No Turomaquia, o mais completo e atualizado guia dos Lençóis Maranhenses

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Poço das Pedras, Atins (foto: Turomaquia) Poço das Pedras, Atins (foto: Turomaquia)

A Patricia de Camargo e o Tom do Turomaquia saíram lá das ilhas Canárias, em agosto, para fazer uma linda viagem que resultou na melhor fonte de consulta sobre os Lençóis Maranhenses que você vai achar na internet (e provavelmente fora dela também).

O passo-a-passo está registrado e organizado -- desde a decepção com o estado do centro histórico de São Luís (e o encantamento com Alcântara, onde eles pernoitaram) até a análise de cada uma das escalas do circuito dos Lençóis. Patricia consegue encontrar as vantagens de Barreirinhas, se deslumbra ao passear a pé nos arredores de Santo Amaro, se arrepende de pernoitar em Caburé e encontra os "seus" Lençóis em Atins.

Eu particularmente adorei ver Atins pelos olhos da Patricia, porque quando fui -- num setembro de um ano cujo inverno não foi suficientemente chuvoso -- as lagoas já estavam secas. Patricia conseguiu ver o Poço das Pedras e ainda uma cachoeira (!), a Cachoeira do Bonzinho.

Esses posts que eu linkei são só um aperitivo. Os 35 posts da viagem, que incluem muitos de serviço e informações práticas, estão organizadinhos neste post aqui:

Lençóis Maranhanhenses no Turomaquia, por Patricia de Camargo

Bookmarque, leia e viaje na melhor época: entre o meio de junho e o início de setembro.

57 comentários

JULIO CORRÊA
JULIO CORRÊAPermalinkResponder

Que maravilha! Pretendo voltar a Lençois antes do fim do mundo e vou lá correndo. Fui!
abraços

Pedro filho da Ellen

Que legal eu ja fui para São Luis mas enfelismente minha mãe não me levou mas da procima vez vou pedir para ela,obrigado.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Eu passei pelo blog Turomaquia e gostei! Lindas fotos, boas dicas e um bom texto...que mais pode pedir? Parabéns Patricia e Tom pelo blog!!!

Guta
GutaPermalinkResponder

Esses posts da Patricia estão mais do que completos! Guia essencial para quem vai ou planeja ir para Lençois!

Vera Lucia
Vera LuciaPermalinkResponder

Fui lá, na Turomaquia. Excelente post, detalhadíssimo, completo, sem parcimônia. Parabéns.

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Adoro o Turomaquia! A série dos Lençois Maranhenses está d+! Parabéns! wink

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Está maravilhoso mesmo. A Patricía está de Parabéns!

Patricia - Turomaquia

Ricardo, obrigado pelo texto que descreve esta série do Turomaquia! E tripulantes, tô super feliz com os elogios e as visitas de vocês, espero vê-los sempre por lá!

beijos a todos

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Um belíssimo e completo trabalho, parabéns. Além do lugar, que dispensa comentários. Fui em 2004, em junho, período ótimo, lagoas no ápice. Quem ainda não foi, vá.

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Pati, tá incrível mesmo! Parabéns pela narrativa e pelo sucesso do blog!

Carol Wieser
Carol WieserPermalinkResponder

Sempre acompanho o blog Turomaquia e os posts dos Lençois estão extraordinários mesmo!! Fiquei morrendo de vontade de ir conhecer, depois dessa super série.

Isabel O., Portugal

Eu achava um nome um bocadinho estranho "Patrícia-Tauromaquia" para alguém que escrevia num blogue brasileiro. Mas só agora percebi a ligação a Espanha.(por acaso nunca fui às Canárias...) Também fui ao bloge e fiquei fã... mas também desolada com o estado de S. Luís. Pensava que estivesse muito melhor. Das terrinhas com vestígios lusos mais marcantes só estive em Paraty e Olinda (predilecção pela 1ª). Fico com pena de S. Luís não estar ao mesmo nível de preservação.

Ricardo Freire

É fácil explicar porque você gostou mais de Paraty, Isabel: foi um lugar adotado por ricos de bom-gosto e tem um constante fluxo de turistas, boa parte estrangeiros. Já Olinda se tornou um passeio, e não um destino. E o centro histórico de São Luís não conseguiu evoluir depois da renovação: não foi adotado pelos ricos do lugar, nem há turistas suficientes para criar um círculo virtuoso de renovação/manutenção. O lugar foi restaurado anteontem, mas já está em ruínas novamente.

Isabel O., Portugal

Obrigada pela explicação. Há uns anos eu tinha lido uma reportagem numa revista e tinha achado o máximo.
Adoro azulejos antigos e estudei bastante o assunto em várias fases da minha vida.

Patricia - Turomaquia

E a parte restaurada é mínima, o bairro é enorme! Em algumas partes, os edifícios literalmente estão caindo aos pedaços!

Isabel, o nome do blog Turomaquia, é um jogo de palavras entre turismo e tauromaquia, que significaria a arte de lidar com o turismo!

Beijos

Isabel O., Portugal

Juro que só hoje reparei, de facto, como se escrevia o nome do blogue - LI SEMPRE "Tauromaquia". É o que dá viver na Península Ibérica...
Como vocês dizem : "Que mico!"
Mas é mesmo um bom nome.
Obrigada pela resposta e pelo esclarecimento. Ficaria na minha eternamente... mesmo depois de ler ido ao local do crime.

Patricia - Turomaquia

Isabel, ui que alivio quando você diz que é um bom nome. Sabe que um monte de gente pensa que é tauromaquia, e eu já tinha até pensado em mudar, mas é que me afeiçoei ao dito cujo!
Beijos

Fafá Ribeiro
Fafá RibeiroPermalinkResponder

Em Atins fiquei na Pousada da D. Maria e Seu Pedro Buno. São quatro chalés simplérrimos com banheiros compartilhados, tudo muuuuuito limpo mesmo. A diária inclui o café (com suco de fruta do quintal) e uma refeição que você escolhe de frango, peixe ou camarão. O camarão de D. Maria é o melhor que já comi (desculpe, Luzia!). Telefone de D. Maria: (98) 33495017
Fotos aqui: http://fafarib.multiply.com/photos/album/1/1

Patricia - Turomaquia

Legal Fafá, outra opção nos Atins!

Rosa
RosaPermalinkResponder

Sensacional. Esse passeio está na minha lista há algum tempo. Depois do B-A-BA da Patrícia, vai ser muito meçlhor. Dicas sensacionais!!!

Alessandro A.
Alessandro A.PermalinkResponder

Eu já tinha comentado no Turomaquia, mas vou deixar registrado aqui também. Patrícia, essa séria está excelente! Acho difícil encontrar tantas informações dos Lençóis como no seu blog. Parabéns!

Patricia - Turomaquia

Alessandro, eu escrevi os mínimos detalhes porque tive dificuldades em montar esta viagem, e elas não foram maiores porque contei as informações do Riq e do Tony.

Lu
LuPermalinkResponder

Mto legal esse passo a passo p/os Lençois, inclusive c/as roubadas e os ptos altos. Como está na minha lista de destinos, já bookmarquei. Valeu!!

Riq,
Cheguei semana passada da minha empreitada novaiorquina. Felizmente deu tudo certo c/o meu embarque e o htl foi uma grata surpresa. Pensei em falar do htl e das dicas gastronômicas da Marcie, c/quem encontramos várias vezes, mas estou na dúvida de onde fazê-lo. Pensei no último episódio do desempacotando NY, p/ñ ficar perdido em comentário de outro post que ñ tenha nada a ver c/NY. Me fala o que acha ou se tem outro lugar melhor.

Bjs,
Lu

Ricardo Freire

Pode ser em qualquer post com o assunto em Nova YOrk, à escolha smile

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Patricia, os Lençóis são o meu maior objeto de desejo hoje no Brasil e, sinceramente: essa foto sua do Poço das Pedras me deixou totalmente atiçada, rs...
Vontade absurda de pular. Preciso ir a esse lugar! grin
Vou dar um pulo lá para apreciar com mais calma...

Patricia - Turomaquia

Emília, o dia mais perfeito nos Lençois, foi o dia do Poço das Pedras, é impossível descrever este lugar, é muito surreal!
Beijos

Jorge Bernardes

Que pena saber que o Centro Historico de Sao Luis esta assim tao mal...

Patricia - Turomaquia

Eu fiquei bem decepcionada, porque eu adoro um centro histórico, e o que estão fazendo com este patrimônio da humanidade é de chorar.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Mas, os Sarneys estão morrendo de rir... Lamentável...

Isabel O., Portugal

Imagino que sejam da tribo do ex-presidente, não?

Os Collor de Mello (escrever-se-á assim?) também tinham uma parentela em cargos estaduais, não tinham? Tenho ideia de ler lido isso.
Não está na hora de se livrarem dessas oligarquias familiares tão sul-americanas?...
É a beleza da democracia... mas convém que ela venha acompanhada de melhor distribuição de riqueza e de instrução, senão fica tudo (quase)na mesma... penso eu.

Isabel O., Portugal

Desculpem a politização... mas não resisti.
Espero que não entendam as minhas palavras como pretensiosismo europeu ou intromissão no que não me diz respeito. Só que, convenhamos, isto anda tudo ligado.

Ricardo Freire

Isabel, temos um presidente que, mesmo com 80% de aprovação popular, prestes a sair do poder com a aura de melhor presidente da história deste país, se recusa a romper com essas oligarquias -- e parece ter orgulho em associar-se às forças mais nefastas. Talvez daqui a duas encarnações a gente consiga enterrar o feudalismo e as capitanias hereditárias.

Vera Lucia
Vera LuciaPermalinkResponder

Ricardo perdoe-me, mas vou aproveitar a deixa da Isabel e acrescentar que os dois estados mais miseráveis do nosso querido Brasil são Maranhão (ex-presidente Sarney) e Alagoas (ex-presidente Collor). Infelizmente. Só existe turismo devido à generosidade do povo e belezas naturais.

MARIA LUIZA
MARIA LUIZAPermalinkResponder

Patricia
Eu e minha filha estamos pensando em ir a Lençois de 17/02 à 23/02. O que você acha, é uma boa época? Eu gostaria de conhecer Alcantara, Barreirinhas, Atins, Santo Amaro mas não entendi se posso fazer isso saindo todo dia de São Luis e voltando ou não reservo todo hotel em São Luis, fico em outras cidades.
Você pode me dar uma idéia da ordem dos lugares a visitar e onde ficar?
Ufa! Obrigada e beijos
Luiza

Rita
RitaPermalinkResponder

Riq, acompanho seu blog há cerca de um ano e aproveitei muitas dicas quando fui a Portugal e Espanha em novembro passado.
Depois de ler os relatos sobre Lençóis da Patrícia e da Marília, que acessei por aqui, e o do Jorge Bernardes no Giramundo, fiz um roteirinho de 2 dias em São Luís (1 para bate-e-volta a Alcântara), 4 em Barreirinhas e 1 em Atins, finalizando em 15/06/2010. Como ainda me restarão mais 15 dias de férias, estou inclinada a estender meu giro pelo nordeste pegando um voo para Recife, de onde pretendo fazer um bate-e-volta para João Pessoa e rodar outros 3 dias pela capital de PE e arredores, mais outros 3 ou 4 em Porto de Galinhas, indo a Carneiros, Cabo de Santo Agostinho e Serrambi, outros 3 em Maragogi, indo a Japaratinga, Laje e Patacho, e finalizando em Maceió, de onde retornarei a São Paulo.
Gostaria de saber sua opinião, e dos bem informados leitores desse blog, sobre o roteiro pós-Lençóis e, principalmente, sobre a época (segunda quinzena de junho). Pelo que li no seu excelente "100 praias que valem a viagem", a melhor época é entre setembro e março. Você acha que as águas de junho podem prejudicar muito o aproveitamento dos passeios? Conforme sua resposta, posso mudar o destino da segunda quinzena... Sugestões?
Agradeço desde já a atenção de todos (Comandante e tripulantes)!

Ricardo Freire

Rita, em junho o tempo tende a estar mais firme no norte do Nordeste. É mais seguro você pegar tempo bom continuando pelo Piauí e Ceará e oeste do Rio Grande do Norte do que por Pernambuco e Alagoas, onde abril-maio-junho é oficialmente a temporada de chuvas. (Já no norte do Brasil, o verão começa oficialmente em julho. Em junho o pior das chuvas já passou faz tempo.)

O restante da sua viagem conforme planejado só é confortável de fazer de carro. Caso você faça, tente alugar na Unidas, que não cobra taxa de devolução em outra cidade.

Se eu fosse você, eu continuaria ao Piauí, onde ficaria uns dias em Barra Grande do Piauí, um vilarejo adorável (veja no menu Brasil A-Z), e seguiria a Jericoacoara e Fortaleza.

Rita
RitaPermalinkResponder

Riq, muito obrigada pela resposta, que surpreendeu pela rapidez.
Sua sugestão é uma ordem!
Já conheço Fortaleza, mas Barra Grande do Piauí e Jericoacoara não. Após ponderar seus argumentos e analisar as novas opções, o complemento da viagem no norte do Nordeste me pareceu mais apropriado e tão agradável quanto o plano inicial. Só o deslocamento entre Caburé (ou Barreirinhas) e Barra Grande que me deixou em dúvida. Pelo que li, seria melhor fazer uma parada no meio do caminho e pernoitar em Tutóia ou Parnaíba. É isso mesmo? A princípio, não estou muito inclinada a fazer o passeio do Delta...

Ricardo Freire

O pernoite depende do esquema que você arrumar. Mas acho que fica mais tranqüilo pernoitar em Tutóia, só pra reduzir o stress mesmo. Daí no dia seguinte você vai direto a Parnaíba e segue a Barra Grande.

Selma Boiron
Selma BoironPermalinkResponder

Riq, estou planejando ir à São Luiz e a Lençóis na segunda quinzena de julho qdo meu filho de 13 anos tem férias e meu marido, férias no trabalho. Gostaria de ficar 2 dias na capital na ida e mais um ou dois antes de retornar ao Rio, já q meu marido tem parentes lá. Qtos dias vc nos recomenda passar nos Lençois e com pernoites em quais cidades? 10 dias seriam suficientes? Há trajetos muuuuito longos por rio?(Tenho medo de enjoar ou simplesmente ter medo mesmo). Buscamos opções econômicas e confortáveis, não temos luxo, nem muito $.Desde já, agradeço sua ajuda.Viajar com um pré-adolescente sozinho é chato pq não há mto como entretê-lo. Apesar de q, ele - como nós - é mais do dia q da noite. Ainda bem! Este me parece msm um passeio ao sol!Obrigadasmile

Ricardo Freire

10 dias são suficientes, a época é ótima, e indo por conta própria não sai caro, não.

Minhas recomendações para esta rota estão neste post
https://www.viajenaviagem.com/2007/04/de-sao-luis-a-fortaleza-pra-flavia/

Leia também todos os posts da Patricia, ela foi há menos tempo.

O único trajeto em rio é o passeio entre Barreirinhas e Caburé.

Izabel Schneider

Ricardo,
Na primeira vez que fui à S.Luiz e aos Lençois, fui por conta e utilizei as tuas recomendações.
Fiquei decepcionada com a chegada e a primeira impressão das casas mal conservadas é bem ruim.
Mas aquele é um outro Brasil, de uma cultura magnifica. Eu viajo só, adoro me perder (ou achar) no meio do povo, ouvir suas histórias, suas lendas, suas peculiaridades.Fiquei fascinada pelo Maranhão.
Nos Lençois tambem fui até Atins como a Patricia e amei.
O Maranhão é surpreendente e deixei umas pendências lá...rsrs...Bumba meu Boi e Festa do Divino...volto neste S.Jõao pra resolver isto...

Izabel Schneider

Ricardo,
Relamente o Turomaquia é sensacional.
Eu fui à S.Luis e Lençois e segui teus conselhos.
Hj o blog da Patrícia é uma referência até maior.

Uma pena mesmo o estado de má conservação de S.Luis, mas em nenhum outro lugar no Brasil alguém me parou na rua pra perguntar de onde eu era e se estava gostando da cidade.

Perder-se (ou achar) pelas ruas do centro histórico ouvindo historias, lendas, e casos é algo maravilhoso. Não sei como vivi 50 anos sem saber nada daquilo.
Alem das influencias já conhecidas, me surpreendeu muito a influência africana no Maranhão. Os escravos pra lá levados são de naçoes muito diferentes do restante do país e isto confere uma singularidade aos ritos e sons. Recomendo inclusive a leitura do livro "Tambores de São Luis" de Josué Montello .
Há tambem a forte influência indígena e os sotaques: quanto mais perto do mar, mais o sotaque vai se parecendo com o do litoral de Sta.Catarina, portugues com certeza.
Gostei muito da POEME-SE , livraria no centro histórico ponto de encontro de escritores e artistas da terra e onde é possível passar algumas horas ótimas e encontrar literatura local, muito rica por sinal.
A gente fica pensando como um povo daquele com uma cultura tão espetacular é tão espoliado por governos feudais.

Nos Lençois tambem acho que Atins é meu lugar.

E como vc mesmo escreveu...se não quiser voltar lá, não vá à Casa do Maranhão nem à Casa da Festa porque vai querer voltar.
Eu fui lá e volto agora em junho para o Bumba Meu Boi.

Eleonora
EleonoraPermalinkResponder

Ricardo, td bem??
Voce acha desaconselhável ir a lençois com uma criança de 6 anos??
Desde ja agradeço,
Abço,
Eleonora

Ricardo Freire

O gostoso são as caminhadas. Com criança você vai acabar fazendo os passeios motorizados, que deveriam ser banidos do parque. Espere crescer.

Rita
RitaPermalinkResponder

Riq, retornei há duas semanas de viagem e deixo aqui meu depoimento: Aproveitei a promoção de uma administradora de cartões de crédito para comprar os bilhetes aéreos e a hospedagem em São Luís, Jericoacoara e Fortaleza e contratei todos os trajetos, desde São Luís-Santo Amaro até Jericoacoara-Fortaleza, quase todos os passeios e a hospedagem faltante com uma agência de turismo de Parnaíba (Rastro Nordestino, recomendo).

Cheguei em São Luís no meio da tarde e fui conhecer a Lagoa Jansen. No dia seguinte, passei a manhã e o começo da tarde (nesse dia, nossa seleção estreou na Copa) entre as praias de Ponta D’Areia e Calhau. Como a maré estava baixa, a faixa de areia era enorme. Depois do jogo do Brasil, tentei conferir o centro histórico. Pelo pouco que vi, o centro de São Luís está mal conservado, em alguns pontos, tem aparência de abandonado, exceto alguns edifícios como o Palácio dos Leões, o Museu Histórico e Artístico, o Teatro Artur Azevedo e umas duas igrejas. Finalizei São Luís com um excelente jantar no Maracangalha.

Santo Amaro: só o trajeto até lá já é uma experiência! Até Sangue, tudo normal, mas de Sangue em diante... duas horas de sacolejos e solavancos no Toyota Bandeirante, passando por povoados isolados. Fiquei na pousada Água Doce. À tarde, fui à Lagoa da Gaivota e, no dia seguinte, os passeios foram para América (manhã) e Emendadas (tarde). Todas lindas. Só na primeira havia outro grupo visitando, mas parecia uma lagoa privativa, só nossa! (assim como as do dia seguinte foram)

Barreirinhas: Fiquei na pousada Encantes do Nordeste. Gostei muito. Ela fica um pouco afastada do centro de Barreirinhas e tem um restaurante ótimo ao lado, o Bambaê. Jantei lá nas duas noites que fiquei em Barreirinhas. Fiz passeios para as Lagoas Azul (combinado com Preguiça e Esmeralda, uma separada da outra por dunas) e Bonita (tem que mudar de nome para “Linda”!), onde vi o primeiro pôr-do-sol especial da viagem, e um bóia-cross (a bóia é uma câmara de pneu de caminhão!) no Cardosa (um pequeno vilarejo), onde a gente desceu suavemente o Rio Formiga. Hiper relaxante!
* Faço aqui uma pausa para contar duas decepções:
1) as lagoas não estavam muito cheias porque, segundo os moradores locais, não choveu muito no inverno desse ano (estive por lá já na segunda quinzena de junho);
2) NÃO PUDE FAZER O SOBREVOO (snifs tristonhos) porque o aeroporto de Barreirinhas foi interditado em maio deste ano pela Anac.

Atins: achei a ida até lá surreal! Peguei a bagagem e botei na lancha voadeira. No caminho, paramos em Vassouras, para ver os pequenos lençóis e os fofíssimos macacos-prego, e Mandacaru, com tempo para subir os 160 degraus do farol. Que conjugação mais deliciosa de transfer e passeio! Ficamos na pousada Rancho do Buna. Rusticidade combinada com um encanto que só indo para conferir. Nesse dia, o almoço foi na própria pousada para aproveitarmos a maré baixa durante o tempo necessário para ir e voltar da melhor lagoa que visitei nos lençóis. A Mônica, da pousada, disse que o nome da lagoa era Verde, mas a água era tão azul!!! Lagoa enorme, com profundidade chegando a 4 metros, água morninha! Lá, vi outro pôr-do-sol maravilhoso e, depois, tocamos para o restaurante da Luzia, onde jantamos os famosos camarões.

Barra Grande: no dia seguinte atravessamos o Rio Preguiças e, de Caburé, partimos num Land Rover para Barra Grande do Piauí, passando por pequenos povoados, Tutóia, Parnaíba (onde almoçamos) e Luís Correia. Achei que fosse mais puxado, mas é perfeitamente “encarável”. Chegamos em Barra Grande no meio da tarde e ficamos na pousada BGK, que me surpreendeu positivamente pela cativante conjugação com a natureza local (até nos banheiros dos quartos standard, que têm uma iluminação natural mais ampla do que estamos acostumados: são praticamente ao ar livre, mas com a privacidade necessária!). E que praia é aquela? Preservadíssima e praticamente só nossa! No final da tarde, apareceram 3 kitesurfistas que deram uma dinâmica especial a um pôr-do-sol inesquecível!
Jericoacoara: no dia seguinte, partimos para Jericoacoara numa Hilux, com uma longa, e deliciosa, parada na Lagoa da Torta. Mas não tão longa a ponto de atrapalhar o primeiro pôr-do-sol naquela duna monumental. É um ritual de Jeri, mas devo admitir que achei o de Barra Grande mais bonito. Em Jeri, mais lagoas (Azul, do Paraíso e do Coração – essa última pequenina) e um almoço dos Deuses na praia do Preá, jantar no Chocolate, crepe no Naturalmente, passeio à Pedra Furada (que eu achei dispensável), massagem na pousada Capitão Thomaz... isso que é vida!!!

Em Fortaleza, fui, de novo, à Lagoinha (e adorei, de novo!) e conheci Mundaú, praia ótima, tranquila, sem aquele monte de vendedores que nos atormentam na praia do Futuro. O lugar perfeito para fechar a viagem com chave de ouro!

Quanto àquela discussão sobre de onde é melhor começar esse roteiro(de São Luís ou de Fortaleza), minha opinião é que a minha escolha foi acertada. Explico: começando por SL, a gente faz primeiro a parte mais cansativa da viagem e finaliza nos locais onde podemos descansar dessa primeira parte.

Riq, desculpe se me estendi demais em meu relato e muito obrigada por manter esse blog (a você e a todos que nele comentam), pois ele se tornou leitura obrigatória antes de qualquer viagem que eu faça. E, parafraseando, "VnV, não saia de férias sem ele!"

Ricardo Freire

Obrigadíssimo, Rita!

HUGO
HUGOPermalinkResponder

Ricardo bom dia,

O Turomaquia esta fora do ar na parte de quando se tenta acessar os posts de Lençois. Patricia, aconteceu alguma coisa? Sabe me dizer Ricardo?

Abraço,

Hugo

Rê
PermalinkResponder

Tb tentei acessar e nao consegui. Estou avida por informaçoes atualizadas pois irei em junho e nao consigo fechar um roteiro diante tantas opçoes de passeios disponiveis! Dicas são bem vindas!

Oscar | MauOscar.com

Recentemente o Blog da Patricia migrou de plataforma neste Link você consegue acessar esta serie fenomenal do Turomaquia
http://turomaquia.com/lencois-maranhenses-indice/

cristiane ribeiro

Estou fazendo o roteiro de minhas férias de dezembro (vai de 15 a 30)para o nordeste e gostaria de incluir os lençóis maranhenses.Gostaria de saber das bóias, do Ricardo ou de qualquer outra pessoa, se em dezembro as lagoas estão secas... Se estiverem não sei se valeria a pena....

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiane! Em dezembro a maioria das lagoas vai estar seca. É quando começa a estação das chuvas, que enche as lagoas até maio/junho. A época para visitar é entre julho e início de setembro.

cristiane ribeiro

Que pena...queria fazer o roteiro São Luíz - Fortaleza, passando pelo Delta e Jeri...Tem algum roteiro pra me sugerir onde eu possa passar por pelo menos dois estados? Eu gostaria de desembarcar numa capital e retornar de outra capital...assim eu faço os passeios que tem no meio...Ano passado fiz isso entre Maceió e Recife e foi muito legal...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiane! Chegando por Natal e voltando por João Pessoa há muitas belas praias a visitar. Entrando por Aracaju e voltando por Maceió você terá passeios diversificados em Sergipe (incluindo o Xingó) e praias no sul de Alagoas.

https://www.viajenaviagem.com/category/sergipe

Pense também na Costa do Dendê, chegando por Salvador e saindo por Ilhéus (ou vice-versa)

https://www.viajenaviagem.com/2010/02/resumindo-de-onibus-pela-costa-do-dende/

cristiane ribeiro

que legal bóia..obrigada pelas dicas ..vou retomar minhas pesquisas de roteiros e vou dar uma olhada nesses...

Érika Marques

As dicas do turomaquia foram decisivas para incluir Alcântara no meu roteiro no Maranhão. Visitei a cidade, agora no final de Outubro.

No Blog já publiquei dois artigos, com dicas e sugestão de roteiro. Confiram:
http://respirandooutrosares.blogspot.com/search/label/Alc%C3%A2ntara

Abraços,

Érika
@vejaoutrosares

Série dos Lençois Maranhenses no Viaje na Viagem | Turomaquia

[...] a situação digna de comemoração. Pois bem, o Turomaquia ganhou um post no final de semana no Viaje na Viagem. A série dos Lençois Maranhenses ganhou uma linda resenha do Ricardo Freire, que me emocionou, e [...]

Maria
MariaPermalinkResponder

Olá Pessoal! Acabei de chegar dos Lençois esta semana, e li não lembro se foi aqui ou no Turomania, elogios da Pousada Lagoa Azul do Sr Antoninho. Pois digo o contrario, se puder evitem-na. Ele tem uma toyota e oferece os passeios, como a cidade é pequena e às vezes poucos turistas ( pelo menos foi assim comigo ), as pousadas fazem contatos umas com as outras pra que os hospedes compartilhem os passeios pra ficar mais em conta. Ele ao contrário, " blinda " seus hospedes que acabam pagando os passeios sozinhos e portanto bem caros. Outra, pagamos o passeio da Lagoa Espigão e Betania 200,00 ( apenas as que tinha agua ), e ele só levou na Espigão, nos deu o calote na outra.
Fica aí o alerta!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar