Sudeste Asiático pra Mirella

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

[caption id="attachment_6196" align="alignleft" width="161"]Wat Arun, Bangkok Wat Arun, Bangkok[/caption]

A Mirella e o Kiko do Mikix já estão de malas prontas novamente: no fim do ano vão fugir do frio do Canadá para dar um giro pelo Sudeste da Ásia.

As passagens de ida e volta estão compradas, e o roteiro, mais ou menos definido. Eles estão agora fechando hotéis (procuram 3/4 estrelas, na faixa de 150 dólares, escorregando aqui e ali até 200) e querem os pitacos da tripulação.

Estas são as escalas e os hotéis finalistas:

Hong Kong (6 noites) – Lan Kwai Fong Hotel

Kuala Lumpur (4 noites) – Traders Hotel, JW Marriott ou Ascott (dúvida : ficar em Chinatown ou perto das Petronas Towers?)

Siem Reap (5 noites) – Angkor Village

Krabi ou Phuket ou ??? (9 noites) – a escala na praia na Tailândia é a que mais suscita dúvidas; por enquanto o escolhido é o Ao Nang Orchid Resort, em Krabi

Bangkok
(5 noites) – Pathumwan Princess ou Royal Orchid Sheraton

Então, trips? À caixa de comentários!

345 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

viagem afora
viagem aforaPermalink

Nossa, quantas dicas boas!! Anotamos muitas delas, para a nossa Volta ao Mundo com inicio no final de março!! Iremos acompanhar de pertinho a Lu Malheiros pela Ásia.
Muito bom, valeu!

Georgia
GeorgiaPermalink

Riq, bóias, trips, socorro!

Pretendo “dar uma voltinha ”no sudeste asiático no final do ano, mais precisamente na última semana de outubro e voltando no final de novembro.
Penso em viajar em 26/10 e voltar em 15/11, o que me daria uns 17-18 dias “líquido”.
Estou descabelada com o roteiro porque quero incluir tudo e mais um pouco mas já estou vendo que não vai dar.
Nos meus sonhos eu queria visitar BKK, Chiang Mai, Hanoi, Halong Bay, Siem Reap e 1 ou 2 praias. Acho que vou voar pela Emirates pois o tempo de voo é mais curto do que fazer conexão na Europa, embora seja mais caro(é mais caro do que ir para a China ou para o Japão, o que só piora minha confusão interna pois esses destinos tb estão na minha lista).
Inicialmente tentei ver os trechos internos pelo Skyscanner mas estou achando muito caro. Se eu excluir o Vietnam o trecho mais caro seria BKK- REP. Se eu mantiver o Vietnam, ficarão caros os trechos HAN-REP e REP BKK. Pelas simulações que fiz no ITA software não compensa incluir o trecho na passagem de/para o Brasil.
Nesse momento minhas principais dúvidas são:
. Deixo o Vietnam pra depois? Li informações controversas a respeito do tempo nessa época do ano. Estou com medo de não ser uma boa época para Halong Bay. Imagina andar tudo isso pra ter visibilidade ruim em Halong?
. Encaro a a alternativa de ir por terra para Siem Reap? Alguém já foi? Vi um post no viagemafora sobre isso. Seria ir de bus até a fronteira da Tailandia e depois de taxi da fronteira do Camboja até SR. Será que rola ir de taxi todo o trajeto? Seriam 2 trajetos, na verdade.
. Sobre o roteiro:
Se o tempo for favorável ao Vietnam acho que vou cortar Chiang Mai e fazer todo o resto. Se não for, sai fora o Vietnam.
O que vcs acham?
Já li tantas coisas e estou mais perdida do que antes. Já estou quase cometendo o pecado de procurar um roteiro numa agencia...
Alguém acende a luz, por favor!!!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Georgia,
Olhando rapidamente o seu roteiro me pareceu que é muita coisa para pouco tempo.
Eu não iria por terra para Siem Reap (cheguei a considerar isso!), simplesmente, por ser cansativo! Vi o relato da Ellen e do Antonio, achei lindo, mas não faria.
Chiang Mai não é imperdível, apesar de ter gostado muito de lá. Se tivesse grana, teria incluído Luang Prabang.
Na minha viagem, tirei o Vietnan por uma questão de logística e grana. Acho que vale a pena conhecer Halong Bay em um cruzeiro. Como estava indo sozinha, sairia caro. Você já viu o relato da Carla do Idas&Vindas? O JB também escreveu sobre Halong Bay no Descobrimento da America +.
Não sei como é o tempo na região em outubro. Se não me engano, em outubro chove em Bangkok!
Boa sorte!

Helo
HeloPermalink

Ola, fui para BKK, Camboja, Vietna e Laos, no fim de 2007 em tour organizado pela Raidho. Adorei a viagem, principalmente Camboja e Laos. Passamos 4 dias livres em Siem Reap e ficaria mais tempo. E Luang Prabang é um oasis. Sem contar que o povo é muito amistoso!

No Vietna, visitanos, Saigon, Hoin An, Hue, Hanoi e Bahia de Halong. Não pegamos tempo bom na bahia de Halong. Fiquei encantada com Hoin An, um dos pontos altos da viagem.

Se voltasse a esta regiao com estes numeros de dias, visitaria somente Tailandia, Siem Reap e Luang Prabang e deixaria Vietna para outra viagem, quem sabe incluindo China tambem.

Helo
HeloPermalink

A proposito, a Raquel Verano tem um post lindos sobre o Camboja, Laos e Cia no blog no site viaje aqui nesta epoca de 2007 e 2008!

sylviatravel
sylviatravelPermalink

Aqui tem tudo de Siem Reap http://www.canbypublications.com/siemreap/srtransp.htm

A Air Asia e a Tiger tem ótimas tarifas , dá uma conferida.

Veja que o skyscanner não lista todas as cias aéreas partindo de
tuas cidade aqui no Brasil, isso ocorre em todos os lugares.
É preciso procurar low cost em sites locais.

Georgia
GeorgiaPermalink

Pois é. Eu não conhecia a Nok Air. Vi voo de Phi Phi para BKK. Vou conferir os outros. Obrigada.

Dri Miller
Dri MillerPermalink

OI Georgia,
Eu fiz um roteiro parecido ha uns anos atras - não foi Outubro, mas foi Dezembro/Janeiro. Peguei tempo otimo no Vietnam, mas meio friozinho.
Para os voos internos, de uma olhada na Air Asia, a unica cia Low cost de verdade na Asia, e que super vale a pena. As vezes vc tem que fazer um pouco vai e volta, mas o preço compensa.
Quando eu fiz esse roteiro, entre Camboja (Siem Rep) e Hanoi, tive que "voltar" pra Malasia (KL) por causa da conexao da Air Asia, mas ainda assim compensou pelo preço e tempo e conforto.

Meu relato completo da viagem pelo Sudoeste Asiatico (Tailandia - Bangkok, Koh Samiu e Koh Phanghan, Kuala Lumpur, Sien Rep, Hanoi e Ha Long Bay) estao aqui: http://drieverywhere.net/categoria/viagens/lua-de-mel/
(Ou pelas categorias de cada pais)

No momento estou na Asia de novo, e estou relatando aos poucos a viagem: http://drieverywhere.net

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi Dri!
Obrigada por responder. Estou acompanhando a sua viagem atual e li sobre a anterior. Adorei o episódio da mala pink! wink
Acho que tudo está se encaixando agora. Estou na fase de entender as praias.
Valeu pela ajuda!

sylviatravel
sylviatravelPermalink

Georgia :
*Tens muito tempo para ver isso,reduzir a ansiedade é primordial.
*Ao meu ver o Ita nao é o melhor lugar para conferir preços;use
um agente p/tkts daqui e confira voos locais via http://www.zuji.com/
*Fale c/ o Antonio e Elen via twitter que eles retornam sempre;
*Halong quase sempre está nublado, esperar um dia limpo em qualquer época é frustração certa;
*Com 18 dias liquido eu pensaria em no máximo 4 lugares
*Siem Reap é único e imperdível, e o caminho viável no-stress é o avião ( acredite!)
*A dupla Cambodia e Tailandia é perfeita e tens muitas opções de praias ao sul para incluir sem correria no teu roteiro.
* As monções vao de maio a setembro ( busca o nome da cidade + climate chart)

http://www.travelfish.org/travel-planning/airline-ticket

http://travel.spotcoolstuff.com/airline-air-travel/southeast-asia/low-cost-carriers

Bóia , por favor repassa meu @ pra Georgia.

Georgia
GeorgiaPermalink

Lu, Helo e Sylvia, obrigadíssima pelas dicas!
Helo, também pensei em deixar o Vietnam pra uma outra ocasião, junto com a China.
Fiquei ontem vendo o roteiro e acabei tirando Chiang Mai.
Pelos voos que pesquisei ficou melhor voltar a BKK entra as idas para Hanoi/Halong e Siem Reap do que fazer uma saída única da Tailandia voltando apenas a BKK para embarcar para BSB.

Ficou mais ou menos assim:
28/10 Chegada em BKK
29/10 BKK
30/10 BKK
31/10 BKK/HAN
01/11 Halong
02/11 Halong/Han
03/11 Han/BKK
04/11 Bkk
05/11 BKK/Siem Reap
06/11 SR
07/11 SR
08/11 Siem Reap/ BKK BKK/Krabi
09/11 Praias ainda nao exatamente definidas (Phi Phi)
10/11
11/11
12/11
13/11 Krabi/BKK
14/11 ou 15/11 Volta para o Brasil

Se eu voltar um dia mais tarde e encolher a praia em 1 dia talvez dê pra incluir Luang Prabang.

Sei que é pouquíssimo tempo no Vietanm mas pelo que eu vi no travelfish o clima não é muito favorável. Eu gostaria de ir a Sapa também, além de Hoi An. Mas acabei deixando apenas Halong que é o meu maior desejo. Se eu conseguisse abdicar das praias da Tailândia daria pra ficar mais tempo no Vietnam mas acho que não vou resistir.

Sylvia, sobre a ida para Siem Reap encontrei um voo ida e volta pela BKK airways com valor de 266 Euros. Achei aceitável. Acho que seria a maior aventura ir por terra mas acho que não é para mim. Ficaria super barato pois estaremos em 4 pessoas. Mas... vou de avião.

Sei que está cedo pra “fechar” mas estou precisando ter uma boa ideia de tudo porque em abril/maio vou fazer uma outra viagem para Moscou/ SPB/ Estocolmo/ Londres e ainda preciso planejar essa tb . Quando voltar estarei a 5 meses desta viagem para a Ásia e já quero comprar as passagens em maio. Enfim, quero ter uma boa idéia do que é viável ou não fazer. Essa antecedência toda também me ajuda no planejamento financeiro. Vou me acostumando com os preços na medida em que o tempo passa.

Não conhecia a zuji.com. Vou pesquisar.
Engraçado vc comentar do ITA não ser o melhor lugar. Pra essa viagem em maio (Russia) pesquisei tudo: expedia, kaiak, hipmunk, decolar, tap e ITA, que foi o que me trouxe mais opções de voos e onde eu acabei achando o que eu precisava. Acabei comprando numa agência pelo mesmo valor que o ITA me mostrou. Na agência achei menos voos do que encontrei sozinha. Estou precisando achar ‘O” agente de viagens.
Vou pesquisar os links e te procuro no twitter ou aqui.

Meninas, obrigadíssima. Ainda vou perturbar vcs!
Beijos!

sylviatravel
sylviatravelPermalink

A Air Asia tem voos HAN BKK a partir de 60 USD, e as tarifas variam muito ao longo das semanas;
Parar duas noites e um dia em BKK é cansativo e demorado;tenta uma conexão direta entre o Vietnam e o Cambodia.
Ah! e tenta evitar finais de semana em Angkor e PhiPhi.

Georgia
GeorgiaPermalink

Tinha visto um voo BKK HAN pela Air Asia que sai às 06:45 hs de BKK. Normalmente não escolho voos tão cedo assim, a não ser saindo de casa. Vc vê algum problema em pegar taxi ás 04:00 hs em BKK?

Georgia
GeorgiaPermalink

Vou rever esse trecho. Estava mais barato voltar para BKK e os voos diretos tinham conexão em BKK. Achei estranho o "direto"ser mais caro mas foi o que aconteceu nas datas que simulei mas vou tentar as locais.

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Georgia,
Só reforçando o que a Sylvia falou: veja se dá para fazer Hanoi/Siem Reap pela Vietnam Airlines ou outra empresa. O trecho não deve ser barato, acho que uns US$ 250. Como você tem tempo, faça diferentes simulações de cidades/datas. Dependendo da ordem, o preço das passagens pode sair mais barato (deixe as praias para o final mesmo!). Por conta disso, apesar de ser fã da regra da "cereja do bolo por último", visitei Siem Reap no início da minha viagem. Comprei minhas passagens 2 meses antes da viagem. A AirAsia faz uma série de promoções ao longo do ano, fique atenta.
A Sylvia me deu uma dica preciosa quando fui para BKK via África do Sul: dormir uma noite em Johannesburg! O fuso horário é terrível e essa pausa foi essencial para que eu aguentasse bem a viagem. E, olha, quando fui para Siem Reap já estava há 5 dias no fuso de BKK! Mesmo assim, o 1o. dia de passeio foi cansativo... Não quero te desanimar, longe disso, mas lembre-se de que você vai passar por países diferentes, com moedas diferentes e com todos os procedimentos de aeroporto. É fundamental estar minimamente descansada.
Boa sorte, abs

Georgia
GeorgiaPermalink

OI Lu, Sylvia, estou reformulando o roteiro.
Com a inclusão de Luang Prabang consegui evitar aquela volta em BKK no meio da viagem.
Estou considerando a ida pela Emirates porque em vez de 2 voos longos de 11h (ex: BSB/CDG e CDG/BKK) faria um voo longo de 14h SP/Dubai e um voo mais curto Dubai/BKK) mas vou ver a diferença de preço.
Também tenho medo do fuso e vou ficar 4 noites em BKK antes de viajar de novo.
A idéia de deixar as praias pro final é tentar descansar no final da maratona.
Já estou aqui vendo se consigo uns 2 dias a mais para dar uma folga no roteiro mas até esse momento está assim:

28/10 Chegada em BKK
29/10 BKK
30/10 BKK
31/10 BKK
01/11 BKK/HAN
02/11 HAN /Halong
03/11 Halong/HAN
04/11 HAN/LPQ
05/11 LPQ
06/11 LPQ/Siem Reap
07/11 SR
08/11 SR
09/11 SR/ BKK BKK/Krabi
10/11
11/11
12/11
13/11
14/11 Krabi/BKK
15/11 Volta para o Brasil

Pitacos?

Muito obrigada pela ajuda. Vcs são show!

Bjs

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Georgia,
Acho que não vale a pena incluir Luang Prabang para ficar tão pouco tempo lá. sad

Georgia
GeorgiaPermalink

Lu, estou tentando conseguir mais um tempinho. Além disso, não estou certa de que vou incluir o Hanoi/Halong Bay. Talvez o melhor seja deixar o Vietnam para ser visitado com calma, incluindo outras cidades, numa outra ocasião. De qualquer forma, eu precisava começar a simular todo o roteiro pra saber o que é viável ou não. A coisa mais difícil que tem é escolher. Indo pra um lugar tão longe sempre bate aquela vontade de ver tudo, sabe lá quando vou voltar de novo, essas coisas...
Obrigadíssima pela ajuda! wink

Georgia
GeorgiaPermalink

Obrigada, Sylvia. Vou conferir!

Viagem Afora
Viagem AforaPermalink

Olá Georgia,
Respondendo sobre o clima no Vietnã.
-Nesta época (set/out) tem possibilidades de ter tufões no Vietnã. Nós estavamos lá entre set/ out de 2011 e pegamos um voo para sairmos de Hoi An para Hannoi, pois tinha um tufão vindo em direção a cidade e chovia muito. Quando chegamos em Hannoi, choveu por uns 4 dias seguido devido a este tufão que não passou por lá (Hannoi) mas mexeu com todo o clima e então nós fomos para Sapa e deixamos Halong Bay para a volta e uma semana depois já com o tempo melhor fomos para Halong Bay. Chegar com dia marcado para ir para Halong Bay, nesta época principalmente, pode decepcionar.
-O site ( http://www.thoitietvietnam.gov.vn/web/vi-VN/43/Default.aspx ) é oficial do governo do Vietnã e é o que os vietnamitas usam. Talvez no começo de nov. o tempo esteja melhor.
- Quanto a SR/BKK pelo seu novo roteiro, vemos menos problemas ir por terra pois a grande maioria dos esquemas e golpes são no outro sentido (mesmo assim achamos bastante tranquilo quando ja se esta preparado e sabendo dos golpes). Mas considere que será uma viagem de 7/8 horas a ser feita durante o dia e a "perda" deste dia de viagem. Então se quer economizar tempo e não ter trabalho é muito mais fácil ir de avião.
-Achamos um dia, muito pouco em LP, mas acreditamos que é muito pela relação que tivemos com a cidade e com as pessoas. A cidade só pela cidade não tem nada de mais.Mas pelos monges, pelos locais, pela feirinha, pelo templos... foi para nós, um dos lugares mais encantadores do Sudeste Asiático e acredite vale o preço da passagem aérea mais salgada para lá.
Enfim em viagem muitas vezes menos é mais!!!
Um grande abraço!!!

Georgia
GeorgiaPermalink

Ellen e Antonio, obrigada pelas dicas. Vou ver com calma o site do Vietnam. É complicado viajar com pouco tempo e não marcar previamente determinadas coisas, não é? No meu planejamento atual, Halong Bay (se rolar) vai acontecer logo nos primeiros dias de novembro, o que, em teoria, aumenta as chances de tempo bom.
Sobre SR/BKK, vou acabar optando pelo avião mesmo pela questão do tempo (ou da falta dele). Mas achei a maior aventura a viagem de vcs. Deve ser uma experiência incrível! E o post que vcs fizeram está perfeito!
Acho que vou conseguir mais uns dias além do previsto.
Obrigada por terem respondido.
Boa viagem pra vcs!

Helo
HeloPermalink

Oi Georgia, tudo bem? Adoro esta fase de quebrar a cabeça pensando nas possibilidades de roteiros! Pelo que li, vc está vendo a possibilidade de aumentar dias. Se conseguir, sugiro um dia a mais em Luang e em Siem Reap, dois lugares muito preciosos e encantadores. E tente conseguir um tempo livre para explorar um pouco Hanoi por meio da escolha dos voss. Vi o teatro sobre as aguas (turistico, mas recomendo) e passei de triclo pelo bairro antigo em hanoi, passeio do qual gostei muito.

Quando estavamos planejando a viagem, vimos alguns filmes. Com certeza, vc ja deve ter visto Indochina e Gritos do Silencio. Se não, vale muito a pena ver.

Georgia
GeorgiaPermalink

OI Helo, obrigada pelas dicas!wink

Sylvia
SylviaPermalink

Pra a Georgia e Maia um incrivel e detalhado passo a passo para a Asia via twitter@drimiller
http://drieverywhere.net/2012/02/27/guia-generico-de-viagem-de-low-cost-pela-asia-parte-2/ e
http://drieverywhere.net/?s=low+cost+parte+1

Georgia
GeorgiaPermalink

Sylvia, adorei.
É engraçado ler depois de já ter feito um planejamento inicial ( o que inclui todo o périplo pelos sites de cias aéreas) e ver que a pessoa resumiu todas as suas dificuldades e experiências de maneira bem simples. Muito bom!

Sylvia
SylviaPermalink

Verdade Georgia, aconteceo o mesmo comigo e até o meomento estava me sentindo uma doida de atar voltando a KL para varios voos :cool:

Maia
MaiaPermalink

Ola,

Pretendo ir com meu marido em junho pra Tailandia e Camboja.
Ja fui antes para a China, mas esta e a primeira viagem dele para a Asia.

Pensamos em sair no dia 7/6 retornando em 22/6, de SP via Doha com um dia por la na volta.

Somos arquitetos, entao a preferencia ficou pelos templos, monumentos,etc. Achei que incluir uma praia ficaria corrido e talvez a epoca do ano tambem nao ajude.

Pesquisei bastante nos blogs de voces e nas informacoes por aqui, que ajudaram muito!

Montei por enquanto o seguinte roteiro:

8/6 - Chegada a BKK
9/6 - BKK
10/6 - BKK
11/6 - BKK
12/6 - Ayutthaya (bate e volta de BKK)
13/6 - Kanchanaburi /rio kwai (bate e volta de BKK)
14/6 - BKK / Chiang Mai
15/6 - Chiang Mai
16/6 - Chiang Mai
17/6 - Chiang Mai/BKK BKK/Siem Reap
18/6 - Siem Reap
19/6 - Siem Reap
20/6 - Siem Reap
21/6 - Siem Reap / BKK
22/6 - BKK/ Doha

Alguem ja pegou este voo da Qatar a partir de SP? A escala de 2h e suficiente?
O passeio de Kanchanaburi /rio kwai vale a pena, ou melhor deixar mais um dia em Chiang Mai e arredores?
A chuva neste periodo atrapalhara muito este roteiro?

Muito Obrigada!!!
Maia

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Maia! Subimos sua pergunta ao Perguntódromo. Mas temo que junho não é uma época adequada para fazer o Sudeste Asiático, mesmo sem praia.

Quanto à escala de duas horas no Qatar, se a companhia emitir a passagem, é porque basta.

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Maia,
Não conheço Kanchanaburi e não posso dar palpite. Também, não estive em Ayutthaya, mas acho que vale o passeio.
Gostei bastante de Bangkok e há muita coisa para ver. Talvez colocasse mais um dia lá, já que vocês precisarão de um tempo para se acostumarem ao fuso horário. A Sylvia e outros trips me avisaram, o fuso horário pesa! Quando fui, dormi um dia em Johannesburg pra sofrer menos e valeu a pena.
Estive me Chiang Mai, a cidade é legal, mas não ficaria tanto tempo lá. Não pense em encontrar templos 100% preservados. É meio assustador ver estacionamento de carro, do lado, literalmente, dos templos. Os passeios em volta de Chiang Mai, ao meu ver, são furadas.
O tempo para Siem Reap está ok. Ainda levando em conta que vocês são arquitetos, eu sugeriria incluir Sukhotai (Tailândia) ou fazer uma alteração um pouco mais drástica: tirar Chiang Mai + Ayutthaya e incluir Luang Prabang (Laos). Não estive em LP, mas lamento!
Sugiro que você consulte o Viagem Afora (da Ellen e do Antônio) e leia tudo sobre a linda e longa viagem pela Ásia que eles fizeram. Outra que escreveu sobre a Tailância recentemente foi a Luisa do Arquivo de Viagens (os blogs estão listados no link #Viajosfera da barra superior).
Se não me engano, a estação de chuvas na Tailândia vai de maio a outubro.
Fique tranquila: viajando pela Qatar o tempo de conexão dá e sobra grin
Um abraço

Miriam
MiriamPermalink

Como vi que vc esta planejando fazer bate e volta, gostaria de dar um alerta. Em maio passado viajei para a Tailandia e fiz vários voos internos. NENHUM saiu no horário. A impressão que me deu é que eles colocam vários voos, de hora em hora, e depois, cf a lotacao do voo, juntam alguns, jogando o voo de um horario para horarios seguintes. Portanto, se quiser otimizar sua viagem, pegue voos bem cedo para nao perder o dia.

Sylvia
SylviaPermalink

Maia , junho é mes de monções na Tailandia ( mas o pior de todos é setembro) verufica isto para saberes o que pode acontecer com os alagamentos e enchentes típicas deste período no sudeste asiático.
Confira nos foruns ( tem varios) sb os voos da Qatar.
Sb os voos para Laos e Cambodia, veja opções diretas a partir de Chiang Mai;neste teu roteiro o melhor é comprar o passe da Bangkok Airways ( discovery airpass) e fazer o triangulo : BKK>Chiang mai>LPrabang>SRep>BKK ou ver os mesmos trechos com Jet Star ou Air Asia.

Igor
IgorPermalink

Maia,

Já peguei um voo da Qatar que era RJ-PAris-Doha-Delli. O voo Paris-Doha atrasou e eu acabei perdendo o voo pra Delli. Assim que eu cheguei no aeroporto em Doha eles já me colocaram numa fila pra pegar voucher de hotel para pegar o voo no dia seguinte (só tinha um voo por dia pra Delli). Como eu disse q precisava ir pra Delli naquele mesmo dia, eles arranjaram outro voo com conexão em Abu Dhabi para eu chegar no mesmo dia em Delli. Falei td isso pra dizer q achei a Qatar muito profissional e responsavel qto a perda de voos. Eu não me preocuparia com isso.

Aproveitando, eu fui pra India em julho (por conta de um casamento) e confesso q é muito ruim ir na epoca das monções pra Asia. Pois chove mesmo! Não é chuvinha não... hehehe. Eu deixaria pra ir fora desta época. Fui em fevereiro pra Tailandia e foi excelente! Como vc quer conhecer templos e monumentos, acredito que vai passar boa parte do tempo ao "ar livre".

Boa viagem!

Maia
MaiaPermalink

Muito obrigada Lu e Miriam.
Adorei as dicas! vou la ver!

Miriam o "bate e volta" que pensei em era de onibus ou trem, acha possivel? voce chegou a fazer isso?

bjs
Maia

Helo
HeloPermalink

Oi Maia, não conheço Chiang May. Portanto, não tenho como comparar com Luang Prabang, mas concordo com a Lu, Luang vale a pena, tocou fundo no meu coração. A beleza dos templos, o clima da cidade, a religiosidade dos monges tornou esta cidade um dos lugares mais especiais que já visitei. De uma olhadinha antes, quem sabe vc consegue colocar no seu roteiro.
E não arriscaria fazer chiang/BK/Siemp no mesmo dia. Voltaria um dia antes para Bankog.

E Siemp Reap é fantastico! Fizemos passeios em 4 dias. Se não me falha a memória, na região, há perto de 100 templos, visitamos nem 1/4 deles. Conhecia de fotos antes uns dois templos que já valiam a visita (filme tomb rider). Qual não foi o meu assombro quando vi outros templos impressionates. Segue o roteiro que fizemos com uma operadora, quem sabe pode ser de alguma maneira útil nestes dois lugares:

Phnom Penh/Siem Reap

Após o café da manhã, traslado até o aeroporto, para embarque em vôo siem Reap Airways FT-992 às 9h35 com destino a Siem Reap. Chegada às 10h30. Pela tarde, visita ao complexo de Angkor Thom, a antiga capital do Império Khmer, com destaque para o Portão Sul, o Templo Bayon e o Terraço dos Elefantes. Pernoite.

8º Dia – 02.Janeiro 2008 – Quarta-feira

Siem Reap

Após o café da manhã, visita a Srash Srang, Banteay Kdei e Ta Prohm, um dos templos mais populares do Complexo Angkor. À tarde, visita ao templo Angkor Wat, construído por Suryavarman II no começo do século XVII. Pernoite.

Siem Reap

Café da manhã no hotel. Visita a Banteay Srei cidade das mulheres – e Banteay Samre, templo hindu dedicado a Vishnu. Pela tarde, explore o grande circuito incluindo Pré Rup, East Mebon, Neak Poan e continuação ao templo Preah Khan construído aproximadamente no mesmo período que o Ta Prohm. Pernoite.

Siem Reap/Ho Chi Minh

Após o café da manhã no hotel, passeio de barco a Tonle Sap Lake (mais aproveitável de julho a fevereiro) para ver as vilas flutuantes, com parada no mercado local para compra de souvenirs e artesanato. Traslado ao aeroporto para embarque em vôo Vietnam Airlines VN-882 às 17h20 com destino a Ho Chi Mihn. Chegada às 18h20, recepção no aeroporto e traslado para o hotel, hospedagem e restante do dia livre para atividades diversas.

...

Vientiane/Luang Prabang

Após o café da manhã, traslado ao aeroporto para embarque em vôo Lao Airlines QV-101 às 10h00 com destino à antiga capital real Luang Prabang. A beleza arquitetônica de seus templos está classificada como patrimônio da Unesco. Chegada a Luang Prabang às 10h40 e traslado até o hotel. Almoço no hotel. Logo após, será realizado um City Tour visitando o antigo Palácio Real (atualmente Museu Nacional), Wat Mai e Wat Sene, o Templo Phousy (localizado no alto do monte, proporcionando uma bela vista do Rio Mekong). Há um grande número de monges circulando pela cidade, pois faz parte da cultura local os rapazes viverem por um tempo em um mosteiro. Jantar no restaurante Indochina Spirit. Pernoite em Luang Prabang.

Luang Prabang/ Pak Ou / Luang Prabang

Após o café da manhã, traslado ao pier para embarque em um barco, passeio pelo rio Mekong com visita as misteriosas cavernas Pak Ou. Retorno a Luang Prabang para almoço no restaurante Le Elephant. Após, continuação a Wat Visoun, inteiramente reconstruído após destruição em 1887 pela invasão dos Bandeiras Negras do sul da China. Visita a Wat Aham, Wat Xieng Thong e Wat That, onde as cinzas do rei Sisavang Vong estão enterradas. No fim da tarde, veja o pôr do sol de Pra Bat Thai. Jantar no hotel. Pernoite em Luang Prabang.

Liliana
LilianaPermalink

Maia, eu amei Kanchanaburi e Chiang Mai. Seria um crime não ir a Kanchanaburi e outro crime tirar um dia de Chiang Mai. Fiquei 2 dias em Kanchanaburi e 3 em Chiang Mai. Mas quando li sobre Chiang Mai achei não me pareceu muito interessante.A gringaida vai lá e pira com a floresta floresta tropical e seus esportes radicais, mas para nós brasileiros a floresta deles é pinto. Na verdade acabei incluindo no roteiro porque meu marido fazia questão de ir a uma tribo das mulheres girafas, e porque uma amiga minha afirmou que iria amar. E o que me encantou em Chiang Mai foi o clima relaxado, as pessoas, e o fato de ter ido num final de semana, quando acontecem as duas feiras da cidade. Isso fez toda a diferença! Tem um templo maravilhoso lá perto também que merece a visita. Fiquei num albergue que também me fez apaixonar pela cidade. Já Kanchanaburi é uma cidade completamente desacelerada, e saindo de Bangkok é um presente! Eu realmente acho que vale a pena dormir uma noite lá. Pessoalmente acho que 3 dias em Bangkok está ok. Eu fiquei 3 dias inteiros e 4 noites lá e fiz tudo que queria, mas lógico que numa capital sempre vai ter algo mais para fazer e conhecer, depende muito do que seu estilo. Acho um crime não incluir uma ilha no roteiro! No meu blog tem a minha viagem toda a Tailândia se quiser pesquisar. http://catalogodeviagens.net/category/tailandia/

Georgia
GeorgiaPermalink

Pessoal, estou retomando o planejamento para o sudeste asiático e acho que me decidi sobre o roteiro. Consegui resistir ao Vietnam de modo que vou deixá-lo para uma outra oportunidade.
Ficou assim:
28/10 Chegada em BangKok
29/10
30/10
31/10
01/11 BKK/Luang Prabang
02/11
03/11
04/11
05/11 Luang Prabang/ Siem Reap
06/11
07/11
08/11
09/11 Volta para BKK e ida para Krabi
10/11
11/11
12/11 Ilhas Phi Phi
13/11
14/11
15/11 Volta para BKK
16/11
17/11 Volta para o Brasil

Na ida para as praias estou praticamente decidida a fazer esses 2 trechos no dia 09/11 (REP/BKK e BKK/Krabi) mas estou com receio de pegar esses 2 voos no mesmo dia pois os atrasos parecem ser frequentes.
Em Krabi estou na dúvida entre Ao Nang e Railey mas acho quase decidida por Ao Nang. Em 12/11 vou para Phi Phi ficar os últimos 3 dias.
Quero voltar para BKK em 15/11 pois o meu voo sai no dia 17/11 às 01:05, ou seja, 16/11 à noite. Não quero enfrentar o stress de pegar um voo de volta para BKK no mesmo dia de um voo de volta para o Brasil.
Alguém quer opinar?
Obrigada!

Sylvia
SylviaPermalink

Georgia , só a gente que monta o próprio roteiro sabe exatamente o tamanho do trabalho que dá: ler tudo a respeito de todos os destinos + fazer as duras escolhas dos lugares + conseguir sair na época certa para eles .
Pra mim teu roteiro está ótimo *** ; só sugiro que olhes com mais atenção a possibilidade de ficar em Railey west e em escolhendo esta, ter certeza que a hospedagem não é east pois alguns hotéis estão sendo ampliados e mantém o endereço em west.
Quanto ao voo no mesmo dia de REP para KBV , eu encararia numa boa
(e se der uma zebra,o trecho da Tailandia é baratinho)

Sylvia
SylviaPermalink

Mais um pitaco Georgia : um dia a mais no litoral pode ser tuudo, o que achas de comprar um TKT cambiável para o trecho KBV>BKK e deixar para resolver lá ? Se pegares um voo de manhã de Krabi no dia 16, não tem erro;e podes fazer um day use de hotel no aeroporto
( veja se ainda tem voos q chegam direto no teu aero de partida para casa)

Georgia
GeorgiaPermalink

Sylvia, obrigada pela ajuda!
Menina, ser o seu próprio agente de viagem dá um trabalhão mesmo. E escolher pode ser tão difícil...
Enfim, estou atenta à localização em Railey west. Estou me decidindo, vamos ver...
Sobre a volta Phi Phi, BKK, Brasil no mesmo dia: se eu não estou enganada (mas tenho que checar) o barco entre Phi Phi e Phuket é mais rápido que entre Phi Phi e Krabi. De repente faço isso mesmo. Volto de Phuket e faço uso de um day use no aeroporto.
O voo da Nok Air não chega no mesmo aeroporto.
Adorei a idéia! Beijo

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Georgia,
Seu roteiro está lindo! Como te disse via twitter, não tenho muito o que palpitar, pois não fiz as ilhas nem Luang Prabang! Aproveite! wink

JotaPê
JotaPêPermalink

Georgia, Ao Nang é uma cidade muito turística, com bom astral, com uma bela praia e hipóteses de muitos passeios a partir de lá. Há muitos resorts que estando a 20-30 minutos de carro, dizem que estão situados em Ao Nang. Escolha o hotel em função de se você querer mais ou menos sossego/isolamento
Em Luang Prabang tente ficar na área central, que dê para ir a pé ao Night Market, restaurantes, etc. Eu fiquei no 3 Nagas e gostei muito, mas já foi há uns 5 anos...
http://www.3-nagas.com/
Quanto aos atrasos, não sei qual é a companhia aérea que você vai utilizar para os seus percursos. Pela minha experiência a Bangkok Airways não atrasa, a Air Asia atrasa mas eu adoro especialmente pelo preço e Lao Airlines voa quando quer...

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi JotaPê, obrigada pelas dicas.
Estou pensando assim: se estiver querendo mais sossego vou ficar em Railey west; se quiser estar mais próximas de restaurantes e afins vou ficar em Ao Nang e fazer os passeios para as ilhas.
Estou olhando od hoteis em Luang Prabang, que estão super caros quando comprados aos do BKK, por exemplo.
Sobre as cias aéreas, devo usar a BKK airways, talvez air asia e Vietnam airlines mas esta última entre LPQ/REP sendo a única viagem do dia. Sem problemas se atrasar.
Obrigada!

Carol Guelber
Carol GuelberPermalink

Georgia, eu fiquei em Ao Nang (hotel Ao Nang Princeville Resort) e acho que é a melhor área de Krabi, pois Railay à noite é meio pacato e o centro de tudo (restaurantes, bares, lojinhas) é em Ao Nang. O hotel é excelente! Phi Phi ficamos no Phi Phi Vila Resort, ótima localização e um serviço bem bom.
Em Bangkok, recomendo muito o Chatuchak Market (1 dia inteiro) e claro, o mercado flutuante da Damoen. Acho que até você ir, já conseguirei te postado minha viagem pela Tailândia. Eu tb fui em Outubro e peguei ótimos dias de sol em Krabi e Phi Phi, mas em Bangkok, garoou todos os dias. Na volta, eu fiz Phi Phi > Krabi > Bangkok > Dubai > Brasil, tudo direto! Foi tranquilo por que os vôos tinham uma diferença razoável entre eles. Fiz todos os meus vôos internos pela Air Asia. Fui tb em Chiang Mai por 2 dias, sendo um deles dedicado a vistar a tribo das mulheres-girafa, fazer o passeio de elefantes, fábricas de seda, sombrinha, orquidário e passeio de jangada pelo rio. Se quiser, tenho o contato dos guias, tanto de Chiang Mai quanto o que nos levou para o Mercado flutuante + Tiger temple e Kanchanaburi, em Bangkok. Bem, qq coisa, pode entrar em contato @CarolGuelber ou www.viciosdeviagem.blogspot.com

Georgia
GeorgiaPermalink

Carol, anotei as dicas dos hoteis. Vou querer o contato do guia em BKK, sim. Vou te visitar no blog. Obrigada!

Georgia
GeorgiaPermalink

Fala sério... não dá pra viajar sem passar por aqui! Vcs são demais!!!!!!!!

Cris
CrisPermalink

Oi Georgia... Como comentei lá no blog, acho que um dia a mais em Phi Phi vai fazer falta mesmo... O lugar é lindo e tem um monte de coisa para conhecer e curtir com calma, principalmente se vc quiser ficar nos hotéis que me comentou, você vai querer curtir o hotel um pouquinho também...
E é bem tranquilo fazer ferry e as combinações de vôos em um dia.
Ahhh em BKK, Ayutthaya é imperdivel... Eu adorei!!! Bjos...

Georgia
GeorgiaPermalink

Bjos, Cris! Obrigada!

Mirella (@mikix10)
Mirella (@mikix10)Permalink

Oi Georgia, Tudo bem? (respondendo aqui tb)
Puxa, nem lembro se passamos por Railey para te dizer o que achamos (risos)… Assim, gostamos de ter ficado em Krabi, mas vale pelas excursões de um dia, pois a praia em si é um pouco sem graça. O legal de Ao Nang é que tem vários restaurantes, tem aquelas massagens picareta no pé praia e dá para curtir um por do sol no final da tarde.
Phi Phi é lindona, mas não achei Fiji ou Maldivas, é um paraíso tropical diferente. Eu gostei muito do hotel Phi Phi Island Village e acho que não cheguei a olhar o Zeavola na época… No Phi Phi Village eu senti falta de praia, tem o mar azul que chega todo dia, mas na maré baixa, a praia que se forma, não é aquela de areia branquinha e sequinha que queremos ver, sabe? O pessoal caminha para ver as conchinhas e coisas do tipo, mas para tomar sol, acaba-se ficando na grama mesmo. O quarto com a casinha de palafita é uma gracinha e o atendimento muito bom. O hotel é bem voltado para o publico ocidental e café da manhã e geralmente o jantar, você acabará comendo nossas comidas, o que não achei nada mal, depois de duas semanas viajando e comendo os famosos stir fries … Olhei umas fotos do Zeavola e fiquei interessada, veja se acha informações sobre a praia de lá…
Ah sim… eu achei tranquilo o lance das malas durante a viagem de Krabi a Phi Phi, como pegamos taxi do hotel em Ao Nang para o barco, e depois o outro hotel já estava nos esperando em Phi Phi, foi relax, mas o povo, como nos aeroportos, não tem dó das malas… sabe aquele “carinho”? risos…
(Mas vale lembrar que eu e o Kiko tinhamos apenas uma mala de rodinha e uma mochila cada um). Aliás, achei a ida de Ao Nang a Phi Phi bem longa e chatinha, nessas horas eu fiquei pensando se deveria, talvez, ter estudado melhor a ideia de ter ficado em Phuket.
Eu faria esse esquema do avião de Phi Phi a BKK.
Ajudei? As vezes sou meio confusa em me explicar, mas qualquer coisa estou aqui… essa sua viagem vai ser 10, hein?!
bjoooo
PS: Ayutthaya é imperdivel mesmo... e passa no palacio de verão no caminho que tb é lindo.

Georgia
GeorgiaPermalink

Valeu, Mirella! Respondi lá no blog! Beijos

Carolina Akemi
Carolina AkemiPermalink

Pessoal,

Farei uma viagem em dezembro para Ásia e fiz meu roteiro, mas ainda estou com muita dúvida em relação à Tailândia. Podem me ajudar, por favor? Será que vale a pena a distância para ir para Koh Samui, Phangan e Tao?

09/dez Chegada Bangkok
Bangkok - Siem Reap
10/dez Siem Reap
11/dez Siem Reap
12/dez Siem Reap - Bangkok
13/dez Bangkok
14/dez Bangkok
15/dez Bangkok - Koh Samui - Koh Phangan
16/dez Koh Phangan
17/dez Koh Phangan
18/dez Koh Samui - Krabi
19/dez Krabi
20/dez Krabi
21/dez Krabi
22/dez Krabi - Phuket
23/dez Phuket
24/dez Phuket - Kuala Lumpur
25/dez Kuala Lumpur - Singapore
26/dez Singapore
27/dez Singapore
28/dez Singapore - Dubai - Abu Dhabi
29/dez Abu Dhabi - Dubai
30/dez Dubai - SP

Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Carolina! Como ainda não temos conteúdo organizado sobre o Sudeste Asiático, sugerimos pescar dicas nos comentários anteriores smile

Carolina Akemi
Carolina AkemiPermalink

Olá,
Já li e reli e alterei meu roteiro. Porém, a minha dúvida é em relação a dias em Phuket, Phi Phi e Krabi. Ao total tenho apenas 08 dias e não sei como distribuir nesses locais. Podem me ajudar, por favor?
Obrigada

Mirella (mikix)
Mirella (mikix)Permalink

Carolina, acho que sua questão deve ser: Krabi ou Phuket? E passar em Phi Phi com certeza.
Eu só conheço Krabi e gostei de te-la como base para fazer os tours para as ilhas através de lá. A praia não é grande coisa, mas há um centrinho com comércio, vários restaurantes e hoteis. No final da tarde, o por-do-sol fazendo uma masssagem ou tomando um suco na praia é uma delicia. Minha dica: 3 dias inteiros em Krabi e o resto em Phi Phi.

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi, Carolina,
Vou fazer um roteiro parecido com o seu. Terei 7 noites pra dividir entre as praias e optei por ficar 3 em Krabi e 4 em Phi Phi. Pelo que li Phuket é muito muvucado, muita festa, muita confusäo, que é o oposto do que eu estou procurando. Foi assim que decidi entre as praias. Os 2 dias em Ao Nang serão para passear nas ilhas próximas. Boa viagem!

Carolina Akemi
Carolina AkemiPermalink

Mirella e Georgia,
MUITO obrigada!! Realmente era essa minha maior dúvida! Vou seguir a dica de vocês!
Para não ficar corrido cortei a parte de Koh Samui e arredores. Espero que não tenha feito uma má escolha.
Georgia, decidiu quais hotéis ficará em Krabi, Phi Phi e Bangkok? Vi a dica da Mirella, mas gostaria de um mais pé na areia branca como ela fala.
Obrigada

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi Carolina!!!
Em Krabi, como vou ficar o tempo suficiente apenas para os passeios nas ilhas, decidi não "investir" muito no hotel. Acabei reservando o Vogue em Ao nang. Fiquei na dúvida entre o Red Ginger (o mais bonitinho entre os eleitos mas com resenhas medianas), O Mercure (um pouquinho longe), o Orchid Resort e o Vogue. Nenhum deles tem resenhas excelentes mas acabei escolhendo o Vogue pelo custo-benefício.
Em PhiPhi estou na dúvida ainda entre o Zeavola e o Phi Phi island Village. Não tenho dúvidas de que o Zeavola é melhor nas instalações e no serviço mas me parece que a praia (que pretende ser privada) é mais muvucada ( 4 resorts e grande mov. de barcos - eles colocam até um cordão para isolar os barcos da área pra banho). Outra coisa negativa sobre o Zeavola é a questão dos mosquitos. Essa reclamação é uma constante no tripadvisor e parece ser menos importante no Phi Phi. Como tenho alergia e tal...
Outra coisa é que pra quem quer curtir um pouquinho o hotel a piscina do Phi Phi parece ser muuuito melhor que a do Zeavola, apesar de que na maré baixa quase não tem água na frente do hotel (nesse caso, ponto para o Zeavola). Acho que fico com o Phi Phi. Veja as fotos dos hotéis no tripadvisor.
Em BKK vou ficar em algum hotel perto de Siam square (P. princess? Novotel? ainda não está decidido).
Beijos,

Georgia

Carolina Akemi
Carolina AkemiPermalink

Oi Georgia,

O hotel que vc ficará em Krabi é o Amari Vogue que disse ter melhor custoxbenefício?

Parei nessa parte do roteiro, mas estou achando que ficará corrido demais.

16/dez Bangkok - Krabi
17/dez Krabi
18/dez Krabi
19/dez Krabi - Phi Phi
20/dez Phi Phi
21/dez Phi Phi
22/dez Phi Phi - Phuket
23/dez Phuket - Kuala Lumpur

O avião para Kuala Lumpur sai de Krabi ou Phuket apenas. Por isso tenho dúvida se fico apenas em Krabi e visito Phi Phi ou se realmente faço essas idas e vindas para pernoitar em Phi Phi. Ou se fico mais em Phi Phi do que em Krabi. O que você acha?

Vc já decidiu sobre seus hotéis nas outras cidades?

Obrigada
Bjos

Carol Akemi

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi Carol!
O Vogue não é o Amari Vogue não... é o Vogue Resort & spa, veja resenhas aqui ( http://www.tripadvisor.com/Hotel_Review-g1507054-d309077-Reviews-Vogue_Resort_Spa-Ao_Nang_Krabi_Town_Krabi_Province.html). O Amari é beeem legal mas é bem mais caro e como eu vou ficar tempo suficiente apenas para os passeios não quis investir muito no hotel de Krabi.
Essas escolhas são muito pessoais mas... no meu caso... adoro praia e não queria deixar de ter a experiência de ficar em Phi Phi. Ao Nang não parece ser tão legal para curtir a praia em si. Por isso deixei-a como base para os passeios nas ilhas mais perto dela. Eu ficaria em Phi Phi. Que horas sai o seu voo para KL.? Eu ia dormir em Krabi ou Phuket mas percebi que era possível voltar de Phi Phi pra Phuket --> Bkk --> Brasil no mesmo dia. Vc já checou essa possibilidade?
Sobre os hotéis nos outros lugares:
Reservei o Karavansara Retreat & Residences em Siem Reap e o Grande Centre Point Hotel & Residence Sukhumvit Terminal 21 em Bangkok.
Queria ficar no Sofitel da Sukhumvit Road mas estou sem coragem ($$$$$). wink
Qualquer coisa me ache no @Georgia__Q
Beijos!!!

Carol Akemi
Carol AkemiPermalink

Oi Georgia,
Muito obrigada.
Quantos dias vc ficará em Krabi e quantos em Phi Phi?
Estou com receio de fazer Phi Phi - Krabi (ou Phuket) - KL tudo no mesmo dia. Não comprei o aéreo para KL ainda.
Pode me passar seu email ou então me mandar um para nos falarmos por email? Pode ser? O meu é carol.afk@gmail.com e meu skype é carol.akemi
Queria um hotel mais em conta em BKK, KL e Singapura. Em Krabi e Phi Phi ainda estou procurando. Qual você ficará em qual hotel em Phi Phi?
Muito obrigada pelas ajudas.
Bjos

Carol Akemi

Eu vivi e repasso... em Bangkok - Blog de Viagem: Mikix no Mundo

[...] 9 – Eu usei guia 3 dias (1 para Bangkok e para os dois outros dias na região) e adorei. Dica valiosa do Fernando. [...]

Eu vivi e repasso... em Bangkok - Blog de Viagem - Mikix no Mundo

[...] 9 – Eu usei guia 3 dias (1 para Bangkok e para os dois outros dias na região) e adorei. Dica valiosa do Fernando. [...]

Philipp
PhilippPermalink

Estou começando a planejar uma viagem para Tailandia e Angkor para cerca de 1 ano. Mas pela natureza de meu trabalho tenho que negociar com bastante antecedencia esta quantidade de tempo e como quero emitir quase que todas passagens por milhas (Mileageplus, AAdvantage e SPG pela JAL no trecho de BKK para REP que é incrivelmente cara).

Preciso de uma ajuda aqui. Não encontrei nada sobre Chiang Rai, não vale a pena?

E Sukhothai, alguma dica? É muito trampo chegar lá por isto que talvez ninguém daqui resolver ir?

Por enquanto meu roteiro em termos de dias líquidos:
Phuket/Krabi/Ilhas - 7 dias
Chiang Mai/ Doi Suthep / Lampang (com o Wat) - 3 dias
Angkor - 3 dias
Bangkok / Mercado Flutuante / Ayutthaya / Lopi Buri - 7 dias

Aceito sugestoes e claro que dicas sao muito bem vindas. A chegada e saida que talvez nao consiga mudar, mas estou aberto para ajustes finos na quantidade de dias para cada local. Estou interessado principalmente se alguem achar que vale a pena fazer o trecho terrestre Bangkok - Chiang Mai para passar por Sukhothai que parece ser meio loucura grin

Philipp
PhilippPermalink

daqui cerca de 1 ano, #proofreadingfail. A viagem, claro, terá duração menor razz

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Philipp,
A Luisa esteve em Sukhothai http://www.arquivodeviagens.com/sukhothai/
Não arriscaria ir para lá por via terrestre não.
Depois volto para dar mais palpites.

Philipp
PhilippPermalink

Nossa! Obrigado!
Pronto já tenho um bate-e-volta aéreo para fazer grin. Para mim é como El Tajin no México (que apesar das dificuldades para chegar achei que valeu a pena), quando vi também Sukhothai nos guias logo pensei: "tenho que ir para lá"!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Philipp,
O povo até vai a Chiang Rai, mas, geralmente, em um bate-volta saindo de Chiang Mai. Foi o que a Thais Costa fez http://www.viagememcena.com/cultura-natureza-e-esportes-radicais-no-norte-da-tailandia/ Não sei quanto tempo se gasta nesta brincadeira e se vale a pena.
Estive em Chiang Mai, é legal, mas se tivesse tem$$po iria a Luang Prabang no Laos. Veja o relato do Gabe Brito http://gabrielquerviajar.com.br/2012/10/luang-prabang-laos-viagem/ A passagem era mais cara que a de Bangkok para Siem Reap (aliás, vale conferir o preço da Cambodia Angkor Air).
Acho que o seu roteiro está ok. Só ficaria na dúvida de colocar as praias logo no início. Sou daquelas pessoas que adora Bangkok - tem gente que detesta - mas tenho que reconhecer que a cidade tem um ritmo puxado. Talvez eu escolhesse deixar as praias para o final da viagem, mas tem a questão operacional e, para quem quer fazer compras, deixar BKK por último é melhor.
Não estive em Lopiburi, mas não incluiria na viagem depois de ter visitado Angkor. Ayutthaya me parece que vale a pena.
Abs,

Philipp
PhilippPermalink

Obrigado, já li algumas coisas das dicas que vc passou e do seu blog, já tenho material para o fim de semana!

Gostamos muito de ruínas e história, e, a idéia de começar com as praias é que normalmente chego tão cansado para as minhas férias que prefiro descansar antes de partir para a parte mais "pesada", além disso vai ajudar a ajustar ao fuso de uma forma mais relaxada/despreocupada. Finalmente, por um motivo "técnico" das minhas milhas tenho mesmo que voltar por BKK.

Já decidi que vou deixar Sukhothai no roteiro como a Luisa fez. Vou estudar Lopi Buri e Chiang Rai que não é "muito" distante de Ayutthaya para ver se vale a pena fazer, mas pelo relato da Luiza eu quero também ver aquela macacada grin. Mas também decidi que não vou passar a "sindrome do já que estou aqui": Luang Prabang vai mesmo ficar para outra oportunidade, provavelmente combinado com o Vietnam.

Eu acabei de dar muita, mas muita sorte mesmo, que a JAL acabou de anunciar uma promoção por milhas com a Bangkok, assim o voo mais caro que vai ser BKK-REP vai de milhas, e poucas! http://boardingarea.com/blogs/onemileatatime/2012/11/05/japan-airlines-and-bangkok-airways-announce-partnership/

Novamente obrigado e por favor continuem com as dicas quando possivel! Depois vou ter que voltar com as dicas das ilhas, haha

Marcus Talamasca
Marcus TalamascaPermalink

Se você gosta de história, então Sukhothai vale a pena. É uma versão melhorada de Ayutthaya, seguramente mais autêntica. O acesso não é necessariamente um drama, fica mais ou menos no meio do caminho entre BKK e Chiang Mai. O problema é que o trem não chega lá, então é ônibus ou avião.

O trem noturno entre BKK e Chiang Mai é uma viagem clássica do SE asiático, vale muito a pena chegar de manhã em CM, vendo as diferenças de relevo, vegetação e arquitetura. Se tiver um dia inteiro para Sukhothai pode rolar um avião até lá e depois um ônibus a CM.

Chiang Rai é possível de Chiang Mai, mas é longe para que se aproveite algo. É até melhor que Chiang Mai se desejar os trekkings ou passeios em regiões mais remotas. Os que partem de Chiang Mai são, em grande parte, pasteurizados.

Pelo seu roteiro presumo que não vá se dedicar a 1 ou 2 dias de trekking, então provavelmente os passeios de Chiang Mai lhe atenderão. Vale muito a pena ir a Chiang Rai se estiver no caminho do Laos, porque ir descendo o Mekong até Luang Prabang é também experiência única (mas, admito, mais para mochileiros)

Mariana
MarianaPermalink

Koh Lipe é uma ilha bem ao Sul, perto da fronteira com a Malásia que vale muito a pena. O lugar é paradisíaco, tranquilo, se faz tudo a pé, não há grandes hoteis e resorts (pousadas simples e boas), por do sol e nascer do sol nas sunset e sunrise beach, respectivamente, incríveis! Railey beach, como dito pelo Luis, vale muito a pena.

A Bóia
A BóiaPermalink

Ola, Philipp! Colocamos a sua pergunta no Perguntódromo grin

Philipp
PhilippPermalink

Muito obrigado, com as dicas da Lu Malheros, já há material para decidir algumas coisas wink

Ernesto, o pato
Ernesto, o patoPermalink

Eu gostei do parque dos elefantes em Chiang Ray, e é uma ciadade típica e pequena, veja o post o pato encantrdor de elefantes, no blog quatro cantos do mundo.

Ernesto, o pato
Ernesto, o patoPermalink

Ps... Gostei mais de Chiang May, do que de Bangock.

Luis I
Luis IPermalink

Olá, conheço bem este litoral da Tailândia, e não pude deixar de palpitar... Acho muito ruim ir para Phuket, Phi-Phi e Ao Nang, com lugares bem melhores e menos turísticos por perto...
Railey é o lugar mais legal que já conheci, e olha que sou viajado... Sugiro Ko Hai, Ko Mook e Ko Kadran, se quiser ilhas, em Trang, e 2 passeios imperdíveis: caiaque (na maré baixa perto de Ao Nang (saindo de Krabi, eu não ficaria em Ao Nang) e a caverna e mosteiro na montanha em Krabi (esqueci o nome....)

Philipp
PhilippPermalink

A Caverna que vc se refere deve ser a Tiver Cave (Wat Tham Sua), certo?

Consegue-se visitar a Phang Nga Bay de Railey ou Phi Phi diretamente ou apenas de Ao Nang/Krabi? Ou melhor perguntando, os passeios em geral, e' possivel fazer de outros lugares alem das cidades mais turisticas?

Estou pensando em fazer como a Georgia e passar por Phuket apenas para o Voo de saida pois ha voo direto para Chiang Mai de Phuket. Chegaria dos voos longos ja em Krabi.

Duvidas, duvidas...

Georgia
GeorgiaPermalink

Philipp, acho que sim. Considerando que Railey é bem perto de Ao nang acho que vc consegue sim.

Georgia
GeorgiaPermalink

Trips,

Acabo de voltar de uma viagem pelo sudeste asiático que não teria sido possível sem a ajuda deste site e seus colaboradores. Obrigada!
Muitas pessoas estão me perguntando como planejei isso e aquilo e o que mais me perguntam é sobre como fazer os passeios fora de Bangkok. Resolvi deixar a dica aqui pra vocês.
Então vamos lá...
Muita gente pega um taxi no seu hotel e combina aqueles passeios de um dia inteiro, e acho que dá super certo.
Eu fui lá no tripadvisor.com e contratei uma guia pelo www.tourwithtong.com
A Tong é super bem recomendada e eu amei o serviço.
No primeiro dia fomos pra Ayutthaya e no segundo para Train Market, Floating Market, Tiger temple (não gostei) e o campo de elefantes. O banho com os elefantes é imperdível!!!
A nossa guia foi a Jintana, que eu adorei, adorei, adorei! Recomendo demais !
A Jintana nos buscou pontualmente no hotel e nos levou em uma van com ar condicionado, água geladinha e lenços gelados para refrescar o rosto no calor absurdo de Bangkok.
Além de ser uma gracinha, com um ótimo senso de humor, comprar comidinhas deliciosas para experimentarmos, ter ótimo inglês e ser excelente companhia, tirou ótimas fotos enquanto brincávamos com os elefantes.
Os passeios foram ótimos e não achei caro, considerando que as distâncias são enormes e o serviço prestado foi excelente.
Fiquei hospedada no hotel Terminal 21, que fica contíguo ao shopping de mesmo nome na Sukhumvit Road. O hotel era excelente e tinha ligação direta com o skytrain, o que foi ótimo para vsitar os templos.
Depois de visitar Luang Prabang e Siem Reap, voltei para a Tailândia para ficar uma semana no paraíso.
Deixei a mala no aeroporto de Bangkok e viajei apenas com mochila.
Voei para Krabi e fiquei hospedada 3 noites na praia de Ao Nang. Nos 2 dias em que estive lá fiz passeios de barco maravilhosos (4 ilhas e ilhas Hong). Dezenas de operados de turismo na rua principal vendem esses passeios. Eu contratei antecipadamente a http://www.andamancampandcruise.com e adorei. Os passeios são privados, organizados, em um ótimo longtail boat e o almoço é delicioso. A Elisabeth e o Sun são ótimos e eu adorei ter feito o passeio com eles.
No quarto dia viajei para Phi Phi Island de ferry público. Como não tinha bagagem não contratei o transfer direto com o meu hotel em Phi Phi pois custava o dobro do preço. Contratei no meu hotel em Ao nang o transfer (450 THB) até o pier já incluído neste valor o preço do barco até Phi Phi. Chegando em Phi Phi, mesmo sem ter solicitado o transfer ao hotel (Phi Phi Island Village and Resort), havia o staff do hotel com a lista de hóspedes aguardando a nossa chegada. Pagamos mais 200 THB /pessoa para o barco nos levar até o hotel. Se eu tivesse contratado o transfer pelo hotel custaria 1500 THB por pessoa para ir no mesmíssimo ferry.
Fiquei 4 dias no Phi Phi island e amei, lógico. smile
Aluguei no próprio hotel o barco para um passeio de 6 horas em volta da ilha, incluindo Maya Bay. Quase caí o queixo com o preço do passeio: 2200 THB (150 reais) para um barco privado no paraíso!
Bom, valeu muito muito muito o passeio, quero voltar em 2013!
Obrigada a todos que me ajudaram, espero ajudar alguém com o relato.
Beijos

Georgia
GeorgiaPermalink

Oi pessoal,
Vou complementar mais um ponto de dúvida no meu roteiro.
Durante o planejamento estava na dúvida se voltaria de Phi Phi para Bangkok no mesmo dia do embarque para o Brasil ou um dia antes.
Ficar um pouquinho mais no paraíso e fazer um longo tempo de conexão para não correr o risco de perder o voo internacional x dormir em Bangkok na noite anterior (para garantir) e ter uma viagem mais curta.
Optei por ficar no paraíso. smile
Saímos do hotel em PhiPhi às 08:30h num speedboat e chegamos na Marina de Phuket às 09:45h, onde já havia uma van nos esperando para levar ao aeroporto.
Vale dizer que a logística do hotel é perfeita. Eles cobram 2100 THB/pessoa para fazer esse transporte. Tem tudo bem explicadinho no site do hotel.
Chegamos no aeroporto antes das 10h e o voo para Bangkok saiu às 14:30h. Chegamos no DMK em Bangkok às 15:35 e tivemos que mudar de aeroporto. É que a Air Asia mudou recentemente sua base de operações para o DMK (nós já havíamos comprado as passagens) mas eles oferecem free shuttle entre os 2 aeroportos.
Chegamos no BKK antes das 17h, recolhemos as malas que estavam no left luggage (100 THB/volume/dia) e fizemos o check in na Emirates às 18:00 para o voo que sairia às 01:05. Não pudemos entrar direto para a imigração pois eles só permitem 3h antes do voo e tivemos que ficar fazendo hora no aeroporto mesmo.
Resumindo, um voo que já seria bem longo se transformou numa viagem enoooorme porque não queríamos correr o risco de perder a hora.
É um batidão mas pode valer a pena para você que ama uma praia.
Beijos

CarlaZ
CarlaZPermalink

Georgia,
vc ficou de 10h as 14h30 no aeroporto de Phuket? É tranquilo? To tentando fugir de uma longa espera mas está difícil...

Georgia
GeorgiaPermalink

Carla, fiquei!
Depois que eu vi que tinha um voo antes para DMK, tipo 12:30h mas nem tentei antecipar meu voo. Se não me engano a Cris Tomasi antecipou o voo dela para BKK .
Para mim não ia fazer muita diferença esperar num aeroporto ou no outro e acabei nem tentando.
Foi tranquilo, sim.

Tais
TaisPermalink

Estou indo para tailandia e indonesia em abril... Vc tem alguma dica de guia em Bangkok??
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tais! Os sites dos consulados brasileiros no exterior costumam listar guias que falam português.

Marília
MaríliaPermalink

Oi gente,
Estava lendo as experiencias de voces e fiquei mais perdida.
Estou indo no dia 1 de maio para a India e voltando no dia 28.
Comprei a passagem de acordo com minhas dificuldades de ficar longe tanto tempo... Mas estou preocupada.
Antes de comecar a estudar a Asia, pensava que queria conhecer apenas a India e a Tailandia, mas agora quero conhecer muito mais lugares e nao sei como fazer.

India e muito grande entao penso em ficar fora dela por 10 dias, entao quero a ajuda de voces para me ajudarem a escolher o tempo em cada lugar.

Como vou em maio, preciso correr para a Tailandia e deixar a India para depois.
Voces acham que com 10 dias eu consigo conhecer a Tailandia e o Combodia?

Vou com mais 3 pessoas, entao o que estavamos pensando sobre a Tailandia era:

Phuket ( ficar em Kamela e ir visitar Patong)
Phi Phi
Bangkok

A ideia e ir de Bangalore na India para Phuket a noite ai chegamos pela manha para aproveitar o dia.
Sairiamos de Bangalore no dia 4/5/2013 de sexta p sabado

Passariamos 3 noites em Phuket

Na terca dia 7/5/2013 iriamos para KO Phi Phi e passariamos 4 noites

Sabado dia 11/05/2013 iriamos para Bangkok para ficar mais 3 dias.

Voces acham que com 10 dias da para fazer isso ou fica muito tempo e da para otimizar um pouco e ir tambem para o Combidia?

Espero a opiniao de voces.
Muito obrigada
Beijos Marilia

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Marília! Dê uma olhadinha na viagem da Geórgia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/12/tailandia-bangkok-praias-dicas/

CarlaZ
CarlaZPermalink

Marília,
da pra fazer desse jeito sim. Fiquei 3 dias em Bangkok e achei pouco, mas dá...
Pro Camboja é só Siem Reap ou outras cidades? Poderia trocar Phuket por Siem Reap e assim usar apenas os mesmos 10 dias.

roseli
roseliPermalink

Ola pessoal
Alguem poderia me informar como posso comprar passagemrig pela Vietnam airwais? Obrigada
Rosana

Renata
RenataPermalink

Ola Pessoal,

Estou organizando minha lua de mel para comecar fim de outubro 2013 e ir ate fim novembro 2013 (1 mes).
Mas estou confusa qtos aos trechos e toda a logistica de voos. Por favor me ajudemmmm:

Roteiro que pensei:
London- Cingapura- 3 noites
Cingapura- Krabi: Air Asia faz esse percurso? E ai que nao sei como fazer, pois quero ir em Koh Phi Phi e Koh Lipe. Alg ja fez isso?? (10 noites)
Krabi- Bangkok (3 noites em Bangkok e pouco??)
Bangkok- Siem Reap (qual cia aerea faz esse percurso??)- ficarei 3 noites la tb.
Siem Reap- Hong Kong-(qual cia aerea?) 7 noites em HK

Moro em Londres e sairei de London para Cingapura e voltarei de HK.

Aguardo pitacos!!!

Bjos,
Renata

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalink

Renata,
Voltei de lá dia 25 de agosto depois de uns 24 dias de viagem pela Ásia.
Do seu roteiro, vi Cingapura, Bangkok e Phi-Phi.
Cingapura é divina, mas em 3 dias você vê tudo, a cidade é pequena e o transporte público excelente.
Sai de Cingapura para Phuket via Air Asia. Excelente. Mas não fique em Phuket, muito zoado! Usei apenas como passagem para Phi-Phi. Phi-Phi é bem esquema mochileiro, mas é muito legal e linda, se quiser um hotel com excelente custo benefício, sugiro o Mama Beach. É um hotel administrado por um simpático francês (Antoine) e portanto muito mais charmoso e arrumado que a maioria dos hoteis da região. Some ainda o fato dele ficar num lugar bonito e tranquilo da ilha, onde a praia é bem aproveitável. Diga que foi indicação minha!!! Kkkk. Passei 4 dias lá para relaxar e seguir viagem. Valeu cada centavo!!!
Bangkok passei 3 dias e foi suficiente, não perca tanto tempo lá não.
HK conheci em 2005. Adoro aquela cidade, mas 7 dias só lá acho demais. Creio que uns 4/5 já bastam. Pense em Macau que está ali ao lado. A turma do VnV foi para lá e parece ser bem legal!
Qualquer dúvida, fique à vontade para entrar em contato, seja aqui ou no próprio Cumbicão.
Boa viagem, você vai aproveitar demais!!!!

Naldo
NaldoPermalink

Olá, Renata! Já fiz algo parecido, então lá vai.

1) Para o trecho Cingapura - Krabi, aparentemente não há vôos diretos. A opção aqui é 'casar' horários com um vôo da Air Asia (aqui pode ser também da Malaysia Airlines ou Singapore) pra Kuala Lumpur, capital da Malásia e que é do lado, e daqui, pegar um outro vôo da Air Asia pra Krabi. A Air Asia é low cost, então em Kuala Lumpur vc precisa fazer imigração/bagagem e check-in novamente (ou seja, além de comprar passagens separadas, a conexão tb não é automática). Mesmo assim, ainda deve ser mais barato e mais rápido do que subir até Bangkok, fazer o mesmo processo lá e descer pro sul da Tailândia. Obs.: Eu fiz isso quando precisei ir de Siem Reap pra Krabi e deu certo, foi tranquilo. Ambos vôos de Air Asia via KL. Brasileiros também são isentos de visto na Malásia.

Se eu o seu objetivo na região são apenas as ilhas e não ficar dias em Krabi, a outra opção é considerar um vôo direto de Cingapura para Phuket. A Air Asia faz esse trajeto e leva menos de 2 horas. Verifique o horário do vôo e pesquise o horário dos speedy boats/ferrys que levam às ilhas. Se forem cedo, aí infelizmente será preciso pernoitar em Phuket (aqui o mesmo vale para Krabi, como aconteceu comigo - tive que pernoitar pra pegar o barco só no dia seguinte, o que torna voar pras duas cidades, indiferente).

Importante: Alguns preferem fazer Krabi ou Phuket de base. Em média são 2 horas e pouco de barco até Koh Phi Phi, por exemplo, então eu preferi passar uns dias em Phi Phi. Acredito que fazer tours até Phi Phi, além de cansativo não seria muito bem aproveitável, mas aí vai de cada um (resorts, estrutura, $, etc). Não conheço Koh Lipe.

2) Acho 3 noites em Bangkok o suficiente, porque depois da praia vc vai encontrar uma cidade grande e caótica. Uns podem achar pouco, e não foi o meu caso.

3) De Bangkok para Siem Reap, há vôos pela Bangkok Airways partindo do Suvarnabhumi (o principal e maior aeroporto da cidade), e há também pela Air Asia (que sai do Don Mueang, outro aeroporto). As aeronaves da BKK Air geralmente são aquelas de hélice, e só um dos vôos pra Siem Reap é com um AirBus 319, mas o serviço de bordo é bom, e você pode ler uma avaliação dela com fotos em português aqui: http://migre.me/fUQmZ

4)Posso estar errado, mas acho não há ligação entre Siem Reap e Hong Kong. O melhor aqui é retornar pra Bangkok e fazer uma conexão. Para vôos diretos da capital tailandesa utilize Thai Airways, Cathay Pacific, Bangkok Airways, Emirates e Royal Jordanian (Essas 5 saem do Suvarnabhumi, e a Royal e Emirates em escala vindo do Oriente Médio podem até ter preços bem mais baixos que a Thai e a Cathay Pacific). Tem também a Air Asia saindo do aeroporto Don Mueang.

5) Acho 7 dias em Hong Kong bastante, e mesmo considerando que vc deva fazer uma day trip ~ obrigatória ~ para Macau (leve o passaporte pois há imigração no ferry, mas não há a necessidade de visto), ainda assim acho muito, pois a ilha não é grande e nem Kowloon, que é o outro lado da baía. Assim acho que 4 dias está ótimo. Daí com o que te falei antes e mais isso, vem minha sugestão:

A) Depois de Cingapura pense em ficar 2 dias em Kuala Lumpur (Malásia) pra conhecer. Daí vc segue a sequencia de vôos: de Kuala Lumpur pra Krabi - Bangkok - Siem Reap - Hong Kong (via conexão em Bangkok).

B) Outra logística exigiria uma mudança no roteiro e ficaria: Cingapura - Kuala Lumpur (2 dias aqui) - Siem Reap - Bangkok (3 dias) - Krabi - Hong Kong (via conexão em Bangkok).

Caso não queira fazer pit stop na Malásia e manter o seu roteiro original, pesquise os vôos que te falei de qualquer maneira.

Umas últimas observações: para o Camboja já leve dólar antes com vocês e não troque pela moeda local. Bebidas, comida, tuk tuk/taxi, souvenir, tudo é em dolar americano e é inutil ter a moeda deles pq nem mesmo eles usam já que é totalmente desvalorizado. Tenha em mãos uma foto e dinheiro pro 'visa on arrival' em Siem Reap. Ah, e por ser da América do Sul já me pediram o certificado internacional de vacina amarela no aeroporto de Bangkok.

Renata
RenataPermalink

Ops, esqueci do OBRIGADA!!!

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Oi, pessoal! Sou nova por aqui, pelo menos nos comentários (já acompanho o VnV há tempos, e a coluna do Riq na revista da Gol também! smile

Bom, estou planejando minha viagem ao SE asiático, para janeiro, e já li mil blogs e todos os comentários postados aqui, mas ainda tenho muitas dúvidas, e só vocês pra me salvar!

Eu e meu marido iremos pela Ethiopian Airlines e faremos uma parada lá, para quebrar o fuso (o que já vi que foi uma sábia decisão!). Descobri no Gabriel quer viajar que a Etiópia tem muito a oferecer! smile

Então o início da viagem fica assim:

4ª- 25.12 – GIG-ADD
5ª-26.12 - chegada em Addis Ababa à noite
6ª- 27.12 – Addis Ababa
S- 28.12 - ADD-LLI
D- 29.12 – Lalibela
2ª- 30.12 – LLI-ADD
3ª- 31.12 – ADD-BKK – chegada em BKK 13:20
...
6ª- 31.01 - BKK-GIG (na verdade 01.02, 01:40)

Queria já sair pra Lalibela no dia seguinte, mas os horários não ajudam e se eu fizer isso não vejo nada na capital e não consigo descansar, porque o voo é 7h da manhã. Mas ainda é algo a se pensar. O voo para BKK é na verdade na noite de 2ª, 0:40.

A primeira dúvida é: onde passar o Ano Novo? Não ligamos muito pra isso, só quero fugir da multidão tanto quanto possível. E queria deixar BKK mais pro final, por causa das compras (mas também tem que coincidir com fim de semana, por causa do Chatuchak...) Siem Reap é loucura?

Pretendemos ir aos seguintes lugares, se o tempo e a logística permitirem:

Bangkok - 4 dias
Chiang Mai - 2 dias
Chiang Rai - 1/2 dia (só o templo, não quero ir na tribo)
Ayutthaia - 1 dia
Sukothai - 1 dia
Phi Phi - 2 dias
alguma ilha ao sul ainda a decidir (Koh Lipe, Rok, Kradan ou Ngai)- 3 dias
Siem Reap - 3 dias
Phnom Penh - 2 dias
Sihanoukville - 2 dias
Koh Rong - 2 dias
Luang Prabang - 3 dias
Vientiane - 1 dia
Saigon - 2 dias
Hoi An - 2 dias
Delta do Mekong - 2 dias (1 em Can Tho e 1 em Ben Tre)
Phu Quoc - se conseguir encaixar

O que cortar? Já cortei o norte do Vietnã, porque a época não é boa.

O único jeito de ir a Chiang Rai é de carro? Me parece que é bem longe, então não sei se vale a pena o bate e volta só para ver o Templo branco.

Li aqui em cima que Sukothai não tem trem. E será que daria para ir a uma cidade próxima e lá pegar trem para Chiang Mai? Quanto tempo duraria a viagem? Ou a paisagem não é tão obrigatória assim e é melhor ir de avião mesmo?

Ah, pretendemos fazer quase tudo de avião, para ganhar tempo. E ônibus quero evitar ao máximo.

É melhor fazer um bate e volta em Ayuthaia ou de lá já seguir para Sukothai? Neste caso, qual o meio de transporte?

Vientiane vale a pena ou é dispensável? Li relatos diversos, estou muito na dúvida...

Se possível quero estar em Hoi An no Festival da Lua Cheia (15 de janeiro) e em Saigon fora de 2ª (a maioria dos museus fecha). Também gostaria de evitar Siem Reap e Phi Phi no fim de semana.

Para Phu Quoc, se der tempo, a ideia seria cruzar a fronteira Camboja-Vietnã por terra, e encaixá-la entre Sihanoukville e Delta do Mekong. (Sihanoukville-Ha Tien: 4h; Ha Tien-Phu Quoc: 1h15; Phu Quoc-Rach Gia: 2h30; Rach Gia-Can Tho: 3h)

Alguém já usou ou já ouviu falar do aeroporto de Trang? Para voltar das ilhas da Tailândia seria melhor voltar por lá ou fazer todo o percurso de barco de volta, até Phuket ou Krabi?

É muito difícil montar um roteiro com tantas cidades!!! Por isso estou aceitando sugestões da ordem a seguir! Muito obrigada desde já, e desculpem o comentário giga!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tatiana! Entenda que escalas de apenas um pernoite são bastante complicadas para quem está fazendo por conta própria. Você mal tem tempo para chegar. Qualquer atraso ou perrengue que você não pensou (e existirão vários, você nunca foi a esses lugares antes!) serão fatais.

Não se sacrifique com vôos muito cedo ou de madrugada. Lembre-se que você está indo contra o fuso horário. Não debilite o seu organismo, você estará exposta a germes e bactérias estranhos, precisa estar descansada e forte para não adocer durante a viagem.

Vamos compartilhar seu roteiro no Perguntódromo, havendo resposta aparecerá aqui.

Sylvia
SylviaPermalink

Oi Tati , eu precisaria de uns 60 dias para
executar este teu roteiro.
A ásia é fácil, mas nada simples.
N?o vejo como viabilizar com qualidade
um roteiro t?o picado.
Na verdade pode ser viável numa excurs?o
organizada , mas numa viagem independente
me parece impossivel.

Liliana
LilianaPermalink

Tatiana, achei seu roteiro meio gincana! Bem corrido. Eu fiquei só 3 dias em Chiang Mai e achei um crime, imagina subir até o norte do país para ficar 2 dias. Não sei como está hoje em dia, mas quando fui em Koh Lipe era bem difícil chegar. Gastei 1 dia de deslocamento,isso porque não houve atraso. Mesmo assim ainda tive que trocar o voo de volta pois mesmo saindo no primeiro barco não daria tempo, e olha que meu voo era só a tarde. Do sudeste asiático só conheço a Tailândia, que por sinal é o país mais fácil de se viajar dali, e posso dizer que tempo é fundamental. Você precisa ter tempo porque imprevistos acontecem, atrasos nem se fala, algo pode dar errado e com um roteiro todo picado assim com poucos dias se algo der errado vira um dominó e o resto do roteiro pode ficar comprometido. Não entendi bem quantos dias você tem no total, mas acho que você está esquecendo de contar os deslocamentos. Eu costumo contar os deslocamentos como 1 dia inteiro perdido quando deve durar mais de 2 horas no total(no caso de voo, sempre conto como 1 dia perdido), principalmente se for num país ou região onde atrasos são comuns como no SE asiático. A gente cansa e não quer chegar chegar no local e ir direto fazer turismo.Principalmente se ainda tiver que procurar hotel, como é bem comum por lá. Também costumo colocar 1 dia a mais do que dizem ser o tempo padrão na cidade. Essa regra para a Asia em geral é fundamental. Além dos imprevistos tem o fator de adaptação cultural que alguns lugares exigem. Talvez seja melhor ficar mais dias nas cidades que você tem mais vontade de conhecer e riscar as outros do roteiro.

CarlaZ
CarlaZPermalink

Tatiana,
Como todo mundo já falou, tá meio corrido né, precisando levar em conta os deslocamentos.
E pra questão o que cortar, sugiro cortar o que tem mais do mesmo, por exemplo Ayutthaia e Sukhothai, se quer mesmo ir nas 2. A vantagem de guardar Ayutthaia como bate e volta de Bangkok é decidir lá se quer ir ou não, dependendo do quanto estiver aproveitando a cidade.
O mesmo com as praias, se quer conhecer tantas praias/ilhas mesmo, se quer ir pra praia na Tailândia e no Camboja...

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Corrigindo, BKK são 2 dias, porque Ayuthaia e Sukhothai estão incluídos aí! wink

Renata
RenataPermalink

Oi Diogo,

Obrigada pelas dicas smile

O que ta pegando agora e o trecho Siem Reap-HK ,ja que os voos sao super caros. Talvez fique mais em conta voltar a BKK e de la para Siem Reap pela Air Asia. (mas queria evitar tantooos voos)
Sei que de Cingapura para Koh Lipe e super simples via Langkawi. Creio que de Koh Lipe para Koh Phi Phi nao seja tao complicado. E de Krabi pra BkK pela AirAsia tb.

Renata
RenataPermalink

"Talvez fique em conta voltar a BKK e de la para HK"

Naldo
NaldoPermalink

É isso mesmo... eu respondi pra você no seu posto original, Renata. Vê lá!

Renata
RenataPermalink

Ola Naldo,

Muitissimo Obrigada, valeu por ter escrito tudo tao explicadinho.

Muito bom essa sua sugestao de roteiro, mas quero muito ir para Koh Lipe, ja que a viagem sera lua de mel e quero muito ficar uns dias no sossegooo..E a maneira mais facil de chegar em Koh Lipe e via AirAsia de Cingapura para Langkawi (so 1 hora de voo + 1 hora de ferry).

De BKK vou para Siem Reap pela AirAsia mesmo. Na verdade existem voos de SR para HK, mas superrr carooo. Entao compensa mais voltar a BKK mesmo.

E, 7 dias muito para HK, pq pensei 5 dias so HK e 2 dias Macau. Entao e melhor bate e volta para Macau so 1 dia mesmo? e 4 noites em HK?
Ja que temos 30 dias pro roteiro, de repente inclua o LAOS? Vc foi la? Qual a melhor logistica em termos de voos? A Airasia nao vai pra Luang Prabang. (infelizmente!).

Talvez eu coloque mais dias em BKK para fazer os bate e voltas na regiao e ficar mais tranquila la naquela "muvuca" rs

Agora to vendo qual cia aera voa de Londres(ja quemoro aqui) para Cingapura com menor preco e multiplos stops, ja que volto de HK.

Muito boa a dica dos dolares na Camboja e tb nao preciso pedir visto antes, ja q tiro no aeroporto.(ja facilita muito).

Tb tenho que ver como vou fazer nas ilhas..acho que vou ficar em PHI PHI mesmo. So preciso saber como e de koh Lipe para Koh Phi Phi. Phuket nem pensar..

Valeuuuuu, Obrigada. Se tiver email ou twitter posta ai...

Naldo
NaldoPermalink

Oi Renata! Não posso te ajudar sobre esse ferry pra Koh Lipe, mas eu já fui pra Langkawi em 2010. Se pensar em parar por lá, há vários resorts/hoteis pela ilha ideais pra lua de mel. Eu fiquei num pé na areia na praia de Pantai Cenang (não só por ser a mais famosa, mas é onde estão os restaurantes - pra ir a pé) também. A única coisa ruim é que não sei se era a época (maio), mas o calor era terrível e as águas da piscina e do mar estavam sempre mornas.

Uns amigos foram pro Laos (eu os encontrei depois no Camboja) e adoraram. A paz, os monjes, os templos, os elefantes... outro clima lá e tudo muito mais "real". Segundo eles, uma parte bem diferente da viagem. Se puder e não for muito caro, pode ser uma boa. Só que eles vinham do Vietnam, e de Luang Prabang voaram pra Siem Reap. Acho que voaram de 'Lao Airline', não lembro bem.

A dica dos dólares pro Camboja é verdade. Acho que tinha lido num forum do Lonely Planet antes de ir e pude comprovar já no aeroporto. Daí não troquei. Meus amigos que tinham chegado antes trocaram um pouco pela moeda local e se arrependeram. Embora eu sempre saque ao chegar nos países, nem pensei em enfiar meu cartão num ATM lá, ao contrário da Tailândia, Malásia ou Cingapura. Sei lá, né, vai que.. Em relação ao visto é só preencher um formulario.

Sobre os dias de Hong Kong. Se quer ficar 3 - 4 dias na cidade aproveitando com calma está ótimo. Também não vejo problema em dormir em Macau, mas mais que 2 dias talvez seja demais. Além da herança portuguesa, os mais famosos Hotéis Cassino de Las vegas estão em Macau (Wynn, MGM etc). Mesmo pra quem não joga - como eu - vale a visita ao extravangante e imenso complexo The Venetian.

Da logística Londres-Ásia; Pra voos diretos, no seu caso só sobra a British pra ir a SIN e voltar a partir de HK (sem precisar voltar pra Cingapura). Com outra companhia isso não funciona mas o bom é que vc está no centro da tudo e com conexão há inúmeras opções. Eu pesquisaria as do oriente médio: Qatar, Emirates, Turkish... as melhores.

Renata
RenataPermalink

Valeu Demais Naldo! To fechando o roteiro agora e ja vou comprar as passagens. Achei melhor preco pela Qatar (London-Doha-Singapore e a volta saindo de HK).
Bjs,
Renata (twitter RenataAzevedo)

Renata
RenataPermalink

Nossa, vi aqui que os ferrys de Koh Lipe para Koh Phi Phi so comecam dia 10 Nov.(e o percurso e de 6 horas) E vou estar la no fim de outubro. E agora Jose?

Mariana
MarianaPermalink

Renata,
Ferry para Koh Lipe não é uma boa pedida. Fiz o percurso saindo de Phi Phi e demorei umas 8h com a parada para chegar lá. Parte do percurso foi feito numa lancha barulhenta que parava em toda e qualquer ilha que aparecia no caminho, pegamos chuva e não tinha onde se esconder e tudo mais. O melhor é ir de van (elas são bem organizadas, com ar condicionado e tal) até a cidade mais perto Pak Bara mesmo e de lá pegar uma van 45min para Koh Lipe. A van é barulhenta e balança bastante, mas é o que dá para fazer. Koh Lipe vale muuuuuito a pena para descansar depois da muvuca de Phi Phi. Faria tudo de novo (só que dessa vez, de van). rs. Abs

Renata
RenataPermalink

Oi Mariana,

Obrigada pela dica. Tava confusa sobre qual meio de transporte seria melhor, ja que no TripAdvisor recebi a recomendacao de que era mais pratico ir pelo mar (speedboat ate Koh Lanta e depois outro ate Koh Phi Phi). Meu roteiro vai ser ao contrario do seu (Koh Lipe- Koh Phi Phi), mas quero passar em Krabi tb. Vou fazer isso entao; ir ate Pak Parra e depois van ate Krabi.

Obrigada,
Renata (twitter @RenataAzevedo)

Renata
RenataPermalink

E, na verdade os ferrys comecam 20 Out. O melhor caminho e ir de Koh Lipe para Pak bara(ferry) e de la pegar uma van pra Krabi.

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Bóia e Sylvia, obrigada pela opinião! Ok, vou repensar então. Não tenho a pretensão de esgotar tudo, mas talvez deva mesmo cortar alguma coisa, a dúvida é o quê... rsrs

Mas o que vocês me sugerem para o Ano Novo? Fico em BKK mesmo, mesmo tendo que voltar no final (ou seja, partiria os dias de BKK), ou nem saio do aeroporto e vou direto pra outro lugar? Preciso de um ponto de partida!

Muito, muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tatiana! O Ano Novo, fora do Brasil, não tem o significado que tem aqui.

Se você mantiver a parte etíope do roteiro, o ajuizado é dormir em Bangkok neste dia, em vez de tentar uma conexão maluca no aeroporto.

Restrinja as acrobacias aéreas. Faça o mais papai-mamãe possível.

fernando
fernandoPermalink

Fiz Vietnam, Cambodja e Tailandia agora em janeiro e fiz toda a Tailanfia em 2007.
Abaixo seguem os meus relatos das duas viagens.Talvez te ajude em algo.

... Chegamos na Tailandia sob um calor intenso de quase 40Ce encontramos no aeroporto com nossa guia que ficaria com uma mala com nossas roupas de frio que usamos e usaríamos na nossa volta a Europa. Mais tarde nos arrependeríamos de termos deixado alguns pertences. Como já escrevi anteriormente o aeroporto de BKK é fantástico e enorme, passamos pelo Health Control para validarmos nossa vacina de febre amarela exigida pela Tailândia e fomos direto de taxi a um hotel próximo, o Suvarnaburi Regent Hotel, um hotel simples mas bem equipado. No dia seguinte encontramos com nossos amigos Rosane e David que haviam passado uma semana nas prais tailandesas (programa que já havíamos feito em outra viagem ) e pegamos um vôo da Air Ásia no outro aeroporto, o Dom Muang, do outro lado da cidade com destino a Hanói. Lembrando que na Air Ásia você paga por kilo a mala, então resolvemos pagar por uma mala de 30kg na compra da passagem que fizemos antecipadamente no Brasil.
Pousamos em Hanói vindos de um vôo rápido de 2;30hs mas nos surpreendemos com o frio na cidade. A temperatura era de 14C e caindo a cada dia que passava, por isso o arrependimento de termos deixado algumas de nossas roupas de frio mais pesadas. Era inverno no norte do Vietnam, e nunca imaginaríamos pegar temperaturas tão baixas, chegando aos 7C.
Nos hospedamos no Hanói Elegance Diamond hotel, um fantástico hotel duas estrelas bem próxima ao lago Hoan Kem. A comida, o quarto e a presteza dos funcionários nos surpreenderam positivamente. Ficaria lá facilmente, pois esse 2 estrelas tinham serviços que mais parecia um 4.
Saímos para andar a pé desbravando o bairro velho e passando por uma das experiências mais fantásticas já vividas na Ásia: atravessar a rua com milhares de motos passando a sua frente sem parar, pois a maioria das ruas não possui sinal. É uma experiência única, com determinação dê o primeiro passo e siga em frente com cautela, mas sem parar que as motos vão desviando de você. No final você chega a salvo ao outro lado da rua sem um arranhão.
Começamos pelas estreitas e agitadas ruas do Old Quarter, com aquele turbilhão de lojas e vendedores ambulantes com as famosas cestas nas costas. O Old Quarter é como uma Rua da Alfândega no Rio, só que em grande escala. Seus produtos são setorizados, ou seja, cada rua vende praticamente um só produto. Se quer calçados vá a uma rua, se quer bolsas vá a outra, se quer casacos ou atersanatos em outras distintas. Lembrando que para bolsas, roupas etc só encontrará artigos fakes, mas de muito boa qualidade.
Depois de passearmos pelo Old Quarter, pegamos um taxi para o Complexo onde encontra-se o Museu da Guerra e o Mausoléu de Ho Chi Minh. Entramos somente no museu, pois o Mausoléu estava fechado e vimos algumas fotos durante o período da guerra e algumas esculturas, mas nada assim tão relevante. Andamos pelos bem cuidados jardins cheio de bonsais e pudemos assistir ao treinamento de jovens militares como que em uma troca de guarda. Neste mesmo local visitamos o One Pilar Pagoda, nada de mais, e partimos para visitar a região onde fica o Opera House e o Museu da Historia do Vietnam. Sobre os taxis tome cuidado pois cada um tem um valor. Os mais caros cobram 14.000,00 por 600 mts rodados enquanto você pode pegar uns menores que cobram 8.000,00 por 1 Km, basta olhar os valores escritos na porta de cada carro.
A noite fomos jantar em um típico restaurante vietnamita o Quan Na Nong na 18 Phan Boi Chau Street, onde de pequenos passarinhos fritos a camarões e lombos de porco, pudemos experimentar a preços bem baratos, vários pratos da culinária local. A um custo de 800.000,00 dongs o equivalente a R$80,00, nós 4 comemos mais de 10 pratos diferentes. Não vi assim grandes atrações turísticas na cidade, mas deu para sentir o gostinho do que nos esperava pela frente. No dia seguinte pegamos um tour privado para a região de Tom Coc, primeira capital do Vietnam do Norte, depois transferida para Hanói. Tam Coc é mais conhecida por seu rio que serpenteia por entre os arrozais passando por três cavernas. Ë um passeio muito bonito, com todas as montanhas surgindo das águas e tornando o cenário ainda mais exuberante. Muitos a comparam com Halong Bay, só que na terra. O que estraga é o caminho até lá, umas três horas em estrada esburacada onde na maioria dos trechos não se pode passar dos 50km/hora.
Partimos no dia seguinte em direção a Halong Bay, em uma estrada semelhante a anterior, onde depois de 3 horas e meia chegamos a Baia de Halong. A equipe do Paradise Cruise Luxury nos esperava pra embarcarmos em uma viagem de três dias e duas noites por entre as mais de 2 mil ilhas da baia. O barco é muito bonito e suas cabines com varanda e no tamanho ideal foi o meio perfeito para desbravarmos a baia.
Almoçamos e fomos conhecer uma, se não a mais bonita das cavernas que já conheci na vida, a Surprise Cave ( Hang Sung Sot). Subindo seus mais de cem degraus me deparei com uma gigante caverna, com formações milenares de estalagmites e estalactites. Essa caverna é muito bem iluminada com holofotes coloridos que acentuam cada formação rochosa tornando-a uma visita imperdível. De lá partimos para outra ilha, a Tip Top, onde subimos por uma escada íngreme seus mais de 5000 degraus até um pagoda de onde se deslumbra uma vista fantástica de toda abia com suas ilhas e barcos ancorados. Retornamos ao barco e desfrutamos um excelente jantar no saguão central onde se encontra o restaurante.
No dia seguinte mudamos para um barco menor da mesma empresa e fomos em direção a ilha Cat BA, uma ilha sem graça sem ter muito o que ver e fazer. Passeamos na garupa de uma scooter pelo interior da ilha e visitamos uma caverna e uma casa que não se podia entrar, verdadeiro programa de índio. O passeio só valeu a pena porque no caminho para esta ilha pudemos ver outras ilhas bem interessantes além de andar de caíque por entre as cavernas formadas nas rochas depois do almoço, por sinal muito bom, servido a bordo do barco. Voltamos no fim da tarde para o barco principal onde descansamos e jantamos.
De volta a Hanói, ainda tivemos tempo de dar uma última volta pelo Old Quarter para comprar umas coisinhas e fomos ao aeroporto para pegar um vôo para Hue pela Vietnam Airlines. Chegamos em Hue já de noite e fomos de taxi para o hotel no centro da cidade, o Golden Hotel. No dia seguinte com chuva, contratamos um motorista para fazer alguns passeios a tarde, mas pela manhã fomos eu e Luiza desbravar o Market local. Mais parecia um galpão enorme de dois andares onde no primeiro andar ainda do lado de fora, barraquinhas de comidas, frutas e produtos de alimentação se misturavam a centenas de barracas vendendo coisas fakes. Os preços aqui eram bem menores que os encontrados em Hanói e a qualidade dos produtos era boa. Quis comprar uma blusa bordada para minha mãe e quando disse a menina que queria duas parecia que estava comprando o produto mais caro da barraca. A alegria da menina dizendo aos outros que pretendia comprar duas blusas foi algo surreal, agitando os dois dedos em V e mostrando para todos os outros vendedores.
A tarde fomos visitar o mausoléu do imperador, um lugar muito bonito com suas escadarias lembrando os templos de Bali. No inicio das escadas esculturas de guerreiros em pedra com cavalos e elefantes, como o exército chinês de pedra, ornavam o primeiro pátio. Ao entrarmos na sala principal do mausoléu, um pouco as escuras devido a falta de energia provocado pela chuva, nos deparamos com um dos mais bonitos mausoléus já visto. Todas as paredes eram pintadas e ornadas com desenhos feitos com cacos de cerâmica, assim como o próprio túmulo e sua abóboda, totalmente ornada com mosaicos muito mais bonitos que os de Taj Mahal. Saímos dali e partimos para o pagoda Thien Mu, também um lugar muito bonito que vale a pena a visita. Já era final de tarde, então seguimos em direção a citadela. Uma construção murada do início do sec XIX que abrigava o Imperador, o exército e muitos de seus súditos. A construção está sendo reformada depois das bombas americanas que devastaram o local, mas mesmo assim ainda se podia observar a grandiosidade e beleza daquele império gigantesco extinguido e depois devastado pelos americanos.
Pela manhã contratamos um motorista para nos levar a Hoi An, três horas e meia de viagem, em uma estrada um pouco melhor que as outras, mas que em parte circundava a costa. Opte por ir margeando a costa e não passe pelo túnel, que apesar de mais rápido lhe priva de uma vista muito bonita da costa. Chegamos em Hoi An a noite e nos hospedamos no Sunrise Beach Resort, um 5 estrelas em frente a praia que vale muito a pena.
Fizemos o check in no hotel e imediatamente pegamos o shutle do próprio hotel que nos levaria a cidade. Hoi An é uma cidadezinha conhecida pelos seus ótimos restaurantes e pelos seus alfaiates. Chegamos na cidade e fomos caminhar pelas ruelas com seus casarios antigos em ruas bem movimentadas mas só de pedestres e riquichás, as cadeirinhas conduzidas por bicicletas. Caminhamos por toda a cidade, entrando em cada lojinha e observando o artesanato local. Hoi An também é conhecido por suas lanternas coloridas. Aproveitei e comprei várias para enfeitar a festa de 80 anos da minha mãe que viria daí a alguns meses. Passamos pela ponte chinesa e visitamos alguns dos vários pagodas que existem na cidade. Já a noitinha escolhemos para jantar no Morning Glory, um dos restaurantes mais requisitados da cidade cujo proprietário possui outros tão bons espalhados pela cidade. Comemos a melhor comida vietnamita até então, uns enroladinhos de camarão, porco e frango, umas panquecas de arroz fritas e recheadas com camarão e um noodle da arroz frito com frutos do mar, acompanhados da cerveja local.
Hoi An é uma cidade que vale muito a pena conhecer, é um misto de Búzios e Paraty, super descolada com milhares de turistas curtindo suas lojas, cafés e restaurantes, aquela era a imagem que tinha na cabeça do que seria o Vietnam. Aproveitamos os vários alfaiates espalhados pela cidade e mandamos fazer umas roupas sob medida. Eu um casaco de lã para futuras viagens e umas camisas sociais. Minha esposa fez casacos, calças, vestidos, blusas por preços inacreditáveis. Vestidos e casacos saem por U$50,00 em média com o melhor tecido. Blusas e camisas em torno de U$20,00. uma verdadeira pechincha.Tudo isso feito de um dia para o outro. Ficamos envolvidos nesse clima de roupas e degustações gastronômicas durante os três dias que passamos em Hoi An .
Depois de Hoi An, contratamos um motorista na alfaiataria que fizemos nossoas roupas para nos levar ao aeroporto de Da Nang em direção a Ho Chi Minh. Chegamos a Ho Chi Minh, uma cidade enorme já a noite e nos hospedamos no Gran Silverland Hotel e SPA, no distrito 1 bem próximo ao Ben Thanh Market.
O calor estava forte, lembre-se que no norte era inverno e aqui verão, então havaianas e bermuda passaria a partir daqui a ser o uniforme oficial. Começamos nosso passeio ao Museu da Guerra do Vietnam, a poucas quadras de nosso hotel. Acho que todas as pessoas deveriam ter a oportunidade de ver o que a guerra é capas de fazer com uma nação e seu povo. Saí de lá angustiado ao ver milhares de fotos de tortura e violência que esse povo sofreu, ainda mais depois de ter conhecido a simpatia e cordialidade de um povo tão amigável. O Vietnam foi devastado, pouquíssimas cidades saíram ilesas. Em fotos aéreas, pudemos observar as milhares de crateras feitas pelas bombas em grandes áreas alem da devastação das florestas provocadas pelas bombas químicas, isso sem contar com as fotos de todas as conseqüências trazidas por essas bombas, o tão falado efeito laranja, que resultou em milhares de pessoas geneticamente mal formadas. Senti vergonha do ser humano e passei o resto do dia pesado.
Tentando me recuperar do baque, caminhamos pela cidade passando pela igreja de Notre Dame, parecida com a original em Paris, pelo Correio Central, uma construção arquitetônica do início do sec XX muito bonita em estilo colonial frances construído por Gustave Eiffel, o mesmo que construiu a torre em Paris.De lá fomos direto até a beira do rio onde subimos no edifício mais alto do Vietnam, o Bitexco, de onde pudemos observar a grande cidade pelo alto. Pegamos um táxi e nos dirigimos ao Ben Thanh Market, bem próximo ao nosso hotel, mas como já estava fechando não deu para conhecer ele todo. Fomos jantar em um lugar meio escondido onde se encontram vários restaurantes, cada um melhor que o outro, localizado na 74 Hai Ba Trung. Escolhemos o Hoa Tuc no primeiro dia e voltamos outro dia para jantar no The Refinery, todos muito bons, vale a pena conferir.
No dia seguinte nosso guia Jason estava bem cedo no hotel para nos levar ao Delta do Mekong e aos túneis da guerra, Cu Chi Tunnels. Pegamos a van e partimos ao sul do Vietnam em direção a Cai Be, por uma “super” rodovia que não se podia passar dos 80km hora. Paramos em um mercado local de frutas e vistamos um pagoda, Phu Chau , escondido por entre as casas de uma vila local. Um pagoda bonito mas nada comparado aos pagodas da Tailândia. De lá pegamos o barco em direção aos menores canais do delta, passando antes pelo mercado flutuante de Cai Be, que não estava em seu auge, apenas poucos barcos vendendo frutas. Nos dirigimos a casa de uma família local para almoçar passando pelo Sau Ca canal. Lá, pescamos com rede em lagos artificiais uns peixes que seriam nosso almoço e almoçamos nessa casa. Para ser sincero o maior programa de índio das últimas viagens. Pularia fácil o Delta do Mekong. De lá seguimos para vistar os túneis da Guerra do Vietnam.
Os túneis de Cu Chi são um complexo de 250km que tem sido preservado pelo governo e transformado na maior atração turística do Vietnam. Lá se pode caminhar por entre os túneis escavados no subsolo da floresta assim como ver toda a infra estrutura precária, mas que fizeram os vietnamitas vencedores da guerra contra os EUA. Andamos por entre os túneis e pude sentir toda a energia daquele lugar e de como eram pequenos e apertados o emaranhado de túneis subterrâneos, apesar de terem sidos alargados para os padrões de tamanho dos turistas ocidentais. Os túneis eram tão apertados que tinha que andar agachado e com os braços para dentro. Não aconselho a quem tem claustrofobia. Lá também pudemos ver as crateras formadas pelas famosas bombas B52 e quem quisesse poderia ir a um stand e atirar com as armas utilizadas na guerra, pagando um adicional pelas balas. Foi uma vista muito legal, que aconselho e que por sinal salvou o dia. Chegamos ao entardecer em Ho Chi Minh e fomos passear pela cidade, fazendo algumas compras no Ben Thanh Market e andando pela famosa Le Loi, a rua mais conhecida do Vietnam. Acho que toda grande cidade tem uma Le Loi.
Tiramos nosso último dia de Ho Chi Minh para vistar alguns templos como os pagodas Thien Hau, Xá Loi e Vinh Nghien, o mercado de Cho Binh Tay (China Town) onde tudo era muito mais barato que o Ben Thanh Market e os shopings da cidade, o Diamond Plaza e o Vimcom Center. Visitamos o Palácio da Reunificação por dentro e voltamos para curtir o fim da tarde na piscina no terraço do nosso hotel. Nesse dia queríamos tomar um drink no topo de algum restaurante de hotel. Passamos primeiro no Caravelle e como não gostamos muito do atendimento e da vista nos dirigimos ao outro lado da rua e fomos ao terraço do Hotel Rex para umas cervejas e petiscos. Recomendo pois a vista é fenomenal, esperamos os gigantescos prédios se iluminarem e tiramos dezenas de fotos.
No dia seguinte acordamos bem cedo e pegamos nosso vôo para Siem Reap no Cambodja, chegamos as 9:30 da manhã e já no aeroporto nosso guia Tong nos esperava para o tour. Paramos no hotel Golden Temple, um hotel charmoso, muito bem localizado e com o melhor atendimento que já tive em qualquer hotel por onde passei em minhas viagens. Ganhamos jantar, massagem, vinhos no quarto e drinks e petiscos a toda hora que chegávamos ou saíamos sem nos cobrarem nada. O único porém do hotel era o banheiro, mas com tudo que nos ofereceram ficaria lá novamente sem pestanejar. Deixamos nossas malas no hotel, trocamos de roupa e fomos direto para conhecer Beng Mealea Temple. Esse templo fica a 77km da cidade mas vale muito a pena ser conhecido. No caminho para o templo pudemos assistir a cerimônia de casamento tradicional do Cambodja, paramos o carro e tiramos muitas fotos com os noivos e parentes. A festa era muito colorida e os trajes bem exuberantes. Beng Mealea é um templo de origem hindu mas com algumas partes ao estilo budista. Suas ruínas estão envoltas por raízes de árvores, e suas colunas e paredes são finamente esculpidas com esculturas hindus. Saímos de lá e fomos almoçar em um restaurante próximo, experimentando pela primeira vez a comida cambojana. Ficamos maravilhados com tudo que pedimos, e olha que pedimos várias entradas e pratos, e no final não saiu nem R$80,00 para nós 4 mais o guia e as bebidas. A comida nos pegou de jeito e dali em diante eram cada vez mais experiências agradáveis com a comida daquele país.
Siem Reap é uma cidade fascinante, seu centro fervilha com restaurantes, pubs, lojas, sem esquecer das inúmeras cadeiras de massagens na rua. A massagem que mais nos chamou a atenção foi a fish massage, que consiste em mergulhar seus pés em aquários gigantes cheios de peixes famintos a mordiscar a pele morta de seus pés. As mulheres testaram e foi a maior gargalhada com as cócegas que os peixes faziam em seus pés, chamando a atenção de todos que passavam pelo local.
No dia seguinte partimos para o complexo de Angkor, vistando primeiro o templo Bayon. Esse templo data do fim do sec XII ou XIII e é conhecido por suas inúmeras cabeças gigantes de budas entalhadas em pedra. Ficamos um bom tempo lá impressionados com as esculturas, tiramos muitas fotos e a cada virada de esquina mais e mais ângulos perfeitos para se fotografar surgiam. De lá fomos em direção a Angkor Wat, o principal e maior templo da história construído pelo rei Suryavarman II, no começo do sec XII sendo o centro político e religioso do país. Angkor é o mais conhecido de todos os templos, principalmente depois do filme Tomb Raider ter sido filmado lá. Na minha opinião não é o mais bonito de todos, talvez o mais imponente e de maior importância e devido a isso foi reconhecido como patrimônio da UNESCO.
Atravessamos o longo caminho cercado pelos lagos até a parte interna do templo e percorremos seus longos corredores com suas paredes em pedras esculpidas. Assim como outros templos, Angkor está em reforma pelo governo de vários países. Atingimos a parte alta da torre central de onde vislumbramos uma vista espetacular de todo o complexo. Ao sairmos dali, voltamos a cidade para visitar o mercado central, as lojas e para jantar em algum dos restaurantes da Pub street.
No dia seguinte fomos em direção ao templo de Ta Prohm , mais conhecido pelas gigantes raízes das árvores que destruíram suas construções. Ta Prohm é um templo mágico, lindo e a harmonização das árvores e ruínas é fantástica. Foi erguido entre os secs XII e XIII para ser um mosteiro budista. Negligenciado e abandonado mais tarde, foi um dos únicos templos que permaneceu intacto e da mesma maneira que foi encontrado, com as raízes das gigantes figueiras se entrelaçando por entre suas paredes de pedras. Voltamos para o hotel, pegamos uma piscina e fomos curtir nosso último dia na cidade, aproveitando a fantástica comida cambodjana e para finalizar uma foot massage. Aproveitei nesse dia e desconfiado arrisquei cortar meu cabelo, e olha que não ficou ruim. A noite nosso guia nos deixou no aeroporto para embarcarmos para a Tailândia.
Chegamos na Tailândia com o intuito de passarmos 5 dias pelos arredores de Bangkok, pois já havíamos conhecido toda a Tailandia em outra viagem. Bangkok para mim é uma das 5 cidades do mundo que você tem a obrigação de conhecer. Uma cidade espetacular com todas as suas contrariedades. Encontra-se prédios high tech ao lado de templos milenares, shopings de luxo que nem em Nova York existem e os milhares de camelos espalhados pela cidade. Logo no domingo cedo partimos para o Weekend Market conhecido pelos locais como Chatuchak. Neste mercado a céu aberto encontra-se de tudo a preços muito mais baratos que em qualquer outro lugar de Bangkok mas infelizmente só abre nos finais de semana, ou seja, se for a Bangkok programe-se para estar lá durante um. Passamos o dia inteiro por lá, fazendo compras e voltando a experimentar os sabores da Tailândia. É claro que voltamos com as sacolas cheias para nosso hotel o The Key Bangok. A respeito do hotel, ele é muito bem localizado na Sukunvit soi 19 próximo a estação Asoke do BTS, mas exija um quarto para não fumantes e com janela para não ter aborrecimento como nós tivemos.
No outro dia encontramos com nossa guia Nina que faz parte da equipe da Tong, outra guia que utilizamos na nossa outra viagem. Nina foi uma surpresa agradabilíssima, super simpática e com um inglês com sotaque tailandês de morrer de rir. OK KA !!! Já havíamos combinados com ela pela internet meses atrás para nos pegar em nosso hotel com o intuito de irmos revisitar o mercado flutuante de Saduak, o templo dos tigres em Kanchanaburi e conhecer pela primeira vez as cachoeiras de Erawan pois não tivemos tempo de conhecer da outra vez.
Bem cedo Nina chegou em nosso hotel e fomos direto a Saduak onde passamos algumas horas, compramos umas fantasias para o Carnaval do Rio que começaria assim que chegássemos no Brasil. De lá partimos para Tiger Temple passando antes pela ponte do Rio Kwai, aquela que deu nome ao filme e chegando ao templo dos tigres mais umas centenas de fotos com os bichanos. Como o passeio dos tigres ainda iria demorar para começar e como já havíamos feito na outra viagem, abortamos o passeio e por sugestão da guia fomos direto a dar banho nos elefantes em Wang Pho. Foi uma das experiências mais engraçadas que passei na vida. Pedimos nosso almoço por telefone para ganharmos tempo e comemos dentro da van mesmo e em pouco tempo chegamos ao local. Eram só nos 4 para dar banho em dois elefantes e para agradá-los compramos antes cachos e mais cachos de banana. Seguimos em direção as margens do Rio Kwai e lá nos divertimos muito com os paquidermes. Eram duas fêmeas e ao comando do instrutor falando Ba-Zoo e com suas trombas enormes esguichavam água na gente enquanto sentados em seu dorso. Em um outro comando diferente elas se rebolavam e como em cima de um touro mecânico éramos jogados dentro do Rio. Passamos algumas horas ali nos divertindo e brincando com as duas para depois seguirmos em direção a Erawan.
Chegamos as cachoeiras as 15:00 (fecham as 16:30) mas foi perfeito pois a maioria dos turistas já haviam ido embora e podemos curtir o local quase sem turista algum. Erawan é um conjunto de 7 patameres de cachoeiras que formam piscinas de água calcaria de cor bem verde. É um espetáculo e você ainda pode nadar pelas piscinas, se dirigir as quedas d’água e se posicionar bem atrás delas nas cavernas rochosas que se formam. Tome apenas cuidado para ao mergulhar não acertar um das centenas de peixes que nadam na superfície da água, mas fique tranqüilo que eles não atacam. Passamos o resto do dia por ali, nadando e curtindo aquele local paradisíaco e voltamos dormindo na van pelo longo caminho de 4 horas até Bangkok.
Em nosso outro dia na cidade revisitamos os templos que já havíamos conhecido antes só para tirarmos fotos dos 4 juntos, já que visitamos a Tailândia em épocas diferentes, e outros diferentes que não vimos anteriormente. Fizemos os templos e pagodas bem rápidos, só com o intuito de tirar fotos mesmo. Depois de andar por Wat Arun, Wat Pho, Wat Phra Kaew, Wat Traimit, Grand Palace fomos almoçar em um restaurante muito bom indicado por nossa guia o Methavalai Sorndaeng na 78/2 Ratchadamnoen Klang Road bem em frente ao monumento da democracia. Junto da guia experimentamos comidas que ainda não havíamos comido na Tailândia. Chicken musman curry, mixed fried minced prawn corn and potato served in waffle cup, deep fried minced prawn and crab meat cracker with sweet plum sauce, além dos já conhecidos baked pinapple rice, pad thai e crispy rice noodle with sweet and sour sauce. Fiz questão de anotar os nomes pois a comida estava perfeita.
Nossos amigos voltariam no dia seguinte para o Brasil e nós ainda teríamos mais um dia em Bangkok antes de nossa volta ao Brasil via Praga. Aproveitamos esses dias para voltar aos shoppings para as últimas compras e visitar os mercados abertos nas ruas da cidade. A Asia estava ficando para trás e já com saudades partimos para Praga com uma parada em Londres para deixar as malas cheias de compras no hotel para não termos que carregar tudo em nossa viagem.

TAILANDIA
Gostamos muito de viajar e sempre pensamos em conhecer a Ásia, mas como já conhecíamos boa parte da cultura ocidental chegou a hora de desbravar a tão exótica e falada cultura oriental. A vantagem é que sabíamos que dinheiro não seria problema: na Tailândia, tudo é muito barato. Um mochileiro, por exemplo, não precisa mais do que US$15 para sobreviver dignamente – uns US$ 7 para dormir numa guesthouse e o restante para, almoçar, jantar, se locomover, entrar nos templos... O caro é para chegar até lá.
BANGKOK
Nok estava lá. E seria ela a nossa guia pelas ruas caóticas de Bangkok. A primeira reação foi de susto, mas estávamos com a guia justamente para ganharmos tempo, utilizando todos os tipos de transportes públicos.
Sob o calor intenso, a princípio optávamos por táxi, que era muito barato (uns 40 minutos saiam por uns R$ 6) e possuía ar-condicionado. Mas ao perceber que o trânsito não andava, saltávamos do táxi e encarávamos um tuk-tuk, espécie de moto com cabine traseira que corta loucamente os carros e o trânsito. Ainda assim, algumas vezes o trânsito era tão pesado que nem os tuk-tuks tinham como passar, daí fugíamos a pé uns dois ou três quarteirões e pegávamos um barco no rio Chao Praya, que serpenteia toda Bangkok. Às vezes arriscávamos o BTS, um metrô de superfície super rápido e moderno mas que infelizmente só cobre parte da cidade.
Aos poucos, você se acostuma com a multidão e o trânsito e vai se deixando seduzir pela simpatia do povo e pela mistura de templos centenários com prédios de arquitetura de alto luxo.
De cara, o que atrai é o menos comum no Ocidente: os belos templos budistas. Daí, eu e Luiza termos começado pelo Wat Arun (Wat quer dizer templo em tailandês), todo ornamentado com cacos, pratos, xícaras e outros utensílios de cerâmica. Do píer Tha Tien, um barco atravessa até ele.
Voltando ao mesmo píer, fomos andando até What Pho, o maior e mais antigo templo da cidade. É lá que se encontra o maior Buda dourado e deitado da Tailândia assim como a melhor escola de massagem tailandesa. Ao entrar nos templos somos obrigados a tirar os sapatos, em sinal de respeito. Mulheres com ombros descobertos e homens de bermuda não são admitidos. Mas caso você seja pego de surpresa, pode alugar um sarongue na entrada para se cobrir!
Dentro do templo, entrei numa pequena fila onde um monge bem idoso benzia as pessoas com uma flor de lótus banhada numa água sagrada. Que privilégio!
Leve, parti para o que considero uma das mais bonitas construções do mundo: o palácio real Wat Phra Kaew. É lá que vive o venerado rei, em sinal evidente de prestígio e aceitação, ainda hoje, da monarquia. Há fotos do rei e de sua família espalhadas e adoradas por toda a Tailândia. Inclusive em grandes outdoors!
Curtimos a noite no Siam Niramit Show (siamniramit.com), que retrata a cultura e a história da Tailândia num espetáculo de música e dança que não deixa nada a desejar a nenhum show da Broadway. Há a opção de jantar antes da apresentação, mas nem pense nisso! Em vez de comer num Buffet, prefira algo mais autêntico! Em uma outra noite, experimentamos um jantar sensacional numa tradicional embarcação de arroz, o Loy Nava (loynava.com) que passeia pelo rio. Enquanto descobríamos a culinária local, podíamos ver todos os templos às margens do rio iluminados.
Ainda havia muito a percorrer em Bangkok nos 2 dias seguintes, nos revezamos numa maratona turística: conhecemos a Vimanmek Teak, mansão de verão da realeza considerada a maior casa de madeira do mundo no meio do Parque Dusit, sobre um lago; visitamos o Chatuchak Weekend, mercado gigantesco ao ar livre onde se encontra comidas, roupas, artesanatos e animais vivos – é o lugar ideal para provar as iguarias tailandesas desde os tradicionais insetos fritos até o delicioso Pad Thai (noodles, camarão, tofu, castanha de caju, legumes, brotos de feijão, ovos mexidos e um delicioso molho de peixe que custava a bagatela de 20 baht, o equivalente a R$1). Vale a pena experimentar de tudo, mas se por acaso lhe derem um prato trocado, pois o som em tailandês confunde muito, simplesmente coma. Se não gostar, peça outro! A melhor comida Tailandesa é a de rua, pois tudo é muito fresco e preparado na sua frente com extrema higiene onde até o gelo é filtrado;
Passamos também pela famosa Khao San Road. A celebridade da rua vem do fato de ela ser destino de milhares de mochileiros do mundo inteiro, daí as tantas guesthouses e histórias de aventuras ouvidas nas redondezas. E espiamos as casas noturnas de portas abertas para quem quiser ver mulheres seminuas do bairro noturno de PatPong. Se você quiser ver um pouco mais, não perca o Ping-Pong show! Basta subir ao segundo andar das casas e, entre dezenas de casais de turistas, você verá o que as tailandesas são capazes de fazer com suas partes mais intimas... Há genitálias que fumam, outras que lançam bolinhas de ping pong à distância (daí o nome do show), umas que assopram velas ou que tocam instrumentos e até as que abrem tampinhas de garrafas!
Além dos programas tão peculiares, Bangkok ainda garante compras inacreditáveis. Um conselho? Viaje de malas vazias. Lá tudo é muito barato e você lota sacolas e sacolas com a maior facilidade... Sem dizer que as fábricas da Nike, da Adidas e da Nikon são na Tailândia! Em Bangkok, o MBK, próximo a estação do BTS chamada Estádio Nacional, é o shopping mais completo. Agora, se o seu objetivo são os aparelhos eletrônicos vá ao Panthip Plaza, na zona de Pratunam, um centro de cinco andares com tudo que você possa imaginar! Só tenha um certo cuidado com as falsificações... Agora, se você está louco por pechinchas em lojas de grife, seu destino é o WTC, na estação Chilton.
Se quiser comprar seda, também estará no país certo: além da grande produção, dá até para comprar tecido e encomendar roupas sob medida, que saem um terço mais baratas que no Brasil
Ayuthaya
Contratamos um taxista para conhecermos Ayuthaya. A menos de 90 quilômetros de Bangkok, entre os anos 1350 e 1767, a cidadezinha foi a capital da Tailândia; hoje, ela é patrimônio da UNESCO. Ele nos cobrou 2000 baht pelo dia inteiro de programa. Se você quiser ir de excursão vai encontrar preços a partir de 1500 baht por pessoa. Além de ser ligeiramente mais caro, o tempo entre ônibus, trem e barco pelo rio, implicará a perda de momentos incríveis.
Com suas ruínas destruídas pelo tempo e pela invasão dos Burmeses (atual Myanmar), que deceparam todas as estátuas de Budha como sinal de desrespeito e humilhação, Ayuthaya lembra muito os templos de Angkor no Camboja, só que em menor proporção. Há mais de quinze sítios arqueológicos por lá, onde os templos de pedras e tijolos mantêm-se muito bem conservados. Na volta, paramos no Bang Pa In Palace, uma das várias residências de beleza única do rei.
Damnoen Saduak
Acordamos bem cedo e fomos de carro com uma outra guia, Tong, para poder pegar o mercado flutuante ainda funcionando. Lá os barcos vendem de tudo, desde comida, flores, frutas até artesanatos locais. Os barcos e as comidas são de um colorido intenso. As frutas são praticamente as mesmas das nossas, mas com uma textura diferente e muito mais doces. Além das mangas, mangostins, jambos e rambutans (que lembra uma lichia, só que mais peluda na casca), comemos a melhor banana frita de nossas vidas.
Kanchanaburi
Já ouviu falar no filme A ponte do Rio Kwai? Pois é, o filme de David Lean sobre a Segunda Guerra Mundial, conta a destruição, pelos países aliados, de uma ponte ferroviária construída por prisioneiros britânicos na Birmânia ocupada. E essa ponte e o cemitério onde foram enterrados os ingleses está em Kanchanaburi – quer dizer, a sua reconstrução ...
Seguimos para Wat Pa Luangta Bua Yanasampanno, mais conhecido como Tiger Temple. Nele, monges budistas criam tigres desde filhotes com cereais, leite e frango cozido – e os turistas podem alimentar os filhotes e até passear com os maiores na coleira. Só fique atento ao horário: os tigrinhos são alimentados somente às 12:00h e você só pode andar com os maiores quando estes saem para pegar sol nos horários de 12:00h ou 17:00h. Vai ficar para sempre na memória como animais daquele tamanho se comportavam de maneira tão dócil.
De lá, voltamos a Kanchanaburi, e almoçamos em um restaurante flutuante em frente a ponte. Atravessamos a célebre ponte (a do Rio Kwai, claro!) e visitamos o cemitério e o museu da Segunda Guerra. Os planos de visitar as Erawan Falls foram, ironicamente, por água abaixo – já não havia tempo...
Chiang Mai
Era hora de partir para o norte, mais precisamente para Chiang Mai, a segunda cidade mais importante da Tailândia, cidade murada e das aventuras. A noite fervilha no Night Bazaar, uma rua bem em frente ao nosso hotel com muitos camelôs vendendo de tudo e onde em pequenos shoppings você pode ver shows de dança em grandes praças de alimentação geralmente ao ar livre. Virou atração turística pois são milhares de turistas durante a noite toda !
Conhecemos todos os templos protegidos pelos muros e ainda uma escola de preparação para monges. Para quem não sabe, Chiang Mai é a cidade dos monges e é lá que estão as principais escolas budistas. Como não poderia deixar de ser cruzamos com muitos monges, pois todo tailandês tem que dispensar ao menos um período de sua vida servindo como monge e abdicando dos prazeres materiais até decidir se continua ou não seu caminho religioso. Se tiver oportunidade converse com eles, pois gostam de saber de outras culturas, mas mulheres têm que se precaver pois não podem tocá-los nem chegar muito perto.
O Wat Phra That Doi Suthep está a 15 quilômetros do centro, no alto das montanhas. Reza a lenda que o local foi escolhido por um elefante branco que levava um osso do ombro de Buda em suas costas e que, bem ali, morreu de fadiga. Para não correr o mesmo risco, suba de elevador (que vale o preço de 30 baht) e se deslumbre com a vista! Depois, aprecie o enorme Chedi dourado que guarda relíquias sagradas e centenas de sinos – que se você tocar devem trazer boa sorte! E como o lugar é muito bonito, logicamente há mais uma linda residência real... Na descida, dá para arriscar os 309 degraus da escada em formato de dragão.
Pong, nosso guia, nos levou para um trecking de elefante no Mae Tang Elephant Park. Embora seja proibido o uso dos elefantes para trabalho de força na Tailândia, a lei nem sempre é seguida à risca. Nesse centro os animais são explorados de outra forma: jogam bola, tocam instrumentos e até pintam quadros. Percebemos que eles eram bem tratados e, então, não pudemos resistir ao passeio de mais de uma hora pelos rios, florestas e vales.
No dia seguinte acordamos bem cedo para irmos de carro ao Golden Triangle, região ainda produtora de ópio onde o rio Mekong em forma de Y faz divisa da Tailândia com Laos e Myanmar. Cruzamos de barco o rio até uma pequena vila já no Laos, só para colecionar em nosso passaporte mais um carimbo de entrada.
Na volta, próximo a Chiang Raí visitamos as tribos de refugiados de Myanmar conhecendo as mulheres girafas com aqueles longos pescoços envoltos em aros de metal. Normalmente os aros são trocados e aumentados a cada ano. Alguns juram que, anteriormente, os utilizavam para se proteger do ataque de tigres (que atacam no pescoço); outros, mais céticos, dizem que são apenas adornos – que hoje atraem os viajantes e garantem a subsistência local. Tanto que até as crianças utilizam os colares. Como sabíamos da presença delas, levamos uns adesivos para brincarem. Mas elas nem sabiam do que se tratava... Como não achei papel no local tirei um e colei na mão de uma menina. Minutos mais tarde, ao olharmos para trás vimos que elas tinham coberto todo o rosto e braços com os adesivos, como se enfeitando para uma festa.
Krabi
Novamente cruzaríamos o país: era hora de ir ao sul. Mais precisamente, às praias. Ou ao paraíso.
Estávamos preocupados com a devastação do tsunami de alguns anos atrás, porém, encontramos tudo em perfeito estado – o único indício da tragédia eram alguns coqueiros ainda pequenos por terem sido replantados e as placas indicativas para onde se deve correr no caso de um novo tsunami. Nos hospedamos em Ao Nang que é mais turística e movimentada que a cidade de Krabi.
Logo no primeiro dia, pegamos um longtail boat (como o próprio nome diz, barco bem longo e motorizado), até as várias ilhas de praias fantásticas, e passamos o dia no mar com sol curtindo o visual maravilhoso. É uma boa época para ir pois não é o período das chuvas.
As águas são de um verde cristalino tão intenso que não me contentei com a máscara e o snorkel – precisava mergulhar com cilindro. O fundo do mar é indescritível, vi todas as nuances de cores de recifes e peixes, como os numerosos “Nemos”, ou peixes palhaço, que nadam por entre as anêmonas.
Além das praias maravilhosas, como a badalada Railey Beach, há mangues, cavernas, paredões para escaladas e vários centros de massagem te esperando na orla por um preço irrisório. Por mais tempo que você passe no sul, vai sentir que é insuficiente...
PhiPhi
As ilhas do Mar de Andaman são deslumbrantes. Se você assistiu ao filme de Leonardo di Caprio, A Praia, sabe bem do que estou falando! Por isso, depois de alguns dias pegamos a barca para as ilhas PhiPhi. Vale a pena se hospedar por lá e curtir de dia as praias e, à noite, os excelentes restaurantes. Da tradicional comida tailandesa passando por pizzarias, optamos por comer um churrasco de frango com um molho de pimenta agridoce maravilhoso próximo ao nosso hotel.
Ficamos em PhiPhi Don, a maior das ilhas e a única habitada, mas é em PhiPhi Ley, em Maya Bay, que estão os cenários hollywoodyanos de Di Caprio. De fato é uma das praias mais bonitas que já vi. Tanto que precisei voltar até lá! Na primeira vez, com um longtail boat, fizemos um passeio só nós dois e tivemos a sensação de ter a praia toda para nós; na segunda, encaramos a excursão de um grande barco que parava também em outras ilhas. Quando chegamos na praia, ela já não era mais a mesma... Havia turistas demais... Uma dica: vá no período entre as 11h e as 14h!
Como essa excursão durava o dia inteiro, os mais velhos voltaram para PhiPhi Don em outro barco e nós, mais jovens, esperamos em alto mar com uma boa música e uma boa cerveja tailandesa o pôr do sol.
Foi ainda em Phiphi que tive a chance de conversar com nativos que perderam tudo durante o tsunami e além das histórias vi fotos assustadoras. E foi assim nesses 20 dias que percebi o tanto de experiências, belezas e culturas que a Tailândia mistura.
COMO EU FUI: Saímos do Rio com a Air France e fizemos uma parada de alguns dias em Amsterdam para quebrar um pouco a viagem. Desembarcamos no aeroporto de Bangkok, Suvarnabhumi, eu e minha mulher e já na chegada nos deparamos com um aeroporto hightech, recém-inaugurado e gigantesco. Lá, fizemos os vôos internos com a Thai Airways, excelente companhia com atendimento impecável.
ONDE FICAR: Em Bangkok, há o simples Manhattan Hotel (Soi 15 Sukhumvit Rd., próximo à estação Nana, 66-2/255-0166 hotelmanhattan.com , diárias desde U$20 a U$40). Em Chiang Mai, uma boa dica é o central Suriwongse Hotel (110 Changklan Rd., 66-5/3270-0517, suriwongsehotels.com, diárias desde U$26). Em Krabi, há o belo Ao Nang Priceville Resort (164 Moo 2 Ao-nang Beach, 66-3/7563-7971, aonangprinceville.com, diárias desde US$ 88). Em PhiPhi, invista um pouco mais e fique num dos bangalôs do PhiPhi Villa Resort (a 10 minutos a pé do píer, 66/7560-1100, phiphivillaresort.com , diárias desde U$90).
ONDE PASSEAR: Você pode fazer tudo sozinho mas, o melhor jeito de circular e conhecer o país é com guias locais que falam inglês. A diária por este tipo de serviço custa em torno de 700 baths (uns US$ 20). Em Bangkok, nosso leitor teve duas guias: a Nok (nan_ke80@yahoo.co.uk), que não possui carro, e a motorizada Tong (pornpitcha@yahoo.com ). Em Chiang Mai e nas cidades próximas, havia o Pong (guidepong@yahoo.co.th).
Caso você prefira fazer tudo por conta própria : Tiger Temple (tigertemple.org), você pode pegar um ônibus no terminal da estação sul em Bangkok para Kanchanaburi (100 bath), depois o ônibus 8203 para Sai Yok (25 bath), que pára na frente do templo. O trajeto todo leva umas 4 horas. Já o passeio ao Wat Phra That Doi Suthep é mais econômico (em tempo e dinheiro!): a entrada com elevador custa 30 bath e o tuk tuk que te levará até lá, uns 50 bath.
ONDE COMER:
* BKK: O melhor Pad Thai que eu comi em Bangkok, por incrível que pareça, foi num bar australiano, o Gooliver (na Khao San Road e na Sukumvit soi 5). Lá, experimente também o arroz servido dentro do abacaxi com farofa de castanhas ; Cabbages and Condoms - Sukhumvit Rd Soi 12, um excelente restaurante todo decorado com camisinhas, mas fique tranqüilo pois é um restaurante familiar.
* PhiPhi: Vale a pena um drink vendo um show pirotécnico em um restaurante em cima de uma árvore de frente para a praia no Carpe Diem hiphiphi.com/7aug.htm
BUROCRACIA: não é preciso visto, mas vacina de febre amarela é obrigatório.
DICA: Antes de ir pra a fila da imigração, vc tem que passar no Health Control, para verificarem o seu cartão de vacina de febre amarela. Ë um box que fica em um dos corredores principais antes da imigração. Se vc entrar na fila da imigração vai ter que voltar e validar seu cartão de vacina e entrar na fila da imigração novamente.

Pedro
PedroPermalink

Parabens! Excelente para equilibrarmos uma viagem profunda ou mais soft. E dicas de compras (não imaginava), culinaria (Camboja surpreende) e tantas outras. Até dq uns dias!!
Bóia, vcs sempre me direcionando em todas as viagens!!
Tenho 25 dias em janeiro e fevereiro com entrada e saída por Bangcoc. Minha primeira ideia seria Tailândia,Vietnã e Camboja. Mas achei q poderia ficar 4 dias Bangcoc, 3 Hanoi e 3 Siem Riep, com 4 hong Kong, 4 Pequin e 4 Toquio. 6 cidades em 25 dias. Conhecendo Indochina, China e Japão. Os últimos dois com grande prazer já que sempre fui grande admirador de ambos. Seria possível? Abs

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Pedro! Este outro post aqui pode ajudar você a pensar no roteiro: https://www.viajenaviagem.com/2014/11/sudeste-asiatico-itinerarios-comentados

Leonardo Sá
Leonardo SáPermalink

Um pouco sobre minha experiência em bangkok:
http://argonautas.tumblr.com/post/49334435807/brasil-para-bangkok

Renata
RenataPermalink

To fechando meu roteiro esta semana e quero muito a opiniao de voces. Se voces tiverem dicas de hoteis tb agradeco.

Obrigada

22 Oct- London-Doha-Singapore - Qatar Airlines
23 Oct- Singapore (Hotel Marina Bay Sands)
24 Oct- Singapore (Hotel Mandarin Oriental)
25 Oct- Singapore (Hotel Mandarin Oriental)
26 Oct- Voo Singapore-Langkawi pela Airasia (vou ter que dormir la, ja que o ferry so sai pela manha).
27 Oct- Koh Lipe-
28 Oct- Koh Lipe
29 Oct- Koh Lipe
30 Oct- Koh Lipe
31 Oct- Koh Lipe- Krabi (Ferry ate Pak Barra e van ate Krabi)-Vou Ficar em Railay Beach
01 Nov- Krabi
02 Nov- Krabi
03 Nov- Phi Phi
04 Nov- Phi Phi
05 Nov- Phi Phi
06 Nov- Krabi- BKK
07 Nov- BKK
08 Nov- BKK
09 Nov- BKK
10 Nov- BKK- Siem Reap
11 NOv- Siem Reap
12 Nov- Siem Reap
13 Nov- Siem Reap
14 Nov Siem Reap- Luang Prabang
15 Nov- Luang Prabang
16 Nov- Luang Prabang
17 Nov- Luang Prabang- BKK- HK
18 Nov-HK
19 Nov HK
20 nov Bate e volta Macau
21- HK
22- HK- Doha- London

Claudio
ClaudioPermalink

Renata,
em Siem Reap eu fiquei num hotel muito bom chamado Mulberry Boutique, que fica perto (a uma distância caminhável) do Night MKT, mas ao mesmo tempo não tá dentro do furduncio.
Se quiser dá uma olhada http://viajandoagora.blogspot.com/2013/03/muito-prazer-siem-reap-camboja.html

Em Cingapura, fiquei uns noites no Wanderlust que é simpático mas um pouco fora de mão e as demais noites no Swissotel que é excelente e um pouco mais em conta que o Bay Sands e o Mandarin. Eu amei Cingapura, tem vários posts lá no blog depois confira tb
boa viagem!

CarlaZ
CarlaZPermalink

Renata,
Em Siem Reap fiquei no Bopha e gostei bastante.
Em Bangkok fiquei no Centre Point, pertinho do hotel Lebua, que não é numa região bonita, é em cima de um shopping e milhões de camelôs ao redor, mas é bem localizado em relação aos transportes já que é bem na estação que liga o metrõ e o barco. Só pra ir pro aeroporto que faz acho que 2 baldeações.

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Obrigada pelas respostas e relatos! Seguindo os conselhos, meu roteiro está assim:

4ª- 25.12 – GIG-ADD
5ª-26.12 – chegada em Addis Ababa à noite
6ª- 27.12 – Addis Ababa
S- 28.12 – ADD-LLI
D- 29.12 – Lalibela
2ª- 30.12 – LLI-ADD
3ª- 31.12 – ADD-BKK – chegada em BKK 13:20
4ª- 01.01 - BKK (Ayuthaia)
5ª- 02.01 - Sukhothai (trem noturno para Chiang Mai)
6ª- 03.01 - Chiang Mai
S- 04.01- Chiang Rai (bate-volta)
D- 05.01 - Chiang Mai (voo 21:45 para Phuket)
2ª- 06.01 - Phi Phi
3ª- 07.01 - Phi-Phi
4ª- 08.01 - Phi Phi-Trang (ilha a decidir)
5ª- 09.01 - ilha
6ª- 10.01 - ilha
S- 11.01 - ilha-BKK
D- 12.01 - BKK
2ª- 13.01 - Saigon
3ª- 14.01 - Saigon
4ª- 15.01 - Ben Tre-Can Tho
5ª- 16.01 - Can Tho-Phu Quoc
6ª- 17.01 - Phu Quoc
S- 18.01 - Phu Quoc
D- 19.01 - Phu Quoc-Saigon (final da tarde)
2ª- 20.01 - Hoi An (chegada em Da Nang 10:30)
3ª- 21.01 - Hoi An
4ª- 22.01 - Hoi An-Luang Prabang (voo 15:50)
5ª- 23.01 - Luang Prabang
6ª- 24.01 - Luang Prabang
S- 25.01 - Luang Prabang
D- 26.01 - Luang Prabang-Siem Reap (chegada 14:10)
2ª- 27.01 - Siem Reap
3ª- 28.01 - Siem Reap
4ª- 29.01 - Siem Reap
5ª- 30.01 - Phmom Penh
6ª- 31.01 - Phnom Penh-BKK (chegada 20:40)
S- 01.02 – BKK-GIG (01:40)

Cortei Vientiane, Sihanoukville e Koh Rong. Minha preocupação com esse roteiro é acabar a viagem triste, com os killing fields... Mas essa foi a única ordem que deu pra viabilizar 2 dias inteiros em Phu Quoc. O que vocês acham?

Aguardo os pitacos! Obrigada!

Teté Lacerda
Teté LacerdaPermalink

acho poucos dias em Bangkok, ou você já conhece?

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Foi pra mim, né? rs

Não conheço não, e admito que é pouco mesmo, embora eu não vá ao mercado flutuante nem ao passeio do Tiger Temple (não por falta de tempo, mas porque não quero mesmo, rs).

O que pensei foi o seguinte: Bangkok é central, conexão para vários voos, então é muito mais fácil eu passar por lá na próxima viagem do que em outros lugares. Os outros acho que se eu não for agora não vou nunca mais na vida, sendo bem realista. Por isso acabei sacrificando Bangkok... (com muita dor no coração, admito!)

Estou sofrendo do primeiro grande erro dos mochileiros de primeira viagem, quero conhecer tudo ao mesmo tempo agora! rsrs

Jorge Otávio Gonzaga Reis

Muito arriscado este voo de volta para BKK.
Sinceramente PP não tem nada. Eu voltaria a noite para BKK e teria um dia a nais em BKK.
Pouco tempo para Hoi An .Acho que daria para tirar 1 dia de Siem Reap...Não caia na história que precisa de 1 semana depois de 2 dias fica repetitivo.
Curiosidade estive em ADD e não vi nada empolgante nas pesquisas prévias que justifiquem o pernoite ou algo além.O voo da ET até lá é bom mas depois prepare-se pois para HKong a frota de 767 300 ER é sofrível e desconfortável o que me leva a crer que para BKK não é diferente.Cheguei de lá agora dia 01.15 dias de muito boa viagem mas não no rol das minhas 3 melhores vale muito pela cultura diferente e a dieta de arroz que vc acaba por comer todo dia rsrs

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Pois é, fiquei pensando se era arriscado ou não, mas achei que 5h seriam suficientes... Atrasam tanto assim? Na verdade não são 5h, né, porque a gente vai ter que despachar...
Eu até gostaria de mais um dia em Hoi An, mas pela opinião da maioria não sei se vale sacrificar Siem Reap... Tem gente aqui que ficou 5 dias!
Em PP você fez o quê? Anotei aqui o Museu S21, Killing Fields e Palácio Real, além do Russian Market, que certamente não será indispensável depois de passar por tantos mercados. Também li sobre um passeio de quadriciclo ("os caminhos são de pedra e lama, passando por campos de arroz, lagos com belas flores aquáticas, palafitas, templos escondidos e um santuário de animais selvagens"), mas estou achando que deve ser muito turistão, programa de índio. Alguém aqui foi?
A parada em ADD é mais pra acostumar com o fuso. Você foi a Lalibela? Pra ir lá sem me estrepar vou ter que gastar esses dias, porque o voo é 7h da manhã, aí fica difícil ir no dia seguinte à chegada em ADD...
Vou procurar saber sobre o avião, só sei que até ADD é aquele boeing novo!
Obrigada pelo relato! (ps: ainda bem que gosto de arroz!!! rs)

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalink

Alguém sabe dizer se encontro mochila cargueira fácil em Bangkok? E como saber que não é falsificada? Pelo o que li parece que até no shopping vendem produtos falsificados, né?
Li no mochileiros que uma pessoa comprou uma Deuter por uns R$100,00, tá que já faz um tempo, mas mesmo assim foi de graça, né! Pensando se vale a pena ir com uma mala velha e comprar a mochila por lá...
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Tatiana! Você deve encontrar mais fácil essa iinformação em fóruns especializados smile

CarlaZ
CarlaZPermalink

Tatiana, cheguei a procurar mochilão Deuter no shopping em Bangkok pro meu marido. Nem pensei na possibilidade de ser falsificada. Lembro que tinha uma igualzinha a que tenho vendendo pelo equivalente a USD140, que foi exatamente o que paguei nos EUA.

Georgia
GeorgiaPermalink

Tatiana, vai no shopping Siam Paragon