Loja livre (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Duty Free

Qual o destino de viagem preferido do brasileiro no exterior? Orlando, você vai dizer, de supetão. Se conhecer as estatísticas, vai falar Buenos Aires. Dependendo do seu círculo de amizades, talvez arrisque Nova York ou Londres ou Barcelona. Espíritos românticos dirão Paris. Já ouço reclamações vindas aí de trás por eu não ter ainda mencionado Itália ou Portugal.

Se você pensou num desses lugares, lamento: errou. O lugar preferido do brasileiro no exterior é o Free Shop.

Como eu sei disso? Tenho um site sobre viagens. Recebo mais perguntas sobre free shops do que de sobre qualquer atração turística onde quer que seja.

Tome por exemplo Buenos Aires. Por mais que os guias e reportagens descrevam a capital da Argentina como a terra do ojo de bife, do Malbec e do bandoneón, no imaginário brasileiro trata-se do free shop mais próximo de casa.




Há poucos meses pensei que o povo brasileiro fosse pegar em armas para tentar reverter a transferência de inúmeros vôos do aeroporto de Ezeiza (o Cumbica de Buenos Aires, a uma hora de viagem) para o Aeroparque (o Congonhas portenho, do ladinho do centro). Tudo porque o free shop do Aeroparque tem um quinto do tamanho de Ezeiza. Mas desde então tenho percebido um aumento nas viagens a Buenos Aires com conexão em Montevidéu. Imagine: dois free shops numa viagem só! Isso sim são férias.

Tá pensando o quê? Brasileiros trocam acarajés e caipiroskas arretadas no Nordeste por daiquiris aguados e piñas coladas xaroposas no Caribe só pela possibilidade de fazer uma fezinha no free shop.

É fácil entender essa fixação. Somos o povo mais oprimido por impostos do planeta. É maravilhoso poder pisar nesses lugares em que você não paga nada para o governo para se maquiar, se perfurmar, se embebedar ou arranjar um câncer de pulmão. O novo IOF no cartão estragou um pouco a brincadeira, mas nada que viajar com um bolo de dinheiro vivo não resolva.

No free shop tudo é chique. Só tem grife, do chocolate à almofadinha inflável de pescoço. E todo cliente é importante: são lojas freqüentadas apenas por viajantes internacionais!

E qual é o segundo destino de viagem preferidodo brasileiro no exterior? Fácil: é o Outlet.

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


87 comentários

Mariana "de Toledo" _ @merel

Genial!!! lol

Outlet eu sempre tive um verdadeiro horror. Free shop tem lá seus encantos, mas eu me atenho aos comestíveis só, sempre... smile

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Já fui muito em outlet, hoje não perco um minuto do meu tempo por lá, só tem produtos de qualidade duvidosa e ultrapassados que acabo nem usando depois, é o barato que sai caro.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Christos
ChristosPermalinkResponder

Eike visao triste de viagem!!!

Manu Tessinari

A-M-E-I! Riq, mais sensível impossível!!!! Eu tinha clientes na agência que faziam exatamente isto! Escolhiam as rotas e os aeroportos de acordo com a qualidade do free shop e as primeiras coisas que pediam para eu indicar nos mapas da cidade eram os outlets...

Karla Gê
Karla GêPermalinkResponder

Excelente texto! Nunca havia pensado nisso dessa forma, mas vc tem toda razão! Em uma ocasião, quando fui a Buenos Aires (para me divertir na cidade e não por causa do free shop, onde, aliás, nem comprei nada pois havia gasto tudo antes!) uma colega de albergue disse que não iria ao show de tango (era a primeira vez de nós duas na cidade) porque com aquele dinheiro poderia comprar dois relógios no free shop! Na época fiquei chocada, mas agora lendo seu texto consigo entender o tipo de viajante que ela era...rs
beijo gde

Ricardo Brasil

O do Panama é estilo shopping de tao grande. Confesso que fiquei só nos chocolates por me sentir no Paraguay. Vou passar por lá de novo mes que vem, alguma dica de loja? É limpeza? Preços bons de cameras? Há site?

Abracos

Augusto Rocha
Augusto RochaPermalinkResponder

Poderia até virar uma dica né Riq, caso vc se perca no exterior, procure o Outlet ou Free Shop mais próximo que você encontrará o grupo.

Clara
ClaraPermalinkResponder

Estou rolando de rir, Riq! smile

Aliás, quais os melhores free-shops do mundo, na sua opinião e na dos trips? No sentido da variedade, qualidade e preço, e não o mais bonito.

Schnaider
SchnaiderPermalinkResponder

Prova maior da fixacao de brazucas por Free Shops acontece em Foz/Pt Iguassu/Ar, mesmo tendo o Paraguay ao lado o free Shop de Puerto Iguassu vive lotado!!! Paraguay durante o dia - casa/hotel - banho - Free Shop da Argentina, e claro, jantar tbem na Argentina p fechar o dia com chave de ouro! No outro dia, Cataratas da Argentina ou do Brasil e todo mundo solta essa: da para darmos uma passadinha no free shop de novo? wink

Marcio Nel Cimatti

A mais pura verdade!! Minha mãe é um exemplo fez sua primeira viagem internacional não faz tanto tempo.

Ficou super empolgada! Essa viagem acelerou seus conhecimentos em internet só p/ poder consultar sobre a viagem na internet. Sobre a viagem?? Nada!! Ela ficou craque em sites de free shop. Sabia tudo!! O que era melhor no free shop brasileiro, no americano, etc..... Impressionante!!!

E outro dia fui surpreendido novamente. Ela me deu uma aula de cupons nos free shops de Orlando. Minha mãe sabe das coisas!!!

Marcie
MarciePermalinkResponder

Rindo litros, aqui. Principalmente porque eu não entro num free shop pra salvar minha vida. E em outlet, eu entro uma vez por ano, voltando de Nantucket - e ainda assim porque senão a filhota me mata e eu gosto do meu nariz do jeitinho que é...! wink

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Sou um ponto fora da curva, detesto free shop e nunca fui a um outlet.... Na verdade, sou pouco consumista smile

Clara
ClaraPermalinkResponder

Elisa, apesar de já ter ido a free-shop e outlets, também me considero uma pessoa pouco consumista. E quando pinta ocasião, sempre prefiro comprar para os outros...nem acho isso vantagem, simplesmente é fato.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Crônica maravilhosa, Riq. Um retrato do Brasil real com seu humor inteligente e sensível.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Muito bom!
Eu tenho uma certa implicância com free shop por conta dos pedidos. Basta marcar uma viagem que o povo do trabalho fica pensando...o que vou pedir do free shop!
Na ida é bom, é uma distração até o horário do vôo.
Já presenciei em Buenos Aires uns brasileiros tão loucos com compras no free shop que fiquei com vergonha!

Fran P.
Fran P.PermalinkResponder

Eu já pensei nisso. E acho também que tem muita loja em NY que se sustenta por causa das brasileiras ávidas por compras. Basta ver um item qualquer aclamado nos blogs brasileiros de moda/beleza que é bem provável que ele esgote no mundo... rsrsrsrs. Não sei se é bem assim, mas juro que tenho essa impressão...
Eu adoro um free shop, confesso. Aguardo muito uma viagem pra comprar coisas que no Brasil são caras demais... rs.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Me sinto um outlier sad Já até comprei máquina fotográfica em free-shop, mas "viagem de compras" é algo assim que não existe no meu léxico. Tenho medo de pensar na ideia de organizar uma viagem centrada em compras. No máximo, é mais uma das atividades, rápida e objetiva.

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalinkResponder

Pecado passar pelo free shop e não comprar nem uma bebidinha né? smile

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Muito bom!!! Voce e' sempre genial, Riq.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Continuando, nunca penso em viagens com compras, maass uma passadinha no Free Shop eu adoro, confesso.

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

+ 01. Compro pouco, mas adoro!!!

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Pior que é verdade! Me lembro que quando vc noticiou por aqui a questao do Aeroparque, alguém protestou sobre a M.A.C. !Simbólico!Se alguém buscar o post, vai encontrar o comentário, rsrsrs.

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Acho que esse alguem fui eu.... se não falei, com certeza pensei. A MAC é o meu alvo no freeshop. Fiquei triste qdo soube que o vôo ia para o Aeroparque e não Ezeiza, mas sabe que no final gostei muito do Aeroparque? Fiz uma conexão pra Montevideo e adorei ficar ali, olhando o rio...

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Eu adoro o Aeroparque!

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Sensacional!
Eu adoro um free-shopp, para mim é um parque de diversão rsrsrs, mas confesso que na volta para o Brasil não passo mais na lojinha.
Na última vez que passei, queria comprar uns vinhos smile, tinha uma fila infernal para o caixa!!!
O que só prova que seu texto está corretíssimo, né?

Anna
AnnaPermalinkResponder

Ai... posso confessar?? Fui a Miami e Orlando para fazer compras... única e exclusivamente. Chego nos aeroportos da vida com três, quatro horas de viagem só para passar no free shop e garantir meu estoque de chocolate Lindt, Milka e os MM's de presente para o povo (porque presente para criança na Europa não tem, então compra um pote de MM's decorado e tudo certo!!)

E outlets, deus do céu, como fazemos loucuras por eles... pegar trem, metrô, até o fim do mundo, só para garantir o tênis do ano, uma bolsa nova e roupa de academia ilimitada!!! rsrsrsrs

Desculpas ao povo que não viaja assim, mas concordo com o Riq sobre os impostos. Quem compra roupa de marca no Brasil é milionário!

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Não viajo para comprar, mas sempre tiro uns 2 dias p/ isso. Como vai resistir a uma camisa Ralph Lauren por U$40, sendo que aqui não se compra uma camisa da TNG com isso.

Paulo
PauloPermalinkResponder

Triste Verdade. Percebi a importância das compras pros viajantes brasileiros, quando "importantes" revistas de turismo estampam em suas capas dicas de compra, outlets em miami, onde comprar....
As oportunidades de conhecimento quando se vai a outro país são tantas, que é muita pobreza de espírito só ficar pensando em compras.

Kristen
KristenPermalinkResponder

kkkkkkkkk Patético mas é a pura verdade!

Silvia Oliveira

Eu também só consegui descobrir a loucura que as pessoas têm por compras em viagens (seja em free shops ou outltes) quando na fase jurássica do Matraqueando fiz um guia de outlets (tanto no Brasil quanto mundo). É top-post! Aliás, estou inclusive atualizando os artigos, incluindo novos outlets, porque sei que agrada em cheio ao leitor! smile

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Bom saber! Já mandei gente daqui pra lá pra checar esse post mrgreen

mariana
marianaPermalinkResponder

O free shop eh o destino preferido da galera, certeza, mas nao pode faltar uma ESCALA no stand do tax free.

juliana amorim

Claro, TAX FREE 2 destino preferido! Só porque nao tem em todos os lugares! rsrsrsr

Mari
MariPermalinkResponder

Olha, Riq, então o Chuí é um destino turístico extremamente mal explorado, porque lá tem um rua enorme, com um Free Shop colado com o outro!!
Bjos

juliana amorim

Ai, atire a primeira pedra que nao entra no free shop rsrsrs Algumas vezes percebo olhares como se algumas daquelas coisas fossem frangos de padaria, rolando, douradinhos, nas prateleiras. O cheiro é bom e sem imposto! que sonho pra nós que pagamos tanto imposto. Mas nem sempre é tão barato assim.
Outlet, eu nao mudo a rota por ele! Ainda que na minha próxima ida a Lisboa quero MUITO ir conferir o Freeport (depois de tantas recomendações de amigos)e aí aproveito para cruzar a ponte Vasco da Gama.
Arrumei uma desculpa boa, vai?! smile

Wander
WanderPermalinkResponder

humm ...vou mostrar este post prá minha mulher.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Pra saber se um aeroporto é muito frequentado por brasileirAs, basta passar no setor de cosméticos e ver como anda o estoque de Lancome; se estiver baixo é pq acabou de sair um voo para o Brasil.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

A última coisa que penso em uma viagem é fazer compras. Graças a Deus, casei-me com uma mulher que pensa da mesma forma.

Laura
LauraPermalinkResponder

Como sempre, disse tudo, Riq!
Já viram que em Ezeiza SEMPRE tem funcionário da TAM e Gol gritando dentro do free shop, chamando os passageiros pro embarque?
Não creio ser casualidade, mas nunca vi funcionários de outras cias fazendo o mesmo...rsrsrs

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Esse ÓTIMO post mostra bem como os empresários brasileiros de produtos e serviços ganhariam bem mais se os impostos não fossem tantos e tão caros, se a margem de lucro não fosse excessiva e se falta de concorrência não fosse crônica.

Não critico quem faz compras em países onde é mais barato. É uma questão de economia, a qual pode se reverter, inclusive, em mais viagens.

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Pe Esse
Concordo plenamente. Sempre falo aqui e acolá: os preços no Brasil sao proibitivos. Juntem-se a isto o cambio favorável, a ascensão da classe média , o espírito consumista e a obsessão por marcas e vira esse "deus nos acuda"de brasileiros comprando sem parar! Só IOF prá atrapalhar um pouco.
Comprar no Brasil é assalto.

Ludmila
LudmilaPermalinkResponder

PêEsse,
É a mais absoluta verdade! Certa vez um alto executivo brasileiro afirmou que fazia compras no exterior porque não tinha dinheiro para pagar pelos mesmos produtos no Brasil.
Eu adoro free shops, outlets e stands TAX Free... Já fiz uma viagem internacional a trabalho uma vez e presenciei a delegação brasileira entoando "gritinhos" de "Free Shop! Free Shop! Free Shop!" ao sair da imigração.

Marilia Pierre

eu sou um et

não vou a outlets, não busco compras na viagens e no free shop só compro chocolatinhos pro pessoal do trabalho

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Será que é muita ilusão pensar que em algum dia os preços dos produtos no Brasil serão compatíveis aos de outros países e nunca precisaremos comprar nada no exterior além de souvenirs e postais? Não custa sonhar, seria ótimo não precisar fazer comprar no exterior e só curtir as viagens pra fazer turismo mesmo. Pois infelizmente com nosso impostos, não comprar fora do país é burrice.Dependendo do que se compra , paga-se a viagem só no dinheiro economizado.

Ludmila
LudmilaPermalinkResponder

Alexandre, para ilustrar o que você disse: Na loja da Burberry aqui em Brasília, há um casaco por R$ 6.000,00 (sim... SEIS MIL reais). Um amigo acabou de voltar de Las Vegas e viu o mesmo casaco por USD 500.00...
Em uma continha rápida, paga-se o passaporte, o visto, a viagem, a hospedagem, o casaco, a alimentação e uma comprinha extra nos outlets e free shops do caminho! smile

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Eu assumo nunca pensava em compras durante viagens mas no panama nao resisti e confesso q passei dois dias da minha vida comprando, mas justamente o q o ric falou tao bem esses impostos abusivos as coisas saiam no minimo metade do preço e mt coisas um terço e como faz...nao resistimos eu e o marido e fomos as compras pq la vc se da conta q precisa de um monte de coisa q vc nao tava sentindo falta....mas sabe como é naquele preço e dificl resistir..ahuahauhauhau mas no free shop mesmo e so bebida e chocolate..

Amanda Sanchez

Riq, esse foi sensacional!!
Eu nunca viajo só para compras. Mas que eu curto um free shop, curto.

Aliás, me abriu os olhos para algo que (incrivelmente) eu não tinha percebido: vou passar as 3 horas de conexão em Houston no free shop!! =D

E aí, Luciana Misura, quais são as dicas quentes do free shop em Houston?

Abraços a todos,
Amanda

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Houston tem muitas lojinhas! Passeava lá no aeroporto mas nunca comprava!
Acaba comendo na praça de alimentação bebendo cervejinhas mesmo hehe

Claudio Motta
Claudio MottaPermalinkResponder

Fugindo um pouco do free shop, mas só para se ter noção de como as coisas são:

- CÂMERA REFLEX CANON EOS REBEL T1I na Fnac = R$ 5.000,00
- Passagem áerea BSB-NYC + aluguel de apartamento por 8 dias em NYC + mesma câmera na BH photovideo + participação na VNVNY = R$ 5.244,28

Dá para discutir alguma coisa???

Marcie
MarciePermalinkResponder

Não, depois dessa continha básica, não há mais nada a dizer. ( shock )

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Aproveitando a deixa pra mais uma continha basica , q desta vez não inclui compras :

*Noronha para uma pessoa : 5 noites numa pousadinha legal, com aéreo de POA , longe de feriados e férias : 5.450 reais

*Toronto no verão para uma pessoa :30 noites num apê legal, com aéreo (Copa)de POA : 4.500 reais

zuzu
zuzuPermalinkResponder

O problema é que se a gente fizer conta nao dá pra viajar pelo Brasil! Desiste-se no ato.
O ano de 2009 tirei só prá destinos brasileiros e foi, indiscutivelmente, o que me saiu mais caro!Mas fiz essa "promessa"prá mim e pros meus filhos , do contrário o Brasil fica sempre em último plano. Deu certo, mas de volta ao mundo real, tenho viajado muito mais prá fora do que por aqui.

Cristiana
CristianaPermalinkResponder

Argumento$$$$ incontestáveis. Afinal de contas, porque confrontar a viagem com aprendizado, cultura com a viagem que se aproveita para comprar? Não são atividades excludente e, conforme comprovou Claudio Motta, não aproveitar é burrice. Agora, não precisa ser SÓ prá comprar e ninguém precisa MUDAR roteiro em função disso.

yara cynthia
yara cynthiaPermalinkResponder

Não sou comprista, não gosto de chocolates, não uso perfumes muito menos maquiagem. Mas diante de garrafas de Red Label a 16 dólares, é impossível resistir.Vale até enfrentar a fila, sempre gigante, mesmo depois de horas dentro da classe econômica.

Igor
IgorPermalinkResponder

Free Shop e Outlet soam como música em meus ouvidos.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Essa é pro perguntódromo :
Tenho 8 horas entre voos no aeroporto do Panamá .
Alguma sugestão testada para passeio ?

Caroline®
Caroline®PermalinkResponder

Eu não comprei quase nada no free shop de Ezeiza. E as pouquinhas coisas que trouxe foram encomendas e lembrancinhas. Depois das lojas virtuais dos EUA, Europa e Hong Kong, isso perdeu um pouco da graça. Não preciso mais ficar guardando a vontade das minhas besteirinhas pra quando for viajar. É só continuar contando com a benevolência da receita e tendo paciência com os correios....

Bárbara
BárbaraPermalinkResponder

Não viajo para comprar, mas é uma questão de oportunidade. As coisas aqui no Brasil são tão incrivelmente mais caras do que em outros países, ou no free shop, que deixar de comprar numa ocasião dessas para comprar aqui dentro seria como rasgar dinheiro. Pelo menos pra mim. Amo maquiagens, perfumes e chocolates. É um momento de diversão, com certeza! rsrsrs...
Abraços!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Então, um ou outro espaço para comprar eu até encaro com cia. que queria fazer isso. O que não dá, o que eu nào aguento, é planejar uma viagem em torno das compras, mais ou menos assim: não é que o Free Shop estava lá, ou na cidade-destino havia um outlet onde fomos no dia em que choveu - isso é normal -, mas sim projetar toda a viagem em torno de compras e, ao menos para mim, no que é mais insuportável, começar a adotar a mentalidade barganhadora ("que passeio no museu que nada, eu quero é ir de carro de novo naquele outlet onde fomos ontem, porque eu não comprei achando caro mais agora vi que lá é o mais barato").

Ruim mesmo? Lista de compra de amigos, como naquele outro tópico que o Riq criou. Aí, não dá. Eu me recuso a acompanhar gente que perde um dia de viagem porque se sente com ressaca moral se não atender ao pedido do colega de trabalho, do cunhado, da tia, do amigo de academia... e já encontrei gente assim: a única satisfação da pessoa era em encontrar os itens procurados, 80% para outros que nem eram da família imediata, como se fosse assim uma viagem no séc. XVI em busca das especiarias da índia.

Maíra Corrêa

Olá! Ignorância nem sempre é boa: qual é o lance do IOF, hein? Por que é melhor em cash? Quanto isso economiza?!?!

Maíra Corrêa

APAGA!!!!!!!!!! Agora que eu vi que tem um texto sobre isso!!!
Desculpa!!!!

Gerson
GersonPermalinkResponder

Que pena, não vendem automóveis no free shop.

Juliana Amorim

Acabo de imaginar a cena: ao sair do desembarque internacional as pobres mocinhas se esguelando "táxi taxi" acenando loucamente, tentando chamar nossa atenção. Resposta: Não obrigada, acabei de comprar este modelo XPTO 14,motor 2.0, completo de fabrica, lançamento agora ali no Free Shop, já vou dirigindo!
Iam ter que alargar o curralzinho de saída com as malas! rsrsrs
smile

Renato Mechica

Concordo quando você fala que a fixação do brasileiro é por sermos o povo mais oprimido por impostos, mas tenho outro ponto: eu acho que somos um dos povos, senão o mais, preocupado em "parecer" do que "ser".

Se viajarmos e não retornarmos com montes de compras, as pessoas nos encaram como se tivéssemos cometido um crime ou um pecado grave. "Como assim, você viajou mas não voltou com compras???!!!"

O brasileiro hoje precisa mostrar as roupas, os relógios, os eletrodomésticos, os telefones, as 6 ou 8 malas cheias de coisas compradas nos outlets. Tem que mostrar e mostrar o tempo todo, de preferência o que outros não tem.

Acho que esse é o modo que as pessoas tem encontrado para se afirmar e se encaixar na sociedade atual, absurdamente consumista. É uma pena pois muitos perdem grandes oportunidades de conhecer locais interessantes por conta da gastação.

Fábio G.
Fábio G.PermalinkResponder

Pior que é tudo verdade smile

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Voltei de Orlando há 3 semanas onde cumpri a promessa de levar meu filho aos parques. Antes da viagem eu tinha dito que não perderia um minuto comprando nada. Ao ver em Outlets tudo no mínimo pela metade do preço e até por 1/4 do valor pago aqui surtei. Fritei o cartão de crédito e decretei aqui em casa: não compro mais nada no Brasil, a economia das compras lá fora paga a viagem uma vez por ano.
Discordo dos amigos lá em cima que dizem que nos Outlets só há coisas ultrapassadas. Comprei roupas lá que os vendedores do Shopping Iguatemi aqui nem receberam e nem sabiam que existem. Relogios de coleções novas por 1/3 do preço dos similares de coleções antigas aqui no Brasil. Se isso é ruim ...

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Henrique, ainda vamos ter filhos, nunca fui a Orlando, mas meu noivo já foi algumas vezes (eu só fui a Miami algumas). Adorei seu depoimento, está me fazendo me sentir mais mulher do que o meu futuro marido que já decretou que 1 dia é de Outlet he he.
Riq, adorei o post! Freeshop para mim é para comprar vinho sem risco de quebrar na mala, ainda que não tenham os vinhos que bebi na viagem.

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Cada um vive sua vida como acha melhor, mas acho deprimente essa loucura pro compras. Sempre me pergunto: quantos perfumes uma pessoa precisa pra viver feliz, ou tênis de marca, ou relógios? Como o André Lot falou, dar uma passadinha naquele Outlet do lado do hotel, ou comprar aquele chocolate gostoso no dutyfree enquanto espero meu vôo é normal, mas sacrificar tempo de viagem pra ir mais cedo pro aeroporto pra ter mais tempo no dutyfree é doença. Rehab já!

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

"dois free shops numa viagem só! Isso sim são férias." PERFEITO!!!! hahahahaha

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar