Rússia, agora sem precisar visto: quem se habilita?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Praça Vermelha, Moscou

Com o recente acordo entre Brasil e Rússia, já em vigor, proporcionando isenção recíproca de visto de entrada para turistas, começam a pipocar nas caixas de comentários perguntas sobre a Rússia.

Nunca fui à Rússia, e o site ainda não foi presenteado com nenhum relato de viagem (não, não estou cobrando o PêEsse, imagina, jamais faria isso, deixa o menino terminar o doutorado em paz... hehe). Por isso resolvi organizar as informações disponíveis neste post.

Desde sempre o ponto de partida que sugiro aos potenciais viajantes são os posts russos do Arquivo de Viagens, da Luisa. É um relato riquíssimo, que combina o grande trabalho de pesquisa da Luisa com as coisas que ela aprendeu in loco.

Leia no Arquivo de Viagens, pela Luisa:

Rússia: idealizando a viagem

Transportes: a escolha e a reserva

Hotéis: a escolha e a reserva

Chegando em Moscou

Moscou

Moscou: o metrô

Moscou: a periferia

Anel de Ouro: Sigiev Posad

Anel de Ouro: Rostov Veliky

Anel de Ouro: Yaroslavl

Anel de Ouro: Vladimir e Suzdal

Anel de Ouro: Kostroma

Ferrapontov

Kazan

São Petersburgo

Novgoro

Arkahngelsk

Ilha de Kizhi

Rapidinhas sobre a Rússia

O café da manhã  na Rússia

Os aeroportos russos

Dirigindo na Rússia

Táxi na Rússia

Os trens russos

Os russos e o cartão de crédito

Aprendendo um pouco de russo

Já a Deise de Oliveira, do Viagem pelo mundo, leva uma grande vantagem sobre qualquer um de nós: ela estudou língua e literatura russas. Sua viagem à Rússia já rendeu vários posts, e de vez em quando volta em cartaz numa lembrança ou numa foto da semana.

Todas de Moscou no Viagem pelo mundo, por Deise de Oliveira

A Dri Miller, do Dri Everywhere,  que mora em Londres, também já se aventurou por terras russas. Quando viu a low-cost bmi lançar um vôo baratinho a Moscou, catou o maridão e embarcou para um viagem pá-pum.

Todas da Dri Miller em Moscou, no Dri Everywhere

Pros que se viram em inglês, a melhor fonte de informações na rede é o site Way to Russia. Tem tudo o que você precisa saber sobre Moscou, São Petersburgo, Anel de Ouro, Trans-siberiana, dinheiro, trens, hoteís, o escambau.

Melhor fonte em inglês: WayToRussia.net

E finalmente, pra quem tem a manha de usar o tradutor automático do Google, de repente pode valer a pena consultar as guias (em russo!) do Time Out para Moscou e São Petersburgo

Time Out Moscou (em russo)

Time Out São Petersburgo (em russo)

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email
Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


178 comentários

Clara
ClaraPermalinkResponder

Tenho uma amiga que esteve na Rússia há uns 2 anos e não gostou muito do astral de lá, não. Pessoas muito sérias, meio deprê, poucos falam inglês, sei lá, por enquanto não está nos meus planos, não. Nem sem visto. Mas posso mudar de idéia a qualquer momento.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Morro de vontade - principalmente de ir a Moscou e São Petersburgo... Mas são só vontades mesmo, não são nem planos embrionários... Coisas de quem lia Dostoievski e Tolstói com a imaginação a mil, eu acho... wink

Clara
ClaraPermalinkResponder

Ei, Carla, não esquece do Tchekov! Li todos eles, e ainda assim, ou por isso mesmo... Todos geniais, realmente.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Já tinha esquecido, Clara, muito injustamente... Mas você está certíssima: todos geniais!!!

luis r.
luis r.PermalinkResponder

o único pedaço da rússia q conheci, há 2 anos, é st. petersburgo -- justo a cidade q muita gente nem considera lá mt russa. mesmo assim, minha dica pra quem viajar pro país é ter sempre à mão uma "colinha" com a “tradução” do alfabeto cirílico pro nosso. bom mesmo é saber ler e falar russo, claro, mas já é uma mão na roda conseguir relacionar o q está escrito na placa das ruas com o q tem no seu mapa e no seu guia turístico, q geralmente estão em inglês. desde pequeno tenho fascínio por aqueles “enes” invertidos, “pis” e outras letras gregas, daí q conseguia fazer a tradução com facilidade (sem entender o sentido, é bom q se diga).

qt a st. petersburgo, bobagem acreditar em quem diz q ela é apenas uma cidade europeia meio fora do lugar. tem igreja com cara de roma, museu com pinta de paris, canais e pontezinhas como veneza e amsterdam... mas em nenhuma dessas cidades vc vai encontrar tantas mulheres lindas com roupa de onça, tantos homens bonitos com cara de assassino de filme de 007, tanta gente disposta a beber (tive uma das melhores noites de bar da minha vida em s.p., e olha q nem sei em q língua falei), tanto apego ao pagamento em “cash”, tão pouca gente falando inglês (salvo os + jovens, claro), um militarismo ainda mt presente, as baboushkas, as matrioskas. é rússia, sim senhor!

ñ precisar de visto pra ir pra lá é uma ótima notícia, mas aqui entre nós confesso q acho bacanésimo ter um desses no passaporte =P

Deiatatu
DeiatatuPermalinkResponder

Um lugar q está na minha lista faz tempo. Na verdade pretendo fazer um cruzeiro pelo Volga. Mais roteiros para se inspirar :

www.allrussiacruises.com

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

Eu e a Sheila (do Com a mochila nas costas) sonhamos com o dia em que conhecer a Península do Kamchatka estará um pouco mais acessível - tanto em $$$ como em logística. Não precisar de visto russo pode ser o primeiro passo (otimismo sempre!).

É meu sonho de viagem número 2 no momento. smile

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Ai, a Russia tá tão perto de mim agora ! Algumas pessoas aqui do prédio já se aventuraram por lá, mas nós nem cogitamos a idéia ainda. Uma amiga minha brasileira foi ano passado e adorou. Vou ler os posts indicados pra ver se desperta a curiosidade, mas a minha lista de must go já está tão grande que ando meio desanimada de aumentá-la, rs

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Sou louca pra ver de perto essas casinhas que parecem ser feitas de doce hehe

Tem um livro, chamado Palacio do Inverno, que descreve muito bem como era o país na época dos Romanov. A história, apesar de um pouco triste, é muito fácil de ser lida e me deu ainda mais vontade de conhecer São Petersburgo smile

Não sabia deste acordo. Adorei a novidade!

Beijo, Ju

Deise de Oliveira

Riq!

Obrigada pela indicação do meu singelo blog! Fico muito contente, mesmo. Mas deve ter havido um erro de digitação, pois meu nome é Deise, não Denise. rsrs
Obrigada!

Ricardo Freire

Corrigido, desculpa! eekops:

Clarissa M. Comim

As dicas são ótimas! Fica bemmmm fácil programar uma viagem! wink

Camila Navarro

A Rússia já estava nos meus sonhos há muito tempo, mas agora com a isenção do visto, ela está saindo do sonho para o planejamento! Já estou pensando em colocar São Petersburgo no roteiro das próximas férias, mas aí fica a vontade de incluir Moscou logo de uma vez... Com certeza por causa de Tolstói e Dostoievski (como a Carla), a Rússia é um dos países que mais me atrai!

Marcie
MarciePermalinkResponder

Foi uma das viagens mais incríveis que fiz. Foi em 1994, e portanto muito pouco tempo após a queda do muro, então havia uma mistura muito grande entre o que eles eram e o que queriam ser. Um povo muito triste e deprê, sim, como falou a Clara. Ainda tinha muita pobreza pelas ruas, com as "babushkas" (avós) vendendo peças de vestuário nas feiras para poder comprar comida. E por outro lado, haviam já alguns shoppings com tudo o que o capitalismo podia fornecer de bom. Muitos contrastes, uma cultura riquíssima, um lugar belíssimo.

E um fato muito engraçado: como fomos a trabalho, colocaram à disposição da equipe uma tradutora, Irina (que, vejam vocês, eu soube muito recentemente, ainda faz este mesmo trabalho para turistas).
No terceiro dia em que estávamos lá, o motorista da van fez uma pergunta, e ninguém respondeu. Ele repetiu, e sem que eu percebesse, eu respondi. Seguiu-se um diálogo. Em Russo. Língua que eu não tinha falado em pelo menos 10 anos. A equipe e o marido olhando pra mim como se eu tivesse adquirido 3 antenas e 4 pares de olhos - ele nunca havia me visto falar na língua da minha mãe. Foi engraçado. E a partir daí, por todo o tempo em que ficamos lá, eu voltei à infância, falando a língua que sempre falei em casa.
Em tempo: já no aeroporto meus conhecimentos de Russo voltaram para alguma gavetinha no cérebro de onde só sairão quando eu for pra St.Petesburg, em abril de 2011. wink

Clara
ClaraPermalinkResponder

OK, confesso. Todos os meus avós tinham nacionalidade russa e a perderam(apesar de terem nascido realmente dentro dos limites da antiga URSS). O russo jamais foi falado por eles no Brasil, e sim o idish. Meu tio-avô foi mandado para Sibéria por 10 anos sob acusação de contrabando(era apenas um vendedor). Então a carga para a minha familia ainda é meio pesada. sad

JB
JBPermalinkResponder

Riq,

Muito legal.

Cheguei a pensar seriamente em incluir Sao Petersburgo junto com os países do Báltico na minha viagem de outubro próximo. Já estava com tudo programado quando resolvi mudar os planos e visitar alguns pedaços da antiga Iugoslávia.

Achei que a Rússia mereceria uma passagem por Moscou tb e 12 dias não seriam suficientes para o percurso total.

Mesmo assim, vai ficar para um futuro bem próximo, quem sabe no ano que vem?

Marcie
MarciePermalinkResponder

Que tal em abril, JB? lol

JB
JBPermalinkResponder

Pois é, Marcie, queria alguma coisa no primeiro semestre mesmo, para aproveitar os dias longos. Só não sei se em abril de 2011 vai dar...

Bom saber que vc fala russo, eu só consegui aprender o alfabeto cirílico smile

Natalie
NataliePermalinkResponder

Eu fui apresentada ao blog da Luisa quando ela começou a postar essa ótima série sobre a Rússia e ela despertou meu interesse por esse país. Desde então, fico sonhando com essa viagem. Mas para tirar esses planos do papel, preciso ainda aumentar um pouco minha bagagem como "viajante" e ter mais experiencia na hora de resolver possíveis perrengues que podem acontecer.

Flora
FloraPermalinkResponder

Riq, que ótimo
Veio na hora... Estou começando as pequisas.
Devemos ir em Julho/2011.
Que pena Marcie e JB, senão fariamos uma mine convensão VnV por lá.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Eu me habilito, sim! Mas deve demorar um pouco. Penso em fazer essa viagem quando for aos Países do Báltico mas tenho outras programações na frente. Como disse a Natalie, preciso aumentar um pouco a minha bagagem de viajante. Deve ser um lugar incrível!

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

A Rússia só comprova que a língua internacional não é o inglês, é a mímica (mas um inglesinho bem que ajuda)...

Thais
ThaisPermalinkResponder

Já estive em Moscou e São Petesburgo e recomendo MUITO!!! Simplismente amei!!! Fui em julho e estava super calor...cidade cheia...só não inventem NUNCA de cruzar a fronteira da Rússia com a Ucrania por terra...conselho de amiga! rs!

Sheila Machado

Lucia, a Megassena está acumulada em R$ 83 milhões. Se eu ganhar, vamos eu, você e o Riq descobrir as belezas de Kamchatka. Serão meus convidados na terra de Putin e Medvedev. Promessa pública! smile

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

Aaaaa q jah comecei a torcer pela megasena desde jah, Sheila!!!! \o/

Todos os fingers crossed!!

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Tenho muita vontade de conhecer a Rússia, por motivos bem mais singelos que os da Carla...mas, lembro até hoje das aulas maravilhosas de história sobre a Revolução Russa. Adorava. Mais recentemente, o filme infantil Anastasia, virou um "hit" aqui em casa.
Embora toda essa vontade, sempre achei que a Russia fosse um país difícil de se conhecer por conta própria. Então, resistia. Quem sabe com as novas informações essa ideia mude. Tomara! wink

Luisa
LuisaPermalinkResponder

Que honra, Riq! Obrigada!
A Russia foi uma das viagens mais incriveis que fiz!
Recomendo a todo mundo que goste / tenha paciencia de organizar viagens por conta propria (è desafiador e gratificante!) e que nao tenha problemas com a comida (nao da pra explicar a sensaçao de entrar num restaurante, apontar para um prato no menu e ficar na torcida para que, pelo menos, seja quente e salgado!)

Ricardo Freire

A honra é minha, Luisa, de poder linkar tanto material bom aqui!

luis r.
luis r.PermalinkResponder

só me ocorreu agora: o melhor de tudo é q, sem o visto, ñ será mais preciso arrumar uma espéci de carta-convite do local da hospedagem na rússia. tinha hotel q cobrava pra enviar uma, sem a qual ñ se podia requerer o visto.

Luisa
LuisaPermalinkResponder

Mas sem o visto nao serà mais preciso registrar o passaporte nos hoteis russos ou uma coisa nao tem nada a ver com a outra?

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Ufh! Li tudo sobre a Rússia no blog da Luisa e digo: não sei se teria coragem de viajar de forma independente pra Rússia, além de Moscou e St. Petesburgo, que me parecem mais civilizadas. Parabéns pra ela que teve um super trabalho nesse planejamento, e mesmo sem falar russo, passou por pouco imprevistos e nada grave ou perigoso aconteceu.

Joao Barcelos
Joao BarcelosPermalinkResponder

Já estava com viagem a trabalho marcada pra Finlândia no fim do mês quando descobri o acordo do visto. Comecei a pesquisar e eis que me surge o post sobre a Russia.
Pelo visto, serei um dos primeiros a testar a "nova entrada". Passarei 3 dias em São Petersburgo, e já até comprei um phrasebook de russo! Espero que ajude. smile
Estou catando hotéis baratos, mas estou com medo de pegar uns fuleiros já que todos dizem que a Russia não é como o resto da Europa.

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Joao
Estou passando 3/4 dias em Sao Petersburgo.Hoje estou no segundo dia e passei tambem por Moscou. Estive tambem em Helsinki e Tallinn, onde 1 dia eh bem gostoso de passar. O barco pra ir de Helsinki eh um pequeno navio e o percurso dura 2 horas. As dicas que posso te dar de SP por enquanto sao: aprender o alfabeto cirilico vale mais que o phrase book e o basico eh bem facil de pegar e ajuda muito a se orientar. A cidade eh linda misto de Europa e Russia realmente. Comprei ingresso pro Hermitage pra 2 dias pela internet e foi um fura fila valioso. Aluguei um apartamento pela Booking.com que fica bem central, na principal rua da cidade. Nao tem luxo, mas eh bem funcional e bem localizado, por um bom preco. A locadora eh STN apartments e o escritorio fica na esquina. Fiz o mesmo em Tallin e ficava na praca central.Quase nao se aceita cartao ou euros, eh cash em rublos na maioria dos lugares.Por enquanto eh isso e desculpe o teclado que nao sei por acentos.

Carlos A. Ranzani

Ola, Eneida. Agora que vi o seu relato e achei otimo, espero que vc possa continuar, pois estou programando viajar em Julho do ano que vem p/ esta região e nada como ter estas informações de quem esta in loco........conta mais, por favor ou se vc quizer, envie p/ o meu e mail. Um abraço e otima viagem

Carlos A. Ranzani

Eneida....faltou colocar o meu e mail = ranzani01@uol.com.br

Naldo
NaldoPermalinkResponder

Alguém já entrou na Russia sem o visto depois do novo acordo entre os dois países?

Alguma complicação na imigração?

zuzu
zuzuPermalinkResponder

oI nALDO
eU nao fui, mas amigos íntimos foram e disseram o mesmo dos demais...super tranquilo!
O único problema, de novo relatado pelos outros trips, foi que muitas pessoas n falam ingles e o alfabeto é impossível. Mas eles adoraram.

Jose Rodrigo
Jose RodrigoPermalinkResponder

Naldo

Acabo de voltar da Russia, e a questao do visto foi super tranquila sim.
Nao me fizeram nenhuma pergunta, e para a minha surpresa, o Brasil eh um dos unicos paises que nao precisam mais de visto pra Russia. Ate a Finlandia que eh ali do lado precisa de visto pra la.

A questao do registro nos hoteis continua. Eles pegam seu passaporte e tiram uma copia, ou te devolvem no dia seguinte, e te entregam um documento com as suas informacoes escritas em cirilico.

nao precisa mais de carta convite.

abraco

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Naldo
Tambem estive lá em setembro e não tive nenhum problema com a imigração. Nem recebi esse documento em cirilico no hotel, eles pediram o passaporte e devolveram como em qualquer local. Devem ter tirado cópia.
Carlos
A Russia foi bem mais facil e segura do que esperava. Não passei por nenhuma situação séria, alguns taxistas e funcionários de aeroporto mal humorados que só falavam russo foram desagradáveis, mas com senso de humor, tudo acaba sendo pitoresco, rs..Os restaurantes de nível médio não são caros, e há uma febre de comida japonesa como nunca vi antes. A maioria dos atendentes e garçons não falam inglês, trocam com outro que fale alguma coisa, geralmente muito pouco também. Vârios restaurantes tem menu em inglês e com fotos, mas eles não entendem o que está escrito. Se algo sai errado, eles se fazem de desentendidos, inventam qualquer desculpa ou te deixam falando sozinho. Chega a ser bizarro!
No Kremlin não deixe de visitar a Armeria que tem tickets a parte e hora marcada. o mausoléu do Lenin é bem impressionante também e não tinha a f ila que sempre ouvi falar.
Das igrejas ortodoxas a mais linda por dentro é a do Salvador do sangue derramado em São Petersburgo. Bom que só fui no fim da viagem. O Hermitage é realmente um luxo tanto os salões do palacio como o museu pròpriamente dito. Preferi não mandar e mail porque pode ser interessante para mais alguem, mas qualquer detalhe que queira saber melhor, posso tentar ajudar.

elcio
elcioPermalinkResponder

Boa tarde!

Estarei conhecendo a Rússia pela primeira vez com minha esposa no mês de abril e ficaria grato se me respondessem algumas dúvidas:


1) Será que devo comprar um pacote de parte terrestre ou ir sem pacote? Me viro bem em inglês?
2) Consigo conhecer um pouco da cultura sozinho ou vou precisar de um guia?
3) Devo ir pra St. Petersburgo de trem ou avião? A paisagem é bonita?
4) Vc tem indicação de hotéis? E restaurantes?
5) As cidades são seguras para passearmos sozinhos?
6) Algum passeio (ou ponto turístico) que vc recomenda em particular?
7) Vc acha que devo conhecer outras localidades?

Desculpe o abuso...

Att.
Elcio

Ricardo Freire

Elcio, por favor leia role a página para o alto, leia o post e clique nos links indicados. São os textos em azul. Depois leia os comentários. Boa viagem!

Carlos Nascimento

Uma pequena dica: Como o Riq sabe leio perfeitamente russo, só não entendo nada, mas mesmo assim me permito este pitaco.
Não basta saber o alfabeto cirílico, que assim como o latino é diferente quando escrito em cursivo, tem-se que conhecer o idioma em que foi feita a transliteração das palavras pois há uma variação entre o modo que se faz a transliteração para cada idioma. Por exemplo a letra ? em inglês é transcrita como sh, e em português CH. Já a letra "?" é transcrita em inglês como CH e em português TCH. "?" em inglês é transliterado para ZH e em português para J.

Carlos Nascimento

Ops as letras em cirílico não foram publicadas. A primeira (Sh/CH) é uma que parece um tridente sem o cabo, a segunda (CH/TCH) parece um "h " de cabeça para baixo, e a terceira parece um X com um I sobreposto

Ricardo C.
Ricardo C.PermalinkResponder

Olá Pessoal,

Antes de mais nada, é minha primeira vez no site e realmente estou achando muito interessante!

Daqui a duas semanas embarcarei para a Russia onde ficarei por apenas 1 semana para visitar Moscou e São Petersburgo. Estava preocupado com a questão da entrada, mesmo sem visto, mas pelo visto é tranquilo.

Como tenho uma amiga Russa que encontrarei lá, imagino que as coisas serão mais fáceis.

Depois avisarei como foi a viagem e aproveito para envio algumas dicas!

Carlos A. Ranzani

Oi, Eneida. Muito obrigado por suas otimas informações. Minha ideia p/ esta viagem em julho de 2011 é fazer Moscou e região em torno, San Petersburgo e região, Escandinávia e as Republicas Bálticas e num periodo de 30 dias. Pelo que já andei lendo parece que a melhor seguencia, em termos de deslocamento e logistica, seria = Moscou --> San Petersburgo --> Republicas Bálticas ---> Escandinávia. O que lhe parece?

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Carlos
Ou isso ou o inverso.Nao fui a Escandinavia ainda, nao da pra opinar.De qualquer modo o roteiro esta otimo. Costumo levar em conta a cotacao das passagens low cost pra decidir.Os precos variam muito, inclusive de 1 dia para outro no mesmo trecho. Uso um buscador de passagens chamado www.momondo.com
acho melhor que o skyscanner que eh mais conhecido.

Candida
CandidaPermalinkResponder

Olá tb estive lá em Setembo e foi tranquilo sim.
È claro que o homem olhou meu passaporte, olhou minha cara, olhou de novo e ficou assim uns 05 minutos sem mencionar nada. Fez duas perguntas tipo vc é a Candida e está aqui a lazer. Depois liberou sem falar saia por aqui ou por lá e como não tinha nenhuma marcação me dirigi ao caminho mais fácil, então outra soldadinha de chumbo começou a bater forte pelo vidro a gritar NO NO NO e apontou a direção certa que no fim não fazia diferença alguma.
É nos hotís tiram cópia dos passaporte e se vc estiver de carro ou transfer após 12hrs, provavelmente pararam seu carro, o meu foi parado 03 vezes, sempre é bom andar com cópia ou com o próprio passaporte.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Dica da minha sobrinha que esteve lá 29/out-02/no:
Recomendo forte, Hostel Oasis.
Fujam do Hostel Monroe a qualquer custo, AAAAARGH...

Rosa
RosaPermalinkResponder

Para quem tem Moscou na lista de desejos um depoimento saindo do forno:
Moscou é EXCEPCIONAL.
Com certeza a cidade mais fascinante e bonita que eu já fui. A única coisa chata são os russos; eles são grossos, antipáticos, metidos a besta, não gostam de turista... na cidade não existe quase nada em inglês, só no aeroporto e olhe lá. minha sorte foi que aqui também usa o cirílico, então eu consegui me virar para ler as coisas (principalmente no metro). mas acredita que até no Mc Donalds ninguém fala inglês? nem os jovens! sem dúvida foi o Mc mais difícil de comer que eu já fui...

além disso a cidade é EXTREMAMENTE cara. nem Londres, nem Paris; Moscou ganha fácil. ainda assim, é uma cidade fascinante.

Marcie
MarciePermalinkResponder

Eu vou, eu vou, pra Rússia agora eu vou...E por agora, entenda-se comecinho de março. St. Petersburgo. Marcadinho: passagens, hotel, e seguindo a recomendação da Luisa, do Arquivo de Viagens, ingressos para o Hermitage devidamente comprados. Iuhuuu!
(volto depois pra contar tudinho, claro wink )

Para o caso de alguém reparar: no ano passado pulei Carnaval em Varsóvia. Este ano, pularei em St. Petersburgo. Brasileira, eu?

Junior
JuniorPermalinkResponder

Eu me habilitei também!
Vou no fim de março pra ficar 10 dias em Moscou.
Ainda não fechei com o hotel, pré-reservei um, mas estou achando ele meio longe do centro (do kremlin).
Alguém teria alguma dica de um hotel mais central pra turistar e sentir o clima da cidade sem ter que pagar um preço absurdo (eu sei que a questão de preço de hotel lá é complicada, mas quem sabe)?

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Fiquei em fevereiro de 2010 em um hotel chamado Petrovka Loft. Ele é muito central e estava com um preço imbatível na época.

O único porém é que ele fica localizado em um antigo prédio residencial comunista e por isso nenhum quarto tem banheiro próprio.

Minha esposa reclamou um pouco no começo mas depois relaxou! Vale a pena dar uma olhada no site deles.

http://petrovkalofthotelmoscow.com/

Raquel
RaquelPermalinkResponder

Junior, quando fui à Rússia, em setembro de 2009, encontrei outra brasileira, que estava em um hotel muito mais central e com preço mais em conta que o meu: Melody hotel, perto da Arbat. Ela tinha gostado bastante. Agora o preço, é aquilo... Rússia.

http://www.tripadvisor.in/Hotel_Review-g298484-d878394-Reviews-Melody_Hotel-Moscow_Central_Russia.html

Junior
JuniorPermalinkResponder

Pessoal, obrigado pelas dicas!
Cheguei a olhar as indicações de vocês, mas acabei reservando um outro, o Red Zarya ( http://www.booking.com/hotel/ru/red-dawn.en.html ). Ele é um design hotel com somente 8 quartos e bem avaliado no booking.com, com a maior reclamação sendo do barulho do bar/boate que funciona no 1o andar nas noites de sexta e sábado. Como eu tenho sono pesado e espero estar fora aproveitando também a noite desses dois dias, acabei relevando isso. Ah, a localização é bem central, na ilha do rio Moscou, do outro lado da catedral do Cristo Salvador e do Kremlim.

Eneida
EneidaPermalinkResponder

O hotel com melhor custo/beneficio/localização que encontrei e afinal me hospedei foi o A1. Fica à uns 10/15min à pé da Praça Vermelha e é confortável para nossos padrões. Quarto amplo, cama confortável,banheiro idem, preço acessível para os padrões da cidade.

Andressa
AndressaPermalinkResponder

Pessoal, preciso de ajuda!
Meu marido e eu faremos um cruzeiro pelas capitais bálticas em junho, com um dia de parada em S. Petersburgo.
Como estou achando as excursões do navio caras e sem graça.
Será que alguém sabe se os taxis são muito caros do centro até a cidade? Existem agências oferecendo passeios no porto? Preço acessível?
Agradeço muito a colaboração.

Andressa
AndressaPermalinkResponder

Respondido pelo Ernesto, muito obrigada!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Estou fechando uma viagem pro LEste Europeu e Russia. Vou fazer tudo por minha conta. Como já conheço Praga e não tenho muito tempo, Estou querendo Descer em Budapeste, pegar o trem até Viena. De Viena um voo até Moscou e de lá, um trem até St Petersburgo. Vou ficar 3 dias em cada uma das duas primeiras cidades (cada) e 4 dias em cada uma das últimas. Pergunto:
Alguém já fez esse roteiro? Começo de setembro é uma época boa? Alguma dica?

obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Setembro é uma época ótima para ir à Europa. O roteiro faz sentido.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Rafael, vc achou um ótimo jeito de ligar Moscou às outras cidades da Europa (exceto St Pete)pq já pesquisei os preços de passagem entre essas cidades e a única passagem com preço low cost é Viena-Moscou. Excelente!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Georgia, eu moldei o roteiro de acordo com as disponibilidades e preços. De/para Budapeste os voos sem escala de/para Russia são raros e maia caros. Pra/de Viena são mais faceis. Como não tem diferença de preço saindo do Brasil pra Viena ou pra Budapeste, montei o roteiro assim.
Obrigado pela ajuda.

Silvia
SilviaPermalinkResponder

OI, Rafael!

Fui em outubro do ano passado para Budapeste e Viena, ficando 3 noites em cada uma.
Em Budapeste ficou bem corrido, principalmente pq chegamos no fim da tarde. Tente ficar próximo do Deak Ferenc ter, que me pareceu o melhor ponto da cidade.

O trem para Viena foi ótimo. Comprei no site da OBB.

Me avise se quiser mais dicas.

Beijos,
Silvia

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá Silvia!
Obrigado pela dica de lugar de hotel em Budapeste. Vou Ficar no Marriot Budapeste (que é muuuito bom) e fica a 600 m do Deak Ferenc ter.
O trem, vc comprou nesse sentido mesmo? Budapeste para Viena?
Não cosneigo achar Budapeste nos destinos no site da OBB.

Obrigado pela ajuda!

Clarice R.
Clarice R.PermalinkResponder

Transiberiana, alguém já se aventurou? Estou pensando em sair de Moscou e ir até Pequim, passando pela Mongólia. Alguma dica de quem foi?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Clarice! Perguntaram isso por aqui; dê uma espiada nas dicas: https://www.viajenaviagem.com/e/asia-a-z/comment-page-1/#comment-63473

elcio
elcioPermalinkResponder

Estive em abril... minhas dicas:
SÃO PETERSBURGO: Hotel Ibis - excelente localização, barato, ótimo café da manhã.
Fiz Peterhoff, Catarina e city tour com a empresa Red October com guia falando português. O passeio durou nove horas e pague 400 dólares para um casal - tudo perfeito.
Ballet no Mariinsky - para quem gosta é imperdível.
MOSCOU: Hotel Novotel - excelente localização, bons quartos, achei caro.
Circo: verdadeiro espetáculo!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá pessoal.
Uma duvida pra quem entende de sites de trem na Europa.

Estou tentando comprar uma passagem do trem Sapsan que vai de Moscou a St. Petesburgo.

Pela site da waytorussia.net sai por 139 dolares
Pela site russianrails.com sai por 157 dolares

Até ai tudo certo. Uma diferença de 10% "entendivel".

Por experiências antigas sei que o site da Raileurope.com.br tem passagens mais caras, mas é tudo em português. Acabei de tentar e pra minha surpresa, o trecho (claro que mesma data e mesmos horarios) sai por 96 reais!!!

Será que existe alguma pegadinha ai que não estou percebendo?

obrigado a todos

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Não fique só no preço anunciado. Confira as taxas.

Se for usar a Rail Europe com br, compre com pelo menos três semanas de antecedência. Muita gente reclama de atrasos e falta de atendimento pós-venda:
https://www.viajenaviagem.com/2010/10/direito-de-resposta-da-rail-europe/

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá Ricardo!

Eu fui até o final da compra, na hora do pagamento, e existe uma taxa de correio mas o total fica em 112 reais. Nada comparado aos 139 ou 157 dolares dos outros sites. Eu tenho 2 meses e meio pra viajar. Mas ainda acho a diferença muito grande e estou um pouco recioso. Vamos ver se alguém mais sabe sobre o assunto.

obrigado

Roberto Hoffmann

Rafael, vai no site da companhia russa (www.rzd.ru) e descobre o preço oficial do bilhete. O problema é que o site está em russo, mas usando o google translator dá pra quebrar o galho com dignidade. Usa o teclado virtual do site pra escrever o nome das cidades, ou tu tens um teclado em cirílico em casa? smile
Se tu tens alguns dias na Rússia, antes de pegar o trem, dá pra comprar na própria estação. O site mostra a disponibilidade de assentos. É só anotar o número do trem, horário/data e mostrar no guichê. Sem mistérios e pagando o valor real da passagem.

Arnaldo F
Arnaldo FPermalinkResponder

Cara, compre na Estação, direto na bilheteria. Custa uns 50 euros. Eu quase comprei pela internet, sorte que por algum motivo meu Visa recusou. É MUITO mais barato comprar na bilheteria. Muito mesmo.

O trem é ótimo, totalmente bilíngue, os textos digitais, o sistema de avisos sonoros, tudo em inglês também.

Conselho: ACEITE o serviço de táxi que o próprio trem oferece quando se está chegando perto da estação. Fui mega roubado em Moscou (eu peguei o Sapsam no sentido contrário ao seu), paguei 2 mil rublos de táxi clandestino (depois que percebi), em uma corrida que seriam uns 500 rublos.

Arnaldo F
Arnaldo FPermalinkResponder

Uma coisa: na estação Moskosvkyi, em Sank Peter, percebi que ninguém falava inglês. Mas nessa hora tem de correr atrás. Percebi que a estação possuía um Business Center. Fui lá e a atendente falava inglês. Expliquei meu caso para ela e pedi que ela escrevesse em um papel, em russo, o dia e hora que eu queria viajar para Mãskvã.

Levei esse papel à bilheteria e a moça teve a maior paciência comigo, comprei a passagem normalmente.

Creio que foram menos de 50 euros, não lembro bem, mas achei MUITO barato. E o trem é ótimo, moderno, lembra os TGVs. Havia neve nos pinheirais... bem bonito.

Maíra
MaíraPermalinkResponder

Sempre uso as dicas do VNV quando vou pra qualquer lugar do mundo, mas sobre a Rússia senti falta de mais informações! wink Já dei uma busca nos blogs e links indicados e estou programando uma viagem com outras 3 pessoas mês que vem. Na volta, passo pra dar notícias! Bjs!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá Maira,

sua viagem está programada pra quando?

Maíra
MaíraPermalinkResponder

Olá, Rafael. Embarcamos dia 11 de Agosto e retornamos, via Madrid (conexão de 24 horas), no dia 21.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olá Maíra, vou pedir suas dicas então. Elas serão muito importantes pra mim, embarco dia 26! Boa Viagem!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Maira, pode nos mandar suas dicas?

Viajo na sexta

Obrigado

Arnaldo F
Arnaldo FPermalinkResponder

Estive em meados de outubro de 2010 em São Petersburgo e Moscou, sozinho, a passeio.
Na imigração, tudo ok. Dei o passaporte brasileiro, eles carimbaram e fim de papo. Nenhum estresse. O fim do visto é o máximo (argentinos e venezuelanos também estão isentos).
Ao contrário do que falaram aqui, não achei os russos nada grossos, nem mal humorados. Pelo contrário, foram sempre muito simpáticos. Muito mesmo. Eu rasguei sem querer (óbvio) uma nota de 2 mil rublos na hora de pagar uma conta e a moça do caixa saiu correndo, voltou com uma fita adesiva e cuidadosamente colou as duas partes, aceitando a nota como pagamento e me dando o troco. Soltei um dez 'spassibã', quase beijando a mulher.
Outra coisa: cruzei com montes de gente falando inglês. E os camelôs de Moscou falam italiano (mistério total para mim).
Moscou é ultra-cara, como falaram. Londres é pechincha quando comparada. Mas Sankt Peter é bem mais barata.
Conhecer o som das letras em cirílico é essencial. Nada que umas duas tardes de estudo não resolva. Muitas palavras são idênticas ao português, como plataforma, bistrô, bank, cassi (caixa de pagar). Ajuda muito.

Um ponto ruim? As autoridades russas (polícia) dão medo. Principalmente em Moscou. É bem tenso.

Confesso que não andei de metrô por medo de fazer algo errado e acabar preso. A gente SEMPRE faz coisa errada no metrô sem querer. Em Berlim validei um bilhete de 5 dias do lado errado, podia ter sido multado, a mulher da bilheteria quase me bateu quando mostrei, tive de comprar outro bilhete; em Budapeste fiz o mesmo e levei uma multa absurda pagando o mico com os guardas enfezados, mas ri de tudo. Em Moscou temi as consequências...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar