Enxoval no exterior: leitores contam como é a volta pela alfândega

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Enxoval no exteriorSurgiu uma polêmica na caixa de comentários do post sobre limites e isenções de compras no exterior.

Muitos trips estão relatando uma mudança de atitude dos funcionários da alfândega com relação a enxovais de bebê. Há quem afirme que artigos de bebê não são considerados de uso pessoal quando o bebê ainda não nasceu. Outros afirmam que carrinhos de bebê estão fora da isenção. Ou que o fato de enxovais contarem com inúmeros artigos repetidos faria com que esses artigos fossem tributados de qualquer maneira.

Você que viajou recentemente para comprar enxoval de bebê nos Estados Unidos: conte pra gente como foi a sua passagem na alfândega.

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email
Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

217 comentários

Camila
CamilaPermalinkResponder

Olá ! Cheguei ontem de nova york com minha mãe após fazer o enxoval da minha bebe .Ouvia pessoas dizendo trazer roupas ate 2 anos , voltando com 4 malas e nada tinja acontecido. Eu trouxe basicamente roupas ate 9 meses , brinquedos e mamadeiras. Não trouxe comigo nem carrinho e nem bebe conforto ( isso eu ja tinha comprado. ) e nem eletronicos. Nas minhas malas so existiam coisas baratas. Mas eram 5 malas para 2 pessoas .Não teve jeito , fomos paradas e muito mal tratadas , uma tremenda grosseria e falta de educação. Eu gravida carregando mala de 30 kg e ninguém me ajudava. Me fizeram colocar minhas malas no RX , depois tirar, depois colocar na mesa e tirar Mais 2 vezes! Uma crueldade. Abriram minhas malas e por fim tivemos que pagar 2500 reais. Não achei nada justo. Não comprei nada de caro , Nada que justifique esse valor. Achei que roupinhas não entrassem na cota mas pelo visto ...
Enfim vejo que e sorte! Tem gente que e parada tem gente que Nao é. Ser taxada entao ... Depende do humor do fiscal e da educacao. Eu Gravida e com colica e minha Mae exausta de tanta carregar as malas.
Algumas perguntas ...
Me disseram que no final do mes eles ficam Mais em cima, e verdade? E domindo é pior ? voos de Chicago Sao menos parados ?
Obrigada ... E boa sorte as outras familias.

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Camila que horas vc desembarcou, será que tem algum horário que seja mais tranquilo!?

Cristiano
CristianoPermalinkResponder

Regras são regras querida... E os fiscais não são carregadores de malas, se você não quer carregar malas pesadas que leve um auxiliar pra carregar ou então deixe elas vazias.

Kátia
KátiaPermalinkResponder

Nossa, Cristiano. Quanta grosseria. Ela está grávida e não pode carregar peso ou será que você não entende isso? Um pouco de cortesia e educação não faz mal a ninguém, nem a você nem aos fiscais da receita.

Ricardo
RicardoPermalinkResponder

Caro Cristiano, como se mostrou muito rígido nas suas colocações, deveria buscar rigidez no aperfeiçoamento da língua portuguesa, no caso, da assassinada, por você, língua portuguesa.

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Concordo que regras são regras, nos EUA gravidas são tratadas como qualquer pessoa, não é doença, ela escolheu estar nesta situação, ela se sujeitou a comprar muito e carregar malas pesadas. Mas... claro... gentileza NUNCA é demais, com certeza se eu fosse um fiscal, teria ajudado.

Aproveitando, será que os fiscais ficam mais atentos as grávidas? Pois todos sabem que muitos pais fazem enxoval fora do país.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcio! Parece que os fiscais estão mais atentos em relação às grávidas, sim. Mas isso não quer dizer que todas as grávidas são paradas para abrir sua bagagem.

Livia
LiviaPermalinkResponder

Ficam sim, da vez que eu trouxe o carrinho eu nem grávida estava, e tinham três grávidas já barrigudinhas no meu voo enrolando pra passar, pra ver se escapavam, mas não teve jeito, quando os fiscais viram as barriguinhas foram direto nelas.

Jose antonio
Jose antonioPermalinkResponder

Idiota...... comentario bem dispensável. .

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Cristiano, gentileza é sempre gentileza, vc que nunca esteve grávido e nunca poderá ter esse prazer na vida não sabe o que é carregar uma barriga...

Misael
MisaelPermalinkResponder

Poxa mas 2 pessoas e 5 malas? Se eu fosse o fiscal iria achar que você tem loja de roupas também!! Viagem precisa de planejamento, na minha opinião vc poderia ter evitado tudo isso! Boa sorte na próxima.

Marina Fink
Marina FinkPermalinkResponder

Olá pessoal, tudo bem? Li varias respostas de vocês e gostaria de saber se alguém fez o seguinte voo: Miami - buenos Aires - Porto alegre. Vamos viajar em novembro e nosso voo sai de poa para buenos Aires, e de lá até Miami, na volta troco de avião em buenos Aires e na teoria chego a Porto Alegre vindo da argentina. Alguém já fez esse trajeto ou o trajeto Miami - lima - Porto Alegre? Sabe me dizer como é a alfândega em poa? Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! A alfândega é igual em qualquer parte do Brasil. Os fiscais podem estar rígidos ou bonzinhos. Não há padrão por cidade.

Marina Fink
Marina FinkPermalinkResponder

Oi Bóia, obrigada, mas minha pergunta era mais se alguém já tinha tido a experiência por essa rota, visto que há registros de experiência em varias cidades e não encontrei ninguém comentado de Porto Alegre. Obrigada

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Pessoal, vou para Miami e meu voo de volta é Miami - Lima - Porto Alegre. Quero trazer de Miami um carrinho de bebê para a minha irmã que está grávida. Alguém sabe me dizer quais as complicações disso?

Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Um carrinho sem criança entra na cota de 500 dólares. A caixa do carrinho quando despachada, conta como bagagem. Se estiverem voltando com 4 malas, terão que pagar pra despachar o carrinho. E dependendo do tamanho da caixa, se passar da medida padrão, a cia. aérea pode cobrar por isso também. Cada cia. tem suas regras. É sempre bom se informar sobre taxas e valores. A vantagem é que sua bagagem segue direto para Porto Alegre. Em Lima você não precisa se preocupar.

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Que horas foi seu voo?

camila
camilaPermalinkResponder

Oi bóia, oi pessoal!
Passei as duas últimas noites em claro preocupa com o retorno da viagem de férias pela Califórnia, com uma esticadinha de 2 dias em Miami para a compra do enxoval da nossa filha. Li os posts desse e de outros blogs com experiências e dicas, na esperança de ler algo que me acalmasse... Voltamos hoje pela manhã e chegamos no Galeão. Compramos um carrinho mais completos e um bebê conforto, além de várias roupinhas e mais outras mil coisinhas que só não tem por aquele preço irresistivel. Tenho mais duas meninas de 7 e 4 anos a trouxemos roupas, tênis, fantasias de princesas... Enfim, éramos eu e meu marido com duas malas grandes, duas médias, duas de mão e duas mega caixas.
O que fazer? Bom, resolvemos pagar o imposto sobre o excedente do carinho + bebê conforto considerando o limite de uma pessoa ( 500,00) e deixamos a outra cota para o que tinha na mala. Lógico que havia muito mais na mala do que o limite, mas resolvemos seguir assim.
Apresentamos a guia de quase r$ 700,00 paga e fomos super bem tratados! Bem tratados: havia alguém para ajudar a carregar de descarregar as malas do carrinho, né ofereceram lugar para sentar enquanto esperava meu marido apresentar a documentação... Enfim, claro que o fator sorte contou. Acho tv que não termos levado eletrônicos contou. Mas sinceramente saímos de lá com a impressão de que termos pago efetuado o pagamento do imposto dos itens de mais valor contou bastante.
Boa sorte a todos!
Camila

Alexandre Aguiar

Olá bom dia, alguns comentários sobre alfândega:
1- Se vc tem direito a duas malas é lógico que trazendo 5 o fiscal da receita vai te parar, por isso tire todas as embalagens e faça sua mala ficar compacta.
2- No Galeão ao desembarcar fique mais tempo no DF e deixe a fila diminuir......ao final verá que os fiscais são simpáticos e nem perguntam nada.
3- Gaste dinheiro no DF assim eles pensam q vc não comprou muita coisa e deixam passar na boa.

Livia
LiviaPermalinkResponder

Como SEMPRE sou parada na alfândega (devo ter cara de muambeira, só não sou parada quando venho com uma mala só, e mesmo assim às vezes ainda me param) eu e meu marido resolvemos começar o enxoval antes mesmo de engravidar. Aproveitamos nossas últimas idas aos EUA pra adiantar coisas grandes como carrinho, bouncer, babá eletrônica (valor alto), numa outra viagem tudo relacionado a bebê que fosse unissex (mamadeiras, brinquedinhos, tapete de atividades, jumper, cadeira de alimentação, etc) e somente na última que eu já estava grávida compramos roupinhas. Meu marido teve a oportunidade de voltar a NY e vai trazer mais umas coisinhas agora. Eu tenho certeza que se comprasse tudo junto seria parada e taxada. O carrinho custou 400 dólares mas a fiscal somente o considerou como cota, desconsiderou tudo que eu trouxe pra mim

Debora Vale
Debora ValePermalinkResponder

Pessoal, acabei de voltar de viagem e, como esse site sempre me ajudou muito a tirar dúvidas, resolvi vir aqui para contar minha experiência e tentar ajudar outras pessoas também. Eu fui viajar a trabalho e aproveitei os dias que estive nos EUA para comprar as coisas do enxoval do meu filho. A primeira coisa que digo é, se a gestação está entre o terceiro e o quinto mês, esse é o período ideal. Eu estou nessa fase e confesso que seria bem difícil fazer tudo que fiz com a barriga maior. Segundo, se você tiver a possibilidade, não vá sozinho (a)! É MUITO mais difícil estar sozinha para carregar as coisas, arrumar as malas, decidir os melhores modelos, além de ter mais menos espaço para trazer as coisas. Eu comprei o carrinho Quinny porque era o mais compacto para trazer junto com o bebê conforto Maxi Cosi na Amazon e pedi para entregar no hotel. Foi a melhor coisa que fiz porque em todas as lojas pelas quais eu passei não tinha esse modelo de carrinho na cor que eu queria. Essa dica é valiosa, se você realmente quer alguma coisa específica, não deixe para comprar na loja física porque a chance de não encontrar é alta, compre pela internet. Em três dias você consegue comprar tudo e arrumar as malas tranquilamente, se você for uma pessoa objetiva e tiver uma lista bem detalhada do que quer trazer. A lista foi primordial porque quando você chega na loja tem vontade de comprar tudo e precisa se manter firme no que havia planejado (isso é essencial para manter seu orçamento e a boa utilização do espaço nas malas). Eu trouxe tudo o que queria. Todas as roupinhas da lista, acessórios para alimentação, amamentação, higiene, bouncer, cama e banho, termômetro, etc etc etc. Em apenas duas malas porque na de mão estavam as minhas coisas! Milagre total, rsrsrsrss... Eu consegui colocar tudo dentro das duas malas grandes que levei. Elas ficaram explodindo, mas coube tudo (incluindo o carrinho e o bebê conforto!). Eu fiquei com medo de comprar aquelas malas extensoras e chamar muito a atenção do fiscal no aeroporto, então, minha única alternativa era fazer caber tudo nas que eu tinha levado mesmo. Eu peguei as medidas na Amazon e verifiquei se cabia nas minhas malas principalmente o carrinho e o bebê conforto que eram as maiores coisas, porém, como o bebê conforto tem um formato ruim de acomodar, meus anos brincando de lego foram fundamentais pra conseguir fechar a mala no fim, rs. Quando desembarquei no aeroporto de Guarulhos, fui ao freeshop comprar alguns chocolates e depois fui para a fila. Cheguei segunda feira por volta das 9h00 da manhã. Estavam chegando alguns vôos, mas nada que nos fizesse esperar demais, estava relativamente tranquilo. Quando chegou a minha vez, o fiscal olhou pra mim, olhou pras malas e perguntou: "Você está vindo de onde?" Eu respondi "De Andover". Essa era a cidade que eu tinha ido tarbalhar, então falei a verdade. Só que ele não sabia onde era Andover, hahahahaha. Ficou me olhando com cara de "não sei" e falando baixo, "andover, andover..." rsrsrsrsrs. Aí perguntou "Com quantas pessoas você está?" Eu disse "Estou sozinha". Ele respondeu "Então pode ir para o raio x por favor. Vejam, eu não estava com mais malas do que poderia. Tinha duas grandes e a pequena de mão. Todas as pessoas que estavam passando comigo e estavam com a quantidade de malas permitida estavam sendo paradas. As únicas que passavam direto eram as pessoas com crianças (uma ou mais) ou famílias muito grandes porque ele não conseguia contar a quantidade de malas e pessoas rapidamente, logo, acabavam todos passando. Para vocês terem uma ideia, tinha um rapaz na minha frente com apenas uma mala grande e quando disse que vinha de NY, o fiscal o mandou para o raio x na hora. Eles estão bem criteriosos com quem volta dos EUA. Passei pelo raio x, a minha mala com o carrinho deu um mega apito e o delegado veio olhar o que era. A moça do raio x falou "só tem esse carrinho". Aí ele disse "então deixa ela passar". Ela disse que eu poderia tirar minhas malas e ir embora. Conclusões que eu tirei pelas demais pessoas que vi passando aflição na fila comigo: Se você vai fazer o enxoval, esqueça todos os eletrônicos maravilhosos que você poderia trazer. Tenho certeza que se eu tivesse comprado um Ipad eles iriam mandar eu abrir minha mala. Traga seu enxoval e eles provavelmente não vão encher o saco, mas se virem eletrônicos junto, é bem alta a chance de te pedirem para abrir a mala. Se vc estiver sozinha (o) e com as duas malas grandes já conte que irá para o raio x. É quase impossível passar pelo modo como eles estão fazendo agora. Não minta, se mentir é pior. Eu já estava preparada para abrir as malas e dizer que era meu enxoval mesmo e que sabia que estava trazendo coisas a mais. Se você tentar mentir ou enganá-los, eles ficam furiosos e vão fazer de tudo pra te aplicar a pior multa da sua vida. Se você estiver com muito medo, declare as coisas mais caras que estiver trazendo. Essa é a única maneira de passar com uma certa tranquilidade pela PF e a tendência é que eles te tratem com mais "amabilidade", rs. Apesar que não posso reclamar, mesmo tendo ido para o raio x, eles não foram grossos, não me maltrataram em nenhum momento e ainda veio um rapaz me ajudar a colocar as malas no raio x. Bom gente, é isso... se alguém quiser a lista das coisas que eu trouxe, me envie um email que eu mando. Meu email é deca01@gmail.com. Boa sorte a todos. Abraços.

Dariella
DariellaPermalinkResponder

Débora, adorei as dicas. Te mandei e-mail, pra tirar algumas dúvidas.

ITAQUI
ITAQUIPermalinkResponder

Bom, como várias vezes uso informações do site acho justo dar minha contribuição.
Fomos entre dois casais para os EUA, as duas mulheres grávidas, em Novembro/2014.
Compramos bastante coisa, saímos do Brasil com uma pré lista determinada e já sabendo o preço da maioria das coisas. Visitamos San Francisco e Las Vegas, deixamos para comprar tudo em Las Vegas para não ter que carregar as coisas nos trajetos internos (pagando bagagem).
Algumas coisas devem ser lembradas: Você tem que comprar as passagens para a sua cidade, sem fazer conexão com mudança de companhia, senão pagará taxa interna. No nosso caso compramos as passagens De e Para Porto Alegre, pela Delta, na volta você tem que pegar as bagagens no primeiro ponto de pouso no Brasil, mas as bagagens estão e seguem despachadas para o destino final.
Como eu disse, compramos bastante coisa. Organizamos tudo nas malas, exceto o carrinho de bebê. O carrinho de bebê trouxemos na caixa, a Delta nos cobrou US$ 50,00 por caixa de Las Vegas até Porto Alegre, foi muito prático. A única dificuldade é o tamanho da caixa quando você está transitando lá dentro dos EUA. Estávamos numa Dodge Gran Caravan, compramos dois carrinhos e colocamos os dois dentro do carro quando compramos e só tiramos no aeroporto. No dia da partida dos EUA tivemos que fazer duas viagens do hotel até o aeroporto por causa das malas, cada pessoa trazia duas malas e cada casal um carrinho na caixa. Mas tudo deu certo. Na alfândega optamos por passarem primeiro as duas mulheres, elas foram paradas pelo pessoal, eles fizeram algumas perguntas, passaram as malas no raio-x e embora tivesse bastante coisa dentro não fizeram caso, foram muito educados. Os homens passaram individualmente, com sua bagagem mais a caixa do carrinho. O primeiro foi parado pelo pessoal, também não houve problemas. O segundo, que era eu, não foi parado, apenas me fizeram umas perguntas na fila mesmo, tipo: quanto eu tinha pago pelo carro (US$ 400,-), informei (tinha a nota no bolso) e me mandaram passar. Tudo tranquilo.
Nos EUA compramos quase tudo na Babies'rus e no Target, é bem prático. Tem que ir com tempo, principalmente na Babies'rus, porque tem muita coisa. Tem que ter foco senão fica muito tempo olhando e não compra o que deve.
Acho que valeu a pena, pelo preço e pela qualidade dos produtos.
Espero ter ajudado.

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Vou deixar meu depoimento.
A primeira vez que fui em 2012 pra Miami, fiquei com muito medo de trazer coisas, e acabei trazendo so uma mala, mas tinha um notebook. Quando passei na alfandega quase morri, mas nem fui parado passei direto, usei a estrategia de ir atras de gente que tem 3 ou mais malas, porque essas pessoas quase certeza que serão parados.

No ano seguinte fui com minha familia, dessa vez ja perdi o medo, trouxe muita coisas em 2 malas, equipamentos eletronicos, coisas bem caras, Segui a mesma estrategia e passei tranquilo.

Ultima viajem em fevereiro de 2014 fiz, fui e trouxe varias coisas de novo, eletronicos, 2 video games e varias outras coisas. Fui atras de pessoas que muitas malas e passei tranquilo.

Mas sempre segui o critério de ter 2 malas e nao levar nada a mais, apenas algumas compras no duty free. Ande bem arrumado quando for passar na alfandega, tranquilo e sempre perto de alguém que tem mais chances do que vc de ser pego, principalmente com caixas ou malas extras.

Mas sempre me falaram que eles conhecem com tem cara de "muambeiro", eu acho que não me encaixei nesse perfil.

Sempre que vou trago as coisas que gosto desde que caiba nas malas, pois mesmo sendo taxado as coisas sao mais baratas que aqui.

Espero ter ajudado

Jessica
JessicaPermalinkResponder

Bom, minha experiência é um pouco diferente por que eu não fui só fazer o enxoval, fui ter meu bebê lá...
Voltei de tam, alfandega do rio, com carrinho bugaboo, parte grande e Moisés dentro da caixa com mais um monte de coisas entulhadas dentro, a caixa é maior que o limite mas no falaram nada! Fora isso mais uma mala minha e duas da minha mãe, tudo explodindo, trouxe até a banheira, duas bases pro bebé conforto no carro (um dentro da mala) um monte de brinquedos, roupas, duas almofadas de amamentação (essas na mao)... foi uma loucura, meu marido já tinha voltado com mais duas malas, foi uma verdadeira ĺoucura... Não fui parada nem taxada, não sei se é porque já estava com o bebê ou se porque bem na hora da alfandega meu bebê decidiu que queria colo abriu o berreiro... mas o cara só me perguntou o que era a caixa, disse que eram as partes do carrinho e só...
Sempre digo, Deus da sorte pra quem não tem juízo rsrs

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Eu cheguei na semana passada de Miami. Fui com minha mãe e minha vó, trouxe 1 carrinho de bebê com bebê conforto e suporte pra carro, uma cadeirinha de balanço e uma mala com roupinhas, mamadeiras etc.
Ao chegarmos, óbvio, com dias caixas imensas, fomos encaminhadas ao Raio X, nos pediram as Notas Fiscais de tudo, estava tudo dentro do limite, e bos deixaram passar sem maiores problemas.

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Só li histórias bonitas com final feliz. Estão com muita sorte os leitores acima. Meu caso foi um pouco mais stressante e dispendioso. Minha mulher foi parada no corredor do "nada a declarar". Ela estava com meu sogro. Cada um com duas malas. Estavam também com o carrinho e dois bebes conforto, pois são gêmeos. Carrinho e bebes conforto (1500 dolares) + baba eletronica (100 dolares) + notas do enxoval que ela apresentou (1950 dolares). Total ficou em 3550 dolares. Diminuindo as isenções de 500 dolares por passageiro, ficou em 2550 dolares tributáveis.Resumindo. Cobraram o imposto de 50% e mais a multa de 25% por não ter declarado. Entao, de imposto e multa, pagamos 1900 dolares!!!!!!!!!!! dolar do dia 3,71. ----> 7050 reais

Gustavo
GustavoPermalinkResponder

O grande erro, foi voce mostrar todas as NF, principalmente das roupas.....minha sogra foi parada uma vez, e eu estava com a NF de tudo,mas apenas mostrei do perfume e das bolsa.....dae eles estimaram bem menos que existia.......

Márcia
MárciaPermalinkResponder

Passei ontem pela Alfândega do Aeroporto Tom Jobim no Rio de Janeiro e quando você opta pelo "Nada a Declarar", já é encaminhado automaticamente para as máquinas de Raio X. Tem que passar tudo pelo Raio X. Até a bolsa pequena que você esteja carregando com documento, cartões, etc... Não tem mais jeito, pelo menos no Rio de Janeiro. Estava vindo da Espanha, não trouxe praticamente nada , então não tive problemas.

DANIEL BAPTISTA

Aqui em Fortaleza - CE também quem for para o Nada a Declarar tem que passar pelo raio-x

Raphaela Freitas

Voltei semana passada da Europa, não fui fazer enxoval mas resolvi contar aqui sobre minha passagem pela alfândega, vim por Guarulhos, estávamos eu e meu marido, cada um com uma mala, além de uma de bordo e uma mochila. Nosso voo vinha de Madri e compramos algumas coisas no free Shop de lá (estávamos com 4 sacolas, se não me engano) na fila do "nada a declarar" a fiscal chamou o rapaz q estava sozinho a nossa frente e a pessoa q vinha logo atrás, não lembro se ela estava acompanhada ou se estava sozinha, mas sei que estava com mais malas.
Acho que a questão das sacolas do DF ajudam sim mas claro se vc tbm não estiver cheio de bagagens.

Ana
AnaPermalinkResponder

Marcio,, sinto muito te dizer, aqui nos EUA jamais aconteceria isso,, americanos são muito educadossss,, cansei de receber ajuda pra subir, ou descer escada de 15 , 20, degraus, com minha filha no carrinho de bebê,,, e isso sem sequer pedir, ajuda, eles se oferecem. E se vc não prestou atenção,, ela está se referindo a alfândega do Brasil....

Larita
LaritaPermalinkResponder

Voltamos de Miami via Panamá com destino a Porto Alegre no dia 07/2/18, chegando na madrugada do dia 8 em POA, a 1:20 da manhã. Viajamos com o intuito de comprar o enxoval das nossas gêmeas e, claro, que isso implicou em gastos além da cota de 500 dólares por pessoa. Trouxemos tudo, carrinho duplo guarda-chuva, dois bebês confortos, roupas, lençóis, toalhas, mamadeiras, bicos e afins, produtos de higiene para os bebês e mamãe, brinquedos (muito pouco), algumas roupas de gestante, enfim... Durante toda a viagem eu controlei as notas fiscais, muitas coisas compramos pela Amazon, então imprimi as “invoices” diretamente no site. Separei as notas regentes às cotas de cada um e também, notas além da cota de itens que estávamos dispostos a declarar, caso achássemos que seria a melhor alternativa na chegada. Voo tranquilo, cheio, pegamos as malas rapidamente e ficamos por um tempo observando os fiscais. Deu para perceber que o perfil de passageiros variava bastante de poucas a muitas malas. Eu nunca havia passado pela aduana em Porto Alegre, e foi surpresa para mim ver que a saída da área de bagagens acontece por dois corredores distintos e relativamente longos, sendo que há um policial à postos na saída do “nada a declarar”. O policial estava observando a movimentação e abordava com frequência pessoas perguntando se estavam sozinhas, qual o número de malas, e sinalizava aleatoriamente para algumas retornarem ao raio x e serem fiscalizadas. Nós com 4 malas grandes, duas de mão, mais duas mochilas ficamos com receio é optamos pelo nosso plano B que era apresentar as notas e declarar os itens selecionados. Destes itens ficaram de fora algumas notas mais pesadas de roupinhas, pois já que são dois bebês, tínhamos um volume relativamente grande em roupas e fiquei com receio. Apresentamos notas que totalizavam $610 dólares para um e $598 para o outro, um excesso para o casal em torno de $200 dólares. Nessa hora esquecemos todas as dicas e “macetes”, não disfarcei a barriga, não entramos separados, tomamos coragem, enchemos o peito de humildade e fomos tratados extremamente bem pela senhora que nos atendeu. Ela perguntou o que tínhamos nas notas, expliquei ué estávamos voltando com o enxoval das nossas gêmeas, com os itens que listei acima, que havíamos ultrapassado a cota e que queríamos declarar. Enquanto isso, os outros fiscais estavam pegando pesado com algumas pessoas que haviam sido selecionados para voltar ao raio x, havia uma moça lá emcrencada por causa de um notebook. Nossa fiscal pegou todas as notas e uma calculadora, pediu o meu auxílio para explicar o que eram alguns itens que ela não entendia e, a única pergunta foi: estão trazendo eletrônicos? Falei que tínhamos a babá e um esterilizador de mamadeiras, não sabia se era desses eletrônicos que ela estava falando. Ela confirmou o valor que eu havia falado sobre as notas e saiu para conversar com outro colega. Na volta nos entregou todas as notas, passou nossas malas no raio x, questionando uma ou outra coisa e nos liberou sem o pagamento do imposto sobre o valor excedente, nem sequer abriram as malas. Essa aventura deve ter levado uns 40 minutos no total e achei o saldo super positivo! Espero que esse relato ajude, tínhamos pesquisado bastante sobre esse assunto na internet e não havíamos achado relatos muito recentes!

Tais
TaisPermalinkResponder

Bom gente! Como eu normalmente sigo à risca as recomendações aqui do VNV, vou contribuir com leu relato super atualizado.
Cheguei ontem de Nova York, em Guarulhos e de Latam. Fomos somente eu e meu marido fazer o enxoval do nosso bebê.
Compramos praticamente tudo pela Amazon (desde carrinho com bebê conforto, cadeirinha para carro, pomadas, roupas - quase a mesma lista do Hugo do post dos 90 itens de enxoval de bebê).
Nós passamos um pouquinho o valor limite (como compramos quase tudo em promoções, economizamos bem) - deu mais ou menos uns 600 dólares por pessoa, decidimos não arriscar: enfrentamos a alfândega na volta.
Como havíamos lido vários relatos de que os fiscais param gestante mesmo, fomos lá com a cara e a coragem. E deu tudo mais que certo!! A fiscal que nos atendeu foi super simpática, apenas perguntou se estávamos levando eletrônicos. Eu disse que havíamos comprado um esterilizador de mamadeiras, uma babá eletrônica e alguns brinquedos e que não sabia se isso era considerado de fato eletrônico (tirando a babá né). Ela disse apenas para passarmos nossas malas pelo raio-x e nos liberou sem sequer abrir as malas!
Gente, é lógico: fomos lá fazer o enxoval do nosso filho e ponto. Não inventem de trazer mil presentinhos e maid um monte de cacarecos. A tentação é enorme, mas o crime não compensa... Aa compras de coisas pra gente vão ficar pra próxima viagem!

Vivian Ricciardi

Ótimo relato! Obrigada por compartilhar!

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

Estou embarcando em 15 dias, com a mesma proposta, enxoval simples e dentro da cota de 500 dólares por pessoa.... Entrei nesses comentários para saber se o ideal seria mesmo declarar tudo, já que trarei as notas fiscais e não haverá infração, seu relato me deixou muito mais tranquila!! Muito obrigada!

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

E as regras são claras, né Cristiano. Se o fiscal não for com sua cara, vai te levar o tanto que achar que você consegue pagar. Se for não te pede nada

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar