O valor das coisas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

   

Acabei de subir um texto novo lá no ViajeAqui.

É uma reflexão a propósito da última onda de promoções de pacotes e passagens. Sobre como, sem preços-base que nos sirvam de parâmetro, não dá para saber o que significa "volta grátis" ou "90% de desconto".

Alguns trechos:

14 anos depois de implantado o real, eu não tenho a mínima de idéia de quanto custe uma ponte aérea, uma passagem para Florianópolis, uma diária de carro alugado, um pacote de uma semana para o Recife ou uma diária avulsa num resort da Costa do Sauípe.

(...)

Se uma passagem de ida para um mesmo lugar pode custar 400 ou 900 reais, o que é uma "volta grátis"? (Num exemplo extremo – e, eu sei, fantasioso – uma volta grátis da passagem de 900 sairia mais caro para o consumidor do que a volta paga da passagem de 400.) Num espectro tão amplo de preços, o que significa "descontos de até 90%"? Quantos assentos num vôo costumam ser efetivamente vendidos pela tarifa cheia que está servindo de base para esse desconto?

Como eu posso comparar o preço de um pacote de 4 dias, como esses que estão sendo oferecidos nessas promoções do segundo semestre, com os pacotes-padrão, de 7 dias, oferecidos no primeiro semestre? Será que isso não teria que ser avisado pelo "fabricante", como aconteceu com o papel higiênico quando diminuíram o tamanho do rolo?

E mais uma coisa: será bom para as companhias aéreas incutir a idéia de que só faz bons negócios quem passa madrugadas acordado, garimpando vôos na internet, durante promoções anunciadas em cima do laço?

O texto completo está . Clica aqui que eu te levo.

15 comentários

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Eu também não entendo esta história da madrugada... Deve ser porque é o horário de menor uso do servidor.... E, as coisas que diminuem de tamanho, como chocolates, impulsos telefonicos ( alguem reparou como subiu a conta?), realmente são de lasacar....

Andrea S. B.
Andrea S. B.PermalinkResponder

Tenho também uma questão:
- Porque as diárias de particulares direto com os hotéis são tão mais caras do que comprar com as operadoras???
Não consigo entender isso....
Chega a ser quase o dobro! Acredito que o certo seria um único valor e a comissão da agência ou operadora debitada desse valor...
Parece que o que os hotéis "perdem" em lucro com as operadoras, querem "ganhar" conosco - pobres mortais que adoram viajar por conta!

Ricardo Freire

Andréa, até onde eu entendo, onde as operadoras são eficientes é no empacotamento de avião com hotel. Só hotel dá pra conseguir tarifas bem menores do que a balcão, tanto ligando para o setor de reservas quanto por meio de um agente de viagem.

Andrea S. B.
Andrea S. B.PermalinkResponder

Ricardo, estou garimpando uma pousada de charme em Porto de Galinhas e acabei de receber o e-mail da pousada pedindo 295,00 a diária da sua melhor acomodação, com 50% de depósito na reserva.
Já no site da operadora, a mesma pousada, a mesma acomodação sai a 247,00 em 4X no cartão. Pode?

GiraMundo com Jorge Bernardes

Você tem toda razão! E o engraçado é que eles só estão dando tiro no pé. Com nossa moeda tão valorizada, não ajuda nada ficar divulgando essas tarifas cheias ou promocionais que não tem nada de promoção.

Meus colegas de trabalho, estrangeiros, compraram por 600 reais ida e volta até Foz e foram informados de que era uma super promoção!!!!

Aí um deles virou pra mim e perguntou: " que tipo de promoção é essa em que um vôo doméstico de 1h e meia custa 300 dólares?"

Eu fiquei sem resposta.

Ricardo Freire

Andréa, essa diferença (de 295 para 250) é normal. Se o hotel ou pousada trabalha com operadores e têm tarifas-acordo com agências, é natural que as condições sejam melhores por intermédio deles.

O que eu reclamo é dos hotéis que expõem 600 reais de tarifa-balcão (e mandam essa tarifa como informação para o 4 Rodas) e na vida real fazem 250 (seja para o agente, seja direto, seja os dois).

Ricardo Freire

Jorge, esse é exatamente o ponto! 600 reais a Foz deveria ser a tarifa-base, a partir da qual seriam dados os descontos pra quem compra com antecedência ou em liquidações...

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq, eu li seu texto completo na Época. Tentei deixar um comentário, mas acho que está tão lento para enviar, acho que deu pau. Vou deixar aqui:
Riq, eu lembro que na época da inflação alta, os preços eram remarcados várias vêzes ao dia. Era aquela maquininha infernal de etiquetar preços nos supermercados. Tenho repetido há vários anos que a melhor herança do governo Fernando Henrique foi a establização da moeda. Cheguei a pagar 1000 reais por uma ponte aérea !!! Acho que eles atualmente jogam com o consumidor o tempo todo, como você diz está a fim de pagar quanto ? Uma vergonha, joguem limpo com o consumidor !
Acho estas promoções jogo de marketing das cias.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Outra coisa que eu não entendo: por que *&@#$% é tão difícil colocar os preços das diárias nos sites dos hotéis no Brasil?

O site é super bonitinho, bem arrumado, muitas fotos, às vezes até musiquinha (que eu inveriavelmente desligo, a menos que seja o som do mar). Quando você entra na página de "preços" ou "tarifas": "por favor entre em contato no tel tal", "mande um e-mail" ou "faça sua reseva no formulário abaixo". Quando você já sabe exatamente em que hotel quer ir, tudo bem. Mas quando você está só sonhando com uma viagem, tentando ver qual dos destinos cabem no seu orçamento, para qual hotel mais charmosinho daria para ir desta vez... Cadê o preço para ajudar? Só no Guia 4Rodas, e muitas vezes, como o Riq colocou, falsamente inflacionado.

Mas por que não colocar o preço no site??? Já me responderam que é porque tem temporada alta e baixa, feriados, promoções especiais... Ora, não é justamente para isso que existe o site? Coloca tudo, ué! Fica até mais fácil para decidir quando viajar se você tem como ver todas as opções de preço disponíveis!

Alguém sabe explicar qual a estratégia de marketing por trás disso? É como jabuticaba, só acontece no Brasil...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Riq, você colocou em palavras algo que me incomodava bastante (e provavelmente a outras pessoas), mas não tinha me dado conta ainda...você não consegue mesmo ter uma idéia dos preços quando deseja, nem que seja uma estimativa, mesmo sempre dando uma olhadinha nos anúncios...
Jurema, estou contigo: é irritante ter que ficar mandando e-mails para um mundo de pousadas e hotéis, quando se quer ter uma idéia de preços para um final de semana, por exemplo. Em alguns casos eu até desanimo e descarto aquela pousada que não coloca preços. Outro dia, limpando o Outlook, é que me dei conta da quantidade de e-mails de cotação que eu enviei nos últimos tempos, para vários destinos.

Majô
MajôPermalinkResponder

Tentei escrever aqui antes, mas veio aquela mensagem de erro outra vez. evil

Também como a Jurema me irritam os sites de pousadas que não colocam os preços. Fica a impressão que as diárias variam de acordo com o cliente....

Majô
MajôPermalinkResponder

ahhhh consegui !!!! i

Andrea S. B.
Andrea S. B.PermalinkResponder

Gente, é exatamente isso que está acontecendo comigo!!!!!
É coisa de maluco planejar uma estadia sem os "pacotões" das operadoras!
Em relação à minha quase viagem a Porto de Galinhas, já estou com 03 informações diferentes sobre a tarifa de uma única pousada: uma da operadora, uma por telefone com a pousada e outra ainda por e-mail através do site da pousada "com musiquinha" e sem muita informação, como disse a Jurema.
É infernal!!! Tô quase desistindo...

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Lei da oferta e procura:
Rio-Fortaleza de madrugada é o mesmo preço de Fortaleza-Recife (manhã) que é o mesmo preço de Recife-Rio (a tarde). E Recife-Noronha-Recife sai mais que o dobro do que os três trechos anteriores juntos.

É mais barato ir para Bariloche do que Noronha rsrs

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

O que faço para encontrar passagem Rio-Fortaleza por um preço acessível?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar