Dans mon île

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

ilestouis
Île Saint-Louis, Paris

A ilha mais linda do planeta não tem praia, não tem coqueiro, não tem montanha nem atrativo natural de nenhuma espécie. Até pouco tempo atrás (coisa de uns 200 anos) ela não passava de um pântano e era conhecida como Ilha das Vacas. Foi então que a nobreza da época resolveu encher a ilha de predinhos, todos bonitos mas nenhum particularmente memorável, que hoje abrigam, ao rés-do-chão (é como os franceses e os lusitanos chamam o andar térreo), lojas interessantes mas nenhuma assim terrivelmente famosa, restaurantes simpáticos mas em sua maioria desconhecidos, e hotéis bacaninhas mas nenhum de primeiríssima categoria.

Como se vê, a ilha mais linda do planeta tem o bom-gosto de ser também a ilha mais discreta do planeta -- o que com certeza deve ser o segredo do seu charme. Calma, recatada, introspectiva, a île Saint-Louis passa desapercebida do grosso (em todos os sentidos) dos visitantes. Mas quem anda meia horinha que seja pelas suas oito ruas e quatro quais não tem como discordar: é a ilha mais linda do planeta.

O que faz da île Saint-Louis um lugar especial é que, em primeiro lugar, trata-se de uma ilha cercada de Paris por todos os lados. Com suas ruelinhas, predinhos, restaurantezinhos, lojinhas e hoteizinhos, a île Saint-Louis é assim um bibelozinho de Paris. Só não se pode dizer que é uma miniatura de Paris porque lhe falta algum monumento -- um monumentozinho que fosse. Mas não seja por isso: os cafés do quai d'Orléans oferecem belíssimas vistas da catedral de Notre-Dame.

Sem estação própria de metrô nem lugar para estacionamento de ônibus, a île Saint-Louis conseguiu se manter a salvo do turismo predatório. Aliás, a única evidência de que se trata de um lugar turístico é o fato de você ouvir italiano e holandês e alemão e espanhol na rua o tempo todo.

Isso porque as lojas se dão ao respeito de não vender absolutamente nada que tenha "Paris" escrito -- apesar de estarmos a apenas uma ponte de distância de Notre-Dame, que é notoriamente um dos maiores centros mundiais de tráfico de souvenirs.

Eles são finos a ponto de manter um açouguezinho, uma merceariazinha e um supermercadinho na rua principal, só para a gente acreditar que a île Saint-Louis é de verdade, e não cenário. Hoje de manhã eu passei por duas senhoras que se cumprimentaram efusivamente dos dois lados da calçada -- "bonjour, madame!!!" -- como se fossem vizinhas! Só podem ser figurantes. Pensam que vão me enganar, é?

O footing acontece na rue Saint-Louis-en-l'île, que corta a ilha longitudinalmente, feito uma banana para fazer banana split. É aqui que ficam os hotéis, as lojinhas, e o único restaurante metido da ilha, o l'Orangerie.

Ao longo da rua, várias portinhas vendem sorvete de casquinha da casa Berthillon, tido e havido como o melhor de Paris (eu peço sempre "chocolat et chocolat blanc, s'il vous plaît"). A própria Maison Berthillon fica na rua, passando a esquina da rue des Deux-Ponts, mas sua decoração é tão sem-graça que é melhor entrar numa das filas em frente às portinhas e comer na calçada mesmo. Existem vários restaurantezinhos charmosos com mesas à luz de velas que você pode escolher de tarde e reservar para de noite.

E se passear na île Saint-Louis já é bárbaro, se hospedar aqui é o maior presente que um viajante a Paris pode se dar.

A 10 minutos a pé do bairro mais interessante da Rive Droite, o Marais, e a 20 do pedaço mais bacana da Rive Gauche, Saint-Germain-des-Prés, a île Saint-Louis é o centro geográfico perfeito para você se dedicar ao mais parisiense dos passatempos -- flâner, verbo que a língua portuguesa teve a elegância de incorporar como "flanar".

Você só precisa entrar no metrô para peruar em bairros com dois dígitos no arrondissement. Táxi, então, só na hora de voltar para o aeroporto. O que me faz lembrar de o meu táxi vai passar daqui a 4 horas e meia, e eu ainda tenho que dormir.

Quel dommage. Porque só existe uma coisa pior do que deixar Paris: deixar a île Saint-Louis.

(Originalmente escrito para o viajenaviagem.com.br em 1998, num hotel da île St.-Louis, em Paris. Fazia parte do projeto "Postais por escrito".)

90 comentários

CarolBSB
CarolBSBPermalinkResponder

Fiquei apaixonada pelo texto!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Ah ... sonho de consumo é um apezinho , não um studio-zinho , por uns 10 dias corridos , pra degustar sem pressa , na ilha .

Marcie
MarciePermalinkResponder

Sylvia, vc sabe que há pequenos apês pra alugar na Île de Saint-Louis, certo? São très sympa!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Tenho uma listona , Marcie ,e o que foi paixão imediata , tem uma tarifa salgadinha de 3 mil ( euros ) por semana grin

Ingrid
IngridPermalinkResponder

Sylvia, vc não quer jogar na net essa sua listinha (ou listona) não?! To pensando em passar 5 semanas em Paris e esse é meu lugar predileto. Mas não acho aptº nessa região... Obrigada smile

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Olha aqui http://www.parisattitude.com/

Ingrid
IngridPermalinkResponder

Obrigada !!

Marcie
MarciePermalinkResponder

Vou escrever para um amigo meu que sempre fica por lá e garanto que ele nunca pagou isso.

Marcie
MarciePermalinkResponder

prontinho: o site é o www.guestapartment.com, e esse meu amigo sempre fica no Mimosa.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Brigadin Marcie ! Vou adendar na lista grin

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Pra quem acabou de voltar de um footing + almoco pela ilha mais bonita do mundo e que anda dando umas voltinhas por la quase todo dia, o post caiu perfeitamente mrgreen
(e acredita que eu ja cantarolei essa musiquinha aqui - heranca da aula de frances! - uma duzia de vezes???) lol

Marcie
MarciePermalinkResponder

Infelizmente, agora há, sim, uma estação de metrô na ilha. E é daquelas fundas, que leva meia hora pra subir. Mas por enquanto não tirou nada nem da beleza nem da semi-privacidade do local.

Lucio
LucioPermalinkResponder

Marcie, a estação de metrô é na ilha vizinha/gêmea... a Ile de la Cité. É menos residencial, com a Notre-Dame, Consiergerie, Hopital Hotel-Dieu, Sainte-Chapelle e um momento mágico no meu passeio pela margem do Sena: a Place Duphine (quase do lado da Pont-Neuf). Não sei se foi o cansaço, as cores do entardecer de setembro, mas amamos essa paisagem.....

Marcie
MarciePermalinkResponder

tem toda razão, desculpaê!

MarciaFu
MarciaFuPermalinkResponder

Nossa, deu vontade de ir AGORA! eek)

Daniel Andrade

Daqui a 11 dias eu estarei lá!!!

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq, o texto tá lindo ! Meu sonho de consumo é passar 1 mês hospedada na île de St. Louis hehe

maria
mariaPermalinkResponder

é meu lugar predileto em Paris tambem.Sempre que posso visitar a cidade passo horas passeando por lá,compro confit de pato na ruinha principal(direto do fornecedor de Sarlat) e vinho na cave da mesma rua.Da última vez deparei com um bilhete escrito a mão na vitrine explicando que "Seu fornecedor de vinhos saiu em viagem pelo mundo ;se precisar falar comigo ou quiser acompanhar minha aventura veja a minha página wwww......Existe algo mais poético?

Emília
EmíliaPermalinkResponder

...(suspiros)...
Saudades de Paris. E da Île Saint-Louis.
(Riq, uma das suas peças mais preciosas, tiro meu chapéu. De novo wink )

Daniele
DanielePermalinkResponder

E nesssa ilha tem 2 lojinhas da Pylones, aquela marcar de badulaques irresistíveis, e mais uma outra sorveteria maravilhosa, e uma lojinhas que vendem chocolates tentadores.
É uma delícia flanar por lá!!! wink

Ernesto, o  pato

Linda cronica, uma volta as sensações de viagem no meio do turbilhão do escritório, é uma dos motivos do meu vicio neste blog...

Manu
ManuPermalinkResponder

Adorei o texto!!! Vc conseguiu dizer tudo que eu acho da ilha e nunca tinha verbalizado...

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Mesmo sem ter ido a Paris, tinha a maior simpatia pela ilha. Agora, depois deste texto, quero ficar hospedada e flanar muito por lá...

Priscilla
PriscillaPermalinkResponder

é isso!
é a ilha mais linda do mundo.

Constance Escobar

AMO a Île Saint-Louis! Andar por aquelas ruazinhas parece uma viagem no tempo... E o meu Berthillon é caramel au beurre salé, s´il vous plaît!

diogo
diogoPermalinkResponder

pri.mo.ro.so. só isso!!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Esse texto...maravilhoso! Fiquei sem saber que adjetivo usar! (Tô me sentindo meio puxa-saco....)
Mas não vejo a hora de falar "chocolat et chocolat blanc, s’il vous plaît"

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

A Ile St.Louis é o cenário das minhas melhores lembranças de Paris. Me apaixonei no momento em que pisei nela. Ou melhor, antes, ao olhá-la do "continente" antes de alcançá-la pela Ponte Marie. Tb passei minhas últimas horas em Paris na minha última ida a cidade-luz na Ile. Minha dica é começar o dia nas proximidades da Pont Marie, ainda na "Paris continental", e procurar pela Rue St.Paul, uma rua onde existem pequenos antiquários e a Bolangerie Molinau, onde se come o melhor pain au chocolat de Paris na minha opinião (e olha que eu sou fã dessa iguaria) e depois atravessar a ponte para a Ile.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Não conseguiria escrever tão lindamente...lindo!!! Em Janeiro, tinha feito uma super programação para minha amiga inglesa que não ia a Paris há anos...como ela tava de ressaca, fomos só até a Notre Dame e depois flanamos por lá. Très calm...

Aline
AlinePermalinkResponder

Assino embaixo. Texto maravilhoso, ilha maravilhosa... Um dia também me hospedo lá. Beijos.

Viajante Oficial

Em breve pretendo conhecer. Tá na minha lista.

Luciano
LucianoPermalinkResponder

Posso plagiar a Sylvia e o Ernesto ao mesmo tempo? E o tempo hoje aqui em POA está igualzinho a quanto estivemos por lá.

Camilla
CamillaPermalinkResponder

"Hoje de manhã eu passei por duas senhoras que se cumprimentaram efusivamente dos dois lados da calçada — “bonjour, madame!!!” — como se fossem vizinhas! Só podem ser figurantes." !!!!!!

to me acabando de rir por aqui smile

Lena
LenaPermalinkResponder

Que lindo, Riq!!! Très elegant!! Pra combinar com clima de elegância do dia, que começou com a Liciana wink

Rodrigo Octávio

Amigos, gostaria de perguntar algo fora do assunto do post.
Já dei uma pesquisada sobre Garopaba - SC, quero ir com a família (esposa e três crianças) para observação das baleias.
Gostaria de receber uma dica atualizada de vocês. sobre uma pousada para ficarmos, e também qualquer informação útil que quiserem compartilhar.
Iremos final do mês, pra passar só o fim de semana.

Ricardo Freire

Garopaba já tem uma pequena população residente e uma certa vida própria mesmo no inverno. A Pousada da Lagoa é bem montadinha http://www.pousadadalagoa.com.br/. Estando de carro, o Silveira Eco Village também é uma boa; a vista é linda. http://www.morrodasilveira.com/

No inverno, a Praia do Rosa é mais indicada para casais que queiram namorar no friozinho. Na parte bacana da praia não há centrinho nem footing. Os restaurantes que continuam abertos estão em sua maioria nas pousadas. A vantagem da Vila Sol & Mar é que eles mesmos organizam os passeios de observação de baleias; acho o lugar pouco charmoso, contudo http://www.vidasolemar.com.br . Gosto muito da Caminho do Rei, que é rústica, charmosa e não muito cara http://www.caminhodorei.com.br (e tem a vista mais bonita do Rosa).

Pablo Pires Fernandes

Riq,
Sumi faz tempos, mas lembrei na hora da turma aí quando li essa matéria aqui. É totalmente fora do contexto parisiense, mas é bem engraçado.
http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRSPE57C0E320090813
abs

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Riq, a sua descrição é praticamente uma poesia! Lindo d+!
É impressionante como vc coloca em palavras aquilo que sentimos com o coração! É por isso que sofremos de "crise de abstinência" com qualquer problema que possa dar no blog! wink

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Riq, toda vez que eu entro em síndrome de abstinência de Paris (o que ocorre com alguma freqüencia), eu vou no seu site antiiiiiiiiiiiiiigo pra ler os Postais por Escrito, e fico suspirando "alas".
Já li todos, várias vezes. Você não vai tirar eles do ar, não, né? Com viciados não se brinca! mrgreen

Inês
InêsPermalinkResponder

Ricardo,

O texto é poético...o lugar é lindo...a saudade é grande!!!
Parabéns!!

Rodrigo Octávio

Muito obrigado pelas carinhosas dicas de Garopaba e Rosa.
Depois eu conto como foi. Abraço.

Rodrigo Octávio

E sobre este post aqui então... nem me fale, me fez sonhar ainda mais com minha futura (mas ainda não concretamente planejada) viagem para a França.
Obrigado por manter este valioso espaço.

Eliane
ElianePermalinkResponder

Uau! Belíssimo texto! Estarei lá em um mês e meio. Deixou-me com mais água na boca!

Wander
WanderPermalinkResponder

Flanei uma tarde inteira na Ile. Eita saudades. O texto mostra com muita inspiração a beleza do local : um "bibelozinho" , uma jóiazinha dentro da jóia que é Paris.

Lia
LiaPermalinkResponder

Que texto lindo! Sinto também esse amor pela ilha, que é tão tranquila...

Sílvia Soares

Riq, quais seriam esses hotéis bacaninhas?

Ricardo Freire

Hotel St. Louis en l'Isle -- já fiquei em priscas eras e gostei muito. Costumava ter o preço mais camarada. http://www.saintlouisenlisle.com/

Hotel des Deux Îles -- por fora é uma gracinha, mais estiloso que o St Louis http://www.deuxiles-paris-hotel.com/

Hotel de Lutèce -- era o mais chiquezinho desses três, que ficam bem perto um do outro, no canto da ilha mais próximo da ìle de la Cité http://www.paris-hotel-lutece.com/

Hotel du Jeu de Paume -- foi nele que eu fiquei quando escrevi esse texto. Foi uma decepção. É o mais caro e metido da turma, mas os quartos são "minuscules" -- menores até do que o do Saint-Louis, que é o mais barato da ilha. Não recomendo. http://www.jeudepaumehotel.com/hotel-romantique-paris/

Geo
GeoPermalinkResponder

Très charmant!

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu vou, eu vou, eu vou pra Paris, eu vou!
Nánaánanánananaá eu vou, eu vou, eu vou!!!! lol

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

*suspiro*...

Leonardo Luz - BrasiLéo

Fantastique! Mercí mon amie!

Malu
MaluPermalinkResponder

Riq, imagine os meus suspiros de saudades ao reler esse texto!!! A primeira vez que conheci a ilha mais linda do mundo - melhor ainda por não ter praia, areia e coqueiro - foi após sair da Notre Dame, dar a volta por trás da Igreja e, ao atravessar aquela pontezinha charmosa e romântica, um celo tocado por uma linda mulher, super bem vestida e maquiada, encheu meu coração de emoção. E voltei, voltei e quero voltar novamente.

Angélica
AngélicaPermalinkResponder

Olá Ricardo! Estive em Paris semana passada e passei por alguns lugares que você cita. Engraçado, conheci seu blog por causa dessa viagem e por que comprei seu livro antes. Me ajudou muito viu? Estou até fazendo um blog sobre a aventura, se puder dê uma espiadinha.
obrigada!
abs
Angélica (agora em Amsterdam)

Arnaldo - Fatos e Fotos de Viagens

Na minha ilha (Tradução de Dans mon île)
Caetano Veloso

"Ah...como é bom!
Na minha ilha onde nunca se faz nada
Onde se adora ao Sol
Que nos acaricia
E onde temos preguiça
Sem pensar no amanhã
Na minha ilha
Ah..como o tempo é ameno!
Bem tranqüila..."

Arnaldo - Fatos e Fotos de Viagens

Depois dessa pérola de crônica, só mesmo citando um trecho da letra da música do mestre Caetano, "Dans mon île", pra tentar ver se tem algo que toque tanto.

Sílvia Soares

Riq, obrigada! Todos os hotéis devidamente "favoritados"- exceto o último, é claro. O Lutèce e o Deux îles parecem ser bem charmosinhos.

Kristen
KristenPermalinkResponder

Arnaldo, desculpe ser chata wink, mas a música é de Henri Salvador. Caetano só regravou (uma versão linda, que adoro)
Esse post só me deixou mais ansiosa ainda. Chego a Paris dia 29/08.

Arnaldo - Fatos e Fotos de Viagens

Kristen, tem razão, desculpe o erro.

Ursula
UrsulaPermalinkResponder

Arnaldo,
Não querendo ser chata II, juro que é pra acrescentar...
mas no terceiro verso, onde vc colocou "Onde se adora ao sol" é "On se dore au soleil", então fica algo como "a gente se aquece, se bronzeia ao sol"
Tb adoro a música!

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Alto nível vcs hein, gostei de aprender. Não conhecia nenhuma nem outra versão, me perdoem a ignorância wink Talvez ouvindo eu reconheça.

Clarice
ClaricePermalinkResponder

Nossa! Lindo mesmo! O texto e a ilha, que verei de perto daqui a três semanas! Tirei um sábado para flanar por suas ruas e pela ilha vizinha. Suspiros...Vai ser muito bom!

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Oi Ricardo! Sou assinante do feed de seu blog há uns bons anos! Nunca escrevi, mas estou sempre por aqui! A crônica descreve o dia maravilhoso que passei nessa ilha em 2008. Presenciei a gravação de um filme, passei pelas lojinhas, pelas ruazinhas, tirei fotos de uma noiva... o dia foi dos mais agitados e proveitosos! Sou um apaixonado por Paris... se tiver um tempinho, meu álbum com os flagras que fiz da ilha é esse: http://www.flickr.com/photos/alexsimoes/sets/72157622040941252/ E aqui tenho mais fotos de Paris: http://www.flickr.com/photos/alexsimoes/sets/72157603062409710/ Grande abraço!! Alexandre!

Kristen
KristenPermalinkResponder

Muito classe as suas fotos.
Gostei da legenda "Love exists"...

Beto
BetoPermalinkResponder

Riq, você é o cronista que eu gostaria de ser, quando o meu cabelo crescer wink

LiLi
LiLiPermalinkResponder

Impressionante o quanto esse texto nos passa e-x-a-t-a-m-e-n-t-e a atmosfera que se tem por lá.
A Ile é apaixonante !!!! Parabéns Ricardo !!!

Dionísio (www.espacovital.com.br)

A CVC está com uma promoção que parece de bom custo-benefício para a Europa, voando Iberia. Em Paris, os hotéis oferecidos são os seguintes. O que vocês acham destes hotéis, pessoal?

- Comfort Hotel Lamark - Perto do Moulin Rouge e da Basilica do Sacre Coeur

- Hotel Kyriad Paris Bercy Village - Localizado no bairro de Bercy, perto do Bercy Village

- Roma Sacre Coeur Superior - Localizado perto da Basilica do Sacre Coeur

- TimHotel Gare Du Nord - Localizado entre du Nord e Gare d"Est

- TimHotel Montparnasse ( Paris ) - Localizado próximo à Tour Montparnasse

- Hotel Beaugrenelle Tour - Localizado próximo à Torre Eiffel

- My Hotel Inn France Marais - Localizado próximo à Place des Vosges

- New Hotel St. Lazare - Localizado em Montmartre ( estação de St. Lazare )

Ricardo Freire

Pesquisei os hotéis e preços para 10 de janeiro, ocupação dupla. Vou usar preços em dólar para ficar mais fácil de somar ao preço da passagem e fazer comparações.

Comfort Lamark - hotel básico, boas críticas no TripAdvisor (reclamação ocasional: barulho). Fica na Butte d'Or, região de imigração africana. Montmartre é pertinho. 112 a 119 dólares no site do hotel, 117 no Hoteis.com e na Expedia, 129 no Decolar, 133 no Venere.
http://www.comfortinn.com/hotel-paris-france-FR326

Kyriad Bercy Village - tipo Ibis, um pouco mais moderninho. Resenhas aceitáveis no Tripadvisor (reclamação ocasional: tamanho). Fica perto do Bercy Village, no canto direito da margem direita, em fim de linha de metrô. 117 dólares no Booking, 121 no Decolar, 139 no Hoteis.com, 150 no site do hotel. http://www.bercykyriad.com/

Roma Sacré Coeur - hotel antiguinho, as fotos dão um certo medo, mas as resenhas no TripAdvisor são positivas. 72 dólares no Hotéis.com e na Expedia, 89 no Booking, 89 no Venere, 98 num site-fachada do hotel http://www.hotels-paris.fr/en/hotel/S-Fr-Roma-Sacre-Coeur.htm

TimHotel Gare du Nord - rede econômica com algum charme. Resenhas um pouco mais insatisfatórias que a média dos hotéis econômicos no Tripadvisor (reclamação ocasional: pulgas e sujeira). Fica em frente à gare du Nord, uma localização meio deprê (tipo frente de rodoviária). 79 (não reembolsável) a 88 dólares no site do hotel, 83 no Hotéis.com e na Expedia, 87 no Booking e no Venere. http://www.timhotel.com/en/our-hotels-details/57-timhotel-gare-du-nord.htm

TimHotel Montparnasse - Resenhas bem melhorzinhas que o da Gare du Nord. Fica em frente à Tour Montparnasse e à gare Montparnasse (mas o ambiente é mais agradável). 107 dólares (não reembolsável) a 118 dólares no site do hotel, 118 no Booking e no Venere, 127 no Hotéis.com e na Expedia. http://www.timhotel.com/en/our-hotels-details/62-timhotel-montparnasse.htm

Beaugrenelle Tour Eiffel - pequeno hotel pra lááá da Torre Eiffel. Resenhas boazinhas, com as habituais reclamações de tamanho e não-era-bem-assim-no-site comum a hotéis econômicos. 145 dólares no site do hotel, 150 dólares no easytobook.com, 157 dólares no Booking, 187 na Expedia. http://www.hotelbeaugrenelle.com/

My Hotel in France Le Marais - supernovo, quartos superpequenos; críticas no Tripadvisor a elevador, escada e tamanho dos quartos (elogio ao piso de madeira, não carpete). Fica entre o Marais e a zona boêmia de Oberkampf. 124 dólares no Hotéis.com, 130 no Booking e no Venere, 132 no site-fachada do hotel. http://www.my-hotel-in-france-marais-paris.federal-hotel.com/page_en_2.html

New Hotel St Lazare - pelas fotos, parece que deram um tapinha nos quartos. Resenhas razoáveis no Hotéis.com e no Booking (não achei o hotel no TripAdvisor). Fica entre a estação St.-Lazare e o bairro de Pigalle (noite moderninha mas também prostituição na rua). Montmartre é perto. 90 dólares no site do hotel, 92 dólares no Hotéis.com, 96 no Booking. http://www.new-hotel.com/Saint-Lazare/en/index.asp

O mais centralzinho é o My Hotel, que também está no lugar mais agradável. Os dois TimHotel estão nos troncos mais convenientes do metrô. Há vida noturna interessante perto do My Hotel, do TimHotel Montparnasse e dos que ficam próximos a Montmartre.

Ricardo Freire

Dito isto, acrescento que, sempre que pesquiso esses city-packages europeus, não vejo vantagem.

O fato é que na Europa e em Nova York as operadoras brasileiras não têm a mesma força para negociar preços de bons hotéis como fazem nas capitais e resorts do Nordeste, em BAriloche e Buenos Aires, em Orlando, no Caribe interessado em atrair brasileiros.

Normalmente o que acontece ai é o repasse da melhor tarifa da cia. aérea agregada a uma tarifa de hotel que você conseguiria por outros meios. Dá para ver a tarifa de hotel negociada pelo preço da noite avulsa (multiplicando pelo número de ocupantes do quarto).

Acho esquisito também anunciarem os pacotes com 4 noites apenas para baratear o preço final.

Vale pela comodidade: para quem não quer ter o trabalho de achar uma tarifa boa de avião e procurar seu hotel.

Mas para quem curte, o TripAdvisor lista 1.500 hotéis em Paris. Dá para garimpar coisa muito melhor do que as barbadas das operadoras.

Agora: dentro ou fora de pacote, é sempre bom tomar cuidado com a categoria mais econômica. Fato: tirando os hotéis feitos/pensados/executados/administrados para cobrar pouco (Ibis e clones, albergues e cia.), nenhum hotel cobra barato porque quer. É o mercado que decide. Nenhum hotel de 100 (dólares, euros, reais, libras) em cidade grande (no interior até que dá) vai ser ser nota 10 em localização, conforto, tamanho e serviço. Sempre vai deixar a desejar em algum desses aspectos.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar