Tocantins pra Luciana P.

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Cachoeira no Tocantins

A Luciana P. está indo agorinha a trabalho para Tocantins e está pensando em emendar os feriados de Carnaval por lá.

Ela quer saber como ir de Palmas para o Jalapão ou o Araguaia.

Se não fosse pela pecualiaridade do feriado -- Carnaval é a época em que todo mundo viaja -- eu diria que ela estaria na situação mais privilegiada: ir para um lugar e ter vários dias para ouvir opiniões dos moradores e comparar alternativas.

Em se tratando de Carnaval, porém, não dá para deixar para a última hora. E aí eu pergunto: temos tocantinenses a bordo? Ou trips que já tenham estudado o assunto?

Nesta época -- que é de chuva, até março -- vale a pena ir para o Jalapão? A região do Araguaia tem estrutura para receber turistas na época alagada? Pra onde o povo de Palmas vai no Carnaval?

Por enquanto, eu só descobri o ótimo site do Jalapão, feito pela secretaria de turismo do Tocantins, que traz também outros pontos de interesse no Estado e nos arredores da capital.

Quem pode ajudar a Luciana P.?

46 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Chris
ChrisPermalink

Riq,

Ainda estou um pouquinho perdida na sua nova página e não sei se é aqui que devo consultar a tripulação, mas de qualquer forma lá vai!!!

Tenho 15 dias de férias (setembro) e adoraria visitar Portugal e Espanha. Tenho em mente 05 cidades (Lisboa, Valência, Barcelona, Madrid, Porto). Pensei em fazer essa ordem, de carro em 15 dias. É loucura? Dá para ir? Vale à pena essas cidades ou estou deixando de conhecer outras tb importantes? São muitas dúvidas.... Espero que vocês consigam me ajudar. Bjs. Chris.

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Você logo se acostuma, Chris. Lá no alto do bóia existe um menu. Brasil, Américas, Europa, E + (que são os outros continentes). Eles abrem todos os compartimentos do site. Por favor copie e cole sua pergunta em posts sobre Portugal ou Espanha, ou na página Europa A-Z. Eu não posso fazer isso porque não tenho como transferir os dados pessoais de um post para outro. E preciso ser rigoroso com essas coisas nesta nova fase senão a coisa descamba. A imensa maioria dos perguntantes já descobriu o caminho. Obrigado!

Thiago Parente
Thiago ParentePermalink

Riq, já pensou em adicionar um fórum ao Site? Com tantos trips, vc poderia recrutar alguns para serem os moderadores. It's only an a idea. Something to think about it.

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

O site já funciona como forum. Por isso é importante que as perguntas sejam feitas nos posts dos respectivos assuntos. À medida que forem sendo acrescentadas as páginas de cada destino, esse lado fórum vai ficar mais explícito.

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ei Riq!
muito obrigada! Vou ficar aqui agora esperando as dicas e dando uma pesquisada também!
beijo

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Tá difícil, Luciana... já chamei no Twitter e tudo. Além de ser um destino bastante exótico, a época não parece ser a melhor. Eu acredito que o povo para quem você vai trabalhar lá seja uma fonte fácil e bastante confiável de informações.

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ei Riq!
viu só que por aqui tem sempre uns intrépidos que já foram para qualquer canto? Estou super agradecida a vc e todos os viajantes que estão me ajudando....a ajuda está sendo super válida!
Vou continuar pesquisando e quem sabe se na volta, eu não consiga fazer um relato bem legal que poderá ajudar alguém mais, né?
obrigada!

Hudson Godinho
Hudson GodinhoPermalink

Olá Luciana,

eu moro no tocantins e já morei em palmas por 4 anos e apesar de naum ter ido ao jalapão ainda naum recomendo que vc vá nesta época pelo que vi falar é muita chuva... aki agora é inverno (chuva) e lá chove dobrado... então se vc quer ir ao araguaia vá para araguacema (em temporada de praia - a partir de julho é tudo de bom... nesta época vc naum vai poder fazer muita coisa por lá) mas a opção mais legal é se vc se hospedar em taquaruçú (hotel fazenda encantada) ou em palmas e passar o dia em taquaruçú que fica a menos de 30 min. da cidade... o lugar é lindo sossegado, maas ao mesmo tempo tem ótimas atratividades mesmo nesta época de chuva.... a comida caseira do local é o que há de melhor. Em palmas apesar de a badalção ser muito grande no carnaval tem ótimas opções de diversão e turismo.... e vc tem a opção de cair na folia ou ficar relax... ah! e vindo a palmas naum deixe de visitar a feira da 304 sul uma diversidade culturas enorme(mas o melhor é vir no meio do ano, vc vai se encantar com as praias espalhadas por todo o estado o vale do Cantão a ilha do bananal o jalapão etc.... boa sorte e seja bem vinda ao tocantins!!! é apaixonante. espero que tenha te ajudado abraços. hudson

André
AndréPermalink

Eu estive no Jalapão, mas foi na época "da seca". É um lugar diferente e com alguns cenários bem diferentes. No entanto a estrutura na região é praticamente nenhuma. Para vc conhecer todos os pontos de interesse precisa de 2 ou 3 dias, pois tudo é muito longe. Para ter uma idéia, saindo da cachoeira Sussuapara (o primeiro pit stop) tem que andar quase 2 horas de carro até a próxima atração. E a distância entre cada parada (cachoeiras, dunas, fervedouro) é mais ou menos a mesma: de 1 hora e 30 a 2 horas. Ou seja, com muita correria vc consegue fazer 2 ou 3 paradas por dia.

Dentro do Jalapão só existem campings. Com pouca ou nenhuma estrutura, portanto prepare seu espírito aventureiro, mochila, barraca e demais apetrechos.

A base para saída, aluguel de transporte e guias é Ponte Alta do Tocantins, que fica a 190 km de Palmas, aproximadamente.

André
AndréPermalink

Não tente entrar no Jalapão com qualquer coisa que não seja alta, tracionada e muito resistente. A estrada que sai de Ponte Alta do Tocantins (e percorre todo o Jalapão) é ruim, toda de terra e na época de chuva (pelo que vi na época seca) deve ficar MUITO fácil de atolar.

No período de seca até que vi alguns carros normais transitando por lá, mas é muito arriscado. Na estradinha que leva para as Dunas vi até caminhonete atolada.

A sinalização dentro do Jalapão é ruim. E como as atrações ficam muito distantes umas das outras, você pode facilmente achar que se perdeu.

Recomendo fortemente que contrate um guia se você deseja visitar o Jalapão. Em Ponte Alta vai ser fácil encontrar vários operadores, com pickups, jeeps e caminhões tracionados, para levar turistas ao Jalapão.

Normalmente eles operam para grupos e se você está indo só, talvez seja necessário se integrar a um grupo, a menos que vc pretenda pagar toda a despesa sozinha.

Não tenho mais o contato da pessoa que contratei na época da minha viagem, mas vc deve encontrar diversas referência no Google.

André
AndréPermalink

Não sei se alguma das operadores oferece alimentação durante o passeio dentro do Jalapão, mas caso isso não aconteça, leve toda a água e comida para o seu consumo, pois dentro do Jalapão não vai encontrar quase nada.

Tem uma cidadezinha, que fica no extremo oposto do Jalapão (na entrada é Ponte Alta, uma cidade relativamente grande para os padrões da região), onde vc pode comprar água, algum alimento, mas durante o dia todo, nas cachoeiras e demais paradas, não tem quiosque, barraca, vendinha, nada do gênero.

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

André!
que ótimas as suas sugestões...vou anotando tudo e como acho que terei de ir mais vezes para lá, vou fazer o passeio para o Jalapão na época da seca.
Eu nunca fui até lá e não faço idéia de como é...distâncias, clima...nada, então as suas observações estão sendo ótimas prá mim!
Você foi a Gurupi?
muito obrigada por tudo!
ah! se vc se lembrar de mais alguma coisa, me conta, tá?

André
AndréPermalink

Luciana,

Não estive em Gurupi. Outra coisa que esqueci de mencionar: Mateiros (é a outra "cidade" dentro do Jalapão) é muito menor e com muito menos estrutura que Ponte Alta. Salvo engano, nem posto de gasolina tem.

Pelo que li dos comentários das pessoas que moraram em Palmas e na região, descartar Jalapão nessa temporada de chuvas parece ser mesmo a melhor coisa a fazer.

Lembrando que 90% dos programas na região estão relacionados com rios, cachoeiras, etc. Na época de chuva, realmente deve ficar complicado.

Abs e bom Carnaval!

André
AndréPermalink

Em Ponte Alta vc encontra pousadas simples (tipo zero estrelas) onde vc pode descansar à noite, caso não queria dormir em campings dentro do Jalapão. Nesse caso vc precisa contratar passeios de um dia, tipo bate e volta.

As pousadas são realmente rústicas e simples, mas comparadas aos campings, são quase um Mediterrané.

Ou, caso vc se aventure durante 2 ou 3 dias, dentro do Jalapão, pode garantir uma noite de sono com um pouco mais de conforto, na volta. Sair do Jalapão direto para Palmas não sei se é viável, pois normalmente os passeios terminam bem no final do dia, iníco da noite.

Thiago Augusto Gomes
Thiago Augusto GomesPermalink

Luciana,

morei em Palmas por dois anos, e saí de lá há três. Embora tenha desperdiçado a oportunidade de ir ao Jalapão enquanto morava lá, sei que a época agora não é apropriada. Embora tenha visto - com espanto - que as operadoras continuam vendendo pacotes (vi um para o Reveillon), chove demais por agora, que é o "inverno" tocantinense. Ainda que os carros 4x4 das operadoras cheguem lá o passeio deve ficar seriamente comprometido. Alguns amigos foram em época de seca, e contrataram um guia em Palmas com carro 4x4, ficando hospedados, se não me engano, em uma pousadinha em Mateiros, já dentro da área do Jalapão.

Para o lado do rio Araguaia, que é oposto ao Jalapão, não sei quais seriam os programas para o inverno. O movimento lá também predomina no "verão", ou seja, em julho, época de seca em que os rios baixam e formam diversas praias.

Logo, diante desta falta de opções, o que dá para sugerir é um passeio por Taquaruçu, distrito de Palmas a uns 30km do centro, onde há uma pequena vila e um hotel (Fazenda Encantada) no qual é (pelo menos era) possível o day use, em que se pagava uma taxa que incluía almoço e guia para as cachoeiras que existem no local. O grande barato de Taquaruçu é que por ficar em uma região de serra o calor é menos intenso. Lembre-se de marcar com antecedência entretanto, principalmente por ser um feriado.

Por fim, Palmas tem algumas opções de bares e restaurantes interessantes, e pelo que os amigos me contam, elas aumentaram em quantidade e qualidade desde que me mudei de lá.

Espero ter ajudado! Qualquer outra dúvida escreva!

Um abraço!

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ei Thiago!
muito obrigada pelas dicas...eu estou indo porque preciso, senão escolheria outra época...mas prá te falar a verdade acho que irei lá por outras vezes, então vou deixar o Jalapão para o "verão"!
Anotei aqui o nome de Taquaruçu e amanhã já vou ver como está na época do Carnaval.
Obrigada, viu?

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ah! se lembrar de mais laguma coisa, me diga, tá? vou na semana que vem, mas acho que em Gurupi vou conseguir conexão, né? Vc conhece Gurupi?

Arthur | Agora Vai
Arthur | Agora VaiPermalink

É uma boa saber disso tudo, pois é um dos destinos nacionais que me faltam. Como suspeitei, se essa é a época das chuvas, não vale a pena ir. Acho que esse site também pode ajudar: http://www.viagensmaneiras.com/viagens/index.htm

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

Arthur!
vou até o site dar uma conferida....estou aqui anotando as dicas e na volta eu conto como foi!
obrigada

Arthur | Agora Vai
Arthur | Agora VaiPermalink

Não deixe de comprar o belíssimo artesanato de capim-dourado, vegetação que só é encontrada naquelas bandas.

Ermesto, o pato
Ermesto, o patoPermalink

Luciana

No www.forum4X4.com.br tem alguns relatos de pessoas que foram, é so usar a ferramenta de pesquisa daquele Fórum e digitar "jalapão".

Aguardo suas noticias, pois é um destino que eu gostaria de conhecer, e acho que pode ser uma opção bem interessante para usar milhagem.

Eu já vi reportgens sobre a Expedição Korubo, que é um caminhão com tração que faz este roteiro, e há informações sobre eles no site www.jalapao.com. Particularmente, achei um pouco caro pelo que oferce, mas se voce vai sozinha pode ser uma excelente opção.

Não esqueça de bolgar para nos!

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ei Ernesto!
obrigada pela dica! Vou lá dar uma conferida. Pode deixar que assim que eu voltar de Tocantins vou tentar fazer um relatório à altura dos viajantes daqui!
obrigada

André
AndréPermalink

A Korubo deve ser a maior operadora do Jalapão. Muito provavelmente a mais cara, por toda a estrutura que oferecem. Os caminhões são enormes e devem ser interessantes para grupos grandes. Quando fui ao Jalapão o grupo tinha apenas 6 pessoas, por isso optamos por uma operadora menor, na verdade, um guia com uma L200.

Francine Marchi
Francine MarchiPermalink

Olá, bom moro em Plmas se puder ajudar?? Há possibilidades, sim, de conhecer o Jalapão. Inclusive, ontem mesmo andei olhando alguns pacotes criados por uma agêncai de turismo daqui que sairá no sábado e retornará na terça feira de carnaval. Com tudo incluso, a ida, em carro off road, as refeições, hospedagens em pousadas, acompanhamentos nos pontos turísticos. Vale a pena. Ao Rio Araguaia também é possíve, apenas não indico ir nessa época pois aqui está chovendo muito e não seria possível a proveitar o rio como se deveria: com sol. O ideal seria em julho, época em que o rio abaixa e formam-se várias ilhas, de areia branquinha cercada de águas rasas e transparentes. Enfim, o Tocantins é um Estado ainda bebê, que carece de mais opções par ao lazer, mas possui seus atrativos naturais abundantes, como cachoeiras, rios, dunas, cavernas, enfim, tudo necessário para um bom ecoturismo.
Coloco-me à disposição para qualquer questionamento que dispuser.
Abraços,
Francine.

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

Oi Francine!
muito obrigada pela sua atenção!
e já que vc mora aí em Palmas, será que vc poderia me dar umas dicas de restaurantes, bares, passeios pela capital? Ah! e um bom hotel também! Olhei alguns na internet e gostaria de ter a sua sugestão!
Vc conhece Gurupi? Vou ficar lá uns dias a trabalho e queria ouvir algumas dicas porque na net não achei coisa alguma...uma diquinha aqui, um hotel e só!
obrigada!

Marisa
MarisaPermalink

Fui em maio de 2007 e o clima estava excelente, não muito quente e início da seca. A água das cachoeiras estava bem quentinha.
Contratamos um guia local, o Belêco, um excelente guia, que nos levou na caminhonete dele durante os 4 dias do roteiro, sendo 3 dias dentro do Jalapão e um dia nos arredores da cidade de Ponte Alta de Tocantins, de onde saímos.
http://belecoturismojalapao.com.br
Passamos uma noite acampados, o próprio Beleco nos emprestou uma barraca, e as outras três noites em pousadas bem simples da região.
Mas foi uma viagem inesquecível, os lugares são realmente muito bonitos e exóticos!
ele também preparava maria-isabel, que é arroz com carne-seca, e quando chegávamos da cachoeira a mesa estava posta!

André
AndréPermalink

Quando fui ao Jalapão o Belêco foi SUPER bem recomendado.

Não cheguei a usar os serviços, mas todas as referências que recebi foram positivas!

Luciana Pordeus
Luciana PordeusPermalink

ei Marisa!
já mandei um email para o Beleco e estou aguardando o retorno!
muito obrigada pelas dicas!
estou ficando bem animada com esta viagem!
Luciana

Marisa
MarisaPermalink

Pode ficar mesmo porque o lugar é incrível, natureza pura! A gente realmente gostou muito do Beleco.
Boa viagem!

Adilmaria Angela
Adilmaria AngelaPermalink

Nao sei a quem vai ajudar mas estive em Palmas, no Tocantis ,em Julho de 2010 melhor epoca para se conhecer a regiao ,fiquei uma semane e de la fomos para Ponte Alta do Tocantis , fizemos o passeio com o Didico Que eu recomendo, super conhecido na regiao, ficamos na pousada Vereda das Aguas na entrada de Ponte Alta conhecemos todo o Jalapao com uma noite em Mateiros, no retorno fomos a Taquarussu> Em toda regiao ha otimas cachoeiras, bons hoteis com internet, aconselho a levar netbook, e fizemos tudo isso de carro ,menos o passeio do Jalapao , eramos 04 adultos 02 dos quais com 60 e 70 anos e 04 crianças de 3,5,7 e 14 anos partimos do Rio de Janeiro de carro e em dois dias completos chegamos ao Tocantis ,parando anoite para dormir, vale a pena quem quiser dicas e so mandar email. Um abraço e viaje na viajem!

Ivanildo Silva
Ivanildo SilvaPermalink

Estou indo para Palmas (TO) no início de novembro, já tentei vários contatos p/ viagem ao Jalapão e estou de orelha em pé!! Ninguém me responde!!!
Será que alguém pode me dar uma dia???

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Talvez seja porque a temporada já passou. Novembro já é época de cheia e provavelmente os tours não operem.

Ivanildo
IvanildoPermalink

Voltei do Jalapão TO em 11/11/2010, não só estavam operando os passeios, como tive uma ótima viagem, acima do esperado.
Todas aquelas dúvidas que tinha e que não consegui resposta com consultas à WEB, tive sanadas in loco, quem quiser se arriscar não tenha medo, pois o Jalapão não é um bicho de 7 cabeças, e pode ser muuuita mais barato e inóspito do que as pessoas imaginam!
Só levar roupas leves, protetor solar e bastante.....repelentes(bastante mesmo: gastei em 8 dias mais de 4 em várias versões, creme sprau...)
Abraços e qq dúvida já me sinto a vontade de responder.

Evandro
EvandroPermalink

Estive no jalapão em agosto 2010, no Camping Korubo. Pode ser meio caro, mas é tudo muito organizado. Site korubo.com.br. Pode comprar o pacote direto da Korubo ou de uma agência. É como se fosse um resort de aventura all inclusive com passeios e tudo incluído. Eles nos buscam no aeroporto, fazemos uma pernoite numa pousada simples e no dia seguinte vamos para o camping. As barracas são muito boas tipo exercito. Tem nos fundos da barraca um banheiro com armário, lavatório e vaso. Tem camas comuns com colchão e tudo mais. O banho é em banheiro coletivo com box individuais. Tem agua quente.
Luz só de led nas barracas e em todo o acampamento. Para mais charme tem muitas tochas acessas a noite toda. Tem de levar lanterna. A comida é muito boa, almoço e jantar. Cafe da manhã ótimo, com frutas e paes, sucos, leite, ovos e outras coisa.
O pessoal da korubo é um capítulo a parte, são excelentes.
Lá é lindo e tem o maior rio de agua potável do mundo. O Rio Novo.
A noite as vezes faz frio. Bom levar roupa de frio leve. Camisetas de manga comprida para o sol. No acampamento e nos passeios, quando estive em agosto, não tivemos problema com mosquitos. Mas é bom levar repelente. Vale a pena ir.

Ana Vitor
Ana VitorPermalink

Ola!!

Estou em indo para o Jalapão em abril, vou pelo Korubo..
Quero ir até o o Araguaia Alguem ja esteve la, tem algum guia para me indicar, eu vou só....

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ana! Essa o Comandante vai colocar no Perguntódromo! Fique de olho!

Kamila
KamilaPermalink

Alguém já visitou a Ilha do Bananal e tem dicas?

Andre L.
Andre L.Permalink

A Ilha do Bananal, como o restante do Centro-Oeste em geral (tá, colocaram artificialmente o Tocantins na região Norte, mas o clima lá é continental tropical, não equatorial), tem duas estações bem definidas: uma seca (quando surgem praias naturais no Araguaia, extensas até) e uma úmida.

Na temporada seca (mais ou menos de maio a outubro), vc pode visitar a ilha de carro. Tem aslfalto já quaste é o braço direito do Araguaia , e de lá vc pega uma balsa para a Ilha.

A parte norte é ocupada por um parque nacional e um parque indígena onde os xiitas e ecochatos do IBama criam caso para vc entrar.

O problema é que a estrutura é aquela típica de praias muvucadas: falta de estrutura: comida ruim, pousadas caras, som altíssimo em barcos-barracas, deficiência na coleta de lixo etc. O ideal é ir fora da alta temporada, mas quando já está seco.

Kamila
KamilaPermalink

Obrigada, André!

Renata P. Espíndola
Renata P. EspíndolaPermalink

Vim saber do Jalapão e fiquei ainda mais curiosa. Em maio irei com a Korubo num pacote de 7 dias. Estou preocupada com mutucas que em vários sites e blogs dizem serem terríveis. Alguém poderia dizer como é viajar pelo Jalapão e as mutucas? smile)

Luiz Blower
Luiz BlowerPermalink

olá!
Eu estou indo para o jalapão em julho e queria muito fazer um rafting, porém só estou encontrando pacotes em expedições de dias e muito caros. Como irei de picape 4X4 para a região gostaria de fazer um passeio de rafting mais curto, como no site do jalapão sugere. Só que não encontrei nenhuma operadora que faça ou relato de tal passeio.

Se alguem tiver alguma informação, obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Luiz! Se você está disposto a ir com seu próprio carro, vá com tempo e certamente achará o que é possível fazer por lá. Na volta nos conte, por favor!

Renata P. Espíndola
Renata P. EspíndolaPermalink

O Jalapão é fascinante em vários sentidos e se você possui espírito aventureiro, vale a pena visitá-lo. Estive no Safari Camp da Korubo no início do mês e a experiência foi ótima.

Meu temor com as mutucas só foi confirmado porque entre um fervedouro e outro esqueci de repassar repelente nas pernas, mas a marca que adquiri cumpriu bem o papel e não esqueci de evitar perfumes. Vale a pena adquirir um carregador solar para carregamentos de emergência da máquina fotográfica, mas esqueça o celular porque em pouquíssimas áreas funciona.

Nunca havia visto o céu sem iluminação artificial ao redor e a noite no Jalapão arranca suspiros. Mateiros é um município imenso, mas a zona urbana é bem pequena. Há uma boa oferta de artesanato na cooperativa localizada na praça principal e uma pequena sorveteria oferece sabores inusitados como Cupuaçu, Cagaita, entre outros.

Para subir a trilha da Serra do Espírito Santo você deve possuir resistência física e estar acostumado a atividades físicas. Assim como a gente se prepara monetariamente para uma viagem, adquire equipamentos e guias, vale a pena investir numa academia e em exercícios aeróbicos. O panorama no topo da serra é inesquecível.

Retorno no próximo ano para conhecer as atrações que faltaram.

Carol Lourenço
Carol LourençoPermalink

O Jalapão é um lugar extraordinário, uma imensidão pura e valiosa de céu e terra que nos marca para sempre. Fui com a Korubo, achei o roteiro ótimo, as instalações bem organizadas, o atendimento muito bom (achei o preço justo). É um destino que merece uma matéria especial aqui no site! Confiram!

Edison
EdisonPermalink

De Brasília ao Jalapão via Chapada dos Veadeiros.

Ao contrário da ideia comumente disseminada, sobretudo em meio aos resultados obtidos após uma pesquisa na internet sobre o Jalapão, é possível chegar à região de carro, sem passar pelo aeroporto de Palmas e sem contratar pacotes (caríssimos) das empresas de turismo que operam na região. Recolhendo o máximo de informações, de mapas e redobrando os cuidados tradicionais com o veículo, e após percorrer 870 km de estradas a partir de Brasília se chega à Mateiros, o coração do Jalapão.
A primeira dúvida: só de veículo 4x4? Pensamos que é muitíssimo recomendável um veículo com tração nas 4 rodas, embora não sejam inviáveis alternativas. Carros leves e mais altos, do tipo Gol e Uno podem chegar, mas é muito provável que isso acarrete aventuras adicionais durante o passeio, e muito trabalho. Nesse caso, seria aconselhável levar na bagagem algumas tábuas e uma pá; lembrando que usar esses apetrechos pode roubar um bom tempo da viagem. Mas para os aventureiros irredutíveis, e que disponham de tempo, isso pode simplesmente tornar a experiência mais radical.
A segunda pergunta: qual o melhor caminho? São muitos e alguns bem parecidos. Via Belém-Brasília (Brasília – Padre Bernardo – Uruaçu... ou Brasília – Cocalzinho – Dois Irmãos – Uruaçu...). Via BR 020 (Brasília até Luis Eduardo Magalhães – BA, provavelmente o mais longo, mas de boas estradas) ou via Chapada dos Veadeiros que, embora não seja o roteiro com as melhores estradas, possibilita uma escala para “aquecimento” no paraíso místico e natural da Chapada. Foi esta a escolha minha e da Leti.
O trecho de estrada entre a BR 020 e São João da Aliança passa por reformas. Ficamos em dúvida se não serão daquelas obras que em pouco tempo se perdem mas, vá lá, estão melhorando bastante o acesso à Chapada! Em Alto Paraíso, Vila São Jorge e Cavalcante há numerosas opções de hospedagem para todos os bolsos. Fizemos uma parada para dormir em Alto Paraíso e buscamos a opção mais barata (verdadeiramente, impagável). Passamos apenas uma noite por lá, na casa de um casal de amigos fraternos que sempre nos recebem com carinho (dessa vez com um inesquecível banho de ofurô). Mas, sigamos rumo ao Jalapão.
Ao norte, passando pela cidade de Teresina de Goiás (estrada cheia de defeitos causados por sucessivas operações tapa-buracos) chegamos a Campos Belos, onde nos despedimos dos torrões que permaneceram goianos após a criação do mais novo estado brasileiro. Aqui deve ser escolhido o caminho para entrar em terras tocantinenses: à esquerda, por Arraias ou à direita, seguindo por Taguatinga em direção à Dianópolis. Optamos pelo caminho de Taguatinga, já pensando em voltar pelo “outro lado”...
Nossa escolha foi influenciada pela curiosidade de conhecer imediatamente o menor rio do Brasil, o rio Azuis, no município de Aurora de Tocantins. Além de obrigatória a parada é fascinante. De fácil acesso, essa atração fica a poucos metros da rodovia TO 110, à direita, cerca de 30 km antes de Taguatinga. Ótima pedida para o primeiro mergulho nas águas cálidas do Tocantins ou, simplesmente, para admirar.
O próximo destino é Dianópolis, de onde há mais de uma alternativa para seguir viagem. Não chegamos até a cidade. Antes, a 4 km, existe um trevo com uma estrada à direita, que fica a uns 200 metros de um posto de gasolina. Foi por essa estrada que continuamos em nosso roteiro, sugerido pelo Sr. José Roberto, dono da Pousada Panela de Ferro, nosso refúgio em Mateiros. É aconselhável chegar ao posto, tanto para abastecer a viatura como para assuntar sobre o caminho, chamado de “passagem pela garganta”.
Voltando os tais 200 metros e pegando a estrada da garganta entramos no estado da Bahia. Os primeiros 57 km numa ótima estrada asfaltada que nos leva ao agrodeserto do oeste baiano. O asfalto termina e começa o poeirão. São 154 km de terra, que as autoridades rodoviárias costumam chamar de "leito natural", em meio às intermináveis plantações de soja e de algodão que reconstroem a paisagem e alavancam o agronegócio na região.
Desde a entrada para a garganta e adiante esqueça as placas ou qualquer outro tipo de sinalização. Tampouco há vendas de beira de estrada, pessoas, casas ou qualquer alternativa para obter informação, até que se chegue à Panamby. Seguimos levantando poeira numa espécie de “terrovia” principal, porém há um sem-fim de estradas secundárias e de acessos aos galpões de máquinas dos agroestabelecimentos; nada parecido com as fazendas como as que existem em regiões nas quais o agronegócio não chegou tão açodado. Alertamos que após 13 km iniciais de estrada de terra existe uma bifurcação. Pegamos a estrada à esquerda, que nos pareceu a principal. Deu certo.
Após Panamby (ou seria Nova Panamby?), onde as pessoas pareceram não saber se estávamos na Bahia ou em Tocantins, existe, de fato, um caminho principal o qual deve ser seguido até a primeira e única placa de sinalização, que indica à esquerda - “Mateiros 43km”, agora numa estradinha sem sustos e sem bifurcações.
Chegando à Mateiros não há mais complicação. Nada que não se resolva num bate-papo com a gente da pequena cidadezinha, conversando com as pessoas das poucas pousadas existentes, com a turma do Centro de Apoio ao Turista ou durante o inevitável ataque às panelas da dona Rosa. Figura singular da cidade e fornecedora de uma comidinha honesta, a dona Rosa é detentora de uma prosa superdivertida, além de sempre dispor de uma cervejinha gelada para encerrar o dia e ajudar na remoção da poeira, que sempre se acumula involuntariamente na goela de alguns viageiros. Nosso condutor local foi o Alessandro (63 99490097). Em tempo: em Mateiros só funciona celular da Vivo.
Nosso retorno foi por Ponte Alta do Tocantins, considerada a porta de entrada do Jalapão, por ser a primeira cidade próxima ao Parque Estadual quando se vem de Palmas. A péssima estrada desde Mateiros é o único caminho para concluirmos o circuito jalapônico e conhecer os atrativos mais próximos de Ponte Alta. São 170 km de terra, pedras e de verdadeiras piscinas de areia, onde há o risco de o carro ficar atolado, com a barriga presa no areião.
Em Ponte Alta ficamos na acolhedora Pousada Planalto, onde fomos recebidos pela dona Lázara, guia experiente e possivelmente uma das maiores conhecedoras da região. Proprietária da pousada e operadora tradicional do turismo local, ela dá todas as dicas importantes e indispensáveis e dispõe de boa estrutura, que inclui veículos 4x4, alugados na própria pousada.
Como nosso objetivo foi o de falar sobre como chegar e sair do Jalapão vamos direto ao caminho de volta já que, chegando-se em Mateiros e depois em Ponte Alta, está “tudo dominado”. Antes, duas dicas gastronômicas da cidade merecedoras de registro: os pasteizinhos fabulosos e outros lanches da padaria que fica na rua da dona Lázara, imprescindíveis na hora de montar a matula para os passeios e o churrasquinho no bar do Belêco (acompanhado de feijão tropeiro, mandioca, vinagrete e arroz) Tudo muito bem servido, gostoso e barato demais. O nosso melhor jantar no Jalapão. Lembramos que o Belêco também é agente de turismo!
De Ponte Alta seguimos para Pindorama: 56 km, para nossa surpresa, quase todos asfaltados. Dali mais 85 para Natividade. Nesse último trecho, os primeiros 65 km são de terra, numa estradinha excelente (lembramos que nossa viagem foi em julho/agosto, em ano de eleição municipal. Há motivos para desconfiar que isso tenha influencia na patrolagem recente da estrada). Depois, mais 20 km no ótimo trecho em asfalto da BR 010 até a cidade, fundada no início do Sec. XVIII, na corrida pelo ouro. Recomendamos um passeio nessa cidadezinha.
Depois da parada histórica continuamos mais uns poucos quilômetros na BR 010 até Príncipe. Daí, seguimos na TO 050 (piora muito a qualidade do asfalto), passando por Conceição de Tocantins e Arraias, fechando o nosso circuito em Montes Belos, onde reencontramos nossas pegadas no contorno de volta à Brasília. (Total percorrido no caminho de volta: 949 km, contra os 870 da ida).

Reinaldo Luis Tavares
Reinaldo Luis TavaresPermalink

Excelente relato, ótima forma de expor os detalhes. Que veículo usaram na viagem? Iremos pela primeira ao Jalapão e vamos sair e retornar à BH/MG. temos 15 dias de férias e pelo que li sobre a região é tempo demais para as atrações existentes... ou não? Sugerenos mais alguma coisa em Goiás ou Tocantins. Eu planejava seguir de Mateiros para a BA até Lençois e descer depois para BH.
Mesmo voc~e dizendo ser possível, peço confirmação na possibilidade (mesmo que radical) de se fazer a viagem e veículo sem tração 4x4.

Abraço!
Reinaldo Tavares
31-9779-9761