O rei e eu

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Minha crônica no Guia do Estadão desta semana, especial para os amigos da Avivixe. Lamentavelmente, por questões de fechamento da edição, foi escrita antes das digressões de Lula sobre o assunto. O artigo da querida Barbara Gancia na Folha está mais atualizado.

porquenotecallas450.jpg

O Brasil é um país afortunado. Olha que sorte a nossa: nunca na história deste país houve um presidente falastrão como Hugo Chávez. Digo isso por experiência própria.

A única vez que fui à Venezuela, em 2003, precisei passar uma noite em Caracas. Fiquei num hotel perto do aeroporto, porque pegaria um teco-teco de manhã cedinho para o arquipélago de Los Roques. Depois do jantar, liguei a TV. Estava passando "El Clon". Dublada e com trilha sonora modificada, era muito difícil imaginar que aquela novela um dia tivesse sido brasileira. Não era uma questão de trama, nem de diálogos, nem de iluminação. Era o rímel, mesmo. Só uma novela mexicana ou colombiana ou venezuelana gasta tanto rímel quanto "O Clone".

De repente interromperam a novela para uma transmissão em rede nacional. Entrou um videotape, sem cortes, de um trecho de uma cúpula latino-americana em Assunção. O programa começava no momento em que Hugo Chávez tomou a palavra, para nunca mais largar.

Durante trinta e cinco minutos, contados no relógio, fui submetido à mesma tortura que o coronel infligiu a seus colegas presidentes. Meia hora de Hugo Chávez jogando para a torcida, pensando em encher lingüiça da sua rede nacional à noite, enquanto aborrecia altas autoridades com papo furado. De vez em quando a câmera enquadrava o presidente Lula e eu me compadecia de sua vontade de bocejar.

Demorou, mas Glória Peres foi vingada. Calhou de eu estar de novo fora de casa. Domingo passado, a TV do meu quarto de hotel estava ligada na CNN em espanhol, quando falam do incidente entre o rei de Espanha e o presidente da Venezuela na cúpula ibero-americana de Santiago do Chile. Irritado pelo fato de Chávez, que já tinha se pronunciado, não deixar o presidente espanhol Zapatero falar, o rei Juan Carlos não se conteve e lascou: "Por que no te callas?"

Vocês não estão entendendo. Isso é muito maior do que um bate-boca entre autoridades. Naquele momento, o rei de Espanha cunhou o primeiro grande slogan do século 21. Por que não te calas? Enfim, um grito de protesto útil contra políticos de todo o espectro ideológico! De Bush a Kim Jong Il, não há político que não mereça um "Por que não te calas?" -- pelo menos de vez em quando.

Precisamos fazer camisetas, imprimir cartazes, compor um jingle, fundar uma ONG. Por que não se calou? Não se calou por quê?

Rei! Rei! Rei! Juan Carlos é nosso rei!

44 comentários

Anelise
AnelisePermalinkResponder

Adorei!!!!!!! O primeiro grande slogan do século 21.

Já devem ter publicitários de olho nesta idéia...logo logo aparece uma campanha.

E viva o Rei!

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

grin Sensacional, Riq! grin

Luciano
LucianoPermalinkResponder

Concordo com a Mô Gribel!

Aos interessados em um novo ringtone pra campanha:

http://www.elgonzi.com/2007/11/ringtone-por-que-no-te-callas-descarga.html

smile

Júlio
JúlioPermalinkResponder

Eu presto minha solidariedade ao povo sério , honesto e trabalhador venezuelano.
Eles não mereciam tudo isso, talvez somente aquele do seriado , que tem o seu barriga , chuiquinha, o Kiko etc.
E o pior que ele não cala e nem uns outros por aqui tb.

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Eu ja respeitava o Rei Juan Carlos, mas depois dessa sou sua super fan! Eu que morei na Venezuela por quase 1 ano e aguentei muitas e muitas horas de Chavez em cadeia nacional, e agora ironicamente moro na Espanha, festejei o "Por que no te callas?". ja era hora de alguem dar um basta a esse ditadorzinho.
Julio, eu presto tambem minha solidariedade a muitos venezuelanos que nao o merecem. Mas pra te dizer a verdade, depois de da minha experiencia venezuelana, acredito que o ditado "cada povo tem o governo que merece" se aplica muito bem a Venezuela atualmente. A maioria está com ele sim e defende a capa e espada cada absurdo que o seu comandante diz ou faz.
Os que nao estao de acordo nadam contra a corrente e cada dia têm menos voz e espaço na sociedade dominada pelo Estado chavista.
É uma pena.

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Amei... Rei! Rei! Rei! Juan Carlos é nosso rei!
Imagina que eu estava em Barcelona quando isso aconteceu... delirio total da galera!!! Não se falava em outra coisa...

Vale a gente criar a versão em português para o Lula??? ahahahha....
[]s e bom final de semana

Oldemar
OldemarPermalinkResponder

Viva o Rei!!!

Vou providenciar a confecção de um camisa, ainda hoje. Mas, sou obrigado a concordar com o Lula: "A Venezuela teve, em curto espaço de tempo, vários plebiscitos, eleições....". Chavez é um ditador com o apoio do povo venezuelano.

Julio
JulioPermalinkResponder

O calaboca do rei foi de um franquismo assustador.

Mesmo que não se concorde com nada que Chávez diga, é preferível um falastrão bolivariano boquirroto do que um censor francamente autoritário.

O rei teria sido mais elegante se, ao invés de agir da mesma forma que Chávez em relação à liberdade de expressão, tivesse usado a máxima de Voltaire: posso não concordar com uma única palavra do que você está dizendo, mas defendo incondicionalmente o seu direito de se expressar.

Mas aí não dava um bom slogan, muito menos um ringtone bacana.

Ricardo Freire

Aí é que está, Julio: só fora de contexto o cala-boca do rei vira censura.

No fundo, claro que foi mrgreen mas o que tornou o cala-boca genial é que ele foi posto na hora certa: quando o falastrão, fora da sua vez de falar, e depois de já ter falado tudo o que queria, não deixava o Zapatero contrapor. Oficialmente, o rei não está mandando o Chávez parar de falar besteira; o rei está mandando o Chávez deixar o representante falar.

Rei! Rei! Rei! Juan Carlos é nosso rei!

mrgreen

Majô
MajôPermalinkResponder

Eu ADOREI o rei Juan Carlos ter mandado o Hugo Chávez calar a boca. E pelo que li, depois saiu da sala. O Chávez falava em cima do Zapatero sem parar, cadê o respeito ao direito ao uso da palavra ? É o mínimo que se espera numa democracia.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Ricardo, você é consciente de que quizás nâo pueda ir a os Roques durante muito tempo???.

La demagogía de algunos políticos desestabiliza muito.

Pienso que para estar en la política se ha de tener muchíssima DIPLOMACIA. Es muy importante no perder nunca la compostura, também, porque son nuestros representantes y nos merecemos la mayor educación y cortesía, tanto por un lado como por el otro.

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

O Chavez pode ter muito apoio popular, mas isso nao converte a Venezuela num Estado democrático pleno. Uma democracia nao se constrói só a base de eleiçoes, e é bom avisar o presidente Lula disso. Que mancada ficar defendendo uma democracia que nao existe. Se nao á independencia de poderes, respeito pela minoria e liberdade de pensamento, onde está a democracia??? Até em Cuba existem eleiçoes...

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

oops, erro de digitaçao, nao de ortografia. Corrigindo: "Se nao há..."

Nelson Sá
Nelson SáPermalinkResponder

O que me intriga nessa história é saber porque o rei Juan Carlos tb não mandava um outro ditador (Francisco Franco) calar a boca. Será que o autoritarismo e horrores desse ditador não irritavam ao Rei?

Julio
JulioPermalinkResponder

As relações da Espanha com a América Hispânica são, na verdade, bem mais profundas e carnais que o embróglio do Juan Carlos com o Hugo Chávez.
Claro que o venezuelano sempre se destaca de seus pares, mas Evo Morales e Daniel Ortega também “agitaram” bastante a velha Culpa Ibero-Americana, quer dizer, a Cúpula.
Estranho mesmo é ver o Zapatero defender o Aznar com tanta veemência, dizendo que seu antecessor “foi eleito pelo povo”. Um certo Adolfo (mui amigo de Franco), também foi eleito democraticamente e deu no que deu.
Mas isso é outra história.

PS: Grande Ricardo. Como lhe tenho uma enorme admiração, vou engolir o slogan.

Rei! Rei! Rei! Juan Carlos é ...

Não deu.

Natacha
NatachaPermalinkResponder

Rei posto pelo ditador Franco não devia nem sentar-se à mesma mesa com chefes de Estado e de Governo ELEITOS. Goste-se ou não do estilo do Chávez, ele foi ELEITO pelo povo venezuelano (nos últimos anos realizaram-se nem mais nem menos do que 11 actos eleitorais, com missões de observação internacional, etc. - mas parece que é sempre mais fácil achar que, apesar desse massivo apoio popular, ele é ditador... não entendo). Má educação, birra e sobranceria não fica bem a ninguém, muito menos a um monarca numa reunião internacional daquele tipo. Ainda me parece mais grave quando a Espanha está num processo de avanço económico - que muitos já começam a identificar com neocolonialismo - sobre a América Latina, explorando recursos naturais e humanos. Quanto ao tempo de palavra, registe-se que nesta Cimeira há tempo máximo definido para cada intervenção pelo que nem se entende como se pode falar em domínio de um chefe de governo em relação a outro. E a resposta do Chávez que tanto irritou Juan Carlos teve a ver com o facto de Aznar ter sido o ÚNICO chefe de governo do MUNDO a reconhecer e dar os parabéns aos autores do golpe de estado na Venezuela em 2002. E Chávez conseguiu qualificar esse acto sem bufar, gritar ou levantar-se da sala em birra. Parece-me que o populista Chávez deu uma lição à realeza espanhola.

Nanin
NaninPermalinkResponder

Natacha e Julio, era o Chavez quem nao deixava falar ao Zapatero no tempo marcado do presidente espanhol, olha que ele tinha até o microfone desligado e ficava aos berros. O primeiro que desrespeitou a liberdade de expresao foi o Chavez. Isso e fato.
Agora podemos falar da interpretaçâo dos fatos, mas sempre desde a verdade. Aclaro que sou espanhol, mas nao tenho preconceito as outras nacionalidades mas sempre exijo o mesmo trato.

Carla
CarlaPermalinkResponder

lol O mais genial é que o cala-boca surtiu efeito imediato - o Chavez realmente se calou!!! lol

marcelo
marceloPermalinkResponder

Vida longa ao Rei Juan Carlos!!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Julio,

Zapatero é muito tranquilo, eu sé. Nâo creo que lo que dijo sea una defensa a Aznar, porque es indefendible (como otros muitos políticos), era una defensa a un representante político dentro de un contexto de representaciones políticas y de gobiernos.

Se puede pedir que una persona se calle con educación existe el "tú" y el "usted" para estos casos. Nunca perder la compostura, porque das pie a que el otro la pierda.

En mi trabajo he de ser respetuosa con los demás, en mi vida cotidiana también lo soy y pido lo mismo para la gente que me representa.

Franco nâo fue elegido democráticamente....y aún duele...

Julio
JulioPermalinkResponder

Será que todos viram o fato ou só a edição, digo, a versão ? Há um punhado de vídeos no You Tube e outros sítios da Internet.

O presidente Zapatero, de forma elegante, porém quebrando o protocolo, virou-se em direção a Chávez e dirigiu-lhe palavras diretas.
Chávez reagiu como se estivessem num debate popular e rebateu a defesa de Zapatero a Aznar.

Ambos ultrapassaram os regulamentos, mas, dentro de limites civilizados, de maneira até mesmo polida.
Zapatero dá um verdadeiro show de donaire.

A intervenção do rei, pelo contrário, é um desastre total. Sua expressão no vídeo é intimidante e medonha.

Mais tarde, quando Daniel Ortega, presidente eleito da Nicarágua tem a palavra, Juan Carlos, num gesto desairoso e antidemocrático, simplesmente se retira.

Por isso, prefiro outro slogan:

Ho! Ho! Ho! O rei Juan errou !

Nanin
NaninPermalinkResponder

Julio, isso que diz simplesmente nao e verdade, quem tinha o direito da palavra era Zapatero e quem interrompia quebrando o protocolo era o Chavez, vai ver issos videos que sâo a sua fonte de poderá comprovar como o microfone tava desligado e segundo as normas da reuniâo nao poderia haver dialogo entre os participantes. Veja de novo o video e como quando acontece o incidente a presidenta Bachelet lembra que nao pode haver dialogo, e como o Zapatero continua falando e Chavez tem que ficar calado.
Isso é fato.
Se nao respeitamos os fatos, qualquer conclusao vai ser sempre errada.

Ricardo Freire

Obrigado, Nanin.

E, Carmen -- eu a-do-rei que o Juan Carlos tuteou o H.C. Foi o melhor de tudo!

mrgreen
mrgreen
mrgreen

Desculpa, tá? É mais forte do que eu. wink

Ricardo Freire

Natacha,

Tens aqui um brasileiro absolutamente satisfeito com o neocolonialismo ibérico.

A Telefónica e a Portugal Telecom nos deram algo que nossas estatais nunca conseguiram: telefones para todos. (E que ainda por cima funcionam!)

A TAP fez algo que nenhuma cia. aérea de bandeira brasileira jamais fez: ligar outras cidades do Brasil que não Rio e São Paulo à Europa, em vôos diários.

Há poucas semanas uma empreiteira espanhola ganhou um contrato de concessão de inúmeras estradas no Brasil propondo pedágios (desculpe, esqueci como se diz em Portugal) infinitamente mais baratos que os propostos pelas empreiteiras brasileiras, que vivem, há 500 anos, de financiar a corrupção governamental.

E não sou só eu, que voto em Fernando Henrique Cardoso, que pensa assim. Nosso presidente-operário, ícone mundial das esquerdas, o presidente mais popular da história do Brasil (em todos os sentidos), há menos de um mês estava agradecendo às empresas neocolonialistas de Espanha pelos investimentos no Brasil, e pedindo que outras viessem em sua cola.

Desculpe, mas antes da ideologia, antes da prática política, antes de qualquer outra coisa, há o fato de me ser impossível imaginar viver num país onde o presidente toma a palavra em rede nacional quando bem quer e dirige o país como se fosse um programa de auditório.

É isso que faz o "por que no te callas" tão poderoso. Porque o homem não pára de falar nunca! lol

E de mais a mais, chega de se queixar do maldito golpe que lhe serve de justificativa para tudo. Alguém que já deu um golpe não pode reclamar a vida inteira de lhe terem aprontado outro. Foram ambos malsucedidos, pronto, empatou, vira a página, por que no te callas?!?!!!!

E não pode bradar contra neocolonialismo quem passou os últimos anos comprando paisecos vizinhos ou quase com o dinheiro fácil do petróleo, que talvez fosse mais útil se empregado para beneficiar os pobres coitados que votam nele e dão base legal a sua ditadurazinha constitucional -- provavelmente por falta de alguém melhor para votar naquele triste país.

E chega! Por que no me callo? Pronto, parei!!!!!

Ricardo Freire

Em tempo: aos nossos leitores d'Além-mar, e aos que não seguem futebol, ou que não eram nascidos em 1985: a frase que encerra o post é uma brincadeira com um grito de guerra da torcida do Atlético Mineiro, que bradava "Rei, rei, rei, Reinaldo é nosso rei!".

E se querem saber, acho que Lula daria um Rei muito melhor do que Presidente...

Julio
JulioPermalinkResponder

Sem dúvida, quem estava de posse da palavra era o presidente da Espanha.
O fato é que Zapatero, por uma questão de protocolo e de tática política, não poderia ter virado em direção a Chavez, se (realmente) não quisesse ser por ele atropelado. Todo mundo conhece muito bem a idiossincrasia do presidente da Venezuela.

Não estou defendendo a atitude de Chavez. Muito pelo contrário. Estou apenas querendo trazer para a luz dos holofotes a destemperança do rei Juan Carlos, que, sem ter permissão para falar, nem ter sido chamado na "conversa", esfacelou o protocolo.

E depois, num gesto sem precedentes, abandonou intempestivamente a reunião.

Ho! Ho! Ho! o rei Juan errou !

Nanin
NaninPermalinkResponder

Julio, tudos, absolutamente tudos os presidentes que falaron nessa reuniâo falaron virandose pra pessoa pra quem falavam
Vai ver o video da intervençâo do Daniel Ortega, ele ta falando diretamente a o Zapatero, vai ver a fala anterior do Chavez, ele fala virado pra delegaçâo espanhola. Nao ha nenhuma norma de protocolo que diga que nao se pode falar virado pra quem voçe dirige a sua fala, eu acho que é justo ao contrário.
Agora, se o argumento e que pela idiosincrasia do Chavez voçe tem que mudar a sua forma de falar, eu tenho que discordar radicalmente. Tenho que lembrar que o que Zapatero pedia pra o Chavez era que ele falase com respeito, ele nao pedia que nao criticase, só que o fizesse com respeito e sem destemperança. Mas o inacreditavel e que o Chavez nem sequer escutava e ficava impedindo a liberdade de expresâo de presidente de outra naçâo.
A idiossincrasia (eu falaria de autoritarismo e pessima educaçâo) do presidente de Venezuela é problema dele, nao do resto de presidentes que sim que sabem se calar e falar com respeito.

Joao Paulo
Joao PauloPermalinkResponder

Muy bien, Juan Carlos!Concordo totalmente consigo, Ricardo.
Para aqueles que acham mal a atitude do Rei...será que não precisam de actualização de conhecimentos de História contemporânea?É que Juan Carlos foi fulcral na transição para a democracia em Espanha.Conseguiu que, sem derramamento de sangue, espanha se tornasse num país livre, democrático e moderno, chegando até a evitar um golpe de extrema direita nos primeiros tempos em que "reinou".Dizer que nunca se viu Juan Carlos a contestar o ditador Franco é não saber o que é uma ditadura,desculpem-me...

Nanin
NaninPermalinkResponder

Bem falado, Joao Paulo. Aqui ta o video do Rey Juan Carlos dissendo o "¿por qué no te callas?" a os militares da ultradireita que tinhan secuestrado o Parlamento:

http://www.youtube.com/watch?v=x6kWPzaM4mI

Majô
MajôPermalinkResponder

Eu sei é que o Rei Juan Carlos é respeitado no mundo inteiro, defensor dos direitos humanos, e como o João Paulo disse fundamental na transição da ditadura para a democracia na Espanha.
Quanto ao Chávez, conhecemos estes líderes populistas... pobre povo.

Júlio
JúlioPermalinkResponder

Prefiro CHaves,Kiko, Chapolin, Chiquinha, Seu Barriga, pelo menos a Júlia , na época com 4 anos ria demais . To fora de Lula, Hugo, Evo, acho que o do Equador tb.
Bem que o Ney Matogrosso cantava.....
Deus, salve a América do Sul..
JÚLIO ], Mirian e Júlia.

Julio
JulioPermalinkResponder

João Paulo, Nanin e Majô.

Infalível, na civilização judaico-cristã ocidental, só o Papa.

O fato do rei Juan Carlos ter se portado mal na Cúpula Ibero-Americana não tem nada a ver com o seu belo passado histórico em defesa da democracia.

Basta ele pedir desculpas pelo papelão e tá tudo certo.

Errar é humano.

E achar que o rei é uma divindade, ficou cafona depois que o Hiroito perdeu a guerra.

Nanin
NaninPermalinkResponder

Julio, é um belo alegato o que voçe fiz....más é uma pena que voçé esqueceu de contestar o que a gente tinha lhe contestado a voçê e que o que diz agora ninguem tinha defendido.

Sem duvida, houve alguem que errou. E issa pessoa acha que até pode indicar o culpado sem ter que argumentar ou simplesmente mudando de asunto pelo papelâo protagonizado...Humano, muito humano mesmo...

¿Sera que basta com que issa pessoa peça desculpas?, ¿será que pode? ou melhor, ¿será que sabe?

Julio
JulioPermalinkResponder

Nanin

No meu primeiro comentário, (oitavo desta longa lista, lá em cima) critiquei a falta de educação do Chavez. Usei até um pleonasmo classificando-o de falastrão boquirroto. O homem deve ter sido vacinado com agulha de vitrola quando era bebê.

Elogiei o Zapatero, um gentleman de primeira grandeza, ponderado, fino, elegante. Tanto nas idéias quanto no comportamento.

Mas o rei, infelizmente, não se conteve. Não teve a mesma postura do presidente espanhol. Fazer o quê ? Errar é humano.

Todo mundo erra. Eu também erro. Peço desculpas por qualquer erro ou expressão mal colocada.

Aliás, tem um sujeito no espelho me dizendo: Por que não te calas ?

Depois de alguma reflexão, resolvi que não falo mais de política, religião, futebol ou qualquer outro tema passional.

Por isso vou mudar de assunto.

Achei muito linda a nova roupa do rei! Que perfeição de tecido! Como lhe fica bem!

Nanin
NaninPermalinkResponder

Faça o que quiser, tem tudo o direito.
As respostas que dimos a os seus argumentos ficaran orfâs, sem ser replicadas...mas, nem se pode ter tudo, nao?
Mude de assunto, meu amigo, mude...se é o que voçe acha melhor, claro...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Esse povo que apóia o Chaves baseado no que vê na TV e lê nas revistas deveria conversar com um casal de Venezuelanos de 40 anos, dentistas, dois filhos, com quem tive o prazer de conversar longamente numa recente viagem. eu não imaginava que a situação na Venezuela fosse tão séria ao ponto deste casal com dois filhos estar vendendo e se mudando para a Espanha!

Oldemar
OldemarPermalinkResponder

Cade o VnV?

Zé
PermalinkResponder

Rei Lula não dá, Riq, não dá. Se o Lula já faz besteiras sentado na cadeira de Presidente, imagina o que ele não seria capaz de fazer sentado no "trono". Além disso, você já parou pra pensar como seria nossa Rainha? O fino do brega mad

Assim não dá, assim não pode grin

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Ricardo,

Cuando leo lo de las empresas "españolas" empiezo a temblar.
Nâo creo que as empresas tengan nacionalidad y si la tuvieran sería la del $.

Cuando una empresa se implanta en un lugar no lo hace porque sí o porque es "una hermanita de la caridad", su primer deseo es obtener beneficios, a corto y a largo plazo.
En España las constructoras españolas han sido muy depredadoras en su propio país (que nâo harán en otro!).

Aquí las inversiones extranjeras se han ido perdiendo. Las empresas alemanas y francesas han trasladado sus fábricas a países con mano de obra más barata y pensando en unos futuros consumidores (en potencia).
España hace lo mismo con sus empresas (ejemplo Zara y Mango ya nâo fabrican aquí).

A las empresas se les debería exigir lo mismo (sean del país que sean):
que sean respetuosas con el medioambiente, que sean transparentes con sus cuentas y que inviertan en educación y sanidad en el país dónde se implaten.

(Ricardo: me encanta comunicarme con você porque me obliga a una reflexión continua de lo que me rodea).
Tchau

Stelle
StellePermalinkResponder

Zé, eu concordo contigo:
Assim não dá, assim não pode smile
INDEED .
Ninguém merece ......

Stelle

GiraMundo com Jorge Bernardes

Era só o que faltava, na discussão entre o rei e o ditador tinha que aparecer o nosso presidente bobo da corte.

Oldemar
OldemarPermalinkResponder

Não acredito que tem gente com saudade de FHC...

Alexandre Giesbrecht - AVIVIXE

O post em si foi muito bom, agora a resposta do Riq nos comentários foi simplesmente espetacular. Se eu (que conheço vários venezuelanos, todos inconformados com o governo do Kik... Chávez) já tinha bons argumentos para defender a democracia (democracia de verdade, não esse embuste que há hoje por lá), agora tenho ainda mais!

Ah, e o post ainda serviu para "oficializar" a Avivixe! Pena que só fui ler hoje. Também, quem manda blogueiro de turismo ficar postando no meio de fim de semana prolongado?
razz

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Olá,

Gostei bastante do conteúdo e da forma de comunicação do seu site.

Trabalho para uma empresa de frete de aviões, e gostaria de saber se você possui um email direto para enviarmos para você uma promoção de carnaval. Te interessaria essa informação?

Fico no aguardo do seu retorno.

Abraços,

Leonardo Pallotta
leonardo@zebradeluxe.com

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar