Cognatos (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Ilustração: Daniel Kondo

Ilustração | Daniel Kondo

Durante muito tempo eu achei que falar portuliano seria tão fácil quanto arranhar um portunhol. Agora que estou há quase um mês na Itália, no entanto, minha teoria escorreu pelo ralo.

Conhece a história dos falsos cognatos? Palavras de idiomas diferentes que parecem ter a mesma origem, mas significam coisas completamente distintas? O italiano está cheio delas. E não falo só de “morbido” (macio) ou de “sinistra” (esquerda). A coisa é muito mais grave.



Veja bem: “Pullman”, em italiano, não é pão de sanduíche. É ônibus!!! As calçadas de Veneza vivem sujas porque aqui “vaporetto” não é um poderoso aspirador a jato d’água, e sim um mero barco que opera o transporte público.

E “Cornetto”, então? “Cornetto” é o fim da picada. Se você parar em frente a uma sorveteria na Itália e começar a cantar “Dááááááááá-me um Corneeeeeeeeeeeeeetto”, o máximo que eles vão te dar é... um croissant, caso haja um à mão. Um croissant! Se você resolver continuar até o terceiro verso, “É da Gelato”, talvez eles entendam que você quer um sorvete de casquinha. Mas perceba como se trata de um idioma defasado: em italiano “gelato” ainda não virou “kibon”!

Não que o português não tenha suas esquisitices. Deve ser difícil para um estrangeiro entender que “pois sim” significa “pois não”, “se dar bem” equivale a “se dar mal” e “pra variar” quer dizer “pra não variar”.

Mas pelo menos aí existe um padrão. O aprendiz entende que em português a gente sempre diz o contrário do que quer expressar. “É pra já” significa “vai demorar”, “aparece lá em casa” quer dizer “nem se atreva” e “me liga” já aciona automaticamente o correio de voz.

Viale Cesare Battisti???Já o italiano é dúbio. “Ciao” significa tanto “oi” quanto “tchau”. “Prego” pode querer dizer “por favor” ou “de nada”. Como assim? Tudo é tudo, nada é nada. O que será que a moça realmente quis dizer quando me deu “buongiorno”?

E por que Cesare Battisti é nome de rua em toda cidade por onde passei? Fui à Wikipedia e descobri que, em italiano, Cesare Battisti significa tanto terrorista quanto herói italiano do começo do século passado.

Se bem que, em português, Orlando Silva quer dizer...

Leia mais:

Outras crônicas de Ricardo Freire no Divirta-se

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email
Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem


37 comentários

douglas
douglasPermalinkResponder

merda no teatro, não é aquela fezes

Marcie
MarciePermalinkResponder

Genial! lol

Gerson
GersonPermalinkResponder

Ricardo.
Eu prefiro guardar na memória, Orlando Silva o cantor das "multidões

alexandra
alexandraPermalinkResponder

Parabéns! Show de crônica.

Mauro Nogueira

Riq sempre comentando e informando com um bom humor incrível. Adoro!!!

Fabio H. >> Por Todos os Lados

Muito bom e divertido, como sempre! wink

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

rsrsrss esse negócio do Cornetto já rendeu em San Gimignano!!!

http://www.youtube.com/user/cristaleo#p/a/u/2/xjAMFEI83fo

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Hahahahahahhahahahahahaa

Fabio de Rezende

'Prego' é realmente complicado, eu usei 'prego' pra tudo.

Arthur | Agora vai mesmo

Concordo, eles falam "prego" significando "claro", "pois não", "de nada", e eu já estava me achando numa marcenaria.

Outra coisa que eu não entendi de jeito nenhum na Itália:
gorjeta. Uma hora eu dava gorjeta, devolviam. Outra hora não dava e olhavam travados. Outra hora eu dava a gorjeta e aceitavam. Grandes mistérios da vida do turista...

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

"Prego" é uma interjeição com vários usos, de fato.

val
valPermalinkResponder

Sensacional!!!

e o famoso " só um minutinho"? tem coisa mais demorada??? eek

Pati
PatiPermalinkResponder

E nada mais dubio do que as plaquinhas de sinalização em Veneza que apontam duas direções que levam para um mesmo lugar, ou ainda as placas que tem uma seta e está escrito: "tutte le direzione..."
wink

Sílvia Oliveira

Ish, a lista é longa: "Baffo" significa bigode e "burro" é manteiga! E "fede" é tão simplesmente "fé". mrgreen

Ana Veloso
Ana VelosoPermalinkResponder

Ótimo artigo, Ricardo! smile Lembro quando fui numa pizzaria em Roma, tentei me comunicar com o garçon em italiano mas não deu certo. Decidimos falar em inglês e pedi uma pizza de pepperoni... qual não foi a minha decepção na hora que vi chegar uma pizza que só tinha pimentão e nada de calabresa!!

Maria Helena
Maria HelenaPermalinkResponder

Ricardo, como sempre ensinando um monte! E de maneira divertida! Ana, obrigadíssima pelo teu comentário: vou p/ Roma em uma semana e tenho pa-vor sad de pimentão, argh, argh! Como seria calabresa, então, gente?

val
valPermalinkResponder

salsiccia! mais um pra lista...wink

Maria Helena
Maria HelenaPermalinkResponder

"obliged", val.

Isabel O., Portugal

Ah, pois, pois... até parece que o português do Brasil não está cheio de rasteiras.

Em lojas do Rio, os empregados diziam-me sistematicamente "ói" várias vezes seguidas (a que eu respondia de novo educadamente "bom dia" ou "boa tarde" e "olhe, se faz favor" [deve ser lido à pressa e à portuguesa]). Nem as novelas me salvaram. O "ói" não era um cumprimento, como sempre pensei, e sim "pode repetir?"
E por falar em "prego" - no Brasil tb é bife de vaca no pão, como por cá?
A parte final da mensagem é uma dica para o Ric e para a Bóia, sobre uma notícia da Wallpaper sobre Portugal.
http://fugas.publico.pt/Noticias/295600_as-20-razoes-para-estar-em-portugal-segundo-a-wallpaper?pagina=-1

Coloquei-a aqui para não ficar perdida, mas pode ter informações giras para serem dadas na pasta de Portugal.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Isabel. Que eu saiba, por aqui, prego não é bife de vaca .Também não é comum falar bife de vaca. Em geral ,usamos só bife - já se entende que é carne de boi. Carne vermelha e/ou carne de boi são expressões comuns; mas carne de vaca, não. Talvez pelo costume de se abater mais os machos, as femeas ficam como matrizes de bezerros e ,em algumas raças, para a produção de leite.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Exemplos excelentes! Já tive problemas com falsos cognatos Portunhol, Espanglês, Portuliano, Portinglês e até entre alemão e inglês, nem sei como chamar este!

Lucia
LuciaPermalinkResponder

ai ai...toda vez que alguém me cumprimentava com ciao eu dava tchauzinho....

mas a gente se vira...num enrolês msm...rs

Tiago Caramuru

que delícia de crônica!

carrico
carricoPermalinkResponder

E piu, que é o apelido de um amigo meu, é mais. E mai não significa mais mas sim NUNCA. E squisíto, assim como em espanhol, não quer dizer esquisito porém delicado ou delicioso.

Lívia
LíviaPermalinkResponder

Uma certa feita, quando um senhor italiano me chamou de "squisita", fiquei chateada, afinal, eu sempre o tratava com gentileza.
Depois, minha irmã que havia morado na Itália me falou que significava, entre outros, "gostosa"....
Ganhei o dia !

Eneida
EneidaPermalinkResponder

E servizzi que eu achava que era a área de serviço dos restaurantes mas significa toilette! Um mico!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Meio fora de moda usar isso. Vem de servizzi igienici. Hoje em dia usa-se bagno ou toillete para se referir ao banheiro.

Esmeraldo
EsmeraldoPermalinkResponder

Ricardo,

Biscoito fino. Squisito!

Clarice
ClaricePermalinkResponder

Querido Riq, felicidades pelo dia 29 de outubro, um abraço bem apertado!! smile

val
valPermalinkResponder

opa...estamos de aniversário? Parabéns!!!! wink

Lucia
LuciaPermalinkResponder

Ricardo! Aguri!!!!

Lucia
LuciaPermalinkResponder

Meu irmão estava noiva de uma juiza. A prima italiana ligou, era muito cedo, ela perguntava se a juiza era bonita ( brava) e eu dizia que não!!!! Eu estava sonolenta e pensava em rigidez! E carteira de motorista é patente!!!

Anderson
AndersonPermalinkResponder

Carne de vaca se fala muito por aqui sim... De repente não em toda parte, mas sempre ouço (e falo) aqui pelas bandas de Brasília.

Silvia Andrade

Nos programas culinários da TV fechada, sempre vejo a referência a carne bovina sempre como beef. Mas a gente aprende todo dia. Num restaurante de especialidades portuguesas em Arraial do Cabo, RJ (Tuga) provei o "prego" (serve no pão, na portão tipo aperitivo e no prato também), filet mignon delicadíssimo (diz o cardápio que é feito com molho shoyu, mas não senti nenhum sabor), o molho é daquele que vc fica secando os pãezinhos até limpar a travessa. O lugar é simples (no cantinho da Praia dos Anjos), mas a comida e o atendimento fazem toda a diferença. Quem for até lá experimente (além do bacalhau)a Cataplana de frutos do mar. Prato típico do Algarve que não conhecia e agora virei fã.

Celina
CelinaPermalinkResponder

Delícia de crônica. Acho que prego pode ser tudo mesmo, de obrigada,a espere um pouquinho, a "claro que sim!". Mas em Roma e em Veneza eles falam muito o "ilalinglês", sempre que notam que a pessoa é turista. Ai que saudade dessa terra!

carrico
carricoPermalinkResponder

Ontem lembrei de mais dois: cattivo, que não é querido mas mau, e brutto, que não é brutal mas feio.
PS: Riq, és um dos melhores cronistas da imprensa atual!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Entender direções em italiano também é bem difícil para quem nào tem um domínio basicão da língua: salire, scendere, attendere, girare, prendere.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar