Ruim para a Tailândia, bom para o Nordeste

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Lembra quando as geadas nas lavouras de laranja da Flórida eram festejadas no Brasil?

Pois os Estados do Nordeste deveriam comemorar essas três semanas de manifestações da oposição na Tailândia, bem no momento em que os europeus estão batendo o martelo nas suas férias do meio do ano.

(Mas se você me perguntar se eu cancelaria uma viagem à Tailândia por causa disso, eu diria não, não e não...)

Quem está na Tailândia e logo, logo deve falar da influência da política no dia-a-dia das ilhas  é a Rachel Verano, do Viajar Bem e Barato.

23 comentários

Dani
DaniPermalinkResponder

Riq, se me permite um "out of topic" rapidinho, queria deixar aqui minhas impressões sobre a Pousada do Ouro, em Paraty, onde me hospedei na Semana Santa. Fiquei em um apartamento luxo, que se não impressiona, também não chega a decepcionar... A única coisa que gerou pequeno desconforto foi o barulho (de dentro da própria pousada), mas nada que não se resolvesse ligando o ar condicionado. A piscina talvez seja o ponto alto da pousada, mas toda a área comum é super bem cuidada e limpíssima. O staff muito prestativo e um café da manhã que poderia, na minha opinião, ser mais caprichadinho!Enfim, tendo em vista que o pacote que paguei era quase a matade da (linda!!) Pousada Urquijo, acredito que tenha valido super a pena, mas àqueles que querem um final de semana romântico e podem cacifar recomendo alguma outra opção, de preferência que não aceite crianças.

Fabio Nitschke Gomes

Dani, na nossa última visita a Paraty ficamos na Pousada da Marquesa (sem pacote ou reserva, a gente voltava de uns dias em Visconde de Mauá e decidiu na hora).

Na média, gostamos bem. O quarto era ok, básico, e o café da manhã não deixou saudades. O estacionamento, longe pra burro, é o preço a pagar pra ficar no centro histórico...

Mas as instalações estavam passando por um tapa geral, e a área externa da pousada estava bem bacana - pesou muito a favor porque a gente queria mesmo ficar "jogado".

Algumas ressalvas... Tinha um certo barulho da rua (bares próximos), e deve ser inviável no caso de eventos na praça em frente. E depois desta arrumada aproveitaram para um upgrade nos preços que não sei se corresponde ao conjunto da obra.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Devemos ter nos esbarrado por lá, Dani! Eu fiquei na Coxixo, que é bem simples, mas simpática. Tem uma boa piscina e belos jardins, estacionamento praticamente dentro do centro histórico. E beeem mais barata que a Urquijo, Pardieiro e Porto Imperial.
PS: Como está caro comer bem em Paraty! Os gringos inflacionam geral a restauração na cidade.

André Bruno
André BrunoPermalinkResponder

Sei não...Não estou certo se quem já foi em férias ao Nordeste, volta. Primeiramente, temos os preços escandalosamente elevados. Caros e absolutamente não condizentes com os serviços prestados. Com honrosas excessões, no Nordeste não se explora o turismo. Se explora o turista.
É uma pena que a ganância e o despreparo de hoteleiros e donos de restaurante, ponham tudo a perder.

Ricardo Freire

Hehe, André, aqui neste blog temos inúmeros exemplos de gente que volta para o Nordeste sempre que pode lol

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

HAHA claro que a gente volta pro nordeste sempre que dá!
mãã~sss eu queria é desse pra voltar sempre pra Tailandia
( tb nem aí pras encrencas politicas internas :cool: )

Carlos Nascimento

Oi Riq - Infelizmente o NE ainda tem alguns problemas a superar para se tornar verdadeiramente uma meca do turismo internacional. Vou citar duas reclamações que são constantes por parte dos estrangeiros: A primeira é a demora no processo de imigração-recolha de bagagens-alfandega em nosso aeroportos internacionais, eu sou testemunha disto em dois aeroportos, em um deles já levei quase três horas entre o desembarque da aeronave e a saída efetiva. A segunda queixa tem similaridade com alguns destinos do Sudeste Asiático, é o escancarado turismo sexual de algumas das nossas capitais.
Ah, como diria aquele locutor de telejornal "desculpe A nossa falha" com relação ao meu comentários sobre as praias do Condé Nast, é que eu andei em falta com as minhas visitas ao seu blog.

Roderic
RodericPermalinkResponder

Por outro lado, Riq, nosso país está longe de atrair turistas que deixem de ir a outros destinos com medo da violência. No próprio Nordeste, recentemente aconteceram fatos que mancharam a imagem do lugar no exterior e que passaram quase despercebidos por aqui. Entre outros casos, em março um turista sueco foi assassinado durante um asslto dentro de uma pousada na antes tranqüila praia de Pipa. No final do ano passado, uma menina neozeolandesa de 3 anos foi violentada e assassinada dentro de um condomínio de luxo na outrora pacata Trancoso. Só tomei conhecimento desta notícia através de um amigo que mora lá na Nova Zelândia, o fato teve uma grande repercussão no país. Com o agravante que o crime só foi solucionado meses depois com a intervenção da Interpol, a pedido da embaixada da Nova Zelândia, já que nossa Polícia foi inerte no caso. Infelizmente nosso país é associado à violência e impunidade no imaginário das pessoas no exterior, e convenhamos, com razão.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Rs...no, no, no? Anda escutando Amy, Riq?? grin

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Mô: lol

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Mô e Emília, legenda da piada por DM plis, porque eu sou curiosa!!!
André, eu tenho um casal de amigos que sempre fala pra mim que o que eu pago para passar as férias de verão (e o Reveillon) no Nordeste eu poderia ir para o Caribe ou poderia esquiar, ou poderia fazer um zambilhão de coisas mas...eu gosto mesmo é dendê, água de coco, e praia com coqueiro...não troco minhas férias de verão (ou de inverno no Ceará, hehehe) por quase nada...
(mas a Tailândia depois dos posts da Dri Setti e da Rachel estão na mira, hehehe)

bjs

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Flávia, é que tem uma música da Amy Winehouse chamada Rehab que uma parte é: They tried to make me go to rehab...
But I said 'no, no, no'
grin
Não consegui não lembrar quando li!!

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Ah, eu conheço! É que não tinha prestado atenção no "não, não, não do Riq no texto - procurei nos comentários...devia estar apatetada...

Gabi
GabiPermalinkResponder

Saiu aqui na Espanha no jornal El Pais de hoje: "Bahia, azotada por el dengue - Hay 38 muertos y 45.683 contaminados por el virus en el principal destino turístico de Brasil". Essa é a manchete da matéria sobre a epidemia no estado. E realmente eu nãovejo que os espanhóis, por exemplo, trocariam uma viagem pela Tailandia pelo Nordeste do Brasil. O Brasil aqui ainda é um destino ao que poucos planejam ir de férias. Uma pena, mas talvez temos muito que melhorar...

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Que temos que melhorar o turismo no Brasil, não há dúvida. Mas eu não troco o nosso nordeste por quase nada.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Perguntem ao meu marido que é belga onde ele quer pegar praia: Brasil sil sil. Pra ele o "serviço" de areia não tem preço. Ele quer sentar, ler o livrinho enquanto o "Zé" trás a cervejinha... E, não é pq sou brasileira não. Ele casou comigo pra ter desculpa de ir sempre ao Brasil wink

Ricardo Freire

Pessoas e pessôos, já falei várias vezes aqui, o turismo no Brasil é uma atividade incipiente e pouquíssimo desenvolvida.

Recebemos 5 milhões de turistas por ano, boa parte deles vinda da Argentina, que é vizinha, e dos Estados Unidos, a trabalho, bate-volta a São Paulo.

Pra Tailândia, que não faz fronteira com nenhuma Argentina, recebe 15 milhões de turistas por ano.

O que eu quis dizer é que a instabilidade política por lá pode fazer com que um ou outro europeu desista de pegar sol em Phuket em julho ou agosto, e isso acabe conseguindo encher os vôos da TAP para o Nordeste.

Só isso lol

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Riq, eu já acho que não são os europeus que lotam a Tailândia não... Phuket é um destino caro até para os europeus. Creio que os próprios asiáticos sejam os principais viajantes desse destino.

Dri
DriPermalinkResponder

Que mané Nordeste nada!! Reparem só pra onde os gringos virão, graças ao Guardian: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI68422-15223,00-JORNAL+INGLES+ELEGE+PRAIA+DE+RIO+NO+PARA+COMO+A+MELHOR+DO+BRASIL.html

Ricardo Freire

Dri, acho que meus coleguinhas de revista foram apressados na titulagem.

As praias não estão em ordem de importância, até porque foram consultadas 10 pessoas diferentes.

(A praia que o editor da matéria colocou, o Arpoador, está na sexta posição na matéria.)

Na verdade as praias estão descritas em ordem geográfica, do norte para o sul. POr isso começou no Pará e terminou em Santa Catarina.

Dri
DriPermalinkResponder

Aaaaaahhhhhh!!!! Eu como boa tupiniquim perdida no meio da correria do dia a dia, só li a versão da matéria da época (vergoinha). De qualquer forma, menos mal assim. Eu já tinha visto que vc tinha posto o link no Twitter, mas achei que vinha bem a calhar aqui nesse post...

Rachel Verano
Rachel VeranoPermalinkResponder

Riq, eu dei uma escapada pro Mayanmar e nao presenciei os ultimos incidentes na Tailandia (aproveitei para deixar agendados os ultimos posts de la' no Viaje Aqui ja' que a internet aqui, controlada pelo governo, e' praticamente inexistente - consegui a unica conexao decente agora, quase na hora de ir embora!). Eu concordo com vc: nao deixaria de ir a Tailandia por causa disso. Eu estava por la' quando a oposicao ja estava ocupando a sede do governo e estou voltando para la' em quatro dias. Acho que e' preciso ter cautela sim, claro, mas eu nao mudaria meus planos a menos que a coisa fosse se agravando, e parece que esta' acontecendo o contrario, ne? wink Beijos!

Phuket travel
Phuket travelPermalinkResponder

Great articles, I like your site. I have added it to my bookmarks.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar