Blame it on Rio

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Arpoador

If you ever ask me why I travel, I’m probably going to answer “In order to see if I can find any place more enchanting than Rio”.

So far I haven’t. Other towns may be superior in one way or another, but get low grades in so many items – such as Bahianas’ wing, enthusiasm and headpieces [items judged in carnival parades] – that  on average Rio wins by far.

If you insist on international standards of judgement, OK, here we go: Rio gets Oscars for scenery, art direction, casting, (lack of) costumes, screenplay and original soundtrack. Where else on this planet can you find perfect beaches, a great cultural scene, world-class gastronomy, ample shopping opportunities and an exotic people, everything packed in a single place, yours to enjoy anytime of the year?

Prainha
Prainha, still pristine in the outskirsts of town

To begin with – and I love to say this, because I manage to infuriate at once both Paulistas and Cariocas – Rio is the best thing about São Paulo.

The very Ponte Aérea [the Air Shuttle between São Paulo and Rio, the first  of its kind in the world, dating from the 60's] is a fabulous idea – an invention made in Brazil, mind you, product of the alliance between Capital and the desire to flee Labor. The entire flight is gorgeous. Provided the weather is good, you’ll get 30 uninterrupted minutes of coastline being drawn right under your nose: Ilhabela island, Ilha Grande bay, Marambaia cape. Landing is even prettier. The plane dives dangerously toward an airfield that lies beside a Lilliputian Manhattan-like skyline – but as soon as you find yourself out of the plane, the vision of Sugar Loaf mountain at the left corner of the frame eliminates any doubt and welcomes you to Rio de Janeiro.

Lisboa reinterpretada por Burle Marx
Sidewalk waves: From Lisbon to Copacabana

After being intensely fought over by three different women who tease you with the same provoking words (“Taxi, Sir? Taxi?), you get on an old Chevrolet cab and glide along the 1950's lawns of Aterro – the old money of Flamengo beachfront buildings contemplating you from the right hand side, the Sugar Loaf getting closer and closer on your left hand side, and the complete works reminding you that this country has already had cooler aesthetic aspirations.

A little bit later you’ll cross the tunnel and get to Copacabana – the country’s lost ID, the broken mirror of our soul (I give up. No definition I may come up with will be sharper than “Purgatory of beauty and chaos” © Fausto Fawcett).

If Brazil decided to undertake an orthomolecular treatment and had to cut a single hair for sample, this hair (originally curled, then chemically turned straight) would be Copacabana.

We are all there: broke millionaires and emerging favela-dwellers, big land owners and homeless children, retired elders and office boys, upper middle class, lower middle class, fatter middle class, thinner middle class, people of every SPF and from a plethora of genders sharing an one-bedroom neighbourhood complete with six life-saving posts.  Copacabana doesn’t live: Copacabana exposes herself. Being able to walk barefoot in Speedos by Nossa Senhora de Copacabana avenue at rush hour reveals more about our civilization than five years studying Social Sciences at the local U.

Cristo tá vendo
A tale of two postcards: the view from the foot of Christ the Redeemer statue

I love it but – no, thank you. I’d rather watch Copacabana from a safe distance – at Ipanema or Leblon. It’s prettier; you can go to Plataforma steakhouse invoking the late Jobim (when the truth is you’re going because of the after-beach air-con); and you can always answer “Pela Lagoa" ("By the way of the Lagoon”), no matter what the taxi driver asks.

Lagoa em quadro, nos fundos da Rocinha
The Lagoon, perfectly framed at Rocinha favela

Farther than that you may only go (and come back as soon as possible) to the Reserva or Prainha beaches; to Quinta, Bira’s or Tia Palmira’s restaurants; or exceptionally to a concert at Citibank Hall.

Copa
At Copacabana

In other words: skip Barra da Tijuca. So far Barra doesn’t regard out-of-towners as you and me. Living at Barra seems to be some sort of space program made available to the local taxpaying folks. Barra da Tijuca is Copacabana’s Moon.

(By the way: don’t be fooled by the assumption that in order to go the beach you must go to Barra. It’s true that Barra beaches are cleaner and less crowded than Ipanema or Copa. But if you want beaches that are cleaner and less crowded than Rio’s, then don’t come to Rio. The most interesting natural aspect of Rio beaches is the fauna. It’s not worth going though weekend traffic just for a quick taste of the mineral kingdom.)

What makes Rio an outstanding place to spend your vacation is the fact that here the tourist is never an intruder. The tourist is just taking part at local people’s vacations.

This is no criticism. In fact, everything done outdoors in Rio looks, smells, tastes and feels like vacation. Cariocas probably don’t realize, but jogging at the seabord by 6 AM is like going on vacation for half an hour everyday. Having a beer at a sidewalk bar after work (even if you did Japanese-long hours) is a piece of vacation. On a sunny Sunday, your city may stop dead – but Rio goes on vacation. It’s such a pleasure to spend your vacation in a place so well equipped for its own dwellers’ vacations.

But then again you’ll never understand any of this, if you live day and night under acquired paranoia syndrome.

Manoelcarloslândia
At Leblon

I know, it’s stronger than you. You’ve read about it in the press. You saw in the movies. Friends have warned you time and again. But tell me something: if Rio were that dangerous, how come there are so many people in the streets all the time? How do you explain the groups of old ladies who go to the theater? Why do so many people still insist on going to the beach? The really dangerous cities are those that will keep you at home, three remotes in hand, for not offering anything fun to be done outside.

The truth is: no crime is bigger than forgetting that the the most interesting city is a 10 or 12-hour tops flight from any major city in the West.

But going to Rio doesn’t have anything to to with justice. It’s all about pleasure.

Feliz ano novo
Dress in white and live the most unique New Year's Eve in the world

Go, go, go.

And please don’t shy away of doing all the touristy stuff. Go up the Sugar Loaf and the Corcovado; watch a Flamengo match; go on parade on a samba school – and realize that sometimes clichés can be justified. Follow the latest trend – it may fade in about 15 minutes, but it’s going to be fun. Revisit the classics. Have tea at Confeitaria Colombo, attend a show at Teatro Rival, stalk TV actors at Dias Ferreira restaurant row, have a pork sandwich at Cervantes, start a movement to include Bracarense’s black bean broth at the Unesco cultural treasures list.

And, whenever in doubt, answer “Pela Lagoa” (PAY-luh Lah-GO-uh) no matter what the taxi driver asks.

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


69 comentários

Marcie
MarciePermalinkResponder

Muito, muuuuito bom!

Silvia Pilagallo

Adorei. Obrigada por esta oportunidade de leitura.
I enjoyed it a lot!

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Ricardo Freire, mesmo em português pouca gente entende realmente do que você está falando.Grande abraço. Scaff

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Uebaaa !! A BÓIA internacional está aqui com o primeiro post :cool:
Aposto que se propuseres um mutirão dos trips , em uma semana dezenas de posts traduzidos podem estar na rede wink
Que vengan los gringos !!!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Em quantas línguas? wink

Natalie
NataliePermalinkResponder

Se precisar de ajuda, pode contar comigo razz

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

PAY-luh Lah-GO-uh
lol
lol

Lena
LenaPermalinkResponder

Também adorei isso!! lol

João Barcelos

Eu ia comentar sobre isso.... smile Já tinha até rolado o tradicional CRTL+C...

JB
JBPermalinkResponder

Riq,

O texto é ótimo, merece até moldura!!!

Mandei uns pitacos para seu e-mail. Espero que ajude.

Se o projeto da Sylvia acima vingar, posso humildemente ajudar? smile

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Riq, pro meu inglês está just perfect! Parabéns!

Vera Lucia
Vera LuciaPermalinkResponder

Sem palavras. Cariocamente agradecida. Beijos.

Ivana
IvanaPermalinkResponder

OI Ricardo,

Eu, meu marido e nosso filho de 1 ano e meio estamos pensando em passar o Carnaval em Alagoas. Nós já conhecemos maceió, e preferimos ficar em algum hotel pe na areia. Via as opções de maragogi e Barra de São Miguel. Qual das duas vc recomenda. Dá pra ficar em uma e conhecer a outra, estando de carro? Vc conhece os hotéis Praia Dourada em maragogi e Village Barra em B. São Miguel?
Agradeço a ajuda.

Abs.

Ivana

Ricardo Freire

O Praia Dourada é um hotel bastante básico (minimini-resort) numa praia deslumbrante, Burgalhau, de água azul-bebê.

O Village Barra fica numa praia mais urbana. Deve ficar bastante cheia no Carnaval com veranistas da região. A praia em frente é ótima também, protegida por uma barreira de corais. O hotel tem duas alas. A antiga é bem fraquinha, a nova é ótima. Vocês estarão a 30 km de Maceió.

Não há o que "conhecer" na Rota Ecológica. A região é para escolher uma pousada e ficar. Quem vai sem pousada só tem acesso à praia em pontos de farofa local. O Carnaval é a única época em que a região fica conturbada.

marcos venicio

se vc ja conhece Alagoas então que tal passar esse carnaval em Aracaju.

Tenho certeza que vc não vai se arrepender !!!

www.vinicius-turismo.blogspot.com

Sejam bem vindos.

Precisando de apoio (guia de turismo) fale comigo.

clara lopez
clara lopezPermalinkResponder

Texto lindíssimo, parabéns! Moro no Rio e foi ótimo rever esse encanto com a cidade, foi como revisitar sua melhor imagem, que esqueço às vezes. Merci.
abraço,
clara

Carla
CarlaPermalinkResponder

A auto-tradução é uma arte dificílima, na minha opinião - e você mandou bem, Riq, gostei! wink Eu teria alguns pitacos também, mas imagino que não sejam diferentes dos que o JB te enviou por email...

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Achei que fosse ter seus pitacos Carla...
Aliás estou precisando de umas aulinhas...estou pior que imaginava em inglês...

Carla
CarlaPermalinkResponder

Carlinha, você tem que tomar cuidado é com essas idas ao Texas, menina - isso faz um estrago no inglês de qualquer um... lol

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Hehehe fui pedir ajuda a mae de uma amiga que é professora de inglês e ela falou a mesma coisa!
Mas sabe que eu conheci pouquíssimos texanos aqui...impressionante...

Carla
CarlaPermalinkResponder

É piada recorrente... lol Uma vez comentei com um ex-professor meu (americano, da Pennsylvania) que não conseguia entender o que os texanos diziam e ele me respondeu com a cara mais lavada: "Nem eu!!!" lol

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

"The really dangerous cities are those that will keep you at home, three remotes in hand, for not offering anything fun to be done outside."

Lindo isso. smile

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Boa Lucia!

clarice.
clarice.PermalinkResponder

texto muito, muito lindo !

João Barcelos

Ah, e já que pediu pitacos: Tem uma parte do texto que vc usa a palavra "labOr" (escrita britânica) e em outra vc usa "neighbOUrhood" (escrita americana)...
abs!!!

JB
JBPermalinkResponder

É o contrário, João...

João Barcelos

Corretíssimo! smile

Zé
PermalinkResponder

Bacana, Riq! Ficou muito bom! Congrats mrgreen

Malu
MaluPermalinkResponder

Super legal, Riq. Vc conseguiu passar a mesma emoção do texto original. Muito bom.

Bianca
BiancaPermalinkResponder

Que belo texto, Riq!! Dá um banho nos promocionais que divulgam a cidade pro turismo! Pulsa um coração nas entrelinhas! razz
O Rio e os cariocas aqui agradecem!!

Murilo
MuriloPermalinkResponder

Aproveitando o papo carioca, enquanto organizo os últimos detalhes da minha lua-de-mel, descobri que o meu vôo de ida teve uma alteração de horário: antes embarcava às 17:15, agora será às 14:50. Porém o horário de chegada em POA só foi antecipado em 1 hora; resultado, advinhem?? smile

Mais horas de espera no aeroporto do Rio de Janeiro: o que era apenas 1 hora passou para 3 horas no saguão do GIG wink

E agora vem a pergunta: o que fazer ao longo dessas 03 horas no aeroporto carioca??

Claro que é preciso considerar que será um dia após meu casamento: dormir tarde e, agora, acordar, antes de 12:00.

Abraços!!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Uau, o casório já é no próximo sábado ou estou confundindo?!? Parabéns antecipado, Murilo!!! grin

O Galeão não oferece muitas opções, não... São poucas lojas, poucos restaurantes e, como o seu vôo é doméstico, não dá nem pra contar com o free shop pra passar o tempo... Por outro lado, são apenas 3 horas, que podem até virar menos tempo se o seu primeiro vôo chegar atrasado, então acho que nem vale a pena cacifar um day-use no hotel. Sei não, Murilo, acho que o melhor é encarar um café com pão de queijo e um passeio pelo aeroporto...

Murilo
MuriloPermalinkResponder

É isto mesmo Carla, é sábado smile
Muito obrigado pelo parabéns!!!

E a viagem começa no domingo, tô confirmando e organizando os últimos detalhes - se puder, fica por perto para me ajudar wink .

Acho que você tem razão: melhor ficar no pão de queijo e café.

Beijos.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Tou por perto, pode deixar... lol

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

O melhor é descolar uma sala vip no Galeão :cool:
Parabéns antecipados ,pelo casório !!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Grande Sylvia, ótima idéia!!! wink

Murilo
MuriloPermalinkResponder

Alguém poderia me explicar como funciona as salas vip's???

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Alguns bancos oferecem o beneficio a correntistas , os cartões de credito e programas das cias aéreas .
Em alguns aeroportos tb existem salas vip pagas.
Confere no site do aeroporto que vais usar e com os teus cartões .

Carla
CarlaPermalinkResponder

No Galeão tem uma boa sala VIP do Diners Club - basta apresentar o cartão para ter acesso gratuito, com direito a um convidado.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

No Santos Dumont tb , e correntistas do Citi tb podem usar , se tiverem o Acess Card :cool:

Márcio Cabral de Moura

No Santos Dumont existem várias salas VIPs, mas no Galeão, não. Acho que só a do Diners, mesmo.

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

About "Rio is the best thing about São Paulo.",
I would say - Rio is the best thing. PERIOD.
Forget the "about São Paulo"!
great post!

Beto
BetoPermalinkResponder

Putz! A foto do Leblon acho que foi feita do mesmo quarto do hotel em que ficamos neste domingo. É do 907 do Ritz?

Ricardo Freire

É o Ritz. Não me lembro o número do quarto, mas pode ser o mesmo, sim...

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Se fosse charada ... lol

Beto
BetoPermalinkResponder

Eu matava lol

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Foi charada! E eu acertei! Uma das primeiras vezes que apareci no blog...

Tweets that mention Blame it on Rio « Viaje na Viagem -- Topsy.com

[...] This post was mentioned on Twitter by Ricardo Freire and Brazil Blog, Blog de Viagens. Blog de Viagens said: RT @riqfreire Um texto antigo sobre o Rio que eu finalmente tomei coragem de traduzir. Aceito pitacos... http://migre.me/cUAV [...]

Crônica da Sexta – Prazeres de Salvador « Blog Lô Politi

[...] da sexta Deixar um Comentário Tags: Bahia, carnaval, Salvador, viagem Li essa semana um delicioso post no blog do Ricardo Freire, onde ele ressucitou um texto antigo sobre o Rio para gringos. Lembrei que uma vez também escrevi [...]

Alice
AlicePermalinkResponder

Achei que ficou ainda mais bonito em inglês.

renata
renataPermalinkResponder

Riq

Adoreeeeeei!

O Rio é o RIO, nao tem prá ninguém.
Porque viver é perigoso, mas ficar enfurnado em casa vendo TV é muuuuuito mais.

O Rio é tudo de bom e atrai todo o tipo de gente.

Ouvi dizer que Curitiba anda muito mais violenta que o Rio, mas como a GLOBO nao tem sede lá, ninguém fala nada.

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalinkResponder

Eu acho que tenho sorte, pois sempre que dá algum grande problema no Rio eu estou viajando. Foi assim na época dos apagões e agora com a guerra urbana.
Espero que melhore com essas ações que estão acontecendo.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

com ou sme guerra civil, o Rio continua lindo, sim!
Excelente texto, Ricardo!

ANDREA CRISTINE

Riq,

fiquei sem ar, adoro o Rioe o post reavivou a lembrança de cada vez que estive na cidade maravilhosa...

Marcie
MarciePermalinkResponder

Que bom que a Flavia quis ler este texto hoje. E que a Natalie achou.

Flavia (@ladyrasta)

Acabei de ver que esse texto foi publicado no *MEU* aniversário de 2009. Porque, eu não sei se vocês sabem, um dia a humanidade vai descobrir que Galileu, tadinho, tava errado, e o mundo não gira ao redor do sol smile

Eunice
EunicePermalinkResponder

Flávia. Se o dia é hoje, parabéns! Dia de Obaluaê São Roque, protetor contra as doenças. Dia de tomar banho de pipoca.A festa tá correndo solta na Federação.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Só agora vi a data da publicação, 30/11...Pensei que vc fosse leonina, nem sei porquê...eek)

Érica França

Beautiful!

Camila
CamilaPermalinkResponder

Esse texto em inglês foi publicado em algum canto?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Camila! Em português este texto saiu originalmente no Viaje na Viagem, de 1998. A versão foi feita ano retrasado.

Clara
ClaraPermalinkResponder

Gostei do "por via das dúvidas, vá pela Lagoa". Post pré-GPS e pré-smartphone. Não é incrível como tudo muda rápido?

Mas continuo cortando caminho pela Lagoa quando tenho hora marcada.

carla
carlaPermalinkResponder

Just amazing ....

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

Uau! Não conheia a versão original, mas essa pode virar corrente (ou spam) para os amigos gringos que receberam via email agora!

Mauro Nogueira

Just perfect.

Lea Dorf
Lea DorfPermalinkResponder

Uma delicia as always!

Lisa
LisaPermalinkResponder

Perfeito o texto!!!! parabéns!!!!

Maria Luisa
Maria LuisaPermalinkResponder

Emocionada, arrepiada e com saudades da minha Cidade Maravilhosa. Nascida no Rio, fui arrastada pra São Paulo pelos meus pais com 1 ano e pouquinho, e meu sonho é voltar. Não que eu não goste de São Paulo, mas não existe paixão maior do que a minha pelo Rio, e não tinha lido ou escutado nada que expressasse essa paixão até ler seu texto. Obrigada por compartilhar o sentimento hahahaha.

Alexandre Tenorio

Rapaz, tu caprichou, hein?
Com erro de concordância à carioca.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar