Budapeste-Viena-Praga: use a receita da Wanessa

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Palácio Hofburg, Viena

A querida pessoense Wanessa Lima, dona do excelente blog Cadernos de Viagem, acabou de voltar de um tour cultural por Budapeste, Viena e Praga. E, como não está sobrando tempo para atualizar o blog, decidiu presentear os leitores do Viaje na Viagem com o completíssimo relato da viagem, com todos os detalhes mastigadinhos para quem quiser usar. Olha só que maravilha. Vai pela Wanessa:

Texto | Wanessa Lima
Fiquei 4 noites em Budapeste, 4 em Viena e 5 em Praga. A Budapeste, eu tinha ido ano passado, mas a viagem foi interrompida por um problema de saúde, então, quis começar do zero. Com 3 dias inteiros, ainda faltou tempo para ver algumas coisas, mas acho que isso se deve ao meu ritmo de viagem, que tende mais para o lento. Em Viena, também achei que 3 dias inteiros foi pouco. Eu adoro visitar museus e fotografar a arquitetura da cidade, e Viena oferece muito disso! Muita gente inclui um dia a mais para fazer um passeio a Bratislava, mas eu passaria esse quarto dia em Viena mesmo. Em Praga, tive quase 5 dias inteiros, pois meu vôo de volta era só às 19:50h, e achei que o tempo foi suficiente para explorar bem a cidade.

Passagem internacional

Comprei as passagens aéreas com agente de viagem (pagando uma taxa extra por isso) pela Iberia, saindo de Recife para Budapeste e a volta de Praga para São Paulo, sempre com conexão em Madri. Talvez por a Malev Hungarian e a Czech Airlines serem membros da aliança One World, como a Iberia, as conexões oferecidas eram muito melhores do que as das companhias da Star Alliance. Já li muita critica à Iberia, mas a única coisa que fez falta foi um sistema de entretenimento individual. No resto, não deixou a dever à TAM e à TAP, outras empresas com que já voei para a Europa.

Deslocamentos internos

Fiz todos de trem. De Budapeste para Viena, deixei para comprar a passagem dois dias antes da viagem e não encontrei das mais baratas (13 euros). Como tinha de chegar a Viena com hora certa, comprei a mais cara mesmo, na primeira classe. Se eu tivesse maior flexibilidade, ainda teria encontrado a passagem na segunda classe para outros horários no dia pretendido. A compra teve de ser feita na Keleti Station, pois a MAV, empresa que explora os trens na Hungria, ainda está implantando a venda pela internet (eu consegui ver os preços, mas não deu para concluir a compra on line).
De Viena para Praga, comprei a passagem pela internet. O tutorial do Riq é perfeito.

Transporte na chegada e saída dos aeroportos e estações de trem

Em Budapeste, usei o shuttle Minibusz, contratado no próprio espaço da retirada das bagagens no aeroporto (também dá para contratar já no saguão de desembarque). O transfer é feito em vans, mas o número de passageiros é bem razoável. Ano passado, já tinha usado esse serviço reservando pela internet, e funcionou direitinho. Para ir à estação Keleti, fui de táxi, pedido na recepção do hotel.

Na chegada a Viena, usei o metrô, de acordo com as orientações deixadas pelo Riq aqui no VnV. Mesmo carregando mala e tendo de fazer uma conexão no metrô, foi muito tranqüilo, pois todas as estações tinham elevador/escada rolante. Ainda assim, na hora de ir embora, preferi pegar um táxi, por causa do peso da mala, que aumentou consideravelmente depois dos livros comprados nas lojas dos museus…
Aqui cabe um aparte: eu tenho problema com malas. Não consigo fazer mala leve de jeito nenhum! Mas dessa vez, houve uma circunstância agravante, que foi ter planejado uma mala “ligeiramente” inadequada para a temperatura que estava fazendo. As médias de temperatura do Weather.com me induziram a pensar que estaria bem mais frio do que efetivamente estava. Então, já em Budapeste, percebi que não iria precisar de várias peças de roupa. Em situações normais, eu simplesmente abandonaria algumas no hotel, mas aquelas eram peças das quais eu não podia me desfazer, já que aqui no Nordeste, onde eu moro, não se adquire com facilidade roupa de frio! A solução foi mandar um pacote de roupa pelos correios pra casa. Postei em Budapeste e ainda estou esperando chegar, mas foi uma mão na roda (se chegar mesmo!).

Voltando ao assunto do shuttle: como a chegada a Praga ia ser à noite, preferi não arriscar e contratei pela internet o serviço que o Riq sugeriu. Funcionou tudo à perfeição, igualzinho está no post. Quando vi de longe o cartaz laranja, nem precisei ler o meu nome pra reconhecer o motorista que me esperava! Devia ter contratado logo a volta para o aeroporto, mas deixei pra depois, fiquei sem acesso à internet e, quando me lembrei do assunto, não tinha mais tempo. Aí, morri no transfer oferecido pelo hotel, que foi ótimo, mas um pouco mais caro do que o da chegada.

Transporte público

Usei bastante o metrô em Budapeste e Viena. Em Praga, um pouco menos, mas também usei. Nas duas primeiras, logo que cheguei, adquiri tickets de 72 horas. A compra foi feita nas máquinas das estações de metrô, com cartão de crédito (ou VTM). Todas têm opção de vários idiomas, de modo que ninguém precisa entender húngaro pra comprar. Com o bilhete na mão, é só validar no primeiro uso em uma maquineta na entrada do metrô ou dentro dos trams e ônibus, para marcar o horário em que o ticket começou a ser usado.

Em Budapeste, na porta de TODAS as estações de metrô, havia fiscais conferindo a validade dos tickets de TODOS os passageiros. Nos trams, ao contrário, nunca vi fiscais. Uma vez, um desses fiscais tentou me aplicar uma pegadinha (eu acho que foi isso). Pegou meu ticket, me levou até a máquina de venda de bilhetes e pediu que eu apontasse o tipo que eu tinha comprado. Mas não havia a opção de ticket de 72 horas! Falei que não era nenhum daqueles, já preocupada, e ele disse que estava tudo ok. Assim eu descobri que nem toda máquina vende esse tipo de bilhete.

Em Viena e Praga, não vi nenhuma fiscalização, foi tudo na base da confiança mesmo, mas eu não gostaria de pagar (ou de não pagar) pra ver o que acontece com quem é pego sem ticket válido…
Ainda sobre Praga, como não planejava usar tanto o transporte público, comprei bilhetes simples ou de 24 horas quando foi necessário.

Todas as informações sobre transporte público podem ser encontradas em:

Hotéis

Quando vou escolher hotéis, procuro o que tem a melhor localização dentro da faixa de preço que estou disposta a pagar e com o nível de conforto que espero. Sempre fico na faixa dos 100,00 euros pra baixo.

Em Budapeste, minhas pesquisas me mostraram que a hotelaria é bem barata e por isso, ao invés de economizar, resolvi escolher um hotel mais confortável, ainda dentro da minha faixa de preço.

Fiquei no Opera Garden Hotel & Apartments. Para mim, a localização era muito conveniente, pois a minha programação incluía uma apresentação na Ópera e outra no Teatro Thália, que também fica nessa região, e eu pude ir caminhando desde o hotel. Também é um hotel conveniente para quem pretende ir ao Conservatório de Música (Zeneakadémia ou Franz Liszt Academy of Music). O hotel fica em uma rua de pedestres e a área é bastante tranqüila. Dá para fazer vários passeios a pé ou usar a estação Opera do metrô. Minha reserva foi feita pelo Booking.

Outra localização que achei boa para ficar em Budapeste é na região próxima à Deak Ferenc Ter, onde fica a principal estação de metrô, que conecta três linhas, e à Vorosmarty Ter, por causa da facilidade de transporte e dos restaurantes e cafés por perto. É grande a oferta de hotéis ao longo da Váci utca (rua de pedestres com bastante comércio), mas acho que só vale a pena ficar nos que estão no começo dessa rua, que é na Vorosmarty Ter.

Ao contrário de Budapeste, em Viena, a hotelaria é beeem cara! Estava difícil conseguir um hotel com diária de até 100,00 euros dentro do Innere Stadt, que é a parte que concentra a maioria das atrações da cidade. Fiz uma reserva do tipo que podia cancelar sem ônus no Booking e continuei procurando, até que, mais ou menos um mês antes de viajar, encontrei uma oferta do tipo 4 noites pelo preço de 3 no Hoteis.com e reservei o Austria Trend Hotel Rathaus. A localização não foi perfeita, porque essa região, apesar de bem próxima da Universidade de Viena, “morre” nos fins de semana e não tem muita oferta de restaurantes à noite. Isso muda um pouco nos dias de semana. Mesmo sem muito movimento, a região é segura, e usei a estação de metrô (Rathaus) à noite sem medo.

Em Praga, os preços são intermediários. A dificuldade de escolher vem do fato de que a oferta de hotéis é muito grande, e todos parecem iguais. O ponto de referência para a localização da hospedagem é a Ponte Carlos, que corta o Rio Vltava. A maioria dos hotéis se situa em Stare Mesto (cidade velha), mas resolvi seguir a dica do Riq e procurar um hotel em Mala Strana, do “outro lado do rio”. E ainda bem que segui essa dica! Mala Strana é um emaranhado de ruelas antigas, que parecem ainda não ter sido “descobertas” por ninguém e permitem que você passeie com calma por um cenário de filme (de filme mesmo, já que “Amadeus” teve cenas gravadas ali). E tudo isso a um pulo de Stare Mesto, região da cidade que também é linda e que dá ótimos passeios (mas pra isso ninguém precisa se hospedar lá, no meio daquela muvuca toda!). Também existem muitos hotéis em Nove Mesto (Cidade Nova), perto da Praça Venceslau. Mas eu acho que também não teria gostado de ficar nessa região, que é muito comercial e – impressão minha – não deve ter muita graça à noite. Enfim, decidida a ficar em Mala Strana, peguei aqui no VnV mesmo a dica do hotel Kampa Garden, que é simples (com preço compatível), mas a dois passos da Ponte Carlos. Reservei pelo Hoteis.com, que tinha o melhor preço na época.

Passeios

Além do VnV, usei os seguintes blogs na montagem dos meus roteiros:

Usei também esses relatos de viagem que achei pelo Google no fórum do Fodor’s:

Queria deixar umas dicas para quem quer aproveitar a – intensa – programação cultural, que é uma característica das três cidades, e que foi o foco da minha viagem.

Tanto em Budapeste, quanto em Praga, e principalmente em Viena, é possível assistir a maravilhosos concertos de música clássica, óperas e balés. Mesmo para quem não gosta especialmente desse tipo de apresentação (ou para quem nunca foi a uma), quer lugar melhor no mundo pra tentar? E, se não gostar do espetáculo, dá para apreciar os belos teatros por dentro. Então, é aproveitar a oportunidade!

Em Budapeste, a Ópera é conhecida pela boa relação custo benefício: ótimos espetáculos e preços baixos. Assisti lá à minha primeira ópera, que foi “As Bodas de Fígaro”, de Mozart. Eu nunca gostei de “ouvir” ópera, mas, ao vivo, a coisa é bem diferente, achei emocionante! O espetáculo tinha uma montagem bem tradicional – diferente da apresentação que vi em Praga – e foi uma iniciação perfeita nesse gênero. O site da Ópera encaminha para o um site de venda de ingressos onde dá pra comprar tickets para muitas outras atrações.

Fui ver também “Carmem”, da Compañia Antonio Gades, que estava participando do Festival de Primavera de Budapeste. Foi difícil conseguir o bilhete, estava esgotado em alguns sites de vendas de ingressos, então, precisei recorrer a uma agência. Usei os serviços da Vienna Ticket Office. Localizei a agência pelo Google e comprei no escuro, sem referências do serviço. Troquei alguns e-mails com uma funcionária para acertar detalhes da compra e, mesmo tendo achado o atendimento muito sério, fiquei apreensiva até retirar o ticket na bilheteria do Teatro Thália, mas deu tudo certo. Claro que paguei uma comissão, mas o valor foi razoável, e o espetáculo valeu muito a pena! Eu poderia ter também entrado em contato com o hotel para tentar conseguir esse ingresso, mas ainda estava meio indecisa sobre a escolha da hospedagem, por isso, não usei essa alternativa.

Ainda pesquisei sobre concertos de música clássica, mas não daria para encaixar na minha agenda. Descobri que a principal sala de concertos de Budapeste, que é a da Zeneakademia ou Academia de Música Franz Liszt está fechada para reformas atualmente. Outras opções são o Centro Kodály e o Palácio das Arts.

Em Viena, é difícil até mesmo desviar da oferta de apresentações de música clássica, principalmente em frente à Stephansdom e no Hofburg. Mas eu preferi evitar os espetáculos montados apenas para turistas. Fui ver o balé “Don Quixote”, encenado na Ópera. Minha cadeira era praticamente no teto do prédio, mas era o único tipo de ingresso disponível cerca de um mês antes da viagem, quando organizei minha programação, e achei que valia a pena. É claro que existia a opção dos “stand tickets”, para uma sala onde as pessoas assistem aos espetáculos de pé (sobre o assunto, recomendo a leitura deste relato. Mas como minha “agenda” exigia que eu fosse à Ópera em Viena no mesmo dia em que viria de Budapeste, não tinha tempo de chegar cedo, por volta das 16h, 17h, para guardar um lugar, por isso resolvi comprar o ingresso mesmo para uma cadeira mal localizada. E o espetáculo foi tão lindo que o desconforto não prejudicou a experiência. A compra foi feita no site da Ópera mesmo.

Também fui assistir a um concerto de música clássica no Musikverein. Não consegui ver a Filarmônica de Viena, que é a mais conceituada das orquestras da cidade. Tive de me “contentar” com a Orquestra Sinfônica de Viena! Quem fizer questão de ver a Filarmônica, tem que entrar em contato por telefone uma semana antes da data da apresentação para comprar um dos ingressos restantes (a venda não é feita pelo site) ou apelar para os stand tickets.

Outra boa sala de concerto em Viena é a Konzerthaus, mas não deu tempo de ir. Várias igrejas também promovem concertos de música clássica. Uma que fiquei com vontade de ir foi a Karlskirche. Para quem gosta de música sacra, o Vienna Boys’ Choir se apresenta nas missas da capela do Hofburg.

Enfim, Praga. Aqui a oferta de concertos também é enorme, mas a cidade não tem tanta “tradição” no assunto quanto Viena, então, é mais fácil conseguir os ingressos, e os preços são mais baixos. Para se informar num lugar só sobre todas as opções, ao lado da entrada para a Igreja de Nossa Senhora Diante de Tyn, fica uma lojinha de CDs chamada Via Musica, que tem um painel com folhetos de todos os espetáculos, não só de música clássica, mas também de jazz.

Programei uma ida à Ópera para ver um balé. Dei a sorte de ver a estréia da montagem local de “Giselle”, que foi uma apresentação arrebatadora, com direito a muitos aplausos em cena aberta. Na hora da compra, o site da Ópera redireciona para o Bohemia Tickets, que vende ingressos para outros espetáculos também.

Vi ainda “A Flauta Mágica”, de Mozart, numa versão modernizada. A história dessa ópera é tão fantasiosa que um cenário e um figurino um pouco atualizados não fizeram mal nenhum. E poder ouvir a tão famosa ária da Rainha da Noite ao vivo… não tem preço! O espetáculo era montado pelo Naródni Divadlo (Teatro Nacional tcheco), que tem vários prédios (é bom conferir exatamente em qual teatro vai ser o espetáculo, pois quase perdi o início da apresentação por ter ido pro local errado!). No meu caso, a apresentação aconteceu no Estates Theatre, local em que Mozart em pessoa regeu a estréia em Praga de outra de suas criações, a ópera Don Giovanni. Para compra de ingressos, o site do Naródni Divadlo redireciona para o Ticket Portal.

Faltava conhecer o Teatro Negro de Praga, que é tão típico da cidade. Eu já tinha passado pela porta de uma infinidade de locais com apresentações desse gênero, mas não tinha ficado realmente interessada em assistir a nenhuma delas, todas me parecendo apenas “pra turista”. Pois eu devia ter me conformado à minha condição (de turista, afinal!) e ter ido ver um desses espetáculos. Mas resolvi inovar e ver o Lanterna Magika, que também faz parte do Teatro Nacional. Era a estréia da montagem “Legends of Magic Prague”, mas eu tenho de confessar que não gostei. Nem sei explicar o motivo de não ter gostado, talvez não tenha entendido a coisa, mas acho que não fui a única, porque pessoas sentadas ao meu lado não retornaram após o intervalo… Comprei o ingresso no teatro mesmo, cerca de uma hora antes da apresentação (foi um dos últimos lugares).

Nessa noite, eu poderia ter escolhido ir a um concerto de música clássica: ou ver a Orquestra Filarmônica Tcheca se apresentar no Rudolfinum ou uma orquestra de câmara no Smetana Hall, na Casa Municipal. Esse segundo, eu gostaria de ter ido nem que fosse só para conhecer a sala de concertos, que é linda.

Só para dar uma idéia da facilidade de comprar ingressos em Praga: Joshua Bell iria tocar com a Filarmônica cinco dias mais à frente – ah se eu ainda estivesse lá… – e ainda havia tickets disponíveis para essa apresentação, o que não aconteceria em Viena de jeito nenhum! Aliás, em Viena, tinha visto uma reportagem sobre a estréia da ópera Anna Bolena, em que um monte de gente muito fina, vestida para a apresentação de gala, exibia em vão as notas de euro em busca de um bilhete! Assistiram debaixo de chuva, num telão montado na rua…

Sobre os preços dos ingressos: como adiantei, em Viena, paga-se sempre mais do que em Budapeste e em Praga (mas é assim em todos os aspectos, Viena realmente não é uma cidade barata). Mas há ingressos para todos os bolsos, começando com os stand tickets, que custam apenas alguns euros. Em alguns casos, paguei menos do que os preços dos ingressos de espetáculos voltados somente para turistas que, segundo vi, não são exatamente baratos…

Recomendo muito para quem vai viajar para essas cidades aproveitar essa programação cultural tão ampla. Eu acabei fazendo uma maratona de teatros e óperas, o que só deixou a minha viagem ainda mais inesquecível!

Lindo, Wanessa! Muitíssimo obrigado em nome de todos os leitores!

Leia mais:

567 comentários

Daniel
DanielPermalinkResponder

Obrigado pessoal, valeu pela dica! Abraços =)

Daniel
DanielPermalinkResponder

Ah só mais uma pergunta com relação a hotel de praga, cotei dois hotéis pra nós (casal) o the charles **** e o kampa garden *** sendo que o the charles esta um pouco mais barato 30 euros, qual dos dois será o melhor considerando localização, estadia e serviços? É a minha primeira vez por isso estou confuso, até mesmo com relação as atrações turísticas. Obrigado =)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! Procure resenhas em sites como TripAdvisor e siga a sua intuição. Esta não é uma decisão 100% científica.

Leia o que o Ricardo Freire diz sobre hotéis em Malá Strana:
https://www.viajenaviagem.com/2011/04/onde-ficar-em-praga-mala-strana/

Leila
LeilaPermalinkResponder

Daniel, veja o hotel Eurostar Thalia em Praga. É excelente, 5* e a diária é de 104 euros com café da manhã. Super bem localizado. Na rua do teatro nacional,já escrevi sobre ele.
Eu estive em frente ao Kampa Garden,não achei nada especial e mais caro que o Eurostar Thalia. O prédio e as instalações do Eurostar Thalia são excelentes,lindas mesmo. E o café da manhã e o serviço não tem melhor. E por cima todos falam espanhol.
Vantagem do Kampa Garden? Ficar do outro lado da Ponte Carlos...não recomendo.
Mas,cada um tem o seu olhar.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leila! Veja por que o Ricardo Freire recomenda a região de Malá Strana, em detrimento desta em que você ficou:

https://www.viajenaviagem.com/2011/04/onde-ficar-em-praga-mala-strana/

Daniel
DanielPermalinkResponder

Obrigado Leila! Vou dar uma olhada! =)

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Daniel, fiquei no Kampa Garden e, como a Leila falou, o hotel não impressiona. É um hotel pequeno, com atendimento familiar e instalações simples, mas limpas e confortáveis. Eu escolhi ficar lá porque, além de ter decidido ficar em Mala Strana, peguei um precinho ótimo pelas diárias.
Não conheço a indicação da Leila, mas olhei no site e vi que o Eurostar realmente é um hotel muito mais confortável que o Kampa Garden. Já a localização, continuo preferindo o Kampa sem nenhuma dúvida!

Leila
LeilaPermalinkResponder

Daniel, a região de Mala Strana é uma região bonita que mantém uma elegância histórica. Se desceres a pé desde o Castelo passas por ruas encantadoras com lojas de antiguidades,cafés,restaurantes que são uma delícia só olhar. O Kampa Garden é um pequeno hotel romântico e acredito que a noite bastante silencioso,sem movimento.
Eu já gosto de me sentir "dentro da cidade".Não na muvuca turística,mas na cidade. De abrir a janela e sentir a cidade.
O Eurostar Thalia (Narodní, 13 , Praga , República Checa
Telefone: (+34) 902 93 24 24 | Fax: (+34) 93 268 19 45
Web Oficial: www.eurostarsthalia.com) é um hotel muito elegante,super bem localizado,perto de tudo. O prédio é um palácio neoclássico. Se saísse pela avenida pela mão direita estava já no Teatro Nacional e na margem do rio. Se saísse pelo lado esquerdo da Avenida Narodní em menos de cinco minutos alcançava a Praça Venceslau.
Como disse é uma questão de olhar e de gosto.
Se um dia voltar a Praga quero outra vez me hospedar ali,sem dúvida.

Leila
LeilaPermalinkResponder

Wanessa, queria contar também sobre Berlin. Todas as tuas dicas foram fundamentais e muito úteis. Ficamos na Alexanderplatz, no HotelPark Inn Alexanderplatz,(um quatro estrelas,93 euros com café da manhã),da rede Radisson,no Mitte. Ficamos preocupados à primeira vista porque o prédio moderníssimo tinha 30 andares.Foi a grande surpresa!Moderníssimo. Tudo no hotel funciona como um relógio e sem atropelos. O café da manhã farto e muito bem servido. Não percebes que estás num hotel gigantesco.Internet free.
Tens grande facilidade de mobilidade seja a pé de ônibus (linha 100)e até o ônibus turístico (aqueles panorâmicos). A parada do ônibus para o aeroporto fica na esquina do Hotel.
Berlim é uma cidade fascinante em todos os sentidos.E o meu alemão do Sul (e colono do século XIX) deu para sobreviver.Queria ter ficado mais dias em Berlim.
No entanto,tinha um compromisso agendado para o dia 27 de junho na bela Funchal(Ilha da Madeira)onde o mar e o céu se encontram. Um verdadeiro jardim que à noite se transforma em presépio iluminado,com o casario esgueirando-se montanha acima. Do Curral das Freiras a Ponta do Sol, Funchal é um paraíso.Terra das levadas,do bis-bis,da floresta laurassilva,do vinho,de um povo muito hospitaleiro e gentil como costuma ser o povo das Ilhas.

Daniel
DanielPermalinkResponder

Obrigado Leila e Wanessa pela atenção e pelas dicas =)

Marina Rolim
Marina RolimPermalinkResponder

Comprei ticktes para a Opera em Viena. Uma peça de Verdi, em setembro. Minha dúvida é: como devemos ir vestidos? Nao costumamos levar nada além de jeans nas viagens....será que dá para encarar de jeans e um casaco mais arrumadinho?
Wanessa, excelentes dicas. Já gravei todas no meu arquivo!!!

eva (nati)
eva (nati)PermalinkResponder

Minha última vez em uma ópera em Viena já tem mais de 7 anos, então posso estar "por fora", mas naqueles tempos o público estava bem formal. Dá uma olhadinha aqui: http://viajeaqui.abril.com.br/blog/achados/para-fazer-antes-de-morrer-uma-noite-na-opera-de-viena/

Marina Rolim
Marina RolimPermalinkResponder

Eva, obrigadíssima pela ajuda. Vou levar um algo mais para usar nesta noite!!!!

heloisa
heloisaPermalinkResponder

Fui em agosto para Budapeste, Viena, Praga e Berlim. Peguei as dicas do ricardo freire e fiquei no Opera Gardem em Budapeste e recomendo muito. Fiz a reserva pelo booking e postei comentarios (somente o hotel de viena nao fiz pelo booking e sim pelo site otel.com).
Em Praga fiquei no Kampa e acho que a localizacao é realmente muito boa. Entretanto, nao achei o hotel nem um pouco confortavel (cama, travesseios e box do banheiro muito ruins) e para piorar nao havia ar condiconado. Para quem for no verao como eu, nao recomendo. A sorte que nao conseguimos um quarto de frente para o canal, pois bate o sol da tarde. Nao havia sequer um ventilador.
Li comentarios acima sobre hoteis perto da praca Venceslau. Acho totalmente fora de mao para turista.
Abs, Heloisa

heloisa
heloisaPermalinkResponder

Em Viena fiquei no hotel am stephansplatz e adorei. a localizacao é mais do que perfeita e o quarto muito bom. O café tb excelente.
Em Berlim fiquei no Westin Grand e tb achei a localizacao muito boa. Nao havia free internet wireless e o cafe da manha custava 15 euros na promocao por pessoa. Isso nao interferiu muito pois tomava cafe no Einstein que ficava quase ao lado do hotel e com internet free.
Uma dica: nao vale a pena sair da estacao de trem e ir de metro (a nao ser que vc somente leve uma mochila). Nem sempre há rolante. Na volta pegamos um taxi que do nosso hotel que custou 8 euros. Abs

Bianca (aquela das antigas)

Gostaria de sugestoes de espetaculos em Viena. Quem ja foi e puder me indicar…a filarmonica nao vai se apresentar no periodo em que vou estar lah. Ja comprei um concerto na casa de mozart e estou em duvida quanto ao outro espetaculo.
Estou entre ver uma opera (no periodo nao terà nenhuma de grande projeçao, valeria só para conhecer o teatro) ou ver aqueles shows mistos com orquestra, dança.
Se alguem que ja foi puder me ajudar a decidir, agradeço.

Cinthia Rangel

Quais são os melhores bairros para se hospedar em Viena e em Budapeste?
Estou indo com criança pequena e gostaríamos de alugar apartamento, mas, para isso, seria bom saber os melhores bairros.
Desde já, obrigada.
Cinthia Rangel.

Elias Corrêa Lira

Em Viena é difícil para se hospedar, pois a cidade é grande e os preços pouco convidativos. Fiquei no Hotel Cristal e tinha que andar três estações de metro para estar no centro da cidade. Budapest é bem melhor para hospedagens, pois além de ser mais barato a cidade é bem melhor para se andar. Fiquei no Hotel Orion, da Rede BestWern. Fica em Buda e entre as Pontes Carlos e Catarina. Em Praga me hospedei no Residence Bene. Hotel muito bem localizado. O Ideal é ficar mais dias em Budapest que em Viena e por fim se esbaldar em Praha, que é a cidade perfeita do roteiro.
As pessoas vão de forma bem informais aos concertos, pois cidades turísticas niguém anda blacktie. Assisti Operas de Moza (viena) e Lago dos Cisnes (Praga), de jeans, como os demais.
Não deixem de levar malas bem vazias, pois comprar cristais, em Budapest e, principalmente, em Praga.
Boa viagem
Elias

Elias Corrêa Lira

PS: Normalmente as pessoas se encantam e falam maravilhas de Bratslava e sugerem que se faça além de um bate volta, pois é bem perto de Viena, pequena e mais acolhedora. Dormimos uma noite no hotel Junior, A cidade é muito legal, mas a estação ainda não tem escadas rolantes e com malas imensas é um suplício. Outra coisa e combinar antes as corridas de taxi pois eles pouco se lixam para o taxímetro (Exemplo: Estação ao Hotel foi 20 E e Hotel estação 7 E. Hotel centro antigo 10 E, retorno 17).
Elias

João.
João.PermalinkResponder

Oi, Wanessa e demais viajantes..
Alguém conhece o hotel Carat? A localização é boa? Fica em Peste. Pensei em ficar no centro pelas dicas de próximidade com a Ópera e com cafés!
Segue o link - http://www.venere.com/es/hoteles/budapest/carat-boutique-hotel/?ref=1276846&sd=13&sm=04&sy=2012&ed=17&em=04&ey=2012&pval=2&rval=1
Grato, abs.

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Oi, João!
Acho que é uma boa localização. Você vai conseguir fazer quase tudo a pé e também não está longe do metrô. A estação Deak Ferenc Ter, que fica perto do hotel, é a melhor para o turista, porque faz conexão entre várias linhas do metrô.

João.
João.PermalinkResponder

Wanessa,
obrigado pelo retorno!
Gostei do preço e dos comentários sobre o hotel. Devo reservar nele, então.
Abs, João.

João.
João.PermalinkResponder

Houve um erro básico de português - é proximidade!

Wanessa, obrigado pelo excelente post, ajuda muito...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! Subimos a sua pergunta para o Perguntódromo, vamos ver quem sabe responder.

João.
João.PermalinkResponder

Gracias, Dona Bóia.
Abs, João.

João.
João.PermalinkResponder

Alô pessoal (Wanessa, Dona Bóia, trippers)!
Vejam se podem me ajudar: preciso comprar o trecho Praga/Paris de volta (a ida e o trecho Paris/Brasil consegui com milhas Smiles).
O melhor preço foi no site Decolar.com. Pergunto: é confiável?
Outra pergunta: o site Venere tem bons preços de hotéis. É confiável, pode-se comprar com segurança?
Muito obrigado, abs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! As grandes agências online são em geral confiáveis; o que você deve fazer é ler muito atentamente as condições de cancelamento, reembolso e que tais.

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

João, é como disse A Bóia: são empresas grandes e bem estabelecidas.
Eu já usei os serviços das duas, mas faz tempo. A Venere não deixou nada a desejar, as reservas funcionaram sem problemas.
Já a Decolar, depois que fiz a compra da passagem, precisei de algumas informações e eles me mandaram procurar diretamente a companhia aérea, que me mandou procurar a Decolar... Fiquei com a impressão de que o atendimento é bom até fazer a venda e depois, deixa a desejar. Ainda uso a página deles para cotar passagens, mas prefiro emitir no site da companhia ou com um agente de viagens "de carne e osso". Aliás, uma grande vantagem dessa forma mais tradicional é que, se você precisar alterar a passagem, pode contar com o auxílio do profissional para isso.

João.
João.PermalinkResponder

Wanessa e Dona Bóia,
muito obrigado pela resposta rápida e informações valiosas.
Este site está cada vez melhor!!!
Abs, João.

João.
João.PermalinkResponder

Oi, Wanessa.
Novamente preciso de ajuda, acho que até abril/12 vou consultar com frequência... espero não aborrecê-la!
Estou em dúvida quanto ao Austria Rathauspark (no qual ficaste!) e o City Central. Os preços são parecidos. Pode me ajudar? Entre esses 2 qual tu escolherias levando em conta a distância das principais atrações, a facilidade de deslocamentos e que costumamos/gostamos de caminhar.
Obrigado,abs.

http://www.booking.com/hotel/at/rathauspark.html?sid=e940fc446c61b4adf1c657800ffc0b19

http://www.booking.com/hotel/at/citycentral.pt-br.html?aid=320689;label=hotel-70038;sid=e940fc446c61b4adf1c657800ffc0b19;dcid=1

chrystiane rocha

De uma checada na pension Kraml.Quartos enormes ,camas confortavéis e o melhor breakfast da Europa.Super bem localizado,dá prá ir a´pé ou de bonde prá tudo.

João.
João.PermalinkResponder

Chrystiane,
obrigado pela dica. As referências são boas mesmo!
Infelizmente para as datas em que estarei em Viena não há disponibilidade.
Abs.

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Oi, João,
Não incomoda nada!
Achei o City Central parecido com o Austria Rathauspark, mas, quanto à localização, eu ainda ficaria com o meu. O City está do outro lado do canal em relação ao centro de Viena. Você teria de cruzar o canal para quase todos os passeios. Eu não fui até essa parte da cidade, então não sei como é. Quanto ao Rathauspark, é fato que não está bem no centro de Viena, mas a área é bem bonita e agradável. O caminho até o centro é ótimo pra fazer a pé e, se resolver pegar o metrô, é bem rápido.

João.
João.PermalinkResponder

Wanessa,
muito obrigado pela informação.
Deveremos "falar" mais algumas vezes até abril... hehehe
Abs, João.

GISELLE
GISELLEPermalinkResponder

Vanessa, pretendo ir ao leste europeu em julho/12, mas como não tenho acompanhante vou sozinha mesmo. Gostaria que vc me dissesse se é comum ver senhoras da minha idade (60) lá desacompanhadas, porque aqui no Brasil isto é quase impossível. Falo ingles macarronico (entendo mais quando leio) e um pouco de italiano, dá para o gasto.Pretendo ficar em um B&B.Obrigada.

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Giselle, existem viajantes solo de todas as idades por lá! Uma coisa que admiro na Europa é o modo como pessoas de mais idade são totalmente ativas, aproveitam a vida social e cultural das cidades (e quando falo isso, me refiro a pessoas com mais idade que você!). Se você já tem o costume de viajar sozinha, não vai ter problemas nessa região.

João.
João.PermalinkResponder

Oi, Wanessa.
Poderia opinar sobre a localização deste hotel em Budapest?
Me parece que está numa das regiões que citaste como boa para ficar - 3 quadras da Vorosmarty Ter e próximo a Vaci utca. O hotel é novo e parece muito bom!
Grato, abs.

http://www.booking.com/hotel/hu/la-prima-fashion-budapest.pt-br.html?aid=320689;label=hotel-77530;sid=6aeb907f5d4418e429d8c868e6767673;dcid=1

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

É uma boa localização, João, tanto quanto a do outro que você perguntou! Quando fui viajar, cheguei a fazer uma reserva nesse hotel, mas acabei me decidindo por outro. Eu também ficaria na dúvida entre suas duas opções...

João.
João.PermalinkResponder

Obrigado mais uma vez, Wanessa.
Acho que escolherei este por ser "brand new"!
Abs.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Olá Ricardo! VOu para o Leste Europeu entre fev e mar/12 - Já estou com todos os hotéis reservados e passagens de trens compradas. Minha única pendência e dúvida é no trecho que farei de Budapest para Cracóvia, não encontrei uma empresa que faça o trecho pela internet, até achei uma cia da polonia,mas no momento de ir pra compra só tem a língua polaca (rs)

Você tem alguma dica de cia que faça esse trecho? É muito arriscado deixar pra comprar quando estiver lá? Cheguei a pesquisar na Orange Ways (Onibus da Hungria) mas os dias disponiveis não batem com a minha necessidade.

Muito Obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! A única cia. do leste que oferece a compra pela internet é a cia. tcheca. E comprar pela Rail Europe significa pagar um sobrepreço enorme.

As ligações de trem no leste europeu são lentas e normalmente desconfortáveis. O Ricardo Freire nunca indica. De Budapeste a Cracóvia são 11 horas de viagem, com duas baldeações. O único trem direto é o noturno.

Considere fazer esse trecho de avião.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Olá Bóia!! Muito obrigado!! Vou procurar algum voo low cost!! abraços

João.
João.PermalinkResponder

Boa tarde, Wanessa e D. Bóia.
Olha eu aí, de novo!!!
Nunca usei Visa Travel Money, mas me parece bastante prático nesta viagem pelo saque em moeda local em Budapeste e Praga. A dúvida que tenho é sobre a facilidade de sacar o dinheiro: existem caixas eletrônicos da rede PLUS bem distribuídas pelas 2 cidades?
Grato mais uma vez, abs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! Praticamente todos os caixas eletrônicos de todos os bancos operam com as duas redes, a Plus e a Cirrus.

Wanessa
WanessaPermalinkResponder

Dona Bóia tem razão. É muito fácil usar o VTM nessa região, seja para saque, seja para pagamento em débito nas lojas e restaurantes. Só não use como garantia nos hotéis (quando eles pedem o cartão no check in), porque isso bloqueia uma parte do saldo do seu VTM, e esse bloqueio pode perdurar durante alguns dias, mesmo depois que você fizer o pagamento propriamente dito.

João.
João.PermalinkResponder

Obrigado, Wanessa e D. Bóia.

Liliana Andriola

Olá,

Vou viajar de Paris para budapeste comuma companhia low-cost, e depois vou fazer budapeste-praga-berlim de trem, quero levar de 2 malas nas viagens de trem (viajo em fevereiro), nos trens tem onde coloca-las?
Vou ter que pagar mais por isso?

O site é incrivel, estou pesquisando haum tempão e o site é a minha principal ferramenta!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Liliana! Você vai deixar as suas malas em um bagageiro. Não viaje com volumes muito grandes! Leia mais:
https://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/

Luiza
LuizaPermalinkResponder

Oi Wanessa, adorei tudo, estou indo para europa em abril de 2012 e quero fazer esse trecho, viena - praga - budapest.
Gostaria de saber como foi viajar de trem?
Voce comprou suas passagens no brasil mesmo ou já lá na europa?
Qual foi o site?
Muito obrigado!!!

Luiza

Costa
CostaPermalinkResponder

Olá gente amiga, estamos programando viagem ao leste europeu,para set/out 12, iniciando por Berlim (3d) participando da famosa maratona BMW, e depois queremos ainda conhecer Praga-Viena e Budapeste num prazo de 8 dias. Aceito sugestões do melhor roteiro,sendo q o retorno tem q ser por Berlim.
Grato e abs a todos.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Costa! O ideal seria ter pelo menos três dias inteiros em Viena e Budapeste, e mais quatro dias inteiros em Praga. Dê uma olhada no relato da Wanessa, e consulte também o post "Europa: quantos dias em cada lugar?"
https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

renata b
renata bPermalinkResponder

Wanessa, ola. Estivemos no Ano Novo em Praga e ficamos em um apart Hotel super bacana. Segue o link. reservation.budapest@frasershospitality.com
Pagamos no apto Executivo com 02 quartos Euros $ 155,00.
alem disto contratamos um MARAVILHOSO guia em portugues exclusivo, que nos levou em Buda e em Pest, durante 04 horas, contanto a historia da Hungria e outras que soavam como fabulas nos nossos ouvidos. Caso tenha interesse em divulgar no Blog me avise que te passo o nome dele.

Adri c l
Adri c lPermalinkResponder

Eu, como boa brasileira, tentei dar oo golpe de n carimbar o ticket da edtacao d metro p usar o mesmo todo dia. Resultado, fui pega em flagrante pelos guardinhas da estacao de Praga. Como otima brasileira, me fiz de desentendida e falei, em ingles, que nao tinha sabia q existia essa maquininha. Como eu estava d mochila, o guardinha ate acreditou, mas nao aliviou... Multa de +- 100 reais. Eh, o crime, neste dia, nao compensou heheh...

LUCIEN DANTAS
LUCIEN DANTASPermalinkResponder

caramba, ...., poucas vezes vi na net e ate em blogs especializados, uma descrição tao completa. alias, eu diria praticamente um diario. perfeito. nos minimos detalhes.
meus sinceros parabens wanessa, ficou show!!!

João.
João.PermalinkResponder

Oi, Wanessa.
Quero reforçar a opinião do Lucien - tenho lido repetidas vezes o teu relato para organizar nossa ida ao Leste Europeu em abril e sempre encontro informações novas e muito práticas que certamente tornarão nossa viagem excelente!
Quero te agradecer por este auxílio e, Ricardo, quem sabe contrata a Wanessa aí para deixar uns relatos das viagens dela!!! Vai nos poupar muito trabalho!!!
Aliás, Wanessa, procura viajar bastante, tá? hehehe
Grande abraço, JoãoClarice.

Sylvio Pereira

Tenho viagem programada para o próximo mes, mas ainda não defini todos os translados. Até agora tenho apenas o trecho LONDRES-MUNIQUE, mas minha viagem está programada nessa ordem: Londres --> Munique --> Praga --> Viena --> Veneza --> Florença --> Roma. Ainda falta definir 5 trechos em 3 países, com intervalo entre o primeiro embarque (Munique) e o último desembarque (Roma) de 10 dias.

Estou com dificuldade de comprar essas passagens, pois quando pesquiso e idealizo uma determinada companhia e meio de transporte, sempre tem algum empecílio que não permite ou onera o trecho, iviabilizando o mesmo.

Alguem indicaria o Eurail Select Pass ou teria alguma outra indicação?

cristiana
cristianaPermalinkResponder

Olha Sylvio, no trecho Veneza -Florença - Roma, vc poderia alugarm um carro em mestre e devolver em roma. Pegue estradas locais que são muito lindas, o trecho entre florença e roma é a Toscana..imperdível. As distancias são pequenas e vc pode ir parando em cidadezinhas que são muito charmosas...

Sylvio Pereira

Obrigado pela dica, Cristiana!!

Nunca aluguei carro no exterior, mas sei que tem habilitação internacional que deve ser solicitada ao Detran, apesar de conhecer pessoas que já alugaram apresentando apenas a CNH normal.

cristiana
cristianaPermalinkResponder

Vc só precisa da sua habilitação nacional Na Itália : )

cristiana
cristianaPermalinkResponder

Queria uma dica: se eu tiver que escolher entre : Praga e Budapeste, ficando 6 dias em cada uma ou Praga, Viena e Budapeste 4 dias em cada uma?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiana! 4 dias está de bom tamanho em todas.

cristiana
cristianaPermalinkResponder

Mito Obrigada Bóia! Uma outra pergunta, estou em dúvida em relação ao dinheiro...Tipo quanto levar em espécie para taxi e pequenas refeições na rua...qual é o valor da nossa moeda nesses paises? tipo, com 20 reais dá pra comer um lanchinho? Muiiito obrigada!

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Pretendo visitar Viena, Praga e Berlim no mês de junho/2012. Comprarei a passagem pela TAP de Natal para Viena e precisarei comprar os trechos Viena-Praga e Praga-Berlim de trem. Onde posso comprar na internet com antecedência sem ser com a sobretaxa do raileurope?
Desde já agradeço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcos! Compre o trecho saindo da Áustria na obb:
https://www.viajenaviagem.com/2010/12/viena-a-praga-de-trem-como-comprar-passagem-pela-internet/

Compre o trecho com origem em Praga na http://www.cd.cz/en

Os trechos devem estar disponiveis a partir de 80 dias antes da data (vá tentando).

Leia mais:
https://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/

cristiana
cristianaPermalinkResponder

Uma última perguntinha....Quanto devo gaster de trem (mais ou menos) nos trechos praga-viena e viena- budapeste? desde já agradeço muuuito.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiana! É possível comprar essas passagens a menos de 30 euros cada com antecedência. Por favor leia o link sobre como comprar a passagem de Viena a Praga que lhe passei. Obrigada.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Vou fazer um congresso em Munique no final de Agosto de 2012 e queria a seguir fazer Viena (3 dias ) Budapeste(4dias) e Praga( 5 dias ) , poderia ser nesta ordem? Dá para fazer de trem ?
Goataria tb de dicas de guias em Budapeste e Praga.
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Munique-Viena-Budapeste dá para fazer de trem na boa.

Compre a passagem Munique-Viena em http://www.bahn.de/international e a de Viena a Budapeste na obb (veja link abaixo), com 80 dias de antedência.

https://www.viajenaviagem.com/2010/12/viena-a-praga-de-trem-como-comprar-passagem-pela-internet/

De Budapeste a Praga, porém, são quase 7 horas de trem lento. É melhor ir de avião. Inclua esse trecho na sua passagem internacional (Brasil/Munique//Budapeste-Praga-Brasil).

https://www.viajenaviagem.com/2011/12/passagens-multidestinos-em-que-site-voce-compra/

Para guias locais, por favor contate as embaixadas brasileiras.

karlas
karlasPermalinkResponder

OLÁ vanessa,pretendo viajar em setembro deste ano p leste europeu e tbm conhecer londres e cracovia prazo de 15 dias mais 2 de viagem, preciso de ajuda ,orienta´~oes sobre ordem das cidades,por onde iniciar e terminar,vc pode me ajudar aguardo ansiosa obg.Ah e tbm qual trecho posso fazer de trem.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, karlas! O blog da Wanessa é o http://cadernosdeviagem.wordpress.com , para falar com ela é melhor dar uma chegadinha por lá.

Cracóvia está a 8 horas de trem de Praga. Há vôos diretos de Londres e de Viena.

Um roteiro racional é Brasil-Budapeste (avião) Budapeste-Viena-Praga-Cracóvia (trem) Londres (avião) Brasil (avião).

Se puder deixar Cracóvia para uma outra viagem, fica mais redondo.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2011/12/passagens-multidestinos-em-que-site-voce-compra/

https://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/

Vanessa Maria
Vanessa MariaPermalinkResponder

Fui a Wien em setembro de 2011 pois tenho uma amiga que mora la. Amei tudo e a cidade é linda.

como meu roteiro era conhecer a Austria ( algumas cidades e a Alemanha - BAviera - inclusive passar na Ocktoberfest ) acabei nao indo a Praga nem a Buda.. mas esse guia com certeza me ajudara na proxima vez.

Recomendo a ida a Graz em setembro pois tem um festival tipico na regiao . É bem interessante e a cidade é uma graça. Dá pra fazer de Wien ate la de trem tranquilamente.

João.
João.PermalinkResponder

Oi, Wanessa.
Quero reforçar a opinião do Lucien, acima – tenho lido repetidas vezes o teu relato para organizar nossa ida ao Leste Europeu em abril e sempre encontro informações novas e muito práticas que certamente tornarão nossa viagem excelente!
Quero te agradecer por este auxílio e, Ricardo, quem sabe contrata a Wanessa aí para deixar uns relatos das viagens dela!!! Vai nos poupar muito trabalho!!!
Aliás, Wanessa, procura viajar bastante, tá? hehehe
Grande abraço, JoãoClarice.

lisa
lisaPermalinkResponder

Vanessa, que presente foi encontrar o seu relato! Vou fazer exatamente este roteiro em maio, estou muito atrasada com tudo e encontrar o seu detalhado relato foi uma surpresa e uma grande satisfação. Obrigada!!

Ubiratã
UbiratãPermalinkResponder

Olá a todos!Gostaria de saber se com os vouchers das passagens de trem compradas na obb(austria) e db(alemanha)pela internet eu preciso valida-las no guinche da estação ou é só embarcar direto nos trens?
Obrigado.

Tania
TaniaPermalinkResponder

Olá pessoal!

No início de junho viajarei com meu marido para Praga, Viena e Budapeste, gostaria de saber qual a melhor opção para deslocamento de Praga para Viena e Viena para Budapeste, além de dicas de hoteis em lugares perto de atraçoes turísticas, do que visitar e como me deslocar, (não dominamos muito o ingles).
desde já agradeço a ajuda.

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Gostaria de saber onde é melhor se hospesdar, em Buda ou Peste ?
Entre o Mercure Korona e o Ibis Centrum, qual seria melhor ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriela! Buda é mais charmosa, Peste é mais prática/central. Não se pode ter tudo.

Leia o que dizem os leitores:
https://www.viajenaviagem.com/2009/06/hoteis-bbb-em-praga-e-budapeste/

Diego
DiegoPermalinkResponder

Oi pessoal,
Budapeste é uma cidade encantadora, vale muito a pena visita-la.
Tenho uma série de posts sobre a viagem que eu fiz....

Roteiro de 3 dias em Budapeste
http://meusroteirosdeviagem.blogspot.com/2011/08/roteiro-de-3-dias-em-budapeste.html

Espero que gostem!

Abs
Diego

Estela
EstelaPermalinkResponder

Vou trazer para cá o que havia perguntado em outro post.
Eu já recebi algumas indicações valiosas, mas como o tema de hoje era organização do dia, fazer o mais importante em primeiro lugar eu fiz o seguinte questionamento:
o que é principal e secundário em Viena e Budapeste? (são 3 dias em cada)
Vale a pena desviar e passar em Cesky Krumlov (para almoçar, por exemplo) indo de Viena para Praga de carro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Estela! Alugar carro para viajar pelo leste é mais caro, por causa dos seguros, e mais complicado, porque nem toda locadora oferece. É preciso também ver a questão de tirar e entregar o carro no mesmo país, para não incorrer em sobretaxas.

Use o guia da Wanessa (esse aqui mesmo, que você nem se deu ao trabalho de ler antes de repetir a pergunta...) para ver o principal e o secundário. Vá entre Viena e Praga por Cesky usando o esquema da Paula*:
http://majots.wordpress.com/2009/08/10/europa-central-por-paula-e-fred/

Sanchez
SanchezPermalinkResponder

Wanessa
Excelente o relato. Na verdade, um guia!!
Entrei no site do Minibuz de Budapeste e verifique que o transfer para o centro, a partir do aeroporto fica em torno de 17 euros por pessoa. Se estivermos em duas pessoas serão 34 euros, o taxi não sairia mais barato? tem idéia quanto?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar