Conexão apertada, mala, precaução e bobeira: uma história real :-)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Aeroporto de Munique

Acabamos de chegar a Munique, via Lisboa, pela TAP. Deu tudo certo. Na imigração em Lisboa há um esquema que tira da fila comum os passageiros de vôos que entram em procedimento de embarque (a fila da imigração fica igual a um check-in de companhia aérea, com um funcionário recitando os vôos da vez). Conseguimos pegar a conexão sem atropelos. Nossas malas chegaram no mesmo vôo da gente.

Eu sabia, porém, que se tratava de uma operação de risco. O intervalo entre a chegada do vôo em Lisboa e a partida do vôo para Munique era de apenas duas horas. As cias. aéreas gostam de oferecer as conexões mais imediatas, mas nesses casos um pequeno atraso pode causar uma grande dor de cabeça. Se você estivesse nessa situação e perguntasse a minha opinião, eu recomendaria que você remarcasse a conexão para um horário mais folgado e se programasse para um pequeno chá de banco no aeroporto.

A minha escolha era consciente. Sabendo que a possibilidade de dar zebra não era negligível, tratei de me precaver. Montei uma malinha de mão com o básico de que precisaríamos nas primeiras 48 horas: luvas, gorros, dois blusões e jogos extras de camisetas, meias e roupa de baixo. Ah, sim. E uma nécessaire com coisas que podem passar pelo raio x (desodorante bastão, produtos em tubinhos de menos de 100 ml). Um pouco antes do desembarque final, tiramos os suéteres para vestir.

O problema era que "a mala de mão" na verdade era "a quarta mala de mão". Carregamos outras três mochilas (duas com laptops, uma com câmera). E mais dois casacões que foram fora das malas.

Resumindo a história: ao sair do aeroporto (ou do saguão das esteiras, ou do guichê onde compramos o passe de transporte público), acabamos deixando a mala de mão para trás.

Ou seja -- a TAP não perdeu nenhuma mala nossa, mas a gente acabou perdendo a mala de mão que a gente tinha feito pensando na possibilidade da TAP perder nossas malas! mrgreen

Era uma malinha bonitinha, dura, de rodinhas. Só demos por falta dela no trem, quando tivemos a idéia de tirar as luvas para vestir... Se ninguém afanou, a essas alturas já deve estar incinerada, coitada. (Espero não ter causado nenhuma interdição de alguma ala do aeroporto de Munique.)

A história é engraçada mas, ironia do destino à parte, acho que o mais importante é de novo lembrar como a gente fica vulnerável nesse primeiro dia de viagem depois do stress de embarque, imigração e uma noite maldormida na classe lata de sardinha. A possibilidade de a gente marcar bobeira é alta, não importa o nosso nível de experiência (até porque, quanto mais experiência, mais presunção, concordam?).

E você? Já marcou alguma bobeira injustificável no comecinho de viagem? Me console por favor!

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

94 comentários

Arthur | Agora Vai

Já, quando fui para Dubai e Jordânia, deixei para fazer as malas no mesmo dia da viagem, peguei o táxi 15:00 e dei de cara com um engarrafamento na Linha Vermelha. Perdi a ponte aérea 16:15 para SP (de onde sai o vôo da Emirates) por UM minuto. Acabei tendo que comprar outra passagem RJ-SP. Ainda bem que o vôo GRU-DXB era só 01:30.

diogo
diogoPermalinkResponder

já. na minha primeira viagem transoceânica sozinho, em mil novecentos e guaraná com rolha, fiquei tão alucinado com "não largar o passaporte de jeito nenhum" que somente larguei-o por uma questão rápida e de necessidade física: na hora de fazer pipi antes de embarcar, já na área de embarque. deixei na minha frente, numa espécie de apoio em cima do mictório, fechei a calça e sai. mas um tiozinho bem querido que tava no mesmo voo que o meu e entrou no banheiro logo em seguida da minha saída, fez o favor de me entregar. bjo pro tiozinho!

Carlos Alberto

Agora é relaxar e aproveitar... Todo mundo já perdeu, ou um voo ou uma bagagem... Fiz check-in no Galeão, despachei bagagem, e fiquei de papo na porta da sala de embarque, pós reveillon, qd entrei, a mala voltou pra casa, ou melhor para o aero de destino, já eu, fiquei aguardando na fila de espera para um novo embarque, por isso, passei mais uma noite, saí e me diverti, só embarquei no dia seguinte, somente com a bagagem de mão, por sorte a camisa que eu estava era dupla face, então virei o lado e ruaaaaaaaa. Sugestão: adquira conteúdo para mais um maravilhoso "Viagem na viagem".

Mariana "de Toledo" (@merel)

PUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUTZ!

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Eu tambem tive a mesma reação na metade do post: puuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuutz!

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Ricardo, uma curiosidade, já que daqui a uma semana irei a Lisboa pela Tap, na tal classe "lata de sardinha".

Teu voo foi num A330 ou A 340? E que tal a classe econômica?

Dri
DriPermalinkResponder

Meu voo SP-OPO com a Tap foi muito bom. Serviço de bordo atencioso, comida ok e um avião novinho com sistema de entretenimento mt bom. Tenho 1.66m de altura, então classe lata de sardinha não costuma ser um problema mt grande pra mim...

Ricardo Freire

Não prestei atenção no "modelo" do Airbus não... A configuração era 2-4-2. Enquanto o passageiro da frente não reclina o espaço é bom, dá até pra trabalhar no laptop. Quando o cara reclina fica apertado. Mas é mais confortável que American ou United, que eu me lembre. (A sardinha não é da cia., é da classe, mesmo...)

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Tens 99% de chance de resgatar tua mala esquecida em Lisboa
SE tiveres uma foto dela e/ou estiver etiquetada. Eles guardam tudo no depósito , e aprobabilidade de alguem ter afanado creio que é pequena, vale tentar contatando c/ o escritorio da TAP e com o proprio aeroporto.
Ou se vcs forem voltar por LIS , passem no depósito de bagagem.

Ricardo Freire

A gente embarcou e desembarcou com a maletinha! Deixou no aeroporto de Munique mesmo smile

Aline
AlinePermalinkResponder

Riq, embora o aeroporto de Munique fique MUITO na contramão, acho q as chances de vc voltar lá e encontrar sua malinha intacta esperando por vc são gigantescas!!! Eu esqueci um guarda-chuvas e quando voltei ele estava lá me esperando!!! E minha mala só chegou em Munique 12 horas depois da minha chegada, e ela foi guardada e enviada direto p o meu hotel em Berlin (cheguei em Munique mas parti para Berlin em menos de 10 horas depois de trem, só voltei p Munique quase 15 dias depois), mas aí eu deixei o aeroporto ciente de que minha mala havia sido extraviada...
O povo de Munique é tão educado q aposto q ninguém tocou no que vc esqueceu!! O que mais esperar de um povo q declara até q está levando café na bagagem?!?!?

Marcie
MarciePermalinkResponder

Eu já esqueci passaporte no guichê do Tax Free. Depois que quase-tive-um-troço-e-quase-apanhei-do-marido voltei lá e ele estava lá, solitário, ignorado por tudo e todos, me esperando. Uffa! A cena do baixinho tentando bater em mim não ia ser bonita... wink

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Bom, minha bobeira pós-viagem foi de ter deixado a marcação do primeiro hotel (eu estaria de carro no destino) para fazer em Guarulhos, antes de embarcar para Paris via Porto. Problema é que eu reservei Ibis perto do Charles de Gaulle e eu ia descer em Orly. E fui com o carro, depois de 23 horas e 3 conexôes, todo alegre para o Ibis Orly, só para ser informado que meu hotel, na verdade, era do outro lado da metrópole, em pleno horário do rush noturno e eu muito exausto pelo vôo. Lá fui eu aprender a usar o novo modelo de GPS na marra e na hora.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Fiz IGUAL!

Reservei Ibis Charles de Gaulle e desci em Orly. 60 EUR de táxi e eu estava bem entregue do outro lado da cidade... Inexperiente demais o menino.

André
AndréPermalinkResponder

E ainda por cima vc ficou sem aquele lugar vazio ao seu lado, durante o vôo transatlântico...

Aninha
AninhaPermalinkResponder

Eu peguei uma conexão de apenas 2 horas em Paris no Charles de Gaulle, com um bebê de 4 meses no colo e quase desmaiei de tanto correr para não perder o único vôo para o Brasil naquela noite.
Imagine isso com duas bolsas grandes, filho preso no canguru e um mega mantel?

Os funcionários do aeroporto foram me ajudando a cada setor, foi incrível, até seguraram meu filho para eu poder tirar minhas botas.

Chegamos a tempo de embarque, mas fomos os ultimos pois a inteligente aqui não imprimiu o cartão de embarque do filho.
E enquanto a funcionária prestativa tentava encontrar o nome do meu menino no sistema, peguei o celular para falar com o marido, esqueci lá mesmo e até agora sinto muitas saudades. Hahahahahaha...

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Puxa Riq! Pelo menos são coisas mais tranquilas de repor, né! E ninguém deu dica de shopping em Munique! rsrs! Perto da Marienplatz você deve encontrar tudo o que precisa, tanto em lojas boas quanto em lojas de departamentos (tem uma perto da Apple Store).

Minhas bobeiras são no retorno. Na ida, eu vou parecendo uma portadora de TOC (Transtorno Obcessivo Compulsivo), conferindo a mesma coisa umas 436 vezes.

2004 - Na volta pra casa, aeroporto Charles de Gaulle, duas malinhas de mão + casaco muito querido, fui ao banheiro e não deu outra: larguei o casaco lá e só lembrei quando o frio apertou.

2005 - Aguas Calientes, depois de um dia em Macchu Picchu e usufruindo das termas da vila (horríveis, não gostei), larguei meu bikini pendurado no chuveiro da pousada.

2010 - Também no retorno, depois de um dia maravilhoso na região metropolitana de Lisboa (Palmela), saímos muito em cima da hora em direção ao aeroporto... enrolando mesmo! Não precisavamos! E como Deus castiga quem deixa tudo pra cima da hora, foram vários atrasozinhos e percalços (tipo o portão de embarque ser um dos mais longes do aeroporto) que geraram uma mega ansiedade, corrida com mochila nas costas até chegar no portão, um voo mega lotado e, depois de horas na lata de sardinha, dores musculares por 3 dias...

Elaine Rego
Elaine RegoPermalinkResponder

Menina, me identifiquei total com a coisa do TOC. Meu problema (ou sorte) é que tenho TOC na volta também.

Nunca esqueci nada, e se esqueci, era algo sem importância, como bateria extra da máquina, cadeados pra malas extras (que vao dentro de outras)...etc.

Bjs

Orrico
OrricoPermalinkResponder

Numa loucura proletariada de ter menos tempo e dinheiro do que gostaria, que faz a gente emendar uma viagem na outra, programei ida pra São João em Aracaju no mesmo dia que chegava da Colômbia.

Pois bem, saí de San Andrés em direção ao Rio e parei em SP. Primeiro falta de teto e depois um avião da Webjet com cheiro de queimado. Aí aquela confusão, todo mundo sai, reclamação (em compensação eu vi que um casal virou casal no meio da espera!).

Demorei menos tempo da América Central (San Andrés é lá na meiuca!) para São Paulo do que SP-RIO!

Já tinha gastado dinheiro trocando a passagem do Rio pra Aracaju, mas fui mesmo assim, no último voo do dia.

Saí de casa e... engarrafamento. O taxista percebeu minha agonia, usou toda sua sagacidade, cheguei em cima da hora, a mocinha disse que não sabia se ia dar tempo e..... cadê minha identidade?

Ficou com a minha mãe na confusão de SP, naquela de "vc fica aqui resolvendo isso, enquanto eu vou lá resolver aquilo".

Pior, último voo do dia e eu lá, desolado no Galeão. Não desisti, mudei para o dia seguinte, de manhã, no Santos Dumont.

Cheguei lá, já munido da minha identidade. Sem teto para voar. Olhei para um lado, olhei para o outro e pensei "não é para ser". Desisti de Aracaju.

Nati S.
Nati S.PermalinkResponder

a minha foi uma burrada sem tamanho, mas que por MUITA sorte não deu em nada. ainda aqui no aeroporto de guarulhos, indo pra Buenos Aires numa viagem do colégio (eu era uma baby de 15 anos) fui ao banheiro e deixei dentro da cabine cartão de embarque E passaporte!!!! Sorte que alguma boa alma achou e devolveu no balcão de informações do aeroporto... depois dessa eu virei uma obcecada em sempre checar tocentas vezes cada vez que saio de algum lugar (banheiro, poltrona, banco), e tentar ter o mínimo de volumes, sempre! (quanto menos coisa, menos coisa pra perder...)

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Eu fiz parecido à vc, Nati: aos 17 anos, sozinha em Guarulhos numa conexão cansativa vindo de João Pessoa para Curitiba, fui ao banheiro dar um jeito na cara no meio do tempo de chá de cadeira e (no tira-põe necessaire da bolsa) abandonei minha carteira (que só tinha RG e uns trocos em reais). Ficou lá no banheiro uns bons 20 minutos até que eu por acaso me dei conta, voltei esbaforida e a encontrei ilesa. O trauma serve para não dar mais tanta bobeira com carteira, mas ainda assim abandonei uma jaqueta jeans que eu adorava em algum lugar entre Santiago-Curitiba há 5 anos (cheeeio de conexões).

Torço para que a mala seja recuperada: tenha fé!

Ricardo Freire

Precisa não! A mala servia só pro caso das malas grandes serem extraviadas. Não perdemos nada não!

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalinkResponder

Eu quase esqueci meu passaporte numa loja de roupas já na sala de embarque em Sidney. O pior é que eu só daria falta dele quando chegasse na imigigração em Tóquio, mas meu anjo da guarda me deu um toque, e me fez voltar na loja e achá-lo no meio das pilhas de roupa que eu mesma tinha revirado hahahaha!
Credo, não gosto nem de pensar nesse dia smile

Lu
LuPermalinkResponder

Olha, foi uma única vez!! Mas que valeu por mtas!!! Chegando em San Gimignano, à tarde, sem hotel, fomos ao tourist office, que fica na entrada, do lado de fora, numa pracinha, e fomos informados que ñ tinha lugar p/ficarmos. Mas, talvez, em Volterra, conseguíssemos. Mui gentilmente, a atendente me deu o tel do tourist office de Volterra e me indicou a cabine telefônica que ficava em frente, justo na tal pracinha. Pois bem, entrei na cabine, tirei a pochete, COM TODOS OS DOCUMENTOS, CARTÕES, PASSAPORTE, PASSAGENS, E DINHEIRO, e coloquei-a na prateleira abaixo do tel. Qdo a atendente do tourist office me falou que tinha pouquíssimas vagas, e que nós fossemos p/lá o mais rápido possível, desliguei e saí correndo, deixando TUDO p/trás. a estrada de San Gimignano p/Volterra é uma serrinha cheia de curvas. Lá pelas tantas, dei por falta da pochete e dei um grito!! Aí, o meu marido, que aliás pilota mto, fez um cavalo de pau, e voltou cantando pneu. Qdo chegamos, saltei do carro prá cabine, e tinha um alemão saindo da cabine c/a minha pochete na mão. Eu voei em cima dele, coitado, que ñ entendeu nada, pois ele estava justamente indo perguntar se era de alguém que estava por ali. Eu estava tão nervosa, que nem enjoada fiquei c/as curvas!
Realemtne é como o Riq falou, ñ há quem ñ tenha uma estória dessas prá contar ... é parte do acervo pessoal.
Aproveite, Riq!
Bjs,
Lu

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

Essa foi a melhor!!!! pobre alemão!!! rsrsrs

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Riq, logo vcs???
Lembrei de vcs em BA , acho que esse ano, que, estando em Ezeiza tinham de tomar o voo pelo Aeroparque! Foi um stress total, vc mesmo disse...Tá virando rotina...kkk, espero que nao seja efeito da maratona de resorts!
Isso nao vai estragar nadica sua viagem, rendeu até um post!

Ricardo Freire

Blogueiro não pode ver limão que já vai fazendo limonada!

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Ah, também já errei de aeroporto, parece que ser ou nao ser viajado, nao imuniza ninguem de umas trapalhadas!

Maryanne hotelcaliforniablog.wordpress.com

Riq, em tempos de insegurança geral nos aeroportos, acho que vcs tem grande chance de recuperar a mala. Uns amigos meus chegaram aqui em Sao Francisco e na hora de entrar no taxi, largaram a mochila com laptop e todos os passaportes no chao, na calçada do aeroporto. No dia seguinte, depois da quase separaçao do casal de tanto que brigaram, a policia do aeroporto ligou dizendo ter encontrado a mochila, intocada, no mesmissimo lugar que els deixaram. Explicaram que isso é muito comum, pq ninguem chega perto de mala abandonada, por medo de terrorismo. Boa sorte pra vcs! Beijao e boa viagem.

Ricardo Freire

Ah, Maryanne, nem vale a pena esquentar! Não tinha nada de valor na mala (além da própria mala, que era boazinha). Nem nenhum documento nosso. No fim foi bacana pensar que poderia ter sido muuuuuuito pior, se fosse com qualquer outra das mochilas!

Clara
ClaraPermalinkResponder

Mas vem ca, deixaram vc embarcar com tanta bagagem de mao? Hoje em dia, cotuma-se prestar atencao ao numero de bagagens, de porao e de mao...

Edemilson Morais

Viagem para Europa. Uma semana de trabalho, três semanas de férias. Uma mala estilo "mochilão" e mochilinha para dar conta de tudo. Primeira parada, Genebra para o Salão do Automóvel. Mochilão e dinheiro guardados no hotel, mochilinha para idas e vindas do pavilhão. Sempre de trem, que é o principal meio de ligação na cidade. Trem duas, três, quatro vezes por dia e a mochilinha sempre nas costas.

Último dia de Genebra. Correria tradicional das lembrancinhas e (muitos) chocolates suíços. Corro para o hotel, coloco o dinheiro no mochilão corro para o trem. Coloco o mochilão naquele compartimento em cima da poltrona. Destino, Lyon na França. Menos de três horas de viagem. Tempo suficiente para um sono profundo de quem não dorme direito há uma semana.

Acordo no susto, já na plataforma em Lyon. Trem quase vazio. Desespero. Pego a mochilinha, coloco nas costas (não sinto falta de nada) e saio correndo. Desço as escadas. Ouço o trem partir. Percebo que esqueci o mochilão. Corro para plataforma a tempo de me despedir do trem... já bem longe.

Vou para central da estação tentar descobrir o destino do trem. Foi para garagem! “Ufa, menos mal”, pensei. No dia seguinte volto à estação – ninguém sabe; corro para a central de achados e perdidos, pedem meus dados para caso o mochilão apareça. Nada. Desisto? Não, o pior era não ter certeza se a mala tinha mesmo sido esquecida ou roubada enquanto eu dormia. Para tira a dúvida, uma grande ideia.

Fui para delegacia da estação de trem e, em um mal francês, pedi para que vissem o registro da câmera de segurança da plataforma. Não podiam fazer isso. Eu precisa ir a um tribunal para esse tipo de solicitação. Fácil, claro!

Dois dias e nada de mala. Sem mala e com 20 dias de férias pela frente. Desisti de esperar Godot. Comprei tudo novo, o básico pelo menos. Mas na verdade, a dor do coração (e no bolso) foi a perda da grana. Como posso ter perdido o dinheiro de toda viagem???

Bom, além do mochilão e dinheirão, perdi meus dias em Lyon estressado com isso. Hora de viajar de novo. Agora para Paris e de trem e com a mala sempre à mão.

Em Paris encontraria minha namorada que estava vindo de São Paulo. Um encontro romântico e uma triste notícia. Não era justo eu ter contando enquanto ela se preparava para viajar. Poderia chateá-la. Então contei assim que ela chegou em Paris. Um dia sem nos falar...

Depois de Paris foi Bordeaux, Madri, Barcelona, Nice e Roma. Tudo de roupa nova. E dinheiro novo. Minha gerente acabou me salvando a vida e as férias. Devo até hoje para ela – literalmente.
A viagem foi incrível e em Paris já tinha esquecido o que havia no mochilão (além do dinheiro, claro). Desapego total.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Moral da história : dinheiro de plástico e cash sempre colado no corpo , bagagem no trem amarrada com corrente de bicicleta no guarda malas , e tudo fechado com cadeado .

Cristina
CristinaPermalinkResponder

É por isso Sylvia que eu te adoro! Antes de te conhecer, eu já ouvi minha tia que era paranóica ("dinheiro sempre na barriga", qdo volto de viagem sinto falta do porta-dólar!) e a corrente de bicicleta eu passei a usar qdo comecei a ir a albergue (antes eu literalmente ia e voltava toda parada ao bagageiro do trem)! Já fui zoada diversas vezes por minhas amigas chiques para largar a bolsa cruzada no corpo - graças a Deus meu dinheiro sempre foi (e foi gasto) comigo. Felizmente, sem histórias para contar! Só muita correria e eu dizendo "a gente vai conseguir pegar o trem", para ir para Londres, pq queríamos bater mais perna em Paris.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A gente precisa ficar se policiando e lembrando antes, durante e depois da viagem o mantra : bagagem,transporte,hospedagem são apenas um meio , não o objetivo .

Quanto mais simples e pré estudados forem os meios, mais chances a gente tem de atingir os objetivos da viagem .

Simplificar tudo ao máximo reduzindo as chances do Murphy agir só faz aumentar o espaço livre no disco cerebral.

Já pensou passar uma viagem inteira indo conferir a bagagem ?
Passa uma corrente nela e vá descansar :cool:

A gente só chega num lugar quando o corpo e os pensamentos estão na mesma sintonia --> xô preocupações inúteis .

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Sylvia,
Excelente lembrança!
Quando estou planejando uma viagem, todas as minhas anotações começam com o "Kiss Principle" - Keep it simple, Stupid. E eu ainda me pego perguntando se dá para encarar ônibus de Phnom Penh para Siem Reap! eekops:
Bjs,

Augusto
AugustoPermalinkResponder

Fantastica a dica do cadeado de bicicleta na bagagem do trem. Valeu...

Natália
NatáliaPermalinkResponder

Adorei a parte do quanto mais experiência, maior a presunção!
Não lembro de ter esquecido algo assim, no início da viagem não... Mas quando fomos para Aracaju, o Zuco havia saído de Salvador e nos encontramos lá, então ele me disse que havia esquecido de levar a sunga... Sem problemas! Compramos uma outra sunga. Quando estávamos na Van, no meio do sertão rumo a Canindé de São Francisco, ele me diz que havia deixado a sunga na Pousada. Não acreditei!
Por sorte, descolamos uma sunga mequetrefe nas lojas de souvenirs.
Resultado: Até hoje, sempre carrego uma sunga extra, caso precise!
Talvez não tenha lhe consolado, mas é tudo o que eu tenho! haha

Luciana Bordallo Misura

PUTZ! Que droga! Ainda bem que nao foi nenhuma das mochilas com eletronicos! Mas mesmo assim da aquela dorzinha no coracao.

O pior que ja fiz nao foi esquecer nada/perder bagagem, mas nao fazer uma malinha esperta como a sua em conexoes apertadas e acabar chegando ao destino um dia antes da minha mala de verdade e nao ter nada pra usar sad Vivendo e aprendendo...

Curta bastante a viagem, a gente acabou de pegar uma semana de frio em Londres e estamos indo pra geladeira semana que vem (leia-se Michigan e Chicago).

Walter F Leite

Essa sua histórinha é muito boa e bastante interessante para a gente refletir e nunca pensar antecipadamente no que pode acontecer com as imaginações.
Já fiquei sem mala por 5 dias nos EUA mas estava previnido com a mala de mão com coisas básicas.Recebi cinco dias depois e tudo certo.

Simone Lobo
Simone LoboPermalinkResponder

Na nossa primeira viagem com o baby (de 4 meses na época), minha irmã (que nos levou ao aeroporto), perguntou umas mil vezes se havíamos pego a certidão de nascimento dele. Deixei essa parte por conta do maridex, já que eu havia feito todas as malas e mala de bebê é a própria casa nas costas.
Chegando no balcão, a recepcionista perguntava "O bebê se chama Marcos (nome do meu marido)?" E nós (pensando: mas que burra!!!): "Não, é Gabriel!". E foi assim uns 10 minutos, ela nos olhava com uma cara de espanto e nós não estávamos entendendo, até que meu marido, com aquela cara de tacho, percebeu que havia pego a sua própria certidão de nascimento.
Conclusão: NO SHOW, mulher emburrada por umas horas e volta pra casa. Sorte que conseguimos um vôo no mesmo dia, à tarde, e que meu marido é a calma em pessoa e me convenceu de que eram só algumas horas perdidas. Sim, perdemos um dia inteirinho da nossa viagem, pois chegamos em Gramado às 22h quando poderíamos ter chegado às 9h. Mas temos história para contar, né?

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Comigo aconteceu de perder dois (é, dois) cartões de crédito e 100 euros no aeroporto Charles de Gaulle. fiquei com a impressão, pensando depois, que teria sido na fila para a revista, com a funcionaria gritando vite,vite, vite e eu meio apavorada de ter que tirar sapato, jogar tudo da bolsa na esteira com pressa, sei lá. Quando dei por mim, depois de tomar um café aguardando a conexão pra Milão, cadê? Chorei tanto que quase desidratei!! Ainda bem que o maridão tinha cartão. Consegui cancelar os 2 sem problemas com a gerente do BB aqui no Brasil. Stress total visível na primeira foto, já em Milão...

Clara
ClaraPermalinkResponder

Ja ouvi historia horrorosa do Charles de Gaulle. Tem de se prestar muita atencao na bagagens de mao na esteira, pois ja comprovadamente afanaram objetos tipo maquina fotografica. Minha amiga nada boba, rodou a baiana com os franceses, e de repente o que tinha sumido, " apareceu" !

Muito cuidado la e nao deixem ninguem distrair voces. Principalmente quando estiverem com criancas(foi o caso).

George
GeorgePermalinkResponder

Em 1992 estava num roteiro com eurailpass (lembram?),naquelas viagens que quase tudo não dá certo...mudei o roteiro do sul da Itália,ia para Atenas de trem/barco,imagine,ia pegar um trem de Sorrento para Nápoles,outro de Napoles para Brindisi,barco noturno de Brindisi para Patras e onibus de Patras para Atenas.Desisti e acabei resolvendo voltar de Sorrento para Paris de trem via Milão.Acordei (ou melhor nem dormi direito ),peguei a Circumvesuviana de Sorrento para Napoles e um trem de Nápoles para Milão.Dormi em Milão .

No dia seguinte peguei um trem de Milão para Paris.Não é que na fronteira Itália-Suiça ( Brenner ) eu saí do trem para ter um carimbo da Suiça no meu passaporte e nem perguntei DE QUANTO tempo era a parada.Saí do trem só com o passaporte e o dinheiro,sem nada...O que aconteceu? O trem partiu com TODAS AS MINHAS COISAS,passagem aérea,malas,tudo aberto na cabine...e eu gritando para o trem parar,cena que hoje me faz rir...

Sentei no chão da estação e chorei.O guarda veio,perguntou o que tinha acontecido,eu contei,ele tirou uma xerox do meu passaporte e me disse que as minhas coisas estariam intactas no achados e perdidos de Genebra.Peguei o próximo trem...e não é que estava tudo lá,com uma fita crepe ?Até que foi bom,pois acabei indo de avião de Genebra para Paris...

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

hmm.. a maior bobeira eu sei que ainda está para acontecer! wink
Que saco isso da malinha hein??? sad

Mas já perdi voo de volta para o Brasil, porque o shuttle não apareceu e eu tinha marcado meio em cima da hora e depois fui tentar achar um taxi e cheguei lá já com checkin fechado. Por sorte, eles tinham dado overbooking e fiquei dois dias a mais.. em Newark. smile
A Tam já perdeu minha mala e eu não tinha mala de mão e roupa para uma reunião de negocios..

Clara
ClaraPermalinkResponder

Tambem gostei da historia de quanto mais experiancia, maior a presuncao. Eu acrescentaria que tambem menor a capacidade de enxegar.

Pois que estava voando com meu filho de 12 anos para NY, e chequei os passaportes sem oculos. Fiquei mais preocupada com o visto americano e quando fui para a fila da American Airlines, o funcionario exclama: mas o passaportes do seu filho acabou de vencer!

Eu queria que a terra abrisse para me enterrar bem fundo e nao ver a cada de ninguem, foi terrivel. Meu filho, super boa praca ficou calmissimo, meu marido, minha filha idem. Mas eu queria sumir de vergonha, me achei negligente, o escambau. Voltamos para casa, onde passei o fim de semana sem tirar os pes de casa
bem atender telefone e com a ajuda de um funcionario de AA, tirei um novo passaportes para o meu filho, com urgencia, na PF do Galeao, que so funciona em dias uteis. E entao viajamos. Para mim, foi um episodio traumatico, mas aproveitamos muito bem a nossa viagem, felizmente.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

eu vi isso acontecer c/ uma familia na minha frente no checkin da cabo verde na minha frente, sabado de carnaval. ô pena...

Claudio Motta
Claudio MottaPermalinkResponder

Já perdi comprovantes de reserva de hotel, e-ticket da volta e alguns outros documentos em uma conexão apertada em direção a Istambul. O pior de tudo foi que me cobraram tudo na chegada e tive que passar pelo controle da polícia local. Revistaram bagagens e quase perdi minha van para o hotel.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Eu uso uma medida prática: não mais de 3 volumes em aeroportos + bagagem de mão. Em geral, eu uso aqueles "money collar" (o money belt que vc "pendura" dentro da camisa). É meio brega, mas na sequência de check-in, segurança, embarque, reduz o "pacote" de documentos a um. Eu também gosto de contar volumes nos bolsos, como 3 (carteira, iPhone, gps) para conferir sempre, e guardo TUDO o que não é essencial na mala de mão ao invés de deixar lotando o bolso.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Eu também conto volumes! E fico com o número na cabeça! Achava que era a única doida...

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

André, sou do seu time: adoto o breguíssimo "money collar" em aeroportos. E tenho noção do ridículo, mas acho que reduz os riscos.

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Gente
Nunca usei esse money collar, mas, vou viajar, e comprei um prá cada filho(10 e 12 anos). Já está na hora deles se responsabilizarem(sob supervisao, claro) pelos seus próprios documentos!

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Ah, tem aquele casaco bege, de "correspondente de guerra", que vejo muita gente usar...tem 1000 bolsos, dá prá por tudo ali. O problema, segundo a Gloria Kalil, é que envelhece super!!!

http://chic.ig.com.br/como-usar/noticia/agora-para-eles-gloria-lista-os-elementos-de-estilo-que-envelhecem-homens-de-qualquer-idade

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Sabe que eu leio todas as histórias? Já evitei megas furadas em viagem respondendo a pergunta "como vc sabe disso?" com "alguém do blog passou por isso!" wink George, fiquei passada com a sua! Eu acho que tinha um enfarte! Andre L, usando a dica da Sylvia para fazer mala, nunca perdi nada (a não ser uma sandalinha rasteira na correria de deixar o quarto em Fortaleza) - e sempre tive como máxima - levar só o que consigo carregar sem precisar de ajuda.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Eu sou rainha de fazer besteiras no começo das viagens e sempre penso que o Riq vai confiscar meu pin da bóia...mas pelo visto não né wink

Contar tempo errado pra ir pro aeroporto é normal...nunca penso em engarrafamentos na Linha Vermelha...decorar horário errado de voo também já me ferrei com isso...

Nas lembrei do ultimo réveillon em Fortaleza que guardei todos os comprovantes juntos, passagem, hotel, transfer, voucher do convite da festa e na hora do check in entreguei tudo junto pra mocinha e esqueci lá!!!! Descobri dentro do avião faltando minutos pra viajar e foram 3 horas e meia de tensão!!! Eu nem sabia o nome do hotel!!! e como ia convencer o carinha do transfer? Sorte que viajei com as minhas amigas e olha que nunca viajo em grupo, sempre vou só com namorado. E o pior era o convite da festa!!! Foi uma mini confusão mas no final deu tudo certo.

renata
renataPermalinkResponder

Ja fiz uma conexao em FRANKFURT de apenas 30 minutos, tendo que passar pela imigração e tudo.
No final, estavam chamando o meu nome no auto-falante, mas deu tudo muito certo.
Afinal, NAO era TAP.
Era Lufthansa.
Nao era Portugal.
Era Alemanha.
Se não...

Ricardo Freire

Achei o esquema da TAP com a imigração portuguesa excelente. Nâo acredito que te tenham vendido uma passagem internacional com intervalo de meia hora para a conexão com imigração no meio; o seu vôo deve ter atrasado.

Fabiana
FabianaPermalinkResponder

Na minha viagem deu tudo errado em Lisboa. Perdi a conexão pq fiquei muito tempo na imigração. Foram 12 horas no aeroporto, meu destino estava com os voos lotados (acho que era feriado local)..
ótimo as cosia terem mudado. Deve ter sido o volume de ações contra a TAP que mudou o esquema da conexão.
Na minha época foram 10 pessoas do Brasil que perderam a conexão que era de uma hora e meia.
Entrei na Justiça e ganhei uns 3 mil.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

No ano passado fiz conexão em Lisboa na ida para Budapeste. O meu tempo disponivel era bem tranquilo mas percebi que os funcionarios chamaram os passageiros dos voos mais imediatos, o que achei muito legal. Recentemente deixei de comprar uma passagem pela KLM(mais barata) porque tinha uma conexão apertada. Pensei: se fosse a TAP....
Acabei comprando pela TAP considerando a saída de Brasilia e a imigração em Lisboa, que foi muito tranquila.

Karina
KarinaPermalinkResponder

Eu esqueci de pedir o GPS a locadora de carros em Roma, no aeroporto, depois de uma conexao em Paris. Era lua de mel, viajamos 1 dia depois do casamento, estavamos mortos. Na ida para a Costa Amalfitana foi tranquilo, tinha impresso um roteiro detalhado, a estrada bem sinalizada, deu tudo certo.
Ja a volta... foi um caos!! Tivemos que entrar em Roma pois marcamos a devolucao dentro da cidade, que seria otimo pois a loja era super perto do hotel, tudo encaixadinho. Mas, quem anda em Roma sem GPS?? Chegar no hotel ate que nao foi o maior dos problemas, o duro mesmo foi localizar um posto de gasolina para abastecer o carro e depois achar o caminho de volta. Nunca mais!

moacir sampaio

Por sorte só perdi uma "touca" num pub em londres. Mas culpa da cerveja. rsrsrs
Na volta de punta cana como estavamos com varias sacolas do dutty free e atrasados para o embarque pra porto alegre eu despachei uma mala de mão com remedios, camera digital e outras coisas. chegamos em Poa e pegamos nossas malas e saimos. Estavamos prontos para ir embora quando eu me lembro: a malinha.. Voltei correndo. O guarda não queria deixar eu entrar.. expliquei e mostrei o cartão da bagagem.. Entrei e achei ela.. Intacta. Era a última...

Leo
LeoPermalinkResponder

O meu mind hack para nao perder malas é apenas contar o numero de volumes e atribuir responsabilidades. (Tipo: "Você carrega dois e eu três").
Mas... sim... jah achei que estava viajando sem bagagem e deixei a mala no taxi. O taxista, gentil, voltou ao hotel.

Ricardo Freire

Essa de determinar exatamente quem leva qual mala é essencial. Foi nessa que a gente dançou.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

E euzinha que achava até hoje , que a UNICA coisa que temos controle numa viagem é a bagagem de mão .

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Eu tambem, Sylvia! Até porque agora, por viajar muito sozinha, eu tenho um "toc" de ficar checando onde estão minhas coisas o tempo inteiro mrgreen Mas incidentes acontecem, claro. Fico feliz que tenha sido mesmo a malinha sem nada de valor e que os laps e a câmera estejam sãos e salvos, né?

Rogério
RogérioPermalinkResponder

2007, Pais de primeira Viagem com Bebê, resolvem ir para Cancun, em pleno apagão aéreo no Brasil. Mãe muito "precavida" com alimentação do pimpolho, leva nas malas ( tudo embalado em saquinhos do tipo ZIP-Lock ) leite em po, mucilon, sustagem, etc.. para uns 10 dias. Sem contar uns 5 ou 6 potinhos de Papinha nestlê para garantir que o pequeno teria o que comer. Sem falar é claro dos vários casacos, jaquetas e calças compridas, porque afinal, "Não sabíamos como estaria o clima por lá". Como o pequeno vez ou outra ficava gripado, É melhor levar o nebulizador também né?
Resultado: Sem falar no US$ 220,00 de excesso de bagagem (NA IDA) e o medo de ser preso como traficante de pó; o ponto alto foi ao abrir a mala do bebê, constatarmos que 2 potes de "macarrãozinho com carne" haviam se quebrado e ter que jogar fora mais da metade dos casacos, calças, jaquetas....
Surpreendentemente, não fez menos de 30 graus em nenhum dos 8 dias que passamos lá. (Acho que quando for esquiar nos Alpes Suícos, vou levar vários shorts e meu sungão de praia)

[]'s

Laura
LauraPermalinkResponder

Já deixei um casaco de inverno no raio-x. Detalhe: estava indo para Bariloche em pleno inverno. Por sorte, minutos antes de embarcar, o mocinho do raio-x ainda me procurava nas salas de embarque e conseguiu me devolver.

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Nunca esqueci nada, mas tenho sempre a sensação de ter esquecido, resultado .... sofro igual .....

renata
renataPermalinkResponder

Olha só comandante.
Pode conferir no site da Lufthansa.
Se o vôo atrasa...

Istanbul (IST) to Paris (CDG) - qua, jan 12
Istanbul (IST) to Munich (MUC) - qua, jan 12
Lufthansa 1775 Dep: 6:30AM Arr: 8:15AM 2h 45m Airbus A321 Coach (S)
Layover in MUC 0h 35m

Munich (MUC) to Paris (CDG) - qua, jan 12
Lufthansa 2228 Dep: 8:50AM Arr: 10:25AM 1h 35m Airbus A320 Coach (S)

Ricardo Freire

É o limite da irresponsabilidade. Até para quem tem passaporte da UE é arriscado.

Aline
AlinePermalinkResponder

Eu fiz um parecido um voo Rio/Paris/Munique pela Air France. Tinha só 50 minutos entre a Perna Paris/Munique, só q eu não sabia q iria desembarcar em um lugar e pegaria o outro voo em outro ponto MEGA distante!! Resultado, eu e o noivo correndo igual a dois loucos com duas malas de mão pesadas, máquina e laptop, pelo aeroporto!!! NÃO recomendo de forma alguma!!! É enlouquecedor!!! E fizemos a mesma coisa na volt!!
O voo de Munique p Paris atrasou e por isso o voo p o Rio tmb atrasou, resultado, tivemos q andar de carro pela pista do Charles de Gaulle, com um motorista psicopata, um funcionário da Air France MUITO mal humorado e ainda entramos no avião com os passageiros embarcados, todos nos olhando de cara feia pq atrasamos o voo!!! Sorte q mais atrasado q nós estava um casal vindo de Londres q fez com que o voo demorasse mais 20 minutos para fechar as portas!! Pontos positivos, tinha uma família brasileira conosco nessa furada e a imigração demorou uns 3 segundos!!! rs.

renata
renataPermalinkResponder

Estive há uns dois meses em DUBAI
Nao pude deixar de me lembrar de você RIQ.
Na fila da imigração já tinha gente com o "manto sagrado".
Não estou me referindo a abaya, mas sim a gloriosa camisa do INTER.
Se soubesse antes tinha programado a minha viagem para esta época, é mais fresco e teria a oportunidade de participar de trocar umas idéias pessoalmente.
A região de Jumeirah é muito boa para se ficar.
Cuidado com o sol, ele não perdoa pessoas com pele clara.
Não economize o protetor.
Uma dica, se quiser usar onibus e metro compre logo o SILVERCARD
é mais barato e permite a você circular pela cidade de forma rápida eficiente e confortável.
Boa Viagem, vou acompanhar dia a dia até a grande vitória.

Sandrissima
SandrissimaPermalinkResponder

ôxente! Antes de ontem mesmo eu cometi uma bobeira. Como sempre, vou a trabalho para Porto Seguro (eu escrevi a trabalho, gente!). Somente uma bolsa grande de mão (e precavida levo dentro uma muda de peças íntimas, camiseta e pequenos itens de higiene) porque nessa vez voltaria à tarde, mas já aconteceu de perder o vôo. Esqueci que lá no sul é horário de verão. Fiz check in, tomei refrigerante, li um pouquinho e... Perdi o vôo! Há há há! Mais uma vez...

Wallace
WallacePermalinkResponder

Acabei de voltar de Buenos Aires, primeira viagem com o filho de 1 ano. Na ida tivemos a ótima idéia de separar as coisinhas importantes dele numa mala sobrando do grupo para não perdermos de vista e levarmos a bordo. Como saiu do script foi justamente a mala deixada pra trá na esteira de ezeiza. Como ele passou bem a primeira noite sem os itens de estimação deixamos por lá pra ver se a mala ainda existiria na volta em 3 dias. A mala esta muito bem guardada numa sala da Gol, sã e salva.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Na minha última noite em Las Vegas, passei na Wallgreens para uma comprinha final e esqueci meu passaporte no caixa, só dei conta no dia seguinte, ao checar a bolsa para ir embora!! Sorte, que mentalizei e lembrei onde havia deixado. Voltei lá e a caixa tinha guardado. Mas não gosto nem de lembrar...

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Meu "momento" é antes de sair de casa. Principalmente se eu trabalhar até o dia de viajar. Hoje procuro ter um dia de férias antes da viagem de avião só pra me organizar melhor. Já deixei todos os vouchers dos hoteis em cima da mesa da sala, junto c/ o material pesquisado e impresso, xerox das revistas e tudo... A sorte é que duplico e mando pra mim mesma por e-mail. A moça deixou a gente se instalar no hotel, daí foi só procurar uma conexão e imprimir o voucher. Outra coisa q facilita e não vi ninguém falar é deixar as mãos livres. Viajar c/ bolsa traspassada, tipo carteiro, uma mala de mão q vira mochila (a minha é samsonyte, ótima) e voila, vc fica só c/a mala grandona p/ se preocupar, o resto fica pendurado wink Inclusive o porta dolar.

Thais
ThaisPermalinkResponder

To aqui me divertindo lendo o relato de todos, mas deixarei minha história também!

Esta eu e família (pai, mãe e irmã), maio passado em Orlando, se matando de tanto comprar em todos os lugares possiveis, revezando durante 15 dias passeios nos parques e compras debaixo de um calor escaldante!

Até que estavamos no Premium...papai achou melhor aguardar a mulherada fora da loja enquanto compravamos, e nós então achamos melhor deixar TODAS as sacolas das últimas compras (que ainda não tinhamos deixado no carro) com ele....Só que ele se encantou por uma pantufa de pelos rosa para minha mãe...e foi, com todas as sacolas, comprar a bendita....

Voltamos para o hotel....mil e uma sacolas depois....me bate uma sensação de esta faltando algo....KD A CALÇA BRANCA E A CAMISA ROSA QUE EU COMPREI?!?!?!....toca virar o carro de ponta cabeça e passar local a local que tinhamos ido....por sorte o outlet era perto, faltavam 10 minutos para fechar e depois de refazermos nossos passos, assim que chegamos na loja da pantufa a moça nos reconheceu! Ela tinha entregue a sacola para a segurança...retiramos a mesma linda, sã e salva!

Ahhh....sem falar que esquecemos uma mochila com carteira, cartões, etc, dentro do KFC.....voltamos uns 20 minutos depois e tinham guardado sem encostarem 01 dedo!

Viva a responsabilidade americana!!!

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Estava voltando para o Rio, de Boston, com conexão no JFK. Ainda em Boston meu voo tinha um atraso previsto de 30 minutos, e eu fiquei tranquila, na frente do portão, usando meu notebook plugado na saída de energia. Acontece que eu tive um mal estar súbito, empacotei tudo e fui correndo pro toalete passar uma agua na cara, tomar um salzinho e tal, ainda queria comprar uma coca-cola. Quando tava tudo ok, saio do banheiro, tá o aviso: GATE CLOSED. O queeeeeeeeeeeeeeee?? Fui pra frente do negócio e falei que ainda estava ali, aí a moça disse que ficou me "paging", e óbvio que não. Eu teria ouvido. O aviao tava ali colado no finger ainda, eu queria entrar, e ela disse que não podia. Aff! Comecei a chorar. Estava já quase sem dinheiro, 18 anos, sozinha, sem teto e sem ninguém em Boston... até a mocinha peruana d a loja de doces me ofereceu estadia na casa dela...
Eles remarcaram meu voo para o dia seguinte. Minha mala foi pra NY, hehehe. Consegui ficar na casa da prima de uma amiga, gastei meus últimos 50 dolares num taxi maldito, e ao abrir minha mala de mão - que só tinha bugiganga adolescente - notei que faltava o cabo de energia do notebook e um mp3 player novinho. sad sad sad

Pra completar a historia, no dia seguinte o final não foi tão feliz, nem o cabo nem o aparelhinho estavam no aeroporto, e pra piorar o carinha do check in da AA achou que meu visto tava vencido, não sei como fiz pra ele entender...
O meu voo para o Brasil foi uma epopéia. Marcado para as 23h, nada de embarque até às 2h quando nos informaram que a porta não fechava, fomos mandados pra hotel com voucher mixaria, e voo marcado no dia seguinte para 14h. Nisso eu ja tinha feito altas amizades hehehe.
Quando finalmente conseguiram nos embarcar, caí no sono pesado até ser acordada pelo piloto falando que O RADAR DO AVIÃO NÃO ESTAVA FUNCIONANDO e teríamos que voltar, isso com 1h de voo já! Comecei a chorar compulsivamente e dizer que não queria morrer, liguei para os meus pais já em terra dizendo que queria voltar de navio (!!!!!), a situação foi tão crítica que meus amigos feitos na hora tentaram me embebedar, e a aeromoça me presentou com um openbar da AA.... nada mais me lembro!

Gisele Dantas
Gisele DantasPermalinkResponder

Eita, já vi que vc encontrou a malinha, mas tive que contar que uma vez esperando o embarque em Guarulhos esqueci minha carteira na mesa do Pizza Hut com todos os meus documentos, cartões, dinheiro, o bom foi que quando voltei o gerente do Pizza Hut estava com a carteira e com TUDO dentro. Foi emocionante e era o começo de uma viagem incrível. Concordo que quanto mais experiência, mais afobado a gente fica. Adorei a classificação classe lata de sardinha. Hehehe. Boa viagem!!!

Priscila [Inquietos]

Eu já perdi muitos casacos em aeroportos, justamente pq sempre tem a mala de mão, a mochila com computador, o casaco, (na volta) uma sacola com compras mais frágeis.

Minha tática agora é contar tudo. Se estou carregando 5 itens (incluo sempre o casaco na conta), eu fico toda hora contando se eles estão lá. 1,2,3,4,5. 1,2,3,4,5. 1,2,3,4,5. Pareço a louca dos números contando os objetos a toda hora, mas dá certo. Nunca mais perdi nada.

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

hahahah Na verdade fico MUITISSSIMO feliz de saber que isto tambem acontece com você!!! Quer dizer, pode ter soado estranho, não quero que pareça que eu DESEJO que isto aconteça com você. MAs me consola.

Eu procuro me organizar, me planejar e fazer o check list mental. Mas ups, acontece. Ja esqueci a "malinha" de mão da minha filha de 6 meses na ida pra Disney. La tinha mamadeira, chupeta, leite, paninhos, panoes, toda a parafernalia que uma mãe pode precisar para fazer um voo longo com um bebê.

Esqueci em casa. Em cima da cama. Antes de sair para o aeroporto.

tststs

Que bom que voce conseguiu recuerar a sua!

beijo

Pati

Marco
MarcoPermalinkResponder

No aeroporto Charles de Gaulle para ir a Milão e pegar o vôo para o Brasil, quando passei pelo raio x coloquei as passagens junto com casaco, mochila, relógio, etc. Acabei deixando as passagens. A sorte foi que não tinha andado 20 metros quando a esposa me perguntou das ditas.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar