Telefonando do exterior: todas as possibilidades

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Telefonando do exterior

Depois de um ano e meio sem tocar nesse assunto, já está mais do que na hora de fazer um post atualizado. Até porque esse assunto de telefonia muda com uma velocidade espantosa. Vamos lá. Você vai para o exterior e quer se comunicar com o patropi. O que você faz?

Roaming internacional: cuidado!!! Não  é porque a sua operadora oferece roaming internacional que você vai sair usando. As tarifas costumam ser extra-estratosféricas. Só vale a pena caso você consiga um plano especial e bacana da sua operadora para roaming internacional. Ligue antes de viajar e leve um lero com a atendente para ver se está rolando alguma promoção camarada. (E lembre-se que para RECEBER ligações você TAMBÉM paga roaming.) Sem esse planinho especial, limite sua comunicação com o seu celular a torpedos.

Roaming de dados: vade retro!!! Acessar a internet no exterior no celular pela rede telefônica com o seu chipzinho nacional pode levar você à falência na volta. Ao desembarcar fora do país, DESATIVE O ROAMING DE DADOS IMEDIATAMENTE. É tão caro que as operadoras chegam a AVISAR que você pode ir à bancarrota se ficar checando email dessa maneira.

Chips locais (simcards): é umas. Se você vai ficar muito tempo num país e quer fazer ligações locais (tanto para estabelecimentos, como para companheiros de viagem que não estejam grudados em você o tempo todo), pode valer a pena investir num chip local pré-pago. Fora do Brasil, ninguém chama chip de telefone de chip: é simcard. As ligações para o Brasil não vão sair baratíssimas, não, mas vão sair mais em conta do que no roaming internacional. O melhor mesmo é para falar com outras pessoas no mesmo país. Pegadinhas: se você estiver fazendo uma viagem picada pela Europa, o seu simcard vai pagar roaming internacional a partir do próximo país. E recarregar de créditos não é muito fácil fora da base.

Chips locais (simcards) + número Skype in. É a dica que tinha sido dada pelo Frugal Traveler do NY Times e que eu passei adiante ano passado. Você compra um número Skype e daí redireciona as chamadas deste número para o número do simcard local. É útil para quem precise receber muitas ligações e não queira que os amigos façam chamadas internacionais. Mas atenção para a pegadíssima: nos Estados Unidos é roubada, porque você paga pelas ligações recebidas, e elas chegam como internacionais.

Smartphone + Skype + wifi: IMBATÍVEL. Mais cedo ou mais tarde você vai comprar um celular moderninho, não vai? Então compre logo. Em viagem ele será utilíssimo. Basta você abrir uma conta no Skype, comprar créditos, e fazer suas ligações de ambientes wifi. Pronto: as tarifas são baratíssimas, você não deixa de falar com os de casa. Você viaja com o seu chip mesmo -- só precisa se lembrar de não fazer ligações pela linha telefônica nem atender ligações do Brasil. Mande o pessoal mandar torpedos e você chama assim que estiver num ambiente wifi.

Cartões telefônicos: chatos, mas funcionam. Em muitíssimos lugares  você continua achando cartões telefônicos que permitem ligações com superdescontos. São vendidos em bancas e funcionam em orelhões. Você precisa raspar um código, enfrentar uma gravação e digitar mil números e senhas. Mas que são baratos, são.

Brasil Direto: assistência em português. A Embratel tem um serviço de DDI a cobrar ou por cartão, operado por vozes gravadas ou operadores ao vivo em português. Os preços estão aqui. Não acho tão barato assim, não.

Locutórios. Na Argentina você vai encontrar um em cada quadra. São ótimos para falar com o Brasil: as ligações são muito baratas. Na Europa você também vai encontrar postos telefônicos ou cybercafés equipados com Skype nas proximidades das estações -- onde houver mochileiros e migrantes, sempre vai haver postos telefônicos.

Esqueci alguma coisa? Você pensa diferente? Dê seu pitaco, pufavô.


277 comentários

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Boia, olá!!! Tenho uma questão bem específica e queria tirar uma dúvida: minha filha (menor) vai ficar 3 semanas em Dresden para um curso de alemão. Queria saber qual seria a melhor forma (com melhores custos)para ela ter acesso a dados e celular de lá! Grata !

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kamila! Comprando um chip local. Os mais baratos são da Lycamobile.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar