Enquete: você e a bóia

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

boia

Pessoal, nas próximas 24 horas o blogueiro vai pra manutenção. (Tô fazendo um check-upão; vão me encher de eletrodos e vou precisar ficar24 horas longe de aparelhos eletrônicos.)

Aproveitando a energia da conVnVenção mrgreen gostaria de pedir um favorzinho pra vocês.

Estamos elaborando uma apresentação (ou, em marquetês, um presentation) do blog, e precisamos enfeitar alguns slides com depoimentos de leitores.

Se você quiser colaborar, é só deixar na caixa de comentários a sua experiência com o blog -- como descobriu, ou desde quando acompanha, ou, sobretudo, se alguma vez a gente aqui foi útil para você realizar uma viagem.

 Volto amanhã -- caso sobreviva a ficar 24 horas offline!

Atualização: Já estou de volta à ativa. Passei boa parte do dia no hospital, mas o monitoramento de pressão não tinha nada a ver com o que (eu imaginei que) a secretária do médico tinha me dito. Tô cansado mas tô online...

Muito obrigado pelos depoimentos! Valeuzão!

125 comentários

Dê
PermalinkResponder

Conheci o blog há uns quatro anos, quando meu segundo filho nasceu. Eu acompanhava o programa do Ric na TV cultura, em que ele fazia turismo em Sampa e adorei descobrir o blog. Desde então não viajo para nenhum lugar sem vir consultá-lo.
E posso dizer que o Ric vem salvando meus últimos finais de ano. Como não consigo tirar férias em outra data que não a última semana do ano, e como não tenho dinheiro suficiente para encarar os preços que os resorts tradicionais de praia cobram neste período, eu uso as preciosíssimas dicas do blog. Foi assim que fui para Praia do Carneiros (no Resort Praia dos Carneiros), para Barra de São Miguel (na deliciosa pousada Um Milhão de Estrelas que aceita crianças pequenas), para Serrambi (no antigo Intermares, agora Venta Club) e para uma praia deserta próxima de João Pessoa (na Pousada Aruanã) nos últimos 4 anos. Em todas essas viagens paguei menos do que pagaria para ir para o litoral norte daqui de São Paulo (considerando só a parte terrestre, porque nós aproveitamos a época para usar nossas milhas aéreas). E peguei sol, conheci lugares novos incríveis e pude pular as famosas 7 ondas no dia 31, sem ficar sem dinheiro o resto do ano.

Fernando Dasilva

Estava procurando informacoes sobre uma pousada 5 estrelas no litoral Pualista hoje peo google.com e encontei um texto otimo de 2007...como etou bem atrasadinho fiquei curioso e agora quero ser membro. A maneira detalhista e os pontos que foram falados no texto sao a minha cara...amei e espero agora ter uma dica atualizada de onde ficar em Agosto proximo, quando estarei em Sao Paulo pra uma Feira mas queremos antes ir ao litoral pra dar uma descarregada..mesmo sendo frio.
Achei o blog otimo mas ta precisando mesmo de umas cores, agora a foto de abertura eh otima!

Parabens!

Fer.

Ernesto, o  pato

Vale a pena ficar 24 fora do ar para se ver que tem tantos amigos!

Voce mereçe !

Boa recuperação!!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Eu não lembro exatamente quando eu conhecí o blog, mas acho que fou em o ano 2004. Eu estava procurando, em o google, informação sobre Itacaré e encontrei a freires.com.br. Eu conhecia alguma coisa de Brasil: Rio Grande do Norte (Pipa, Natal, Touros... e um pouco de Salvador...Itaparica, Morro de São Paulo, Boipeba...
Em freires.com.br descobri pontos em comum e percepçãos parecidas(sobre lugares que eu já conhecia, Pipa, Natal, Boipeba...) e adorei seus textos por seu grande sentido do humor (Xongas e o blog pre-histórico. zip). Um humor inteligente e generoso.

Marília Segalla

Perdi as contas de quanto tempo conheço o trabalho do Riq, sou viajante desde criança e de alguns anos pra cá venho me baseando quase que 100% nas experiências dele.
Devo os meus melhores momentos em viagens a ele.
Me formei em Turismo a três anos, e profissionalmente falando, acho que o trabalho do Riq é essencial para quem simplesmente viaja por lazer ou para quem trabalha com turismo.
Indiquei o site na faculdade e continuo indicando para quem me procura para dicas em turismo.
Obrigada Riq, por tantas experiências maravilhosas que tive guiada pelos seus roteiros.
Li, fui e comprovei tudo que falou.
100% confiável !

Yara
YaraPermalinkResponder

Arnaldo,
Vocês realmente carregam nossas "malas" quando nos ajudam por aqui, mesmo que ninguém peça, o que é mais bacana! Como disse a Sylvia dividir experiências e multiplicar informações é o que nos une - os jovens navegantes, e os experientes tripulantes, todos muito bem comandados pelo Riq. E isto é um FATO comprovado pela FOTO DE VIAGEM tirada por vcs na última convenção
wink

Karin
KarinPermalinkResponder

Ricardo,
Acompanho seu blog desde 2005 mais ou menos. Lembra de uma viagem para Itaúnas em que você comentou sobre um peixe com alcaparras da barraca do Zeka? Posso dizer que "obriguei" minha amiga a entrar no blog (porque eu tinha vergonha) pra deixar a dica sobre a barraca que era de uma outra amiga nossa. Este blog, fez parte das minhas tardes e também manhãs de ócio criativo no trabalho e me ajudou muito na minha viagem "praZoropa" e também ao Chile em dezembro de 2008. Este blog é o meu oráculo!
Obrigada,
Karin (ainda com um pouco de vergonha)

Mariana "de Toledo", a.k.a. @merel

Lembram que eu comentei sobre o limite de caracteres, né? Lá vamos nós.

* * *

Para mim, viajar é bacana já muito tempo antes de embarcar ou de fazer as malas. Curto o planejamento. Ler sobre os destinos é uma forma de já estar um pouquinho de férias, e fazer orçamentos e anotações vão te deixando mais próximo da realidade dos locais que serão visitados.

Conheci o Viaje na Viagem quando planejava minha aventura pela Europa. A idéia de um mochilão de 30 dias surgiu descompromissadamente, no fim de 2007, numa conversa entre amigas, e foi se tornando realidade mês a mês. Parecia ser possível viajar dali a um ano, e assim começamos a planejar. As primeiras contas foram feitas num guardanapo de restaurante, mas aos poucos fui procurando informações mais precisas. A primeira fonte foi o GUia do Viajante Independente na Europa, um trambolhão que eu levava de baixo para cima (com prazer) e lia no trajeto casa-trabalho-casa. Um guia super bem humorado que se mostrou bastante útil até in loco mesmo, mas que pecava um pouco pela falta de informações mais "vivas", digamos. Não fazia o "teletransporte mental" até as cidades, o que tornou necessária a busca de mais material para decidir o roteiro.

Meu primeiro contato com o Viaje na Viagem se deu exatamente assim. Procurei no Google sobre Europa, trens, cidades, e caí direto no blog. Pedi uma sugestão sobre roteiros, e o Riq (que na época ainda era "Ricardo Freire" para mim, com nome e sobrenome) respondeu e me passou alguns links. Depois consultei uma coisa ou outra através dos Perguntódromos.

Algum tempo depois, eis que foi anunciada a viagem do "Ricardo Freire" para a Europa, apenas uns dois meses antes da minha. O roteiro era quase o mesmo, e ele estava se propondo a testar e avaliar em minúcias tudo que se faz em cada cidade: gastos de restaurante, entrada em museu, transporte urbano, atrações turísticas. Dicas espertas off-turistagem, e a turistagem tradicional com dicas espertas também. Anotei, imprimi, mostrei para as companheiras de viagem, li, reli, e algumas coisas até decorei.

Não fosse o Viaje na Viagem, eu não teria conhecido a Casa Ásia, em Barcelona, um lugar super charmoso e pouquíssimo divulgado. Na mesma cidade, creio que também não teria subido para Montjuïc - um passeio delicioso, mas meio complicadinho de se descobrir como fazer. Também não teria economizado um troco legal com os bilhetes múltiplos de metrô em Madri, que podem ser inseridos e reinseridos seguidamente na roleta, servindo para um grupo de pessoas. Em Toledo, teria gasto um dinheiro à toa em um mapa logo na estação de trem, sem saber que a secretaria de turismo local oferecia mapas grátis. Desconheceria maiores detalhes sobre o AVE e o trecho entre Barcelona e Madri, que fiz em cima do laço, antes de embarcar de volta para o Brasil - mas já com a segurança de que daria tudo certo.

Isso estou mencionando só a Espanha. Mas já cheguei em Bruxelas alertada sobre a cerveja de cereja, e guardei minha mochila, junto com a das minhas amigas, com facilidade em um dos lockers da estação de trem. Tínhamos apenas uma tarde lá... Imagine nós zanzando pela cidade com 15 quilos nas costas! Em Paris, não me espantei com a horda de pessoas em cima da Mona Lisa, e, igualmente como comentado no blog, fiquei me divertindo com as pessoas na sala, histéricas, mais preocupadas em fotografar do que em estar ali e apreciar as obras. Em Roma, já cheguei super informada sobre como economizar nas atrações turísticas, e, no Vaticano, sabendo que tinha jeito de "furar fila" - embora tenha optado pelos métodos tradicionais de compra de entrada, nestes dois casos.

Também por conta das dicas do blog, não cogitei fazer viagens de trem de longa duração, um conselho dito e repetido várias vezes. E, se fosse para fazer a mesma viagem outra vez, acataria outro conselho que "desobedeci": fazer o máximo de trechos curtos por trem, e não por avião. É certamente bem mais prático.

No nosso dia-a-dia nos albergues sempre havia um momento em que procurávamos um computador e entrávamos no Viaje na Viagem para buscar alguma dica sobre a cidade em que estávamos. "Hmmm... amanhã podíamos passear pelo bairro tal... vamos ver se o 'Ricardo Freire' está falando sobre isso". Além do Guia do Viajante Independente também tínhamos à disposição guias da Folha e outras publicações impressas, mas nada era tão próximo, tão atual, ilustrado e até lúdico mesmo. Por conta de guias impressos fomos atrás de restaurantes que não existiam mais, ou que eram mais caros ou menos bacanas do que se pretendiam, e tínhamos preços de atrações e horários de funcionamento que não estavam em prática. É um mérito natural da Internet essa questão da atualidade/atualização, mas tudo que víamos no "Ricardo Freire" tinha exatamente a ver com as experiências que buscávamos em cada cidade.

Voltando ao Brasil e com muito o que dividir, comecei a participar mais ativamente nos comentários do blog, e fui prontamente acolhida por todos. Duas experiências um tanto quanto inusitadas do meu mochilão foram publicadas no Viaje na Viagem, e fui pouco a pouco me sentindo mais à vontade no meio desta verdadeira comunidade que é a "grande bóia". O "Ricardo Freire" virou Riq, e agora a gente até se conhece pessoalmente, veja só!

No fim de maio saio de férias pelo sul baiano, e, logicamente, minha viagem está pautada pelas dicas do Riq. Tenho outras fontes de consulta, vou com o Guia Quatro Rodas na mochila, mas a pousada foi ele que escolheu, e as dicas de transporte, ele que recomendou. E tenho certeza que vai acertar na mosca.

smile

Ricardo Freire

A quem interessar possa: sou eu que "babo no ovo" da tripulação -- e não faço mais do que a minha obrigação, já que sem os comentários e as contribuições da comunidade este blog teria morrido na praia há muito tempo.

Posts que desanquem ou mesmo ironizem colegas de trabalho serão sumariamente deletados.

Assinado, Silvio Santos.

(Peço por favor que não dêem corda a esse assunto; vaca amarela etc. etc.)

Zé
PermalinkResponder

Comecei a ler o VnV na época em que o Riq estava fazendo uma viagem volta-ao-mundo (há 3, 4 anos, sei lá). Favoritei e viciei shock Tentei deletá-lo da minha vida mas não teve jeito: dava pau no meu cérebro toda vez que eu tentava fazer isso. Por isso, tô aqui até hoje grin

Parem pra pensar: nós, brasileiros e portugas, somos privilegiados! Podemos ler em português o melhor blog de viagens do BUNDO!!! Ou será que tem alguém que ainda duvida disso?

Só está faltando é cair a ficha dos patrocinadores? mrgreen

diogo
diogoPermalinkResponder

ah, essa é fácil!! na verdade o ricardo freire já era habitué aqui de casa, só que nas prateleiras. livros e mais livros escritos com um dom divino, que me despertou uma vontade incrível de um dia escrever como ele, com essa maneira tão leve e agradável de se ler. no texto dele, as palavras se encaixam com uma facilidade incrível. parece que foram feitas uma para as outras.
daí, em março de 2007 ele virou habitué das telas dos pc's aqui de casa também. eu estava programando uma viagem na páscoa daquele ano quando recebi por e-mail um post desse blog aqui falando de restaurantes da capital porteña. restaurantes estes que, hironicamente, tempos depois foram pauta pra minha primeira viagem destemperada pra baires, em setembro do mesmo ano.
em suma, o viaje na viagem é o culpado total e absoluto pela existência não só do destemperados como de muitos outros blogs linkados aqui no blogroll ao lado. virou referência de bom gosto, estilo de vida e colaboracionismo. that's my bestguy!

Camila
CamilaPermalinkResponder

Pode só assinar embaixo? wink

Paulo Futami
Paulo FutamiPermalinkResponder

Visitamos o nordeste de norte a sul na companhia do blog, alguns lugares tornaram-se especiais para nós, cito: Toque, Trancoso, Espelho, Itacaré e a amada Recife.
Sem falar nas dicas preciosas sobre a cidade maravilhosa que se tornou muito mais maravilhosa depois do blog.
Andamos e vivemos em Paris por uns dias seguindo sempre o caminho do Riq e seu Blog.
Não podemos esquecer da descoberta do agora já descoberto palermo em Bas.
Realmente não saímos de casa sem ele!!!

Claudia Acourt

Estou morando na Europa e aqui descobri as facilidades de viajar. Mas para que tudo saia bem, ou perto do esperado, é preciso de informações de quem sabe do assunto. É aí que entra o RF e o seu VnV. Leio tudo o que ele escreveu e anoto. Aquele restaurante bacana, aquela rua interessante, aquele bar que ninguem percebe mas é um achado etc. Ah, e sem esquecer das dicas dos hotéis, pq aqui na Europa, além do turista comer mal, se paga cara por hotéis horrivesl.
Alem de ler o blog indico para todos que me pedem dicas.

Ah, outra coisa importante, ele me inspirou a sair pelo mundo ...rs

Parabéns e boa sorte nos projetos futuros.

NETTO
NETTOPermalinkResponder

Aprendi a usar a internet como meio de planejar uma viagem. Conheci ao planejar uma viagem pelo Nordeste, acreditei e apostei nao Rota ecologica. Depois daquela experiencia nao faco viagem nenhum sem consultar as dicas do Ricardo.

Rodrigo & Idalina

Conhecemos Ricardo Freire através dos livros "Viaje na Viagem - Auto-ajuda para Turistas", "Postais por Escrito" e "Xongas". A partir de então, não tinha mais jeito, sempre seguimos os passos dele. Até bater no VnV.
O que mais podemos dizer além do que já foi dito ("referência de bom gosto, estilo de vida e colaboracionismo"; "é a melhor ferramenta de viagem do Brasil" ...)?
Sejamos, então, subjetivos: foi com o VnV que aprendemos a flanar em Paris e, em seguida, a flanar pelo mundo.

Luciana Bordallo Misura

Conheci o VnV em 2005 (na epoca fiz um post http://luciana.misura.org/2005/08/03/blog-de-viagens-muito-bacana/ por isso que me lembro!) e foi nele que encontrei a maioria das informacoes que usei para a nossa viagem ao Japao em 2006 - de ryokans a cidadezinha de Takayama, foi a melhor fonte de informacoes em portugues sobre o Japao. Sempre venho aqui dar uma olhadinha nos lugares bacanas que um dia quero conhecer smile

CarolBSB
CarolBSBPermalinkResponder

Conheci o VnV através de uma amiga, que me indicou o blog durante uma conversa sobre viagens (eu estava começando a pensar na minha primeira viagem pra Europa). Isso foi no apagar das luzes da era wordpress.

Lembro que fiquei meio perdida com tanta informação, tantos comentários... Comecei a fazer umas perguntas por ali (dessas bem batidas mesmo, tipo: quantos dias em cada cidade?), mas confesso que me sentia meio peixe fora d'água, diante do entrosamento que eu percebia entre os demais tripulantes.

Daí houve a mudança para o portal Viaje Aqui. Devo admitir que fui uma das únicas pessoas que gostou da mudança. Isso se deve ao fato de que pude ler o blog inteirinho (tenho orgulho de dizer que li TODOS os posts e TODOS os comentários), então as falhas e deficiências que ali pudessem existir não me incomodavam tanto, pois eu fazia idéia de todo o conteúdo do blog.

Nesse meio tempo eu fui pra Europa e pra vários outros lugares, sempre com a ajuda do Riq e de toda a turma aqui (agradecimentos especiais à Sylvia).

E, como outros já relataram, também sou VnV-addicted: acesso mil vezes por dia, não quero perder um comentariozinho sequer, fico agoniada quando não passo por aqui... Ah, e o novo site está nota mil!!! Adorei fazer as carinhas, colocar parágrafos... grin

Seja pra programar uma viagem, seja para sonhar com uma viagem que não tem data para se concretizar, seja para fazer amigos virtuais (e outros nem tão virtuais assim), isso aqui vale ouro!

Agora só falta participar de uma conVnVenção!

Beto
BetoPermalinkResponder

O Viaje na Viagem consegue tornar ainda mais divertida, além de mais fácil, a deliciosa tarefa de planejar uma viagem. No planejamento, o roteiro é sonho, cabe tudo e só coisas positivas. O destino guarda as surpresas, que melhores ou menos boas, sempre fazem da viagem a melhor experiência das nossas vidas, depois do amor. O VnV oferece o peixe, dando respostas sob medida às questões dos seus usuários, e ao mesmo tempo ensina a pescar, incentivando o turismo independente, mais livre e criativo.

Beto
BetoPermalinkResponder

Não faço idéia de quando conheci o trabalho do Riq. Não sei se li num jornal algo sobre o Freire's, e achei graça no título do livro e da sua divertida e irônica pretensão, ou se foi numa hora de ócio, em que buscava na internet um pouco do prazer de viajar. Minha memória (não olhem pra mim, eu tenho uma) é analógica (cê acha que alguém duvida?) então o que me recordo (vagamente) é da identificação imediata provocada por alguns textos, como aqueles sobre como fazer a mala, da Rebel igual à que eu tinha (tenho, no cemitério das câmeras analógicas do meu armário), do prazer em planejar (acho a melhor parte da viagem, desde que a menos boa se realize plenamente) e de uma divertida crônica sobre o caráter perdulário do bom turista. Encontrei alguém com a mesma neurose que eu, pensei. E que sabe escrever bem pra caramba, botar no papel muito do que eu sentia e achava, de um jeito que eu não seria capaz. Não sei onde foi que mordemos a isca, mas em dado momento estávamos - todos esses aí de cima e aí de baixo - fazendo blogs, relatando velhas, recentes e futuras viagens, publicando fotos, compartilhando dicas e ajudando a criar o conteúdo que o Riq administra com inteligência, generosidade e simpatia (às vezes ele tem uns troços, mas a gente entende, tem cara que é foda - ops!).

marcia barbieri

Desde 2005, recebi umas dicas de Paris e amei, depois disso muitas inspirações surgiram do blog, inclusive fiz a expedição pé na areia todinha seguindo o teu roteiro, e adoro ver as novidades obrigada
beijos

Ellen
EllenPermalinkResponder

Eu li uma reportagem na Viagem e Turismo sobre o então lançamento do "Viaje na viagem: auto-ajuda para turistas".Tinha uma fotinho do Riq vestido de "turista".Adorei a reportagem,comprei o livro e passei literalmente a "perseguir" o Riq.Daí a ler todos os dias o blog,desde a viagem volta ao mundo até aqui,foi um delicioso vício.Não dá para viajar sem ler tudo aqui timtimportimtim.Ano passado conheci a Holanda com todas as dicas do Riq e tripulação na mala.Só falta agora eu ter o famoso pin da bóia...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

O meu primeiro contato com o trabalho do Riq foi através do Viaje na Viagem, pelos idos de 2000. Mas nunca mais tive notícias dele até que uma chamada do Uol me levou até aos primórdios do Zip.net. Eu comentava aqui e ali, mas ainda era bem tímida. Fui uma das que enviou e-mail e recebeu o endereço novo, na mudança para o Wordpress. Ali...tudo virou história: os bate-papos intermináveis, o início dos blogs da tripulação, o início do meu próprio...enfim. Aqui estamos.
Riq, acho que eu nunca agradeci propriamente (ainda rola uma certa timidez ao vivo) todas as coisas boas que vieram e continuam vindo. Mas pode ter certeza de que sou uma admiradora de carteirinha, do Ricardo Freire profissional e do 'pessoa física'. Melhor parar porque estou muito sentimental, hehe...

Marcio Nel Cimatti

Eu acompanho o VnV desde 2006, antes de me mudar para Amsterdã.

O Vnv é uma espécie de portal onde se encontram especialistas em viagem, pessoas a procura de dicas e soluções para os futuros destinos.

Todo esse encontro e diversidade de opiniões de blogueiros, turistas, viajantes e curiosos é mediado com simpatia pelo comandante Riq. Todos se sentem em casa e viajando ao mesmo tempo. Quer coisa melhor?

Danielle Castro

Acompanho o blog desde 2006 e literalmente não planejo nenhuma viagem sem consultá-lo. Já lancei várias perguntas que foram gentilmente respondidas pelo Riq ou pela tripulação. Já me senti confortável e na obrigação de ajudar os "novatos"... mas tudo em um clima maravilhoso de amizade virtual ! Eu nem sei o que o Riq tá pretendendo com essa presentation, mas tenho certeza que é qualquer coisa de muito bom ! Vamos em frente... viajando juntos... SEMPRE !

Majô
MajôPermalinkResponder

Uma hóspede paulista na Pousada do Toque no verão de 2004 citou o Ricardo Freire e dali em diante descobri o guia mais rico e pé no chão que conheço, e passei a "beber" diariamente o zip.net, comentar de vez em quando. As viagens seguintes foram enriquecidas com suas dicas e o nível de exigência subiu, não dá mais pra ficar em qualquer pousada, tem que ter charme. Bia começou a acompanhar e comentar sobre a viagem do Riq ao Japão e se acabava de rir, dali pra frente fui junto e não parei mais de acompanhar o VNV e a bóia.
O Riq é das pessoas mais generosas que conheço, reparte suas experiências com todos os leitores da maneira mais simples, além de ter um humor inteligente e criativo e paciência de jó em procurar responder a todos.
Peguei muitas dicas neste blog, inclusive fiz uma viagem fantástica à Sicilia totalmente orientada pela Lea Dorf que tinha acabado de voltar de lá e que comentava sempre no VNV. A Lea inclusive abriu uma comunidade Viaje na Viagem, no orkut Aliás, a Lea é uma amiga querida que ainda não conheço pessoalmente wink
A leitura dos posts do Riq calibra meu humor diariamente. A maior parte de nós,inclusive eu, abriu um blog com incentivo dele, pois como ele mesmo preconizava "blog você ainda vai ter um" e mais incrível continuamos a nos arriscar escrevendo mrgreen
Além de tudo o Riq é um agregador de amigos que têm prazer em se reunir em torno dele, quando saimos do virtual para o real nos encontros VNV e nos sentimos "amigos do peito".
Enfim, o Riq é o cara wink

Fabio NG
Fabio NGPermalinkResponder

Eu sou da turma que acompanhava pontualmente lá no Freires, depois fui lendo quase tudo no zip.net 1 e 2 - uma de tantas gambiarras necessárias pra driblar as limitações das ferramentas... wink

Na "fase Wordpress 1" (eita!) comecei a palpitar e contribuir - foi aí que o vício pegou, mas a diversão aumentou!

Deste(s) blog já saíram incontáveis dicas valiosas de viagens, também distribuídas aos amigos.

Mas as qualidades vão além do conteúdo em si: o cuidado permanente com o texto (sempre leve e bem elaborado) e imagens fazem com o blog seja MUITO prazeroso de se acompanhar!

Neste ponto, necessário reconhecer a importância da colaboração dos "trips", que participam com equilíbrio, inteligência e rara generosidade, valorizando a experiência.

Sobre este senso de comunidade: não tem preço! wink

Evelyn Carvalho

Bom, sou uma fã recente..... Quando comecei a planejar minha primeira viagem à Europa, no final de 2007, e iniciei minhas pesquisas na internet, percebi que todos os links que chamavam a minha atenção no Google levavam a um só site: o Viaje na Viagem! Desde então, a despretenciosa pesquisa se tornou um vício saudável e, diga-se de passagem, delicioso, no blog VnV. E foi assim que, a partir da minha primeira pesquisa sobre viagens, passei a acessar o blog diariamente!

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Oi, meu nome é Daniela e estou há quatro dias sem viajar grin

(pausa pros doidos da bóia gritarem Oiiiiii Danielaaaa)

O VNV é meu lounge da internet onde venho bater um papo, tomar uns drinques entre uma viagem e outra desde 2004, ainda na era zip net. Achei o blog procurando dicas pra Bahia. De início eu só lia timidamente, mas qdo mudou pro wordpress comecei a comentar e daí meu filho, viciei. Tenho que passar aqui pelo menos uma vez ao dia pra tomar café e trocar idéias. Sempre fui apaixonada por viagens, e aqui me sinto "normal" sem ninguém achar que ando viajando muito smile

Carla
CarlaPermalinkResponder

Não resisti: "Oi, Danielaaaaaaaa!!!" lol

Martinha
MartinhaPermalinkResponder

Tudo começo em 99 quando entrei na facul de turismo..

Um dos livros EXIGIDOS a ser lido era "Viaje na Viagem"..
E a cada pagina fui me encantando mais e mais..
Pegando gosto pela coisa..

Jà viajava muito.. como muitos aqui, em outros relatos, vim de uma familia de "viajantes/aventureiros" mas era aquela aborrescente que não sabia aproveitar à fundo..
Nem lembro quantas viagens passei resmungando que isso tava ruim.. aquilo tb.. mas de idiota mesmo!!

So que eu tinha o lado bom.. falava inglês.. descolava descontos que fazia meus pais não saber onde enfiar a cara.. e tirava foto de tudo e de todos.. não perdia um "flash"..

Mas finalmente CRESCI e querendo conhecer cada cantinho do mundão..

Dai veio um livro atràs do outro.. os sites.. as dicas..

E minha decisão de abandonar o Brasil por UM ano, e me aventurar na França.. que de quebra veio um pacote de paises junto.. \o/

O 1 ano fora estão se transformando em 3.. sem nenhuma ida ao Brasil.. ainda.. se tudo der certo, Agosto aterriso por ai..

De brinde com o VnV conheci outros sites, e porque não, meus melhores amigos.. que me indicam lugares bacanérrimos.. dicas imperdiveis.. e tudo +..

Então so me resta agradecer à TUDO..

E muitos e muitos anos pro site e pra vc Riq..

Suce$$oooooooooo \o/
Gros Bisous..

=)

Cláudia Holder

Eu nem me lembro de como e quando embarquei no VnV, só sei que desde que cheguei não consegui mais sair. As matérias do blog e as dicas valiosas que Riq nos dá, com a ajuda de toda a tripulação, me fazem ir a lugares aonde nunca pensara em ir, e dão um toque especial a qualquer viagem que eu pense em fazer.

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Bom, eu descobri o Blog através de outros trabalhos o Ricardo. Mais especificamente, há uns 8 anos atrás eu comprei o Guia de Praias pois ia fazer uma viagem de uns 20 dias pelo litoral do Nordeste e, ao folhear o Guia na livraria, achei-o interessante e opinativo, diferente da quase totalidade de guias turísticos de litoral patrocinados pelos interessados e pouco informativos sobre atmosfera e o "jeitão" de cada praia. Tenho-o até hoje. Depois, eu li partes do livro Viaje na Viagem - Auto-Ajuda para Turistas (desculpa, era férias da universidade, eu adorava passar tardes inteiras na megastore e em umas 3 ou 4 ocasiões li o capítulos no lounge e não o comprei sad ). Depois acho que o Rick fez uma atualização do Guia de Praias parcial em um site, e lá tinha o link para o Blog, e então comecei a acompanhá-lo.

O mais legal do blog, na minha opinião, é a interação entre pessoas que viajam e aparecem com dicas em primeira mão MESMO. Assim, já usei o blog para decidir qual castelo visitar no Vale do Loir, em qual bairro não me hospedar em Amsterdam, e avaliar compra de cartões de turismo, daqueles que os bureaus turísticos oferecem incluindo n museus, transporte e benefícios em grandes capitais. Como eu gosto de programas um pouco inusitados, e adoro dirigir, acabo passando ao largo de algumas coisas sugeridas aqui.

No entanto, há uma série de discussões altamente interessantes aqui sobre, han..., "filosofia de viagem", vamos dizer, que é difícil encontrar em outro lugar. Depois que comecie a ler posts aqui, fiquei seguro que não sou o único a dormir em paz sem ter visitado todos os 183 museus de arte de Firenze, ou sem ter ido a todas as atrações pega-turista de Londres, ou sem nunca ter pisado o pé em um museu da franquia Madame Tussad! Quero dizer, o blog acaba sendo um espaço onde pessoas preocupadas com a experiência de viajar de uma forma mais inteligente se reúnem e trocam dicas! Há uma tonelada de guias, serviços e sites com os "hot spots" de cada lugar, com mapas, etc. Há, na outra ponta, toda uma comunidade de recursos orientada ao "backpacking", voltada a quem se hospeda em albergues e almoça no supermercado.

O VnV te permite viajar junto com o Rick e, de certa forma, interagir com outras pessoas que procuram viajar de forma inteligente, por assim dizer. Ah, o Rick (imagino) viaja sozinho, paga suas próprias contas e apresenta os lugares onde ele dediciu ir, e nào os que foram apresentados a ele pelo comitê de turismo da cidade X ou que viajaram como jornalistas de meios de comunicação de turismo em trabalho. Isso faz uma GRANDE diferença em termos do que podemos esperar quando nós, mortais, aparecermos nos mesmos hotéis, restaurantes e atrações.

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Só para adicionar um trecho do Guia de Prais que achei imperdível e ontológico (em termos de como escrever sobre turismo sem parecer o guia do ônibus "esse é o prédio X, construído por Y", "à direita do forte K fica a praia L onde foi gravado o filme P".):

CAMBURI
É Sua Praia: se você frequenta a Rua Amauri
Não é Sua Praia: se você não quer encontrar na praia as pessoas que frequentam a Rua Amauri

Impagável !!!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Puxa, o tempo é curto e tive que optar entre ler os outros depoimentos e dar a minha contribuição... (Ainda bem que a escolha de Sofia é temporária, mais tarde eu volto! wink )

"Conheço" o Riq virtualmente desde que li o Viaje na Viagem, há cerca de 10 anos... Naquela época, ele mantinha um site, o www.viajenaviagem.com.br, e eu vivia espreitando por lá, escondidinha mesmo... Depois de um tempo, o site foi sendo deixado de lado; não sei dizer qual foi o período de tempo que se passou até que surgisse a 1a. versão do VnV na zip.net.

Não me lembro bem como descobri o blog, nem por quanto tempo fui uma freqüentadora silenciosa. Sério que eu ficava meio intimidada pela grande familiaridade que todos pareciam ter com o autor, e eu achava que estaria sendo meio "intrometida" se me metesse naquela conversa... lol

Até que um dia eu precisei pedir algo ao Riq. Tinha lido os posts que ele escreveu sobre Angola, e me interessei em incluir algumas das fotos que ele tinha feito do Mercado Roque Santeiro no trabalho que estava escrevendo, sobre um autor angolano. Achei que devia pedir a autorização dele para reproduzir as fotos, ao invés de simplesmente citar a fonte. E não é que o moço não só me deu a permissão, mas também me ofereceu as fotos em alta resolução, gravadinhas em um CD? Além disso, ainda me tratou do mesmo jeitinho como tratava todos os outros freqüentadores, com o mesmo carinho e familiaridade... Pronto, gamei! wink Daquele momento em diante (já deve fazer uns 3 ou 4 anos!), não desgrudei mais!

Praticamente todas as minhas viagens desde que comecei a freqüentar o VnV são resolvidas por brainstorming - lanço a questão no VnV e todo mundo queima a mufa pensando em soluções... wink Foi assim que consegui fazer uma mala decente para passar 3 meses na Califórnia, que resolvi pela primeira vez alugar um apê em Buenos Aires, que escolhi um hotel de luxo bacana em NY... Fico muito feliz por, desde que comecei o Idas & Vindas, poder retribuir todo esse carinho ao Comandante e aos queridos companheiros de tripulação!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Hahaha, Paula, acho que ninguém por aqui passa incólume pela Sylvia... Arrisco dizer que ela já ajudou pelo menos uma vez a cada uma das pessoas que passou por aqui em busca de ajuda - e esse número deve ser uma coisa estratosférica... wink

nati
natiPermalinkResponder

É maravilhoso contar com a opinião de todos os que participam do blog, tao bom que quero retribuir. Estou sempre torcendo para alguem perguntar algo que eu saiba responder bem.

jpsoares
jpsoaresPermalinkResponder

Nem me lembro bem, mas acho que fiz o primeiro contacto com o Ricardo Freire ainda no século passado! Andava à procura de lugar no Brasil para a passagem do milénio e encontrei alguem com uma escrita informativa e com um humor que me encantou. Através do guia de praias, artigos nos media e dos diversos blogues conheci a Bahia que aprendi a amar em várias viagens: Salvador,Morro, Boipeba e por aí abaixo até Caravelas, sempre guiado pelos conselhos de Mr. Freire. Claro que me dei bem! Nova paixão à vista, responsabilidade do blog:a Rota Ecológica, que também conheci e onde tenciono voltar ASAP
Confesso que mantenho sempre uma janela aberta do Explorer com o viajenaviagem.com a par de outras que fazem parte do meu dia a dia - um misto de curiosidade e acompanhamente da actividade do talentoso blogger para quem os dias têm para aí umas 36 horas...

Virginia
VirginiaPermalinkResponder

Não me recordo exatamente como conheci este blog maravilhoso, creio que foi na época em que pesquisava para minha viagem a Paris, cerca de 2 anos atrás.
Tenho verdadeiro horror a excursões,e sempre me agradou planejar, através de vários meios (revistas, internet, dicas de amigos) as minhas viagens. Foi assim com Santa Catarina em 2004, quando saímos do litoral e exploramos a Serra do Rio do Rastro, indo até Treze Tílias num carrinho 1.0 e também em 2005 na viagem costa a costa pelo Canadá. Uma das graças da viagem, pra mim, é o planejamento, curto cada momento. E o Riq e a tripulação (a Sylvia e o Zé, em especial) ajudam demais para que tudo corra bem.
Parabéns ao Riq e a todos os que contribuem sistematicamente com o blog, este é um vício que eu não quero abandonar!

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Tem quase quatro anos que visito o site do Freire.
A primeira vez foi quando fui a Fortaleza e queria dicas sobre locais que valiam a pena e principalmente locais que não valiam perder tempo. Acho o site muito bom ainda mais porque mostra as experiencias de uma pessoa real e não somente comentários sobre locais desconhecidos que ninguem nunca pisou.
Para as demais viagens ao nordeste continuo consultando o site nao importa em qual provedor esteja e para as viagens que não farei (pelo menos não tão cedo)acompanho as impressoes do Freire pelos locais.
Obrigada por compartilhar conosco suas experiências!!!

zezé
zezéPermalinkResponder

Vou TER que dar meu pitaco aqui apesar de um pouco atrasada em relação aos outros tripulantes. Conheci o Riq quando do lançamento do livro Viaje na Viagem, lá no século passado. Desde então procuro seguir o comandante em todos os portos onde ele atraca. E também desde então procuro suas dicas (e elas sempre existem) para toda e qualquer viagem, seja ela curta, longa, com mais grana ou menos grana. Já foram várias, mas há muitas ainda por vir, pódicrê! Beijo.

Isabel O., Portugal

Pensava que aqui vinha há séculos, tal o número que vezes que já andei por estas paragens... Afinal é só desde 2007...
O 1º texto lido? Um inquérito sobre o melhor pequeno almoço. Aí se referia a Amendoeira, a pousada sobre a qual andava a investigar, e a partir daí, pronto... tal como os outros, fiquei um bocadinho viciada.
Tenho que confessar que este é o único blogue no qual escrevo comentários com alguma regularidade (nos portugueses que leio, foram tão pouquinhos que nem conta) e, tirando os das colegas da escola, também o único em que já encontrei e falei com o autor. Tendo em conta que vivemos a milhares de quilómetros é muito significativo.
Já não saio de casa sem consultar o que foram escrevendo, fi-lo para Berlim o ano passado, fá-lo-ei este ano para França, por exemplo.
Agradeço aos muitos que passam por esta casa toda a disponibilidade demonstrada, com especial relevo para o Ricardo. Todos os prémios que receba são bem justos, pelo tempo que dedica a fazer das suas viagens as viagens dos outros.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Isabel , já sabes o quanto me encanta o "purtuguÊis de Purtgal" , mas vá lá , conta pra gente : tem algo mais puro e lindo do que ..."fi-lo para Berlim o ano passado, fá-lo-ei este ano para França.."
Será que um dia a gente vai escrever lindão assim ??
Um beijo !!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Isabel, como a Sylvia, eu também fico quase literalmente babando quando leio o que você escreve, acho uma delícia! Começo a me lembrar de Eça de Queirós, Fernando Pessoa e alguns outros escritores portugueses que conheci nas aulas de literatura da faculdade - dá uma saudade!!! wink

Edu Luz
Edu LuzPermalinkResponder

101º comentário : sou dos mais antigos seguidores. Sou um dos viúvos da Xongas !! ( ainda bem que tenho o meu The Best of Xongas pra matar as saudades e os textos recentes do Riq, é claro!).
E também utilizo o VNV original como livro de cabeceira porque ele é um clássico em qualquer categoria editorial.
Quanto as viagens, não fizemos nenhuma em que todo mundo que opina por aqui não fosse citado. O Riq, obviamente até pelos posts especiais ( África do Sul, Austrália, St Martin, etc); a Sylvia, além de outras coisas pela esplendorosa definição de onde achar uma boa comida através da movimentação dos locais; a Majô, pelo administração ímpar do condomínio e pela diretoria inter-galática; a Emília, pelas indicações precisas ( não vou falar da velociaddae de publicação!! rs); o Hugo, que deve estar no meio da viagem ao Sul, pelo didatismo das dicas; o Zé pelo humor e todos os outros que transformaram este espaço no melhor lugar pra se pesquisar/ler/opinar/discordar/concordar de toda a blogosfera! Ah! Me esqueci do "fanatismo viagífero/fotográfico" do diretor logístico, o Arnaldo.
E que qualquer dia, todos os filhotes do VNV estejam hospedados nas Organizações da Bóia formando o maior conglomerado de informações turísticas do Brasil!

Isabel O., Portugal

Meninas, obrigada pelas vossas palavras. Eu também gosto muito do português falado no Brasil, sobretudo na sua versão musical e literária (no aeroporto compro sempre com os reais sobrantes livros de autores brasileiros). Sou fâ nº 1 de música brasileira (vá lá, não me dêem duplas sertanejas e quejandos...). Agora o que não suporto MESMO é "vi ele" , "fiz ele"... O que é giro (mas um bocadinho deprimente)é que na minha cidade, ainda antes da "grande invasão" (primeiro pela televisão e depois ao vivo e a cores - há centenas de brasileiros a viver aqui) já a conjugação pronominal parecia quase desconhecida nas camadas mais populares e falavam deste modo. Noutros locais do país é que a coisa foi piorando por contágio. Quando na aula apresento, por exemplo, fi-la (fiz a cama) ou pu-la (pús a mesa) há míudos que se fartam de rir.

Carla
CarlaPermalinkResponder

O que acho triste por aqui, Isabel, é quando uso a forma culta e muitas, mas muitas pessoas mesmo, me olham meio torto, como eu estivesse falando errado!!! Isso costuma me acontecer especialmente com duas construções: "para eu fazer" e "entre mim e Maria", por exemplo... Tem gente que jura que o "eu" e o "mim" deveriam ser trocados nessas duas expressões! razz (Você dá aulas de língua portuguesa?)

Virginia
VirginiaPermalinkResponder

Carla, nosso idioma é lindo, e certamente uma das qualidades do Riq e de vários tripulantes é primar por conservá-lo, entendendo que o informal nada tem a ver com o "assassinato" da língua.
Uma coisa que invejo um pouco nos franceses (de forma positiva) é a forma como preservam o seu idioma. Sempre achei um absurdo andar pela rua e ver diversas lojas, às vezes bem modestas e no subúrbio, ostentando nomes em língua estrangeira, especialmente o inglês... Vamos nos valorizar, nossa língua é uma das mais bonitas do mundo!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Virginia, acredito que você me entendeu bem, mas, relendo o que escrevi, notei que posso dar margem a algum mal entendido... Quando escrevi "por aqui", não foi aqui no VnV, mas no Brasil de modo geral, Ok? O "assassinato" da língua portuguesa no Brasil está relacionado a falhas graves no nosso sistema educacional - não tem a ver com o uso informal, nem com o uso de gírias. Na minha opinião, é algo relacionado à construção do pensamento - me impressiona a quantidade de textos escritos por profissionais graduados, em diversas áreas, que simplesmente não apresentam uma clareza mínima de pensamento, quanto mais respeito às normas gramaticais...

Gloria Leão
Gloria LeãoPermalinkResponder

Conheci o blog ano passado quando estava fuçando dicas pra viajar pra Itália. A D O R E I!!!!
Já comprei o livro do Ricardo Freire e fiquei viciada no blog.
Viajei em setembro de 2008 e foi minha primeira viagem à Europa.
As dicas foram super úteis na viagem, principalmente nas estações de trem....apesar dos muitos micos que pagamos arrastando malas ENORMES....Amei a itália, mas sobretudo amei Roma....acho que fui romana em alguma outra vida.
Um beijão a todos vcs.

Guta
GutaPermalinkResponder

Fui atrás do blog, depois de ler e reler o livro VNV e sempre pesquisar informações no Freires e ficar de olho no site VNV.
O blog, alias, acho q descobri atraves do site do livro, e faz um tempo (não lembro direito quanto), mas passei a ficar mais ligada/conectada ha 1 ano, comentando mais etc...
A importância do blog?! TODA! Além de ficar bem informada num mundo q eu tenho paixão ( o de viagens!), passei tb a querer fazer a transição de um site de viagens, para um blog, depois de ver toda a interação e rapidez q um blog propicia. O meu blog, o VAMBORA, nasceu disso!
Alem de tudo, o VNV me ajudou a fazer "outras viagens", que me abriram muitas portas, oportunidades e conhecer pessoas! So tenho a agradecer e aprender com todos aqui, sempre!
Dá-le VNV!
bjus

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Eu conheci o blog, na versão anterior do WP, entre 2006 e início de 2007, não me lembro bem. Uma amiga me enviou um e-mail com o link para o post/crônica do turista paulista, quase nada estressado (não me lembro o nome do post, mas acho que estava arquivado em Cri-cri, e não achei...). Li, adorei e comecei a ler outros posts. O resto da história vocês já conhecem: primeiro o vício silencioso, depois alguns comentários, por fim a sensação de estar na sala conversando com os amigos até as conVnVenções (NUNCA eu poderia imaginar que me encontraria com pessoas que conheceria na net - na verdade nunca imaginei relacionar-me com pessoas primeiro através da internet). No período em que conheci o blog (2006/2007) passei por uma fase pessoal bastante difícil e conturbada, e vir aqui, ler e interagir me fazia esquecer da vida real, e me trazia um bem estar imenso. Hoje minha vida está ótima, e o VnV continua me fazendo um bem danado.

Claro que as dicas do Riq e dos demais tripulantes já me ajudaram muito. Como a minha xará Carla, não vou mais até a esquina sem antes passar por aqui, consultar os arquivos e pedir dicas e opiniões.

Interagir com esta comunidade também me faz me sentir mais normal, pois tenho amigos que não entendem porque eu viajo tanto (e nem é tanto assim, convenhamos), porque gastar tanto dinheiro com isso... e aqui eu não tenho que explicar nada, todo mundo entende!!!

Por fim, o blog me propiciou conhecer pessoas bacanérrimas, inteligentes e interessantes, que hoje fazem parte do meu rol de amigos (reais!!), e isso é MUITO bom, pois eu adoro ter amigos!!

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Comecei a escrever ontem, mas daí tive que sair e voltei hoje.
Nem sei ao certo quando comecei ler seu blog, acho que há 3 anos quando a Marcia Kawabe ( http://hajimemashite.blogspot.com/ ) me indicou, pois ela sabia da minha paixão por viagem - acho que um dos primeiros posts que li foi quando vc fez aquela viagem a Sydney.
E foi então que te descobri e cheguei aqui quietinha, lia todos os posts e todos os dias me empolgava mais com o que via/lia/expareimentava... e a paixão por viagens foi aumentando e eu comecei a ficar mais sabidinha.
Agora... se seu blog me foi util?! Noooooossa... MUITO util em várias viagens, se não todas as viagens que fiz ultimamente. Sem contar os posts dedicados aos leitores (nunca esqueço aquele de Israel, sou grata até hoje) ou os comentários individuais...
Aturma que te segue também são exemplares... todos são 100%.
Enfim, seu blog é referencia.. e é uma referencia gostosa de ler e participar... não consigo ir dormir sem vir aqui dar uma olhadinha. Queria ser mais ativa, mas ultimamente estou sem tempo, carreira nova, estagio etc etc etc...
Riq, vc é demais! Sou sua fã smile
bjs

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Acho que esse artigo tem a ver com coisas que já foram ditas aqui:
http://br.tecnologia.yahoo.com/article/06052009/25/tecnologia-noticias-psicanalista-nega-distincao-vida.html

Guga de Salvador

Olá Riq!
Graças a voce e a toda tripulação, a minha lua-de-mel em Buenos Aires há quatro anos atrás foi perfeita! (tanto foi, que acabei voltando dois anos atrás) Segui a risca várias dicas dadas por voces. Aluguei apart (a hospedagem ficou muuuuiiiito mais barata) em Palermo Soho, o que me garantiu poder desfrutar dos melhores restaurantes e passeios da cidade: almoços e jantares no Faena, Olsen, Green Bamboo, Asia de Cuba, brunch do Four Seasons e no Oui Oui, passeios pelo Malba, Museu de Belas Artes,Zoológico, enfim, me senti um rei desfrutando o que a cidade tinha de melhor...graças ao VnV!
Há tempos queria agradecer e acho que não haveria melhor momento.
Obrigadão, comandante Riq! Continue sendo este cara extremamente G-E-N-E-R-O-S-O!
Não lhe convidei pra padrinho do meu casamento, mas da minha lua-de-mel, com certeza, vc foi!!

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Quando eu fico apertada nos meus muitos trabalhos (para viajar tem que ganhar rsrs), fico uns dias sem vir aqui - isso faz parte da minha recuperação contra o vício wink

Ai vejo essa discussão e coincidentemente pensei nisso hoje qdo vi o link que a Carla 2 botou: "As relações afetivas construídas na internet e a forma como nos mostramos nas redes sociais não são nada virtuais. Ao contrário, são muito reais. Psicanalista que figura entre os mais famosos no Brasil, Contardo Calligaris vai contra discursos que diferenciam relacionamentos ou atitudes na rede dos realizados no mundo "físico". Para ele, amizades ou romances mantidos na web valem o mesmo que os mantidos fora dela. E comportamentos muitas vezes exóticos assumidos virtualmente são só o reflexo de características já existentes no indivíduo."

Eu nunca imaginei que tendo tantos amigos, (graças a Deus ) no real, ia ter espaço para fazer virtuais e foi só aqui que eu consegui. E se meus amigos reais dizem que eu conheço gente em todo mundo graças a meu emprego anterior, eu digo que conheço gente no Brasil todo por conta do VnV. Vide amanhã que eu devo encontrar com 3 pessoas daqui no Sul do país - e eu só ia lá dar uma palestra e divulgar meu livro....isso não é possível se vc passa por aqui e conhece essa gente maravilhosa...o que eu gostei de cara aqui foi ver o carinho com o que as pessoas se tratavam, logo me senti acolhida. Pensei, isso não é só informação, é relacionamento, isso que dá o diferencial.

Cheguei na fase Wordpress pelo oráculo Google - "como ir de Berlin a Amsterdan" pq nao tinha avião no dia que eu precisava para encontrar minhas amigas lá. Enchi o saco dos tripulantes e do Riq e viciei...pena que eu não tenha visto o pedido do Ernesto sobre Trinidad e Tobago, pq eu fui, mas a trabalho, talvez não fosse possível ajudá-lo, mas mesmo qdo o comandante não foi, e ninguém foi, o Riq sabe de alguém ou algum lugar que sabe...não cheguei a criar blog, mas até hospedagem no blog da Majô, que eu só conheci por aqui, eu tive direito para imortalizar minha viagem ao Egito.

Meus amigos me fazem pergunta de viagem, e eu sempre respondo pelo VnV. Mas que é muito doido isso de conhecer por aqui, depois pessoalmente e poder contar com tanta gente boa espalhada pelo país, é...da licença que eu tô indo ver a Sylvia de novo! wink

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Para mim, o VNV é o STAR TREK dos blogs de turismo brasileiro! Audaciosamente indo aonde nenhum blog jamais esteve...O RIQ, "o comandante" é o nosso capitão Kirk e com uma competente tripulação que nos permite sonhar, planejar e realizar sempre a melhor viagem ...
Valeu,capitão, mais uma vez, por todas as dicas e paciência pra comandar esta grande nave- VNV...
Essencial pra qualquer turista neste UNIVERSO blogosférico!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar