TAP & TAM: boatos no ar

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

[caption id="attachment_5949" align="alignleft" width="197" caption="Sopa de letras (arte: FugasPúblico)"]Sopa de letrinhas[/caption]

Fui há pouco surpreendido por um tuíte do suplemento Fugas do jornal português Público, que repercutia uma resposta do presidente da TAP, o brasileiro Fernando Pinto, sobre os rumores de uma possível fusão entre TAP, TAM e a angolana TAAG. Cuma?

Corri ao Google, e a notícia já tem 24 horas; aqui no Brasil, saiu ontem no Uol e no portal Exame.

Fernando Pinto disse achar "uma boa idéia", mas que na situação de mercado atual não tem como se concretizar.

Interessante que, há pouco tempo, Fernando Pinto foi anunciado pela imprensa como o nome mais desejado para assumir a presidência da TAM (que demitiu seu presidente há duas semanas).

Eu torceria para que os dois boatos fossem verdade smile

9 comentários

Mariana "de Toledo" _ @merel

Difícil vai ser falar TAAGMP!

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Coitada da TAP...

Guilherme Lopes

Depois da reforma ortográfica, vem aí a reforma das cias. aéreas?

; )

Ricardo Freire

Acordo aéreo? Falei com meus chapas na TAP hoje, me disseram que é ficção...

Guilherme Lopes

Tem mais um boato por aí: A fusão da Gol com a Azul.

Gol + Azul = Tostão Linhas Aéreas?

Péssimo!

; )

jpsoares
jpsoaresPermalinkResponder

Aqui em Portugal fala-se bastante disso, Ricardo.
Quanto ao seu desejo de ver o Fernando Pinto a dirigir a TAM ou ambas as companhias, pense melhor.
Ele foi realmente importante a levantar a TAP nos primeiros tempos mas a sucessão de "tiros no pé" que ele tem feito nos últimos anos não é nada que se elogie. Há um tempo para tudo e acho que o dele, honestamente, acabou (pelo menos por estes lados)...

rogerio granato

Oi Ricardo

Li hoje na cloluna do Ancelmo ( O Globo) o seguinte

"A TAM aumentou em mais de 200% o número de milhas exigidas para troca por passagens.

Uma perna para a Europa em classe executiva, por exemplo, saía por 50 mil milhas para os bacanas. Agora, sai, acredite, por 180 mil. Parece quebra de contrato com a clientela de seu programa de fidelidade. E é."

Tá sabendo de alguma coisa ?

Ricardo Freire

Desde tempos imemoriais as cias. aéreas mudam regras de programas de milhagem.

Durante a década de 90 bastavam 25.000 mil milhas para conseguir upgrade para executiva ida e volta, comprando qualquer passagem econômica.

Hoje são necessárias 60.000 milhas para o upgrade ida e volta, e isso quando você compra uma passagem econômica não-promocional. A American mudou, as outras foram atrás.

O Rodrigo Purisch do Aquela Passagem pensa como o Ancelmo, que as milhas estão reguladas por contrato, mas na vida real essa visão nunca vigorou e duvido que passe a vigorar.

Por isso eu sempre digo: milha boa é milha que você usa. Não vale a pena acumular.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar