BBB andando (minha crônica no Guia do Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

BBB 10“Demorou, mas te achei! Não é você que escrevia um blog sobre Big Brother no site do Estadão? E aí, não vai escrever mais não?”

A leitora vasculhou os confins da internet até me encontrar no meu cantinho habitual, onde não falo de outra coisa que não seja viagem. Ainda assim, associou o nome ao estilo e achou que o autor das bobagens nos dois lugares bem que podia ser eu.

Era eu sim, moça. Mas não, este ano não vou blogar sobre Big Brother. A estreia do BB10 me pegou no meio de uma viagem complicada, em que dormi várias noites em lugares sem TV no quarto. Além disso, novas frentes de trabalho (lerê, lerê) não me permitem mais fazer aquele recreio entre meia-noite e uma da manhã em que eu brincava de comparar a dramaturgia do Big Brother com a dramaturgia novelesca tradicional.

Vou sentir saudade – tanto que aproveitei o primeiro gancho que apareceu (obrigado, moça!) para escrever sobre o BBB aqui.

Perdi minha virgindade de BBB10 terça passada, no capítulo da eliminação da Tessália. Como eu já imaginava (e especulei anteriormente), é bem esquisito pegar o BBB andando. Num primeiro momento, vale por finalmente ver a cara de alguns personagens que já estão semifamosos aqui fora. Mas daí a entender por que eles se gostam, ou por que não se suportam, demora um tempinho.

Seja lá o que se passe dentro da casa, tenho a impressão de que nada será tão interessante quanto o que está acontecendo do lado de cá. Este é o primeiro ano em que não ouço a ladainha de sempre associando a reincidência do Big Brother e o final dos tempos.

Hipóteses. As pessoas podem ter se cansado de ficar indignadas à toa. Ou deram uma espiadinha básica em 'A Fazenda' e perceberam que, à luz da concorrência, 'Big Brother' é praticamente um programa cultural. Talvez as circunstâncias também tenham ajudado. Perto do terremoto do Haiti e das enchentes deste verão em São Paulo, que mal que pode fazer um Big Brother a mais?

O fato é que, oito anos depois de estrear, o Big Brother parece ter finalmente sido absorvido pelos seus detratores como um mero contratempo do calendário, feito o Campeonato Paulista, o carnaval de Salvador ou o Dia dos Namorados.

Não sei se vou acompanhar este ano. Não levo muita fé nas edições pares – as ímpares sempre foram muito mais empolgantes. E, de mais a mais, que graça tem ver Big Brother, agora que quase mais ninguém mais fala mal?

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


27 comentários

Rosa
RosaPermalinkResponder

Eu adorava as suas bbblogagens!!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Qualquer semelhança entre ignorar e não-falar-mal é mera coincidencia wink

Martinha
MartinhaPermalinkResponder

lol

Alcindo
AlcindoPermalinkResponder

Falar mal é promover. Melhor ignorar mesmo...Eu nunca assisti. Mas às vezes sou obrigado a ler algum colunista que aprecio- como você- discorrendo sobre este lixo...

Déia Barros
Déia BarrosPermalinkResponder

Ah não!! quem vai falar dos barracos da Helenita? smile

Bárbara
BárbaraPermalinkResponder

Eu assisto, sempre assisti. Gosto de gente, gosto de ver o que provoca riso, o que provoca choro. A dança dos egos. O súbito apaixonamento, a raiva ancestral por alguém que se acaba de conhecer. Não me ocupo torcendo por alguém, mas acho muito interessante ver o quanto mudamos de favoritos ao longo das semanas. As pessoas são surpreendentes, são perfeitas em sua natural imperfeição.

Roberto Berlim

Podia juntar dois fenomenos da década e ver o que dá: BBB + videos de gatos no Youtube. Big Cats Brasil. Nao, nao, um outro nome...

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Riq,
Vc esteve por Olinda a semana passada?
Vi um cara que tive quase certeza ser você, mas fiquei na dúvida.

Ricardo Freire

Estive não... devia ser o Ocimar Versolato ou o Zé Pedro grin

André
AndréPermalinkResponder

O dia que inventarem uma edição com a Fernanda Young dentro da casa, eu assisto.

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Riq, tô achando agora o programa chatinho sem a Tessália...
Não queria que ela ganhasse, mas ela apimentava a casa com ceteza!
Essa discussão toda sobre o programa ser o final dos tempos e blá, blá, blá... eu simplesmente digo que a vida real já á cheia de desgraceiras e coisas sérias. Então, na hora de relaxar nada como uma "comédia da vida privada" pra distrair...
Adorei a crônica! wink

Denise Mustafa

eu num vou nem falar nada, né? @bbbmustafa fala tudo..
ahahahhahha

Miguel Angelo Gomes

Riq,

Detesto elogiar, fico me segurando pra não parecer "babação-de-ovo" [já ouviu essa expressão?] mas já sou leitor diurno e a cada dia me sinto mais em casa, espero que me perdoe por ser tão despojado, mas começo a entender porque tenho feito deste blog parada obrigatória na correria do meu trabalho. Conhecimento e talento estão aqui, ao falar de outros assuntos com um bom humor quase que Veríssimo percebi que você tem o que muitos escritores chamariam de dom, e eu chamo de; dom também.

Quando eu crescer...

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Miguel, bem vindo ao time! Fazemos isso igualzinho vc!!!
Riq, eu vejo de vez em quando se estou em casa como experiência sociológica - os barracos aumentaram, tá muito chato, mas que é divertido viajar para longe é - ainda que não seja de avião e como professora de RH eu amo a fauna humana! Mas se eu estivesse em viagem, nem daria bola rsrs

BBB andando (minha crônica no Guia do Estadão) – bbb

[...] https://www.viajenaviagem.com/2010/02/bbb-andando-minha-cronica-no-guia-do-estadao/Como eu já imaginava (e especulei anteriormente), é bem esquisito pegar o BBB andando. Num [...]

juliana
julianaPermalinkResponder

A globo va mater o DOURADO para dar confusão até o fim. A questão é que o citado é um poço de preconceito e falta de educação! Eita mau exemplo!!!

Domênico Vilares

Para quem está sem muito o que fazer (meu caso, até março), é um passatempo interessante. Concordo com a Bárbara, é curioso ver o que provoca choro, a dança dos egos e a a raiva ancestral por alguém que se acaba de conhecer. Também não torço por ninguém.
Sinceramente, não vejo a hora de voltar a me ocupar com coisa melhor.

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Sylvia, adoro seus comentários, sabia?

Alê Godoy
Alê GodoyPermalinkResponder

Eu estava sentindo falta dos seus pitacos sobre o BBB. Sempre tão perfeitos...
Por favor, de vez em quando, faz-se uns postsinhos, vai?
grin

Ana
AnaPermalinkResponder

Que pena que não vamos ter os seus comentários, Riq! O BBB 10 promete! Eu tb sou da sua tese de que os ímpares são os melhores, mas este mal começou, e já tá pegando fogo!!!

Dá uma olhada no que andam escrevendo sobre: http://televisao.uol.com.br/bbb/mauricio-stycer/2010/02/10/em-sua-pos-graduacao-no-bbb-marcelo-dourado-reina.jhtm

Val
ValPermalinkResponder

edição impar a caminho,Riq!!!

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Eu não sabia que o nosso guru viajandão tb entendia de BBB.
Ueba! Ainda bem que essa edição é ímpar...

Anna Francisca

BBB10 em ano ímpar? Tem algo errado. O que é melhor? O ano ímpar ou o BBB ímpar? Pouco assisto, mas foram raríssiams as vezes - nenhuma - em que achei que um dos BBB merecia 1 milhão de reais.
Aumentou, sei.

Flavia HC
Flavia HCPermalinkResponder

Ai, que porre! BBB?!?!?
Deixo aqui meu protesto!!
Odeio! Ate a musiquinha me da vontade dar uma bicuda na tv (a mesma q tenho ao ouvir a voz do Lula).
Please, Riq adoro seu site, mas BBB! deixe p/ outro lugar, vai....

Letícia
LetíciaPermalinkResponder

Riq, esse ano teremos o blog do BBB? Com seus otimos textos fica ainda mais divertido acompanhar????

Ricardo Freire

Não, Letícia! Já não dou conta desse aqui! Só se a minha equipe de Bóias fosse grande e full-time!

Letícia
LetíciaPermalinkResponder

ops, ao inves de interrogações, queria colocar exclamações!!!!! Desculpa...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar