Trilhas em Itacaré: perigo de assalto mesmo com guias

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Trilha para a Engenhoca

Sempre ouvi que não é recomendável fazer trilhas em Itacaré -- sobretudo a da Ribeira até a Prainha, a única com saída da "zona urbana" -- pela possibilidade de ser assaltado no caminho.

Mas a Ana Carolina de Curitiba traz um relato chocante e um alerta grave: foi assaltada durante uma trilha guiada, e soube de casos escabrosos que em que nem grupos grandes foram poupados.

Eu não gosto de ajudar a alimentar pânico, mas acho um absurdo completo que um lugar cujo diferencial em relação às outras praias sejam justamente as trilhas pelo mato permitir que isso continue acontecendo. É o fim da picada.

Com a palavra, a Ana Carolina:

Estive em Itacaré no mês passado e de lembrança da viagem trouxe um assalto e uma visita à delegacia.

Foi na trilha entre a cachoeira da Usina e a (belíssima) praia de Jeribucaçu. Eu e o marido estávamos com guia contratado via agência, mas mesmo assim o sujeito (que já havia rendido outro casal à nossa frente) nos abordou com uma espingarda velha e uma peixeira, pediu para deixarmos nossas coisas e seguir.

Pensando que ele nem chegou muito perto até acho que tivemos muita sorte (tudo que ficou eu posso comprar de novo), mas mesmo assim quero dar o aviso porque pelo que ficamos sabendo a partir de então, Itacaré está meio perdida em assaltos e afins (embora se tente abafar de todo o jeito para não espantar os turistas – no verão, disseram que havia policiais à paisana em todas as trilhas).

Eu moro numa cidade que tem violência, tem assalto e tudo, mas sei onde é perigoso, evito e aviso a quem posso. Lá ninguém fala nada. Pelo que eu soube é meio certo ser assaltado (ou pior) na trilha da Prainha, por exemplo. Fiquei pasma quando o dono da agência nos disse que um italiano morreu há uns tempos porque tava “marcando” – e me explicou que o “marcando” era fotografar o pôr do sol (17h30, 18h) sozinho na Tiririca e ter reagido quando o ladrão chegou (reagir é marcar, concordo, mas fotografar pôr-do-sol?).

Mesmo o caminho entre o Centrinho e a Tiririca não é recomendado quando escurece (e lá escurece cedo) – falei com uma moça que diz que recomenda aos hóspedes da Tiririca usar táxi para ir ao centro à noite.

Grupos grandes também não estão livres (umas 40 pessoas, indo pela CVC, foram rendidas há uns 2 anos em uma trilha – desde então eles fizeram acordo com uma fazenda e tem permissão para usar uma outra trilha, com exclusividade).

De tudo que eu ouvi, acho que Itacaré é meio roleta russa. Você pode ir e simplesmente encontrar um lugar paradisíaco, trazer fotos lindas e sentir saudades da moqueca e da água de coco. Mas a chance de encontrar a bala existe e é bom ao menos ter ciência dela.

Obrigado pelo depoimento, Ana. Se alguém tiver passado por alguma coisa parecida, por favor nos conte na caixa de comentários.

219 comentários

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Cruel!(

Elenir
ElenirPermalinkResponder

Eu fui sozinha para Itacare em 2007, não vi nada disso obviamente que tomei os devidos cuidados, como em qualquer outra cidade.Não andar sozinha sem conhecer, tomar cuidado com as informações dadas pois não sabemos para quem estamos perguntando, comprar passeios com agencias boas, não levar em consideração os guias mirins, pois não sabemos se eles tem algum esquema com os bandidos que realmente não são de la. Eu AMEI, andei sozinha a noite, fui para os forros, enfim...Passei uma semana muito agradavel!!!! Eu recomendo!!! E volto com certeza!!!

Douglas
DouglasPermalinkResponder

Estive em Itacaré em 2004, e, felizmente nenhum fato desagradável aconteceu. Estava pensando em voltar em Out/2010, inclusive já reservei minha hospedagem, mas, sinceramente estou pensando em desistir. Quero descansar!!!!
Se o governo local não está fazendo nada para acabar com essa vergonha, acredito que, em pouco tempo o turismo de Itacaré acabará, afinal o turismo é a principal atividade lucrativa da cidade. Triste fim!!!! Ao governantes...Pensem nisso, o que será de Itacaré sem o turismo....Tudo passa, a era do cacau acabou, em breve o turismo também....

Adalberto
AdalbertoPermalinkResponder

Acabei de chegar de Itacaré e senti na pele a veracidade do relato da Ana Carolina.
O turista, na localidade, é vítima duma forte campanha de mascaramento dos perigos que rondam o local. Moro em capital de estado, cidade muito violenta, com assaltos a rodo. Mas, como bem escreveu a Ana, sei onde posso me meter. Em Itacaré, cidade pequena, famosa por suas belas praias, acessíveis via trilhas ou caminhadas de, no mínimo, 500 metros, é natural o turista se sentir pisando em solo seguro, expectativa reforçada quando se pergunta a alguém, seja de pousadas ou do comércio, sobre a segurança local, pois a resposta parece até combinada. LOCAL MUITO SEGURO. Acontece que não é nada disso. Para ir às praias de Resende a Ribeira, descobri que só de carro, isso após perceber que iria ser roubado na volta da Ribeira e ter empreendido fuga. Na Concha dá pra ir a pé, mas volte cedo, pois no fim da tarde há assaltos rotineiros. Topei com dois caras, por volta de 17hs, um deles com uma pecheira na mão, cada qual de um lado duma rua próxima à Concha. Sorte a minha, os avistei a uns 100 metros de mim e, outra vez, dei no pé. Pra completar, um suposto ex-presidiário tentou me extorquir trocados numa noite, em plena Rua Pituba e o chinelo da minha filha foi furtado na praia. Com todos esses episódios, abordei um agente de segurança e questionei as informações sobre a calaria local. Como resposta, desta vez sincera, a afirmação dos perigos que rondam Itacaré. Sem dúvida, faz-se urgente a mudança de postura quanto à prestação de informações falsas aos visitantes, pois, traídos, acabam inocentemente se dando aos marginais.

Aline Cândido

Fui pra Itacaré em agosto/2009 e realmente fomos alertados de que era perigoso fazer a trilha da Prainha (que sai da Ribeira) sem um guia local.
Desistimos de ir e mais tarde conversando com um taxista, soubemos de uma alternativa para essa trilha. Fomos de carro até uma fazenda e de lá percorremos mais um pedaço a pé. Esse atalho corta metade do caminho da trilha, provavelmente deve ser o caminho que a CVC usa agora.
As praias cujo acesso é feito por trilha, na minha opinião são as mais bonitas. Alguma coisa precisa ser feita para que o turismo lá não seja prejudicado, Itacaré tem lugares lindos!

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Nossa, fiquei chocada com o relato. Estive em Itacaré no final de Fevereiro e fiz praticamente todas estas trilhas, sempre acompanhada de amigas ou "locais". Curiosamente, o dono da pousada se ofereceu (não cobrou nada) para nos levar até a Prainha e agora consigo entender o porquê. Uma pena que um local tão bonito não ofereça segurança ao turista. Bem, na verdade eu sou carioca e sei bem o que é isso sad
Abraços,
Fernanda.

André Fonseca

Pior que eu já fui assaltado foi pela POLÍCIA em Itacaré. Estavamos saindo rumo a praia de Jeribucaçu e fomos parados no posto policial que tem na saida da cidade. Os policiais ficaram procurando uma forma de atrapalhar nosso passeio, até que encontraram o extintor do carro que estava vencido. A partir daí começaram um papo mole, uma enrolação e no final pediram propina. Tivemos que juntar uns 120 reais e largar em um balde.

Seguimos caminho - mesmo com o extintor vencido - e quando conversamos com o pessoal sobre isso todos disseram que era uma prática normal.

Pelo visto Itacaré está virando uma terra sem leis. Uma pena pq suas praias são maravilhosas.

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Vc estava errado em andar com extintor vencido. Já fui parado por policiais procurando detalhes para multar, mas sempre faço tudo certo, jamais estanciono em local proibido, jamais dirigo de chinelos e jamais sem cinto de segurança (idem pra quem vai no banco de trás).

André Fonseca

Estando errado nós deveriamos ter sido multados de acordo com a lei. O que ocorreu foi extorsão feita pela Polícia.

Lugon de Souza

André, errar é humano, extorquir é crime.

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Estou chocada! Não conheço Itacaré, mas se lá fosse não teria receio em fazer uma trilha com um guia... Uma pena qua as autoridades locais tenham deixado as coisas chegarem a esse ponto, mas com certeza vão sentir, mais cedo ou mais tarde, pela escassez do número de turistas. #fail

Biju
BijuPermalinkResponder

Pois é. Desisti de ir para lá no ano passado, justamente por causa desses assaltos. Uma amiga minha foi, voltou, mas foi obrigada a deixar alguns pertences nas mãos do amigo do alheio. É lindo, mas ela não recomenda para ninguém. Uma pena.

Andréa
AndréaPermalinkResponder

Fui para Itacaré há 3 anos, fiz todas essas trilhas e nessa época não se ouvia falar em assaltos. Andamos sozinhas (eu e uma amiga) a noite pelo bairro onde ficam as pousadas mais centrais e que é bem escuro e não tivemos nenhum problema. Sempre nos falavam que não havia perigo. Uma pena que as coisas parecem ter mudado !

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalinkResponder

Olha fui a Itacaré pela primeira vez em 2004 e nos alertaram sobre assaltos nas trilhas, principalmente da Prainha. O que comentavam era que os assaltos eram cometidos por pessoas ligadas a alguns "guias", é como o lance do flanelinha que "vigia" o carro, senão...

Maria Rê
Maria RêPermalinkResponder

Estive em Itacaré 10 anos atrás com um grupo de amigos, na época do Reveillon. Assim que voltamos da trilha para a Prainha, já à noite (ficamos vendo o pôr-do-sol e esquecemos da vida), sem guia, sem lanterna (nem um fósforo...), ficamos sabendo que eram muito comuns os assaltos no local.

Já estávamos lá há pelo menos uma semana e não tínhamos ouvido nada a respeito. Fizemos umas 10 trilhas e não aconteceu nenhum problema. Fomos a pé de Itacaré até Barra Grande (em duas etapas, uma durante o dia e outra à noite) e tudo aconteceu na maior tranquilidade - exceto pelo cálculo errado da maré, que nos fez andar na areia fofa a maior parte do tempo, e de uma tempestade que nos pegou de surpresa no meio do caminho. Bons tempos.

Na época nos disseram que os assaltantes eram de fora da cidade e apareciam só na alta temporada. Não sei se a coisa continua assim, e também sei quase nada da situação dos moradores da região. Mas fico triste de saber que a questão se agravou.

Teea
TeeaPermalinkResponder

É uma pena mesmo um lugar desses ter tal problemas. Tb fui lá faz uns 3 anos. A única trilha que fiz (com guia) foi a Prainha e um casal que fez a trilha em frente de nós (sem guia) foi assaltado.

Fiquei numa pousada na praia da Tiririca e nessa época me falaram que era seguro ir a pé daí pra vila mesmo de noite, mas não me senti assim, quase sempre peguei taxi.

Infelizmente os assaltos deram uma impressão de insegurança nessa cidade. No mais, adorei, e de certa maneira queria voltar para conhecer outras praias (com acesso pela trilha só) de lá.

Arthur | Agora Vai

Acho que atualmente boa parte das trilhas em todo o país estão sujeitas a esse tipo de risco, seja em Itacaré, Arraial, SC, etc.

Dionísio (www.espacovital.com.br)

Esse relato me fez lembrar da minha viagem a Itacaré no ano de 2002, com um grupo de amigos, e que não sei por que acabei nunca comentando. Acho que é por que não gosto muito de ficar queimando os lugares, porque pode ser apenas e tão-somente a minha opinião pessoal.

Não sei se mudou de 2002 para cá, mas Itacaré nos deixou uma má impressão: tá certo, natureza linda, mas achamos na época a cidade meio "pesada". Muito uso de droga pesada por todos os lados; restaurantes sujos; e, exatamente, turistas muito largados sozinhos nas trilhas. Aconteceu ate de encontrarmos, por acaso, um grupo de moças de Salvador perdido no mato, sem saber como voltar. Felizmente, tínhamos um guia mirim (que "segurança", né?).

Nos impressionou também a falta de higiene nos mercados e açougues. Nós, como gaúchos, claro, queríamos fazer um churrasco, pois nossa pousadinha dava essa opção. Encontramos vários mercados com balcões refrigerados desligados, moscas nas carnes, cheiro ruim.

Aconteceu até de ter um cachorro morto na porta de um açougue, que nós tratamos de evitar naquele dia. Dois dias depois, voltamos ao local e o cachorro morto continuava na porta do açougue! Pode?

Tomara que Itacaré tenha mudado, pois nem eu nem meus amigos indicamos a ninguém uma viagem para lá.

Ricardo Freire

Itacaré cresceu muito, e hoje tem algum movimento o ano inteiro, porque entrou no circuito do mochileiro gringo (e nos fins de semana é point dos riquinhos de Itabuna). O crescimento desordenado da cidade, aliado à sazonalidade, propicia o aumento do crime. Mas em termos de higiene/estrutura a cidade está bem diferente dessa que viste em 2002...

Felipe Alves
Felipe AlvesPermalinkResponder

Ola, nao acho que o turismo internacional e pessoas com recursos deveria ser um motivo para tornar uma paragem natural em um entorno perigoso...isso é descaso da oficina de turismo que nao sabe aproveitar essa trilha como um recurso turistico....
obrigado,
Felipe

Dionísio (www.espacovital.com.br)

Ainda bem que a infra melhorou, porque realmente estava feia a coisa quando fui.

Depois de Itacaré seguimos a Morro de São Paulo e lembro que, ao desembarcar na ilha e dar a primeira volta, meu amigo disse: "por que não viemos para cá antes?", comparando-a a Itacaré.

Orrico
OrricoPermalinkResponder

Eu fui em 2002, 2003, não lembro direito.

E apaixonei-me pela cidade. Andei muito, peguei carona, conheci gente na rua, nas trilhas, nos restaurantes. Lugares paradisíacos e muita paz. Fui sem conhecer nada, acreditando nas dicas na hora, se virando e deu tudo certo.

Falei tão bem da cidade que meu pai se mudou para lá (morou um ano).

Logo quando ele se mudou, fui de novo. Lembro de deixar o carro destrancado, com vidro aberto para "marcar" o pôr-do-sol.

Quando ele voltou, contou do crescimento desordenado da cidade, do assalto que teve na região com grupo fortemente armado e troca de tiros, da falta de estrutura, dos políticos que jogavam todo aquele potencial no lixo.

É, infelizmente nossa sina é conhecer o lugar antes dele ficar famoso. Depois, dificilmente o crescimento é benéfico....

Pavan
PavanPermalinkResponder

Estive lá o ano passado e realmente fiquei p... da vida ao saber que não deveria fazer a trilha da Prainha sem guia, justamente por causa do perigo de assalto. Que absurdo!!! Só de birra, não fui (mesmo sabendo que perdi uma praia linda).
Mas fiz a trilha de Jeribucaçu, voltando pelo Mangue e cachoeira da usina (com guia só na volta) e fiquei indignado com a notícia dos assaltos nessa trilha também. Pô, é uma das praias mais bonitas que já conheci, a trilha é legal demais, mas depois dessa não recomendaria pra um amigo.
Em Salvador já quis andar pelas dunas da Lagoa do Abaeté, mas também fui desaconselhado. Nas dunas de Cabo Frio e Arraial do Cabo então, nem pensar!
O Brasil, antes de querer ser gente grande no turismo, precisa melhorar muito. Que pena.

Renato Mechica

Nunca fui justamente porque uma colega comentou que foi pra lá e falaram para não fazer nenhum passeio sem guia, pois a chance de ser assaltado seria enorme.

Sei que posso causar polêmica com essa afirmação, mas acho que isso está se tornando um mal generalizado no Nordeste. Já fui assaltado no Recife com arma na cabeça em plena luz do dia, e fui ameaçado em Olinda e próximo a Maceió (tentando ir para Carro Quebrado). Nesses dois casos os "guias de turismo" desses locais nos ameaçaram fortemente só porque não queríamos ter um deles nos acompanhando.

Sinceramente, vou frequentemente para São Paulo, e já fui algumas vezes para o Rio; nada, nem parecido, aconteceu comigo nessas "perigosas" cidades; precisei ir para o Nordeste para sofrer com a violência. É por isso que minhas últimas viagens grandes para praia foram para o Caribe, pois não consigo mais me sentir minimamente seguro no Nordeste.

Sergio Luiz C de Oliveira

Preciso comentar o relato acima, pois considero um pouco parcial e distorcido da realidade, uma visao de momento de uma turista que foi assaltada, passando a ouvir depois disso todo tipo de barbaridades em Itacaré.
Trabalho com turismo ha 12 anos em Itacare e sou fundador de uma das agencias locais com mais tempo em operação e considero que o nivel de violencia é bem menor do que qualquer pequena a media cidade no Brasil, principalmente proximo aos grandes centros.
Em 12 anos de operação, nunca tivemos um grupo assaltado nas trilhas que percorremos diariamente, entretanto sempre avisamos aos nossos clientes a necessidade de estarem "alertas" para eventuais situações.
Geralmente quando os assaltos acontecem são com pessoas desacompanhadas que chegam em Itacare e acham que fazer uma trilha dentro da mata é "tranquilo" e ainda sugerem a outras pessoas fazerem o mesmo.
Não temos garantia que grupos com guias de agencia não serão assaltados, mas ha de se considerar que a postura é outra, pois trabalhamos com guias experientes que conhecem as trilhas e tambem a gente do lugar.
O assalto relatado pela Ana, pelo que eu fiquei sabendo, foi um dos ultimos que aconteceu por aqui e me parece que o serviço foi contratado em uma empresa que não é especialista no percurso, inclusive com um guia novato e sem vivencia na trilha.
Ha de se considerar que em inumeras situações, os turistas que chegam em Itacare, não se preocupam em contratar passeios em agencias credenciadas pelo Ministerio do Turismo e com alvara de funcionamento concedido pela prefeitura local, preferindo economizar R$ 5,00 ou R$ 10,00 e contratando o passeio no chamado "pirata".
Cuidados devem ser tomados na permanencia em Itacare, o bom senso deve falar mais alto, pois somos o PARAISO DA NATUREZA e não o PARAISO DA VIOLENCIA.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Olha, Sérgio, eu não quis criar pânico, só relatar o que aconteceu comigo. E relatos pessoais tendem a ser parciais, né?

Não escolhi a agência pelo preço (não ligo para 5, 10 reais e ela nem era a mais barata - tudo é meio parecido e não é caro), mas confesso que não me preocupei em perguntar sobre credenciamento no Ministério do Turismo, a experiência do guia ou a especialidade da agência - embora eu ache que experiência e especialidade não sirvam para muita coisa diante de arma de fogo. Cheguei a consultar o pessoal da pousada a respeito da tal agência e ninguém sabia de nada que a desabonasse, nem me indicaram qualquer outra.

Pelos demais relatos acima, creio que meu caso não foi tão isolado quanto o Sérgio quer fazer parecer. Inclusive um paulista que conheci lá e me mandou fotos de Maraú (já que o chip da minha câmera ficou morando na Bahia), por e-mail contou que ficou sabendo, na mesma semana, de outro assalto (eu não perguntei mais detalhes).

Itacaré é paraíso da natureza sim. Mas precisa se preocupar com a segurança dos turistas.

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Sérgio, retomo duas partes do seu texto:

"Geralmente quando os assaltos acontecem são com pessoas desacompanhadas que chegam em Itacare e acham que fazer uma trilha dentro da mata é “tranquilo” e ainda sugerem a outras pessoas fazerem o mesmo."

"Ha de se considerar que em inumeras situações, os turistas que chegam em Itacare, não se preocupam em contratar passeios em agencias credenciadas [...], preferindo economizar R$ 5,00 ou R$ 10,00 e contratando o passeio no chamado “pirata”."

Com todo o respeito à cidade e ao seu trabalho, eu não tenho nariz torcido para guias por conta de R$ 5 ou R$ 10, mas sim pq alguém estranho quando eu estou sozinho ou com 2/3 pessoas tira totalmente a "vibe", vamos dizer, do passeio. Poxa, eu não quero um estranho junto comigo em uma trilha fácil de fazer por dunas ou mata.

E andar na mata desacompanhado deveria ser algo seguro, não o contrário. O que é errado, e inaceitável, é aceitar essa ideia que um ou poucos adultos, que falam o idioma, e que tem noções basiquíssimas de trekking, não deveriam fazer caminhadas de menos de 1h sozinhos.

Desculpem o desabafo, mas eu sou uma pessoa que cansei de ser perseguida por guias em prais, trilhas, mirantes etc. Sou informado, tenho treinamento básico para trekking, não sou irresponsável (não iria a um vulcão sozinho, ou fazer uma travessia de serra etc.), mas parece que querer fazer certos programas sem alguém estranho (guia) colado em vc é impossível. E isso, de certa forma, tira todo o meu ânimo de visitar certos lugares no Brasil.

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

É, André Lot, parece que por lá ou se fica refém dos guias ou se é assaltado ou os dois... Depois os empresários de turismo do Brasil ficam chiando quando perdem mercado para o turismo internacional. Com o preço dos hotéis/pousadas, com os preços das passagens aéreas e ainda mais com fatos como esses, querem o quê?

Charles
CharlesPermalinkResponder

Sérgio, muito me impressiona você ser dono de uma empresa chamada Ecotrip, não conhecer o perfil de um trilheiro e escrever os absurdos que você escreveu.

Trilheiro nenhum vai contratar guia a não ser que seja obrigado, como é o caso em Bonito, em alguns lugares da Amazônia e em muitos Parques, por exemplo. Trilheiro que é trilheiro estuda muito bem o que vai fazer antes de fazer, estuda mapas, cartas topográficas, condições do tempo, dentre outras coisas e chega para sua expedição conhecendo muito mais sobre o lugar que a maioria dos "guias" das operadoras locais.

E nós também não nos preocupamos com 5 ou 10 reais, porque, só para citar um exemplo, uma carta topográfica do IBGE (que muitas vezes vai servir para apenas uma trilha) custa quase 50 reais cada; em expedições internacionais já tive que pagar mais de US$ 100 para conseguir uma carta.

Infelizmente o ecoturismo na maioria dos destinos brasileiros, como em Itacaré, tem sido apenas uma desculpa para levar turismo de massa para paraísos naturais. Até em locais que, em tese, controlam a quantidade de visitantes pode-se ver o impacto da massa (ex. Noronha).

Você, que deve atender a esse "ecoturista", mais do que todos os outros aqui, deveria estar indignado; cobrando providências das autoridades. E não justificando os assaltos. Leia o que você escreveu e reflita...

"Geralmente quando os assaltos acontecem..." é porque o turista foi descuidado! É porque o turista não contratou guia! É porque o turista contratou o guia errado! Que se dane, oras! O erro não é do turista e tentar justificar os assaltos é um absurdo.

Se essa é a mentalidade do setor turístico não devemos ter esperanças para o turismo brasileiro tão cedo...

Renato Mechica

Sérgio, o problema é que fazer trilha dentro da mata deveria sim ser algo tranquilo, e se a pessoa sabe fazer esse tipo de caminhada ela deveria ter a total liberdade para fazer isso sozinha. O absurdo é justamente ter que pagar alguém para fazer uma trilha fácil só para não ser assaltado.

Marcio Nel Cimatti

Que coisa triste. Até matarem um gringo nessas trilhas e voltarmos a ser notícia devido a um crime e não pelas belas praias do nosso litoral.

Que pena!!

Igor Barros
Igor BarrosPermalinkResponder

Fui com meu pai a Itacaré no início do ano passado, fizemos todas as trilhas (com guias) e não ouvimos de ninguém nada em relação a essa onda de assaltos.
Mas a noite, quando caminhávamos das Conchas para o centrinho, ficávamos um pouco tensos.

Espero que resolvam logo isso porque Itacaré lindo demais!!

Alê Godoy
Alê GodoyPermalinkResponder

Estive em Itacaré em novembro de 2008 e o guia que eu e minha irmã contratamos avisou que tinha assalto na trilha para a Prainha, que era perigoso.
Fizemos a trilha na ida, mas na volta ele, que conhecia o pessoal do Itacaré Eco Resort, nos levou para conhecer o hotel (devo confessar que é bem legal) e almoçar por lá e depois voltamos de van para a cidade.
Ou seja, o guia achou uma altenativa para não voltarmos pela trilha.
Adoramos, mas ficou registrado o alerta!!
Que pena! Itacaré é tão lindo!!!!

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Fui à Itacaré há uns 5 anos, pelo menos e, desavisado, andei nos primeiros dias com um amigo por várias trilhas, até nos perdemos em algumas, mas sem problemas. Após uns três dias por lá, ouvimos notícias de assaltos nas trilhas, roubo de carros e até sequestro de turistas.
A situação ficou tão tensa que havia policiais nas trilhas a cavalo!! Senti-me muito desconfortável ao presenciar aquilo. Não nos aconteceu nada, nos divertimos muito, mas eu sinceramente não voltaria prá lá. É muito triste, pois o lugar é mesmo encantador e Jeribucaçu é a praia mais linda que eu já vi.

Gilberto Martins

Com Certeza é preciso abrir bem os olhos ...em 2008 tive essa péssima experiência nas dunas de Peró em Cabo Frio , um grupo de 6 Pivetes levou quase tudo que encontrou com a gente . Fiquei sem documentos , maquina digital e dinheiro pra voltar ao Centro de Cabo Frio , Tive que Caminhar quase 10 Km pra encontar Um Dpo por lá .

Final do Mês estava planejando Passar Uns dias no Povoado do Diogo (Litoral Norte da Bahia ) , mas só em saber que ele é cercado de Dunas Fico meio com Pé atrás (Acho que peguei Fobia de Dunas , rsrs)

Riq sabe dizer se a região é segura ?

Ricardo Freire

Nunca ouvi falar de problemas nesse sentido por lá não.

Cláudia
CláudiaPermalinkResponder

Infelizmente, a violência em Itacaré não é de hoje. Fui assaltada na trilha de Jeribucaçu, voltando pelo Mangue e cachoeira da usina, em NOV/2007, ou seja, há mais de dois anos. Estávamos em mais de 10 pessoas e com dois guias da NV (agência local contratada pela CVC). Tratava-se de um cara todo camuflado, só com os olhos à mostra e com uma espingarda. No começo, até achei que era uma pegadinha do Faustão. Na delegacia, soubemos que eram frequentes os assaltos naquela trilha e em outras. Depois disso, nosso grupo passou a ser acompanhado por seguranças em razão da possibilidade de "vingança" do assaltante. Fiquei aterrorizada. Sai do Rio, onde nunca fui assaltada, para ser vítima desse crime no lugar que se diz ser um paraíso da natureza. E, realmente, lá fazem de tudo para esconder essa violência contra os turistas. Enfim, não recomendo Itacaré a ninguém.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Cláudia, conosco foi o mesmo "modus operandi", a sensação de pegadinha e o demorar para cair a ficha - eu cheguei a pensar que fosse um caçador e meu marido um segurança da fazenda (já que é necessário pagar R$5 para entrar na fazenda onde fica a cachoeira).

João Paulo
João PauloPermalinkResponder

Passei alguns dias em Itacaré acampando na baixa temporada, eu e minha mulher costumamos viajar sem agências e procuramos nos aventurar nas trilhas sem guias, porém tomamos todos os cuidados de segurança possíveis. Quando começamos a fazer as trilhas de Itacaré houve uma imposição, sem guia você será assaltado. Não pensamos duas vezes contratamos um guia, aliás, um guia muito divertido, que nos rendeu belas risadas. Recomendo a todos.
O que nos deixou muito tristes é falta de saneamento, praias como muito lixo, inclusive ajudamos a fazer uma limpeza na praia do Ribeira, não quero fazer comparação com a beleza, mas aqui no sul você não encontra praias com lixo jogado na areia. Está na hora de mudar ou Itararé vai ficar na lembrança

Rachel Verano
Rachel VeranoPermalinkResponder

Eu já estava me sentindo meio gringa de não querer ir a Itacaré com medo dos assaltos, sempre desistia na última hora. Daí, no fim do ano, veio o depoimento decisivo: um amigo de um amigo estava chegando de noite, de SP, e teve o carro interceptado. Foram sequestrados, passaram a noite toda recebendo ameaças dos assaltantes, com armas na cabeça, e só foram liberados quando o dia amanheceu. Quem quer férias com esse risco, gente? E mais: sem querer fazer julgamento nem nada, mas isso de não ser assaltado se faz trilha com gente que conhece o lugar só me soa como lobby - tipo assaltante não assalta grupo de amigo guia? Será que estou exagerando?

Jorge Bernardes

Acho que vc esta certíssima . Se com guia vc não e assaltado, deve ser porque os guias conhecem os bandidos. Que tipo de segurança um guia pode oferecer diante de um bandido armado?

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Boa conclusão essa de que os guias conhecem os bandidos, daí não serem assaltados (se os conhecem, deviam noticiá-los ao Ministério Público). Ou isso os então os guias os contratam, para assaltar os sem-guia. Está com muita cara de conluio ou conivência. O cara é guia ou segurança?

Ricardo Freire

Eu até acho que ir com guia (ou seja, em grupo) é em princípio mais seguro do que ir sozinho. Agora: essa diferença entre guia experiente e guia novato não me desce de jeito nenhum.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Os assaltos aos turistas é comum em alguns paises. É dinheiro fácil. Não todos os turistas denuncia o roubo, porque é complicado e não sabe com fazer a denúncia.

Eu fui à Itacaré. Tivemos sorte e não nós passou nada ruim. Gostei de Itacaré e penso que é uma lástima que suceda.
É mau pela pessoa que mora e trabalha ali e sobre toudo pelas pessoas que viven do turismo (e são muitas!!!)
Bjs

Gardênia
GardêniaPermalinkResponder

O que me deixa curiosa é o fato que muito comentam que só há proteção para andar nas trilha se tiver acompanhamento de um guia. Bandido respeita guia e não turismo?

Isabela
IsabelaPermalinkResponder

Galera, assaltos na trilha da Prainha em Itacaré acontecem desde 1998 (ou 97 - já não me lembro bem). Nessa época não tinha estrada pavimentada, não rolava esquema de guias, a cidade era muito pequena, sem resorts e nem pacotes. Como vocês podem perceber, o cenário era bem diferente de hoje. Durante os dias que tivemos lá fizemos várias trilhas, apenas entre amigos. Para nosso espanto, um casal que estava hospedado na nossa pousada foi assaltado por dois caras armados com um facão. Houve, inclusive, boatos de que a menina fora estuprada.... Depois soubemos que não se tratava de um fato isolado e que outros assaltos a turistas já haviam acontecido. Triste, né? O turista vai procurando um paraíso e encontra violência.

Faço trilhas há anos e quase sempre dispenso a companhia de guias por me sentir mais à vontade somente na companhia de amigos. No entanto, em duas situações os guias se tornam indispensáveis e bem vindos: quando o caminho é muito complicado e existe o risco de se perder (Vale do Pati na Chapada Diamantina ou Lençóis Maranhenses) ou quando se trata de parques ou locais com essa exigência (Chapada dos Veadeiros ou Bonito).

Mas, se a contratação do guia for recomendada por questões de violência, melhor mudar de destino!!!

Abs

Tita
TitaPermalinkResponder

Essa historia de ter que contratar guia por questões de violência é muito revoltante e me desanima completamente a viajar pelo Brasil.

Nunca tive problemas em Itacaré, mas estive recentemente em Alcantara-MA com meu namorado e fiquei impressionada com a mesma historinha que era contada pelos guias locais. Ao desembarcar do barco logo fomos abordados por um guia mirim, que nos ofereceu seus serviços. Agradecemos e recusamos, pois estavamos com um guia impresso e nao achamos que fossemos precisar de guia em uma cidade tao pequena. O menino entao nos alertou que seria muito perigoso atravessar uma tal rua da Amargura sozinhos, pois certamente seriamos assaltados (?!)

Pois bem, ignoramos o alerta e prosseguimos a visita, decidindo deixar a rua "perigosa" para o final do dia. Toda hora que um guia nos via andando sozinhos, vinha falar sobre o perigo de passar pela rua da Amargura, e que era melhor a gente ir com um guia, bla bla bla. Meu Deus, o que sera que uma rua de uma cidade tao pacata poderia ter de tao perigosa??

Durante nossa visita à cidade, fomos abordados no total por 7 guias, sendo que muitos deles fizeram questao de ressaltar que uma turista italiana tinha sido esfaqueada no local havia poucos dias, e que estariamos definitivamente "colocando nossas vidas em risco" (sic)

Resolvemos ignorar todos os conselhos e encaramos a famigerada rua sem guia nenhum. E como eu imaginava, pois seria muito exagero uma rua de 200 metros ser TAO perigosa assim, ainda mais em plena luz do dia, nao nos aconteceu absolutamente nada. Inclusive a rua estava completamente deserta... e certamente se algum turista aparecesse, estaria com um guia, pois imagino que muitos temem o pior e acabam cedendo às pressoes.

Enfim, tudo isso pra dizer que infelizmente o Brasil esta muito longe de oferecer uma infraestrutura de turismo decente! Sentir-se obrigado a contratar um serviço somente para nao ser assaltado é o cumulo mesmo!

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Nossa o Brasil perde tanto dinheiro do turismo com isto
é revoltante !!!!!!!!!
deveriam dar trabalho para estas pessoas que roubam
assim evitaria isto, e um trabalho relacionado ao meio ambiente
deixar as praias e florestas preservadas,limpas e seguras
teria muitos mais estrangeiros e brasileiros gastando muito dinheiro aqui !
sendo assim cresceria a economia da cidade e do país !!!!!
porque o governo nao percebeu isto ainda ?????????
é taooooo obvio
tem que investir no turismo ecologico e ganhar dinheiro com isto e dar trabalho aos pobres destes lugares para ajudar no turismo
e fazer um controle de natalidade para parar de nascer tanta gente que nao tem condiçao financeira... é este tanto de gente pobre que gera a violencia, eles nao tem estudo nem o que comer... tem que haver controle de natalidade com os pobres e para os que ja estao vivos dar trabalho para ajudar o meio ambiente do Brasil
e tenho dito !

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Nossa, penso a mesma coisa!!! É muito revoltante pagar por um pacote, enfim, ter gastos com uma viagem e chegar lá e ser obrigada a contratar "guias-seguranças". O que um guia pode fazer frente a bandidos armados por você?
Pessoas pobre tendo mil filhos e depois roubando...realidade brasileira...enquanto isso, lugares menos belos lucrando horrores com turismo.

Nathalia
NathaliaPermalinkResponder

Em 2007, estive em Itacará com meu marido. Saímos de Recife, onde moramos, para Salvador, de onde seguimos para Arraial d'Ajuda e Itacaré. Não lembro de termos sido avisado em relação a assaltos, sequestros ou qualquer outro tipo de crime em nenhum momento. Para nós, a recomedação de optar por um guia foi somente para não nos perdermos, já que, segundo nos disseram, era comum de acontecer casos em que turistas se aventuravam nas trilhas e acabavam perdidos. Optamos por um guia da cooperativa e fizemos algumas trilhas (inclusive a de Jeribucaçu e Prainha). Foi muito tranquilo! O garoto que ficou conosco era bem divertido e demos boas risadas! Não me senti ameaçada em hora alguma, por isso fiquei surpresa com o relato. Espero que estejam fazendo algo em relação a isso, já que a região é de fato muito bonita e tenho vontade em voltar lá!

Abs!

Nathalia

Débora
DéboraPermalinkResponder

Estive em Itacaré em Outubro de 2005, com mais 3 amigas e a viagem foi maravilhosa!
Antes de viajar pesquisei na net e li vários relatos de assaltos nas trilhas!
Fizemos a trilha da Prainha com um guia que contratamos no local mesmo. Ele se mostrou super atencioso e engraçado. Mas concordo com quem diz que os guias tiram um pouca da liberdade do turista.
Já a trilha para Jeribucaçu fizemos sozinhas e foi bem tranquilo.
Mas confesso que após ler tais relatos fiquei tensa o tempo todo!

É uma pena que em um lugar tão lindo e que vive essencialmente do turismo aconteçam fato lamentáveis como esse e sem que as autoridades tomem as devidas providências; pois como vimos pelos relatos aqui os fatos não são isolados ou recentes!

Glauber
GlauberPermalinkResponder

Gente vcs estão falando besteira, todos "assaltos" que aconteceram nesse paraiso foi pequenos delitos casos raros clássicos.Nunca houve morte como relata uma crazy acima.
muitas vezes é fácil falar da cidade dos outros tentar apagar um estrela que brilha no mundo do turismo... Qual lugar do mundo não tem loucos que roubam um celular ou uma maquina fotográfica para trocar por drogas???? mas, nao podemos usar essa mídia marrom escrever em blogs para tentar mudar o foco dos turistas. todos sabem que Itacaré é um paraiso ecológico de muitas belezas naturais.Uma terra composta por uma fauna e flora riquíssima paraíso de um povo único,receptivo,caloroso e prestativo... Não fale coisas que vcs ouviram falar... e se aconteceram com vcs 6 duzia, é um número que não pode nem ser comentado se levarmos em concideração os milhares de turistas que Itacaré recebe.
Itacaré espera vc e o mundo de braços aberto...
Grande abraço. Leia um pouco mais sobre o Itacaense...

Ser baiano é...

Ser chamado de preguiçoso pelos "paulistas" e sentir no tom de voz que eles morrem de inveja por que aqui tudo é mais perto...
Toda hora é cedo... e o trem das 11:00 passa tbm às 12:30...de modo que sempre dá para tomar mais uma...
E se lá é a terra da garoa, aqui é a terra da alegria, do sol, diversão! E eu prefiro aqui!

É morrer de rir e fazer resenha dos gringos tentando imitar as coreaografias que fizeram sucesso no verão (rsrsrs).

Ser baiano é estar prestes a entrar no bondinho do Pão de Açúcar lá no Rio de Janeiro ou em qualquer outro lugar e ser reconhecido ( Vcs são baianos né ?!!)..... Quem viveu lembrará!!! onde estamos fazendo amigos, sabemos conversar, cantar, dançar, curtir, encantar e sorrir... hehehe... Todos querem o baiano!!É soltar um oxe, oxe em qualquer lugar e achar massa!! É falar "na moral", "de fudê", "êtaa", "falô", "tô dormino", "Buzú", "fazeno", "Deus é mais", "bora armá os esquema", "vixe", "mainha", "painho", "oh retado",
"colé", " lá ele", "brau", "vamo pro regaee"...
É chamar sua amiga de piriguete, seu amigo de corno, viado, relento, seu porra, e eles não se incomodam... eheheh ... e falar " oh negão chega ai... bora cumé água, vei!"

Ser baiano é marcar um compromisso pra " de hoje a oito" ...... Só baiano mesmo!
Ser baiano é falar: ô minha tia, me dá um, acarajé aí na moral!
É ficar retado quando falam mal da gente.

Ser baiano é ser feliz, estar de bem com a vida, receptivo, disposto a ajudar. É ser honesto e guerreiro, ser amigo, é ter consciência que Deus pegou o melhor das outras partes do mundo, encostou no mar, no lado de umas serras, cortou por uns rios... misturou tudo... E fez esse lugar único chamado BAHIA
Venha ser feliz em ITACARÉ VEM...

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Glauber,

Pedindo desculpas aos trips por insistir no ponto caso eu esteja sendo deselegante, essa linha de raciocínio sua (e de muita gente boa que trabalha com turismo) em nada ajuda o destino.

No turismo de lazer, imagem e tão importante quanto realidade para a maioria das pessoas. Claro que qualquer lugar pode ter alguém que vai assaltar outro. Eu já fui assaltado em frente à Esplanda dos Ministérios, teoricamente o lugar mais seguro de Brasília. Mas quando os relatos começam a pipocar de forma generalizada em vários veículos diferentes, é normal a reação do "onde há fumaça, há fogo".

Assaltos em trilha em Itacaré fazem tão mal à imagem da cidade quanto arrastões a ônibus de turistas na Linha Vermelha no Rio.

Ricardo Freire

Eu não sei o que me assusta mais: se as denúncias dos assaltos ou a reação zuzo-bem dos receptivos locais que se manifestaram neste post.

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

para mim são os zuzo-bem. Por isso que a bahia e o nordeste estão tão evoluídos nos índices de desenvolvimento humanos.

Joana
JoanaPermalinkResponder

Adriana, acho que voce esta um pouco equivocada. Vá estudar um pouco e vai ser muito facil descobri o motivo dos indices de desenvolvimento humano nordestinos.

Julio
JulioPermalinkResponder

Perai, você contrata um guia ou uma equipe de segurança da SWAT???

Mais um desanimado em conhecer certos pontos do Brasil. Em todo lugar tem furto/assalto, vide a fama de Barcelona, mas no nosso país a coisa parece mais séria e à mão armada...

Tenho um colega britânico, que é fotografo, e vai fazer trabalhos em SP e no Rio mês que vem. Não preciso nem dizer qual foi o meu primeiro conselho para ele...

Flávio Rocha
Flávio RochaPermalinkResponder

Olá,

Sou baiano, morador de Itacaré e posso assegurar a vcs que o problema maior está na alta estação mas mesmo assim houve uma reunião com a delegada da cidade e agora a policia está fazendo rondas constantes nas trilhas com a policia especializada que se chama "Caatinga" e melhorou muito, nunca mais ouvimos falar em assaltos. É isso, a malandragem que estava atuando foram presas e ja estão sabendo que existe um policamento mais atuante na área e está tudo tranquilo novamente ... podem vir e conhecer este pedacinho encantado chamado ITACARÉ-BAHIA.

Um forte abraço a todos!!

Edson
EdsonPermalinkResponder

Estive em Itacaré no carnaval dos três ultimos anos, o lugar é maravilhoso e como em qualquer lugar turistico tem seus aproveitadores. Claro que, quem vive do turismo, minimiza ao máximo os pontos negativos. Itacaré é paradisiaca e cabe as autoridades locais preservar a integridade de seus vizitantes. Acredito que os marginais que atuam nas trilhas não são de Itacaré e sim de Ilheus e arredores. Já fiquei na Passagem, bairro umilde de Itacaré, e umilde no brasil é confundido com bandido, porém não vi nada de mais. Volto sim e desejo que quem passou por situação desagradavel tenha melhor sorte. Itacaré, abre o olho, não deixe este sonho virar um pesadelo. Saudades.

Joselito Filho

Boa Noite a Todos,
Estive em Itacaré nos últimos quatro anos, fiz as trilhas da prainha, Jeribucaçu, Havaizinho e engenhoca, sempre acompanhado com amigos. Como todo lugar o risco está sempre vivo, mas, considero que o risco em Itacaré está em um nível baixo.
Apesar de que nunca tive experiências ruins em relação a assalto, eu e meus amigos obedecemos as simples regras de segurança que já são de praxe, principalmente não levar coisas de valor para as trilhas.
Pretendo visitar Itacaré muitas outras vezes, pois, considero Itacaré um lugar paradisíaco, exuberante com praias e ondas perfeitas e paisagens encantadoras. Quem ainda não conhece, vale a pena conhecer.

Entretanto, vamos continuar relatando todos esses fatos ruins, porque dessa forma as autoridades podem acordar com mais facilidade para combater esses supostos criminosos.

Ana Lucia
Ana LuciaPermalinkResponder

Itacaré estava na minha lista como um de meus próximos destinos turísticos. Já foi para o final. Com tantos lugares paradisiacos no mundo para conhecer, é óbvio que vamos escolher algo mais seguro.
E o pior é a postura dos locais de que tudo está bem. Se não agirem logo - e mostrarem para o mundo que estão agindo - perderão muitos turistas...
E nada pior do que ter em sua cola alguém se oferecendo como guia e ainda dizendo que vc corre perigo caso não o escolha (mesmo que não seja verdade). Como viajo com filhos pequenos, não vou arricar...
Parabéns pelo site. É minha principal referência no planejamento das viagens.

ALFONSO FERNANDEZ

Hola a todos.
Soy un español que esta pensando en ir a Itacaré y/o Ilheus a comprar una casa para pasame alli tres o cuatro meses al año, y la verdad cuando entras en la web es una maravilla, pero creo que la seguridad es muy importante y despues de "escuchar" vuestros comentarios, la verdad me esta dando un poco de miedo.
Creo que al fin me voy a decidir por Morro de San Pablo o Boipeba, que al fin y al cabo son Islas y logicamente la violencia y los asaltos serán menores.
Saludos a todos.
Alfonso.

André L.
André L.PermalinkResponder

Afonso, na minha modesta opinião se você pretende comprar uma casa para passar alguns meses no Brasil, entre estes destinos Boipeba é o mais promissor/interessante. Seja como investimento imobiliário de longo prazo, seja pela "vibe" do local.

ALFONSO FERNANDEZ

Hola Andrés:
Muchas gracias por tu opinión, que para mí es muy importante.
Posiblemente siga tu consejo y me incline por Boipeba, aunque la unica pega que la encuentro es que no tienen Hospital cerca, y yo ya tengo un monton de años (63), y aunque me encuentro perfectamente, en cualquier momento puede venir un achaque, y es bueno tener un medico a mano.
Nuevamente muchas gracias.
Alfonso.

Letícia
LetíciaPermalinkResponder

Oi!

Acabo de voltar de Itacaré e Morro de São Paulo.
Amei Itacaré, com certeza volto pra lá e recomendo!
Além das belezas naturais da cidade e região, eu e meu marido ficamos encantados com o povo. Além de super receptivos, são extremamente simpáticos. Não escutamos ninguém falar de assaltos, violência etc.

Ficamos em uma pousada na Concha e todos os dias andávamos por ali, inclusive à noite, sem qualquer problema.
Também fizemos a trilha da Prainha sem problema algum. Não estávamos com nenhum guia credenciado, mas um conhecido de um amigo que mora lá.
Também fizemos a trilha da Engenhoca até Itacarezinho sozinhos e nada aconteceu. Pelo contrário, foi ótimo!

Confesso que se tivesse lido esses comentários antes da viagem realmente ficaríamos assustados. Resolvemos visitar esse site depois que lemos na revista sobre o Ricardo e só deixamos registrada nossa experiência, pois achamos injustos os comentários.

Sugiro que visitem a cidade e tirem suas próprias conclusões, sem preconceitos.

Ah, quanto a Morro de São Paulo não posso deixar de registrar aqui nossa experiência. Realmente a cidade tem um pouco mais de estrutura que Itacaré e realmente é linda. Mas as pessoas são bem diferentes, muito mais secas no tratamento com os turistas.

E, mesmo contratando um serviço "especializado" - um passeio pela ilha de lancha - percebemos que eles não tem preparo algum. Nosso passeio terminou antes mesmo de chegar na metade. Com o mau tempo o mar estava super agitado e perigoso, a lancha precisou parar e tivemos que voltar por terra!

Abraços, Letícia

André L.
André L.PermalinkResponder

Letícia,

Eu concordo 110% com você que a maioria dos receptivos é mal preparada para receber o "average VnV-trip". Infantilizam o público com guias que matraqueiam discursos decorados, e não tem muitas vezes preparo para lidar com o turista sob a perspectiva de cliente, não de fonte de dinheiro imediata.

De qualquer forma, qualquer passeio de lancha está sujeito a intempéries climáticas. O segredo é consultar a previsão do tempo antes de sair para fazer o passeio, se tiver chuva ou vento previstos, é furada na certa.

Ana Cristina
Ana CristinaPermalinkResponder

Estou com viagem programada para Itacaré para Outubro/2010. Entrei no site para ver as sugestões do Ricardo, que são sempre ótimas para viajantes de 1ª, e opiniões de outros viajantes. Fiquei surpresa com os depoimentos e dividida com as opiniões. Estava empolgadíssima com a viajem, agora é preparar o coração para a aventura...
Apesar que sou bem otimista, as vezes pra ser assaltado vc não precisa nem sair de casa!
É aquela regra né! Tomar certas precausões nunca é demais.
Não é pelo fato de ocorrerem assaltos que a gente vai deixar de conhecer alguns destinos maravilhosos e nos privar de momentos que podem ser fantásticos.
O risco sempre existe, viver já é um grande risco.

Abraços!

Ricardo Freire

Ana, publiquei o relato (que acabou chamando outros depoimentos) com o intuito de não varrer essa história para baixo do tapete e ajudar a provocar reações positivas na cidade. A julgar por alguns depoimentos de "locais", não deu muito certo.

Mas evidentemente o índice de assaltos em trilhas é baixo e não há violência.

Vá sempre em grupo, sem celular ou câmera.

Ana Cristina
Ana CristinaPermalinkResponder

Ricardo, acho válida e necessária a intenção.
Para quem não conhece a região, precisa estar informado sobre os dois lados da situação, não só a beleza que encanta. Vc vai preparado e mais consciente da realidade que o aguarda.

Valeu pelas dicas.

Sheldon
SheldonPermalinkResponder

Estou com passagens compradas pra ir com a minha esposa pra Itacaré no final de setembro, sou delegado de polícia e como ia a passeio nem pensei em levar arma...agora, depois de tudo que li, vou levar a pistola e dois carregadores...afinal arma é igual a camisinha, é melhor ter e não precisar usar do que precisar e não ter...e aviso logo...vou fazer as trilhas SEM GUIAS!!! Abraços.

Wagner
WagnerPermalinkResponder

Oi mei rei,quando vim aquir em Itacaré entre em contato comigo porque eu sou guia nativo aquir e sou de uma associação e tenho as minhas credencias pela secretaria de turismo de Itacaré.Meu contato é (073)99823590.

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

Acabei de voltar de Itacaré!!! Estou encantada!!!
Fiz as trilhas de Jeribucaçu, 4 praias e Prainha com guias nativos e grupo de aproximadamente 12 pessoas!!! Como fiquei próximo à praia da Concha, ia todas as noites até aquela rua famosa do centrinho.
Não presenciei e não ouvi comentários sobre assaltos.
O que mais me surpreendeu em Itacaré foi a receptividade do povo!!
É um lugar que voltarei com toda certeza!!!

gislaine
gislainePermalinkResponder

Estou planejando ír com meu marido para Itacaré em fevereiro - mas fiquei apavorada com isso de assaltos. Olhei uma pousada que fica a uns 30 km de Itacaré, na praia "Pé de Serra Grande", na beira da praia. Pelos relatos concluí que pode ser perigoso andar de carro a noite até Itacaré, e até mais perigoso ficar mais isolado. Concordam? O que sugere? Outro destino mais tranquilo da Bahia?
Obrigada!

Ricardo Freire

Gislaine, o problema são as trilhas. E se você faz as trilhas com guia e sem câmera cara ou celular, menos ainda.

Thiago Leonardo

Caros amigos, Nesse fim de semana fui passear com a minha pickup nas dunas do Peró (Cabo Frio/RJ) para mostrar para minha namorado e amigos aquele belo local, mas durante o passeio fui surpreendido com um rapaz numa LandRover 110 atolado no alto de um duna. Ele estava apavorado, falou que ja estava ali a mais de 2 horas e acabara de ser assaltado.(levaram tudo o que tinha para levar dele, da namorada e do carro) Tentamos contato com a PM -"não podemos fazer nada", GM "tambem não podemos fazer nada" e a guarda costeira não atendeu a ligação. Resumo, eu tive que arriscar o meu carro de atolar tambem para desatolar o casal apavorado. Ah!! Desatolamos a LandRover e fomos embora o mais rapido possivel. Abs a todos.

Maj PM Sebastião

As Senhoras e Senhores do Blog:
Gostaria de informar a todos que os autores do roubo cometido na trilha de Jeribucaçu na última data de 24/10/2010, foram presos em flagrante delito às 06h10min da data de 27/10/2010, pela Polícia Civil de Itacaré, sob a Coordenação da Dra. Marília, Delegada de Polícia, cujos delinquentes portavam uma espingarda calibre 36 e uma garruncha calibre 36, cujas armas foram utilizadas na pratica do assalto ocorrido em data supracitada. Desde a chegada da notícia crime na Delegacia de Polícia da cidade de Itacaré, os organismos policiais daquele cidade trabalhavam em conjunto para a captura dos delinquentes. As investigações continuam, pois, segundo relatos registrados neste blog, estamos "garimpando" outros personagens que podem está produzindo esta situação de desconforto para os turistas nas trilhas. Foram recuperados os seguintes objetos que estavam sob a posse dos meliantes: (02) duas máquinas fotográficas cor prata, sendo uma da marca FUJIFILM e a outra SONY; (02) dois aparelhos celulares, sendo um da marca MOTOROLA de cor preto e o outo da marca NOKIA de cores prata e preto; (03) relágios, sendo um da marca FOSSIL, o outro da marca MONDANE e o terceito da marca MONTE CLARO; (02)dois aparelhos MP3, um da marca IOPD de cor rosa e o outro da marca MOX; (02) óculos esporte; (01) uma Kanga; (01) uma camiseta; (01) uma blusa feminina; (01) um boné; (01) um chapeu de pano; (02) duas mochilas, sendo uma da marca MIZUNO de cor preta e a outra da marca VR; a quantia de R$ 80,00 (oitenta) reais, em espécie.É o registro.
Cordialmente,
Antonio Sebastião dos Santos Rocha - Maj PM
Comandante da 72ª CIPM/Itacaré
Dra. Marília Pereira de Souza Rocha
Delegada de Polícia/Itacaré

Selma
SelmaPermalinkResponder

Ricardo, em todas nossas viagens ao nordeste consultávamos seu site o freires.com. Principalmente os link, "vai por mim","onde ficar","onde comer", etc, hoje entrei no site e vi as mudanças que ficaram muito boas, principalmente este Comentódromo...mas confessamos eu e meu marido sentimos falta destas dicas... tem aqui neste site e não conseguimos encontrar? abs. Selma -Bauru

Ricardo Freire

O Freire's estava muito desatualizado, Selma. A última atualização foi em 2004. Desde 2005 eu atendo aqui no Viaje na Viagem (houve três endereços anteriores). As informações do Freire's serão trazidas aos poucos para cá, atualizadas.

Se você estiver muito aperreada, recomendo comprar meu último livro de praias, que saiu em 2008:
http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?sid=18940712812112698132018081&nitem=2670594

Luciano Coelho

Saudações TRICOLORES,
Galera, chegei de Itacaré no dia 03/11/2010 e foi mágico, fiz as trilhas numa boa, andei da coroa à concha de noite, voltei para a pituba a noite, caminhando e foi tudo muito tranquilo, confesso que fiquei um pouco assustado com esses relatos, mas comigo ocorreu totalmente o inverso, tem é claro uns lugares sinistros, mas vc tem que saber discernir que local vai frequentar. Fizemos a trilha da prainha pela ribeira e foi show, fomo a itacarezinho e foi lindo, pena que não deu tempo de conhecer outros picos. Voltarei com certeza.

Daniel P.
Daniel P.PermalinkResponder

Bom dia galera!

Há violência em qualquer lugar do Brasil, o que é uma m#rda.

Moro no interior de MG, numa cidadezinha de 20.000 habitantes e, como trabalho em uma Delegacia, já acompanhei inúmeras atrocidades.

INFELIZMENTE, o brasileiro deve aprender a se safar de certas situações, ou então se mudar daqui, pois o país é muito grande e a pobreza é tão enorme quanto, ou seja, a situação vai demorar a mudar.

Já fui várias vezes a Itacaré, nunca sofri, ou ví algum incidente.

A cidade é LINDA e as pessoas EXTREMAMENTE AGRADÁVEIS! Sempre que me sobra uma graninha, vou pra lá.

Não quer ser assaltado? Tome em Itacaré, os mesmos cuidados que tomaria em qualquer outra cidade do Brasil.

Abração e boa viagem!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar