso tudo... É uma ilha diferente, mas, Fakarava vai ficar para sempre no meu coração...
Ah, acho que você se referia a Huahine, não?

Eliana
ElianaPermalinkResponder

Oi, eu já estava na dúvida agora piorou rsrsrs.....

Claudio Louzada

Oi, amigos!
Por favor, não esqueçam de considerar a Ethiopian Air Lines para Seicheles e até para Zanzibar. A Ethiopian tem voo direto Guarulhos-Adis Abeba, e de Adis para zilhões de destinos da África, Oriente Médio e Ásia.
Se quiserem dicas pessoais de Seicheles e Zanzibar, me escrevam no pvt. Ou de safari na Tanzania. Ou Egito. Ou Etiópia. Explico: estou morando em Adis.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar