Serviço venda a bordo Gol: novo cardápio, novos voos

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Serviço de venda a bordo GolPOST PATROCINADO -- Você já experimentou o serviço de venda a bordo da Gol? Agora ficou bem mais fácil experimentar.

Primeiro, porque o serviço foi estendido a mais voos. Já são quase 80 trechos em mais de 15 rotas por todo o país.

E depois porque o cardápio acaba de ser renovado.

As três opções principais de sanduíches quentes estão irresistíveis:

Tradicional. Pão de parmesão, fatias de presunto e queijo provolone, molho de azeite e orégano.

Toque Gourmet. Pão de azeitonas, fatias de peito de frango grelhado e queijo gouda, molho de orégano e castanha de caju.

Sugestão do chef. Focaccia, fatias de lombo canadense e queijo emmenthal, molho de mostarda.

Para acompanhar, você pode escolher entre batata chip, castanha de caju e chocolate. Entre as bebidas frias, refrigerantes, sucos, água de coco e água mineral (com ou sem gás).  Prefere uma bebida quente? Tem café com leite, capuccino e chocolate quente.

Avulso, o sanduíche custa R$ 12. No combo com bebida fria e acompanhamento, sai R$ 19. No combo com bebida quente e acompanhamento, sai R$ 15.

O serviço de bordo Gol ainda oferece cerveja (R$ 5), vinho (R$ 15), energético (R$ 10), café (R$ 3), suco de soja (R$ 5) e sopa instantânea (R$ 5).

Você pode pagar em dinheiro ou cartão de crédito. O pagamento é feito a um comissário que não manuseia os alimentos.

Veja todas as rotas em que há serviço de venda a bordo e obtenha resposta para todas as suas perguntas nesta página (clique aqui).

No seu próximo voo, além de uma boa viagem, a Gol deseja bom apetite.

36 comentários

Ale Tricolor
Ale TricolorPermalinkResponder

A maioria das companhias low cost que viajo na Europa oferecem tal sistema. Sinceramente, não sou fã de comida de avião, seja ela gratuita, seja para venda. Mas, como não dá para morrer de fome, fica aqui uma sugestão para a Gol: que tal um sanduiche vegetariano? Os vegs agradecem!

Tiago dos Reis

Ale, segundo o site da Gol, já há opção de sanduíche vegetariano e infantil.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Eu experimentei na ida BSB/SSA e aprovei. Não é nenhuma Bratemp (by Ric freire), mas é melhor que muito sanduiche de lanchonetes de aeroportos.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Há, o serviço é eficiente, ao contrário das áreas de lanchonetes dos aeroportos onde sempre tem fila.

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Veggie também sou, se houver opcoes vegetarianas ,de fato, agradecemos!

Ila Fox
Ila FoxPermalinkResponder

Eu gosto de comida de avião, mas pode ser q ainda tudo é muita novidade pra mim, hehe wink

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Até que enfim apareceram os sanduíches quentes!!!!! Experimentei 2 vezes o cardápio de sanduíches frios, ou melhor, gelados - e caros - e achei bem sem graça.
Além de não ter opções vegetarianas, o cardápio antigo tinha queijo em todos os sanduíches, ou seja, quem não come queijo não comia nada...
Na próxima oportunidade quero experimentar esse novo cardápio.

Val
ValPermalinkResponder

foi oferecido no voo SSA/GIG. não usei mas leve dinheiro trocado, eles avisaram que pagto só com a quantia certa pois não tinham troco!!!

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

não aceitam cartão????

Val
ValPermalinkResponder

sinceramente, não me recordo de ouvir sobre cartão, como não ia usar, não perguntei...mas essa do troco me marcou!

Rosa
RosaPermalinkResponder

No texto acima: Você pode pagar em dinheiro ou cartão de crédito. O pagamento é feito a um comissário que não manuseia os alimentos.

Tadeu Zanoni
Tadeu ZanoniPermalinkResponder

Qdo voltei de Salvador em janeiro não deu para comer muito no aeroporto, cheio de gente e com poucas opções. Meu irmão estava na parte da frente do avião e adivinhem? Faltou sanduíche.... A Gol precisa ficar esperta.
Em julho fui para Fortaleza, saindo de GRU. O embarque foi complicado, com mais de uma uma hora para fazer check-in. Ainda bem que cheguei na fila 2 horas antes. O embarque foi correndo e não deu para comer nada, 11 horas. Tinha venda de sanduíche? Não tinha...A Gol precisa ficar esperta...
Em novembro, novo voo para Manaus. Dessa vez não contei com a sorte. Levei a maior merenda, tanto na ida como na volta...Tinha gente com tangerina na ida, deixando aquele aroma delicioso...

Claudio Motta
Claudio MottaPermalinkResponder

Muitas vezes não temos tempo suficiente para alimentação entre uma conexão e outra. Os "insuportáveis" amendoins, barrinhas de cereais e coisas do tipo são duro de engolir e satisfazer. Sou totalmente a favor do lanche pago. Se é para manter os preços das passagens em níveis mais baixos, não me incomodo em pagar um pouco mais em algo que alimente mais satisfatoriamente.

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Prefiro levar a marmita japa smile

Fernando Castro

O problema é que pagar pela refeição, no Brasil, não significa low cost. Significa que você vai ter um custo a mais no voo. Não aprovo...

Érica de Paula

Endosso o coro que pede mais opções vegetarianas!!! E mais: quando um vegetariano pedir refeição vegetariana, por favor mantenham a sobremesa normal! (Cansei de pedir comida veg e comer laranja de sobremesa, enquanto todos comem mousse de chocolate).

Lugon de Souza

Não me entendam mal, mas fico bastante entristecido ao ver que a totalidade dos comentários até aqui aceita passivamente a imposição de mais um custo aos passageiros.

Se hoje a Cia Aérea (dentro dos seus direitos, diga-se) cobra por um copo d´água e não recebe oposição dos passageiros, amanhã ela certamente vai se sentir livre para cobrar até pelo papel higiênico, pelo tempo de utilização do banheiro, pelo número de vezes que solicito a presença da comissária, pela reserva em poltronas mais confortáveis, ops, quer dizer, isso já existe.

E tudo isso sem resolver os problemas clássicos de violação dos nossos direitos como passageiros.

Como se já não bastasse os constrangimentos a que somos submetidos pelo cartel aeroviário nacional, a existência do over-selling que cínica e erroneamente é chamado de over-booking e o desprezo com que somos tratados quando exigimos nossos direitos, essa nossa posição genuflexória é estarrecedora.

Acho que a gente sofre de um profundo Complexo de Estocolmo e ainda não se deu conta.

Perdoem-me pelo desabafo.

juliana amorim

Eu concordo totalmente com vc!

Tadeu Zanoni
Tadeu ZanoniPermalinkResponder

Vc está certo.

AndreC
AndreCPermalinkResponder

Preciso da ajuda de vcs... fui enganado pelo site HOTEIS.COM! Ao fazer a reserva tinha escrito que o cancelamento seria gratuito, quando a reserva chegou no meu e-mail veio dizendo que a cobrança seria feita imediatamente. Já enviei e-mail mas eles não responderam, a sorte é que imprimi todas as páginas da reserva, até com a data da impressão e lá tá escrito que o cancelamento seria gratuito, mas no site não informa e-mail para o qual eu possa enviar as provas... tem só um campo "fale conosco", mas não há espaço para anexar documentos. Pelo telefone também eles se negam a resolver o problema!! Se alguém souber de algum e-mail me informa, por favor, senão o jeito vai ser procurar a justiça, já que tenho tudo impresso e documentado e eles já vieram cobrando na fatura do cartão de crédito!! Quem puder, me ajude, por favor!!

Ricardo Freire

Fale pelo Twitter, @hoteispontocom , costuma ser o jeito mais fácil de falar com empresas.

O site não cobra taxa de cancelamento, mas os hotéis têm condições específicas para suas ofertas e na maioria das vezes (sobretudo nas melhores ofertas) efetuam débito imediato da primeira diária ou da totalidade das diárias. Isso vem discriminado na última página antes de efetivar a compra. Deve ter sido esse o seu caso.

Márcio Cabral de Moura

Concordo com Fernando Castro e Lugon. Se não incluir um lanche significasse passagens realmente baratas, é até razoável. Não tenho nada a me opor à forma da EasyJet de fazer seus vôos, mas vender passagens caras (normalmente, mais cara que a da TAM) e ainda querer vender comida, é o cúmulo do absurdo.

Um problema um pouco mais sério é a questão da água. Vá lá, que a pessoa passe 3 ou 4 horas sem comer. Mas sem beber água? Pode fazer mal. E venhamos e convenhamos, os preços cobrados pela Gol não são baratos.

Uma outra coisa é a questão da demora dos vôos. Não estou falando de atrasos, não, mas de vôos demorados, como o Recife-Manaus, com escala em quase todas as capitais do meio do caminho, que dura umas 6 a 8 horas. Você ser obrigado a comprar água????

Pior do que isso só não informar que não será servido comida.

Ricardo Freire

O lanche pago não substitui os aperitivos servidos a bordo; o lanche pago complementa os aperitivos para quem quiser pagar.

Salgadinhos, biscoitos doces, refrigerante e água continuam sendo oferecidos em todos os vôos, sem nenhum pagamento extra, inclusive nos vôos que fazem parte do programa de serviço de venda a bordo.

A água vendida no combo é uma garrafinha inteira d'água. A água oferecida com o salgadinho é um copo d'água, como servido por qualquer cia. aérea em qualquer vôo.

Se o copo d'água gratuito não for suficiente, é só pedir ao comissário, que um novo copo será trazido sem custo.

Lugon de Souza

Por enquanto, Riq, mas o que nos garante que no futuro quando essa cobrança virar tradição, já que nos ajoelhamos a ela, a gratuidade não será eliminada?

Daniele
DanielePermalinkResponder

Ricardo,
Sinto lhe informar, mas esta não é a realidade.
Fui pra Foz do Iguaçu agora em Outubro. Na ida, os atendentes passarem primeiro o serviço de bordo pago, e somente depois, quase no final do vôo, eles entregarm um mini pacote de amendoim e para beber só tinha agua ou suco de laranja. Quando perguntado por uma cliente sentada na minha frente pelo serviço gratuito, o comissário da Gol foi extremamente grosso e disse que só passariam se desse tempo após o serviço pago.
Na volta, só tinha agua se você praticamente implorasse para o comissário e só...De resto, só a porcaria do serviço pago que ficou um tempão atrapalhando o corredor.
Eu fiquei indignada com a Gol, e afirmo uma coisa. O valor da passagem vai ter que estar compensando muito pra eu voar com a Gol novamente.

Mirian
MirianPermalinkResponder

Excelente opção para quem viaja com a Gol e não teve tempo de fazer uma refeição antes.

Batatinha e suco: eu nunca aceitava aqueles lanches, achava um absurdo pelo que eu pagava de passagem. Ja cheguei a pagar 1.300 reais ida e volta Maceio-Guarulhos...Quando passavam com o carrinho eu nem olhava: botava meu tapa olho e ia dormir.
Agora quem tivesse com fome mesmo...passava mal...!

Katia
KatiaPermalinkResponder

O voo da GOL
G31600 18MAR11 11:15 Rio-Galeão 18MAR11 13:20 Salvador

Não ofereceu o serviço de bordo gratuito, foi oferecido apenas o serviço de venda bordo. Comissários sem troco, bloqueando por longo tempo o corredor, "atrapalhando" aos que queriam utilizar o sanitário. Posso até concordar com certos valores cobrados, por exemplo aos sanduiches.....mas cobrar R$5,00 por um copo de água que metade é só gelo....ahhh isso não! Por esse valor deveria ser então no mínimo uma garrafinha de água!

No site da Gol, diz que o serviço de venda a bordo não substitui o gratuito...não foi isso que aconteceu no voo citado acima!!!

Vai voar com a GOL...leve sua garrafinha de água!

Sandy
SandyPermalinkResponder

Fui a Fortaleza em 04/07 pela Gol (voo 1610 - partida de GRU às 11h05) e o serviço de bordo não foi cobrado, tendo sido servidos bebida fria, um mini pacote de batatas fritas e um mini pacote de bolacha Mabel (por sorte, levei meu lanche de casa). Nesse voo, houve uma coisa interessante: a despachante marcou poltronas na fila 13 para minha família e para uma outra. No avião, porém, não havia fila 13 (pulava da 12 para a 14)!. Tivemos de esperar todos os passageiros entrarem para ocupar lugares que sobrassem. No retorno, em 13/07, o voo 1073 (decolagem prevista para 9h50)atrasou 40 min. Nele havia serviço de bordo cobrado. Pelo que vi no cardápio, um sanduiche frio custava R$ 12,00, um pacote de salgadinho, R$ 5,00 e um cafezinho de garrafa térmica, R$ 5,00. Só aceitam dinheiro vivo (R$). O serviço de bordo gratuito, dessa vez, foi um minúsculo pacote de amendoim japonês (15 g) e bebida fria. Note-se, assim, que o serviço pago não era apenas um complemento. Substituiu os chamados "aperitivos", se compararmos com o oferecido no voo 1610. Atenção, quem for viajar de avião, prepare-se para ficar em jejum, ou levar dinheiro trocado (muito) para gastar em aeroportos e aeronaves. Alternativa: levar uma lancheira/marmita (minha opção preferida. Pelo menos a pessoa sabe o que vai comer). Acredito que serviço de bordo cobrado é válido se for adicional, tais como cerveja, vinho, latinha de refrigerante, refeição quente (eu disse re-fei-ção e não lanchinho), por exemplo, mas não é o que está ocorrendo com a Gol. Se ninguém aceitar esse serviço pago, eles vão ter de jogar fora os lanchinhos que seriam vendidos a preços exorbitantes. Será que no futuro haverá um banheiro gratuito (sujo, como no voo 1073) e um limpo (pago)? Obs.: o preço da passagem não foi nenhum "low cost". Ademais: teria o atraso do voo ocorrido em função do embarque dos alimentos para serem vendidos no avião?

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalinkResponder

Essa tendência de venda de alimentos veio para ficar. Eu sempre aconselho a usar as salas vips, quando possível. Assim você pode comer e beber gratuitamente e não precisará comprar nada dentro do avião. Outra opção é almoçar ou jantar.
Os produtos são realmente caros, mas achar que o atraso foi por causa deles é mania de perseguição!

Myeisha
MyeishaPermalinkResponder

Chocante e lamentável. Pelo menos um 85% a 90% dos comentários são favoráveis ao serviço de borbo pago. É um absurdo. O desrespeito com os passageiros tem sido total nesses últimos tempos. Nunca antes havíamos tido tamanho constrangimento. Já pagamos passagem e, mesmo em promoção, deve o serviço de borbo estar incluído. Ainda falam como se fosse uma maravilha ou os preços fossem acessíveis. São tão caros quanto os das lanchonetes dos aeroportos. Não é só a Gol, a WEBJET também está com essa prática. E digo mais, deveriam colocar isso em letras garrafais no site. Um combo: sanduichinho, refrigerante, um docinho e mais alguma coisa R$ 18,00 mais caro que um combo do MaCDonalds.
Está todo mundo tão bem financeiramente aqui no Brasil que pode se dar a esse desperdício???
Conclamo a todos os passageiros dessas empresas que têm tal procedimento a levarem seus próprios lanches. Comprem mais baratos em lanchonetes, supermercados fora dos aeroportos e já viajem abastecidos. Duvido que a postura deles não mude.

Leonam Ramos
Leonam RamosPermalinkResponder

Gente, por favor, como se fossem obrigados a viajar de GOL.
Querem conforto, comida, bom tratamento? Escolham outra cia aérea, simples assim.
Sempre que eu tenho condições eu viajo de TAM (qse nunca viajo de GOL), mas nas minhas proximas ferias irei ao Brasil de GOL pq está MTO mais barato que a TAM. Estou rezando para que haja o serviço pago a bordo, pq R$ 20,00 nao mata ninguém e é melhor q comer amendoim.

Danielle
DaniellePermalinkResponder

Acho uma boa ideia esse sistema de venda a bordo, mas acho um absurdo pagar R$12,00 por um pão com presunto e queijo, que na melhor lanchonete não vai passar de R$6,00, fora uma latinha de refri custar R$5,00; simplesmente sem noção.

Pagar R$20,00 por um Trio realmente não mata ninguém, mas a partir do momento que vc paga em um lanche no Burguer King dos mais caros esses mesmos R$20,00; tendo em seu lanche: queijo, presunto, hambúrguer, tomate, picles, molho e afins, alem de refri de 500ml e batata frita; acho q qualquer indivíduo com senso vai concordar que o Venda o Bordo da Gol esta com seus preços exagerados.

Poderiam parar de pensar no bolso e pensar em realmente atender os clientes com um diferencial justo.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Eu só acho que deveria ser melhor divulgado no ato da compra das passagens pois eu moro fora do Brasil e peguei o avião da Gol em Macapá e no momento estava com pouco reais e com 2 filhas com fome, meu cartão de credito não passou não sei porque, como eu não sabia do sistema pago de lanches não havia nada para dar para elas, fiquei indignada porque paguei quase 2 mil reais de passagem para depois ver minhas filhas pequenas com fome no período de 5 horas. Consegui enganar elas com essas porcarias de amendoin e barras de cereais que deram uma unica vez. Mas o que me salvou foi que tinhamos uma parada no Rio de Janeiro e tivemos que trocar de aeronave e eu consegui com o meu cartão comprar coisas para elas comer.
Sem contar que o piloto sinceramente não é muito bom de pouso, pois viajo constantemente de avião e foi a primeira vez que eu vi todos os passageiros gritando assustados, isso aconteceu por 2 paradas que fizemos.
Concordo com Lugon de Souza, o problema não é pagar, alias quem tem condições de pagar uma passagem de avião certamente tem condições de pagar uma refeição.
Eu sinceramente não pretendo mais viajar por essa companhia.
Prefiro a Tam que tem um tratamento totalmento diferenciado com os passageiros

JAB
JABPermalinkResponder

A Gol visivelmente está procurando ser parcial com seus clientes. Todos os voos que voei com TAM ou Azul - recebi sem parcialidade um biscoito, uma água ou coisa parecida. Achei humilhante ver uma pessoa que talvez pagou um preço inferior sendo melhor atendido pelos comissários simplesmente pq escolheu algo no cardápio. Isso não é segregar clientes,mas tratar indiferentemente. eu estava com $$ para comprar o que eu quisesse - mesmo assim me senti inferior. QUERIA QUE ISSO CHEGASSE AO CONHECIMENTO DA REFERIDA GOL. Ou serve todos igualmente ou façam divisórias dentro da aeronave. Grato.

Lourdes Aparecida Lopes Ribeiro

Fiz minha última viagem pela Gol no doa 24/08 p.p. e comprei uma água de coco muito saborosa. Gostaria de saber a marca, se possível fosse.E, foi muito bom usarem o sistema de vendas de lanches no avião Grata.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lourdes! Não sabemos informar. A sua melhor chance é entrar em contato diretamente com a Gol.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar