A mais bela das derrotas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Hajj colorado

Claro que eu não tô feliz. Mas eu não tô arrasado como a maioria dos colorados, não.

Um dos 14 ônibus da Freeway Sports

Porque eu viajei pra assistir a um campeonato. E quando cheguei aqui nos Emirados, descobri que na verdade estava participando de um hajj.

Hajj colorado

Hajj é o nome que os muçulmanos dão à peregrinação a Meca que eles precisam fazer uma vez na vida. Pois o que aconteceu aqui nos Emirados foi um hajj colorado.

Hajj colorado

Entre 5 e 10 mil pessoas, dependendo da contabilidade de quem você acredita, coloriram os shoppings e os calçadões de Dubai de vermelho e fizeram do estádio de Abu Dhabi um pequeno Beira-Rio. Ou um Beira-Golfo. Mar Vermelho!

Hajj colorado

Hajj colorado

Encontrando amigos na fila: o Thales, o Leandro & sra.

Nunca antes na história desse país (sim, a prosperidade econômica e o real valorizado têm muito a ver com isso) um time de futebol mobilizou tantos torcedores numa peregrinação a um lugar tão distante.

Hajj colorado

Hajj colorado

A fila à minha frenteA fila atrás de mim

Sabe-se, no entanto, que de vez em quando ocorrem acidentes nos hajjs em Meca. Há confusões, pisoteamentos, feridos, mortos. Mas isso não torna o hajj uma experiência menos transcedental para um muçulmano.

Valdomiro na embaixada da Freeway Sports

(Bater um papo com o Valdomiro, um dos maiores ídolos da história do Inter, como eu bati na embaixada colorada que a Freeway Sports e o Inter montaram no hotel Ramada Chelsea, vale quanto? Para outras coisas existem todos os outros cartões de crédito.)

Hajj colorado

O radinho distribuído pela Rádio Gaúcha

Hajj colorado

Fernanda Zaffari, da Zero Hora

O hajj colorado a Abu Dhabi não acabou exatamente como a gente imaginava, mas quando a dor da derrota passar vai ser lembrado como o momento mágico em que algo entre 5 e 10 mil pessoas viajaram entre 14 e 24 horas de avião para invadir um país e um estádio. Na minha escala de valores isso é tão valioso quanto qualquer título que se possa conquistar.

(E sempre lembrando que, em 2006, nós fomos o Mazembe do Barcelona. O vexame de ontem é proporcional ao tamanho que o Inter tomou desde então.)

Hajj colorado

Foi mais ou menos o que aconteceu -- só que em âmbito doméstico -- com a torcida do Corinthians, que em 1976 invadiu o Rio de Janeiro e depois Porto Alegre e, mesmo tendo amargado mais um ano de fila, jamais vai esquecer aquelas viagens. Perder foi apenas um detalhe de uma aventura de proporções épicas.

Ramada Chelsea, Dubai

Caso o seu time algum dia lhe ofereça a oportunidade de fazer um hajj, e você tiver condições de ir, não deixe a oportunidade passar.

Os colorados que estão aqui em Abu Dhabi ainda saíram no lucro: ganharam uma noite bem dormida, longe das buzinas azuis que devem estar sendo ouvidas até agora no Rio Grande.

Para nós o hajj futebolístico pode ter acabado, mas o hajj turístico continua.

Como eu disse pra Fernanda Zaffari, ao vivo na Rádio Gaúcha: sábado, dia livre para compras.

Eu no hajj colorado

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

76 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Marcelo Chile
Marcelo ChilePermalink

Por ser chileno... tenho um grande carinho pelo Inter de Poa... Graças a Don Elias que nos ensinou a ser um pouco colorados...
mesmo sendo São Paulino de outro grande chileno Roberto Rojas...
Belissimo texto... parabens... e curta muito... só quem esteve lá sabe o valor que tem.. perdendo ou ganhando... Marcelo.

Alice
AlicePermalink

Muito legal o texto Ricardo. Isso é que bonito no futebol, nem sempre vence o melhor. E esse papo de vergonha é puro preconceito contra os times africanos, ou estão achando que os clubes brasileiros são a elite mundial do futebol?

luis r.
luis r.Permalink

q galera é essa???

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

O povo educado do blog do Juca Kfouri... é da natureza dos comentaristas de blog de futebol (e de política). Estou limpando...

Patrícia B. Maia
Patrícia B. MaiaPermalink

Acho que estamos no blog errado sad era p/ ser sobre viagens mas os sem noção estão por toda parte... e o pior c/ agressões.

Val
ValPermalink

Nossa...o Juca Kfouri pos o lik deste post e os gentis e educados cavalheiros apareceram...
Credo!!!

luis r.
luis r.Permalink

ah, então foi isso...
tenso!!! :p

Alice
AlicePermalink

smile

Alice
AlicePermalink

Ou então é culpa do Tio Google...

Val
ValPermalink

Riq, pelamor, fecho os comments desse post!!!

Ariane Lazzari Aver
Ariane Lazzari AverPermalink

Eu amo muito o seu blog, uma vez que amo viajar!!! Concordo plenamente com o que você escreveu. Apesar da derrota no campeonato mundial para o Mazembe (prefiro assim do que tomar de 4 do Analolina na série B), gostaria muito de ter ido (desde 2006 era certo que na próxima oportunidade acompanharia o Inter na sua próxima jornada, mas imprevistos acontecem). Com certeza, quem foi também não se arrependerá, agora podem estar lamentando, mas logo, logo, irão ver como foi legal unir o útil (torcer pelo Inter) ao agradável (conhecer um lugar que talvez não estivesse nas primeiras opções de viagens de suas listas)!! Afinal não é só de vitórias que vivem os times, vide aqueles que se orgulham de uma partida da série B!!
Sinto muito que este post, que é para ser de viagens, virou baixaria, mas aqueles que há mais de 10 anos não ganham nada estão descarregando toda a sua inveja em qualquer lugar onde se fala em Inter, afinal eles sabem que, antes de perder o jogo de ontem, vencemos mais uma libertadores!!! É uma pena que nem todos saibam cornetear de maneira educada, sem ofender os adversários!!! Quem sabe, Ricardo, no ano que vem não nos encontramos no Japão!!!

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

Riq, que tal bloquear os comentários deste post?

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Já providenciei smile