Latinha a R$ 4,90? Processe!

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

beachpark450.jpg

Olhem que história sensacional que a Flavia Penido achou num site jurídico. Deu no Aprovando que um casal processou a CVC -- e ganhou, em primeira instância -- por ter sido levado a passar o dia na barraca do Beach Park, onde os preços são exorbitantes. O valor da indenização foi estipulado em R$ 7.600,00 -- nada mau, hein?

Estive no Porto das Dunas, a praia do Beach Park, pela última vez, em setembro do ano passado, e o preço da cerveja Antarctica de lata (350 ml) estava 4,40 (mais 10%). Fiquei abismado; acho que nem na praia do Espelho era tão caro (e, antes que reclamem: acho que na praia do Espelho esse preço é necessário.)

cerveja440.jpg

Alguns trechos da matéria pinçados diretamente do site:

CVC deve indenizar casal que passou vergonha em viagem
 
A CVC está obrigada a pagar R$ 7,6 mil de indenização a um casal que teve aborrecimentos e passou por vexame durante viagem a Fortaleza (CE). A decisão é da juíza Ana Cristina Abdalla, do Juizado Especial do Consumidor de Cuiabá (MT). Cabe recurso.

A viagem ocorreu em janeiro deste ano. O casal foi obrigado a permanecer na praia do parque aquático Beach Park. No local, os preços dos produtos e serviços superavam a capacidade aquisitiva do casal, de acordo com os autos. Isso porque o veículo que os levou até o parque no período matutino só poderia transportá-los de volta ao hotel às 16h.

(...)

O casal, que teve que pegar um táxi para voltar ao hotel e gastou R$ 60 com o transporte, ajuizou ação de indenização por danos morais no Juizado Especial do Consumidor de Cuiabá. No processo, eles informaram que ao chegar em Fortaleza foram recepcionados por um guia turístico. O profissional fez todos os serviços de traslado até o hotel e se apresentou como contratado da CVC.

No dia seguinte, enquanto transcorria o city tour, o guia explicou aos turistas que se eles quisessem entrar no parque e aproveitar as instalações teriam que pagar R$ 80 pelo ingresso, o que os passageiros já sabiam, pois estava descrito no contrato assinado. A outra opção era usufruir a praia local.

Contudo, o guia não deixou claro que a praia é monopolizada pela administração do parque, segundo os autos. Na avaliação do casal, o preço dos alimentos nos quiosques era exorbitante para o seu poder aquisitivo. Diante da insatisfação com os serviços oferecidos, eles pediram para a empresa que os transportasse para outra praia ou de volta até a cidade. Porém, foram informados de que teriam que aguardar até às 16h e que se quisessem sair do local teriam que pegar um ônibus, van ou táxi. Conforme o casal, eles tiveram que ouvir isso na frente de outros turistas, passando por situação constrangedora e vexatória.

A juíza embasou a sentença no inciso IV, do artigo 6º, do Código de Defesa do Consumidor. O artigo disciplina que são direitos básicos do consumidor a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços. Para a juíza, as empresas têm o dever de informar bem o público consumidor sobre todas as características de produtos e serviços para que ele saiba exatamente o que esperar.

Viaje na Viagem informa:

1) Fuja desses passeios em ônibus grandões oferecidos pelos guias-vendedores das operadoras. Você perde um tempão do seu dia no recolhimento e na distribuição dos passageiros pelos diversos hotéis; então fica preso numa barraca de praia conveniada com a operadora pelo dia inteiro. A partir de duas pessoas é melhor alugar um carro; todos esses passeios que as operadoras oferecem são padrão e facílimos de fazer. (Alugando em quatro pessoas, fica muito mais barato do que comprar os passeios avulsos.) Você tem total controle do seu tempo e pode fugir de roubadas como essa.

2) Porto das Dunas, a 30 km de Fortaleza, onde está o Beach Park, é uma praia boa, mas sem nada demais; não é lá muito diferente da Praia do Futuro, em Fortaleza mesmo, onde não há monopólio e os preços são mais em conta. Se você não vai brincar no Aquapark (o parque aquático do Beach Park) e quer pegar uma praia próxima na costa leste de Fortaleza, vá direto à Prainha (fotos abaixo), que é pitoresca e diferente: as barracas chegam rente à areia, há jangadas e os mascates vendem só artesanato, peixe e frutos do mar. (No Porto das Dunas há um exército de vendedores vendendo passeios de bugue... à Prainha.)

  prainha210.jpg prainha211.jpg

prainha450.jpg

(Repetindo para os distraídos: as fotos imediatamente acima são da Prainha, não do Beach Park...)

118 comentários

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

A notícia é interessantíssima, sem dúvida. Eu testei um desses pacotes pra Fortaleza há alguns anos e esse dia do Beach Park era justamente o passeio incluído no pacote aéreo+traslados+ hotel. Fiquei impressionada como a maioria, mesmo não comprando o ingresso para o Beach Park, ficou numa boa nas cadeiras de Porto das Dunas, consumindo, e depois reclamando do valor exorbitante das coisas. Sendo que, caminhando pela areia mesmo por 20 ou 30 minutos, dava pra chegar em outra praia muuuuuuuuuito mais tranquila e vazia, e com precinhos suuuuper camaradas nas barracas (plural mesmo, porque eram 3, para quem fizesse questão delas).

ed
edPermalinkResponder

precos exorbitantes (uma caipirinha custa $9.90) e comida beeeeem malhada, com talheres de plastico.
vantagens: tem seguranca privada, nao tem caminhonetes na areia e nao tem ambulantes torrando a paciencia.
nunca vi ninguem la vendendo passeios de buggy.

Ricardo Freire

Ed, os vendedores de passeio de bugue são proibidos de chegar às mesas. Mas ficam de tocaia entre a barraca e a praia.

(Será que não ficam mais? Menos mal...)

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Ricardo,

Disculpa que entre en este post para preguntarte algo que he visto y aún no me lo puedo creerrrr!.
Estaba buscando nuevas rutas (por si acaso vuelvo el año que viene) y he encontrado la foto de un ovni gigante en plena playa en un lugar llamado Tambau. ¿Es verdad? ¿Existe algo así?.
¿No existe en Brasil (en España no existe o por lo menos no lo parece que exista) la ley de costas? O ¿Aquí es la propia naturaleza la que destruye lo construído, golpeando ola tras ola cualquier muro?

Daniel
DanielPermalinkResponder

jejeje,
Carmem, si mi esposa (que es arquitecta) lea su comentario, será totalmente de acuerdo.
Yo tampoco no sé aquello "UFO" aterrizó allí.
Tenemos, sí, una Ley de Costas. De hecho, todo el territorio a una determinada distancia desde el borde pertenece a la Unión (el país, el gobierno, sabes?). Los "dueños" sólo tienen el derecho a la posesión y el uso (la tenencia).
Aún así ... hay allí esa "cosa".

Daniel
DanielPermalinkResponder

acabei de ver que respondi um post de 2007, kkkkk !

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Uau...pode deixar que sempre que eu achar alguma coisa interessante assim mando pra cá...
Uma coisa é importante ressaltar: o juizado de pequenas causas é uma das poucas coisas no nosso Poder Judiciário que funciona, é relativamente ágil, e NÃO PRECISA DE ADVOGADO. Basta ir lá e botar a boca no trombone (óbviamente, há que se ter um critério de razoabilidade - mas em questões de direito de consumidor, funciona e muuuuito bem).
Ricardo, vc tem aqui o post da muamba, mais este...sugiro que vc crie um verbete (é assim que chama? quando "baixa" a advogada em mim, fico escrevendo complicado...) de reclamações, direito, sei lá como vc quer chamar...
Carmen, não sei nada de legislação costeira, mas quando tiver um tempinho olho pra vc e te conto tá?
beijos

Ricardo Freire

Carmen, esse lugar não apenas existe como É O MAIOR CARTÃO POSTAL DE JOÃO PESSOA!

E, agora, pasme: eu nunca vi ninguém falar mal da construção! Só eu!!!! (E, agora, você.)

O pior é que intenção "arquitetônica" do prédio só é percebida quando se vê do alto! Ou seja: só funciona na fotografia do cartão postal.

Na prática, ele tira a vista da praia e, para quem hospedado, veda a saída para a praia!

E toda vez que eu falo nisso a Paraíba se insurge contra mim...

Ricardo Freire

Mas tirando essa pequena diferença de opiniões entre nós e os pessoenses, Carmen, preciso te dizer que João Pessoa é uma cidade agradabilíssima, muito barata, e que de lá se fazem passeios muito interessantes.

Preciso explorar o litoral norte da Paraíba; é das minhas maiores lacunas.

O Arthur tem posts ótimos sobre a Paraíba; o Rodrigo Purisch também gosta muito.

http://agoravai.wordpress.com/2007/03/11/paraibano/

Rosa
RosaPermalinkResponder

O Tropical Tambau, só implodindo. Já me hospedei uma vez por lá, é bem fraquinho, serviços, piscinas, acho de muito mal gosto o desenho e o lugar onde permitiram a construção. Nada como dinamite para resolver aquela aberração. O governador de BSB, o Arruda, que proibiu o uso do gerundio, já implodiu 03 horríveis esqueletos por aqui. João Pessoa, uma cidade muito linda, praias boas, tranquila, merece coisa melhor.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Flavia e Ricardo,
La arquitectura aérea funciona. Es impactante. Yo no digo que no me guste, no lo sé. Sólo digo que no existe, practicamente, distancia con respecto a la playa. Está sobre la playa y es un muro gigante. Quizá si lo hubieran construído un poco más lejos de la costa...
Cuando lo he visto he recordado el final de la película "La Guerra de los Símios" y la imagen de la Estatua de La Libertad en la playa. Es una imagen dramática y efectista.

En Vía Costeira en Natal también contruyen así.

Quiero que espáis que yo sufro mucho mirando lo DESTROZADA que está la costa de mi país y como ADORO Brasil me da miedo pensar en algo así...

Rosa
RosaPermalinkResponder

Processar a CVC sim, mas boicotar o Beach Park e dizer não a todo tipo de extorsão. Explorar o turismo, e não os turistas.

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

Fui pra lá no Carnaval e paguei R$ 5,00 numa latinha de cerveja quente!
Absurdo!

Marcio
MarcioPermalinkResponder

João Pessoa é demais!! Vale a visita.

Agora esse negócio da CVC..... de que adianta facilitar o pagamento e baratear os pacotes desse jeito?

LM
LMPermalinkResponder

Boa informação.
Estive lá este ano e fiz exatamente isto - fui à Prainha e curti um dia delicioso numa praia limpa, com poucos vendedores, barracas com boa estrutura e preços justos. Com o carro alugado foi possível conhecer bem melhor o local.

adriana
adrianaPermalinkResponder

Falando em extorsão... Eu já tinha falado lá no post de transfer, mas quem sabe aqui alguém me dá uma luz. Resolvi usar a promoção da Tam+Mastercard para ir ao Salinas Maragogi e até agora, o transfer aeroporto de Maceió-hotel mais barato que achei foi de R$150,00 por pessoa!!!

É isso mesmo??? Se for assim to pensando em alugar um carro no aeroporto, mesmo pagando as 7 diárias...

eduluz
eduluzPermalinkResponder

Que é tudo caro no Beach Park é a mais absoluta verdade. Mas, eu e minha família comemos lá a melhor ( e mais cara) carangueijada da minha vida. E nem dava pra tomar muita cerveja pra acompanhar !

Carol
CarolPermalinkResponder

Logo que vc entra na vam / onibus para o translado , os guias locais, oferecem as opções dos passeios.
Mas faça amizades no hotel, alugue um carro e faça seu roteiro!! Já contei aqui que conheci Carneiros fugindo dos passeios programados!

Ricardo Freire

Adriana, esses 150 reais por pessoa são ida e volta? Ou sai 300 por pessoa, 600 no total?

E que promoção, hein? É a primeira vez que eu ouço falar de um pacote para o Salinas sem traslado incluído. Mamma mia!

De qualquer maneira, vale a pena alugar carro, sim. A praia do Salinas é a mais fraquinha de Maragogi. De carro você pode ir às praias do norte (Burgalhau, Ponta de Mangue), a Carneiros e à Rota Ecológica (Japaratinga; Patacho e Lajes, em Porto de Pedras).

A SandraM esteve recentemente em Alagoas e recomenda duas locadoras:
a “Action Rent a Car” (82-3325-2299-Bel) a 80,00 a diária, e a Braga Rent a Car (82-3337-4596- falar com a Sandra) por 70,00.

A Sylvia também tem uma locadora na manga mas eu não consegui localizar pela busca nos comentários.

Ricardo Freire

Edu, não é preciso ir tão longe... um pouquinho antes do Porto das Dunas, na praia da Sabiaguaba, os restaurantes servem caranguejadas estupendas. A mais famosa é o do La Bené.

adriana
adrianaPermalinkResponder

Riq,

O preço é 150 ida e volta... E quanto a promoção, eles oferecem o transfer sim, mas por 191,00 ida e volta!!! Por isso eu pensei em procurar alternativas que oferecessem melhor relação custo benefício. Pensei no carro justamente porque li no Freire`s isso aí que você escreveu agora!! Sem contar que de carro também dá pra fazer um passeio pra Porto de Galinhas... Aliás, tenho algumas dúvidas sobre como consultar a tábua de marés... Até que altura seria uma maré baixa viável? Andei olhando e parece que o mais baixo que vai estar é em 0,8m!!!

Ah, caso alguém queira saber, estou pagando R$1200,00 por pessoa por seis noites, categoria superior, all inclusive.

Ricardo Freire

É sempre melhor chegar antes da maré começar a encher. Uma hora e meia/uma hora antes você pega o melhor da piscina natural.

0,8 não é uma maré muito seca, não. Deve ser lua crescente ou minguante.

Maragogi-Porto de Galinhas é uma viagem longa, viu? Programe-se; é coisa de umas duas horas.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Muito interessante essa história !
Bem bom a gente ficar antenado com os abusos .

Eu sou paranóica sad com maré em Alagoas .
Mas fica tranquila , que quem fica menos de uma semana não vê muita
diferença entre 0,5 ou 0,8 .Qualquer maré abaixo de 1,5 é ótima !
Sempre alugo carro do Paulo , que é um menino (?) que conhecemos
na praia em Maceió a uns 10 anos atrás e que queria alugar o carro dele
para pagar o IPVA . Os pais dele foram até o nosso hotel para fazer os
procedimentos burocraticos. Hoje ele tem uma locadora mas os preços
são os mesmos destas ai de cima ( vou procurar o telefone ).

adriana
adrianaPermalinkResponder

Pessoal,

Mais uma vez obrigadinha pela ajuda... Fiquei mais tranquila com os valores das marés agora e sim eu sei que a viagem é longa, tanto até Porto de Galinhas quanto até o aeroporto de Maceió. Mas a idéia não é fazer tudo com pressa não, é relaxar e ver um pouco, pra depois, quem sabe (sonho!!) voltar ao Toque com mais tempo e dindin!!!

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu fiz um tour com uma operadora local, que fazia parte do meu pacote hotel + transporte em Santiago, comprado na CVC.
Para Valle NUBLADO (ou Nevado, como algumas pessoas já viram), foi tudo bem.
Porém para Viña e Valparaiso, foi irritante. O almoço era em Viña, lá no quinto dos infernos de uma praia, onde tinha apenas aquele restaurante "conveniado", onde gastei US$40 para comer a pior comida de todo o Chile.
Para piorar, ficamos lá por 3h e disseram que seria apenas 1h. Assim eu que queria andar os 2km até a praia e umas lojinhas, achei que não daria tempo e desisti. O que o guia deve ter adorado, né?

Ricardo Freire

Minha mãe e meu pai fizeram vários circuitos europeus de ônibus com a Abreu (fizeram até uma volta ao mundo!).

Meu pai dizia que havia restaurantes de beira de estrada que fechavam ao ver o ônibus se aproximar grin

Devia ser um exagero, mas não é de todo inacreditável :roll:

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Riq , este teu depoimento prova que este virus do boarding pass está
mesmo tatuado no dna grin

Ricardo Freire

Ha ha, Sylvia. Minha mãe voltou da volta-ao-mundo sem conseguir se achar no mapa. Foram tantos os lugares, que os nomes acabavam escapando. "Aquela da mulher dos sapatos!" Manila, mãe. "O lugar dos artistas!" Los Angeles, mãe.

E por assim ia...

lol
lol
lol

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Mô, quando eu fiz esse de Viña del Mar, rolou a mesma história; não era CVC, era Fenix, mas deve ser tudo a mesma coisa. Só que nós e outros 3 casais que conhecemos no ônibus não topamos ficar lá e fomos, sim, para a praia (era a primeira vez que eu via o Pacífico - acha que eu não ia molhar meu pezinho??????), marcando local para ele nos procurar. A praia estava uma delícia, lotadíssima e a gente deu sorte de ver até os leões marinho de pertinho sobre as pedras. O povo que ficou no restaurante também reclamou horrores do preço e da comida quando nos encontramos na volta. E teve gente que perguntou: ué, mas podia não ficar no restaurante? :roll:

Riq, que lindo seus pais dando a volta ao mundo!!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

ÓTIMA RIQ ! lol
Essa me fez lembrar dos pais de uns amigos que estavam sempre indo
e vindo da Europa ( meio que sempre para os mesmos lugares) e
quando queriam contar alguma coisa falavam : Sylvia aonde mesmo
fica aquela porta linda toda esculpida ? E seguiam falando.. sei que é
na Italia ... E eu completava : o Batisterio em Florença.. e tb continuava
o meu papo :roll: E assim era o papo toda a noite ..

Mas sabes o que acho Riq ? Tem só uns poucos malucos como nós aqui
que guardam para sempre todos os nomes de tudo e nunca esqueçem.

Uns 4 ou 5 anos depois da nossa primeira viagem a Grecia fomos a
um jantar e o anfitrião contava de suas descobertas em Atenas.
"... então fomos ver um show de dança, de uma compania muito
famosa... ha..ha.." e eu completei : Dora Stratou
Nem eu sei de qual gaveta do meu cerebro tirei esse nome !
Até hoje todo mundo pega no meu pé !!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

É mole Mari ? As pessoas acabam encarando o pacote de ferias como
um coleginho com fessora e diretor para controlar ...
Eu tb sou a rainha do : vou fazer outra coisa ...

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Lonely Planet agora é da BBC
Aviso aos viajantes: a BBC comprou a Lonely Planet. Tony e Maureen Weeler, casal de australianos que há 34 anos criaram a série de guias de viagem, vão receber em torno de 120 milhões de dólares e ainda ficam com um quarto da empresa, que hoje tem no catálogo cerca de 500 guias de viagem escritos por mais de 360 autores. Nada mal pra quem começou com um único guia, vendido a granel em poucas livrarias pra pagar o aluguel da mãe da autora.
in:http://www.dauroveras.blogspot.com/

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Lembro dessa latinha a 4,40... Absurdo!
Riq, obrigado por me conferir "expertise" em João Pessoa! Carmen, vá sim, a Paraíba é um estado muito simpático. Tem tudo que os outros estados do Nordeste têm, é mais barato e não é tão muvucado (por enquanto...)

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Mari, foi isso mesmo. Também vi os bichinhos lá, pois eles ficavam um pouco mais à frente. Enfim, acontece e nem insistindo muito conseguimos nos livrar daquilo. Não era apenas eu reclamando...
Depois fizemos eles pararem também para molharmos os pés no Pacífico.
Sylvia, francamente eu não deixo ninguém fazer isso comigo e muito menos encaro uma viagem assim.
Porém, em algumas situações, não dá para cair fora a não ser com muita, mas muita briga mesmo.
Eu estava passeando, tudo bem, toda viagem tem um projeto tacape - programa de índio.
No final me rendeu 2h olhando o Pacífico, as pedras, os bichos, fotografando, etc...tudo tem seu lado bom na vida...

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

é isso aí, Mô: tudo tem seu lado bom, até os projetos tacape mrgreen

SandraM
SandraMPermalinkResponder

Posso voltar ao Beach Park?? Lá os preços são exorbitantes, particularmente achei maravilhosa a decisão. Vender água de coco orgânica, sem outra opção, é um ABSURDO!! Custa cerca de R$4,00!!!
Como alguém já falou, o turismo deve ser explorado, não o turista. Já meu maridinho acha q o casal tinha era q procurar outras barracas. Bastaria andar um pouquinho pra direita (ou seria pra esquerda?)(não me recordo de ter visto nenhuma outra barraca, ele teima q tem. Daqui alguns dias vou tirar a prova.rsrsrs)
Aliás, ouvi aqui em casa que se querem pagar cerveja barata na praia que viajem até Praia Grande...
rs

Netto
NettoPermalinkResponder

João pessoa é tudo de bom... sou suspeito pra falar.... barato, mas bem tranquila, se vc quiser agito escolha bem a época a vir a paraiba.

SandraM
SandraMPermalinkResponder

Adriana,
O Riq já falou das locadora q consultei agora no começo do mês.
Utilizei a Braga que vai te buscar no aeroporto sem custo adicional. (As locadoras do aeroporto são mais caras. Cobram o dobro para ser mais exata.)

Gente, tô até com vergonha...mas juro q fiquei alguns segundos até entender o q a Carmem queria dizer com ovni gigante na praia.
rsrs.
Gostaria de reiterar o convite do Arthur e do Riq. Não é só o litoral paraibano q merece uma visita, mas o interior do estado é ainda mais interessante.
O povo, os costumes, as conversas...
Volto para lá no final do ano.
E um dia vou para não mais voltar...
Bjs,

GiraMundo com Jorge Bernardes

Independentemente de ser exorbitante, eu jamais me chatearia e colocaria um dia das minhas férias a perder por conta disso. Reconheceria que entrei num mico e curtiria a praia, o sol, iria andar, sei lá... e nem sei se são mesmo necessários 20 ou 30 minutos pra achar algo mais barato ali não, se a agência mostrar que havia qualquer outra opção por ali, eles dançam...

Eu já me hospedei no Tambaú de João Pessoa. É um hotel "centrado". Só dá pra olhar pra dentro. A piscina é deliciosa, os jardins são bonitos, os quartos eram legais e virados pra dentro, nem no salão do café da manhã dava pra ver o mar porque os vidros estavam sempre cheios de maresia smile
É engraçado que fiquei com a impressão de que a cidade lá cuida da área costeira, não há prédios altos na praia, etc, mas o Tambaú todo mundo gosta mesmo.

João Pessoa merece um hotel mais bacana. É uma capital tão gostosa.

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Eu acho que eu e a nossa turma temos alergia a este tipo de passeio de excursao.... So mesmo em ultimo caso... Na Argentina ha uma solucao simpatica, que sao os passeios em vans, e como o grupo e menor, e possivel negociar os pontos de paradas... Que tal se alguem fizesse o mesmo aqui?
Ja quanto a CVC, eu realmente acho que o juiz errou e no meu modo de pensar a indenizacao foi absurda, afinal, por no maximo 1 dia perdido, o maximo que deveria ser dado e 1/7 do valor do pacote, nao um valor que representa algo como 3 vezes o preco pago pelo pacote. Sim, houve um erro, mas nao acho que seja deliberado... Se a moda pega vao processar porque o preco da cerveja do frigobar no Hotel e caro !! Ou, do telefone? Que tal comprar uma latinha na padaria da esquina e nao se esquentar com o assunto?

Em tempo: nao trabalho, nem tenho qualquer vinculo com a CVC.

GiraMundo com Jorge Bernardes

Ernesto, como anda a Califórnia? Hello dude!

Concordo com seu ponto de vista. Viagem já é luxo, quero ver eles provarem que não cabe na capacidade aquisitiva deles.
Vou falar mais claramente o que achei de verdade desse casal. Soou pra mim algo como mistura de gente encrenqueira com oportunista.

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Ernesto: a sentença é de 1a instância, então é provável que o valor caia. Na matéria não dá pra saber o critério que foi utilizado para fixar esse valor...

O que eu acho importante é que as pessoas estão aprendendo a reclamar, ir a Juízo e cobrar o dano causado. Claro que quantificar o dano é complicado, mas o Brasil tem se saído bem nesse quesito, e os valores, longe de ser um absurdo como os valores norte-americanos, estão naquela linha : tem que reparar o dano sofrido, mas ser em um valor tal que o culpado refreie o ânimo de cometer o mesmo erro novamente. Talvez o valor tenha sido elevado porque a CVC é uma companhia grande, e poderia oferecer um serviço melhor...

leandro
leandroPermalinkResponder

Hoje tenho que concordar com o mau gosto do prédio do Tambaú, invade a praia de tal forma que na maré alta é impossível passar pela praia, mas ao mesmo tempo tenho muitas lembranças de infância do local, pois meus pais viajavam para João Pessoa (e se hospedavam lá) TODO fim de ano, passei muitas férias naquele hotel (hoje faz 15 anos que não vou) e achava tudo uma maravilha, um dos meus passatempos preferidos era ficar pendurado na janela da sala de TV ou da sala de carteado na maré alta, quando as ondas batiam com violência na base do prédio lançando poderosos jatos d'água nas vidraças, eu ficava admirando por horas, hipnotizado. Ainda deve ser o hotel mais "pé na areia" (ou pé na água) do Brasil.

leandro
leandroPermalinkResponder

Ah, ouvi dizer que hotel está muito diferente de quando eu fui, também após 15 anos... na época era considerado de luxo, um grande orgulho local, hoje decaiu bastante (por tudo que li e ouvi), e não deve mais ser tão adorado pela população local. Outa coisa que marcava, um prédio de uns 8 a 10 andares do lado do hotel, era o único prédio da praia de Tambaú e muito horrível, a pintura de um lado toda descascada pelos ventos e constantes e pelas chuvas (o lado virado para o vento era quase preto, o outro ainda um pouco verde da tinta), nem sei se ainda existe.

Ricardo Freire

Ha ha, Leandro, é o hotel mais dentro d'água, mas não é pé-na-areia porque a gente fica trancado dentro do ovni...

Eu também me lembro de o Tambaú ser um dos orgulhos do turismo brasileiro.

Qualquer slide-show de maravilhas nacionais tinha Cataratas, Cristo, Congonhas do Campo, Elevador Lacerda, Copan e Tambaú.

lol

Ricardo Freire

SandraM, eu acho que não tem outra barraca no POrto das Dunas, não... Andando uns 15 minutos dá pra tentar ser atendido no Aquaville; mais 15 minutos, no Oceani...

(Acho que é essa a ordem certa, he he).

leandro
leandroPermalinkResponder

É mesmo, como eu ficava no Lanai tinha que percorrer o hotel inteiro e passar pela área da sauna para chegar na praia. Tenho vontade de voltar à Paraíba, nas minhas férias eu ficava praticamente o tempo todo trancado no hotel (e como criança não queria mais nada), conheço muito pouco de João Pessoa (nunca pisei no centro), e só numa das viagens (foram mais de 10) fiz um passeio para fora da cidade, no caso a região de Tambaba e Coqueirinho (em Tambaba só na "anti praia"), e foi na última vez quando eu já era mais crescido.

leandro
leandroPermalinkResponder

Ah, já fui ao Beach Park, foi no reveillon de 1999 para 2000 que passei em Fortaleza (minha única vez em Fortaleza até hoje), só que foi para passar o dia no parque mesmo, a comida a quilo era caríssima, mais cara que no Fellini, o segundo quilo mais caro do Rio naqueles tempos (na época 100 gramas era uns R$ 2,45 no Fellini e perto de R$ 3,00 no restaurante do parque se não me engano).

Ricardo Freire

GiraJorge e Ernesto, eu achei o caso divertido pelo folclore mrgreen

Acho o fim da picada a operadora vender passeio ao Beach Park para quem não vai usar o parque. A não ser, claro, que o cara queira economizar os 80 paus da entrada esperando do lado de fora enquanto a criançada vai se molhar lá dentro.

Pra esse cara que não vai usar o parque o receptivo tinha que dizer: não vale a pena... é caro... Tudo bem que esperar que o vendedor de passeios fale pro cara pegar um táxi para a Praia do Futuro seja esperar demais; mas pelo menos deveriam ter um passeio alternativo para oferecer no mesmo dia. :roll:

Carmen
CarmenPermalinkResponder

SandraM, Arthur, Netto, Leandro,

Obrigada por as explicaciones. No he podido incorporarme antes, porque estaba durmiendo!!!

Me apetece conocer Paraíba costa e interior...Vamos a ver que hago el año que viene...

Donde puse "La Guerra de los Símios" quería poner "El Planeta de los Símios". Beijos
Tchau

carrosusados
carrosusadosPermalinkResponder

Olha Ricardo, todos nós que moramos em Fortaleza sabemos o quanto há exploração aos frequentadores do Beach Park. Tanto que lá a frequencia é de cerca de noventa por cento de incautos e desavisados turistas. O cearense prefere outras praias e só vai à Praia do Porto das Dunas (onde fica o Beach Park) para caminhar, aproveitar uma ducha do Park e escolher outro lugar pra tomar sua cervejinha e comer um caranguejo.

Graciele
GracielePermalinkResponder

Alguém pode me dar uma ajuda? Em Barra Grande/ Maraú, qual dessas é melhor: Taipus de Fora, Velas ao Vento ou Encanto da Lua? Gostei das três e estou realmente muito em dúvida.

Beijos!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar