Jordânia pra Fê

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Soldado jordaniano - foto: Arnaldo Interata
[Soldado jordaniano - foto: Arnaldo Interata]

A Fê Costta, do Viaggiomondo, que está passando um tempo em Dubai, quer dar um pulinho ali na Jordânia no Natal. Está com medo, porém, de ser muito frio, e de não conseguir flutuar no Mar Morto.

Ela pergunta: alguém já foi para lá nessa época? Conseguiu entrar n'água? Dá pra ir à Jordânia e abrir mão dessa experiência?

Dicas e experiências sobre a Jordânia em qualquer estação também são bem-vindas grin

Leia também:

Jordânia no Fatos & Fotos de Viagem, por Arnaldo Interata

Bate-volta a Petra desde Israel, no Mikix, por Mirella Mathiessen

87 comentários

Tweets that mention Jordânia pra Fê « Viaje na Viagem -- Topsy.com

[...] This post was mentioned on Twitter by Ricardo Freire, Denise Mustafa. Denise Mustafa said: RT @riqfreire: Dá pra entrar no Mar Morto no inverno?O povo do blog tá querendo saber; se vc puder dar pitaco, entra lá http://migre.me/chKS [...]

Lorenzo
LorenzoPermalinkResponder

Fui em outubro e é um calor suportável.

Mesmo que esteja frio vale a pena a experiencia de poder nadar em um lugar onde não se afunda.

Apenas não se esqueça que voce nao deve mergulhar a cabeça, pois a quantidade de sal é tão grande que pode irritar nariz e olhos.

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Fui em Janeiro e foi bem tranquilo. Gente na praia de biquini pegando sol.

ricardo
ricardoPermalinkResponder

estive num janeiro no Mar Morto, por Israel, naquele dia estava bastante frio, nao conseguimos nos banhar. fiquei por 20 dias no país, hospedado no kibutz Shefaim (mesmo não sendo judeu) a 20km de Tel-Aviv, e foi uma experiencia incrivel. Infelizmente nao fui a Jordania.

Marcelo Aguiar

Boa tarde Ricardo!.
Você pode me dar algumas informações sobre o clima em Israel no final de Janeiro e inicio de Fevereiro?.
Pretendo ir com a minha esposa, e estou preocupado se frio atrapalha os passeios.
Como é o clima em Israel nesta época? é muito mais frio do que o inverno no Brasil?.

Aguardo seu retorno,

Abraços.

Luninha
LuninhaPermalinkResponder

Já fui a Israel no inverno e no verão. No inverno realmente é frio e como lá é muito abaixo do nível do mar, o sol não esquenta. Mas nada que faça com que as pessoas não entrem na água. É mais frio sim, mas dá para fazer um esforço e entrar, vale muito a pena. Vale ir até lá de qualquer maneira pelo visual. Chegando lá, dá pra resolver se vale a pena encarar o frio e entrar ou não.

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Riq, brigadão pela ajuda!! wink) A sua e dos "universitários", claro!

Bem, pelo que ví então galera, apesar do frio, vou dar conta de entrar no Mar Morto! Como ví no weather channel que a Jordânia pode ter temperaturas negativas no inverno, fiquei com medo do Mar Morto ficar quase igual o Lago Baikal! Lêdo engano!... hahah

Anyway, tá na chuva é para se molhar! O jeito é não perder de jeito nenhum a promoção para Petra da Fly Dubai: 300 reais ida e volta com taxas incluídas! Mais barato que BH - Brasília!!

Se mais alguém quiser palpitar, vejam meu roteiro (tô abertíssima à sugestões):

24/12 - Chegada em Ammam às 11 AM. Pick up no aeroporto e passeio Jerash e Ajloun. Pernoite em Amman.
25/12 - Saída de Amman para o Mar Morto. Pernoite no Movenpick hotel.
26/12 - Passeio em Petra e deserto de Wadi Rum. Pernoite em Amman.
27/12 - Passeio pela manhã em Ammam. Tarde retorno para casa.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Fê , eu dormiria a segunda noite em Petra tb . Certamente muuito mais interessante do que a capital wink

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Fe, só um diazinho em Petra junto com Wadi Rum? Olha... eu passei 5 horas em Petra e foi pauleira, vi tudo mas daquele jeito, sabe?! Fiz o bate-e-volta de Eilat (Israel).
Quanto ao Mar Morto, eu fui no começo de dezembro do lado de Israel. Apesar de não estar o clima ideal para se banhar, nós nos divertimos muito... passamos lama no corpo, flutuamos no mar morto e aproveitamos muuuuuuito.
Vcs vai adorar!

stefania
stefaniaPermalinkResponder

Fui em Novembro e estava quente pacas! Recomendo MUITO comprar um day pass em um dos hoteis (usei Movenpick Dead Sea e adorei)já que as praias públicas não tem muita estrutura e você definitivamente vai precisar de uma chuveirada de água doce depois que sair do Mar Morto. Ah, válido dizer que em novembro a quantidade de MOSCAS na beira d'água beirava o insuportável.

stefania
stefaniaPermalinkResponder

Cheque as noites onde há o Petra by night e se coincidir a data, durma em Petra ao inves de pernoitar em Amman.

MaWá
MaWáPermalinkResponder

Dá pra entrar sim, só tem que tomar cuidado porque ele costuma estar mais agitado e tem mais chance de cair água no rosto/olhos (e isso arde, viu?)

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Stefania, já me acostumei ao calor do oriente médio... Nada como viver aqui e passar o longo verão que beira os 60 graus! :s Sobre o Movenpick, vc acha que vale mais a pena usar o day pass ao invés de se hospedar por lá? A diária casal com café tá 164 USD...

Mawá, eu ví mesmo que lá tem umas cheias repentinas, que vem das montanhas de Israel. Neste caso o governo avisa e o banho fica proibido (tomara que não aconteça quando eu estiver lá!)

@popysp
@popyspPermalinkResponder

Estive no Mar Morto, Jordânia e Israel em abril do ano passado. Primavera, céu super azul, sol. Deixei para tomar banho no Mar Morto pelo lado Israelense e no dia, em torno de 15:00, ou seja horário de sol mais quente, a temperatura, apesar do céu lindo e azul, estava em torno de 14°. Muita gente não se animou a entrar, inclusive meu marido...risos.. Entretanto, como eu sabia que dificilmente voltaria ali, não quis perder a oportunidade de saber qual seria a experiência de boiar nas águas mais salgadas do mundo. A água em si não estava fria. O mais difícil foi o vento frio das 16:00, na hora de sair, a sensação térmica faz parecer que a temperatura cai muito. Ao chegar ao hotel, em Jerusalém, o que mais me incomodava, além do frio na casa dos 7° e dos cabelos ainda úmidos, era o cheiro de enxofre da minha pele, apesar de haver tomado uma ducha e trocado de roupa no próprio local (as instalações são limpinhas e vc tem opção de comprar toalha e roupa de banho se tiver esquecido de levar).
Não posso opinar sobre a época de inverno, mas imagino que não seja muito divertido tomar banho lá na época de frio. Apesar disto, o cenário por si só já vale à pena. É muito bonito.
Se a Fê quiser apenas visitar, pelo lado israelense, uma dica é pegar um passeio que faça a Fortaleza de Masada e o Mar Morto.
Pelo lado jordaniano, existem vários hotéis e resorts à beira do Mar Morto, para quem deseja passar mais tempo.
Pessoalmente, achei que a visita foi suficiente.
Caso você esteja em Amã, também é possível ir e voltar no mesmo dia, ou ainda, somente parar para admirar, se estiver a caminho de Petra.
Como fui para a Jordânia por conta própria, minha opção e de meu marido para visitar Amã e Petra foi contratar um motorista particular e, apesar do que possa parecer, não foi nada absurdamente caro.
Confesso que só a chegada ao aeroporto de Amã já foi uma experiência inesquecível. A polícia estranhou um casal de ocidentais sozinhos e, obviamente, nos fez abrir as mochilas e responder a todas àquelas perguntas de praxe. Nada muito amigável, mas também nada hostil.
Pegamos um taxi com um sujeito que dizia falar inglês, mas a cada 10 palavras, umas 6 ou 7 deviam ser em árabe. Bateu o medo... risos..
Nossa destino era Petra, mas reservamos 2 dias inteiros para Amã.
Queríamos encontrar uma agência para contratar os passeios por lá mesmo, mas nossa busca foi frustrada. Chegamos a ir até o Hotel Marriot, porque, em geral, as cadeias internacionais sempre têm alguma agência de turismo em seu interior que faça este tipo de serviço. Nada.
Fomos informados no hotel em que estávamos que geralmente as pessoas contratavam serviços de limusine para fazer city-tour e outros passeios (e isto significava $$$).
Como somos brasileiros e não desistimos nunca... risos.. O rapaz com o qual conversamos no balcão do hotel nos contou que tinha um primo, que tinha um 'taxi' e que estava habituado a fazer este tipo de trabalho com turistas.
Resolvemos aceitar a sugestão e, como gostamos do serviço dele, o contratamos para fazer também a viagem para Petra (ida e volta e mais um 'city tour' na cidade).
Assim, ficamos em Amã 2 dias inteiros. Um dia para dar uma volta pela cidade, ir ao Anfiteatro, ao Museu Jordaniano de Tradições Populares e ao Museu Arqueológico, visitar algumas ruínas, comer em um restaurantezinho da terra, onde não há turistas; e um dia para ir ao Monte Nebo e Madaba (passeio muito bacana!).
No terceiro dia seguimos para Petra.
Apesar das trocentas paradas em postos militares, com direito à checagem de passaporte em todas elas, com militares que não falam absolutamente nada de inglês, a viagem foi tranquila, a estrada é muito boa e TOTALMENTE ASFALTADA (ao contrário do que mostraram na novela outro dia). São cerca de 400 km. Então, antes da hora do almoço, apesar de haver parado algumas vezes ao longo do Mar Morto, estávamos confortavelmente instalados no hotel.
Em Petra, ficamos hospedados no Mövenpick. Eu recomendo: o hotel é excelente e fica literalmente na entrada do sítio arqueológico de Petra.
O local é lindo. A viagem vale demais!!!!
Reservamos a tarde do dia da chegada para conhecer Petra Menor e o local do túmulo de Aarão; e o dia seguinte inteiro para ficar em Petra propriamente dita.
Se você pretende seguir depois diretamente para Jerusalém, como foi o nosso caso, muito cuidado ao planejar datas e horários, porque as fronteira mais próxima tem horários rigorosos de funcionamento.
Nossa... isso foi quase um livro.. Espero que seja de alguma utilidade.
um abraço,
Cássia (@popysp)

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Oi Cássia!!

Nossa, super dicas!! Adorei!!! Só faltou falar os preços para ficar completíssima! rsrs Me diga, por acaso vc ainda tem o contato deste motorista? Tentei no site oficial de turismo da jordânia algumas empresas de transporte, mas não obtive êxito nas respostas... sad E agora, desesperei com vc me falando da dificuldade em se arranjar agência por lá! :s

Aguardo,

Obrigadíssima! wink

@popysp
@popyspPermalinkResponder

Fernanda,
Éramos 2 pessoas e ele nos cobrou um total de U$400.00 (quatrocentos dólares) em abril do ano passado, já com gorjeta, para a seguinte programação (tudo negociado antes, é claro):
1 dia inteiro em Amã (manhã para citytour e à tarde fomos ao Monte Nebo e Madabá).
2° dia - ida para Petra (manhã estrada, com algumas paradas para apreciar o Mar Morto); chegada na hora do almoço (ele nos acompanhou a um restaurantezinho local); fez um passeio com a gente à tarde em Little Petra, passando pelo túmulo de Aarão.
À noite, acabamos nos encontrando para ir tomar um chá e conversar, num 'botequinho' local.
Ele dormiu em Petra as duas noites, por conta dele.
No Dia seguinte ficamos livres e passamos o dia inteiro dentro de Petra propriamente dita, porque há muita coisa a ser vista.
Passamos a noite na cidade e, no outro dia, por conta do horário de fechar a fronteira de Israel, ele nos apanhou, pontualmente, às 5:30 a.m. no Mövenpick.
Na volta, parou com a gente num desses locais típicos para comprar lembranças da região e nos levou até o posto de fronteira. Lá, nos ajudou inclusive a resolver a questão da compra da passagem (normalmente se atravessa a fronteira em um ônibus).
Fiquei no maior medo de contratar o serviço. A gente se sente totalmente inseguro. Tem sempre a impressão de que podem querer passar a perna na gente e coisas do gênero, mas no final, só temos boas recordações.
Ele foi educado, gentil e atencioso conosco. Era um motorista tranqüilo e cauteloso. No primeiro dia, nos levou para almoçar num restaurante onde não há turistas, para experimentar a comida típica deles e pagou a conta (não aceitou que pagássemos). Em Petra, retribuímos a gentileza.
O inglês dele não é o de um nativo britânico.. eheh mas era bastante compreensível. Nos contou muitas histórias da terra, falou sobre a sua religião, contou sobre a família dele e como as coisas funcionavam em Amã.
O carro dele era simples, mas estava sempre limpo e tinha ar condicionado.
Com a gente funcionou muito bem. Gostamos do serviço dele e se hoje eu voltasse a Jordânia, o procuraria novamente. Mas estas coisas são sempre relativas, né? Gosto sempre de dizer que as indicações às vezes funcionam e às vezes não.

O nome dele é Mr. Qasaim Duridi (se pronuncia Casseim) e o e-mail para contato era o unops_unop@yahoo.com

Se entrar em contato com ele, pode dizer que quem o indicou foram o Michel e a Cássia.

Se quiser entrar em contato comigo, meu e-mail é popysp@hotmail.com

@popysp
@popyspPermalinkResponder

Em tempo: Fê, até acho que se meu marido e eu tívessemos mais tempo, teríamos encontrado agências para contratar o serviço. O problema foi que imaginamos que daria para fazer tudo tranqüilamente quando chegássemos lá, porque, geralmente, encontramos sempre agências dentro dos hotéis e, neste caso, especificamente, isto não aconteceu. Pelo menos não havia dentro do Regency (que foi onde ficamos), nem no Marriot (fomos até lá para checar). Como precisávamos resolver com rapidez, caso contrário não teríamos tempo para fazer tudo o que queríamos, foi a melhor solução que se apresentou na oportunidade. Em todo o caso, não me arrependo. Foi tudo muito bom!
Li abaixo que a Helo também apresentou preços, talvez ela possa te indicar o pessoal para fazer o serviço.

Dri - EveryWhere

Otimo topico!
Estou planejando minha viagem pra Jordania em Abril ou Maio e tava na duvida se jah estaria quentinho o suficiente pra "curtir praia". mas pelos visto em Abril/Maio eu vou eh tostar no sol!!
Otimo!! smile

Beijos!
Dri Miller

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Dri, em maio é um super calor! Vc com pele branquinha e o Aron vão tostar mesmo! Como em todo Oriente Médio, é melhor evitar o período que vai de maio a agosto. Bjs!

Vitor
VitorPermalinkResponder

Não sei se minha experiência serve pra alguma coisa. Entrei no mar morto em fevereiro de 2006, só que na marge que banha Israel, ali perto de Massada. Estava friozinho, tipo 19o, mas nada que impedisse eu e monte de gente de entrar na água, ou melhor, no sal. Quem já entrou no mar de Punta del Este encare essa fácil. Em todo caso, leve uma saida de banho.

Abs

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

Dica noveleira: não brigue com nenhuma mulher chamada Helena e de maneira alguma volte para Amã no ônibus das modelos!

diogo
diogoPermalinkResponder

hehehehehehehehehe... esse é o @gabebritto e sua indefectível presença de espírito!!

Fernanda Castro

Estive na Jordânia em fevereiro de 2009. Ainda peguei uns dias de frio (inclusive vi gelo derretendo na estrada no caminho de Petra e Amã). A noite precisava de um casaco, mas em compensação os dias tinham temperatura bem agradável e pude aproveitar bem sem derreter. Dando um pouco de pitaco, eu ficaria 2 dias em Petra, pq as ruínas são muito grandes e vc cansa demais se fizer tudo em um dia só. Com relação ao espetáculo Petra by night, basicamente é o seguinte: eles iluminam o caminho de entrada ao parque (desfiladeiro) e o Tesouro (lembra do templo do Indiana Jones ?), daí estendem tapetes no chão, servem chazinho e tocam músicas típicas e contam um pouco da história dos monumentos. Eu gostei muito, tinha um clima surreal. Na Jordânia tb visitei Jerash, Madaba e Amam, todos muito legais. Não deixe de andar pelo centro velho de Amam de tardinha e provar os doces, vários locais tem fornadas saindo nessa hora, dá vontade de comer tudo! O Monte Nebo tb é imperdível, uma sensação única de entrar na história. Não fui ao Mar Morto do lado da Jordânia nem ao deserto pq fiz Israel e Egito no ano anterior com esses programas, mas dormir no deserto é muito legal, se puder aproveite. E o Mar Morto é surreal, vc tem q entrar de qq jeito. Desculpem pelo post imenso.

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

Jamais faria petra e Wadi Rum no mesmo dia! Impensável, ainda mais se dormir na noite anterior no Mar Morto.
O ideal seria pelo menos dois dias em Petra, um para o rteirão tradicional e o outro pra fazer as trilhas alternativas que vão ao Altar do Sacrifício por trás ou subir para ver o Tesouro de cima. Se não der tempo, paciência, fique um só, mas tem que ser um dia completo... as distâncias são grandes... e melhor do que o Petra By Night é ficar até um pouquinho mais tarde nas ruínas, curtir o por-do-sol me algum lugar e voltar à noite, você e os beduínos (super seguro, eles são muito hospitaleiros)... eles dizem para que se volte antes do pôr-do-sol, mas não há ninguém te tirando do parque e eles tem controle de quantas pessoas estão lá dentro...
Wadi Rum eu chegaria lá pro meio-dia, uma hora e faria o passeio de jipe com pernoite nas cabanas, é imperdível, principalmente a hora do pôr-do-sol.
Amã depende... a cidade velha é feia e caótica, mas tem quem goste (eu incluso) de conhecer a capital e ver qual é... o teatro e a cidadela com as truínas no meio de tudo dá um tom ainda mais interessante... mas não é um lugar imperdível, definitivamente... Madaba com seus mosaicos é uma cidade mais gostosa e fica perto do Monte Nebo. Kérak, com seu castelo cruzado, é uma cidade mais típica e uma boa opção de pernoite. O Mar Morto só conheço de Israel.

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Bruno, ótima dica! Eu, particularmente, não tinha noção que Petra e Wadi Rum no mesmo dia ficaria muito desgastante. Bem, como não dá para abraçar o mundo todo, pelo jeito vou ter que desistir de Wadi Rum... uma pena, pois queria muito ver o cenário natural do Lawrence das Arábias. Por outro lado, vivo num deserto e já fiz milhares de safáris por aqui e outras bandas, mas nenhum deles era vermelho como Wadi Rum! sad

O que vc acha que vale mais à pena de conhecer em Amman? O teatro e a parte romana? Vc acha que da para conhecer de 7:30 às 10 da manha??

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

Dá tranqüilamente. Da cidadela (onde estão as ruínas romanas) você já vê o teatro incrustrado no meio da cidade, o que já é a maior parte da graça... Lá em cima, dá pra ficar uma hora e ainda enrolando... além das colunas, há o Palácio Ummayad e ruínas... depois é so descer até o teatro (a pé, pelas escadarias da cidade; ou de táxi, que é muito barato-bandeirada 0,27 euros) e subir nele pra outra vista legal... o resto é bater perna nas ruas do centro, comerciais, com vários mercados ao redor da Mesquitona da Hashemi Road.

Fico triste por Wadi Rum, que o lugar ;é realmente impressionante... mas correria não dá smile Abraços

Helo
HeloPermalinkResponder

Ola a todos, estou indo para a Jordania na sexta! Era para ter ido em setembro, mas por motivos de doença de familia, mudamos nossas ferias para dezembro. Assim, estou aproveitando bem as dicas!! Em Aman, reservei o palace hotel http://www.palacehotel.com.jo/, hotel simples, mas muito bem indicado no lonely, tanto os serviços de hotelaria, quanto os serviços de tours. Entrei em contato por email com eles, e, de fato, foram muito atenciosos comigo. Os preços dos tours estão bons, na faixa de 20 jd por pessoa ou 80 a 100 jd por passeio de um dia inteiro. Fico em Aman dois dias livres, depois vou para Petra, onde passarei tres dias livres, sendo que no ultimo vamos visitar Wadi Rum. NO dia 06, fomos para Movenpick e no dia 07 embarcamos de volta para Belo Horizonte. Em Petra, vamos ficar no Petra Moon, cujo gerente tambem foi muito gentil conosco por email. Fe, pelo que eu percebi, vc está morando Dubai, perto da Jordania, portanto quem sabe vc tenha outras chances de visitar esta regiao no periodo que esta em Dubai. Assim, se fosse vc, cortaria o mar morto (ou entao dormiria no movenpick no dia 24) e concentraria em Petra, dormindo os dias 25 e 26 lá. Em Petra, gostei muito das paginas do movenpick e do cronwe plaza. Um hotel que achei muito amigavel em Madaba é o http://www.mariamhotel.com/, que poderia tambem ser uma opção para de pernoite para o dia 24.

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Helo,

Encontrei essa agência aqui http://www.jett.com.jo/english.htm que tem um preço mais barato nos tours. O mais caro é 45 JD para Petra... Me pareceram bons (só pelo site), mas ainda não me responderam...

Helo
HeloPermalinkResponder

Oi Fe, entrei no site, está muito bacana. Acho que dá no mesmo. O Palace oferece tours em grupo, faixa de 20 jd, ou tours privativos (ate 4 pessoas), entre 80 a 100 jd, dependendo do passeio. Como estamos em tres, devemos fazer tours privativos. Como vou ficar no Palace, vou fechar com eles mesmos. A proposito, petra by night acontece na segunda, quarta e quinta, assim, se fosse vc, viajaria para Petra no proprio dia 24, quinta (confirmaria antes o show), tentaria ficar em um hotel legal, como o movenpick e o cronwe plaza, ambos perto da entrada principal e dormiria no dia 26 ou em Madaba ou em um resort no mar morto.

Clarice
ClaricePermalinkResponder

Helo, vc comentou como foi esta ida à Petra em algum cantinho do VNV? mrgreen

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Tenho no meu arquivo uma lista de agentes locais :
http://www.visitjordan.com/TourOperators/tabid/55/Default.aspx

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

ótimo sylvia!!

Eu já até tinha consultado as empresas de transporte neste site oficial da Jordânia. Fiz contato com mais de 10 empresas e ninguém me respondeu... Vou tentar esta nova listinha aqui!

Obrigada!! Bjs!

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

Aluguei um carro relativasmente grande por 45 JD por dia com tudo incluso... Às vezes é melhor que esses tours prontos que são um porre e não sai mais caro, dependendo de quantas pessoas estão viajando!

Delfim
DelfimPermalinkResponder

Olá
Você dirigiu pela Jordania?
Pode visitar todos os pontos turisticos por conta propria?
Que dicas pode me passar?
Abs
Delfim

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Delfim! O comentário do Bruno é de 2009, vai ser difícil ele perceber que você perguntou grin

A Jordânia é um país bastante seguro e relativamente fácil para o turista ocidental.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Entrar no Mar Morto deve ser tudo de bom, com certeza vale a pena, o choque não será maior do que encarar as águas frias da orla carioca no verão.

Jorge Bernardes

Estou impressionado com a quantidade e variedade de dicas. Dá para montar uma viagem inteira só com esses comentários.

Ernesto, o pato

Fe

Leia o blog do Arnaldo sobre a Jordania, que é sensacional.

Não sei se voce tem tempo, mas Eilat, na fronteria com Israel, vale a vista, pelo aquário, e pelas excrusões nos recifes, e no deserto. Se voce pretende visitar outros paises arabes, peça para nao carimabarem seu passaporte.

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Olá Ernesto!

Já lí a Jodrânia no blog do Arnaldo duas veze: quando ele publicou e agora! smile Já selecionei as dicas todas!! wink)

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Fê, eu escrevi também sobre Petra (claro que não chega nem aos pés dos detalhes e da sabedoria da escrita do Arnaldo, né?!) aqui ó: http://www.mikix.com/?p=809 bjs.

Helo
HeloPermalinkResponder

Ola, acabei de ler que o rei da Jordania dissolveu o Parlamento. Espero que tudo fique tranquilo por lá!

Leandro M. P.
Leandro M. P.PermalinkResponder

Olá!

Estive na Jordânia em abril e estava muito quente. Não deixe de entrar no Mar Morto, independente da temperatura. Por causa da salinidade da água, você não vai poder ficar muito tempo lá dentro mesmo (eles recomendam 15 minutos de mergulho, sem molhar a cabeça). Tome cuidado para não ter nenhum corte ou ferida muito recente na pele, porque qualquer coisinha vai arder bastante.

No Mar Morto, recomendo ficar no hotel Kempinkski. Além da saída para o mar, ele tem diversas piscinas sensacionais. Fora os restaurantes e todos os outros mimos. Acho que há "day pass" para aproveitar as piscinas e a praia. http://www.kempinski-deadsea.com/en/home/index.htm

Também recomendo dormir em Petra e tentar fazer o passeio "Petra y Night". É uma coisa bem para turistas mesmo, mas a atmosfera é inexplicável. As ruínas de Petra iluminadas por velas, música tradicional, céu estrelado... Vale a pena! E o hotel Movenpick é realmente o mais bem localizado em relação às ruínas de Petra.

Tente também passar a noite no deserto de Wadi Rum. O passeio de jipe sai por no começo da tarde, te leva pelos pontos mais legais do deserto, pára para ver o pôr-do-sol e termina nas barracas "nem tão tradicionais" beduínas. No que eu fui, o conforto era enorme. Água encanada, cama com colchão nas tendas, etc. Comemos um cordeiro que estava enterrado na brasa e depois tivemos show de beduínos que cantaram e dançaram com o grupo até altas horas da madrugada. Também inesquecível!

Recomendo um dia para Amã, com passeio pelo centro velho, coliseu, ruelas e becos do centro da cidade. Vale se embrenhar pelos becos e encontrar lojinhas e feirinhas bem "locais". Fiquei pouquissimo tempo em Jerash, mas me pareceu ser um lugar bem legal também.

No geral, os jordanianos são muito simpáticos, muito hospitaleiros e vão fazer de tudo para que vocês aproveitem a viagem ao máximo. A maioria da classe média/alta fala inglês bem. Vendedores e taxistas também. Nas ruas é mais complexo, porque o povão fala um inglês com sotaque muito carregado e de difícil compreensão. Mas eles se esforçam bastante para serem entendidos.

Bom, se tiver mais dúvidas pode me mandar um e-mail (leandromp@gmail.com). Publiquei algumas fotos da minha viagem aqui: http://www.flickr.com/photos/leandromp/collections/72157618501264506/

Espero ter ajudado!
Leandro

Patricia - Turomaquia

Leandro vocè lembra o nome da empresa ou pessoa com quem ficou em Wadi rum? Vi tuas fotos e achei bem legal o alojamento e tal, e como quero dormir no deserto me pareceu perfeito. E uma outra perguntinha, você foi ao deserto desde Petra ou de Aqaba? E com que tipo de transporte?
Beijos

Leandro M. P.
Leandro M. P.PermalinkResponder

Oi Patricia! Passei a noite em Wadi Rum com passeio que eles oferecem em um posto turístico na "entrada" do deserto. Existe uma área ali com restaurante, lojinhas, etc. e um balcão de informações que vende turs de um dia inteiro, pernoite, pernoite em grupo, etc.

Fui ao deserto desde Petra, mas estava em um grupo grande com um ônibus à disposição (viagem de trabalho/turismo), então tivemos muitas mordomias que o viajante normal talvez não teria.

abs!

Patricia - Turomaquia

Brigaduuu Leandro, eu acho que vou a Wadi Rum a partir de Aqaba porque sei que de lá tem ônibus, agora até Petra vamos ver o que consigo! hehehehehe
Beijos

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

Wadi Rum tem um cooperativa local de beduínos... todos os preços são tabelados e eles te levam a acampamentos de acordo com a ocupação... acho que existem alguns acampamentos que você precisaria reservar, mas não vejo necessidade...não há agências que façam os passeios de jipe, só essa cooperativa.. os motoristas são bons e simpáticos, mas não são guias, fazem observações simples...

Patricia - Turomaquia

Valeu Bruno!

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Leandro, ajudou bastante, obrigada!!

Infelizmente não conseguí ver suas fotos... aqui em Dubai o site do Flickr é bloqueado, por medida de "segurança"... :s Vc as tem em outro lugar que não seja lá ou no orkut?

Leandro M. P.
Leandro M. P.PermalinkResponder

Oi Fê, posso colocar no Picasa, do Google. Você consegue acessar daí?

Fê Costta - viaggio mondo

Bem, entrar no site do Picasa eu consigo, mas daí acessar algum álbum, já não sei. Se não for dar trabalho, gostaria muito de ver! smile Obrigada!!

Helo
HeloPermalinkResponder

Oi Leandro, vc se lembra com que agencia-beduino-camp vc fez o passeio pelo wadi rum? Não vou dormir pois vai estar muito frio la agora em dezembro, somente quero passar o dia.

Leandro M. P.
Leandro M. P.PermalinkResponder

Oi Helo,
o passeio foi fechado diretamente na "entrada" do deserto. Lá eles fecham pacotes com passeios de 2 horas, dia inteiro, pernoite, etc. Não lembro se tinha uma empresa específica ou era coisa do próprio órgão que administra o deserto.

Helo
HeloPermalinkResponder

OI Leandro, obrigada pela resposta!!!

Dri - EveryWhere

Estou AMANDO todas as dicas!
Alguem fez Jordania em dobradinha com Egito ou Israel?
Na verdade minha viagem nao sera apenas a Jordania, e estou tentando conciliar um ou 2 dias em Petra com a viagem ao Egito em Abril ou a Israel em Maio...
Mais alguma dica?

Ricardo Freire

Dri, o problema de fazer Israel + Jordânia na mesma viagem são as formalidades de fronteira, que são bem chatas por terra. Da última vez que eu tinha pesquisado, parecia que a travessia era menos complicada no sul (Eilat/Aqaba). Dá uma pesquisada com "border", Jordan e Israel que deve aparecer coisa atualizada.

Patricia - Turomaquia

É fácil por Aqaba se a Dri for até a Península do Sinai. De lá tem um ferry rápido para Aqaba. E do Cairo dá para ir até Sharm-El Sheik de ônibus ou de avião.

@popysp
@popyspPermalinkResponder

Dri e Ricardo,
Fiz Jordânia e Israel. O maior problema da fronteira terrestre, na minha opinião (fiz a de Allenby, conhecida como ponte Rei Hussein) são os horários meio apertados. Na quinta-feira, dia em que passei, fechava ao meio dia. Paga-se um valor para atravessar e do lado israelense você vai levar em torno de 1 hora para conseguir entrar (entrevista, checagem de visto, conferência do hotel onde vai ficar em Israel e coisas do gênero, retirada da bagagem). Depois disto é só pegar um taxi ou van e, cerca de 20 minutos depois, você está ao lado dos muros da cidade antiga de Jerusalém.

Minha experiência ruim não foi neste momento (tirando o tempo gasto, a entrada em Israel foi tranquila), mas ao tentar sair do país, já no Aeroporto de Tel Aviv, com destino à França, quando verificaram, ainda na fila para o check-in, que havíamos estado na Jordânia.
Fomos interrogados por 4 (quatro) pessoas diferentes, na própria fila. Explicamos que estivemos a passeio na Jordânia. Cismaram com um livro (sim, um desses livros sobre o país, estilo Guia de Ouro da Jordânia ou algo parecido), nos perguntaram se conhecíamos alguém na Jordânia, se tínhamos amigos lá, se falávamos árabe... Depois, viram que já havíamos estado no Egito (anos atrás) e começou tudo de novo.. risos.. Meu marido já estava sem paciência, por repetir as mesmas respostas para tanta gente e pasmem: acharam que ele estava nervoso, porque havia passado creme no rosto e por causa do calor estava um pouco suado!!!). Revistaram toda a nossa bagagem, nos fizeram abrir tudo e só depois permitiram que fizéssemos o check-in. Depois disto, para entrar no salão de embarque, todo mundo passou por mais uns dois raios-x e, em todos, revistaram as nossas mochilas de mão.
Nesta brincadeira, gastamos mais de 2 horas (portanto, vá com antecedência para não correr o risco de perder o vôo)
Nunca passei por algo assim antes. Dizem que o aeroporto de Tel Aviv é um dos mais preocupados com segurança no mundo. Entretanto, eles colocam aqueles pós-adolescentes do exército deles para fazer estas perguntas na fila do check-in e eles não têm o menor tato. Talvez por isso, tenhamos sido inquiridos por 4 pessoas diferentes.
Pessoalmente, saí de Israel com uma sensação muito ruim.
Meu consolo é que não parecia algo pessoal. Havia um alto executivo francês na minha frente e encasquetaram com o homem, porque ele só viajava com uma maleta de mão. Este episódio se deu mais ou menos na mesma época em que criaram caso com a filha daquele diplomata brasileiro só porque ela tinha um nome ou sobrenome (não me recordo) que parecia ser de origem árabe.
Bom, estas coisas acontecem... risos.. Ainda assim, valeu à pena ter conhecido Israel e, principalmente, Jerusalém.
um abraço,
Cássia (@popysp)

Ricardo Freire

A minha saída de Israel também foi traumática. Eu resolvi voar pra Amã pra não enfrentar a fronteira terrestre. Passei exatamente pelo que você passou -- a moçadinha da Mossad. Sempre digo que se tivesse acontecido isso na entrada, eu teria pedido prra me deportarem no próximo vôo pra qualquer lugar. Ninguém merece tanto perrengue.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

É uma chatice tããão grande , que ajudamos os adolescentes
pedindo um intérprete que falasse portugues , e aí a coisa complicou pro lado deles , e foi pápum :cool:

Luisa
LuisaPermalinkResponder

Dri,
A Mirella do blog Mikix fez Jordania e Israel e atravessou a fronteira a pé.
Passa lá: http://www.mikix.com/?p=809

Ricardo Freire

Bem lembrado! Editei o link no post!

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Oi Luisa... ia falar sobre a minha experiência. Fi bem tranquila e pelo que meus amigos de Israel dissera, a fronteira por Eilat é a melhor e a mais simplificada, no post tem mais explicação.

Dri, qualquer coisa me escreva smile
Bjs

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A regra é ( ou era) não carimbar o passaporte em Israel ( e sim em uma folha em branco ) para poder entrar na Jordania.

Dri - EveryWhere

Obrigada Sylvia!

Pois entao, o plano original eh chegar na Jordania atravez da Penisula do Mar Vermelho no Egito, mas ao planejar a viagem do Egito, temos TANTA coisa pra ver e fazer por lah, que jah to achando que nao vai valer a pena desperdicar 1 ou 2 dias de Egito para estender ateh Petra, mesmo sendo mais facil (jah fiz varias pesquisas e jah ateh tenho o contato e precos de algumas agencias que organizam esse tipo de passeio day trip ou 2 dias na Jordania saindo de Sharm el Sheik).

Entao por outro lado, como tambem vamos para Israel no mes seguinte, talvez fosse mais facil cruzar ali pelo mar morto, onde os dois paises fazem fronteira, e assim talvez seja mais rapido e com menos correria...
Mas pra ser sincera ainda nao pesquiser muito sobre a relacao Israel/Jordania, entao vou dar uma lida no blog da Mirella! Bem lembrado Sylvia!

Ricardo Freire

É mais o problema da burocracia mesmo, e de ter que trocar de condução na fronteira.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Nós não conseguimos atravessar pelo Mar Morto ( ao norte e ao centro), nos informaram que só seria possivel pelo sul .. muito complicado prá decidir lá mesmo .

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Não só na Jordânia como em qualquer outro país árabe...

Thiago Barreto

Obrigado por compartilhar este post que de todos que já li aqui acho o mais completo;

Você gostaria de inicar meu site nos teus favoritos? Eu já indico o teu faz tempo há meus leitores.

abraços

www.buenosairesdicas.com

Edu Luz
Edu LuzPermalinkResponder

Vamos lá : estivemos no Mar Morto em janeiro/08 ( ficamos no Kiempinski, um tremendo hotel, com diárias extremamente baixas pra categoria dele e onde tivemos o melhor por do sol das nossas vidas) e devido ao frio, fomos a Roma e não vimos o Papa, ou seja, não entramos no Mar Morto.
Inclusive, você percebe que a região do Mar Morto tem um micro-clima muito interessante já que lá existem variações de temperaturas muito grandes emn curto espaço de tempo. Nos disseram que ele fica 400 metros abaixo do nível do mar. Estava, inclusive, nevando em Aman e sol em alguns períodos no Mar Morto.
Passamos em Madaba ( uma Zona Leste de São Paulo com algumas coisas interessantes sobre mosaicos) e fomos a Jerash, uma das decápolis do Império Romano. Vá mesmo pois é imperdível. Vimos um hipódromo, um teatro com uma acústica incrível e com um grupo de jordanianos tocando gaiota de fole, além de igrejas, templos, casas e até um centro comercial. Todos muito bem preservados!
Quanto a Petra, também ficaria duas noites lá encaixando o Petra by night na primeira, já que este passeio é quase uma bichogrilice pois a trilha até o Tesouro é iluminada por velas e lá você só vê a fachada dele na penumbra ao som de música antiga e com chazinhos pra espantar o frio.
Você fica imaginando como será com a luz do sol e no outro dia, a surpresa chega já que é de tirar o fôlego (literalmente) e falar vários "Ohhhhs". Inclusive, vale a pena ir até o Monastério ( são 800 degraus). Não desanime quando disserem: não vá!
Aconselho a fazer primeiro o by Night e depois o passeio diurno.
Tivemos bastante sorte pois pegamos lua cheia no by night e um tremendo sol no outro dia.
Contrate um guia pois passear por Petra sem ele, significa perder um montão de informações.Ficamos no Movenpick que é um hotel correto e muito bem localizado.
Por falar em guia, é importante contratar um motorista pois andar por lá sem falar jordaniano pode acarretar em alguns problemas. Vimos várias barreiras policiais na estrada que fica em frente ao Mar Morto com soldados com armamentos pesados. Pra não ter problemas, o nosso guia dizia que éramos italianos!

Fê Costta
Fê CosttaPermalinkResponder

Pessoal, valeu demais pelas dicas!

Quando eu voltar, conto para vcs como foi!! smile)

Grande beijo

Helo
HeloPermalinkResponder

Oi, vale a pena dar uma olhada neste site: http://www.jordanjubilee.com/..tem muita informação sobre a Jordania e fotos

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

Fronteiras Israel-Jordânia:

esidtem três lugares para cruzar:
King Hussein/Allenby- ao lado de Jericó, na Cisjordânia e o mais perto de Jerusalém e Amã- como é na Cisjordânia, é o mais complicado. Para entrar na Jordânia por aqui, só com visto tirado antes no Brasil. Para entrar para Israel, formalidades e checagem de passaportes que podem levar algumas horas- vantagem qué depois da fronteira em meia hora você está na Porta de Damasco em Jerusalém

Ao norte, perto de Beit Shean- mais simples que a King Hussein, mas para entrar na Jordânia é preciso pagar o visto na entrada (não precisa de visto antes)- mais tranqüilo para quem vai para Israel

Eilat/Aqaba- a mais tranqüila de todas- não se paga nada para entrar na Jordânia e o procedimento dura poucos minutos- para entrar em Israel deve ser meio chatinho, mas também mais tranqüilo

Do Egito, há um ferry direto Taba-Aqaba que poupa passar por Israel.

E nem Egito nem Jordânia se importam com carimbos de Israel (até porque as fronteiras são abertas e obviamente quem vir por elas estava em Israel)- nos outros países da região, nem pensar... se quiser visitá-los, pçea para não carimbarem o passaporte,mas os israelenses vão ficar desconfiados e podem te dar mais um chá de cadeira- além do que tem que pedir pra Jordânia/Egito também carimbar fora as entradas/saídas pq fica fácil descobrir que vc esteve em Israel.

Ricardo Freire

Sensacional, Bruno!

Bruno H.
Bruno H.PermalinkResponder

O "esidtem" foi erro de digitação mesmo1 não me achem analfabeto já na primeira linha! hahaha!

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Olá Riq!!!
Eu de novo por aqui!! Estou indo para o Egito agora em dezembro. Farei a maior parte da viagem com tour mas no final ficarei 4 dias no Cairo por conta própria, será que alguém poderia me dar uma dica de hotel bem localizado?? Durante o Tour ficarei no sofitel le Sphinx, mas como ele fica em Giza, achei que seria um pouco fora de mao para andar por lá.
Aproveitando que estou indo de turkish, farei uma parada de 5 dias em Istambul, se vc puder me dar alguma sugestao de hotel por lá tb seria ótimo.
Nao sei se vc lembra mas em agosto comentei que estava indo para o Alaska. Ainda devo algumas informaçoes sobre esse destino!!! Assim que chegar o recesso de final de ano coloco umas informaçoes aqui. É uma viagem muito legal.
Bjos

Ana Beatriz
Ana BeatrizPermalinkResponder


Estamos pensando em ir para Jordânia e Israel e a primeira situação a pensar é o clima. Meu marido e eu pensamos ir em outubro, mas quero tomar banho no Mar Morto, mas não quero passar frio rsrsrsrs!! Ontem vi um pequeno documentário acerca do Mar Morto... e me apaixonei ... é lindo demais, fiquei com mais vontade de viajar.
Adorei as dicas que tens recebido. Estão nos ajudando também. Abraços

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Oi Ana, eu entrei no mar morto em dezembro e apesar do friozinho deu para curtir legal! (Fiquei com uma leve gripe depois, mas foi tranquilo). Em Outubro deve ser tranquilo, já que a agua não é tão gelada por causa da salinidade.
Faça Massada e Mar morto no mesmo dia... perfeito passeio!

Fabio Vallim
Fabio VallimPermalinkResponder

Olá, pessoal
Eu e minha esposa estamos planejando ir a Israel e a Petra, quais sao as dicas para não se encrencar nas fronteiras e onde eu posso buscar mais informaçoes de viajem, com valores, o quanto nos mais ou menos iremos gastar...
abraços a todos
Fabio Vallim

Ricardo Freire

O Arthur acabou de voltar de lá. Em breve devo dar chamada aqui para os posts.
http://agoravai.wordpress.com/category/jordania/

Para Israel, veja no blog da Mirella:
http://mikix.com/?cat=35

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Valeu pelo link Riq...
Fabio, o post sobre a fronteira Israel x Jordania está aqui: http://mikix.com/?p=809
Você vai adorar smile

Clarice
ClaricePermalinkResponder

Riq, como vc diz, viajar é uma estravagância, e aqui estou cometendo uma. O sitio arqueológico é mesmo o que as fotos prometem. Tenho lembrado muito do VNV e quero agradecer à Fê Costta e ao Arnaldo as importantes dicas que eles me deram direta ou indiretamente. O dia foi exaustivo, mas valeu cada minuto. O Mövenpick Resort Petra é realmente a melhor locação. Bjs à ao comandante e à toda tripulação.

Clarice
ClaricePermalinkResponder

ooops, eXtravagância, tem acento???

Erick Miller
Erick MillerPermalinkResponder

Riq, em fevereiro de 2012 terei trinta dias para dividir entre Egito, Jordânia e Israel.

No Egito, minha idéia inicial é ir para o Cairo e para Alexandria, depois para Luxor e de lá embarcar em um cruzeiro até Aswan. Acho que isso vai me consumir uns doze dias. Tenho o resto do tempo para dividir entre Jordânia (quero ir além de Petra) e Israel. Ainda não resolvi as cidades porque estou com dúvidas de roteiro.

Já li os posts daqui, do Arthur, da Mirella, da Dri e da Fê mas ainda não sei sobre a melhor ordem de países nem em que cidade é melhor terminar cada país para cruzar a fronteira. Eu não queria, por exemplo, terminar o cruzeiro em Aswan e ter de voltar para o Cairo para voar para outro lugar. Queria seguir uma ordem lógica, na medida do possível.

Será que dava para incluir essa no Perguntódromo?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Erick! Aqui quem responde é A Bóia. Vamos transformar num post participativo, é melhor do que Perguntódromo. Dê só uns diazinhos, tá? grin

Erick Miller
Erick MillerPermalinkResponder

Ok, Bóia, sigo aguardando ansiosamente. Acho que será muito útil para mim e para outros que forem viajar por aquela região.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar