Iberostar Praia do Forte, por Breno B.

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

iberostar450.jpg

O Breno B. praticamente emendou uma semana em Los Roques com outra no Iberostar da Praia do Forte.

Na volta, publicou um ótimo post-resenha lá no Vem Comigo, que mais ou menos coincide com a minha opinião.

Outra coisa que -- desta vez, infelizmente -- o relato do Breno B. confirma é o estado de abandono do Pelourinho. Pena.

50 comentários

Carmen
CarmenPermalinkResponder

El post de Breno é muito divertido. Riso!!!
Ele da uma visâo muito acertada de "la vida en um resort"!!! Ele fala do misterio as pulseirinhas coloridas!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Engraçadíssima a tirada das pulseirinhas... lol

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Excelente o post do Breno !
Agora uma perguntinha baa´sica : não vão fazer nada para salvar o Pelô?

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Tambem lamento muito o abandono do Pelourinho... E um dos conjuntos mais marcantes do Brasil, e onde tinha sido feita uma restauracao de nivel mundial. Sera que de dia esta mais encarável?

Breno B
Breno BPermalinkResponder

Oi gente,

Eu não quis falar muito do Pelourinho pq meu post era mais sobre o Iberostar. Mas a situação é realmente vexatória.

Há uns 5 anos atrás, estivemos no (recomendadíssimo) Eco Resort Praia do Forte e pegamos uma van para assistir o ensaio do Olodum e jantar no restaurante da Dadá. É claro que fomos abordados por muitos meninos de rua mas, pra quem viveu 22 anos em Sampa, dava pra encarar na boa. É só não dar muita bola, continuar andando e tomar cuidado com os pertences, procedimento normal em qualquer capital brasileira.

Da última vez ficou insuportável. Não sei se foi pelo fato de ser uma quinta-feira e estar tudo meio vazio, mas não dava pra andar... literalmente! Meu pai foi cercado por meninos de rua - visivelmente drogados - enquanto eu era abordado por uma gestante de rua cuspindo pão pela boca enquanto tentava se cominicar. Seria cômico se não fosse trágico.

Como estávamos num grupo de 11 pessoas, resolvemos bater em retirada e fomos seguindo o motorista até a van, estacionada ao lado do Elevador Lacerda. Resolvi tirar umas fotos e apoiei minha câmera sobre a mureta para fazer uma foto noturna da paisagem. Nesse momento, outra mulher - completamente bêbada - esbarrou em mim e quase derruba minha câmera lá pra baixo! Ela teve que agarrar na minha bermuda pra não cair no chão! Pra mim deu.

Não quero entrar no mérito da questão sobre desigualdade social e suas políticas pseudo-assistencialistas, mas o fato é que o Pelourinho hoje não tem condições de mostrar para os turistas as suas belas ladeiras por conta desse pessoal. Sinto um misto de indignação e pena da mendigagem que se instalou por lá. E fico imaginando um gringo andando por ali com sua câmera no pescoço e uma carteira de dólares no bolso. No way!

Infelizmente, eu não volto mais sad

Caio
CaioPermalinkResponder

Infelizmente tenho a mesma opinião. Fui conhecer Salvador a 2 anos atrás e tive péssima impressão; achei que foi o momento e voltei em Novembro do ano passado. Achei um horror, pessoas drogadas, pessoas te cercando o tempo todo. Pedintes, vi crianças cometendo pequenos furtos. É uma pena que um patrimônio daquele esteja tão largado.
A famosa praia de Itapoã, mais parecia um lixão.
Muito triste.

GiraMundo com Jorge Bernardes

Que pena, eu sonhava em voltar à Salvador só pra passear no Pelourinho.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A noticia que a ninguem viu até Breno avisar !

Suspensão de shows e dificuldade de acesso devolvem Pelourinho a mendigos e drogados:
http://www.portaldopelourinho.com.br/leia_noticias.php?id=152

e tem mais aqui :

Turistas, moradores e comerciantes locais estão se sentindo acuados na região.

Falta de investimento do governo estadual é apontada como causa. Programa de shows para atrair turistas foi suspenso em fevereiro.

Por trás da beleza dos 3.000 casarões do centro histórico de Salvador, que retratam parte da arquitetura do Brasil dos séculos 16, 17 e 18, mendigos, usuários de drogas, prostitutas e meninos de rua tomam conta das ladeiras estreitas do Pelourinho. Como resultado da ocupação, turistas, moradores e comerciantes estão se sentindo acuados e deixando o local.

Os reflexos do abandono do centro histórico não poderiam ser mais devastadores -dos 450 comerciantes registrados na Acopelô, pelo menos 90 (20%) colocaram seus estabelecimentos à venda ou simplesmente encerraram as suas atividades neste ano.
"Acho que não devemos politizar esta situação, até porque o problema não é recente. Faz tempo que o governo estadual abandonou os investimentos em segurança e infra-estrutura no Pelourinho.
Com pouco movimento nas ruas, as prostitutas e os mendigos voltaram a freqüentar com assiduidade o Pelourinho, o que não acontecia havia 17 anos. Isso porque, no começo da década de 90, com o início das restaurações dos casarões, PMs expulsavam os meninos e reprimiam a prostituição.
( da agencia folha de salvador )

Majô
MajôPermalinkResponder

O assunto sobre a degradação do Pelourinho tinha sido comentado no mês passado, pelo Marcel e a Eunice no post sobre Salvadô http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/09/25/ah-salvado/ . O Riq chegou a fazer uma chamada em html.
É lamentável mesmo deixarem a situação chegar a este ponto e agora temos o testemunho do Breno B.
Alguém tem que fazer alguma coisa !!!!

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Que triste! Estive lá em 2003 e tinha saudades. E, como ficam os enormes investimentos do pessoal que fez a pousada do Carmo, alem dos outros hoteis e albergues que existem na região? Politica social é gerar empregos, nao permitir a mendicancia, ou pior ainda ser negligente com a criminalidade.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Esse assunto é muito penoso para todos que amam o Pelourinho. Já tínhamos falado dele aqui, bem como o Rique. Não há como não politizar um tema que é eminentemente político. A degradação do Pelourinho decorre de uma decisão política tomada pelo Secretário de Cultura e avalizada pelo governador, em discurso público, de "reentrega" do Pelourinho aos seus habitantes "naturais": os despossuídos. Uma combinação explosiva de ignorância, pretensão e arrogância. Um exemplo: cortaram toda a verba de manutenção da Fundação Casa Jorge Amado. Míseros 360.000,00/ano. A diretora da fundação, Myriam Fraga, precisou demitir funcionários, fechar o café, e desligar o sistema de ar-condicionado, importantíssimo para a mantenção dos 250.000 documentos de Jorge que lá se encontram. João Ubaldo soube, berrou em sua coluna do jornal O Globo, e após isso voltaram atrás da decisão, com um financiamento parcial. A Universidade de Harvard propôs levar para lá o acervo. Talvez, em um futuro próximo tenhamos que ir lá para consultar os documentos de Jorge Amado. Tb foi cortado todo o financiamento do Museu Costa Pinto ( maior acervo de jóias criolulas ). O "secretário "nem aceitou receber a diretora do Museu, para audiência. E por aí seguem os exemplos de arrogância, prepotencia e ignorância. O Balé teatro Castro Alves está "cervado". O teatro com maior taxa de ocupação, já fechou.. Os exmeplos são muitos, cada um mais doloroso que outro. Penso que uma campanha nacional poderia ter algum efeito, ja que o governador tem pretensões políticas maiores. É isso. Triste Bahia.

Eunice
EunicePermalinkResponder

"cercado", digo.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Seguem os links de uma entrevista e de uma crônica de João Ubaldo sobre o asssunto em questão:

http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1975986-EI6578,00.html

http://www.bahiaja.com.br/artigos_texto.php?idArtigo=132

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Que coisa triste... Tem poucas coisas que me deixam mais triste do que rever um lugar, matar a saudade, e ver que ele se degradou, e lembrar, puxa, como era bonito vibrante, e hoje esta mal cuidado, abandonado...

Assim, devido aos despossuidos, aqueles que tinham um emprego vão deixa-los de possuir, isto sem falar num lugar que a meu ver era unico no mundo, com sua combinação de negritude, ongs que ensinavam capoeira, restaurantes tipicos, pequenas pousadas e passado colonial, e que estava vivo, não só com o turismo, mas também com os locais...

Mas, quem sabe o Riq compre a causa, ele é um formador de opiniao, tem grandes opiniões e tem acesso a midia. Tai um tema para a Época....

Majô
MajôPermalinkResponder

Tristíssimo isto tudo que a Eunice nos traz. O Pelourinho estava uma beleza, e os Museus em Salvador são preciosos. O Costa Pinto é belíssimo com as igrejas de Salvador são um acervo raro. Não podemos deixar que isto tudo se aniquile pela imbecilidade humana.

Temos que nos mexer, escrever cartas ao digníssimo senhor Governador da Bahia, protestando contra a degradação e abandono do Pelourinho, bem como do Museu Costa Pinto e da Casa de Cultura Jorge Amado. Escrevamos também ao Ministro da Cultura reclamando do abandono de todo este acervo.
No mínimo é uma burrice, pois a Bahia tem se beneficiado muito financeiramente com turismo. Depois deste quadro triste vai perder receita, pois os turistas vão cair fora.

Adriane Lima
Adriane LimaPermalinkResponder

Eunice, é isso aí mesmo... isso tudo que vc disse que a Myrian Fraga, diretora da Fundação Casa de Jorge Amado fez, a Mercedes Rosa, pelo Costa Pinto, tá fazendo também - corte de pessoal, redução do horário de atendimento...

Eu fiquei aqui lendo o post e os comentários sem querer me manifestar, é tão ruim só ter coisas tristes pra dizer de lugares que a gente gosta tanto, mas é isso aí mesmo.

Não se vê policiamento nas ruas, a iluminação é precária. Não recomendo a mais ninguém que vá ao Pelô à noite.

Uma luz no fim do túnel é que a partir da próxima semana tem ensaios quinzenais de Jauperi na Praça Teresa Batista, quem sabe é o primeiro fôlego pra animação voltar à noite...

Ah, outro programa bom também no Costa Pinto é ver a expo Civilização & Cobre, está lá até 04/11, depois segue pra FIESP. OK, é patrocínio da empresa onde trabalho... mas é linda, gente, 400 peças, algumas de mais de 2mil anos de tudo quanto é canto do mundo! Não canso de ver.

Marcel Alcantara

Triste Bahia. Li ontem no Globo online uma entrevista com o neto de Jorge Amado, a família ainda não descartou a transferência do acervo do escritor para Havard. Eles estão tentado sem sucesso o apoio para transformar a fantástica casa que Jorge e Zélia viveram no Rio Vermelho em museu, no momento a casa passa por um processo de degradação. Essa casa foi a mais importante residência de Salvador no século passado, por ali circularam intelectuais e artistas do mundo inteiro.

É lamentável atual situação do Pelourinho, como o Ernesto salientou acima, o Pelô e um dos conjunto mais marcantes do Brasil. Só uma grande mobilização da população para tentar reverter esse clima.

Tem uma discursão que por enquanto está restrita aos meios locais e que se arrasta há meses em Salvador que é a das barracas de praia. Você tem alguma notícia Eunice?

Liciana
LicianaPermalinkResponder

Eunice e Dri,
Tentei um contato com vcs lá no post de Salvador, e tento aqui novamente.
Estou indo a Salvador neste próximo dia 25. Estava querendo ver horários de museus e igrejas.
Vcs podem entrar em contato comigo através do lili almeida arroba terra ponto com ponto br.
Agradeço se puderem ajudar.
Bj

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Liciana
nos principais hotéis tem os horários religiosos.

Gente,
jantei no Pelourinho ano passado numa sexta à noite e estava super policiado. Fui com um local e um gringo. Dei sorte ou ficou ainda pior?!

Lena
LenaPermalinkResponder

Estive no pelourinho pela primeira vez em 94, quando ele já havia sido reformado. Dei uma chegadinha lá só para conhecer, depois de ter passado uns dias em Itaparica, e só deu para achar muito lindo, mas não deu para curtir.

Depois, em 2002, voltei com uma prima, que é íntima do Pelô! Passei algumas horas lá. Almoçamos, passeamos um pouco e vimos um ensaio do Olodum. Adorei!

A última vez foi em 2004. Estava em Salvador a trabalho e fomos jantar no restaurante no Senac, portanto foi minha única visita à noite. Fomos abordados muitas vezes por pessoas que já chegavam amarrando as fitinhas do Bonfim nos nossos pulsos. Mas imediatamente chegava um policial e mandava eles se afastarem. Achei aquilo estranho, já que em quase todos os lugares turísticos tem sempre alguém vendendo alguma coisa. Mas os policiais disseram que eles sabiam que era proibido se aproximar de turista.

Os relatos acima foram uma surpresa para mim. Não tinha idéia que a situação era essa. Vinha sonhando com a idéia de passar uma noite no Convento do Carmo...E a explicação que a Eunice deu, então, é de matar!! Não tinha lido a declaração dos senhores mencionados por ela. Não vou nem comentar nada, pra não estragar meu estado zen de pré-viagem.

Acho que se um dia despoluirem o Tietê e a pesca voltar a ser possível, como fizeram com Tâmisa, é capaz que algum ser brilhante mande poluir de volta, para devolvê-lo à população original do rio, irch!!

Adriane Lima
Adriane LimaPermalinkResponder

Marcel, há 2 dias saiu uma matéria no Correio da Bahia sobre o assunto da nova estrutura da orla de Salvador e da falta de diálogo entre barraqueiros e prefeitura. A matéria se chamava "Novela sem fim". Ou seja... a novela continua e o verão tá chegando...

Adriane Lima
Adriane LimaPermalinkResponder

Liciana, a maior parte das igrejas fecha para o almoço (geralmente, de 12h às 13h, ou de 11h às 12h...). Não sei se é sua primeira vez em Salvador, mas saiba que em muitos casos a entrada nas igrejas é por uma porta lateral, e não pela porta principal. Então, vendo de longe, a gente acha que tá fechada, mas não tá não, viu?

O Museu Carlos Costa Pinto funciona das 14h às 19h. Conheça o Palácio Rio Branco, na Cidade Alta, do lado do Elevador Lacerda. Lá foi a antiga sede do Governo, é muito bonito. O Mercado Modelo funciona de 09h às 19h, exceto aos domingos, quando fecha às 14h.

Todas as informações de Salvador você pode encontrar no site da Emtursa, órgão oficial de turismo: http://www.emtursa.ba.gov.br/

Aproveite bastante!

Liciana
LicianaPermalinkResponder

Adriana,
Apesar de não ser minha primeira vez em Salvador já faz algum tempo que não visito a cidade e nada como locais antenados pra dar uma força.
Obrigada

Eunice
EunicePermalinkResponder

Liciana,

Foi bom que vc tivesse perguntado nesse post porque eu não tinha visto sua solicitação anterior. Seguem os horários de algumas atrações. Coloquei ao lado os telefones, para que vc possa confirmar na véspera, pois não sei como é o funcionamento em feriados. O telefone do disque-turismo é 31120102 ( muito útil ).

1) Solar do Unhão – MAM e Jardim de Esculturas – Terça a Domingo: 9 às 19:00h. Tel 71- 3117-6130
2) Portal da Misericórdia: Seg,Quarta, Sábado: 10 às 17h . Domingo: 13 às 17 horas. Tel: 71- 3322-7355
3) Palácio Rio Branco – Segunda: 14 ás 18h; Terça a Sexta: 9 às 18h. Tel: 71-3321-0204
4) Antiga Faculdade de Medicina ( Museu Afro-Brasileiro e de Etnologia ) – Seg a Sexta: 9 às 17h. Tel: 3321-2971
5) Forte de Santo Antônio da Barra – Terça a Domingo: 8:30 às 19h. Tel: 71-3264-3296
6) Forte de São Marcelo ( acesso a partir do Centro Náutico ) – Terça a Domingo – 9 às 18 horas. Tel: 71- 3321-5286
7) Forte de Monte Serrat – Diariamente, 9 às 17 horas – Tel: 3313-7339
8) Forte de São Diogo – Terça a Domingo; 9:30 às 12 e 13:30 às 17:30
9) Convento de São Francisco- Segunda a Sábado: 8 às 17:39h. Tel 71- 3322-6430
10) Igreja da Ordem Terceira de São Francisco – Seg a Sexta; 8 às 18h – Tel:71- 3321-6968
11) Catedral Basílica – Seg. a Sábado: 8 às 11:30 e 14 às 17:30; Domingo:11 às 12 horas
12) Mosteiro de São Bento – Seg a Sexta: 8:30 às 11:30; 13 às 16:30h. Domingo:10 horas.
13) Igreja do Senhor do Bonfim – Terça a Domingo: 6:30 às 12 e 14 ás 18:00hs.
14) Igreja de N.S. da Conceição da Praia – Segunda: 7 às 11:30h. Terça a Sexta: 7 às 11:30 e 15 às 17 horas. Sábado e Domingo: 7 às 11:30h. Tel: 71- 3242-0545
15) Igreja de N.S. Rosário dos Pretos – Terça: 18h; Domingo:10h. Tel: 71- 3241-5781
16) Ordem Terceira do Carmo – Segunda a Sábado: 9 às 13h e 14 às 18h. Tel: 71- 3481-4169
17) Museu Carlos Costa Pinto – Seg, Quarta a Sábado: 14:30 às 19h. tel: 71-3336-6081
18) Museu de Arte Sacra – Segunda a sexta: 11:30 às 18:30h. Tel: 71-3243-6310
19) Museu Geológico – Terça a Sexta: 13:30 às 18h; Sábado e Domingo: 13 às 17h. Tel: 71- 3336-6922
20) Museu Henriqueta Catharino; Terça a Sexta: 10 às 12 e 13 ás 18h. Sábado: 14 ás 19h. Tel: 71- 3329-5522
21) Museu de Arte – Terça a Sexta: 14 ás 19; Sábado e Domingo:14:30 às 18:30s. tel: 71-3117-6903
22) Museu Abelardo Rodrigues – Terça a Sábado: 13 às 18h. Tel:71- 3117-6381
23) Museu Eugênio Teixeira Leal: Terça a Sexta: 9 às 18h; Sábado e Dominfo: 13 às 17h. Tel: 71- 3321 -8308
24) Fundação Casa Jorge Amado – Segunda a Sábado: 9 às 18h. Tel: 71- 3321-0122
22) Azulejaria Udo Knoff - Terça a Sábado: 13 às 18h. Tel: 3117-6388.

Viajo dia 27, mas caso possamos conciliar nossos horários poderemos nos ver dia 26. Passo meu telefone para seu e-mail privado.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Hoje, no primeiro caderno do jornal A Tarde ( o jornal local mais lido ) uma página inteira sobre a crise na Fundação Casa Jorge Amado, no Pelourinho. Myriam Fraga, a diretora, diz que nada foi solucionado ainda ( diferente do que eu pensei ) - nenhum repasse financeiro foi feito até o momento. E um outro artigo, sobre a bela casa de Jorge e Zélia no Rio Vermelho, que está uma "tapera". A família entregou para o público, a Globo vai restaurar, mas ainda não encontrou o apoio necessário. E como tristeza nunca vem só, a querídissima Zélia Gattai mais uma vez internada em um hospital.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Caio: por incrível que possa parecer Salvador é a grande cidade no Brasil com a melhor cobertura de esgotamento sanitário, isso graças a um ambicioso programa financiado pelo Banco Mundial. Toda a baía é despoluída e todas as praias sejam elas da baía ou oceânicas são seguras no que se refere à saúde. O mesmo vale para todo o litoral norte. Segundo: o desaponmtamento que vc refere em relação a Itapuã é muito comum entre os turistas, pois a Itapuã que é apresentada no trade turístico tradicional é a do Largo da Sereia ( muito feio ) e o cantado pelos poetas fica nos fundos de dois loteamentos da classe média alta: Pedra da Sal e ruas J, L, M...É preciso entrar em uma rua desses condomínios e chegar à praia para entender qual é a Itapuã que se fala.

Majô
MajôPermalinkResponder

É uma pena que no Brasil não haja preocupação com preservação da memória. Quantos monumentos lindos mal cuidados e preservadas.

Uma política burra a de não preservar os monumentos da cidade e dar segurança aos turistas que são excelente fonte de renda para a cidade e todos que ali trabalham, restaurantes, taxis, lojas, hotéis.
Por que não treinam mão de obra local para serem guias, como em Olinda, na frente do Mosteiro de São Bento, há meninos guias treinados que se oferecem e sabem a história na ponta da língua. Na saída você dá uma gratificação. E vê-se que são meninos de origem pobre.

Será que estes senhores abrem a porta de suas casas para o pessoal de rua também ?

Eunice
EunicePermalinkResponder

"queridíssima", digo.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Marcel: o novo projeto de barracas de praia já foi apresentado pela Prefeitura, em uma audiência na justiça. No atual projeto mais da metade das barracas serão removidas ( o que concordo ). Todas as atuais barracas serão demolidas e construídas fora da areia ( passeio ou canteiro central ): tb acho ótimo. As dimensões, os materias, tudo mudado. O projeto me pareceu bom. A justiça ainda não seu seu parecer final, que seja qual for, vai encontrar muita resistência para ser executado. Não creio que o problema esteja solucionado nesse verão. Penso que é para o verão de 2009.

Eunice
EunicePermalinkResponder

´"materiais"

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Eunice grin
Essa tua dica vale mais do que ouro em pó !!

"...a Itapuã que é apresentada no trade turístico tradicional é a do Largo da Sereia ( muito feio ) e o cantado pelos poetas fica nos fundos de dois loteamentos da classe média alta: Pedra da Sal e ruas J, L, M…É preciso entrar em uma rua desses condomínios e chegar à praia para entender qual é a Itapuã que se fala." :!: :!: :!:

Eunice
EunicePermalinkResponder

Sylvia; aproveite, então...eek)

Majô: soube que a Hebe Camargo , em seu programa de ontem, pediu pelo não fechamento da Fundação Casa Jorge Amado. Isso pode ajudar.

Majô
MajôPermalinkResponder

Eunice,

Boa notícia !! Várias pessoas batendo na mesma teclavão ajudar com certeza. Outros que têm penetração na midia podem se manifestar também.
Os blogs hoje em dia têm repercussão, pois muita gente lê.

E encher a caixa de mensagens deste povo !!!! Usar a internet para isso também. É só entrar no site do governo da Bahia e pegar o e-mail deles. Fazer um modelo de carta e enviar para eles e para as sessões de cartas aos leitores do Globo e da Veja. Já fiz muito isso.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Mãos a obra geeenti : lol lol
( agora vamos dar um tempo para salvar as baleias e vamos
salvar o pelourinho !! )

Para quem tiver preguiça de escrever:

Ouvidoria Geral do Estado da Bahia
0800 284 0011

Para deixar um recado por escrito ao governo da Bahia:
http://200.187.14.5/Manifestacao.asp

Majô
MajôPermalinkResponder

Boa Sylvia, mãos a obra, vamolá salvar o Pelourinho, o Museu Costa Pinto e a Casa do Jorge Amado.

O dever de casa hoje é este !!

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Meninas, superbacana a iniciativa de vocês. Como todos, fiquei tristíssima com essa história. Turístico ou não, de gringos ou moradores, o Pelourinho é a essência de Salvador, um dos maiores motivos da cidade ser tão única.
Em julho não consegui passar por lá, mas em setembro do ano passado tirei uma manhã para bater perna por lá. Não tivemos qualquer tipo de problema, por isso me assustam um pouco todos esses relatos...
O curioso é que os soteropolitanos mesmo não curtem mesmo ir para aqueles lados (pelo menos os que conheço). Eu já fico feliz no centro de São Paulo, imagine se eu tivesse um Pelourinho na minha porta...
Triste, triste... sad

Eunice
EunicePermalinkResponder

Majô e Sylvia: muito legal! Farei minha parte.

Emília: muitos soteropolitanos curtem o Pelourinho, sim. Curtem e freqüentam.

Marcel Alcantara

Acabei de fazer a minha reclamação para o endereço da ouvidoria que a Sylvia postou acima.

Candida
CandidaPermalinkResponder

Domingo no Fantástico, teve uma reportagem sobre o absurdo descaso com a Fundação Jorge Amado. Outro patrimônio, que está em risco e a própria casa onde ele morava no Rio Vermelho, que nem chegou a se transformar num atrativo turistico, mas possui um acervo fantástico de obras de arte no jardim além do acervo pessoal dele, que se transformasse num museu, sería o maior sucesso. Eu mesma já fui parar na porta, somente para ver a fachada, imaginando o que teria la dentro...
Infelizmente, os secretários de cultura, turismo e afins, não só de Salvador como de outras cidades brasileiras, não tem a menor noção de seu trabalho nem da cultura brasileira.
PS: A última vez em Salvador, fui ao Pelô de dia e anoite, de dia achei tranquilo, claro com os chatinhos com as fitas, mas antes de sair do hotel eu já marro algumas no pulso e assim eles não me pertubam tanto, mas de noite realmente a situação, não é amesma; prostituição, mendigos, bebados até um vendedor de artesanato me aconselhou a não perambular muito....
O que não entendo é como com o número crescente de hotéis e pousadas de qualidade na região deixam chegar a este ponto.... Será que o Pelô vai virar uma Avenida Atlantica?????

Majô
MajôPermalinkResponder

E você,

Já preencheu o formulário que a Sylvia linkou, com sua veemente reclamação contra o descaso ao Patrimonio Cultural que o Pelourinho, o Museu Costa Pinto e a Casa de Jorge Amado representam ?

Todo mundo enviando vão ser umas 2000 reclamações por dia, eles vão se mexer !!!

Para deixar um recado por escrito ao governo da Bahia:
http://200.187.14.5/Manifestacao.asp

Ouvidoria Geral do Estado da Bahia
0800 284 0011

Karin
KarinPermalinkResponder

A primeira fez que estive no Pelourinho foi em 2001 e achei tranquilo. Tanto é que fui sozinha!!! Mas em 2005 fui novamente e já foi um tormento...além de tudo que já foi dito aqui, o mau cheiro imperava em cada esquina. Muita sujeira.

Candida
CandidaPermalinkResponder

Acabei de saber mais uma triste notícia vinda de Salvador, o Solar do Unhão restaurante típico com shows folcl´ricos localizado no MAM de Salvador, fechou suas portas sem muitas explicações e justificativas. São mais de 70 pessoas desempregadas. sei que muita gente torce o nariz para este tipo de show, mas o do Solar conseguia ser interessante, pois o local era muito charmoso e para aqueles que queriam somente jantar sem assistir ao show, podiam ficar sentados num deck sobre a Bahia de todos os Santos. Em todas minhas idas à Salvador, foi meu programa obrigatório. Quem perde??? todos nos infelizmente. Daqui a pouco Salvador vai ser somente um aeroporto para quem quiser ir para os resorts próximos.

jackson
jacksonPermalinkResponder

moro em itapoan e digo itapoan ja foi bom mas hoje estar ruim as praias acabadas a violencia almentou.

Gisele
GiselePermalinkResponder

Estive na Praia do Forte na semana passada.
Fiquei no Hotel Iberostar Bahia.
Estou em “XÒK” rsss o lugar é P E R F E I T O
Não sou tão viajada, mas nunca vi tanta variedade de comida e o atendimento é nota 1000
Recomendo muuuuuitiiiisimo.
Qualquer dúvida, escrevam-me.
Gi

Lilian
LilianPermalinkResponder

Olá! Gostaria de dicas (pousadas, passeios etc) para passar um 1 semana relaxante, mas com atividades na Praia do Forte (Vamos na 2ª semana de agosto). Pensamos em ficar uns dias em Salavdor, mas pelo q li aqui acho q vamos desistir... rs
Desde já obrigada...

Ricardo Freire

Como você tem tempo, te aconselho a voltar aqui a um mês, quando já estarão no ar as páginas de Praia do Forte e Salvador no menu Brasil.

Enquanto isso, passeie pelos comentários destes posts, você vai se inspirar:
https://www.viajenaviagem.com/category/praia-do-forte
https://www.viajenaviagem.com/category/itacimirim
https://www.viajenaviagem.com/category/salvador

Lilian
LilianPermalinkResponder

Obrigada ... Na verdade volto aqui quase todos os dias rs... amo suas dicas... Demorei pq estava sem computador esses dias.
Vou ficar de olho... Já vi q temos Foz do iguaçu...
Um grande abraço...
Lilian

marcia regina
marcia reginaPermalinkResponder

vou para o palladium resort imbassai no comeco de dezembro, tive informacao que vai ser inaugurado agora em outubro, vc tem alguma informacao deste novo resort, sera que fiz um bom negocio ou entrei numa fria?

Viaje na Viagem

A rede é das maiores do mundo no gênero. Às vezes demora um pouco depois da inauguração para o serviço engrenar e o paisagismo pegar.

José Eduardo
José EduardoPermalinkResponder

Gostaria de dizer que fiquei decepcionado com a comida servida no Iberostar Bahia. Quem vai a um resort à beira da praia está esperando comer frutos do mar, mas lá isso é difícil. Muito hamburger, muita batata frita, nuggets e até salsicha, porém camarão, lula e etc... quase nada! Não vou negar, teve paella com muitos mexilhões e vôngoles, peixe, pouquíssimos camarões, sem lulas,enfim não estava boa. Teve moqueca no mesmo estilo. Mas prá encurtar o assunto quero dizer que um resort com a estrutura do Iberostar deveria ter um cuidado especial com a alimentação, todos os dias os pratos servidos são os mesmos (no restaurante principal: Meu Rei), e os hóspedes que já conheceram os resorts da Costa do Sauípe (como o Premium) acham que no Iberostar é até melhor (porque Iberostar é mais caro) e quando conhecem o Iberostar Bahia ficam decepcionados, como eu fiquei! O lugar é lindo, a estrutura perfeita, mas a comida deixa a desejar!!!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar