Táxi em Buenos Aires: como não receber notas falsas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Cuidado com os pesos falsos

Notas falsas de peso e enganação no troco do táxi em Buenos Aires são queixas freqüentes aqui no Viaje na Viagem. Algumas vêm de leitores que foram vítimas de golpes; outras vêm de gente que ouviu falar e está com medo de ser engambelado.

Eu normalmente digo que a possibilidade de cair num pequeno golpe como esse não deve deter ninguém de uma viagem a Buenos Aires. Todo o resto é TÃO barato, que se rolar alguma chatice dessas dá pra colocar na conta numa boa.


Não tenho dicas próprias de como reconhecer uma nota falsa porque nunca fui vítima do golpe. Tenho a meu favor um portunhol avançado, praticamente um portenhol.

Mas acho também que o que me ajuda a escapar incólume é que sempre pesquiso o endereço antes no Google Maps; e quando pego o táxi, dou a direção como um "local": digo a rua e pelo menos uma transversal. Tipo: "Borges y Nicaragua". Ou duas: "Borges entre Guatemala y Paraguay". Um taxista vai pensar duas vezes antes de passar uma nota falsa para quem dá um endereço tão completo.

Os trips, especialmente os vibanas, têm dicas mais simples, que não dependem de pronunciar o "ll" e o "y" como xis (Calle Ayacucho, em portenho, é "caxe axacutcho").

A mais valiosa delas é não entrar em táxi com notas de 50 ou 100 pesos. Procure ter sempre notas de 10 e 20 pesos no bolso antes de entrar em táxi.

Para fabricar troco:

- Tire dinheiro no caixa automático na casa dos 90: 290, 390, 490. Os 90 trocados já ficam para o fundo de táxi. (Eu não entraria para tirar só 90 pesos porque não é bom tirar pouco dinheiro devido às taxa de saque, que normalmente é fixa e acaba melhor diluída quando se faz um saque maior)

- Passe no supermercado e compre alguma besteira (dica do Marco Cavalheiro)

- Troque sempre que tomar sorvete em sorveterias como Freddo (dica do Nelson Breitner)

A Ana Carolina sugere ir à página do Banco Central da Argentina e clicar em "billetes y monedas" para ver a carinha das cédulas.

E o Victor Hugo explica que as notas de 100 falsas são grosseiras, parecem pintadas a mão e não têm marca d'água.

Y vos? Tem alguma dica para fabricar troco, reconhecer notas ou identificar taxistas desonestos em Buenos Aires? Conta pra gente!


347 comentários

Priscila  Braz
Priscila BrazPermalinkResponder

Oi Pessoal! Estive em Buenos Aires recentemente. Tem ótimas casas de câmbio na cidade e até mesmo no aeroporto, assim que você chegar troque a moeda por pesos de pequenos ,valores como de 2,5 e 10. Assim,quando você pagar o táxi terá dinheiro trocado. É só evitar dar notas muito mais altas que o valor da corrida como por exemplo de 50 e 100 pesos... o valor dos táxis são incrivelmente muito mais baratos do que andar de onibus aqui no Brasil.Até mais e boa viagem!

Marisa
MarisaPermalinkResponder

Olá Priscila,

Tudo bem?
Vou a Buenos aires pela primeira vez e não tenho noção da quantia para levar em espécie. Vou levar cartoes...
Sera que vc poderia me ajudar ? De me uma noção... para comprar coisas na rua , taxi... sorvete....

Obrigada
Marisa

Floriano
FlorianoPermalinkResponder

Olá a todos, acabei de voltar de Buenos Aires ( 07/08/2010 ) e gostaria de deixar meu relato. Peguei uma nota de dinheiro falso no Banco de La Nacion Argentina no Aeroporto Internacional de Ezeiza. CUIDADO, o Banco de La Nacion não é nada santo, SEMPRE, MAS SEMPRE, confira sua nota na frente, não se encabule ou se envergonhe, pois quem irá rir depois são eles, um ABSURDO. No mais a viagem foi excelente e o resto foi tudo muito bom. Abraço a todos e muito cuidado.

Veronica
VeronicaPermalinkResponder

Eu troquei R$100 no La Nacion de Ezeiza ao chegar. Saquei minha caneta money tester e conferi na hora. O atendente nao gostou muito não, resmungou algo que não entendi pois não falo espanhol, e eu ignorei, apenas conferi na frente dele e depois sai.

Marco Antonio
Marco AntonioPermalinkResponder

Oi Veronica, td bem?
Essa caneta "money tester" serve para verificar qualquer moeda estrangeira? como funciona?

Verônica
VerônicaPermalinkResponder

Na embalagem diz que serve para qualquer moeda. Desculpe pela demora em responder..rsrsrs

Bernadete Amaral

Cheguei de BsAs ontem e confirmo que os táxis são mesmo um problema sério. Leve SEMPRE dinheiro trocado, pois alguns vão dizer que não têm 'volta' (troco) e vão engolir alguns pesinhos seus de grátis... Uma dica pra saber se o táxi é de pilantra ou não: ao entrar no táxi verifique se existe atrás do banco dele o nome com a foto do motorista. Se não tiver nome e foto, é muito provável ele ser malandro e te passar a perna. Aí não ter jeito de vc denunciar. Eu fui vítima de um taxista agressivo que me roubou em 6 pesos. O prejuízo é mínimo, mas o constrangimento não tem preço. Ele inventou mil histórias de perigo no El Caminito, que tinha havido um assassinato lá naquela manhã, e que eu não deveria descer lá de jeito nenhum, blá, blá, blá, só pra me levar mais longe e a corrida ficar melhor pra ele. Ao descer, não me deu troco de 50 pesos (a corrida deu 44 pesos) e ainda foi agressivo comigo, dizendo que ele tinha sido atencioso e cordial e que eu deveria pagar pelo menos 50. Ele não foi nem atencioso nem cordial e eu não queria pagar nem um centavo a mais, mas ele estava agressivo demais. Fiquei com muito medo (minha mãe de 70 anos estava comigo)e achei mais prudente deixar pra lá, mas que ele me roubou, roubou sim. Ou seja, MUITO CUIDADO com os taxistas. Depois desse episódio, descobri um taxista honesto chamado Gustavo, que fala Português muito bem (é casado com brasileira). O tel dele é 15 58831278; email gustavolaviero@hotmail.com. Ele busca no aeroporto, se quiser. Me levou e buscou onde eu precisava ir.

Lúcia Bezerra

Boa Noite, Bernadete!
Gostaria de trocar e-mails com você sobre minha viagem a Buenos Aires. Sou de Recife e estarei viajando no próximo dia 28, e não vou por excursão por isso estou apreensiva.
Agradeço antecipadamente sua atenção.
Lúcia.

Viaje na Viagem

Tudo o que você precisa saber está nesta página:
https://www.viajenaviagem.com/americas/buenos-aires-ricardo-freire

Tenha paciênica de ler os comentários.

https://www.viajenaviagem.com/2010/08/como-pesquisar-no-site/

Marisa
MarisaPermalinkResponder

Oi Lucia,

Tudo bem?
Deve ter sido maravilhosa sua viagem para Buenos Aires....
Estou indo agora no inici de abril.... e aí, vc utilizou o taxi da Bernadete??
Gostaria de uam sugestão quanto a quantidade de valores em espécie devo levar... sou gastona...
Vou levar cartões de credito.

obrigada
Marisa

Sandra
SandraPermalinkResponder

Ola bernadete
Irei para Buenos Aires dia 17/11/2010 sozinha para um congresso e tbem estou um pouco apreenssiva, dessa forma, gostaria de trocar emails com vc sobre a viajem é possivel! A propósito obrigada pela diza do taxista.
Sandra
sanfloripa@gmail.com ( meu email )

PAULO B DE ANDRADE FILHO

Bernadete Amaral.

Eu mandei um e-mail para esse taxista Gustavo e ele me retornou. Eu fui na sua indicação pois nao suporto ser roubado e se ficar agressivo , fico tbem rsrrsrs e perco meu passeio.

O que vc pode me dizer sobre ele ? Ele me pareceu bem legal e me cobrou 60 pesos a hora, acho que vou pagar ao menos em uma hora para provar do raapaz...mas foi bom pois falar portugues é bom demaais rsrsr

Diego Pereira
Diego PereiraPermalinkResponder

Pessoal, fui a BsAs em abril e agendei transfer AEP-Hotel com o Gustavo Laviero (taxista). Deixo aqui grande recomendação a ele, que foi muito prestativo, o voo atrasou 1 hora e ele estava lá esperando. No trajeto fomos conversando e já marquei com ele vários "passeios" pela cidade. Ele acabou sendo quase um guia turístico nosso, hehe!! Minha viagem foi bem tranquila, sem furtos, notas falsas, ou inconvenientes do tipo. Fui da geral (popular) da Bombonera ver Boca x Tigres (por agência BsAs4U) à espetáculo de balé no teatro Colón (tranquilo comprar pela internet), recomendo ambos!! Sempre leve trocados para gorjetas aos garçons, que não tem cerimônias em te pedir. E uma dica interessante que "salvou minha vida", se precisar sacar dinheiro pelo BB pode usar os terminais da rede Link, que tem em toda a cidade. Agora não achei os preços (em geral) muito baratos como imaginava, ainda sim é vantajoso, mas aquela visão de "pechincha" não existe mais. É isso aí, leiam bastante e programem-se, tem muita informação disponível neste e em vários blogs e sites.

Andrea Uemura
Andrea UemuraPermalinkResponder

Olá! Estive mais uma vez em Bs As, apesar de já conhecer resolvi consultar vcs aqui e devo agradecer a todos pela dica de agendar com o Gustavo Lavieiro é muito boa. Como foi uma viagem familiar, eu e minha mãe, devo confessar que quem mais aproveitou mesmo foi minha ela que está com 73 anos. Além de fazer as vontades dela, ela se sentiu bem segura com ele e ainda tem o luxo dele falar português (portenhol que é melhor q o meu portunhol)e entender o que nós brasieliros gostamos de ver e fazer.

Jorge Henrique

Taxímetro adulterado.

Alguém já reparou algo sobre isto? Fiz uma corrida de Porto Madero para Galería Pacífico e custou 35 pesos. Fiz uma mesma corrida outro dia e deu em torno de 20 pesos.

Daiana
DaianaPermalinkResponder

Não tive problemas com notas, mas eles são meio folgados. Tanto em BA quanto em Santiago.
Geralmente eu acertava um preço antes de entrar e o taxista aceitava.
No destino final queriam aumentar o preço combinado.
Um deles alegou que pegou engarrafamento e queria propina. O outro que por ter me deixado no lugar mais longe perdeu o cliente que ele tinha que pegar, anunciado pelo rádio.
So what? A culpa é minha?
Não gostei desse tipo de conduta. Lá em Santiago um taxista engoliu 3mil pesos meus, uns 12 reais, alegando que tava em horário noturno e que a corrida tinha que ficar mais cara.

Naldo
NaldoPermalinkResponder

Bom, das 3 vezes que fui pra lá já:

1) Peguei nota falsa de troco: Foi a noite e pra evitar isso passei a ter sempre dinheiro trocado pro táxi.
2) Já percebi que o taxímetro pudesse estar adulterado: Nitidamente estava muito rápido, e uma simples corrida do caminito (região nada amigável) pro centro já estava passando dos 20 pesos. Desci em Puerto Madero, afinal ninguém gosta de ser enganado.

Pra evitar esses problemas passei a pegar somente os radio-taxis, que são indicados nas portas. Foi uma dica que li, e coincidência ou não, nos dois casos eram taxis comuns. Sem ligação com qualquer empresa.

Do jeito que falam parece um terror pegar táxi lá.. não é bem assim. Vai da sorte. Muitos são gente boa e motorista malandro tem tanto lá quanto aqui. Só seja esperto.

Fatima
FatimaPermalinkResponder

Depois de ler o relato sobre os taxistas, gostaria de saber se ém BA assim como no Rio tem cooperativas que vc liga pedindo taxi???

Viaje na Viagem

Dá pra pedir por telefone nos restaurantes. Você também pode ficar com o telefone de alguma para ligar.

Mas não entre na neura. Tenha dinheiro trocado, dê os endereços dizendo as ruas transversais, e tudo dará certo.

Carla
CarlaPermalinkResponder

O pior taxista que pegamos em Buenos Aires, foi o rádio taxi chamado pelo hotel, tido como o mais seguro de todos. O cara era louco de pedra, o carro era detonado e a corrida custou caro. Era longe, estação do trem de la costa, aliás deveriam informar que fica em outra cidade, Vicente Lopez. Qto ao Caminito,ao tomarem um taxi naquele local, pessoas que estavam no mesmo voo que o nosso, foram assaltadas à mão armada, supostamente por parceiros do taxista, uma das moças foi agredida e todas tiveram todos os pertences levados, inclusive os documentos.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Quero deixar registrado neste blog, talvez possa ajudar alguém, quem sabe, BsAs, foi a cidade em que presenciei mais furtos na minha vida, em menos de 24 hrs foram 03, só nas proximidades do nosso hotel, Hotel Abasto, Corrientes 3190, tomamos conhecimento de outros tantos, inclusive tentativas dentro do shopping Abasto, portanto pessoal, tomem cuidado, levem só o necessário, deixem documentos e dinheiro no cofre do hotel, no cofre, no cofre, não se pode dar chance para o azar. Buenos Aires é linda maravilhosa, vale cada centavo e cada hora perdida de sono nos voos noturnos, não deixem de conhecer. Comida cara, roupas nem tão baratas assim, meio suja, perigosa, mas linda...............

Alice
AlicePermalinkResponder

Eu fui engambelada por um taxista em Lisboa, numa corrida cujo preço eu já conhecia, pois não era a primeira vez que fazia o trajeto. Em todo lugar pode acontecer, principalmente quando percebem que você não está ligado e/ou que está numa condição vulnerável (perdido, com idoso, com muitas sacolas, cansado etc.). No meu caso, estar com duas crianças pequenas e bagunceiras me torna vítima potencial, porque minha prioridade é tê-los no meu radar 100% do tempo. A sensação de ser enganado é terrível, mas em viagem é risco do empreendimento. O jeito é colocar no orçamento a rubrica "perdas e danos".

Marcela Ribeiro

No meu caso fui eu quem quase deu o cambau da nota falsa no taxista porteño sem querer. Troquei $ numa casa de câmbio no aeroporto de Guarulhos aqui em SP, uma que fica no segundo andar, não lembro o nome, fiquem espertos! Uma das notas de 100 pesos era falsa. Grosseiramente falsa. Eu, que estava indo pra Argentina pela primeira vez e nunca tinha visto peso na vida, não percebi. Quando fui pagar o taxista, ele me devolveu a nota com cara de merda, de certo achando que eu estava tentando passar pra frente o truque de algum outro taxista... rs... Lá em Buenos mesmo não caí em nenhum golpe, acho que graças também ao Porteñol.

Louise
LouisePermalinkResponder

Outro golpe que também acontece é o taxista trocar uma nota verdadeira (a que você entrega) por uma falsa e depois te devolver como se vocês tivesse dado uma falsa...Alguns são tão rápidos que você nem percebe a troca! Talvez você, Marcela, tenha sido vítima desse golpe.
Isso aconteceu comigo em Buenos Aires, mas não foi no taxi, foi em uma banca de revistas. Eu parei para comprar um mapa e paguei com uma nota que não me lembro qual era o valor... o atendente demorou um tempo, foi mexer no caixa e voltou dizendo q a nota era falsa (só que eu sabia que a minha era verdadeira!)... Foi quando ele me entregou a nota e eue percebi a troca! Discuti com ele e falei que não era idiota, que tinha percebido a troca, mas não adiantou...pelo menos era um valor bem baixo. Mas fique atenta, pois que conhece a nota reconhece a falsa e a verdadeira no momento da entrega, é bem fácil diferenciar...

Christiane
ChristianePermalinkResponder

Olá, estive em BsAs semana passada e deixo aqui meu relato sobre os táxis. Uma sugestão para não se receber notas falsas em táxis, é ter sempre dinheiro "trocado" (notas de 20 pesos para baixo). Quando se estiver viajando em grupo (por ex. 2, 3 ou mais pessoas diferentes) sugiro fazer uma "caixinha" para táxi (isso evita que ao final da corrida, fique aquele alvoroço dentro do táxi, cada um querendo dar o dinheiro). Na caixinha, por ex., todos colocam uma quantia fixa no dia (e uma das pessoas do grupo "administra" esse dinheiro. No nosso caso, usamos um envelope exclusivo para o dinheiro do táxi).
Não tivemos problemas com notas falsas em táxis, porém....pegamos 3 táxis com taxímetro adulterado. Infelizmente, isso é sorte. Não tem como adivinhar. E como relatado aqui acima, um dos táxis adulterados também foi chamado pelo hotel, este eu lembro até o nome da empresa de rádio táxi: Premier. Aí fica a dúvida...será que foi coincdência ou o hotel ganha propina ao indicar o táxi adulterado?
Bem...tirando a questão desses taxímetros adulterados (que releva-se....mesmo que com muita raiva)...BsAs tem muito a ser visto, apreciado e explorado. =)

Paulo B Andrade Filho

Vim de B Aires , cheguei dia 11 de Janeiro e segui a dica que a Bernadete Amaral postou aqui. Antes de viajar me correspondi via e-mail com o taxista que ela recomendou e me dei muito bem, pois além de nao ter sido enrolado, fiz um amigo por lá. Ele nos levou para um passeio por toda a cidade , ficamos dois dias lá com ele e conhecemos B Aires todinha. Homem honesto, fala muito bem o portugues [é casado com uma brasileira e tem dois filhos em Sao Sebastião]. Gustavo foi nosso anjo da guarda lá, ele nos deixava em um determinado lugar, nos pegava na hora e local marcado, nos levou para comer em um lugar maravilhoso chamado "la Cabrera" [local fino com uma comida primorosa - Comida + vinho + chouriço + ojo de bife + agua = $ 275,00 pesos]. Enfim, quem quiser fazer como eu , vou deixar aqui os dados do rapaz , e obrigado a Bernadete pela dica. - Cel. 15 58831278 [ tem que digitar todo esse numero mesmo, parece codigo mais nao é] ; email gustavolaviero@hotmail.com . OBRIGADO GUSTAVO, e até ano que vem que eu devo voltar com certeza. Buenos Aires - cidade linda, quem conseguir ver 1 mendigo, ou 1 bebado pelas ruas, ou 1 papel jogado no chão me avise que eu dou um premio rsrs.

Alexandre Bohn

Paulo,
Achei interessante a possibilidade de contratar alguém desde o Brasil.
Como vc remunerou o Gustavo? Foi por corrida, por passeio?
Abraço
Alexandre

Paulo B Andrade Filho

Combinamos 60 pesos a hora, mas no segundo dia ficamos umas 5 horas com ele e ele só 180 pesos, ou seja, ele nos esperou nas compras, no restaurante e nao cobrou a hora parada. O cara é muito honesto e gente boa. Dei mais US 20,00 pra ele por minha conta. Aliás ... fica a dica que ele me deu e eu adorei - Quer comer muuuuito bem ojo de bife e/ou bife de chourizo? Vá ao Restaurante La Cabrera - É tuuudo de bom, chique e com 180,00 PEEESOS, voce come como Rei e toma um otimo vinho com a carne mais deliciosa do mundo. DESCULPE E DEMORA NA RESPOSTA

Arimar França

Cheguei de Buenos Aires dia 28/01. Passe lá 10 dias. Gente, acho que dei sorte!
Quando li os comentários aqui, fiquei com medo da cidade e quase não fui.Acho que exageram um pouco. NÃO fui assaltada na rua, NÃO peguei nota falsa.
Andei bastante de metrô e de ônibus, sem medo.
Fui à La Boca à tarde e nada que me apavorasse.
Saí todas as noites para jantar, geralmente depois das 22 horas e não tive problema algum.
Vou voltar, com certeza.
Quem quiser dicas, posso dar.

alexandra
alexandraPermalinkResponder

Oi Arimar! Que bom que deu tudo certo com seu passeio!
Conte um pouco mais sobre sua viagem...onde ficou hospedade; se gostou do local; os restaurantes onde comeu...se a comida estava boa..os preços cobrados...Enfim tudo o que puder contar. Estou indo no carnaval e estou querendo saber sobre a cidade. Obrigada.

Valéria Ferreira

Oi Alexandra! Eu tb estou indo no carnaval... Espero que tudo corra bem com a nossa ida. Por isso eu entrei aqui para saber de algumas coisas, como taxi, onde comer etc... Daí vi o pessoal falando desse taxista Gustavo, vou entrar em contato com ele e espero que tudo corra bem. É minha primeira vez lá, mas qualquer coisa pode contar comigo. Bjs

Alexandre Costa

Pessoal, não vejo motivo para tamanha apreensão ao viajar para BsAs. Os alertas do Riq em relação ao roubo de bolsas e câmeras, notas falsas, etc, é apenas um aviso para andar por BsAs com os mesmos cuidados que se anda por qualquer grande cidade.

Estive em BsAs por duas vezes e não tive nenhum tipo de problema. Evidentemente, tomei os cuidados necessários, mas sem paranóias ou pensando que todo argentino queria me dar um golpe. Todos os taxistas com quem conversei foram muito simpáticos e as nossas conversas renderam boas risadas e dicas de lugares para comer e visitar que não estão nos roteiros turísticos.

Ricardo Freire

Egzatamente!!!!

alexandra
alexandraPermalinkResponder

Ok Valéria. Obrigada. Com certeza nossa viagem sera´ótima. Dá uma olhada no site Buenos Aires Dreams do Marco Cavalheiro...ele está lá e quando voltar vai estar cheio de dicas fresquinhas. E fica de olho aqui tb pois o Ricardo tb está lá e está fazendo posts sobre shows de tango. Abraços.

Valéria Ferreira

Alexandra, obrigada pela dica. Estou acompanhando o site. bjs

Fábio
FábioPermalinkResponder

AFFFF. eu tive muito azar! fui avisado sobre o golpe dos taxistas, pois eles pegam 100 e falam que é 10, ou seja, no caminho de Ezeza para o centro o valor era 148 pesos, no carro fui separando o dinheiro escondido do pilantra, mas mesmo assim ele viu que eu tinha nota de 10 e 100, automaticamente o infeliz pegou uma nota de 10, como havia um pedagio pensei que era para pagar o pedagio, quando chegamos fiquei com medo de descer do carro enquanto ele não descia pois se vc. sai ele leva sua bagagem, quando ele abriu a porta eu entreguei 150 (1 nota de 100 e 5 de 10) o pilantra escorregou a nota de 100 e colocou uma de 10 enquanto eu abria a porta e contou na minha frente e eu tonto fiquei avisado mas achei que havia me enganado na hora de pegar o dinheiro, resumindo levei um chápeu!!!! não peguem taxi do govero (preto e amarelo) pegue o dentro do aeroporto. e quando for pagar espere ele sair do carro abrir o porta malas tira-la ai sim vai entregando nota por nota para ele ir contando junto, caso contrário vai levar um "sombrero" dos hermanos.
AH outra coisa leve dolares e nao reais, pois vale muito mais na hora de trocar nas casas de cambio ou fazer compra de roupas, em restaurantes ou nos shows de tango pague com pesos. e no sr. tanto não aceita MAstercard ou American.
espero ajudar alguém.

Ricardo Freire

Rapaz... pra que procurar um táxi marginal com tanto táxi e remis oficiais dentro do aeroporto?

Era só ter seguido essas indicações:
https://www.viajenaviagem.com/2009/10/chegando-em-buenos-aires-transfer-e-dinheiro/

Fernando Rosa
Fernando RosaPermalinkResponder

Cai no mesmo golpe Fábio. Cheguei extremamente cansado e irritado em Ezeiza por conta do atraso do meu vôo, e queria sair dali o quanto antes. Acabei pegando um daqueles taxis amarelos e pretos que ficam ali fora na calçada. O cara me cobrou adiantado 198 pesos pela corrida, dei duas notas de 100, ele me disse que eu tinha dado duas de 10 e me entregou 20 pesos dizendo que eu tinha que pagar 200! Achei um pouco estranho mas pensei que tinha me enganado na hora de dar o dinheiro. Quando fui contar o dinheiro depois percebi o golpe Fiquem muito espertos... Da próxima vez pego o Transfer dentro do Aeroporto como o Ricardo indicou (https://www.viajenaviagem.com/2009/10/chegando-em-buenos-aires-transfer-e-dinheiro/) ou agendo previamente com o hotel.

Outro golpe que aplicaram em mim outra vez que estive em BsAs, foi em um McDonalds ali no MicroCentro. Enquanto minha esposa ia ao banheiro, eu fiquei esperando e cuidando de todas as bolsas e sacolas dela. Nisso veio um cara muito estranho pegou um produto da geladeira que fica exposta no Mc com umas saladas e ficou pedindo ajuda para mim para saber o que tinha naquela salada (how the f.. would I know, anyways?) . Enquanto ele fazia isso algum comparsa por trás fuçou nas sacolas e roubou uma carteira de couro da minha esposa.

Por sorte não guardamos os documentos na carteira, e o larápio acabou levando só a carteira e uns R$ 2,50 que tinham lá. Os passaportes e cartões de crédito ficam sempre comigo em um dos bolsos dianteiros da calça.

Se serve de consolo, e para quem está pensando em desistir de visitar a linda BsAs por causa dos comentários deste post, sabia que esse tipo de coisa pode acontecer em qualquer lugar do mundo, sempre que estiver viajando, você fica mais vulnerável, ainda mais quando está a passeio, quando teoricamente queremos desligar das outras preocupações e relaxar.

Três exemplos interessantes:

1) Um amigo meu, mora no Rio de Janeiro há 30 anos. Nunca foi assaltado na vida. Entretanto ano passado foi para Nova York e roubaram um relógio dele a mão armada na rua...

2) Eu estava indo do México para Chicago em maio de 2010, o vôo atrasou um pouco e acabei desembarcando umas 2 da manhã em O'Hare. Me indicaram para não pegar os Taxis do aerporto, e sim ligar para um radio taxi dos subúrbios, que cobrariam uns 20 dólares mais em conta na corrida. Fiquei esperando no frio lá fora o Taxi (deu uns 15 minutos até o taxista aparecer), e o cara era muito sinistro. Um Peruano, que perguntou de onde eu era, e quando eu falei Brasil ele começou a falar que tinham muitos picaretas no Peru e no Brasil. Quando chegamos no destino final, a corrida deu deu 40 dólares, mas eu só tinha notas de 100. Ele não aceitou a nota, e disse ainda que a nota era falsa, e que como cidadão ele tinha a obrigação de ficar com aquela nota para entregar para a polícia, e que além disso eu precisava pagar ele pela corrida. Isso na frente do Hotel, mas ele deixou a porta trancada para eu não conseguir sair.

Discuti com ele e consegui minha nota de 100 dólares de volta, e paguei com cartão de crédito a corrida. O problema foi que a transação não foi autorizada na hora, demorou uns 5 minutos, e apesar de ter chegado uma mensagem SMS no meu celular dizendo que tinha sido aprovada, ele não aceitou isso como comprovante, e me deixou trancado no carro o tempo todo, até ele receber a comunicação da central que a transação tinha sido aprovada.

3) Curiosamente, também foi nos EUA que passei o maior apuros em Taxi até hoje. Primeiro que todo taxi que você pega nos EUA nunca você tem um motorista americano. Só em uma das viagens que fiz andei com taxistas do afeganistão, paquistão, siria, somália, russia, peru, india, ecuador.. e alguns que o inglês era tão ruim que não consegui identificar. Numa dessas vezes, tive que ficar o fim de semana nos EUA (estava viajando a trabalho), e para não perder o fim de semana resolvi ir conhecer downtown Chicago. Na volta, peguei um metrô que ia até os suburbios novamente, e dessa última estação eu deveria ligar para o Hotel mandar uma van me buscar. Quando cheguei a bateria do celular tinha acabado e não pude ligar para o Hotel, e como tava muito frio não estava afim de ficar tentando caçar um telefone público na rua. Isso era umas 11 da noite, tinha um taxi parado no meio fio a uns 200 metros da estação, eu resolvo perguntar se ele tava disponível.

Ele tava... essa aliás (yes) foi a única palavra em inglês pronunciada a viagem toda. No que entro no carro e falo o destino, ele começa a dirigir, mas noto que ele está com um rádio via satélite ligado, tocando alguma conversa/noticia em algum idioma MUITO bizarro, aqueles de algumas nações africanas onde eles falam com parada glotal (para que fica fazendo um clik com a garganta). Fora isso, ele estava falando no Radio, com alguma outra pessoa que falava a mesma lingua com ele, e a unica coisa que eu entendia era quando ele falava nomes de lugares. Eu fui reparando que ele estava descrevendo todo o trajeto que estavamos fazendo, e os lugares que estavamos passando.

Comecei a ficar BASTANTE preocupado, achando que sei lá, o cara tava falando com algum comparsa pra bolar algum esquema de sequestro, terrorist plot, sei lá! Fora que ele fez um caminho muito bizarro, que eu fui quase o trajeto inteiro pensando 'é... f*** vou morrer!.'

Bom... apesar de todo o sufuco, ele eventualmente me entregou no endereço final, e não fui sequestrado, mas foi um apuro grande.

Abcs,

Vá a Buenos Aires e leve as quiança » Anna Paula você não tem jeito mesmo!

[...] Mesmo com toda essa paranóia das notas falsas, não se preocupe se a casa de câmbio só tiver notas de 100. Você consegue trocar facilmente nas [...]

Guilherme Queiroz

Olá,
Morei em Buenos Aires por 1 ano e usei muitos táxis por lá.

Gostaria de dar uma dica também. Além de pagar com trocado é muito importante não tirar o olho do dinheiro quando você entrega para o motorista. Fique olhando e até mesmo conte as notas na frente dele se o valor for alto. Isso vai mostrar que você está prestando atenção e não vai cair na deles.

Uma pena que por pouco ladrões o resto dos táxis tenha que sofrer. Mas cuidado com eles sempre é bom.

Buenos Aires é maravilhosa e vale várias visitas.

1 abraço a todos e parabéns pelo site

Gui

Edmar Alvarenga

Passei o mesmo sufoco do Fernando Rosa em Miami Beach. Peguei um taxi no número 20.000 da Collins Ave. e desejava ir para o hotel no número 1.700 da mesma avenida. O motorista era um cara que falava um idioma irreconhecível. No meio do caminho ele disse num inglês sofrível que ia fazer um atalho e antes que eu respondesse alguma coisa, entrou para o meio do mato, passando em campos de golfe e lugares onde só tinham árvores dos dois lados. Bem no meio do mato, o cara me pergunta se tinha muito dinheiro no bolso. Também achei que seria assaltado, morto, porque, por coincidência tinha mais de US$ 10 mil espalhados pela bagagem.
Fechei a cara e não respondi mais nada.

De repente ele saiu do mato e voltou para a Collins Ave. já próximo do meu hotel. Quando paguei a corrida de 13 dólares, ele me disse "Obrigaaado!"
Passei um dos maiores medos da minha vida.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Isso me lembrou eu e minha familia chegando em Nova York pela primeira vez. Quase 5000 dolares espalhados pela mala e por pura inocencia aceitar uma van no JFK para nos levar pro hotel. O cara passou por muitos lugares estranhos( das outras vezes que fui percebi que ele tinha ido por um caminho diferente) e falando uma lingua inintendivel no celular enquanto dirigia. Fiquei com medo de ele me roubar, matar, de tudo. Felizmente chegamos ao hotel... mesmo tendo que pagar 110 dolares pela corrida ( de taxi, com ''seguranca'' sairia 45 )

Felipe Companhoni

Minha mulher e eu ficamos 5 dias em Buenos Aires, voltamos no dia 02/03. Combinamos com o taxista Gustavo para o transfer aeroporto/hotel/aeroporto. Só tenho elogios ao trabalho dele. Dentro de B.A., pegamos vários taxistas e não tivemos problema algum. Na verdade, foi tudo muito bom. Andamos muito, utilizamos o metrô e curtimos cada minuto. Em relação ao dinheiro, é fácil trocar 100 pesos no comércio.

Abraços

Amanda Sanchez

Também fomos, porque não dizer, roubadas em BsAs.

Chegamos em Ezeiza, eu e minha mãe, cansadas e um tanto quanto atordoadas de uma viagem que, embora devesse ser simples (SP-BsAs), foi um pouco complicada.

Eu tinha visto (!!) os avisos aqui no VnV sobre os cuidados ao pegar táxi e tinha até uma noção do valor da corrida de Ezeiza até o centro. Por isso mesmo, nos dirigimos até um quiosque amarelo que fica na porta do aeroporto que dizia "Authorized cars". Isso nos enganou, pois achamos que estávamos pegando um taxi "oficial".

Perguntamos o valor do taxi, ao que responderam 190 pesos. Eu sabia que estava acima do esperado, mas pensei que fosse mais caro por ser "oficial" e fomos mesmo assim, acreditando que seria melhor do que pegar qualquer táxi.

O motorista foi muito simpático e nos levou ao endereço certo. Só que, quando chegamos, ele disse que a corrida custaria 590 pesos!! Começou a falar sobre os pedágios e nos fez crer que tínhamos entendido o valor errado.

Nós sabíamos que não tínhamos entendido o valor errado e que era impossível ele ter gasto 400 pesos de padágio.

No fim das contas, ficamos muito desconfiadas, mas como todas as nossas coisas estavam no carro e até por não haver homens viajando conosco acabamos pagando a exorbitância que ele pediu.

Portanto, fiquem atentos: peguem taxi no quiosque AZUL DENTRO do aeroporto (chamado TAXI EZEIZA) e não no quiosque AMARELO do lado de FORA.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Para estes casos, existem em todos os aeroportos a opção de pré-pagamento do táxi , do aeroporto ao destino.
Para evitar constrangimentos deste tipo , mulheres cansadas viajando sózinhas sempre tem a opção de pedirem para o motorista aguardar um momento ( após retirar as bagagens do carro ) e irem até o concierge do hotel , entregando o problema para ele.
Sempre sugiro que pessoas cansadas viajando sózinhas falem claramente que tem alguem conhecido esperando no destino .

Fabio
FabioPermalinkResponder

Estive em B.Aires agora no Carnaval 2011 e constatei, com meus próprios olhos, o turismo de "lixo" daquela terra. É bandido por toda parte! Duas moças, por volta de 30 anos, diga-se de passagem bem gordas, muito gordas!, tentaram abrir a minha mochila na rua Florida. Felizmente, meu anjo da guarda, um brasileiro que vinha logo atrás avistou as infelizes e deu o alarde do furto, a pancadaria quase explodiu!Confesso tb que dentro da mochila só haviam uma escova de dentes e a "geleka" do meu sobrinho. Mas, pensei muito até que ponto valeria bater naqueles dois "ojos de bife de peruca"; talvez batesse pela ousadia de tentarem roubar a "geleka" do meu ente querido. Voltando do "La Bombonera" (exatamente no El Caminito), o taxista avistando nossas caras de turistas (estavam eu, minha namorada e mais um casal), puxou um bolinho de notas falsas em uma dessas lixeirinhas(que penduramos no cambio de marchas)e colocou-o no suporte da porta do carro , já prevendo a possibilidade de passá-las. Seu taxímetro completamente adulterado e com numeros falhados (digo o numero 1 poderia ser numero 7, o numero 3 poderia ser 8), girava loucamente lembrando os caça-níqueis de Las Vegas. Enfim, os argentinos são de fato os "vizinhos invejosos", Buenos Aires tem, sem sombra de dúvida, Maradona como seu melhor representante, se puder escolha outro destino, se quiser compras, parcele um pouco mais a viagem e vá para Nova York, ou então vá com mentalidade de "Final de Taça Libertadores, Flamengo X Boca Juniors", desembarque de chuteiras de travas, entre de sola, não tema o cartão vermelho, é pisão na canela!
Meu alento é que as Olimpíadas e a Copa do Mundo serão aqui no Rio, e vai ter muito argentino rodando perdido com mapa na mão. Saudades do Complexo do Alemão... pois seria minha dica aos "los hermanos" para uma deliciosa salsicha com repolho. Deixa estar... que venham os portenhos em busca de nossas "cachacinhas regadas à pipocos de fuzil". Espero vcs com ansiedade, muchachos!

Aline Carvalho

Então...esse lance do Banco de La Nacion no Ezeiza...é sinistro!!! Quando eu já estava voltando passei lá pra trocar os pesos que sobraram por real e tinha um brasileiro totalmente transtornado com um bolo de 1500 pesos falsos na mão que ele tinha trocado naquele lugar quando chegou e era tudo falso...o pessoal do banco não deu a mínima pra reclamação... o golpe que o rapaz descreveu foi: o atendente pegou o dinheiro dele foi pra dentro do banco e voltou com o bolo de notas falsas lá de dentro...quando o que ele deveria fazer é trocar direto na frente do turista. ATENÇÃO!!!

Ane Brito
Ane BritoPermalinkResponder

Estamos indo agora no começo de Abril para BA para o show do ASOT500 no Clube Geba.E desde já,peço a proteção de Deus!!!!Será minha primeira vez por lá,ficaremos hospedados no bairro Recoleta e espero que tudo dê certo.....E vou ligar pro Gustavo!!!

Mario Sant'ana

Oi Ane ,

irei para Buenos aires tb no dia 1 de abril, tb estou com muito receio de tomar algum golpe.
Ja mandei um e-mail para o Taxista Gustavo , ja que muita gente tem boas referencias dele.

Boa sorte para gente

abraço

Mario

alexandra
alexandraPermalinkResponder

Estivemos em Bs As de 06 a 13 de março e o único problema com táxis foi um que tentou dar uma volta maior para chegar ao destino. Pedi que parasse antes, paguei, desci e peguei outro táxi. Era rádio táxi, um senhor e estava conversando com meu marido que fala espanhol. Eu com nossa filha atrás, com o mapa nas mãos e já tendo feito o percuso de outras vezes percebi o que ele fez. Nem discuti, não vale a pena. Apenas interrompi a corrida. O que ele ganhou com a volta maior ele perdeu quando não me levou ao destino final.
Quanto ao dinheiro; sempre trocado. É fácil trocar 100 pesos no comércio. Não que tenhamos comprado 1 revista e pagado com 100 pesos, mas um lanche, o almoço, um creminho na farmacity...sempre tem um troco e fui separando os trocos para os táxis.
Não é complicado. Quem estiver com viagem marcada fique tranquilo. A cidade é muito tranquila. Obviamente, fique atento.

Felipe Companhoni

É triste ver relatos de pessoas que foram enganadas em Buenos Aires, mas como um argentino me falou: "Os argentinos ainda não aprenderam a tratar bem os turistas". Em relação ao dinheiro, fiz o VTM e saquei nos caixas eletrônicos, foi muito tranquilo. Mas liguem para o GUSTAVO!!!

Abraços

Patricia R.
Patricia R.PermalinkResponder

O pessoal tá insistindo tanto no nome desse Gustavo, que começo
a achar estranho tanta divulgação...

Debora
DeboraPermalinkResponder

Eu também tive alguns problemas em Buenos Aires quando viajei em fevereiro de 2011, mas Graças a Deus nada sério.

Recebi uma nota falsa de 100 pesos em uma casa de câmbio na Calle Lavalle. Eu e minha mãe trocamos reais por 1000 pesos e uma das notas de 100 era falsa. E era uma falsificação muito boa, olhando não tem como ver diferença, tinha até a marca d'água, ficamos um tempão comparando a nota que em dois lugares diferentes nos disseram ser falsa com uma verdadeira e era perfeita, a diferença era apenas o papel, que na nota falsa era um pouquinho mais fino, mas mesmo assim uma diferença muito sutil!

Depois disso preferimos retirar dinheiro no caxa eletrônico e não tivemos mais problema com nota falsa.

Mas taxi é bem complicado lá sim. Pegamos um taxi do Centro até La Boca e a corrida deu 30 pesos. Na volta pegamos outro taxi p/ o mesmo local e o taxímetro marcava 60 pesos. Ou seja, o dobro! Minha mãe discutiu, falou que não iria pagar, mas o taxista não cedia. Chamei um funcionário do hotel para nos ajudar e depois de muita discussão (minha mãe disse que iria para delegacia, mas que não pagaria o valor a mais, não pelo dinheiro, que é micharia, mas pelo abuso), ela deu 40 pesos e saiu do taxi.

Fora outras tantas vezes emq ue era visível que os taxis estavam dando voltas, mas como não tínhamos como provar (não era nada tão explícito quando o episódio de La Boca) acabávamos pagando.

Outras pessoas que conhemos por lá tiveram problemas em restaurante ao pagar a conta em dinheiro. Normalmente em restaurantes entrega-se o valor ao garçon e a pessoa fica na mesa esperando o troco. O que eles fazem é trocar a nota verdadeira que vc entregou por uma falsa e a pessoa tyem que pagar de novo.

Mesmo assim vou voltar a Buenos Aires em abril e desta vez, já sabendo como são as coisas, vou tomar mais cuidados! E pretendo ligar p/ o Gustavo!

Ana Yojani
Ana YojaniPermalinkResponder

Ultimamente, qual tem sido a melhor casa de cambio de Bs As para se trocar dinheiro?

E nas lojas? como é o câmbio para se fazer compras?

Ana Yojani
Ana YojaniPermalinkResponder

Com relação a esse problema, porque o governo da cidade de Bs As não faz nada com relação a isso?

Será que uma campanha massissa pela internet falando sobre os podres de lá não ajudariam?

Andreia
AndreiaPermalinkResponder

Cheguei de Buenos Aires faz uma semana e gostei muito de tudo. Gostei das pessoas, da cidade, da comida e realmente nao tive problemas. Me indicaram um argentino que morou no Brasil e fala portugues e faz um serviço de passeios pela cidade, pude conhecer varios pontos turisticos em um dia e com um preço bem acessivel, alem de varias dicas que ele me deu.Deixo o email dele caso alguem interesse claudiolaita@hotmail.com.
Com certeza pretendo voltar a Buenos Aires, adorei.

Thais
ThaisPermalinkResponder

Acabei de chegar de Buenos Aires. Li o golpe dos pesos falas e achei melhor levar pesos daqui do Brasil mesmo, apesar do câmbio desfavorável. Na casa de câmbio daqui eles tiraram xerox do número de série de todas as notas e me deram um certificado e uma cópia para evitar golpes lá. Procure sempre estar com o dinheiro trocado e preste atenção nos taxímetros, pois alguns taxistas não zeram e você paga a mais. Em Ezeiza eu paguei um remis no guichê do saguão do aeroporto, logo na saída do desembarque (140 pesos até o hotel). Achei melhor porque me informaram do golpe dos táxis, pois tem pedágio e se o táxi ficar preso num congestionamento, o preço pode ficar absurdo. Na Florida não levei a bolsa e fui com o dinheiro no bolso da frente. Não tive problema algum, mas é bom evitar os horários de pico como sábado entre 10:00 e 12:00 e depois do almoço lá pelas 15:00. Procure ir mais cedo porque a rua estará mais vazia. Para trocar dinheiro, pois aqui no Brasil só conseguimos notas de 100 pesos, fomos ao Carrefour perto do hotel e compramos água (no hotel é muito cara).

Fernando H Rosa

Essa é uma excelente dica. Comprei alguns pesos hoje ali no Global Exchange mesmo, e eles me deram um folheto com algumas dicas do tipo para evitar ter sua nota trocada.

Toda vez que for dar uma nota de maior valor (100 pesos, por exemplo), memorize os dois últimos dígitos da cédula (canto superior direito). Assim, se tentarem te trocar por uma nota falsa você descobre na hora.

Pra não ficar a sua palavra contra a da outra pessoa, o ideal seria tirar xerox das notas, mas isso não é muito prático se você está sacando em um caixa eletrônico, então uma outra possibilidade é escrever em um bloco de notas, ou tirar discretamente uma foto com o celular antes de entregar a nota.

Thais
ThaisPermalinkResponder

Ah, remis é um carro com motorista que você já pede sabendo o valor da corrida. Compensa muito para corridas mais longas. Se for corrida curta, prefira o táxi.

Andréa P.
Andréa P.PermalinkResponder

A minha dica é sempre que o taxista perguntar se é a primeira vez que vc viaja a Buenos Aires, aumente o número. Diga que é a segunda, terceira, quarta... Ele vai pensar n vezes antes de tentar passar a perna em alguém que já conhece a cidade. Seja com notas falsas ou fazendo alongando caminhos.

najla
najlaPermalinkResponder

comentarios interessantes para nos q vamos estar sozinhas na cidade

Rodolpho Almeida

Olá...Parabens pela iniciativa de criar tipow um diário de viajem sem custo nenhum na net... Esse site é muito bom, gostei das dicas...Para quem está indo pela primeira vez, é uma mão na roda, esclarece tudo, cada dica melhor que a outra...Estou indo em família, um grupo de 10 pessoas, entre tios, primos e avós...Vou entrar em contato com esses dois taxistas que já falaram aí em cima, o Gustavo e o Claudio, pois me assustei muito com alguns relatos de taxistas ladroes, grosseiros, pilantras...Enfim, prefiro já ter um contato com eles, e acertar um preço desde aqui, assim nao corro o risco de me aborrecer lá...Vou ficar em um hotel, perto do Congresso Nacional, centro...Já decorei as ruas proximas, e tudo que tem perto, para nao cair em golpes...Vou levar dinheiro um pouco em dólar e peso, já trocados em casa de cambio de minha confiança aqui em São José dos Campos, pois assim nao dou azar de pegar uma nota falsa lá nos aeroportos e casas de cambio da vida...kkkkkkkkk !!! Um lugar que nao vou deixar de ir, é no La Cabrera...que foi muito bem recomendado por pessoas logo ai em cima... Vou ficar em B.A, 7 dias...entao quero aproveitar para ir á Montevideo, que fica muito perto indo de um barco rápido, Buquebus, Ferryturismo y Cacciola...Deve ser muito bonito o passeio...Gostaria de saber onde comprar as coisas tao baratas que as pessoas dizem ter pra lá, é em shoppings, feiras, galpoes...Onde comprar em Buenos Aires... Bom, espero e nao quero ser enganado, roubado ou passar constragimentos nessa viajem tao esperada...Vou com pensamentos positivos, e principalmente com DEUS, que sempre está junto, nos protegendo...Volto aqui para contar como foram as minhas aventuras pela America do Sul...

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalinkResponder

Para 10 pessoas acho mais aconselhável uma van. Assim todos irão juntos e sem risco. Usei em janeiro o serviço da GG Viajes e foi aprovadíssimo. Maiores informações e fotos das vans aqui: http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=30&t=787

Rodolpho Almeida

Outra coisa que esqueciiii... Agora o Governo Brasileiro, aumentou a taxa de IOF, para quem for comprar coisas no exterior com cartão de crédito...entao é melhor já levar dinheiro trocado do Brasil, e usar muito pouco o cartao, se nao, quando vier a conta, ficaremos muiiiiiiito aborrecidos.....................Só um avizo...!!! Olhem melhor essa noticia no pelo Google...
Coloquem a seguinte frase:

Governo sobe IOF para cartões de crédito no exterior...

Andrea Freitas

Olá pessoal!
Cheguei há alguns dias de Buenos Aires e lá contratei os serviços do Marcelo Bautista, indicado aqui pelo site. Ele realmente é excepcional, pontual, simpático e no final da viagem se tornou nosso amigo. Vale a pena. Ele nos cobrou 50 pesos do transfer do Aeroparque até a Recoleta e de uma amiga que chegou por Ezeiza, 120 pesos até a Recoleta. Ah, ele também aceita reais.
marcelo_bautista@hotmail.com

Leonardo Melo
Leonardo MeloPermalinkResponder

Olá, temos que ter em conta, em primeiro lugar, que essas ocorrências são a grande minoria. O problema é que, quando dá tudo certo numa situação corriqueira dessas, ninguém se sente na necessidade de relatar "ah, hoje peguei um táxi, ele me levou ao lugar correto sem dar voltas, foi super simpático, paguei com AR$ 100 e recebi AR$ 65,00 em notas verdadeiras", mesmo porque não seria nada interessante. Esse tipo de situação dentro da normalidade, devo dizer, foi o que aconteceu comigo nas 2 vezes em que estive em Buenos Aires.
Isso não me impediu, claro, de sempre adotar algumas precauções, todas elas já listadas no site:
- sacar dinheiro no ATM em múltiplos de 90;
- se fizer câmbio no aeroporto, pedir dinheiro trocado ("contado")
- se não tiver "contado", comprar uma água, um chocolate, o jornal Olé, CENTRUM (metade do preço do Brasil) - há tantas e tantas coisas a serem compradas com uma nota de 100 em um aeroporto que não dá pra enumerar.

SE MESMO ASSIM vc não tiver dinheiro trocado ao tomar o táxi, vai outra dica: PEÇA AO TAXISTA, QUANDO PARAREM NO PEDÁGIO, PARA VC PAGÁ-LO (vc teria de pagar de qq jeito, reembolsando o taxista no final da corrida). É impossível que uma praça de pedágio não tenha troco.

Essa dica eu recebi de um taxista de lá, muito simpático por sinal.

abraços

Andreia Hamada

Usei as dicas do pessoal acima e confirmo a dica do pessoal... entrei em contato com o Gustavo Laviero, eles nos pegou na hora marcada (a tarifa é fechada, já com pedágios) e depois ainda fizemos um city tour em outro dia. Dor de cabeça com taxista nas férias nem pensar!!!
Outra dica: na rua passa muitos taxis, eu sugiro escolher um carro mais novo.

Antonio
AntonioPermalinkResponder

Uma dica de uma amiga argentina/brasileira é que apesar de todos os táxis serem pretos com capota amarela,dê preferência para aqueles que tem pintado nas portas da frente o logotipo da empresa,porque isso significa que estes fazem parte de uma frota e consequentemente são oficiais.

Victor Veras
Victor VerasPermalinkResponder

Estive agora na Argentina 22/06/2011 de fato é muito grande os golpes com notas falsas, acredito que 1/3 dos pesos são falsos, fiquem atentos não só nos taxistas mas sim em tudo e todos, andem com poucos pesos, de preferência com notas baixas para facilitar os troucos e se possivel utilizem sempre cartão de crédito, tirando isso a Argentina é maravilhosa, vale a pena conhecer .

Pior do que isso são os assaltos aqui no Brasil que quase sempre os assaltantes nos deixam de cuecas smile

Forte abraço a todos.

Mariana S.
Mariana S.PermalinkResponder

Gente to indo pra lá amanhã e to com medo depois que eu li tudo isso. O meu maior medo é das notas falsas pois não tenho afinidade com o dinheiro deles. Vou dar uma pesquisada sobre o que cuidar nas notas. Muito bom todas as dicas!

Raphaella Pereira

Ricardo e todo mundo,

Preciso da ajuda de vocês!! Quem tiver o telefone do Gustavo, taxista, favor me passar. Passei um e-mail para ele, e não me respondeu. Tentei ligar no número que colocaram aqui e deu que não existe (também não sei se liguei certo, mas acredito que sim).
Estou indo em Outubro de lua de mel para lá e gostaria de agendar com ele.
Obrigada e agradeço a ajuda de quem puder.
Abs,
Raphaella

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raphaella! O Ricardo Freire acha um exagero exageradíssimo essa coisa de precisar desesperadamente de um motorista de táxi em Buenos Aires. Siga as instruções do post e você poderá pegar qualquer táxi em Buenos Aires.

Para ligar para Buenos Aires, disque 00, código da operadora, 54 (código da Argentina) 11 (código de Buenos Aires) e o número do telefone, que terá oito dígitos.

Raphaella Pereira

Olá, Bóia! smile
Vamos chegar de madrugada em Buenos Aires, e preferimos não arriscar e pegar um táxi de aeroporto (sabe como é.. Brasil). Como da outra vez que fomos pagamos um transfer, dessa vez preferimos fazer desse jeito.
Pensamos até em pegar um táxi no aeroporto, mas como várias pessoas indicaram o Gustavo, então resolvemos seguir as dicas.
Obrigada pela ajuda e de qualquer maneira lerei o post novamente e tomarei a minha decisão.
Outra coisinha: está valendo a pena comprar com cartão de crédito e usar débito mesmo com o aumento das taxas dos cartões e a cobrança de IOF?
Em Outubro, qual o fuso horário e temperatura média? Estou preocupada também pois o vôo da volta está marcado as 19h, só que quando fomos da outra vez, pegamos o mesmo vôo, só que esse horário era o do Brasil, e nisso quase perdemos o vôo devido a chegada em cima da hora para o check in.
Obrigada por toda a ajuda.
Abs,
Raphaella

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raphaella! Se chegar no Aeroparque, pegue o táxi na fila oficial e não terá problemas. Se chegar por Ezeiza, pegue o táxi no Táxi Ezeiza. Reiteramos: não há motivo para essa paranóia de taxistas que aparece nas caixas de comentários.

Você também pode solicitar um transfer ao hotel. Todos os hotéis podem arranjar um.

Leia sobre IOF aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2011/03/iof-o-que-muda-para-o-viajante/

Na Argentina não há horário de verão. Se o Brasil já tiver entrado no horário de verão, a Argentina fica uma hora atrasada.

Para temperatura e chuvas, entre na página de Buenos Aires e clique em "temperatura e chuvas mês a mês".

https://www.viajenaviagem.com/americas/buenos-aires-ricardo-freire

Raphaella Pereira

Bóia,
Mais uma vez obrigada!!
Vou alugar um apartamento na Recoleta, por isso que estava na paranóia de termos um taxista, mas agora me ajudou mais ainda.
Estou preparando meu roteiro sobre o que fazer nos 11 dias que estarei ai. Chego dia 11 (na madrugada de 10 para 11) e como dia 12 de outubro tb é feriado lá, vamos aproveitar o dia 11 para comprar algumas coisinhas no mercado.
Sei que nos feriados por lá o comércio praticamente não funciona, então pensei em passarmos o dia nos Bosques de Palermo, fazer algum piquenique... e não depender muito de restaurantes, etc.
Pensei talvez em fazer o passeio do Trem da Costa, caso não vá nos Bosques. Em relação a isso, olhei alguns blogs, inclusive indicados do Ricardo, só que não entendi bem o melhor a fazer ainda. Fiquei em dúvida sobre valores, onde pegar o que... que saco! É tanta informação!! smile
Outro pedido: quais restaurantes recomenda para jantares românticos de lua de mel? Ficaremos 11 dias ai. Claro que não quero uma relação com um monte, mas o que poderia me indicar? Relacionei alguns mas como já tem tempo, ainda não sei se estão abertos ou não.
Obrigada mais uma vez por todas as dicas e ajudas.
Bjos,
Raphaella

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raphaella!

Leia a nossa página-guia de Buenos Aires e clique em tudo o que puder:

https://www.viajenaviagem.com/americas/buenos-aires-ricardo-freire

Obrigada!

P.S.: você pode solicitar um trânsfer à imobiliária que alugou seu apartamento. Não é recomendável chegar de madrugada para apartamento alugado, pode haver desencontro com o agente. Tente mudar o vôo para mais cedo ou durma esta noite num hotel.

Raphaella Pereira

Bóia,

Obrigada!! Sobre a entrada no apartamento já está tudo esquematizado com o pessoal da ByT.

Vou seguir a dica do Taxi Ezeiza como me indicou.

A página de vocês eu já li de frente pra trás e de trás pra frente.. mas por isso que perguntei sobre o Trem da Costa e dicas de restaurantes românticos. Anotei alguns, mas queria opiniões de vc que está mais frequente lá.

Me ajuda mesmo só com relação ao Trem da Costa.. please... smile Ah, vale mesmo a pena ir, ou é outra furada qto ir ao Caminito?? Estou que nem o Ricardo, todo mundo que vai a Bue pela primeira vez falo que não vale a pena o Caminito, mas sei que não deixarão de ir.. hehehehe.
Beijos,
Raphaella

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar