Budapeste-Viena-Praga: use a receita da Wanessa

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Palácio Hofburg, Viena

A querida pessoense Wanessa Lima, dona do excelente blog Cadernos de Viagem, acabou de voltar de um tour cultural por Budapeste, Viena e Praga. E, como não está sobrando tempo para atualizar o blog, decidiu presentear os leitores do Viaje na Viagem com o completíssimo relato da viagem, com todos os detalhes mastigadinhos para quem quiser usar. Olha só que maravilha. Vai pela Wanessa:

Texto | Wanessa Lima
Fiquei 4 noites em Budapeste, 4 em Viena e 5 em Praga. A Budapeste, eu tinha ido ano passado, mas a viagem foi interrompida por um problema de saúde, então, quis começar do zero. Com 3 dias inteiros, ainda faltou tempo para ver algumas coisas, mas acho que isso se deve ao meu ritmo de viagem, que tende mais para o lento. Em Viena, também achei que 3 dias inteiros foi pouco. Eu adoro visitar museus e fotografar a arquitetura da cidade, e Viena oferece muito disso! Muita gente inclui um dia a mais para fazer um passeio a Bratislava, mas eu passaria esse quarto dia em Viena mesmo. Em Praga, tive quase 5 dias inteiros, pois meu vôo de volta era só às 19:50h, e achei que o tempo foi suficiente para explorar bem a cidade.

Passagem internacional

Comprei as passagens aéreas com agente de viagem (pagando uma taxa extra por isso) pela Iberia, saindo de Recife para Budapeste e a volta de Praga para São Paulo, sempre com conexão em Madri. Talvez por a Malev Hungarian e a Czech Airlines serem membros da aliança One World, como a Iberia, as conexões oferecidas eram muito melhores do que as das companhias da Star Alliance. Já li muita critica à Iberia, mas a única coisa que fez falta foi um sistema de entretenimento individual. No resto, não deixou a dever à TAM e à TAP, outras empresas com que já voei para a Europa.

Deslocamentos internos

Fiz todos de trem. De Budapeste para Viena, deixei para comprar a passagem dois dias antes da viagem e não encontrei das mais baratas (13 euros). Como tinha de chegar a Viena com hora certa, comprei a mais cara mesmo, na primeira classe. Se eu tivesse maior flexibilidade, ainda teria encontrado a passagem na segunda classe para outros horários no dia pretendido. A compra teve de ser feita na Keleti Station, pois a MAV, empresa que explora os trens na Hungria, ainda está implantando a venda pela internet (eu consegui ver os preços, mas não deu para concluir a compra on line).
De Viena para Praga, comprei a passagem pela internet. O tutorial do Riq é perfeito.

Transporte na chegada e saída dos aeroportos e estações de trem

Em Budapeste, usei o shuttle Minibusz, contratado no próprio espaço da retirada das bagagens no aeroporto (também dá para contratar já no saguão de desembarque). O transfer é feito em vans, mas o número de passageiros é bem razoável. Ano passado, já tinha usado esse serviço reservando pela internet, e funcionou direitinho. Para ir à estação Keleti, fui de táxi, pedido na recepção do hotel.

Na chegada a Viena, usei o metrô, de acordo com as orientações deixadas pelo Riq aqui no VnV. Mesmo carregando mala e tendo de fazer uma conexão no metrô, foi muito tranqüilo, pois todas as estações tinham elevador/escada rolante. Ainda assim, na hora de ir embora, preferi pegar um táxi, por causa do peso da mala, que aumentou consideravelmente depois dos livros comprados nas lojas dos museus…
Aqui cabe um aparte: eu tenho problema com malas. Não consigo fazer mala leve de jeito nenhum! Mas dessa vez, houve uma circunstância agravante, que foi ter planejado uma mala “ligeiramente” inadequada para a temperatura que estava fazendo. As médias de temperatura do Weather.com me induziram a pensar que estaria bem mais frio do que efetivamente estava. Então, já em Budapeste, percebi que não iria precisar de várias peças de roupa. Em situações normais, eu simplesmente abandonaria algumas no hotel, mas aquelas eram peças das quais eu não podia me desfazer, já que aqui no Nordeste, onde eu moro, não se adquire com facilidade roupa de frio! A solução foi mandar um pacote de roupa pelos correios pra casa. Postei em Budapeste e ainda estou esperando chegar, mas foi uma mão na roda (se chegar mesmo!).

Voltando ao assunto do shuttle: como a chegada a Praga ia ser à noite, preferi não arriscar e contratei pela internet o serviço que o Riq sugeriu. Funcionou tudo à perfeição, igualzinho está no post. Quando vi de longe o cartaz laranja, nem precisei ler o meu nome pra reconhecer o motorista que me esperava! Devia ter contratado logo a volta para o aeroporto, mas deixei pra depois, fiquei sem acesso à internet e, quando me lembrei do assunto, não tinha mais tempo. Aí, morri no transfer oferecido pelo hotel, que foi ótimo, mas um pouco mais caro do que o da chegada.

Transporte público

Usei bastante o metrô em Budapeste e Viena. Em Praga, um pouco menos, mas também usei. Nas duas primeiras, logo que cheguei, adquiri tickets de 72 horas. A compra foi feita nas máquinas das estações de metrô, com cartão de crédito (ou VTM). Todas têm opção de vários idiomas, de modo que ninguém precisa entender húngaro pra comprar. Com o bilhete na mão, é só validar no primeiro uso em uma maquineta na entrada do metrô ou dentro dos trams e ônibus, para marcar o horário em que o ticket começou a ser usado.

Em Budapeste, na porta de TODAS as estações de metrô, havia fiscais conferindo a validade dos tickets de TODOS os passageiros. Nos trams, ao contrário, nunca vi fiscais. Uma vez, um desses fiscais tentou me aplicar uma pegadinha (eu acho que foi isso). Pegou meu ticket, me levou até a máquina de venda de bilhetes e pediu que eu apontasse o tipo que eu tinha comprado. Mas não havia a opção de ticket de 72 horas! Falei que não era nenhum daqueles, já preocupada, e ele disse que estava tudo ok. Assim eu descobri que nem toda máquina vende esse tipo de bilhete.

Em Viena e Praga, não vi nenhuma fiscalização, foi tudo na base da confiança mesmo, mas eu não gostaria de pagar (ou de não pagar) pra ver o que acontece com quem é pego sem ticket válido…
Ainda sobre Praga, como não planejava usar tanto o transporte público, comprei bilhetes simples ou de 24 horas quando foi necessário.

Todas as informações sobre transporte público podem ser encontradas em:

Hotéis

Quando vou escolher hotéis, procuro o que tem a melhor localização dentro da faixa de preço que estou disposta a pagar e com o nível de conforto que espero. Sempre fico na faixa dos 100,00 euros pra baixo.

Em Budapeste, minhas pesquisas me mostraram que a hotelaria é bem barata e por isso, ao invés de economizar, resolvi escolher um hotel mais confortável, ainda dentro da minha faixa de preço.

Fiquei no Opera Garden Hotel & Apartments. Para mim, a localização era muito conveniente, pois a minha programação incluía uma apresentação na Ópera e outra no Teatro Thália, que também fica nessa região, e eu pude ir caminhando desde o hotel. Também é um hotel conveniente para quem pretende ir ao Conservatório de Música (Zeneakadémia ou Franz Liszt Academy of Music). O hotel fica em uma rua de pedestres e a área é bastante tranqüila. Dá para fazer vários passeios a pé ou usar a estação Opera do metrô. Minha reserva foi feita pelo Booking.

Outra localização que achei boa para ficar em Budapeste é na região próxima à Deak Ferenc Ter, onde fica a principal estação de metrô, que conecta três linhas, e à Vorosmarty Ter, por causa da facilidade de transporte e dos restaurantes e cafés por perto. É grande a oferta de hotéis ao longo da Váci utca (rua de pedestres com bastante comércio), mas acho que só vale a pena ficar nos que estão no começo dessa rua, que é na Vorosmarty Ter.

Ao contrário de Budapeste, em Viena, a hotelaria é beeem cara! Estava difícil conseguir um hotel com diária de até 100,00 euros dentro do Innere Stadt, que é a parte que concentra a maioria das atrações da cidade. Fiz uma reserva do tipo que podia cancelar sem ônus no Booking e continuei procurando, até que, mais ou menos um mês antes de viajar, encontrei uma oferta do tipo 4 noites pelo preço de 3 no Hoteis.com e reservei o Austria Trend Hotel Rathaus. A localização não foi perfeita, porque essa região, apesar de bem próxima da Universidade de Viena, “morre” nos fins de semana e não tem muita oferta de restaurantes à noite. Isso muda um pouco nos dias de semana. Mesmo sem muito movimento, a região é segura, e usei a estação de metrô (Rathaus) à noite sem medo.

Em Praga, os preços são intermediários. A dificuldade de escolher vem do fato de que a oferta de hotéis é muito grande, e todos parecem iguais. O ponto de referência para a localização da hospedagem é a Ponte Carlos, que corta o Rio Vltava. A maioria dos hotéis se situa em Stare Mesto (cidade velha), mas resolvi seguir a dica do Riq e procurar um hotel em Mala Strana, do “outro lado do rio”. E ainda bem que segui essa dica! Mala Strana é um emaranhado de ruelas antigas, que parecem ainda não ter sido “descobertas” por ninguém e permitem que você passeie com calma por um cenário de filme (de filme mesmo, já que “Amadeus” teve cenas gravadas ali). E tudo isso a um pulo de Stare Mesto, região da cidade que também é linda e que dá ótimos passeios (mas pra isso ninguém precisa se hospedar lá, no meio daquela muvuca toda!). Também existem muitos hotéis em Nove Mesto (Cidade Nova), perto da Praça Venceslau. Mas eu acho que também não teria gostado de ficar nessa região, que é muito comercial e – impressão minha – não deve ter muita graça à noite. Enfim, decidida a ficar em Mala Strana, peguei aqui no VnV mesmo a dica do hotel Kampa Garden, que é simples (com preço compatível), mas a dois passos da Ponte Carlos. Reservei pelo Hoteis.com, que tinha o melhor preço na época.

Passeios

Além do VnV, usei os seguintes blogs na montagem dos meus roteiros:

Usei também esses relatos de viagem que achei pelo Google no fórum do Fodor’s:

Queria deixar umas dicas para quem quer aproveitar a – intensa – programação cultural, que é uma característica das três cidades, e que foi o foco da minha viagem.

Tanto em Budapeste, quanto em Praga, e principalmente em Viena, é possível assistir a maravilhosos concertos de música clássica, óperas e balés. Mesmo para quem não gosta especialmente desse tipo de apresentação (ou para quem nunca foi a uma), quer lugar melhor no mundo pra tentar? E, se não gostar do espetáculo, dá para apreciar os belos teatros por dentro. Então, é aproveitar a oportunidade!

Em Budapeste, a Ópera é conhecida pela boa relação custo benefício: ótimos espetáculos e preços baixos. Assisti lá à minha primeira ópera, que foi “As Bodas de Fígaro”, de Mozart. Eu nunca gostei de “ouvir” ópera, mas, ao vivo, a coisa é bem diferente, achei emocionante! O espetáculo tinha uma montagem bem tradicional – diferente da apresentação que vi em Praga – e foi uma iniciação perfeita nesse gênero. O site da Ópera encaminha para o um site de venda de ingressos onde dá pra comprar tickets para muitas outras atrações.

Fui ver também “Carmem”, da Compañia Antonio Gades, que estava participando do Festival de Primavera de Budapeste. Foi difícil conseguir o bilhete, estava esgotado em alguns sites de vendas de ingressos, então, precisei recorrer a uma agência. Usei os serviços da Vienna Ticket Office. Localizei a agência pelo Google e comprei no escuro, sem referências do serviço. Troquei alguns e-mails com uma funcionária para acertar detalhes da compra e, mesmo tendo achado o atendimento muito sério, fiquei apreensiva até retirar o ticket na bilheteria do Teatro Thália, mas deu tudo certo. Claro que paguei uma comissão, mas o valor foi razoável, e o espetáculo valeu muito a pena! Eu poderia ter também entrado em contato com o hotel para tentar conseguir esse ingresso, mas ainda estava meio indecisa sobre a escolha da hospedagem, por isso, não usei essa alternativa.

Ainda pesquisei sobre concertos de música clássica, mas não daria para encaixar na minha agenda. Descobri que a principal sala de concertos de Budapeste, que é a da Zeneakademia ou Academia de Música Franz Liszt está fechada para reformas atualmente. Outras opções são o Centro Kodály e o Palácio das Arts.

Em Viena, é difícil até mesmo desviar da oferta de apresentações de música clássica, principalmente em frente à Stephansdom e no Hofburg. Mas eu preferi evitar os espetáculos montados apenas para turistas. Fui ver o balé “Don Quixote”, encenado na Ópera. Minha cadeira era praticamente no teto do prédio, mas era o único tipo de ingresso disponível cerca de um mês antes da viagem, quando organizei minha programação, e achei que valia a pena. É claro que existia a opção dos “stand tickets”, para uma sala onde as pessoas assistem aos espetáculos de pé (sobre o assunto, recomendo a leitura deste relato. Mas como minha “agenda” exigia que eu fosse à Ópera em Viena no mesmo dia em que viria de Budapeste, não tinha tempo de chegar cedo, por volta das 16h, 17h, para guardar um lugar, por isso resolvi comprar o ingresso mesmo para uma cadeira mal localizada. E o espetáculo foi tão lindo que o desconforto não prejudicou a experiência. A compra foi feita no site da Ópera mesmo.

Também fui assistir a um concerto de música clássica no Musikverein. Não consegui ver a Filarmônica de Viena, que é a mais conceituada das orquestras da cidade. Tive de me “contentar” com a Orquestra Sinfônica de Viena! Quem fizer questão de ver a Filarmônica, tem que entrar em contato por telefone uma semana antes da data da apresentação para comprar um dos ingressos restantes (a venda não é feita pelo site) ou apelar para os stand tickets.

Outra boa sala de concerto em Viena é a Konzerthaus, mas não deu tempo de ir. Várias igrejas também promovem concertos de música clássica. Uma que fiquei com vontade de ir foi a Karlskirche. Para quem gosta de música sacra, o Vienna Boys’ Choir se apresenta nas missas da capela do Hofburg.

Enfim, Praga. Aqui a oferta de concertos também é enorme, mas a cidade não tem tanta “tradição” no assunto quanto Viena, então, é mais fácil conseguir os ingressos, e os preços são mais baixos. Para se informar num lugar só sobre todas as opções, ao lado da entrada para a Igreja de Nossa Senhora Diante de Tyn, fica uma lojinha de CDs chamada Via Musica, que tem um painel com folhetos de todos os espetáculos, não só de música clássica, mas também de jazz.

Programei uma ida à Ópera para ver um balé. Dei a sorte de ver a estréia da montagem local de “Giselle”, que foi uma apresentação arrebatadora, com direito a muitos aplausos em cena aberta. Na hora da compra, o site da Ópera redireciona para o Bohemia Tickets, que vende ingressos para outros espetáculos também.

Vi ainda “A Flauta Mágica”, de Mozart, numa versão modernizada. A história dessa ópera é tão fantasiosa que um cenário e um figurino um pouco atualizados não fizeram mal nenhum. E poder ouvir a tão famosa ária da Rainha da Noite ao vivo… não tem preço! O espetáculo era montado pelo Naródni Divadlo (Teatro Nacional tcheco), que tem vários prédios (é bom conferir exatamente em qual teatro vai ser o espetáculo, pois quase perdi o início da apresentação por ter ido pro local errado!). No meu caso, a apresentação aconteceu no Estates Theatre, local em que Mozart em pessoa regeu a estréia em Praga de outra de suas criações, a ópera Don Giovanni. Para compra de ingressos, o site do Naródni Divadlo redireciona para o Ticket Portal.

Faltava conhecer o Teatro Negro de Praga, que é tão típico da cidade. Eu já tinha passado pela porta de uma infinidade de locais com apresentações desse gênero, mas não tinha ficado realmente interessada em assistir a nenhuma delas, todas me parecendo apenas “pra turista”. Pois eu devia ter me conformado à minha condição (de turista, afinal!) e ter ido ver um desses espetáculos. Mas resolvi inovar e ver o Lanterna Magika, que também faz parte do Teatro Nacional. Era a estréia da montagem “Legends of Magic Prague”, mas eu tenho de confessar que não gostei. Nem sei explicar o motivo de não ter gostado, talvez não tenha entendido a coisa, mas acho que não fui a única, porque pessoas sentadas ao meu lado não retornaram após o intervalo… Comprei o ingresso no teatro mesmo, cerca de uma hora antes da apresentação (foi um dos últimos lugares).

Nessa noite, eu poderia ter escolhido ir a um concerto de música clássica: ou ver a Orquestra Filarmônica Tcheca se apresentar no Rudolfinum ou uma orquestra de câmara no Smetana Hall, na Casa Municipal. Esse segundo, eu gostaria de ter ido nem que fosse só para conhecer a sala de concertos, que é linda.

Só para dar uma idéia da facilidade de comprar ingressos em Praga: Joshua Bell iria tocar com a Filarmônica cinco dias mais à frente – ah se eu ainda estivesse lá… – e ainda havia tickets disponíveis para essa apresentação, o que não aconteceria em Viena de jeito nenhum! Aliás, em Viena, tinha visto uma reportagem sobre a estréia da ópera Anna Bolena, em que um monte de gente muito fina, vestida para a apresentação de gala, exibia em vão as notas de euro em busca de um bilhete! Assistiram debaixo de chuva, num telão montado na rua…

Sobre os preços dos ingressos: como adiantei, em Viena, paga-se sempre mais do que em Budapeste e em Praga (mas é assim em todos os aspectos, Viena realmente não é uma cidade barata). Mas há ingressos para todos os bolsos, começando com os stand tickets, que custam apenas alguns euros. Em alguns casos, paguei menos do que os preços dos ingressos de espetáculos voltados somente para turistas que, segundo vi, não são exatamente baratos…

Recomendo muito para quem vai viajar para essas cidades aproveitar essa programação cultural tão ampla. Eu acabei fazendo uma maratona de teatros e óperas, o que só deixou a minha viagem ainda mais inesquecível!

Lindo, Wanessa! Muitíssimo obrigado em nome de todos os leitores!

Leia mais:

565 comentários

Laura
LauraPermalinkResponder

Olá Riq e Bóia.
Estarei no início de Abril em Budapeste, Viena, Praga e Berlim.
Serão 19 dias, mas estou com dificuldade em achar hotéis com boa localização e valores de até 100 euros. O de Budapeste já achei, mas as outras cidades os mais em conta já estão esgotados.
Se alguém puder me dar dicas de hotéis com café da manhã(sei q é difícil) nesta faixa de preço, agradeço. Abs!

Sany
SanyPermalinkResponder

Magnífico seu site. As dicas da Califórnia foram essenciais para nós. Principalmente a ordem SF-LA. Gostaria de saber se você acha esse roteiro OK? Fiz na ordem recomendada. Também sei que devo desconsiderar os dias de viagem.
18/04 SP-Budapeste
19-Chegada em Budapeste
20, 21, 22 - Budapeste
23 - Budapeste-Viena - Eu li a pergunta anterior. Mas você recomenda trem, mesmo se a gente tem direito a stopover?
24, 25, 26 - Viena
27 - Viena-Praga
28, 29, 30 - Praga
01 - Praga- Berlim
02, 03, 04 e 05 - Berlim
06 - Somente Partida
Muito obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sany! Esta é a seq6uência que recomendamos, as permanências estão corretas. Uma viagem de 3 horas de trem é mais curta do que uma de 1 hora de avião.

alana
alanaPermalinkResponder

Olá!
Eu estou pretendento fazer uma viagem no meio do ano para Praga, Budapeste, Viena e Croácia e gostaria de saber se sai mais em conta viajar entre os países de trem ou de avião. Ela tinha comentado 13 euros. esse é o preço sem o euRail? pq se for é muito mais barato fazer tudo de trem então. e nem são tantas horas tb.

maravilhoso o seu site!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alana! Recomendamos o trecho Budapeste-Viena-Praga, exatamente nessa seqüência, de trem. Para a Croácia, voe.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Olá Bóia,

Estamos pensando em fazer o leste Europeu, no mês que vem (Março), você recomendaria? por que só temos esse mais para viajar, estamos olhando o tempo e não está muito agradável, estou buscando algum post no seu blog mais ninguém fala nada sobre a melhor época de fazer essa viagem, gostaria que você me ajudasse dando alguma dica.

Desde já agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! O inverno é inclemente na Europa e dura, sim, até o fim de março. Para viajar nessa época, programe permanências mais longas em cada parada, porque é impossível manter o mesmo ritmo do verão (até porque os dias são mais curtos). Invista mais em hospedagem, você talvez queira ficar mais no hotel do que ficaria em outras temperaturas.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Mas Bóia, você sabe se chove muito no leste europeu? pois mesmo estando frio da para aguentar e sair para conhecer os lugares, mais de baixo de chuva não dá.

Desde já agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! A chuva é constante na Europa do norte e do leste, temos que conviver com essa possibilidade. Os verões costumam ser mais secos.

teresa
teresaPermalinkResponder

Como é melhor viajar de Praga para Berlin: avião ou tem?
Dresden vale conhecer?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Teresa! De trem são 4h30, é o que recomendamos. É possível parar em Dresden para um pit stop de algumas horas.

Marcelo Oliveira

Gostaria de saber o que acham de visitar as 3 cidades em 6 dias, uma média de um dia e meio por cidade. É seguro o deslocamento de uma cidade para outra ser feita de carro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelo! Infelizmente essa é a receita para dar tudo errado. Use o trem e reserve três pernoites para cada cidade.

Nivea
NiveaPermalinkResponder

Olá!Gostaria de saber como faço para ir de Viena para Cesky Krumlov de trem. Obrigada,
Nivea

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nivea! Não há trem para Cesky. Você pode ir de trem até Graz e lá pegar um ônibus.

Nivea
NiveaPermalinkResponder

Obrigada!

Rita
RitaPermalinkResponder

Oi Nivea, realmente, como respondeu a Bóia, de trem é inviável.
Ano passado, eu fiz os trechos Salzburgo-Cesky Krumlov e Cesky Krumlov-Viena de suttle, que é um transporte de van/micro-ônibus com outros viajantes. Achei muito prático, porque me pegou e me deixou nos hotéis em que fiquei hospedada. Contratei tudo via internet, com antecedência, e deu super certo.

Nivea
NiveaPermalinkResponder

Obrigada pela resposta Rita! Vc se lembra em qual site vc conbtratou o shuttle? Pode me passar?
Obrigada.

Isabela Abussamra

Olá
gostaria de saber se já tem a indicação de Shuttle para Cesky Krumlov. Obrigada

Adriane Martins de Paula

Olá!!! Temos um casamento para ir em Paris em maio e pensamos uns dias antes aproveitar para conhecer o leste europeu. Como são poucos dias (de 18 a 24/05/13) para tantos lugares, precisaremos decidir 2 cidades entre Praga, Budapeste, Viena e algo da Polonia (Varsóvia, talvez?). Poderia nos dar uma sugestão?
De qual fica melhor para voar no dia 24/05 para Paris?
Como é o tempo em maio nestas regiões? precisa de casaco pesado? Um abraço e obrigada.

Rita
RitaPermalinkResponder

Oi Adriane, eu sugiro Praga e mais uma, sendo Praga no final. Sobre o clima, não sei te responder, mas vale dar uma olhadinha nas médias mensais neste site aqui: http://www.weather.com/weather/wxclimatology/monthly/graph/EZXX0012

Ana Audun
Ana AudunPermalinkResponder

Se você for a Polônia Varsóvia é mais rica na gastronomia, mas a Cracóvia é bem mais charmosa e tem mais lugares para serem vistos.

Adriane Martins de Paula

complementando minhas perguntinhas sobre o clima: em maio chove muito em Budapeste e Praga?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Adriane! Conte com pegar chuva durante qualquer viagem à Europa que não seja feita para o sul do continente no alto verão.

Veja como pesquisar temperatura e chuvas:
https://www.viajenaviagem.com/2010/09/como-pesquisar-temperatura-e-chuvas-no-exterior/

mariluci jung
mariluci jungPermalinkResponder

alguém tem notiícia de quais aeroportos europeus há saídas para reykjavik?
pode-se ir de budapeste ou praga?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariluci! Provavelmente fará uma conexão.

Pesquise em http://www.skyscanner.com.br ou http://www.kayak.com .

Rosemari
RosemariPermalinkResponder

Ireimos para Budapeste, Viena e Praga a partir do dia 27 de maio de 2013. Pretendemos assistir algumas óperas/musicais/orquestas nesses locais. Gostaríamos de saber se é necessário roupa formal para entrar nos teatros e casas de espetáculos.
Grata.
Abraços.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rosemari!

Veja os que os leitores responderam da outra vez que perguntamos:
https://www.viajenaviagem.com/europa/europa-a-z/comment-page-11/#comment-253391

Cris
CrisPermalinkResponder

Oi, Rosemari,

A resposta que a Bóia indica foi para a mesma pergunta que eu tinha feito antes da minha viagem de fevereiro. Então, agora eu posso responder também:

Eu fui a três óperas nessa minha viagem: em Munique, em Viena e em Berlim. Eu segui a recomendação dos outros viajantes e levei um "pretinho básico", bem simpes, com o qual eu fui às três apresentações. Como o frio estava bem forte, eu vestia uma blusa térmica e outra blusa de microfibfra preta por baixo. Também usei uma meia calça de fleece (tecido quentinho, tipo uma flanela) e outra de fio 150 por cima, também preta. Usei acessórios como echarpes de seda e brincos de pérola. E em nenhum lugar eu me senti deslocada por causa da roupa. Só senti calor, na verdade, porque duas meias calças é dureza dentro do teatro, que fica um calorão com a calefação!

O "dress code" depende de cada casa de ópera: em Munique, na Bayerische Staatsoper, tem gente que vai com plumas e paetês, mas também tem gente que se veste de forma mais simples, mas arrumada, e ainda tem quem vá de calça jeans também. Em Viena, eu não fui à Staatsoper, mas sim à Volksoper, que é um local bem mais simples, mais afastado do centro, e onde também as pessoas se vestem de forma bem mais simples. Muita calça jeans, sem problemas. Na Staatsoper de Viena eu fui apenas no tour e eu fiz a pergunta do dress code para a guia, e ela disse que não teria problema em ir de calça jeans, mas o ideal seria ir um pocuo mais arrumada.

E finalmente em Berlim, eu fui à Deutsche Oper Berlin, que é um ambiente mais despojado, mas ao mesmo tempo bem elegante. Isto é, lá não vi quase ninguém de plumas e paetês, mas as pessoas vão bem arrumadas, sim, com roupas clássicas, tipo vestido e terno (mas igualmente, também tem gente de calça jeans, mas mais os homens).

Enfim, eu acho que com "pretinho básico" aliado a uns bons acessrios , não tem como errar, além de você não precisar levar toda uma parafernália de roupa apenas para ir à ópera, já que você pode usar o vestido em outras ocasiões, como jantas em restaurantes.

Um detalhe que talvez você não vá precisar, por ir na primavera, mas que eu acho uma informação útil: como nevava muito, eu acabei indo à primeira ópera em Munique com minha bota para neve, com goretex, que é uma "belezura" emn termos fashion, haha. Mas aí eu observei como as pessoas locais fazem: elas vão com suas botas de neve super esportivas, e ao chegarem na ópera, tiram essas botas e calçam sapatos sociais que levam em uma sacolinha. Colocam as botas na sacolinha e as deixam na chapelaria junto com seus casacos. No final do espetáculo, na saída, trocam o calçado, colocando novamente a bota de neve. Que idéia brilhante, como eu não tinha pensado naquilo? Nas duas óperas seguintes, em Viena e em Berlim, eu fiz o mesmo que eles, levando meu sapato tipo sapatilha preta com detalhes em dourado numa sacolhinha, trocando-o ao chegar no teatro.

Ligia
LigiaPermalinkResponder

Ola, Boia!

Estou planejando uma viagem com esse itinerario ( Budapeste - Praga - Viena) para o mes de agosto, e como tenho 3 semanas, gostaria de fazer alguns bate-voltas tambem. Alem de Cesky Krumlov e Salzburg, vcs tem alguma sugestao?

Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ligia! Salzburg fica a 3 horas de Viena, não é recomendável como bate-volta; programe dois pernoites. Bratislava está a uma hora de Viena, é um bate-volta factível. Há várias cidades interessantes perto de Praga, como Karlóvy Váry e Pilsen. De Budapeste, vá a Szentendre.

maria paula
maria paulaPermalinkResponder

Boa noite Bóia e internautas!!!
Pelas leituras e comentários que tenho visto, Praga parece ser uma cidade barata. Ela é mesmo em conta?!!! E Budapeste e Viena como são?! Em Praga, mesmo fazendo parte da União Européia, tem como moeda, a coroa tcheca,é verdade?! E como é em Budapeste e Viena?!! Como seria usado o VTM (em euro) nessas capitais?!! O próprio cartão já faz a conversão?!!!
E, sobre o transporte,vale mais a pena comprar tícket(de bonde), de um dia para usar em Praga, passando três dias na cidade?!Sendo esses três dias não consecutivos?! Essa validação é feita em máquinas antes de entrar nos bondes? Onde seria esse lugar? Quando subimos nele, como nos bondes em Lisboa?!
E esse sistema de transporte também é igual em Budapeste e Viena?!!
Desde já, agradeço a Bóia e os viajantes que gentilmente compartilham experiências e idéias com os demais!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Paula! Em Praga você vai andar basicamente a pé. Viena é cara, as outras cidades são em conta. No VTM em euro incidirá uma taxa de 5% de operação de câmbio, tanto no saque quanto nos gastos. É uma taxa semelhante à que você pagaria numa casa de câmbio. REcomendamos fazer saques no caixa automático com o seu cartão do banco brasileiro habilitado para saques no exterior.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/06/cash-debito-credito-vtm/

https://www.viajenaviagem.com/2012/10/sisi-ticket-vienna-card/

maria paula
maria paulaPermalinkResponder

Opa!!! Desculpa, mas li agora sobre o transporte público nas três capitais...Só preciso saber mesmo é sobre a questão de "valores" das coisas nas três capitais... Obrigada.

maria paula
maria paulaPermalinkResponder

Eu de novo, mas o problema é que os sites indicados aqui, estão um pouco complicado para entender, então, se alguém souber dessas informações acima eu agradeço muito!!!!

Mauricio Fernandes

Maria Paula,

Estive nas três cidades e ainda em Berlim, durante 22 dias entre Dezembro/12 e Janeiro/13. Praga é sem dúvida a mais barata e Viena a mais cara, em todos os sentidos ( alimentação, transporte,hotel).
Budapeste e Berlim, tem os preços do Rio de Janeiro, portanto não senti diferença.
Em Praga, fique 3 dias no máximo, pois não tem muitos pontos turísticos. Eu gostei mais de Budapeste, Viena e Berlim. Fiz tudo de trem, foi ótimo. Em Viena, pode comer no Rosenberg, perto da informação turistica e perto da principal rua de pedestre. É muito bom e grande.

Luna
LunaPermalinkResponder

Oi pessoal,
Alguém já fez esses trechos de ônibus? Uma amiga foi ano passado e disse que são bem mais baratos que o trem e demoram quase o mesmo tempo. Estou procurando mais informações na internet, mas não consigo achar nem as companhias nem pessoas que fizeram o mesmo.
Alguém tem alguma dica?
Beijos e obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luna! Compre em http://www.eurolines.com .

Note que os ônibus são bastante desconfortáveis, reclinam pouco e têm encosto bem mais duro do que os ônibus a que você está acostumada no Brasil.

Luna
LunaPermalinkResponder

Obrigada! Vou dar uma boa pesquisada antes de escolher. Uma outra dúvida, na hora de ver ônibus e trem vi que têm diversas opções de rodoviárias e estações. Você saberia dizer qual a melhor opção (central) nessas 3 cidades? Dei uma pesquisada e não achei.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luna! As estações variam de acordo com a linha.

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Olá Pessoal!
Comprei passagem para ir à praga em Outubro próximo, vou ficar 15 dias, estava pensando em ir pra Praga (lógico), 3 dias, Budapeste, 3 dias, Viena e Insbruck, 5 dias e Zurich, 3 dias, será que ir à Zurich vai ficar muito "apertado"? como comprei passagem para Praga, devo fazer nesse sentido: Praga > Budapeste > Viena > Insbruch > Zurich aí volto de avião para Praga. Aceito sugestões e Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiana!

O certo é comprar passagem com ida até o primeiro lugar que você vai visitar, e volta do último lugar que você vai visitar. No seu plano, tinha que voltar com passagem vinculada desde Zurique. Sem passagem vinculada, você vai precisar voltar na véspera para Praga e dormir uma noite lá, ou passar o dia inteiro no aeroporto, ou arriscar uma c conexão arriscada.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/passagens-internacionais-como-evitar-o-erro-mais-comum/

Cada dia de deslocamento é um dia perdido. Zurique está sobrando na sua viagem.

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Olá! Muito Obrigada!! Acho que vou cortar Zurich da minha lista vou até Innsbruck, você tem razão tenho que contar com a volta um dia antes, quanto a passagem, eu pesquisei bastante e Praga era o meu destino principal, voltar de Viena ou de Zurich aumentava em ao menos 3 mil reais a minha passagem e escolhi a cia também pelas milhagens que eu tenho que não poderiam ser transferidas de outra operadora, enfim, foi o melhor que conseguir fazer dentro das opções que eu tinha, muito obrigada pela dica. Abs.

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Se for cortar uma cidade, eu cortaria Innsbruck e deixaria Zurique, sem pensar duas vezes. Fora que a cidade fica do outro lado do país, nâo é "do lado de Viena".

Luna
LunaPermalinkResponder

Estou indo para Praga, Viena e Budapeste agora em abril. Me recomendaram fazer um bate-volta a Bratislava, que fica a menos de 1h de Viena. POsso te falar na volta como foi, mas fica a ideia se você quiser conhecer mais um lugar sem fugir muito geograficamente.

Ed Angelo
Ed AngeloPermalinkResponder

Gosto muito deste site, sempre que vou para algum lugar, faço uma busca para ver as melhores dicas. Segue uma sugestão uma pensão familiar e bem barata e com uma boa localização próximo ao centro de Budapeste. Chama Abel Penzion poderá fazer reserva pelo Booking. http://www.booking.com/hotel/hu/abel-pension-budapest.pt-pt.html?aid=311098;label=abel-pension-budapest-OhQvNrQBt1R2q1P0dr%2AgwQS2598811847;sid=8dd0f2e3bef94c8739fbd0ad0733696b;dcid=1;checkin=2013-03-29;checkout=2013-03-30;srfid=e14d7ac70bb08c84a927248ffa22507e6a753f4fX1. O ambiente é familiar. Fica a dica.

JECA
JECAPermalinkResponder

Filha, dá uma lidinha na reportagem. Fale com a mãe.

Silvia Spinassi

Bóia e viajantes

Vou a essas três cidades e gostaria de fazer uma e-session com meu noivo em alguma delas. Alguém conhece algum fotógrafo que faça esse trabalho lá?

Obrigada,
Silvia

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Silvia! Puxa vida, não conhecemos não... mas a Fabíola do Dicas & Roteiros de Viagens já morou em Viena, de repente ela sabe...

http://www.dicasroteirosviagens.com/

Silvia Spinassi

Vou falar com ela, Bóia! Obrigada!

Daniele
DanielePermalinkResponder

Olá! Vi em um comentário anterior que você sugeriu uma parada em Dresden, caso a viagem de Praga a Berlim seja feita de trem. É exatamente o que pretendo fazer. Porém, fiquei com uma dúvida: como você faria essa parada em poucas horas? Há lugar na estação para guardar as malas? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! Há guarda-volumes na estação.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Boa tarde! Estou indo com a família em Julho para Alemanha fazer a rota romântica de carro. Depois vamos percorrer também a Austria, finalizando em Viena. Em seguida vamos para Budapeste, Praga e Berlim, de onde retornamos. Gostaria de saber se é simples fazer este último trecho, a partir de Viena, também no carro alugado. Minha outra opção seria devolvê-lo em Viena e seguir de lá de trem... Estamos tentados a fazer de carro porque isso nos permitiria mais liberdade de horários e roteiros, talvez parando em Bratislava e em Dresden, mas receamos alguma complicação nestes países para quem segue de carro. Alguma orientação de quem já experimentou?! Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Carro em cidade grande é um estorvo. Deixe o carro para viagens relaxadas pelo interior, como a que você vai fazer pela Rota Romântica. Caso você não vá explorar regiões delimitadas, com tempo suficiente para parar e fugir da rota, o trem sempre será mais prático e organizará melhor a sua viagem.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2013/05/10-conselhos-viagem-de-carro/

Paula
PaulaPermalinkResponder

Oi, estou saindo de São Paulo dia 12 de setembro com destino a Budapeste e volta dia 25 saindo de Berlim. Pensei em ficar 3 noites em Budapeste, 3 em Viena, 3 em Praga e 3 em Berlim. Estou na dúvida se 3 noites em Berlim será pouco e deverei diminuir de alguma cidade. O que você sugeri? Os deslocamantos serão feitos de trem. O que vc recomenda: comprar as passagem no Brasil ou deixar para adquiri lá? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paula! Berlim mereceria mais um dia sim, mas é difícil tirar algum dia de outra cidade. Compre com 80 a 60 dias de antecedência as passagens de Viena a Praga ( http://www.oebb.at/en ) e Praga a Berlim ( http://www.bahn.de/international ). De Budapeste a Viena você terá que comprar ao chegar, porque não dá para comprar no site húngaro e parece que o austríaco não vende passagem com origem fora da Áustria.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Olá!
Estamos planejando nossas férias para a segunda quinzena de setembro. Pensamos em sair de São Paulo para Frankfurt (2 dias), Berlim (quatro dias), Praga (dois dias), Viena (dois dias) e Roma (quatro dias).
Será que estamos distribuindo bem o tempo ou está sobrando cidade (ou faltando dias)? É melhor pular Frankfurt e aproveitar mais um dia em Praga e mais um em Viena?
Qual a melhor forma de deslocamento entre Frankfurt e Berlim? E de Viena a Roma? (Berlim-Praga-Viena com certeza de trem, certo?)
Obrigada pelas dicas!
Abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vanessa! De Frankfurt a Berlim, de trem. Berlim a Praga, e Praga a Viena, de trem. De Viena a Roma, avião.

O trem vale a pena para trajetos de até quatro horas. Leia aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/

Veja quantos dias o Ricardo Freire recomenda para cada lugar e redesenhe o se roteiro: https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Valeu, Bóia!
Obrigada pelas dicas wink

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Bom dia!!! Estou querendo fazer o roteiro Budapeste- Viena- Praga. Vi que vocês sugerem a viagem de trem nesses trechos, mas estou com dificuldades em encontrar as companhias. Qual vc sugere pra Budapeste - Viena? Outra questão, também conhece alguma empresa de ônibus que faça esses trechos e o tempo de viagem entre cidades. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! Para ônibus, compre em http://www.eurolines.com . A passagem Budapeste-Viena tem que ser comprada no dia da chegada, não dá para comprar pela internet, a não ser que a http://www.oebb.at/en já esteja vendendo trechos com origem na Hungria. Este mesmo site vende Viena-Praga.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Mais uma dúvida. Quanto tempo de Budapeste - Viena de Trem ou autocarro e Quanto tempo de Viena- Praga?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! Veja tempos de viagem de ônibus em http://www.eurolines.com .

De Budapeste a Viena são 3 horas de trem, de Viena a Praga 4h45.

carolina
carolinaPermalinkResponder

olá,

estou programando uma viagem para o leste europeu e estou com dificuldades para comprar passagem de trem de Budapeste para Praga. Alguém sabe se o trem noturno com cabine privativa é direto? Tenho que trocar de trem?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carolina! Não dá para comprar do Brasil diretamente no site da cia. ferroviária húngara. Você terá que comprar ao chegar. O trecho é lento, recomendamos fazer este trajeto de avião.

Luis Felipe
Luis FelipePermalinkResponder

Estou embarcando para Budapeste dia 15 e fico pelas 3 capitais até o fim do mês, quando retorno de Praga para o Brasil.

O que está me preocupando no momento são as notícias de chuvas e inundações que estão ocorrendo por lá nesse exato momento. A república tcheca está em estado de emergência, linhas de trem foram interrompidas e estações de metrô fechadas. Muitos pontos da Áustria estão embaixo d'água, é o caos!

Alguém está na região para dizer se terei problemas? Será que esses 10 dias serão suficientes pro tempo mudar?!

Abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luis Felipe! As notícias sempre são um polaróide. Evite tomar decisões precipitadas. Acompanhe a situação nos próximos dias, a possibilidade de tudo voltar ao normal rapidamente é muito grande.

Malu
MaluPermalinkResponder

Luis Felipe, cheguei em Praga na segunda e desde então praticamente não choveu. Hoje fez sol o dia todo. Mas realmente algumas coisas estão fechadas, como o metrô, a Ponte Carlos e o funicular de Petrin.
As ilhas ainda estão inundadas e o acesso a elas está fechado. Reservei o hotel Kampa Garden e nem consegui chegar perto dele...rsss. Mas tudo foi resolvido com muita tranquilidade, nos colocaram em outro hotel que, segundo a gerente do Kampa, é até melhor.
Quanto a Viena, estive lá antes de Praga e peguei dias chuvosos, mas estava tudo funcionando normalmente.
Acho que você não precisa se preocupar.
Espero ter ajudado.
Boa viagem.

regina
reginaPermalinkResponder

Outubro é uma boa epoca para viajar nessa regiao? acha q 10 dias sao suficientes para ver Veneza, Trieste, Viena e Budapeste nessa epoca?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Regina! Em outubro ainda não estará tão frio quanto no inverno. 10 dias não são suficientes para uma boa viagem por 4 cidades, não. Lembre-se que o dia de deslocamento é praticamente um dia perdido.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

Geórgia
GeórgiaPermalinkResponder

Olá, Riq e Boias, sempre leio o Vnv e faço a lição de casa, pesquisando sobre os lugares antes de sair comprando as passagens. Mas esse ano deixei as passagens pra ultima hora e ainda não comprei as das férias de agosto, em que pretendia ficar 30 dias entre Berlim/Munique e arredores (talvez incluindo as cidadezinhas da rota romântica) e a tríade Viena-Budapest-Praga. As notícias das chuvas continuam chegando e não sei o quanto os lugares turísticos, principalmente das cidades do leste europeu e do interior sul da Alemanha, foram afetados. Vocês têm informações concretas? Corro o risco de conhecer as cidades "pela metade" ou será que até agosto tudo estará como antes? Já estou cogitando mudar o roteiro pra, quem sabe, parte do Reino Unido com Amsterdan e Berlim! Obrigada desde já por todas as incontáveis ajudas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geórgia! Até lá estará tudo em perfeitas condições.

Geórgia
GeórgiaPermalinkResponder

Que assim seja! Obrigada!

Gisele
GiselePermalinkResponder

Olá Bóia,

Embarco para Praga dia 26 de Julho e retorno de Praga para RJ dia 12 de Agosto.
Gostaria de umas dicas, de quantos dias ficar em casa cidade, pensei em ficar 4 dias em Praga, 4 dias em Viena, 4 dias na Croácia e mais 4 dias em Budapeste, depois um dia de retorno à PRaga.
Você acha que está legal? Na Croácia, estou na dúvida de onde ir, Zagreb ou Dubrovnik?
E qual o melhor deslocamento, por trem ou avião?
Obrigada, Bóia.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gisele! Dubrovnik é bem mais interessante do que Praga. Da próxima vez, compre sua passagem multidestinos, chegando por um lugar e saindo pelo outro. Essa volta a Praga vai complicar sua viagem.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/passagens-internacionais-como-evitar-o-erro-mais-comum/

Das suas cidades, Dubrovnik só é ligada por vôos regulares diretos a Viena. Para as outras cidades as conexões aéreas são complicadas e o trem deixa longe. O jeito mais simples para realizar o seu roteiro é fazer Praga-Viena de trem, Viena-Dubrovnik-Viena de avião, Viena-Budapeste de trem, Budapeste-Praga de avião. Durma em Praga na véspera de voltar.

Ana
AnaPermalinkResponder

Olá, no caso de uma viagem para a Hungria e para República Checa, países que não adotaram o euro, essa moeda é amplamente aceita? Se sim, há uma diferença a mais em cada compra? Compensa trocar euro em casas de câmbio nesses dois países ou utilizar a moeda europeia mesmo? Para finalizar, no caso do VTM euro, quando utilizados na Hungria e Rep. Checa, qual as taxas para compra (débito em florint e coroa) e saques. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana! Recomendamos fazer saques em moeda local com o seu cartão de banco, devidamente habilitado.

Cartões de débito internacional tipo Visa Travel Money são pouco efetivos porque haverá uma taxa de conversão de uns 5%, bastante próxima dos 6,38% do IOF do cartão de crédito.

Casas de câmbio sempre são menos vantajosas do que fazem crer, inventando comissões ou oferecendo má cotação.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/06/cash-debito-credito-vtm/

Gabriela Gastão

Olá, boa noite!!
Gostaria de sua orientação. Meus pais irão em setembro, para Praga, Viena e Genebra. Preciso saber em que bairros eles deveriam ficar? Em Praga, estou vendo hotel perto da Ponte Carlos; Em Viena no bairro Innere Stadt e Genebra no centro. Estou no caminho certo?
Muito obrigada, abraços, Gabriela.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriela!

Em Praga o Ricardo Freire recomenda Malá Strana:
https://www.viajenaviagem.com/2011/04/onde-ficar-em-praga-mala-strana/

Gabriela Gastão

E em Viena e Genebra, pode me indicar também?
Desde já, agradeço muito.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriela!

Leia sobre Viena:
https://www.viajenaviagem.com/2012/04/hoteis-viena/

Não temos conteúdo sobre Genebra.

Ana Audun
Ana AudunPermalinkResponder

Em Praga o bom é ficar em Praga 1, a cidade é bem pequena dá para ir andando para tudo que é interessante ver.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Boa noite bóia,
estou tentando comprar uma passagem de trem praga-viena pelo site http://www.cd.cz/en/ e estou com uma dúvida com relação ao tipo de passagem (documento): 1- ticket with possible reservation e 2- place reservation only. não consegui localizar a diferença entre eles, e há uma diferença razoável de preço... gostaria de poder reservar o assento, qual opção devo escolher??
Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luciana! Em princípio parece que a opção (1) é a compra de passagem com a possibilidade de reservar assento, se houver assento disponível; a opção (2) é apenas para a reserva de assento, para quem já tem passagem comprada.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Obrigada! Fiz a conversão dos valores e parece que realmente é isso mesmo. Poderei confirmar depois da viagem. Desde já agradeço as informações do Blog, foram muuuito úteis para que eu pudesse me organizar!

antonio
antonioPermalinkResponder

Ola Ric e Bia, pretendo viajar para Budapeste (14 a 17/08) e Viena (17 a 20/08). Precisaria de dicas de hoteis em Budapeste. O hotel Art Hotel Vienna, em Viena, na Brandmayergasse 7-9, 1050 Viena, seria uma boa dica?

grato.

Antonio.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Antonio! Veja os hotéis que os leitores recomendam aqui: https://www.viajenaviagem.com/2013/06/20-hoteis-budapeste-comentados

antonio
antonioPermalinkResponder

ola de novo Bóia.

Não estou conseguindo acessar sua resposta. pdoeria repeti-la?

antonio
antonioPermalinkResponder

Olá Bóia, obrigado pelo link.

E o Hotel de Viena, o que vc acha?

Tem um link para Viena tb?

Gratíssimo,

Antonio

carlo farani
carlo faraniPermalinkResponder

Olá, Bóia!!!
To querendo comprar o trecho Viena / Praga pela obb e n consegui ver a diferenca entre as passagens SparSchiene Tschechein e Standardpreis Internacional. A diferenca d precos é muito grande

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Olá, bóia,

Estarei de carro alugado na Alemanha a partir de 24 de novembro; pensei em Pilsen (1 dia), Praga (2 dias), Bratislava (1 dia), Viena (2 dias), para depois voltar a Alemanha por Innsbruck/Zugspitze. Vc me recomendaria abortar algo para aumentar em outro local? Sabe algo sobre necessidades especiais para carro alugado na Rep. Tcheca e Eslováquia? Gostaria de conhecer Bratislava pois em uma viagem para Veneza, no meio do verão absurdo, fiquei horas batendo papo com um cidadão de Bratislava que só me contou maravilhas rsrsrssr Que achas?

Será que entre 22 de novembro e 02 de dezembro vou pegar temperaturas muito baixas?

Obrigado desde já,
Alexandre

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alexandre! No inverno você terá dias curtos e está pensando num ritmo acelerado demais para curtir a sua viagem. Vai ser praticamente estrada pura.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2013/05/10-conselhos-viagem-de-carro/

https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

https://www.viajenaviagem.com/2007/08/europa-aviao-trem-ou-carro/

Lu
LuPermalinkResponder

Boia, em Viena o stand ticket só tem no Ópera de Viena ou em outros teatros também?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lu! Em outros teatros também. Quando escolher o espetáculo, verifique se a casa oferece. Procure por standing room tickets.

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Olá,
Estou indo para a Europa em agosto e tem uns trechos que vou fazer de trem: Budapeste - Viena - Praga e estou pesquisando os preços.
Onde a Wanessa comprou passagem de trem por 13 Euros?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiane! Você deve comprar a passagem de Budapeste a Viena ao chegar; não dá para comprar no site húngaro e parece que o austríaco não vende passagem com origem fora da Áustria.

jane
janePermalinkResponder

Olá Bóia
Pretendo ir c meu marido e um casal de amigos ao leste europeu, em outubro próximo. Iniciaremos por Viena pois eles têm um congresso lá ( 4 dias). Queríamos conhecer tbem Budapeste, Praga e Dubrovnick .Vc pode sugerir algum roteiro?
Grata, Jane

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jane! Há vôos diretos a Dubrovnik de várias cidades da Europa ocidental, mas não há vôos da Europa oriental. A logística dessa viagem será complicada.

Na Europa Central, o roteiro ideal é Budapeste-trem a Viena-trem a Praga.

Viena é a única dessas cidades com vôos diretos a Dubrovnik.

Outubro já não é uma boa época para o litoral croata.

Se quiser mesmo realizar esse roteiro, você vai de trem a Budapeste, voa a Praga e de lá a Dubrovnik, com conexão em Viena.

Rafaela
RafaelaPermalinkResponder

E arriscado deixar para comprar passagens de trem de praga- Viena- budapest no local? A viagem será no final de agosto.
Obrigada,
Rafaela

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafaela! Compre no dia que chegar a cada cidade. O trecho Viena-Budapeste é fácil de comprar pela internet em http://www.oebb.at/en . Você pode tentar comprar Praga-Viena em http://www.cd.cz/en .

José Neto
José NetoPermalinkResponder

Vou para Viena em um Congresso em setembro. Terei 3 dias livres após o mesmo. Gostaria de conhecer mais uma cidade: Budapeste ou Praga ? O que vale mais a pena?

Ali
AliPermalinkResponder

Eu segui uma receitinha diferente e contra-intuitiva, mas que deu super certo.
Primeiro, eu fiz o que todo mundo diz ser necessário fazer: comecei por Budapeste. Não queria correr o risco de ter um sentimento de anti-clímax durante a viagem. Mas também não estava a fim de passar pela adrenalina de comprar as passagens de trem apenas ao chegar lá, em alta temporada. Fui então para Berlim de Easy Jet (foi bem baratinha a passagem) e de lá segui de trem para Dresden (2 horas), onde passei uma noite, e de Dresden segui para Praga (2horas e meia).
Dessa experiência extraí a seguinte lição: Trem, no verão, só em primeira classe. O trem de Berlin para Dresden, que vinha precisamente de Budapeste, estava super-hiper-mega lotado. O perrengue só não foi maior porque o trajeto era curto. As pessoas e as malas viajavam amontoadas no corredor. Eu tinha pago reserva dos assentos, mas não consegui chegar até ele porque havia um amontoado de malas empilhadas de e mochileiros dormindo no corredor. A gente viajou sentado em cima das mossas malas na entrada do trem. Uma aventura, para dizer com olhos otimistas.
Ao chegar em Dresden troquei as passagens do dia seguinte para a primeira classe. Vale cada centavo. No verão, não hesite: compre a passagem de trem de primeira classe. É perrengue-free.
Viena ficou para uma próxima vez, quando eu for à Suíça. Ao pesquisar os preços dos hotéis, achei todos caros demais e considerei, ainda, que o roteiro ficaria excessivamente repetitivo. Resolvi passar os últimos dias em Londres (hotéis no mesmo valor de Viena).

Marcia Daskal
Marcia DaskalPermalinkResponder

Oi Ali, estou no Motel one westbanhof, fica praticamente dentro da estacao, com transporte facil para o ring e proximo ao Schonbrunn. Paguei 86 Euros o quarto duplo, bom para os padroes de Viena.

Ali
AliPermalinkResponder

Agora, um outro tópico => Ao contrário de 95% dos turistas, eu prefiro Budapeste à Praga.
Não há como discutir que a beleza de Praga é de tirar o folêgo. É realmente embasbacante. Mas a vibe de Budapeste, na minha opínião, é muito melhor. Eu poderia ficar uns 10 dias por lá. Parece Paris uns 15 anos atrás, quando era possível flanar e ter a sensação de que certos recantos tinham sido descobertos por você.
Budapeste é mais espalhada. Isso é uma vantagem e uma desvantagem. A desvantagem é que você não tem a sensação nossa-vi-tanta-coisa-em-tão-pouco-tempo que Praga proporciona. A vantagem é que nenhuma atração fica apinhada de gente. Andar na rua em Budapeste é uma experiência mais autêntica do que em Praga. Comer em Budapeste é mais fácil. Considero comer em uma cidade fácil quando consigo acertar mais de uma vez apenas seguindo minha intuição, sem precisar devorar todos os guias.
Não me senti numa festa no formigueiro. Em Praga, por vezes, parecia que eu estava na Disney, que aquilo tudo não era de verdade. Em alguns momentos tive a sensação de estar num parque temático do Leste. Claro que isso foi influenciado pela estação.
Will Tizard, que vive em Praga desde 1994, diz que a melhor época para conhecer a cidade é o Outono. http://www.telegraph.co.uk/travel/destination/czechrepublic/prague/35005/Prague-city-break-guide.html
Budapeste no verão é alegre, mas não é superlotada, apesar de ser a sexta cidade mais visitada da Europa.
Enfim, me apaixonei por Budapeste.

Laura
LauraPermalinkResponder

Bóia, eu e o meu irmão vamos no último final de semana da oktoberfest de Munique, depois queremos fazer Budapeste-Viena-Praga. Começamos por Budapeste mesmo estando mais perto de Viena e Praga? Qual o melhor jeito de ir de Munique a Budapeste ou entao Viena/Praga? Abraço!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laura! O mais fluido seria Munique-Praga-Viena-Budapeste.

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Boa tarde, estarei indo para o leste europeu (Viena, Praga, Budapeste e Berlim) no final desse mês e voltarei na segunda semana de setembro (ficarei uma semana em Paris) gostaria de saber sobre o clima, temperatura, se faz muito frio, não sei o que colocar na mala. Obrigado.

Flavio
FlavioPermalinkResponder

Olá,boa tarde!

Gostaria de saber como é feito o transporte de malas nos trens de Budapeste/Viena/Praga e se nas estações existem elevadores para as plataformas.

Obrigado.

Fabio de Rezende

As malas, tanto nos trechos Budapeste/Viena/Praga, como em toda a Europa, podem ir em 3 lugares: em cima dos assentos, em bagageiros na entrada dos vagões ou em bagageiros dentro dos vagões, que ocupam o lugar de uma ou duas fileiras de assentos.

Normalmente as principais estações da Europa (as grandes) possuem elevadores, mas se alguma não tiver a chance de ser em Budapeste é grande, em Praga é média e em Viena é mínima.

Ali
AliPermalinkResponder

Em Praga tem elevador, sim. O trem que faz essa rota, na segunda classe e no verão, fica abarrotado de gente e de malas. Para quem está com muita bagagem é perrengue na certa. Em alta temporada, se você estiver com muitas malas ou com criança, é mais seguro comprar passagem de primeira classe.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavio! O transporte de malas é feito pelos passageiros em todos os trens da Europa. Você pode contratar carregadores na estação.

Marcus Vinicius Cruz

Pessoas do VnV,
Em especial, Wanessa, Riq, e Bóia!
Seguimos a sequência e as dicas da Wanessa/Riq e tudo foi muito tranquilo neste julho/2013 no circuito Budapeste-Viena-Praga: reservas, transfers, passeios, deslocamentos.
Sugerimos atenção na Estação Central de Trem em Budapeste que está com os arredores em obras e a sinalização interna é um pouco confusa para encontrar o totem para retirada de bilhetes reservados via web! Passageiros com bilhetes de primeira classe têm direito à sala reservada, mas os atendentes não foram dos mais educados! Aproveitem,
Abs,
Marcus

Fátima
FátimaPermalinkResponder

Pretendo conhecer Roma,Veneza,Varsóvia, Amsterdã,Bruxelas, Budapeste, Viena e Praga
Li que posso fazer de trem Budapeste a Viena e de Viena a Praga. Sei também que posso comprar passagem de trem de Amsterdã para Bruxelas.
Gostaria de receber o site que compro o trem de Budapeste para Viena e Praga.
A passagem pretendo comprar chegando por Amsterdã e saindo por Praga.

Gostaria de receber orientação como faço o restante do trajeto.
E o site que posso marcar o taxi em Praga.
Desde já agradeço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! Você deveria ter comprado a volta pela Itália; você vai fazer um belo de um zigzag para conseguir encaixar essa volta por Praga.

Você vai ter que voar de Bruxelas a Veneza ou Roma, de Veneza ou Roma a Varsóvia, então de Varsóvia a Budapeste.

Veja passagens de avião em http://www.skyscanner.com.br .

Leia mais:
https://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar