"A mais feia que você jamais vai amar"

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

mortadela450.jpg

São Paulo é a protagonista da seção "36 horas em..." do caderno de viagem do New York Times deste fim de semana.

O repórter Seth Kugel, que arranha o português e costuma fazer boas matérias sobre o Brasil, mais uma vez acerta na mosca. Como não gostar de uma matéria sobre São Paulo que abre com a frase "Esta deve ser a cidade mais feia e perigosa que você jamais vai amar"?

O roteiro do Seth começa na tarde de sexta, com a Estação da Luz, o Jardim da Luz, a Pinacoteca (nada sobre o Museu da Língua Portuguesa, entende-se...) e um chopinho no Bar Léo. De lá, jantar e música ao vivo no Bar Brahma, na esquina da Ipiranga com a São João onde alguma coisa aconteceu no coração do Caetano.

O sábado começa com um café da manhã na Galeria dos Pães da Estados Unidos, seguido de uma visita ao Masp e de um passeio pela recém-reformada rua Oscar Freire, para tomar café no Santo Grão e ver as vitrines de lojas como a Osklen.

O jantar é por ali mesmo nos Jardins, no Rodeio, a mais paulistana das churrascarias. De lá, um táxi (exageradamente calculado em 25 a 30 reais; não deve dar mais do que 15) para a Vila Madalena, para botecar no Salve Simpatia ou no Feitiço da Vila.

O domingo começa com a missa com canto gregoriano no Mosteiro de São Bento. Depois é só despencar até o Mercado Municipal para um megapastel de bacalhau no Hocca Bar (e não o mega-sanduba de mortadela do Bar do Mané, da minha foto), e pegar um táxi (aí sim, de 30 reais, digo eu) para encerrar o fim de semana com uma água-de-coco no Ibirapuera.

Em linhas gerais, um óóóótimo roteiro, absolutamente factível. E o que é melhor: sem contratempos de trânsito (principalmente se você se hospedar na região da Paulista, para os lados da Consolação).

Se me pedissem para procurar pêlo em ovo, eu tiraria o Bar Brahma (acho fraco) e o Rodeio (é bacana, mas acho que para um gringo valeria mais a pena ir a um rodízio top), e incluiria os dois mirantes mais espetaculares -- e complementares -- da cidade: o do Terraço Itália, na primeira noite, e o do bar Skye, do hotel Unique, na segunda. Ah, sim: e wouldn't bother com o Ibirapuera, sobretudo num domingão em que vai haver mais gente do que árvores.

Clique aqui para ler a matéria completa, com fotos e links e tudo mais.

E olha que coincidência -- eu tenho uma segunda coluneta na Época, que é publicada nas semanas em que a colunona não sai. É uma tripinha de título "6 Horas", com sugestões para aproveitar uma janela de tempo livre numa cidade qualquer do mundo. Pois justo essa semana as minhas "6 Horas" se passam em São Paulo, e são praticamente idênticas às seis primeiras horas do roteiro do Seth, da Estação da Luz ao Bar Léo (só que incluindo o Museu da Língua Portuguesa, claro).

A propósito... só agora me dei conta de que esqueci de agradecer à Carla Portilho, que me ajudou a fazer as "6 Horas em Lima" da coluna que foi publicada na quinzena passada. Obrigadíssimo, Carlinha!

88 comentários

nando13
nando13PermalinkResponder

ah,,,visita meu blog!
>> http://toppop.wordpress.com

abraços

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Dani, o teu hotel da volta pertinho do aeroporto está no comentario
ali em cima : Naithonburi smile
Quartos comuns no edificio grandão não rola não ..

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Oi Ricardo,

A tradução no título do seu texto talvez não esteja errada, mas está muito estranha. O ever na frase não deve ser traduzido dessa forma. Talvez ficaria melhor assim: “A mais feia que você vai amar” ou ainda “A mais feia, mais perigosa que você sempre amará”.

I hope that helps,

Ricardo Freire

Alessandro-que-não-é-de-Munique: que a tradução é estranha eu sei, e que a ambigüidade cessa se eu retirar a palavra "jamais" da frase eu já escrevi num comentário anterior, mais acima.

Só que "a mais feia que você SEMPRE amará" está erradíssimo, desculpaê... Não há sentido de recorrência. Esse "ever" tem sentido de "alguma vez"; não de "sempre".

Repetindo o Houaiss que eu já tinha citado mais acima:

JAMAIS
acepção número 3: algum dia, alguma vez, em algum tempo
Ex.: se jamais se lembrar de mim, escreva-me

O exemplo é do Houaiss, não é meu, sorry.

Ricardo Freire

E fora que "a mais feia, vírgula, mais perigosa que..." não é português :roll:

Carmen
CarmenPermalinkResponder

En español si se quiere reforzar el sentido de nunca se dice: nunca jamás.
Jamás como "ya más", viene del latín.
Nunca a lo largo del tiempo, ya más.

Pero en portugués no tengo ni idea y en inglés todavía peor!!!

ever, never siempre me han parecido igual

Ricardo Freire

Carmen, em francês esse "jamais" positivo também ocorre.

"La ville la plus laide que vous aimerez jamais" é uma construção correta grin

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Acostumado a receber elogios, não é mesmo? Quando alguém dá uma sugestão recebe “patada”. Esse é o problema dos profissionais da mídia tradicional. Na verdade eu já esperava a resposta. Se não quer receber pitaco é só não disponibilizar comentários. Blog é mídia colaborativa meu amigo. É assim que funciona. Educação com seus leitores nunca é demais.

Um dia você aprende!

Keep up the good work. Sucesso! (ops! Você já tem de sobra né?)

See you!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Vou repetir também: o povo tem mania de traduzir "ever" como "sempre", raciocinando assim: se "never" é "nunca", "ever" é "sempre". Nem sempre!!! Concordo que "ever" é o oposto de "never", mas no sentido de que apenas "uma única vez" já é o oposto de "nunca"!

O uso do "jamais" no sentido afirmativo é formal, não é o registro corrente, do dia-a-dia. Que as pessoas estranhem, tudo bem, é natural. Mas não há o que corrigir, muito menos quando se altera o significado original da frase!

Como dizia o meu professor de tradução, para traduzir é preciso dominar muito bem a língua de destino, mais do que a língua de origem... É por essas e outras situações que eu chego à conclusão de que o nosso ensino de português realmente está deixando muito a desejar...

Ricardo Freire

Alessandro. Eu não sou um profissional da mídia tradicional. Não tenho nem jamais tive nenhum emprego fixo na imprensa. Sou freelance até a medula. Minha ocupação principal hoje em dia -- em termos de tempo dedicado -- é este blog, pelo qual eu não recebo nenhum centavo.

Desculpe, mas não vou aceitar que contraponham uma construção errada a outra que, apesar de esquisita, estranha e "inusual" (detesto essa palavra), está correta.

Se você propusesse "Você não vai amar outra cidade tão feia"; "A cidade mais feia que você amará na vida"; "A cidade mais feia que você terá a oportunidade de amar" eu diria -- é mesmo, é assim que a gente escreveria em português do Brasil fluente e coloquial.

Agora: "a cidade mais feia que você sempre vai amar" ou "a cidade mais feia, mais perigosa que você vai amar", no way -- continua esquisito e está errado.

Esta é a discussão mais estéril que este blog jamais verá.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Riq, you've got mail...

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Agora sim eu recebi uma resposta digna de Ricardo Freire.

Assunto encerrado!

Abraço,

Ricardo Freire

Diogo, até agora não chegou mail nenhum...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

E agora?!

Mandei once again...

Ricardo Freire

Recebido, caro Unseasoned :roll:

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Meixmo meixmo?!

Ou só alarme falso novamente?

Ricardo Freire

Ricibi e reishpondji...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Recebeu com, ou sem o arquivo?
O último que eu recebi teu foi o "chegou não", hehehe...

Ai Jisuisinho...

Ricardo Freire

Uia! Recebi dois com o mesmo arquivo, li e respondi grin

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Agora eu é que não recebi...

Acho que é o trânsito na BRIOI, hehehe 8-)

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Esse chat ai de cima é só pra enlouquecer o povo ?? :roll:

Ricardo Freire

É Skype por escrito, Sylvia
mrgreen

Diogo
DiogoPermalinkResponder

É MSN ao vivo...

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Pois é gauchada .. não dá pra habilitar no VnV uma ferramenta chat
ao vivo ? Camera e microfone ?
lol
lol

Já viu né ? A madrugada ia bombar !!

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Sylvia, fica sussa. Esse deve ser mais um dos planos diabólicos do Cebolinha para derrotar a Mônica (meaning, deixar todo mundo curioso...)

Avassaladora
AvassaladoraPermalinkResponder

Acabei de voltar de Sampa, depois vai lá no meu blog e vê se o meu roteiro também poderia ser uma "boa"!!!!

ana amélia
ana améliaPermalinkResponder

Ricardo, mas uma encomenda pra vc: o que fazer em Sampa (ou imediações) em pleno Carnaval???? Tive esta experiência no ano passado e apesar da tranquilidade da cidade ... muitos restaurantes e teatros e casas de show estavam fechados! Alguma sugestão ou lugar pra visitar nestes dias que não seja praia (estarei voltando da Rota Ecológica) colegas do blog ???

Ricardo Freire

Quantos dias você fica? Que dia você chega? Para onde vai depois?

ana amélia
ana améliaPermalinkResponder

Fico na rota ecológica de 26/01 ate 01/02 ou 02/02/08. Depois volto pra Sampa (na sexta ou no Sabado de carnaval) e fico aqui mesmo (estudo e trabalho aqui). Mas passei o Carnaval aqui no ano passado e tive dificuldade de achar um programa legal pensei em ir pra Serra ... Por sinal adorei a enquete sobre São Paulo... quando cheguei aqui há alguns anos achei que jamais me adaptaria mas com o tempo ... a gente aprende a gostar e respeitar a cidade!

Ricardo Freire

Ana, não entendo nada de serra, ainda mais em São Paulo. Mas não acredito que os pacotes de carnaval sejam em conta, não. Eu arriscaria dizer que um boa pousada de serra em São Paulo durante o carnaval vai sair mais caro do que essas pousadas da Rota que você está considerando para a semana pré-carnavalesca. (Eu não deixaria de comparar os preços com os pacotes para Buenos Aires.)

Pra quem fica em São Paulo, tem cinema e restaurante (uns fecham, é verdade, mas a maioria continua aberta.) Ir ao Sambódromo também é um bom programa. Você tem outros 50 fins de semana ao longo do ano para aproveitar a vida cultural...

Hospedar-se por dois dias num hotel top de São Paulo (Unique ou Emiliano ou Hyatt), continuando a curtir a sua lua-de-mel, seria umas. Duvido que encham (ou mesmo que subam as tarifas) durante o Carnaval.

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Tem umas pousadas muito bacanas, com ofurô nos quartos e tudo em São Francisco Xavier e Santo Antonio do Pinhal. Não estou com os links aqui, mas prometo dar uma fuçada e mandar tá?

Majô
MajôPermalinkResponder

Ana, no blog da Lea tem um post com dicas de pousadas http://tripling.blogspot.com/2006/11/lista-bate-e-volta-de-sp-campo.html
talvez ajude.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Olá Ricardo! Sou mais uma leitora assídua e calada deste delicioso blog e de todos os teus trabalhos!
Moro em Brasília e estou programando uma viagem de carrro até SP com meu marido e meu filho de 3 anos. Como não temos dia marcado para chegar por lá e dispomos de bastante tempo, gostaríamos de fazer do (longo) trajeto um passeio. Você tem dicas de lugares / hotéis bacanas "no meio do caminho" onde pudéssemos parar, ficar uma ou duas noites e curtir o local?
Agradeço se puder me ajudar!

Sabrina
SabrinaPermalinkResponder

Ricardo,
Sou uma carioca que não conhece Sampa. Estou querendo passar um finde por lá. Achei este post de 2007. Ainda atualizado pra 2010?

Sabrina
SabrinaPermalinkResponder

Eu já tinha visto todos, obrigada. É que achei esse mais o que estou procurando. Depois da "bronquinha" lá no post de Natal, estou mais cuidadosa pra não repetir perguntas e assuntos wink

Vanderson Luis

Eu estou lendo uma matéria de 2007 que tem um link :/ ..... Arrisquei clicar no link e o óbivo se concretizou .... Pena, queria ler a matéria do 7!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar