Santa Catarina com estilo: siga o Hugo

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Estou com este tesouro guardado há três meses na minha caixa postal. É o relato das duas semanas extraordinárias de férias de dois casais mineiros pelo que há de melhor em Santa Catarina. Quem planejou meticulosamente a viagem, extraindo a melhor relação custo x benefício possível, foi o grande Hugo -- que ano retrasado já tinha nos brindado com a sua fabulosa lista de hotéis em Nova York. Viajando na baixa temporada e na época de tempo mais firme (outono), o Hugo mostra que existe sim, o luxo inteligente.

Florianópolis

Dia 9 (sábado)

Eu, minha esposa e um casal de amigos chegamos em Florianópolis às 12h30. A passagem ida e volta saindo de BH custou R$1.000,00; compramos com 4 meses de antecedência. A Vera, da locadora Veracar, estava nos esperando com um cartaz na mão.

No aeroporto já colocamos nossas malas na Parati 1.6 Track Field com ar e direção hidráulica e fomos para a locadora pagar os mil reais (incluindo seguros e quilometragem livre) referentes aos 14 dias de locação. O preço é esse mesmo, exatamente 1/3 do que custaria se tivéssemos locado na Localiza.

Saímos de lá e fomos almoçar no Café Riso, que fica no centro e foi indicação dos Destemperados. Foi a melhor coisa que fizemos, porque o primeiro dia de viagem, que normalmente é muito cansativo, se tornou uma diversão. Pedimos o prato Trio de Risotos, e como éramos quatro tivemos a oportunidade de experimentar oito variedades de risoto de uma vez só.

Saímos do restaurante às 15h20 e fomos para a Serra do Rio do Rastro pela estrada de Urubici. A viagem foi tranqüila apesar das várias curvas e chegamos no hotel Rio do Rastro Eco Resort às 16h30.

Chalé master

Tanto eu como o outro casal estávamos comemorando aniversário de casamento e já fomos recebidos no hotel com um upgrade para o chalé top, com hidro. Neste primeiro hotel tivemos duas diárias gratuitas pelo Roteiros de Charme e pagamos apenas uma diária (400 reais) e a diferença pela pensão completa (300 reais por 3 dias de hospedagem). Ou seja, foram 700 reais por 3 noites no chalé top do hotel com tudo incluído.

Depois do check in fomos para o quarto, descansamos e só saímos a noite para um espetacular jantar campeiro no restaurante do hotel, composto por várias das comidas regionais. Sem dúvida esse foi um ótimo começo de viagem.

Dia 10 (domingo)

Após o café da manhã fizemos uma pequena trilha dentro do próprio hotel e tiramos lindas fotos de um mirante.

Villa Francioni

Depois do almoço fomos para a vinícola Villa Francioni que fica uns 65 km do hotel. A visita custa 30 reais por pessoa, mas o Rio do Rastro nos deu um cupom que liberava o pagamento. Eu já tinha agendado a visita na semana anterior e quando chegamos lá descobrimos que éramos somente nós quatro para o tour. O nosso guia exclusivo foi muito atencioso e ficamos impressionados com a estrutura do lugar. Sem dúvida umas das mais bonitas vinícolas do país.

A degustação foi ótima e na saída compramos alguns vinhos.

Voltamos para a pousada e no jantar fomos brindados com a excelente e inesquecível truta no pão. Ela é feita envolta em sal, e depois que sai do forno o sal fica parecendo um pão. Simplesmente deliciosa.

Dia 11 (segunda)

De manhã cedo encontramos o Ivan, dono da pousada, e como o hotel estava quase vazio (vantagens de se viajar na baixa temporada) ele nos ofereceu um passeio privativo (e gratuito) pelo cânion do ronda, que fica perto mas cujo acesso é somente por veículo 4x4.

Fomos na caminhonete do próprio Ivan e ele nos proporcionou um passeio de mais de 2 horas onde conhecemos o cânion, a belíssima estrada da Serra e soubemos de muitas histórias da região.

À tarde fizemos uma trilha guiada (custo de 20 reais por pessoa) de 2 horas. Na ida passamos dentro de uma linda mata, chegamos em uma cachoeira e retornamos por um grande campo aberto. Tudo isso acompanhado pelos 4 cachorros (não lembro da raça) que são marca registrada da pousada. Os cães são lindos e nos fizeram uma belíssima companhia.

À noite o jantar foi na pousada e tivemos como surpresa uma entrada especial. O Ivan tem um aparelho onde se coloca um grande queijo (delicioso, diga-se de passagem), e ao se ligar o equipamento o queijo vai derretendo aos poucos, de forma lenta, e possibilitando fazer uns canapés com queijo quente. O jantar também foi ótimo, e como estávamos muito cansados fomos dormir cedo.

Dia 12 (terça)

De manhã, logo depois do café, chegou uma neblina muito espessa sobre a pousada. Parece que São Pedro sabia que estávamos indo embora porque os dois dias anteriores tinham sido ótimos.

Sem dúvida é um lugar do qual sentiremos saudades. Tudo é muito lindo e o atendimento do pessoal excelente. O Ivan é um cara bacana e empreendedor, pois está sempre preocupado em melhorar o hotel e a região próxima.

Saímos da pousada logo depois do almoço, às 14:00hs. Pegamos a estrada da serra em direção à BR101 com um pouco de chuva.. Após chegar na rodovia o  caminho não se mostra tão bonito como aquele que passa por Urubici, mas como estávamos indo para a Praia do Rosa era a melhor escolha.

A viagem foi tranqüila e chegamos na Praia do Rosa às 18:00. O tempo estava fechado e chuvoso. A hospedagem foi na Quinta do Bucanero, que faz parte do Roteiros de Charme. A diária hoje está R$380,00, mas como negociei em janeiro consegui pagar R$315,00 por dia.

O hotel surpreendeu pois é muito mais charmoso do que esperávamos. O pessoal que trabalha lá fica o tempo todo preocupado em nos atender e são extremamente atenciosos.

No jantar fomos no restaurante Tigre Asiático e adoramos. Estávamos receosos da comida ser muito estranha, mas ficamos surpresos com o sabor dos pratos. Inesquecível o jantar que, com vinho, ficou por R$160,00 o casal. Achei o preço justo por tudo que recebemos.

Dia 13 (quarta)

Vista do Bucanero

Como eu tinha dito, no dia anterior pegamos chuva, mas hoje o céu estava todo limpo. Foi um impacto acordar e ver a Praia do Rosa da varanda do quarto. Uma visão inesquecível.

Depois de um café da manhã bem farto descemos uma escadaria até uma lagoa que fica em frente ao hotel. Nesta lagoa pegamos um barquinho que nos leva até a praia. Lá são montadas cadeiras, guarda-sol e combinamos com o barqueiro a hora que queremos voltar.

O dia foi maravilhoso. Estávamos com a praia do Rosa quase que exclusiva.

À tarde fomos para Garopaba. Subimos no mirante que fica próximo às torres de televisão, passemos pela Praia da Vigia, vimos as mansões da região, lanchamos e fizemos compras na Mormaii, que tem um ótimo outlet na cidade.

No jantar ficamos na pousada e confesso que não nos arrependemos. A comida foi deliciosa. Nem de longe esperava algo tão bom. A Juliana e a Carla comeram um peixe (acho que foi robalo) que estava simplesmente perfeito. E o preço de R$150,00 o casal com vinho foi uma barganha pela experiência gastronômica que tivemos.

Dia 14 (quinta)

Neste dia São Pedro estava meio de mau humor. Ele não mandou chuva mas o céu estava nublado. Por causa disso, depois do café, não fomos para a praia. Pegamos o carro e fomos explorar a região.

Primeiro tínhamos que encontrar uma loja que pudesse baixar as fotos da máquina do Renato e da Carla pois eles não tinham levado o cabo. Na noite anterior o atendente Mauro disse para ligarmos para ele de manhã (ele só trabalha a tarde) que ele diria onde baixar as fotos. Ao ligarmos ele se prontificou a ir conosco. Veja bem: ele não indicou onde fazer, ele foi conosco.

Encontramos com o Mauro no centro e ele nos acompanhou até resolvermos a questão. Depois disso visitamos a Praia do Ouvidor e da Ferrugem, que sem dúvida devem ser conhecidas. Fomos em algumas lojas e curtimos um pouco mais a cidade.

Chegamos na pousada no final do dia. Descansamos e logo em seguida saímos para jantar no Lua Marinha. O acesso é bem complicado e apesar desse restaurante ter sido muito recomendado, acabou se tornando uma decepção. Experimentei um polvo, que é o carro chefe eles, e não achei nada espetacular. O preço de R$80,00 o casal, sem vinho, foi razoável, mas nem de longe a comida chegou aos pés dos restaurantes dos dias anteriores.

Dia 15 (sexta)

O dia amanheceu espetacular. Um céu azul intenso e com isso pulei cedo da cama pois queria fazer uma caminhada na praia. Mas como minha esposa não se animou, acabou que arrumamos as malas e fomos curtir a piscina, tomar café da manhã e tirar mais algumas fotos.

Saímos da Praia do Rosa e fomos para a Guarda do Embaú. O lugar é lindo e certamente valeu o desvio no trajeto.

Em seguida nos dirigimos para Florianópolis onde nos hospedamos na Pousada das Palmeiras. O quarto é ótimo, o atendimento espetacular e a localização muito boa pois fica próxima de vários restaurantes e da linda Lagoa.

O preço da diária na suíte Bambu é de 350 reais, mas eles deram um desconto e por 5 diárias paguei R$1500,00 no total, sendo que eles não cobram taxas.

Canto da Lagoa

Depois da chegada já saímos e fomos fazer o passeio pelo Canto da Lagoa. O trajeto é lindo e tirei ótimas fotos. Mas como estava frio resolvemos não ficar nos restaurantes, por isso logo depois voltamos.

De noite fomos para outra indicação dos Destemperados, o Bistrô D´Acampora. O lugar é bonito e clássico. Eu pedi um peixe que estava normal, enquanto que minha esposa e o Renato pediram o prato da boa lembrança (pato) que estava ótimo. O preço total foi de R$250,00 por casal, mas tomamos duas garrafas de vinho. Como o meu prato foi normal achei bem caro, mas se considerar o pato o preço está condizente.

Dia 16 (sábado)

O café da manhã na Pousada das Palmeiras é servido no quarto. A variedade é muito boa e a quantidade excelente. Como sou muito bom de garfo pensei que ficaria com fome, mas garanto que é muito satisfatório.

Como o céu estava ótimo fomos direto para a Praia de Jurerê, que para mim é o melhor lugar para se curtir Floripa. Ficamos num bar excelente (esqueci o nome) e pudemos aproveitar bastante o dia.

Em homenagem ao Riq tomamos um caipirinha de lima da pérsia acompanhada de Hot Philadelphia.

Saímos da praia bem tarde e depois de um passeio pelo centro fomos para a pousada.

À noite jantamos no Patagônia (outra indicação Destemperada). O restaurante é especializado em carnes e foi ótimo. A decoração é linda, o ambiente agradável e a comida muito boa. O preço é um pouco alto, pois ficou em R$160,00 por casal (sem vinho).

O único problema é que paramos o carro na rua, pois quando chegamos não tínhamos visto o estacionamento. Como tinha um “flanelinha” do lado do carro resolvemos deixar onde estava, o que se mostrou um grande erro porque o som do carro acabou sendo roubado, junto com os tapetes. Pelo menos o carro não foi danificado e nem tivemos qualquer problema além do material.

Obviamente isso não nos desanimou e depois de conversar com o pessoal da locadora eles disseram que não precisava de BO já que o som e o tapete ficariam abaixo da franquia e não seria necessário acionar o seguro.

Dia 17 (domingo)

Neste dia o comandante Riq estava em Floripa e queria muito marcar uma miniconVnVenção. Mas o meu celular da Oi insistia em não pegar e por isso ficamos sem comunicação.

Saímos cedo para o centro pois queríamos fazer o passeio de escuna que passa pelos fortes de Ratones e Anhatomirim. Não demos sorte porque neste dia a escuna não saiu.

Diante disso fomos fazer um tour pela cidade. Passamos pela praia de Canasvieiras, fomos em Jurerê ver as nova mansões que estão aparecendo por lá (visitamos uma que estava sendo vendida por módicos 2,6 milhões), em seguida nos dirigimos para Campeche, Armação, Joaquina e terminamos o dia na Lagoa apreciando o belíssimo por do sol.

À noite o jantar foi na pizzaria Basilico (dica dos Destemperados), um dos poucos restaurantes abertos no domingo. Nesta hora o Riq já estava no aeroporto e não pudemos encontrá-lo.

O restaurante é muito agradável e o público muito animado. As pizzas são ótimas e mesmo pedindo 2 grandes para 2 casais a conta ficou em R$60,00 por casal (sem vinho). Preço justo e um programa descontraído para um domingo a noite.

Dia 18 (segunda)

Neste dia iríamos para Bombinhas, mas logo de manhã resolvi ligar na escuna e perguntar se iria ter algum barco saindo. Para surpresa geral um grupo de alunos iria fazer o passeio para os fortes e por isso mudamos os planos, tomamos um rápido café da manhã e fomos para o centro.

Ratones

O passeio custa 35 reais por pessoa e vale muito a pena. Saímos às 10h30 e nos dirigimos para o forte de Ratones que é muito legal. A visita de 45 minutos passa voando. Na hora de sair os alunos da escola estavam todos lá e nós é que chegamos atrasados.

A próxima parada foi um restaurante na Baía dos Golfinhos. Os golfinhos não apareceram, mas o restaurante, que pensei ser um pega turista, se mostrou uma boa opção. Decidimos não comer no self service porque os alunos já estavam na fila e tudo estava revirado, mas pedimos um clássico peixe e batata fritos e adoramos. Muito saboroso por um preço adequado de R$20,00 o casal.

Depois fomos para o forte de Anhatomirim que é a grande atração. Ele é lindo e só ele já valeria a visita. Muitas fotos, histórias e uma sensação agradável de se estar em uma construção tão linda. Nele ficamos pouco mais de 1 hora e nem vimos o tempo passar.

Sambaqui

Chegamos em Floripa às 16h50, pegamos o carro e fomos correndo pegar o pôr-do-sol em Sambaqui. Não tenho palavras para descrever. As fotos ficaram maravilhosas, e coroaram com chave de ouro um dia espetacular.

Em seguida fomos para o Bar do Gugu que serve o melhor bolinho de Siri que já comi e fica em Sambaqui. O restaurante estava fechado mas vimos o Gugu lá dentro, entramos e ele na hora já acendeu as luzes, preparou as mesas e abriu o restaurante para nos receber.

O bolinho é grande e em cada um deve ter uns 5 siris inteiros, pois o recheio é carne de siri desfiada e só. Maravilhoso. Mais à noite iríamos jantar no Isadora Duncan mas o clima no Gugu estava tão bom que o pessoal quis comer lá mesmo. Pedimos dois risotos de frutos do mar, um pirão recomendado pelo Gugu e no final pagamos R$75,00 por casal. Preço mais do que justo.

Dia 19 (terça)

Neste dia finalmente fomos para Bombinhas. A praia parece uma lagoa de tão calma. A água é cristalina e o lugar estava praticamente deserto. Vantagem de viajar na baixa temporada é essa, tudo é exclusivo para você.

Encontramos o único bar aberto do lugar e nos acomodamos. Almoçamos por lá mesmo, nadamos muito, tiramos várias fotos e, no final da tarde, passamos na praia de Quatro Ilhas e na de Mariscal.

Chegamos em Floripa no início da noite. Logo depois saímos para nosso último jantar na ilha, que seria no Bianco Lounge (by Destemperados, of course). O lugar é lindo, tanto por dentro como por fora. O clima é bem alegre e tem uma música agradável. Os pratos são bem servidos e deliciosos, com destaque para o inesquecível tiramissu. No final pagamos R$160,00 por casal, com vinho, e acredito ter sido um preço adequado por tudo que tivemos.

Dia 20 (quarta)

Ponta dos Ganchos[

Neste dia não fizemos nada de manhã, já que iríamos para a Ponta dos Ganchos e por isso estávamos ansiosos, pois era um dos destinos mais esperados.

Chegamos em Governador Celso Ramos às 11h30 e nos perdemos um pouco porque não tem uma única placa indicando a entrada do hotel. Perguntamos para um local onde ficava e aí chegamos. Confesso que toda a expectativa que eu tinha foi superada.

Fiz a reserva pelo Circuito Elegante. Paguei R$2.750,00 para duas noites com pensão completa (menos bebidas alcoólicas) em bangalô Superluxo. Achei muuuito caro, mas hoje já estou pensando que é uma pechincha. Só se hospedando lá para entender essa matemática.

Como fizemos a reserva pelo circuito elegante tínhamos direito a upgrade, se houvesse disponibilidade. E adivinhem: eles tinham dois bangalôs Da Vila disponíveis. O upgrade foi concedido sem problema algum.

Primeiro fomos para os nosso quartos Superluxo porque os Da Vila somente seriam liberados em duas horas pelas arrumadeiras. Com isso já fiquei impressionado, porque sempre que consegui upgrade fiquei esperando a nova acomodação ficar pronta para poder entrar.

Grill de frutos do mar

Outra coisa, oficialmente o check-in era para ser às 14:00hs, mas mesmo chegando ao meio-dia já fomos encaminhados para o bangalô e convidados para o almoço, que na quarta-feira era um especial com frutos do mar e legumes grelhados.

Quando experimentei o dourado grelhado não acreditei. Era algo incrivelmente gostoso, como tempero certo, assado na medida exata. Enquanto almoçávamos os bangalôs Da Vila foram liberados. Eles transferiram as malas e levaram as nossas novas chaves na mesa mesmo.

Então fomos para o bangalô e entendi o porquê que o nosso amigo Eduardo Luz tinha me dito para fazer um esforço para ficar nesta acomodação. Por questões orçamentárias optei pelo Superluxo e torci por um upgrade, mas confesso que o Eduardo estava certíssimo em dizer que o Da Vila é um outro patamar.

Do bangalô Superluxo para o Da Vila é um salto enorme. Depois dos Da Vila para os mais caros existem melhoras mas a diferença não é tão grande.

O resto do dia curtimos o quarto. Nadamos na pequena piscina e depois fomos para a Jacuzzi interna ver o pôr do sol, que é lindo. Tão bonito que nesse primeiro dia nem mesmo tirei fotos porque não queria gastar um segundo sequer pegando a máquina.

O jantar foi no hotel (pensão completa, lembram?) e novamente tivemos uma refeição maravilhosa. Se fosse um restaurante pago acredito que pelo nível do lugar e da comida a conta não ficaria em menos de R$200,00 por casal.

Dia 21 (quinta)

Acordei bem cedo para fotografar o amanhecer. Em seguida fomos para o café da manhã que era composto por um menu degustação de 7 pratos. Impressionante como um café da manhã pode se tornar um evento gastronômico.

Depois nos dirigimos para a praia que é boa. Tudo bem que as praias de Floripa são bem melhores, mas nenhuma delas me permitiria comer ostras gratinadas e camarões ao alho e óleo sem pagar nada por isso. Mais uma vez pedimos uma caipirinha de lima da pérsia em homenagem ao comandante.

O almoço também foi ótimo. Todo dia o hotel mantém um cardápio fixo e incluem um cardápio que é alterado de acordo com as sugestões do chef.

No período da tarde passeamos pelo hotel, conhecemos os bangalôs Especial da Vila, Vila Esmeralda e Especial Vila Esmeralda, assistimos um filme no cinema e no final do dia tirei várias fotos do maravilhoso pôr do sol.

Hoje foi nosso último jantar da viagem e não poderia ter sido melhor. Os pratos estavam ótimos, o clima agradável, os garçons atenciosos (como sempre) e fizemos uma despedida à altura da viagem.

Dia 22 (sexta)

Neste dia eu e minha esposa madrugamos. Logo cedo fomos dar um pulo na piscina aquecida e depois encontramos o Renato e a Carla para o café da manhã.

Outra vez eles conseguiram servir um menu degustação fantástico e a única tristeza era a de que estávamos indo embora.

Voltamos para o bangalô, arrumamos as malas, curtimos um pouco mais o lugar e fomos para o nosso almoço final. Neste momento já tínhamos certeza de que a Ponta dos Ganchos é uma das maiores pechinchas que existem. Pena que não temos dinheiro para pagar por essa pechincha todo dia.

O grande diferencial é que tudo que eles servem é de extrema qualidade. O atendimento é impecável e tudo é realizado para tornar nossa estada perfeita. Até hoje acho que as chaves do quarto tem um alarme qualquer, porque toda vez que saíamos do quarto as arrumadeiras entravam em ação e deixavam tudo organizado. Sem exagero, acho que o quarto era arrumado umas 6 vezes por dia, pelo menos, e nós nem as víamos.

Tão logo terminamos o almoço, por volta das 14h, pedimos para levarem as malas para o carro e às 14h30 fomos para Floripa.

Depois de passar na locadora para pagar o som e o tapete que haviam sido roubados (despesa de R$230,00 por casal) nos encaminhamos para o aeroporto de volta para Belo Horizonte.

O custo total dessa brincadeira de quase 2 semanas foi de R$10.500,00 por casal, incluindo carro, gasolina, refeições, passeios e todo o resto. Só os hotéis e o avião ficaram em R$6.950,00 por casal.

Acabei de olhar no site da CVC e um pacote para Floripa de 5 dias e 4 noites fica em R$1.100,00 por pessoa. Nossa viagem durou 13 noites e 14 dias, o que significa que seriam necessários em torno de 3 pacotes para completar as 12 noites, ou seja, R$3.300,00 por pessoa, ou R$6.600,00 por casal. Enfim, por meros 350 reais a mais tivemos uma viagem espetacular e nos hospedamos em alguns dos melhores hotéis e pousadas de Santa Catarina. Por mais R$3.500,00 alugamos carro, pagamos os passeios, a gasolina e jantamos nos melhores restaurantes indicados pelos Destemperados.

Isso, para mim, é valorizar o nosso suado dinheirinho.

111 comentários

diogo
diogoPermalinkResponder

o hugo é um dos nossos maiores cases. é um cara que sabe diferenciar o que é bom, e entende que as vezes 1mil é barato, e 1real é caro. é um cara que tem faro pra coisas boas as aprecia como poucos.

obs: o que o dono do hotel da serra do rio do rastro serviu não era racklette?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Pô Diogo , bem que te falei que tinhas que ter ido pra BH com a gente , pra conhecer pessoalmente o "super casal de primos".

Hugo
HugoPermalinkResponder

Diogo, recebi os guias RS 2009. Vocês a cada ano se superam pois o que já era ótimo ficou melhor ainda. Nessa nossa viagem para SC as suas indicações, do Diego e da Lela foram simplesmente essenciais.

Um grande abraço.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Bota valorizar o suado dinheirinho nisso! Como disse Diogo, o Hugo sabe diferenciar o que eh bom. Tremenda viagem.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Parabens primos ,Hugo e Juliana wink
Isso é que são férias perfeitas , dá até pra fazer um selo internacional : " luxury-low cost & slow travel "

Hugo
HugoPermalinkResponder

Sylvia, foi ótimo conhecer vocês. Pena que não pudemos nos encontrar no domingo. Quando vocês forem para Tiradentes vamos combinar para que possamos todos dormir lá.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Bora fazer uma conVnVenção em Tiradentes? Eu simplesmente amei e quero voltar sempre que puder!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Carla, eu topo demais. Adoro Tiradentes e seria incrível nos reunirmos lá. O centrinho é uma delícia e as opções de restaurantes são inúmeras. Quando quiserem me avisem que faço uma cotação de hotéis. O Riq deve vir em BH ainda nesse ano. Os Destemperados também já falaram que estão devendo uma visita aos mineiros. Quem sabe não marcamos uma MegaconVnVenção?

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Por mim...ótimo! mas pode ser ano que vem...não posso mais faltar aulas nos finais de semana...

Camila Navarro

Qualquer conVnVenção em MG tem meu apoio! wink

Hugo
HugoPermalinkResponder

Riq, estou todo bobo com esse post. Obrigado pela referência.

Um grande abraço

Vera Lucia
Vera LuciaPermalinkResponder

Uma grande e inesquecível viagem é quando estamos com amigos, comendo bem, dormindo em bons lençóis e desfrutando de belas paisagens. Afinal, para que serve o dinheiro? Para nos proporcionar prazer. Se o conforto te faz bem, siga em frente.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Copiei/colei para voltar a Floripa em grande estilo. Como é bom desfrutar de coisas boas...

Andressa Fabris

Li todo o relato e fiquei orgulhosa por ser catarinense. Moro em Criciúma (uma região que não tem o apelo turístico destas) e como para a gente parece que "tudo está na mão", poucas vezes desfrutamos destes locais como turistas e fica difícil perceber se o atendimento é qualificado mesmo. Pois pela história do Hugo parece que é, sim. Muitas vezes, a beleza natural acaba sendo ofuscada por pessoas não preparadas para atender ao turista. Parece que aqui nossas belezas são bem valorizadas! Ou o Hugo deu sorte smile
Abs a todos e sejam bem-vindos a Santa Catarina!

Chris
ChrisPermalinkResponder

Que relato de viagem!!!parabéns Hugo!Já copiei para quando for a Floripa utilizar as dicas

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Hugo,
sensacional a viagem! Gostei de tudo...e aos poucos que fui lendo fui achando caro...mas chega no final e vê o balanço: super valeu a pena!
Eu olho esses hotéis e penso...quando quando vou poder!
Por enquanto fico nos mais simples...pra depois valorizar!!!
Parabéns pelo relato! (Quando quiser que seja publicado rapidinho...manda pra Majô hehehe)

Gustavo
GustavoPermalinkResponder

Sou Catarinense e nascido e criado em Florianópolis, e achei realmente fabuloso as citações de teu texto, o que só da orgulho da "Nossa Santa e Bela Catarina".
Uma única correção é que os bolinhos de siri se chamam Torpedinhos de Siri, bolinho aqui é de camarão ou bacalhau. E sugiro em Sambaqui pedir um pastel de Berbigão, um pequeno molusco, como uma ostra pequenina, típico da região.
Abraço e parabéns!!!!

Thereza
TherezaPermalinkResponder

Riq ... tudo bem?estou indo para Paris dia 30 de set, vamos ficar 5 dias e estou numa super pesquisa de hoteis ...estou procurando na faixa de 200euros(casal), com boa localização ... vc pode me ajudar... ou os viajantes do VNV ... o tripadvisor oferece muiiiitos hotéis e como não conheço, estou na dúvida.Agradecida... abraços... Thereza

Ricardo Freire

Tente esses:

Duo (Marais) http://www.duo-paris.com/EN/hotel.php

Caron de Beaumarchais (Marais) http://www.carondebeaumarchais.com/

Hôtel des Deux Îles (île St Louis) http://www.deuxiles-paris-hotel.com/

Le Général (République/Oberkampf) http://www.legeneralhotel.com/

Veja também o que aparece nas suas datas no http://www.tablethotels.com.br e no http://www.i-escape.com .

Majô
MajôPermalinkResponder

Thereza, recomendo o hotel Sainte-Beuve, onde estive hospedada por vários dias. É um hotel pequeno, 2 quartos por andar, muito bem localizado em Saint-Germain, perto de 2 estações de metrô, Vavin e Notre Dame des Champs. Dê uma olhada no site http://www.hotel-sainte-beuve.fr/portuguese_hotel_sainte_beuve_paris/hotel_sainte_beuve_paris_6.html Os quartos têm decoração agradável e banheiro impecável. As tarifas para 3 dias estão a 139 euros. Na ocasião, negociei o preço com eles por e-mail e consegui uma boa redução.

Paulo
PauloPermalinkResponder

O roteiro ficou muito bom, com restaurantes e lugares para quem conheçe ou mora na região. Como sugestão complementar faria apenas algumas alterações em relação a estação ( se for inverno ). Pegar o Rosa e Garopaba no inverno é muito triste, apesar do visual ( melhor primavera ). No inverno eu optaria pelo Vale do Itajaí, ainda mais se for o caso de um turista em sua 1a. viagem ao estado. No Vale tem muita coisa boa, sem falar nas cervejarias Zen, Eisenbanh, Schornstein e Das Bier que fazem um programão neste inverno. Em Floripa, troque o Zeca DCampora pelo Isadora Duncan que na minha opinião é o melhor restaurante/bistro da ilha. No caso do Café do Riso, opto pelo Fatto a Mano, muito melhor, mais charmoso e pela metade do preço. abraços a todos

Rodrigo Octávio

Eu agradeço especialmente pelo post, já que estou prestes a ir pra Praia do Rosa e Garopaba, e foi repleto de valiosas informações de lá.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Carla Z, um dia chegamos lá. Por hora uma vez ou outra a gente se permite.

Senti uma calma nesse roteiro, Hugo, que 10! Muito obrigada por compartilhar com o comandante e a ele por publicar aqui. Espero usar umas dicas em breve pois ainda não conheço esse belo estado! Mineiro sabe o que é bom! (meus avós maternos eram do Sul de Minas)

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu quase, digo e repito, QUASE senti saudade de Santa Catarina... lol
Muito bacana o relato, de verdade! Até conseguiu que eu achasse que talvez esteja na hora de eu voltar lá. A trabalho, porque a passeio ainda deve levar uns 15 anos.
:roll:

Majô
MajôPermalinkResponder

Hugo, a viagem de vocês foi de sonho mesmo ! E faço minhas as palavras do Diogo, tudo tem seu preço.
Também acho que deve ser raclette o que vocês comeram wink

Renato e Carla

Realmente os roteiros do Hugo são incríveis e surpreendentes, cada um dos passeios, pousadas, restaurantes tem um charme todo especial. Mas,além disso não podemos deixar de falar dos parceiros de viagem que o Hugo e a Juliana são. Já estamos aguardando e planejando a próxima aventura, que temos certeza será incrível!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Mas grande parte do sucesso da viagem, sem dúvida, é a companhia. E com parceiros como você, sempre animados, dispostos e alegres, fica difícil alguma coisa não dar certo.

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Hugo, parabéns! Viagem incrível e rleato idem!
Abç,

Joao Barcelos
Joao BarcelosPermalinkResponder

Pessoal, sainda um pouco do tópico... Estou numa dúvida cruel. Acabei de ver uma passagem a um preço SENSACIONAL no site da Tam para a minha tão programada viagem de abril do ano que vem... Rio-Paris-Rio a míseros 1600 reais COM TAXAS!
Estou muito inclinado a comprar e garantir o preço camarada. Como minha esposa e eu já pedimos as férias, dificilmente as datas vão babar...
Há, porém, prós e contras:
PROS
- Preço, preço, preço
- Na data exata que eu quero, daqui a longínquos 8 meses
- price, prix, prezzo, precio
CONTRA
- Rio-Paris-Rio - entao eu teria que fazer todos os trechos internos por minha conta. Estava pensando em ir por paris e voltar por roma, mas acho que o preço vai compensar.
- Só vou viajar daqui a 7 meses... será que rola algo melhor até lá?

O que acham?

Joao Barcelos
Joao BarcelosPermalinkResponder

Só mais um comentário a favor...
Li ontem uma reportagem do infomoney dizendo os preços de passagens aéreas estão insustentáveis e que com a crise indo embora, as promoções tendem a diminuir.
Estou com um pouco de medo de não conseguir pegar esse preço de 695 dolares daqui a alguns meses.

Ricardo Freire

João, a crise tem que acabar do outro lado do Atlântico também. O que acontecerá então é que as passagens-pechincha vão rarear. Mas não acredito que volte a ser como antes, quando ninguém conseguia ir à Europa por menos de 1.200 dólares.

Já que você está com a mão na massa, tente orçar a viagem inteira. Só essa ida e volta a Roma por low-cost pode sair por 140 euros -- 200 dólares.

Nem sempre a tarifa mais descontada é a mais barata no final das contas.

Joao Barcelos
Joao BarcelosPermalinkResponder

pois é... acabei de ver no skyscanner que um voo Easyjet Roma(CIA)-Paris(ORY) está 50 dolares... smile
Na vou cometer o mesmo erro de usar o aeroporto de Beauvais... mas Orly é até mais perto do que o CDG.

Na verdade outro empecilho que não comentei é que minha esposa está querendo ir de American para dar uma passadinha em NY na volta... mas eu acho que se acaba perdendo dois dias só voando Rio-NY, depois NY-Paris. Além disso, a American não está com esses preços de 695 dolares... sad

Ricardo Freire

Orly é central, sim.

Maria das Graças

João Barcelos, até 2001, sempre que eu ia a Europa voltava por NY. Ia de Air France, British ou Alitália e de NY voltava pela cia que tivesse parceria com essas. Sempre deu certo e o acréscimo no preço era de +- US$100,00. Só não sei se voce conseguirá fazer isso com a TAM.

Ricardo Freire

Essa passagem continua existindo, talvez não com essa diferença pequena, porque hoje as passagens mais baratas têm menos "gordura" a gastar. Mas continua uma tarifa com bom custo x benefício. Todas as cias. européias tem ao menos uma "sócia" americana na mesma aliança (a Tap, a Lufthansa e a Swiss têm a United e a TAM; a Iberia e a British têm a American; a Air France, a Alitalia e a KLM têm a Delta).

Majô
MajôPermalinkResponder

Hugo, agora li com mais calma e vi o bangalô que vocês ficaram no Ponta dos Ganchos, SENSACIONAL e a vista um deslumbre. Como você disse o da Vila faz uma diferença enorme, é um senhor upgrade, valeu cada centavo.
O meu bangalô preferido na Pousada do Toque é o Toque Toque que tem piscina e hidro particular. O por do sol ali é qualquer coisa. A questão é que você fica mal acostumada hehe Mas, valeu cada centavo também.
Seu orçamento final provou que você fez uma viagem de alto nível ao preço de pacote CVC. Valeu muito sua pesquisa !

Ricardo Freire

Tem outra conta boa de fazer nesse caso. Uma semana com aéreo e all-inclusive no Breezes sai uns 3.000 reais. Duplicando isso por mais uma semana e tirando 1.000 reais de passagem (que não seria preciso duplicar, claro) dá exatamente o que saíram essas duas semanas -- esmerilhando nos capítulos conforto e alimentação...

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Já está anotado o roteiro! Está d+! É claro que terei que fazer algumas adaptações($)... mrgreen

Parabéns, Hugo!
Olha, se rolar conVnVenção em Tiradentes..vou me convidar wink

Carmen
CarmenPermalinkResponder

As dicas de Hugo sobre Sta. Caterina são pra levar em conta, certamente toudo um luxo inteligente!
Adorei o Resort Rio do Rastro e as dicas dos Destemperados.
Vou a anotar para o futuro....

Eduardo Luz
Eduardo LuzPermalinkResponder

Hugo, se eu fosse secretário de Turismo de Santa Catarina, mandaria distribuir este teu relato mundo afora. ( E pagava pelos direitos, óbvio!.)
Tudo muito bem explicado e misturando o que eu considero ideal : excelente turismo com gastronomia de primeira.

E já que estou falando nela, vamos pra Tiradentes.

Abs.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Eduardo, já marcou a data para ir em Tiradentes? Pelo visto a ConVnVção Tiradente tem tudo para sair do papel.

Thereza
TherezaPermalinkResponder

Riq e Majô... muitíssimo obrigada pelas dicas ... vou pesquisar... abraços, Thereza

Carol
CarolPermalinkResponder

O Ponta dos Ganhos, para mim, é um sonho de consumo. Há muito tempo que sonho em ir para este lugar, mas o preço é sempre um impeditivo. Depois de ler este post do Hugo, onde ele no final das contas acha tudo uma pechincha, crio mais coragem para abrir a mão...rs
Uma coisa que me chamou muita atençao foi o lance do desconto pelo circuito elegante. Como que é isto? Você tem que se afiliar? Alguém sabe quanto custa? Se realmente vale a pena?
Riq, por acaso você já publicou aqui algum post sobre o assunto?
Bjinhos e obrigada,
Carol

Hugo
HugoPermalinkResponder

Carol, você não paga nada para o Circuito Elegante, basta entrar em contato e fazer a reserva por eles. Na época eu ganhei 5% de desconto sobre o valor da diária do Ponta dos Ganchos, e por ter feito a reserva pelo Circuito Elegante ainda tive direito ao up grade e a uma garrafa de espumante no check in.

A diária normal do Bangalô Super Luxo era de R$1440,00 e eu paguei R$1368,00. Já o Bangalô Da Vila em que eu fiquei tinha diária de R$1700,00, mas como tinha direito ao up grade não gastei nada mais para ficar nele.

Carol
CarolPermalinkResponder

Muito obrigada Hugo pela dica e pelo ótimo relato!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Aliás lembrei de uma coisa...ontem recebi um folheto do Unibanco, falando de 20% de desconto nos hotéis do Roteiro do Charme.
Alguém já usou?
Acho que vale a pena...quando chegar em casa pesquiso melhor...

Majô
MajôPermalinkResponder

Não usei esse desconto, mas já fiquei na Pousada do Toque e na Pousada do Riacho na estrada Friburgo Teresópolis, ambas excelentes e são do Roteiro do Charme. Um dos diretores do Roteiro do Charme é o Fernando, dono da Riacho com a Gisele, mulher dele que cozinha divinamente bem. Lá é com pensão completa.

Leonardo Luz
Leonardo LuzPermalinkResponder

Hugo, parabéns pelo texto e viagem.
Fui várias vezes para o Sul quando criança. Meus pais adoram.
Hoje preciso pesquisar mais sobre a região e desvendar outros esconderijos...lindo demais!

CarlaZ, além da Pousada do Toque que a Majô citou, conheço o Manary Praia Hotel, em Natal e a Toca da Coruja, na Praia da Pipa. São lindíssimas e estão ligadas à associação Roteiros de Charme. Vale muito! Na sua quinta estada em um dos hotéis da associação, você ganha um up-grade de categoria. Bem legal.

smile

Fique por dentro Estilo » Blog Archive » Santa Catarina com estilo: siga o Hugo « Viaje na Viagem

[...] e fiquei orgulhosa por ser catarinense. Moro em Criciúma (uma região … fique por dentro clique aqui. Fonte: [...]

Éverton
ÉvertonPermalinkResponder

Pessoal, para um casal que quer descansar, curtir uma praia sem muito tumulto (se for possível), com o melhor banho de mar, qual das duas pousadas devo escolher: a da Vigia ou a Pé na Areia? Iremos em fevereiro antes do carnaval.

Ricardo Freire

Eu acho o banho da praia da Lagoinha melhor.

Éverton
ÉvertonPermalinkResponder

Obrigado Ricardo. Não comentei antes, vou estar sem carro. Qual das duas opções é mais interessante? Gostaria de aproveitar a praia, a pousada e alguns restaurantes próximos... Não faria grandes trajetos/passeios... Algo no estilo da Ilha do Papagaio...

Ricardo Freire

Floripa a pé é bem complicado -- táxi é difícil. Nesse caso, é melhor ficar em Jurerê.

Considere http://www.pousadadossonhos.com.br/ , http://www.villasdelmar.com.br/ , o econômico http://www.hotelchandra.com.br/ ou os hotelões Jurerê Beach Village e Il Campanario.

Gustavo - Viajar e Pensar

Este post é um dos meus favoritos, quando alguém pede uma sugestão de algo para fazer aqui em Santa Catarina, sempre mando consultá-lo.
Sou Catarinense e Manezinho da Ilha e me orgulho muito por estes relatos do Hugo.
Mais uma vez parabéns pelo roteiro.
Abraço!!!

José Neto
José NetoPermalinkResponder

Caro Hugo,

Parabéns pelo relato.
As diárias gratuitas que vc conseguiuno Rio Rastro foram de que maneira?

Ricardo Freire

Programa de fidelidade do Roteiros de Charme http://www.roteirosdecharme.com.br .

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Um supoer restaurante em Florianopolis é o Joao de Barro ( http://www.joaodebarro.com.br/Home.php ) com otima comida e uma vista incrivel da cidade.

E quanto a pergunta acima sobre "floripa a pé" - a pé realmente nao dá, mas o sistema de onibus é relativamente bom, mas vale a pena se informar antes quais as linhas que passam pela praia desejada. Mas tem os terminais de onibus para fazer a "conexao" sem pagar passagem extra. Alternativa ainda é pegar carona - carona é uma tradicao da ilha - mas eu nao sei se hoje em dia isso eh realmente seguro ou eficaz..

Beijos

Renata
RenataPermalinkResponder

Como costuma ficar o tempo por aí em outubro? Dá pra ter uma idéia?

Gustavo -  Viajar e Pensar

Sou de Florianópolis, realmente Outubro/Setembro são nossos meses mais chuvoso. Podendo fazer dias lindos, mas uma semana inteira de chuva, com maior chance.
Épocas das enchentes no Vale do Itajaí.
Desculpe, mas é a época do ano que não indico vir para Santa Catarina é a Primavera.

Ricardo Freire

Eu também já dei bastante azar em outubro/novembro. Muitas frentes frias na seqüência (e a gente com a expectativa já de praia, né?). A primavera no Sudeste também não é boa não.

Já o outono... é a melhor época tanto em SC quanto no Sudeste.

Renata
RenataPermalinkResponder

Claro q a expectativa é de praia!! Ainda mais eu, mineiríssima, piolho de praia!!

Tinha milhas prestes a expirar, escolhi o destino no impulso e nem lembrei de olhar como estaria o tempo. O jeito agora é ir e cruzar os dedos.

Obrigada pelas respostas, abraços!

claudia
claudiaPermalinkResponder

Hugo me identifiquei 100% com vc ! Ate na caipirinha de Lima da persia. Adoro !!!! Aqui em SP vc pode toma-las nos restaurantes Pobre Juan e na Praça São Lourenço ( acho que vc ja deve conhece-los !! ) Meu sonho de consumo tb é o Ponta dos Ganchos ( só preciso cruar coragem de deixar minha pequena de 5 a !! ) Bjs e obrigada pelas dicas. estou indo a Floripa, apos > 20a e vou aproveitar suas dicas.

Renata
RenataPermalinkResponder

Cláudia devemos pegar chuva! O que fazer em floripa com chuva?
Sugestões são bem vindas.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Renata,
estive 3 dias em Floripa em Março por conta de 1 noite de trabalho, aqui no blog eu aprendi várias dicas - manhã chuvosa vá a Confeitaria Chuvisco, visite o Forte, jante no João de Barro, que seu dia passa rapidinho.

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Dia de chuva em Floripa os "nativos" trabalham com duas opções: ficar em casa e ir ao shopping - que ficam insuportavelmente cheios!!!
Além das dicas que já deram, é uma oportunidade de conhecer mais do centro e da parte continental. Se a chuva não estiver muito forte, dá pra dar uma volta pelo centro e admirar a arquitetura histórica ao redor da praça XV de Novembro e dos calçadões da Rua Felipe Schimidt e Conselheiro Mafra, além do Mercado Público - existem bares bem gostosos ali. Um roteiro que eu sempre gostei de fazer a pé pelo centro é sair do shopping Beiramar e ir em direção ao centro pela Rua Bocaiúva (paralela a Beira Mar Norte) até a altura da Rua Esteves Júnior. Na Esteves Júnior, em frente ao tradicional Colégio Catarinense, existe uma filial do Café das Artes que serve sanduíches e tortas muito gostosas e com um preço não tão inflacionado com o da Chuvisco. A noite, pode-se dar um passeio por Coqueiros, na parte continental, que possui uma variedade grande de restaurantes e bares para todos os gostos. Outra opção sempre boa pra Floripa em dias de chuva é curtir um dos restaurantes japoneses da cidade, que são muito bons. Se existir disposição, pode-se ir pra vizinha São José. O bairro Kobrasol, mais precisamente a Rua Koesa, tem crescido nos últimos dois anos como um lugar pra ir com os amigos comer alguma coisa e bater um papo. Sempre que eu estou em Floripa estou por ali, no Café Paris, provando alguma delícia. Vale a pena tbm dar uma conferida na agenda cultural. Um site bom para pesquisas é o www.guiafloripa.com.br. Verifique também se não vai ter alguma apresentação do Teatro de Quinta, que eu adoro!! http://teatro-de-quinta.blogspot.com. Florianópolis "off-beach" é meio incipiente, e com chuva é mais difícil de se locomover - o trânsito consegue ficar pior - mas se for só aquela "chuvinha pra molhar bobo" dá pra encontrar surpresas muito agradáveis no centro e continente.

Simone Lobo
Simone LoboPermalinkResponder

Renata,
Minha dica são os restaurantes de Santo Antonio de Lisboa ou Ribeirão da Ilha. Em Ribeirão da Ilha, tem o famoso Ostradamus, com um lindo pier (agora coberto).
Ainda no roteiro gastronômico, a pizzaria Lorenzo´s tem uma pizza ótima e, se você estiver com criança, eles têm um espaço para fazer as próprias pizzas, um barato, e a vista é espetacular!
Beijos

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Eu sou apaixonada por Santo Antônio de Lisboa... vale uma viagem só pra ficar por lá... outra à Lagoa... arf... a ilha inteira é linda!

Marisa
MarisaPermalinkResponder

Em junho dá praia? Alguma dica de hospedagem romântica, pra um fim de semana?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Marisa! O outono normalmente tem tempo firme nas praias do sul e sudeste.
Veja as dicas de hospedagem do Hugo, ele estava comemorando aniversário de casamento wink Há também outras sugestões, dadas pelos leitores, nessa mesma caixa de comentários.

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Marisa, em SC não dá praia em junho. Inclusive os passeios pela orla são comprometidos pelo vento. Palavra de barriga verde! Mas não deixe de vir e aproveitar as outras dicas de restaurantes e pequenos passeios para se fazer.

Erica
EricaPermalinkResponder

Oktoberfest: alguém indica hotel próximo ao evento?

ana
anaPermalinkResponder

oi erica,

em blumenau os melhores hotéis estão na região central, que é relativamente perto do evento (uns 15 ou 20 minutos a pé).
perto da vila germânica, se vc for no final do semana, é super muvucado. eu ficaria no ibis, no centro, ou no hotel glória, para desfrutar do café da manhã do tipo colonial (se vc conseguir acordar em tempo smile!
a propósito, moro em blumenau e prefiro ir na oktober nas quintas-feiras.

Anna Carolina Fernandes

Sou moradora de Floripa e já frequentei muitos dos lugares aqui deste post. Minha dica é conhecerem a nossa Costa Esmeralda, que abrange os municípios de Porto Belo, Bombinhas e Mariscal. Para as dicas de onde ficar e o que visitar neste pedacinho do paraíso, segue o link http://www.viagemcomgosto.blogspot.com/2011/11/costa-esmeralda-brasileira.html.

SANTA CATARINA PARA DOIS « bigtrip

[...] numa sexta a noite e já havia uma placa no aeroporto com o nosso nome do pessoal da Vera Car (dica do Hugo, nesse post do VnV). Em Floripa e litoral continental de SC é fundamental ter um carro para conhecer as praias. Na [...]

Cristina L.
Cristina L.PermalinkResponder

olá, colegas de viagem!

estamos indo a SC para o Carnaval, ficando 1 semana por lá. Já morei em São Bento do Sul e conheço bem o estado, porém queria dicas de restaurantes (talvez não tão luxuosos quanto o texto acima), porque já faz um tempo que fui para última vez...
Vamos ficar uns 4 dias em Blumenau e 2,5 dias em Bombinhas. Alguém tem dicas?

Sara
SaraPermalinkResponder

Em Mariscal gosto do Bar do Lino, fica no fim da praia. Era um antigo bar de pescadores é bem simples e a comida é ótima.

Marcio Antonio

Em Blumenau, depende do que você gosta de comer. Tem pizzarias boas, como Baggio e Don Peppone. Tem o The Basement, que é um pub estilo inglês com gastronomia, recomendo bastante! Japonês, tem o Sushi Garden.

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Restaurante em bombinhas na praia de zimbros --->>> restaurante berro d'agua. De frente pro mar. Linda vista.
Para petiscar, tatuíra petiscaria em canto grande com um lindo por do sol, pasmem, se pondo no mar.

Essas são minhas dicas

bruna
brunaPermalinkResponder

ia indicar esse restaurante tbm! show de bola!

Cristina L.
Cristina L.PermalinkResponder

anotados!

Antonio
AntonioPermalinkResponder

Em Bombinhas além de ver os restaurantes na beira da praia, experimente ir no Berro Dágua que fica na praia de Zimbros.Tente ir também na praia da Tainha que fica após a praia do canto (Bombinhas,Quatro Ilhas,Mariscal e praia do Canto todas em sequencia e em linha reta).No final da praia passe por um pórtico com duas tainhas, suba o morro, passe pelo mirante, passe por uma pedra que fica no meio da estrada e pare para comer pastel de camarão e tomar uma cerveja na casa de uma senhora que tem um pátio onde você avista a praia lá embaixo. E depois disso desça para conhecer a praia. É um passeio que poucos conhecem mas a praia é linda.

Cristina L.
Cristina L.PermalinkResponder

Obrigada!!!! a praia da Tainha é uma das minhas preferidas e, como o Casal Cuore agora tem um bebê, será a preferida da Sarinha também nesta viagem!

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Bóia, coloca Cristina L no perguntódromo. Se não vão me perguntar quando eu chego em Blumenau no próximo encontro de trips kkkk

Gianna Soares
Gianna SoaresPermalinkResponder

Eu considero imperdível o Vieira's, fica entre Camburiu e Itapema (não é o de Camburiu não), veja como chegar aqui:
http://www.hagah.com.br/sc/itapema/local/170209,2,restaurante-vieira-s.html
Tudo lá é delicioso, o camarão à milanesa, a anchova grelhada, tem uma entradinha bem saborosa!

aproveite! Gianna

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar