Que moeda eu levo para o Chile?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Pesos chilenos

A moeda corrente no Chile é o peso chileno. Em agosto/2017, 1 real está sendo comprado a 185 pesos. O dólar está por volta dos 647 pesos. Essas cotações, no entanto, mudam a todo momento. Para saber as cotações atuais, consulte o site do Cambios Santiago (a cotação que vale é a de 'compra').

Note que, para obter isenção de 19% de IVA (imposto sobre valor agregado, o ICMS deles) no pagamento de diárias de hotel, é necessário pagar em dólar ou cartão de crédito internacional.

Se preferir, clique para ir direto ao tópico desejado:

Pagamento de hotel: use dólar ou cartão de crédito

Assim como outros países da América do Sul, o Chile isenta os turistas estrangeiros, que estejam há menos de 60 dias no país, do IVA (imposto sobre valor agregado) nas diárias de hotéis. Este imposto é cobrado dos chilenos e dos estrangeiros residentes.

Para obter esses 19% de desconto é preciso pagar a conta em dólar vivo ou em cartão de crédito internacional, com a fatura expressa em dólares. A fatura da hospedagem será um 'recibo de exportação'.

"Ah, mas não fica mais caro pagar a conta em dólar?" Não, não fica. A conversão é feita pela cotação oficial. É burrice pagar hotel no Chile em pesos.

Menu | Hotel | Dinheiro vivo: peso, real, dólar | Cartões: saques, pré-pago, crédito

Dinheiro vivo: peso, real ou dólar?

Quando você opta por viajar com dinheiro vivo, precisa montar uma estratégia de câmbio, para comprar e vender moeda em condições vantajosas. De nada adianta fugir dos 6,38% do IOF dos cartões se você trocar seu dinheiro por cotações 10% ou 15% abaixo da cotação justa.

Abaixo você encontra considerações sobre levar pesos, reais e dólares para o Chile. Mas saiba de antemão que não vale a pena comprar pesos chilenos no Brasil, e que reais são mau negócio fora de Santiago.

Levando reais ou dólares, esteja ciente de que fazer câmbio no aeroporto de Santiago não vale a pena. Para fazer seus reais ou dólares renderem, você precisa chegar num dia de semana e reservar a primeira manhã ou a primeira tarde para fazer câmbio numa casa de câmbio da avenida Pedro de Valdivia, em Providencia, ou na calle Agustinas, no Centro. Caso você não tenha essa disponibilidade, saiba que usar cartão de crédito será mais vantajoso.

Na minha última viagem, em agosto de 2017, consegui 183 pesos por real (já com IOF) usando cartão de crédito. Usar cartão de crédito foi 5% mais vantajoso do que comprar pesos no Brasil (175 pesos por real), 13% mais vantajoso do que trocar reais na casa de câmbio do aeroporto (163 pesos por real) e 3% mais vantajoso que trocar reais na casa de câmbio do shopping Costanera Center (177 pesos por real).

Meu cartão de crédito só perdeu para a cotação das casas de câmbio da calle Agustinas e da avenida Pedro de Valdivia (185 a 189 pesos por real, ou 1 a 2% de vantagem com relação ao cartão de crédito).

Ou seja: se levar dinheiro vivo, troque em dia de semana, em horário bancário, nas casas de câmbio da cidade (mas não no shopping). Se não puder, use o cartão pré-pago (se não quiser correr o risco de desvalorização cambial) ou o cartão de crédito sem peso na consciência.

Vale a pena comprar pesos chilenos no Brasil?

Não vale a pena comprar peso chileno no Brasil (nem qualquer moeda "fraca"). A cotação parece baratinha, mas pode ser mais de 15% mais cara do que você conseguiria por seus reais numa boa casa de câmbio Santiago, num dia de semana, em horário bancário.

Exemplo: em agosto de 2017, casas de câmbio em São Paulo ofereciam cotações entre 161 e 175 pesos por real; em Santiago era possível conseguir entre 185 e 189 pesos por real nas casas de câmbio da calle Agustinas no Centro ou na avenida Pedro de Valdivia em Providencia. A diferença entre a melhor cotação de Santiago e a pior cotação de São Paulo chegou a 17%.

Vale a pena levar reais para o Chile?

Santiago (assim como Buenos Aires e o Uruguai) é um dos poucos lugares onde o real tem um bom mercado. Atente, porém, a essas peculiaridades:

  • O real tem cotação melhor que o dólar nos meses de verão, quando há grande procura de reais por parte dos chilenos que viajam de férias ao Brasil
  • Durante os meses de inverno, quando há grande afluxo de turistas brasileiros no Chile, inundando o mercado de reais, a cotação do real baixa um pouco. Continua OK levar reais para Santiago, mas quem levar dólar (comprando bem o dólar no Brasil) conseguirá pelo menos 3% mais pesos
  • Não leve reais para fora de Santiago. Reais não têm boa cotação no Atacama, nos Lagos Andinos ou na Patagônia. Se for para esses lugares e não puder trocar reais em dia de semana, em horário bancário, em Santiago, leve dólares ou cartão de crédito

A cotação da casa de câmbio do aeroporto para reais é péssima -- a pior da cidade. Se precisar de alguns pesos vivos, troque o mínimo possível de reais (ou dólares; o dólar não tem a cotação tão aviltada quanto o real no aeroporto).

Note que o táxi oficial do aeroporto aceita cartão de crédito.

Você pode ver as principais zonas de casas de câmbio em Santiago neste post.

Vale a pena levar dólares para o Chile?

O dólar nunca deixa você na mão em países de moeda fraca. É uma aposta segura para manter o seu poder de compra em qualquer lugar do mundo em que você precise fazer câmbio para moeda local.

Lembre-se que, para fazer o seu dinheiro render ao máximo, você precisa comprar bem o dólar no Brasil -- ou seja, pesquisar a cotação antes de comprar. Comprando pela cotação mais baixa, e trocando esses dólares em Santiago em dias úteis, no horário bancário, nas casas de câmbio da avenida Pedro de Valdivia em Providencia ou da calle Agustinas no Centro, você fará bons negócios.

Atenção para as pegadinhas:

  • Nos meses de verão (dezembro-fevereiro) o real tem bastante procura em Santiago, o que faz com que se valorize. Nessa época, levar reais costuma render mais do que levar dólar
  • Fora de Santiago (Atacama, Lagos Andinos, Patagônia), levar dólar sempre é mais negócio que levar real (reais têm péssima cotação fora da capital). Ainda assim, é melhor trocar seus dólares em Santiago, porque a cotação na capital é melhor do que em áreas turísticas

Não troque dólares no aeroporto. A cotação é a pior de Santiago. Querendo conseguir seus primeiros pesos, troque o mínimo possível -- 50 ou 100 dólares, por exemplo. Lembre-se que o táxi oficial do aeroporto aceita cartão de crédito.

E lembrando mais uma vez: hotéis devem ser pagos em dólar vivo ou cartão de crédito, para que você obtenha a isenção de 19% do IVA (imposto sobre valor agregado, o ICMS deles). Se você pagar em pesos, vai pagar 19% a mais do que quem pagar em dólar ou cartão de crédito.

Menu | Hotel | Dinheiro vivo: peso, real, dólar | Cartões: saques, pré-pago, crédito

Cartões de crédito, pré-pago e saques em moeda local

Apesar de demonizados pelos 'especialistas' entrevistados pelos jornais (gente que certamente nunca precisou fazer câmbio num domingo em Santiago, Lima ou Bogotá), os cartões são meios de pagamento que você deveria considerar usar em países onde é preciso fazer troca de moeda em casas de câmbio.

Isso acontece porque a conversão oferecida pelos cartões é mais vantajosa do que as praticadas pelas melhores casas de câmbio, o que compensa parcialmente o efeito do IOF de 6,38%.

Um exemplo: na minha última viagem, em agosto de 2017, meu cartão de crédito fez a conversão à base de 195 pesos por real (ainda sem IOF). Nas casas de câmbio de Providencia e do Centro, em horário bancário, o real estava cotado entre 185 e 189 pesos. Aplicando o IOF, a cotação final que obtive foi 183 pesos por real -- entre 1% e 2% inferior à das casas de câmbio, ou seja, bem menor que os fatídicos 6,38%, e sem me dar nenhum trabalho, nem me fazer perder nenhum passeio só para poder fazer câmbio.

Evidentemente, eu corri o risco de uma desvalorização do real até o pagamento da fatura, que faria minha conta aumentar. Mas se eu tivesse usado cartão pré-pago, que congela o dólar no momento da compra, nem esse risco eu teria corrido.

Veja as diferenças entre saque em moeda local nos caixas eletrônicos, cartão pré-pago e cartão de crédito.

Vale a pena fazer saques em moeda local nos caixas eletrônicos?

Não vale muito a pena, não. O problema dos saques em caixa eletrônico é que, além do IOF de 6,38%, a cada operação incidem uma tarifa de saque internacional, cobrada pelo seu banco, e uma tarifa de uso do equipamento, cobrada pelo banco dono do caixa onde você está sacando.

Em agosto de 2017, sacando pelo limite máximo (200.000 pesos, quase 1.100 reais), consegui a cotação de 175 pesos por real, já considerando IOF e taxas. Nas casas de câmbio da cidade conseguiria 185 pesos por real; no cartão de crédito obtive 183 pesos por real (já com IOF).

Ou seja: o saque vale só pela comodidade.

Vale a pena fazer gastos com cartão pré-pago no Chile?

Não se assuste com o IOF de 6,38%. O imposto é compensado, em parte, pela cotação vantajosa de conversão de moedas. No fim das contas, você obtém pelos seus reais uma cotação apenas ligeiramente inferior (algo como 1 ou 2%) à das melhores casas de câmbio -- sem precisar se deslocar até uma casa de câmbio física, nem perder uma manhã ou uma tarde de passeio só para fazer câmbio, nem correr o risco de carregar um bolo de dinheiro vivo.

Com relação ao cartão de crédito, a vantagem do pré-pago é a a estabilidade cambial (você congela a cotação no momento da compra a moeda; se o real desvalorizar durante a sua viagem, você não é afetado).

A desvantagem do cartão pré-pago com relação ao cartão de crédito é que, em alguns hotéis (normalmente, de redes internacionais) é feito um bloqueio no check-in, que normalmente é maior do que o valor da estadia. Isso faz com que você fique com uma parte do seu dinheiro indisponível até o estorno, que pode demorar dois a três dias depois do check-out para acontecer. Cartões pré-pagos também não são aceitos para aluguel de carro.

Vale a pena fazer gastos com cartão de crédito no Chile?

Assim como acontece com o pré-pago, o IOF de 6,38% é parcialmente compensado pela conversão vantajosa do peso para o dólar. Na minha última viagem, em agosto de 2017, meus gastos em cartão de crédito foram convertidos, já com IOF, à base de 183 pesos por real. Nas casas de câmbio da cidade, em dia de semana e em horário bancário, conseguiria entre 185 e 189 pesos (entre 1 e 3% a mais). No aeroporto, teria conseguido 163 pesos (13% a menos).

O cartão de crédito oferece praticidade e segurança inigualáveis -- além de milhas. Sua desvantagem é a instabilidade cambial, já que se houver desvalorização do real até o pagamento da fatura, a conta vai subir de acordo. (Mas também pode ocorrer o contrário: se o real se valorizar frente ao dólar -- e isso acontece mais vezes do que se imagina -- no mês seguinte há o estorno da diferença.)

Onde conseguir pesos chilenos no aeroporto de Santiago?

As casas de câmbio que operam 24 horas no aeroporto usam uma cotação desvantajosa. Troque o mínimo necessário. Prefira trocar dólares, que têm cotação menos desvantajosa do que reais no aeroporto.

Se o seu cartão do banco estiver desbloqueado para saques internacionais, você pode também usar os caixas automáticos na área de embarque. Para o saque máximo (200.000 pesos, quase 1.100 reais), a cotação é melhor do que a da casa de câmbio do aeroporto, mas inferior à das casas de câmbio da cidade.

Os táxis oficiais do aeroporto aceitam cartão de crédito. A corrida sai o equivalente a 30 dólares.

Menu | Hotel | Dinheiro vivo: peso, real, dólar | Cartões: saques, pré-pago, crédito

Que moeda levo pra o Atacama?

Se você faz questão de viajar com reais, programe um dia útil em Santiago para fazer o câmbio, em horário bancário, nas casas de câmbio da av. Pedro de Valdivia em Providencia ou da calle Agustinas no Centro.

Caso vá ao Atacama 'direto', pegando o vôo para Calama em seguida, essas são as suas alternativas:

Melhor estratégia: leve dólares

  • Troque nas casas de câmbio de San Pedro. A cotação será uns 20 pesos inferior às boas cotações de Santiago, mas será melhor do que a da casa de câmbio do aeroporto de Santiago. Pague o trânsfer de Calama a San Pedro com cartão de crédito.

Alternativa: saques em caixa automático

  • Habilitando seu cartão de conta corrente para saques internacionais, ou usando um cartão pré-pago (tipo VTM) você pode fazer saques em pesos em caixas automáticos. O mais garantido é já sacar no aeroporto de Santiago: suba pela escada à altura da porta 4 do piso de desembarque. Ao chegar ao piso de embarque, você encontrará um caixa que aceitará cartões de qualquer banco (desde que habilitado para saques internacionais). Há também caixas em San Pedro, mas muitas vezes ficam sem dinheiro. Por causa da taxa de uso do equipamento (6.000 pesos), você conseguirá uma cotação inferior à que conseguiria trocando dólares em San Pedro -- mas será mais vantajoso do que trocar reais no aeroporto de Santiago ou que levar reais para San Pedro.

Plano C: cartão de crédito ou cartão pré-pago

  • Algumas agências de passeios não aceitam cartões. Muitas, porém, aceitarão -- mas cobrarão uma taxa. Ainda assim, sairá mais vantajoso do que levar reais para o Atacama.

Menu | Hotel | Dinheiro vivo: peso, real, dólar | Cartões: saques, pré-pago, crédito

Leia mais:

1052 comentários

Fabiano
FabianoPermalinkResponder

Isso mesmo, Ricardo... Estive no Chile mês passado fazendo um tour por Santiago, Viña, Valpa e o q restou do valle nevado (sem neve) e fiz mais ou menos isso q recomendou o post: levei 500 dolares pra pagar o apart hotel e "la propina", cara, como os chilenos gostam duma caixinha em dolar, qdo retornar ao mesmo restaurante os garçons vão te disputar... outra, qdo cheguei no aeroporto já saquei logo 200mil pesos (cerca de R$800), com esse $$ paguei o taxi oficial, daí pra frente só usei pesos e debito nos meus cartões do BB e Itaú, notei q o cambio usado pelos bancos foi o turismo... Dica, no centro velho, na rua do museu precolombino, proximidades do la moneda, catedral, etc, tem muitas casas de cambio fora do eixo apex... de dia e durante a semana as cotações são excelentes... Simbora pro chile q é um país maravilhoso, de dar inveja, esqueça o portunhol de Bs.As., lá é bom se esforçar e falar um pouquinho o idioma deles, o espanhol!!!

Iza Razera
Iza RazeraPermalinkResponder

Acabo de retornar do Chile, Onde percorremos de Puerto Montt a Santiago. Antes da viagem compramos pesos chilenos e no pagamento das contas não valeu a pena. Pagamos caro pelo peso e lá quase tudo pode ser pago em dólares. Feito as contas 1 usd custou 1,95 R$ e cls custou 0,55 R$. Ainda que com diferenças cambiais valeu pagar em dólar. As grandes despesas no cartão de credito não haverá surpresa desagradável na hora de pagar. Quanto ao Travel Money, vale lembrar que nem sempre há caixas eletrônicos para saques, então, dependendo do destino, não se pode contar com ele.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Iza! é preciso ir para um cafundó muito fora da civilização para não haver caixas automáticos. O Ricardo Freire percorre o mundo inteiro e só usa saques em caixa eletrônico desde 2001.

Pablo CB
Pablo CBPermalinkResponder

Bota cafundo nisso ein. Qualquer banco pelo caminho da pra sacar. Estive em setembro na rota puerto montt, puerto varas, frutillar, pucon e santiago. Saquei em todas sem problema algum, paguei apenas o hostels e um hotel no cartao. recomendo a todos esse mesmo esquema.

Silvia Andrade

Tá certo que na maioria dos lugares turísticos tem caixas eletrônicos e por isso comprei o Visa travel money no B. Brasil e carreguei com US$ 1000, para experimentar. No aeroporto de BAs saquei US$ 290, (quebradinho como o Riq recomendou para não sairem notas inteiras) e foi tudo bem, mas chegando em Bariloche tive problemas em em pleno Cerro Catedral. No primeiro caixa eletrônico (acho que era Banco Paris) e o cartão ficou preso. Foram 20 minutos de preocupação até que uma pessoa da administração do Cerro deu uma força e fez umas ligações do próprio telefone e aí do nada o cartão foi expelido pela máquina. Tentei no final da tarde em outra máquina do mesmo banco e o cartão ficou definitivamente preso (não havia nenhuma informação visual sobre se era Cirrus, Maestro ou qualquer outra bandeira) mais de 40 minutos depois eu desisti de esperar(e ver a cara feia das pessoas que quiseram usar o caixa que fica travado). No hotel liguei para o número para informar que o cartão principal estava perdido (nos dão dois cartões para segurança) o atendente confirmou um monte de dados e disse que aquele estava cancealdo e que eu podia usar o outro. Daí em diante só usei em débitos e nas máquinas de mão. Fui usando até que disseram que não foi mais autorizado - resumo da ópera não sei se acabou o crédito ou não. Para saber terei que ligar para um número deles (o que no exterior nem sempre é uma tarefa fácil). Soube que hoje já existe esse cartão com possibilidade de controle pela internet (saques), o que facilitaria muito.
Resumo: sobre o "travel money" acho é muito prático, mas para o viajante comum ainda é uma novidade e por isso pediria um post específico só sobre esta forma de levar dinheiro para que todos se informem e passem a usa-lo. Relatos sobre tipos e bandeiras vão aumentar a venda e produzir um efeito de concorrência entre os bancos que os vendem, fazendo com que eles baixem as taxas hoje cobradas.

gabrieli
gabrieliPermalinkResponder

Fui ao Chile em julho. Fiz como as recomendações do Ricardo. Reparei que para quem tem conta no Itaú lá tem um caixa a cada esquina. Mas os passeios, paquei tudo em dólar. Eles preferem.

geraldo silva
geraldo silvaPermalinkResponder

Olá Ricardo e outros viajantes com suas experiências na AM do Sul.Estou prestes a ir a Mvd,BsAs e Santiago/Ch.Sempre levo $$$ vivo (usd e reais)e o Cartão BB habilitado p/uso no exterior com as funções normais de créd/déb. Como vou passar aproximadamente 20 (vinte) dias nesse percuro, queria saber que tipo de ganho/facilidade terei se levar o Travel Money.Confesso que não sei usá-lo. Caso ao retornar e havendo saldo nesse cartão como resgatar esse saldo.O cartão também serve para sacar $$$ ou só pagamentos?? O $$$ sacado é em moeda do país ou usd?? Por favor aguardo as dicas.
obrigado,
geraldo

petter
petterPermalinkResponder

Olá amigos,
Estive em Santiago no início de ano. Pelo que vi o valor do peso chileno de agora se aproxima do que encontrei na época em que fui. O que é mais estranho é a proporção entre real e pesos chilenos (muito louca). Às vezes você perde a noção se o que está comprando é caro ou barato. Se me permite, vou deixar aqui o link da minha experiência com o peso chileno: http://euvou.blog.com/2011/04/banco-imobiliario/

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Eu moro no Chile. Recomendo saques com cartao de debito ou credito nos caixas eletronicos do Banco de Chile. A gente paga uma tarifa de 3000 pesos por saque, uns 12 reais. Minha formula para converter pro real é assim: se algo custa 40.000 pesos eu multiplico por 4, ou seja, o produto custa 160 reais. Ou entao, se custa 40.000 pesos, significa que custa 80 dolares (multiplico por 2). Com o tempo se pega o jeito nessas contas.
Sexta fui sacar dinheiro num caixa do Banco do Estado (Redbank) e minhas notas ficaram retidas dentro da maquina mas o valor foi debitado da minha conta. Estou aguardando o Banco do Brasil analisar meu pedido de devoluçao do dinheiro. Tenso. Nao gosto dos caixas REDBANK, sempre dao um tilt.
MAS A FORMA QUE MAIS GOSTO DE GASTAR AQUI é com cartao pre-pago em dolares. Tenho um da Mastercard e compro ate pao com ele. Aqui aceita-se cartao em muitos lugares.
Ainda nao estou com o visto definitivo de trabalho, entao nao consigo ter uma conta local... e vou me virando sacando no Banco do Chile e transferindo dinheiro pro meu cartao de credito pre-pago (prefiro).
Para carregar o pre-pago faço uma transferencia direta para a operadora do cartao, envio o comprovante e o dindim entra na conta. Bem pratico.

Natália
NatáliaPermalinkResponder

Olá Bóia, olá trips .... Respondendo às indagações do Geraldo, como o Bóia falou acima, o Travel Money é uma garantia a mais, é sempre bom levar porque, se seu cartão do Banco te deixar na mão, aquele te socorrerá. Explico com base em minha experiência. Eu fiz um Visa Travel Money (VTM) pela Casa de Câmbio Confidence, que existe no aeroporto de minha cidade. Escolhi a bandeira Visa, e escolhi também qual moeda seria a moeda do referido cartão (eles têm a libra, o euro, o dólar...mas não todas as moedas do mundo). Na hora de carregá-lo a cotação foi bem desvantajosa, mas mesmo assim o fiz, e encarei como um plano B. O VTM, ou qualquer cartão Travel Money, funciona como um cartão de débito, podendo ser usado para saques e pagamentos em débito. Os saques são feitos em qualquer caixa eletrônico tipo "Banco 24 horas" que existem nos outros países também. E no momento do saque, a moeda que sai do caixa eletrônico é aquela escolhida no momento da aquisição do cartão aqui no Brasil. Por isso, o ideal, para uso no continente americano, é carregar com dólar, porque até o final da validade do seu cartão Travel Money você pode fazer outras viagens, e é só carregá-lo de novo (caso não tenha mais dinheiro nele, se você tiver usado tudo na viagem passada). Lembre-se que com o Travel Money, assim como ocorre com o seu cartão de banco normal, será debitada uma tarifa pela transação de saque (em torno de $2 a $5 dólares, dependendo do valor sacado/tarifa cobrada pelo caixa eletrônico). Se você voltar da viagem e ainda tiver dinheiro em seu VTM, você poderá sacá-lo da mesma forma que no exterior, ou se dirigir ao emissor do seu cartão ( no meu caso, a Confidence) e pedir para tirar todo o dinheiro restante. Observe sempre o limite de saque por transação, alguns caixas eletrônicos no exterior te liberam $200 -$500 dólares por vez. Por exemplo, se você quer tirar $1.000 dólares, e o seu caixa eletrônico só te libera $200 dólares por saque, você terá que fazer 5 saques, e lhe serão cobradas 5 tarifas pelos saques. Assim, espero ter ajudado!

Agora eu queria fazer um adendo, pois, antes de viajar para os EUA, eu lí os posts do Riq sobre qual moeda levar para viagens, e, por inexperiência e até burrice da minha parte, não atentei que o Banco do Brasil também limita o valor dos saques diários, para R$ 1.000. Assim, eu só conseguia sacar uns quinhentos e poucos dólares por dia, o que fez com que eu diminuísse os gastos para que, nos finais de semana (onde esse limite era de de mil reais pelo fim de semana - ainda pior!) eu ainda tivesse dinheiro. Minha sorte é que em Nova York tem uma agência do Banco do Brasil, na rua 42, o que me permitiu fazer saques mais altos, pois como o funcionário do BB de lá informou, o banco sabe que os brasileiros que vão aos EUA vão pra gastar mesmo, então aumenta esse limite para saques na agência. Então eu pagava uma tarifa menor e sacava um valor bem maior que nos caixas eletrônicos ATM, que eu encontrava em qualquer esquina. Queria compartilhar essa experiência, até um pouco vexatória! Só não passei aperto maior por causa da agência do BB de NY! Se eu tivesse levado um Travel Money eu teria tido um plano B, que não tem limite de saque diário, e não teria passado minha viagem me preocupando se poderia comprar tal coisa, se não iria comprometer os dólares que eu saquei, para o outro dia. Que fique de lição pra os que estão lendo (antes que perguntem, meu cartáo de crédito, na função crédito tem um limite pequeno, por isso eu sempre fazia saques, e acabei levando poucos dólares já trocados no Brasil, pois estava com medo de andar com muito dinheiro), caso não tenham atentado para a limitação do valor de saques diários do seu banco! Saudações!

Thiago Archie
Thiago ArchiePermalinkResponder

Excelentes dicas Natalia. Legal compartilhar sua experiencia. Voce já viu agencia do HSBC em NY ou Miami? Obrigado

Vinícius (mais do que uma viagem)

Caso alguem se interesse, eu moro em São Paulo e costumo comprar a moeda no local em uma casa de câmbio no Shopping Center Norte. Na maior parte das vezes eles possuem a moeda local mas se não tiverem você pode encomendá-la.

claudia vieira

E para Buenos Aires ? Você tbem tem uma fórmula ?
Estamos indo em Janeiro...

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Claudia, nao conheço a formula pra Argentina, mas vou perguntar e postarei se souber de algo. :*

Alex
AlexPermalinkResponder

Ricardo, pessoal, as dicas aqui foram muito boas, já que estou indo pra Santiago na semana que vem!

Mas ainda tenho uma dúvida, vocês sabem se os cartões (débito ou crédito) com chip são bem aceitos por lá?? Pergunto isto pois os limites no Itaú são bem diferentes para compras no débito internacional utilizando apenas a tarja magnética e para compras com o chip.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alex! Vamos subir a sua pergunta para o Perguntódromo.

Anita
AnitaPermalinkResponder

Oi, Alex,

Vc não terá nenhum problema com cartões de chip lá. O meu Visa múltiplo (crédito+débito) com chip foi aceito em todas as lojas para crédito e nos caixas eletrônicos parasaque da conta corrente.

A rede Cirrus para saque é mais comum que a Plus. Até esssa viagem, em novembro passado, eu só tinha o Visa mutliplo da rede Plus e acabei de providenciar o Master multiplo da rede Cirrus.

Boa viagem!

Anita
AnitaPermalinkResponder

Complementando: em ambos os casos utilizando o chip e a senha.

Fábio G.
Fábio G.PermalinkResponder

Estive no Chile em agosto, fui com cartão de chip.
Em todas as compras a validação das compras foi da forma antiga... com assinatura.

Mit
MitPermalinkResponder

Alex,

Vc mencionou o cartão do Itaú e eu tive problemas com ele na Argentina, Uruguai e no Panamá.
Simplesmente o débito em conta não funcionou e ninguém sabe explicar o porquê. Os gerentes desconhecem o que aconteceu.
A primeira vez desbloquei com a gerente, a segunda pelo telefone e ainda contei a história que não havia funcionado uma vez.
Na última comprei com débito e a compra entrou como crédito (MasterCard do Itaú).
O problema é que nos comprovantes de compra vem escrito "venta" e eu descobri que havia caído como crédito só quando retornei ao Brasil.
E eu sou cautelosa a ponto de enfiar a cara na frente do vendedor para ver se ele aperta as teclas certas!
Final da história: guerra contra o Itaú e cansaço tremendo e um IOF de lascar e a flutuação do câmbio não foi a meu favor.
Só justiça!
Se vc já usou e nunca deu problema, ótimo.
Meu amigo usou nos EUA e funcionou, eu quis fazer o mesmo e não fui feliz!
Mas eu não me arrisco mais com débito em conta do Itaú. Levo sempre o Visa Travel Money.

Elaine Rego
Elaine RegoPermalinkResponder

Mit, depois de ouvir e ler histórias como a sua em vários sites fui ao Itau e "desvinculei" meu cartão multiplo. Virou só débito. Ou sai da conta corrente ou não sai. e Pedi um com bandeira Master.

Como tenho conta no Santander, mantive nele o cartão multiplo,com bandeira VISA. Indo pro Chile na sexta (dia 23,se a greve permitir) e acho que alguma coisa tem que funcionar.rsrsrsrsr

Mas é fogo,os bancos brasileiros são despreparados...nenhum gerente dos dois bancos (Uniclass Itau e VanGog Santander sabia exatamente como fuincionava...tive que explicar e pedir pra habilitares, eles,os gerentes pessoalmente pois se não der certo tenho a quem responsabilizar,chato,mas necessário.)

claudia vieira

Valeu Bóia e Andrea.

carlos fonseca

recentemente fui ao Chile e levei peso chileno mesmo..algo em torno de 700.000>fiz cambio na loja da cotação no Shopping Nova America/RJ ( 1 R$ / 250 Pesos ),melhor que encontrei. Em Santiago encontrei cambio a 270 . Como fui direto para San Pedro de Atacama, fiz as depesas direta em $$$ . Depois em Santiago, qdo a compra era favoravel, fiz em cartao de credito,mesmo com a taxa de 6,38% de IOF, as compras sairam bem em conta.
Ainda não fiz uso de cartao de debito no exterior, mas quem sabe na proxima eu passe a usar.

Patricia Ribeiro

Que sintonia! Tinha mandado um email para Mari Campos que está no Chile sobre qual moeda levar e para minha surpresa este post super útil! O meu destino será San Pedro de Atacama, em fevereiro. Chego em Santiago de madrugada e não terei como trocar o dinheiro. A minha dúvida é se para os passeios eles aceitam VTM e se carrego o VTM em dólares. Se eu pagar em cash, consigo um bom desconto? Acho que eles não carregam em pesos chilenos. Será que consigo sacar em pesos chilenos lá com uma boa cotação? Meu cartão é do Banco do Brasil. Alguém sabe quanto é a taxa para saques internacionais? Para não chegar em Atacama sem nada, levo dólares do Brasil? Já que vou chegar de manhãzinha. Obrigada a todos.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Há caixas automáticos nos aeroportos de Santiago e Calama e no centro de San Pedro.

Se você vai levar dólares ou VTM ou sacar no caixa automático é opção sua. Leia de novo o texto com calma, tem resposta para todas as suas pergutnas menos para a taxa de câmbio usada pelo BAnco do Brasil, que você deve perguntar diretamente ao banco.

geraldo silva
geraldo silvaPermalinkResponder

Natália e Andréa !!!
Obrigado pelas dicas referente meu questionamento em 18 do corrente.
Ricardo parabéns pelo excelente site.
geraldo.

Elaine Rego
Elaine RegoPermalinkResponder

Sobre a propina, alguem sabe quando deve dar? Sou super péssima pra essas coisas...as vezes acho que dou a mais,outras de menos...quando seria o padrão chileno esperado de "propina"?
Agradeço desde já.bjs

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Bóia,

pesquisei no Google e achei um cartão de débito internacional que também pode ser carregado em pesos chilenos, portanto minha pergunta é a seguinte: carregar em dólares ou em peso mesmo???Creio que seria mais vantajoso em pesos, pois assim já estaria usando a moeda local quanto que em dólar teria que pagar taxa para conversão, certo?Vou usar a dica do comandante lá de cima, 300 reais em dinheiro, meu cartão internacional do banco múltiplo de crédito/débito e este outro citado.Mas quanto em média carregá-lo em pesos??Vou ficar 10 dias em Santiago.Obrigada e Feliz Natal para todos!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mara! Tudo dependerá da cotação que lhe oferecerem. Se for ao redor de 280 pesos por real, vale a pena. Se for menos que isso, não valerá.

Não dá para fazer previsão de gastos, Mara. Isso é totalmente individual. Leia:

https://www.viajenaviagem.com/2011/03/quanto-vou-gastar-em-alimentacao/

Nâo volte com saldo no cartão tipo VTM; resgatar valor em reais é prejuízo.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Bóia,

acho que vai ser difícil achar por enquanto este valor de 280 pesos por real; acabei de ligar para uma corretora que vende este cartão tipo VTM e a paridade está em torno de 230,00...muito pouco, não?Mas eu queria levar este cartão como um respaldo..acho melhor esperar um pouco para ver se melhora.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mara! Conforme o Ricardo Freire já escreveu no post, é muito difícil encontrar moeda não-forte no Brasil a preço competitivo. Mesmo com duas conversões, é melhor você comprar seu cartão em dólar. Também serve para retirar pesos no caixa autmoático. E você pode pagar o hotel direto em dólar e conseguir assim a isenção do IVA.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Bóia,
obrigada pela rápida resposta.
Então é melhor eu comprar este cartão tipo VTM em dólar mesmo; mas não perderei na conversão de dólar para peso??Bom, se comprar em dólar e sobrar alguma coisa o bom é que poderei guardar para uma próxima viagem, pois este cartão tem validade de cinco anos.Quanto a hospedagem, eu alguei um departamento amoblado e a princípio terei que pagar em espécie, mas vou falar com o proprietário se ele aceitaria o pagamento em cartão de débito senão, vou comprar os dólares ou pesos para lhe pagar.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mara! Se você não vai usar o seu VTM para fazer despesas em peso, pode carregar com poucos dólares, fazer saques em pesos do caixa automático com o seu cartão de banco e só recarregar o seu VTM caso tenha problemas com o cartão (dificuldade de saque ou atingimento do limite). Nâo vale a pena comprar um cartão em peso com cotação ruim e que só vale para um país.

Jose Toigo
Jose ToigoPermalinkResponder

ola,
estou indo para Chile, consigo cotacao de 280,00/r$1,00 no chile?onde? qual o valor que utilizo para conversao ( mais pratico)multiplicar por r$4,00 ? exemplo, $10.000,00 = r$ 40,00
No aguardo,
Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José! Leia novamente o texto, há endereços de casas de câmbio. Mas recomendamos sacar diretamente do caixa eletrônico, é mais prático e oferece boas cotações. Está tudo mastigadinho no texto.

Pense em 3.000 pesos = 10 reais.

Jose Toigo
Jose ToigoPermalinkResponder

Alguma dica para comprar o vinho Almaviva a preco interessante?

Fabio Vanuzzi
Fabio VanuzziPermalinkResponder

Quanto a compra do Almaviva, já fiquei sabendo que não vale a pena comprar na vinícola. É mais caro que vc achar aqui no Brasil. A Almaviva tem 2 "sócios": A concha e o Baron Rotschild. Cada um dos dois vende lotes a preços diferentes.
Estarei indo agora em Junho e já soube que um bom lugar para comprar vinhos é na Wain - www.wain.cl Vou ver se tem o Almaviva por lá. o Segundo da linha "EPÚ" já me disseram que vale muito a pena e por um valor menor.
Abs

pablo
pabloPermalinkResponder

Si vocês fican em Chile, quando precisen uma caixa electrónica, deben buscar uma que seja REDBANK...

Consejo de Chileno que mora em Brasil...

Si voces van a banco paris o banco falabella o otra, seu carton pode ficar preso...

Saludos

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Olá Bóia,

achei esta informação no site dos "mochileiros" e agora fiquei confusa quanto que moeda levar para minha viagem para Santiago. Já estive em Buenos Aires e saquei sem problemas com meu cartão múltiplo internacional crédito/débito do Itaú Personalitte.
************************************************************************
ATENÇÃO USUÁRIOS

Vou deixar claro a todos como é o funcionamento dos banco e meios de cambio no Chile

Cartão de Débito

Eu encontro com várias pessoas e todas passam pelo mesmo problema em sacar com cartões de bancos brasileiros. Os bancos aqui rejeitam ao máximo a retirada de dinheiro por estrangeiros. Meus cartões não funcionam e da gigante maioria que conheço também não. Já presenciei pessoas em situações bem difíceis e até emprestei dinheiro para poderem continuar a viagem. Por sorte, somente um de meus cartões funciona.

Lembrando que aqui há bancos que também existem no Brasil, como o Santander, Itau, BBVA e outros, mas todos esses, não possuem vínculo algum com os bancos brasileiros e irão se isentar de qualquer problema que os usuários tenham com os seus cartões no Chile.

A taxa de IOF é de 0.38% mais as taxa de saque cobradas pelo seu banco no Brasil (que variam de banco pra banco) e mais a taxa de saque nos caixas chilenos, que são de 2500 a 3500 pesos (mais ou menos de R$ 8,60 a R$ 12,00).

Já deu pra ver que não vale a pena, assim como o Caio informou muito bem em sua mensagem nesse mesmo tópico.

Cartão de Crédito

Os cartões de crédito funcionam perfeitamente, mas devem ser desbloqueados para uso internacional antes do usuário sair do Brasil.

As compras no crédito são atacadas pelo alto IOF de 6,38%, fazendo com que esse meio de pagamento seja bem ruim em muitos momentos.

Também incide as taxas de saque como o cartão de débito.

Cartão Visa Travel Money

Esse meio golpista de pagamento é o mais detestável e é amplamente utilizado por usuários que desconhecem o real ônus que existe em usar tal meio. Muitos acham que somente perderão USD 2.50 por saque, mas não será ai que eles te enganarão.

Esse cartão somente deve ser utilizado se o país destino tiver a mesma moeda que foi carregada no cartão.

Como eles enganam vocês:

Vc compra USD 1.000 e saca em Pesos Chilenos. Essa conversão é muito baixa e vc perde muito dinheiro. Essa operação, o cliente não será informado sobre a taxa de cambio utilizada para converter da moeda carregada no Brasil (Euro ou Dólar) para o Peso Chileno. Já houve um caso de um usuário do Mochileiros que ligou para o banco emissor do VTM e eles alegaram que os dados de taxa de conversão de cambio são sigilosos. Uma verdadeira vergonha e um golpe contra o consumidor !!

Tal cartão, gera uma falsa sensação de segurança a seus usuários, e devo lembrar que não são poucos os casos de pessoas sequestradas e todo o saldo desse cartão ser retirado pelos delinquentes.

Western Union

Taxas altas e sem necessidade alguma, pois vc tem que sacar todo dinheiro de uma vez. Sendo assim... Será bem melhor levar dinheiro em espécie. Essa forma é amplamente utilizada para remessas de divisas sem pagamento de imposto de renda, mas isso só se pode fazer com valores abaixo de R$ 20.000. No caso de viagens, esse meio é ruim.

Saque no Banco do Brasil

Atualmente é um ótimo meio de se obter dinheiro no exterior. As taxas são baixas, a taxa de cambio é razoável e o IOF é baixo. Atualmente as casas de câmbio pagam 270 pesos por R$ 1,00 e o Banco do Brasil paga 283 pesos por real sacado direto da conta corrente.

Se por acaso um usuário quiser trocar seus reais em espécie no BB do Chile (mesmo sendo correntista no Brasil), será altamente prejudicado, pois eles pagarão no máximo 260 pesos por real. O mesmo acontece com câmbio de dólares.

Mas não se iluda, pois além do cambio no saque direto em conta, vc inda paga taxas e IOF de 0.38%.

Lembrando que o saque somente pode ser de até R$ 9.999,00 e pode ser feito até duas vezes por mês.

Reais em Espécie

Atualmente está péssimo !! A cotação está baixíssima, pois a entrada da moeda está muito grande aqui no Chile. Um exemplo é que a cotação oficial do Real é 293 pesos e as casa de câmbio estão pagando somente 270 pesos. Não se engane, pois no final dará um boa diferença.

Dólar em Espécie

Sempre a melhor forma de se viajar para o Chile !!

Por mais que você ouça relatos desmedidos de usuários desinformados, sugestões sem embasamento e coisas do gênero, o dólar sempre foi o melhor meio de trazer dinheiro para cá. Salvo exceção de pessoas que morem em cidades do interior, em que há somente poucas casas de câmbio, e não consigam boa cotação na hora da compra da moeda.

Devo lembrar que sempre viajei com alto volume de dólares em espécie e nunca tive qualquer problema, mesmo em países que são "ditos" como perigosos.

OBS: Existem outras formas de remessa não abordadas aqui, como a Ordem de Pagamento, mas essas, não são razoáveis para serem utilizadas em uma viagem onde o usuário permaneça menos de 6 meses em um mesmo país, além de ter que observar e cumprir com toda a legislação local.

OBS2: Não falaremos sobre Traveler Check, devido a esse meio estar quase totalmente obsoleto.

Abraço a todos,
LeoEDITOR

Ricardo Freire

Marcia, acho bem esquisito isso... a gente aqui é um forum aberto e não recebe nenhuma reclamação. O importante é desbloquear o cartão para saques internacionais junto ao banco antes de viajar. O meu cartão (Itaú) sempre funcionou e aqui só vieram relatar problemas pontuais (muitos deles na transição de Real para Santander).

Recomendo sempre ter um VTM para casos de problemas com o cartão do banco (neste caso é só carregar o VTM à distância, e 24 horas depois você já tem saldo para sacar).

Acho estranho dizer que o câmbio para reais vivos está péssimo... eu não recomendo levar reais em espécie, mas para quem se dispõe ao perrengue de ir às casas de câmbio do centro trocar, a cotação de 280/290 está no mesmo nível do anunciado pelos sites de cotações interbancárias. Pode ser que a invasão de turistas no verão baixe a cotação, mas de todo modo acho isso tudo muito alarmista.

O brasileiro é o último viajante do mundo que viaja com dinheiro vivo no bolso. Acho que vai ser preciso mais uma geração pra mudar isso...

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá novamente Bóia,

ví que acima a Andrea indica sacar em caixas eletrônicos do Banco do Chile e o Pablo as do Redbank; em minhas pesquisas no Google e como meu cartão é do Itaú Mastercard com chip; também achei que há ATM da própria Mastercard em Santiago.Será então que poderei sacar sem problemas em todos estes caixas eletrônicos mencionados??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mara! O Pablo não recomendou os caixas eletrônicos do grupo Falabella-Paris. O seu cartão funcionará em qualquer caixa automático, não se preocupe.

Siga a recomendação do Ricardo Freire e, por desencargo de consciência, leve um VTM com valor baixo, que possa ser recarregado em caso de (toc toc toc) algum azar. É um seguro que vale para qualquer viagem.

Thiago Archie
Thiago ArchiePermalinkResponder

Excelentes dicas como sempre! Mas o que sempre me preocupa é a insegurança que as vezes os cartões me dão. Na última vez em Buenos Aires, mesmo tendo ligado pro banco antes de viajar, meu cartão de débito do HSBCPremier não sacava de jeito nenhum. Mesmo lá tendo caixas do HSBC em toda esquina. Fiquei revoltado, pensei em ir numa agencia, pois tenho direito a até 2mil dolares para emergencia (roubo, perda) se eu for numa agencia em qualquer lugar do mundo, mesmo sem o cartão. Pelo menos é o que HSBC diz, espero nunca precisar conferir. Acho que o negócio é levar um pouco de grana mesmo, real, um pouco de dolar se tiver, e todos os cartões possiveis... eu levo de tudo um pouco... só VTM que eu ainda não utilizei. As taxas são muito relativas... mesmo com IOF alto, pra quem ta de olho em milhas e gasta muito no credito, pode compensar mesmo pagando mais de 6%, o débito tem taxa menor mas não acumula pontos... acho que cada um deve testar todas as opções e avaliar o que melhor lhe convém.

Gustavo Delfino

Olá, estou em santiago e meu cartao de débito do itau funcionou sem problemas para saque. No entanto, para débito não funciona de jeito nenhum. Alguém sabe se existe alguma forma de pedir para que os atendentes passem o cartao na função débito?

Em alguns casos é apresentado a mensagem "rechazado(31)".

Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gustavo! Isso parece um problema para resolver com o banco. Talvez o seu cartão não esteja habilitado para débito no exterior.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Bóia,

é melhor levar para Santiago um cartão de débito internacional na bandeira Visa ou Mastercard( VTM ou Cash Passport) ou tanto faz???Ambos são bem aceitos lá, na maioria dos estabelcecimentos??Grata!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mara! A aceitação de Visa e MasterCard é bem parecida no mundo inteiro.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Bóia,

mais uma dúvida...rsrs..Qual a melhor bandeira de cartão de débito internacional(tipo VTM) a ser levada para Santiago(Visa, Mastercard ou American Express); qual a melhor aceita lá na maioria dos estabelecimentos???Grata mais uma evz.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá..desculpe....não tinha aparecido a resposta e por isto refiz a pergunta...

KARINA DA CUNHA

Olá...acabei de ver no banco Itau e eles tem o cartão pré-pago Global Travel Card, bandeira American Express, gostaria de saber se ele é bem aceito no Chile??
Já que vi vantagem pois é cobrado o IOF de 0,38% soemnte qd o crédito é colocado.

Renato
RenatoPermalinkResponder

Olá a todos.

Voltei recentemente de Santiago e utilizei meus cartões Mastercard (rede Cirrus) e Visa (rede Plus) dos bancos BB, Itau e Santander sem problemas na função crédito e para saque. Para o saque, utilizei os caixas da Redbanc (que tem um monte em Santiago, até no metro).
No entanto, tive problemas para pagar na função débito com os meus cinco cartões. Apenas para contextualizar, fiz o desbloqueio via telefone informando que o cartão seria utilizado para débito, crédito e saque. Alem disso, confirmei com os gerentes que os cartões estavam totalmente desbloqueados. No entanto, eles não funcionaram na função débito.
Creio que isso possa ocorrer porque no Chile eles não utilizam o chip do cartão para nada. Sendo assim, acredito que o banco teria que desbloquear a TARJA MAGNETICA do cartão para a função débito (algo que já é feito de praxe para crédito e saque, pois em muitos países não se usa o chip), já que no Brasil a tarja é bloqueada, pois utilizamos chips. No entanto, como o atendimento nos bancos é péssimo, muitos atendentes nem sabem disso.
Como observei nos comentários que muita gente não obteve sucesso com o débito, fica como sugestão de post o tema "Desbloqueio de cartão de débito para usar em países que não aceitem chip" seja um bom tema para um post, pois assim poderiamos ouvir de quem conseguiu desbloquear qual foi o procedimento adotado, em que banco e com qual bandeira. Quem sabe não aparece algum gerente de banco o suficientemente competente para esclarecer o assunto para a gente?
Abraços...

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Não sei se já avisaram, mas tem um erro no texto " e se você fizer retiradas do equivalente a 200 dólares (no Chile, algo como 10.000 pesos)" . O correto é 100.000, não 10.000 smile

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Lu! Corrigimos!!!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

De nada smile Pode apagar o comentário, ok?

Marina
MarinaPermalinkResponder

Olá! Vou para Santiago no final de Fev./2012...nao tenho noção de quanto dinheiro levar/reservar...usarei para alimentação e transporte basicamente...ficarei 6 dias. Destaco que para alimentação, nao pretendo comer nada extraordinário que custe 400 reais como li em outros topicos! seriam coisas basicas mesmo...obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! Espere gastar um pouco menos do que você gastaria em estabelecimentos de nível semelhante no Brasil.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2011/03/quanto-vou-gastar-em-alimentacao/

Laura
LauraPermalinkResponder

Se puderem me ajudar, eu agradeceria.
Estou indo para o Chile agora em meados de fevereiro e já comecei a pesquisar sobre a questão de dinheiro.
Pesquisei em casas de câmbio aqui na minha cidade (Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul) e me informaram que 1 real compra apenas 227 pesos!! Cheguei a ler aqui que o Real valeria 280 pesos, por isso estou muito confusa!!
Mandei um e-mail para a Afex (li aqui que é uma das maiores casas deo Câmbio do Chile) e eles me informaram que lá o real tá valendo em torno de 243 pesos!!!
Ou seja, o Real realmente está desvalorizado ou sou eu que não entendi nada sobre essas transações?
Por favor, me ajudem. Sou marinheira de primeira viagem e ainda vou sozinha para Santigo, ou seja, não quero passar fome por lá xD
Outra dúvida: eu habilitei meu cartão para uso internacional pelo site do Banco do Brasil, mas li aqui que os cartões de chip podem não funcionar lá e o meu é de chip, então gostaria de saber o que fazer para que ele funcione.
Liguei para minha agência para ter certeza a respeito de taxas, mas me informaram que só pela Central (aquele 0800 que me deixa esperando por anos com aquela música chata tocando) é que poderia ter essas informações. Eu pretendo só usar o cartão de débito, seja para saque, seja para comprar nas lojas mesmo, mas tenho dúvida em relação a essas taxas, sou péssima nesses assuntos financeiros...
Eu pretendia levar poucos pesos (trocaria aqui algo como 200 reais) só para não chegar de mãos vazias a Santiago, mas se vão me pagar só 227 pesos por cada Real fiquei muito em dúvida.
Melhor trocar o resto lá em Santiago mesmo? Qual o melhor lugar? Li que no aeroporto costuma se pagar menos pelo real também...
E outra coisa, pensei em comprar um desses cartões de viagem, mas aqui só vendem em Euro ou Dólar e como li que, com isso, vou perder muito mais dinheiro, agora não sei se é melhor nao levar esse tipo de cartão, mesmo vocês terem repetido mil vezes que é essencial para nossa segurança. Ainda mais pra mim que vou viajar sozinha, mulher sozinha sem chama a atenção dos bandidos...
Enfim, se puderem me ajudar eu ficaria agradecida.
Adoro o site. Abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laura! Não vale a pena comprar pesos no Brasil! Utilize o seu cartão de banco para sacar pesos quando chegar lá, em caixas automáticos.

Alguns tripulantes comentam a questão da tarja magnética nos comentários acima e não tiveram problemas com seus cartões de chip.

Leia o texto com atenção. Todas as dicas estão lá! wink

JONATAS
JONATASPermalinkResponder

Em 3 contatos nesta semana onde fui informado que o IOF para saque na função crédito era de somente 0,38, liguei novamente para o Santander hoje,e me foi dito que o IOF é de 6,38 para saque na função crédito. Para compras e saque na função débito o IOF é 0,38. Li em algum lugar que o dólar cobrado na função crédito é bem próximo do dólar comercial enquanto o dólar da função débito é próxima(ou maior) que o turismo. Se for verdade, caso se tenha uma boa pontuação de milhas no cartão, como por exemplo 1,5 ou mais, talvez valha a pena a função crédito. O fato que é muito difícil se conseguir informações corretas e seguras junto as instituições financeiras.

Fabiano
FabianoPermalinkResponder

Boa tarde vou para o Chile 1 de março, vou ficar 7 dias contando ida e volta de avião ja pagos, hospedagem tambem pagos, quero levar uns R$ 500,00 reis em peso, não quero gastar muito, compras só vou fazer no Duty Free no cartão de credito, para alimentação e alguns passeios R$500,00 dá ou vou ter que levar um pouquinho mais?

Desde ja obrigado!

Att.:

David
DavidPermalinkResponder

Oi Ricardo. Estou voltando ontem do Chile e preparei este post http://likechile.com/blog/santiago/trocando-dinheiro-em-santiago/
Grato em ajudar.

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá a todos!Saquei pesos chilenos no caixa eletrônico com meu cartão com chip sem problema algum!Prático e sem burocracia.

geraldo silva
geraldo silvaPermalinkResponder

Bom dia a todos!!
Estando no exterior (usando Chile como exemplo)como saber se meu cartão de crédito, habilitado para uso no exterior, tem taxa inferior ao dollar turismo?
Antecipo meus agradecimentos.
geraldo/belem

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geraldo! Varia de cartão para cartão. É bem provável que seja inferior ao dólar usado pelos VTMs.

JOSÉ GERARDO
JOSÉ GERARDOPermalinkResponder

Olá Bóia, tudo bem?
Olá Bóia,

Parabéns pela grande colaboração dada aos que viajam.

Eu e minha mulher estaremos indo a Santiago em abril próximo.

Chegarei à capital Chilena, dia 11 de abril, às 4:00 h (da manhã).

Gostaria de saber se há casa de câmbio, no aeroporto (nesse horário), apenas para fazer o câmbio necessário até ao hotel.

Muito Grato.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José Gerardo! Sempre tem. Mas olhe só: o táxi oficial do aeroporto aceita cartão de crédito. E os caixas eletrônicos funcionam para saques. Habilite seu cartão de banco para saques internacionais.

Kelly
KellyPermalinkResponder

Olá! Irei para Santiago em Abril, e uma dúvida que tenho é que se nestas "despesas maiores", nas quais vocês sugerem usar o cartão de crédito está incluída a alimentação (almoço/jantar em restaurantes)? Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kelly! Está, sim grin

Maria do Rocio Maier Campos

Vou viajar para Santiago no domingo 01804/12, fui na casa de Câmbio para comprar moeda no Cartão da Confidencia (cartão de débito), falei que estava indo para SAntiago e fui orientada que o melhor que dolar seria o Peso Argentino em função da taxa de conversão ser melhor. Gostaria de saber se é correto a informação.

Maria do Rocio

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria do Rocio! É uma recomendação estranha. Não temos como confirmar, porque só sabendo exatamente quais são as cotações disponíveis para todas as moedas -- incluindo aí a taxa de conversão do peso argentino para o peso chileno -- poderíamos fazer contas. Mas em princípio não se compra moeda de um terceiro país. Se a cotação no peso chileno não estiver boa, faz mais sentido fazer o cartão em dólar.

CRIS
CRISPermalinkResponder

LEGAL

Erick
ErickPermalinkResponder

Ricardo,

Pretendo ir para San Alfonso del Mar em março.

Se eu uso meu cartão de crédito do Santander lá, a cotação do dolar é local ou do Brasil.

Desculpe pela pergunta idiota rsrsr

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Erick! Aqui quem responde é A Bóia.

Os gastos vão ser convertidos pela cotação do cartão de peso chileno para dólar e depois de dólar para real.

Despesas com hotéis no Chile pagas com cartão internacional são registradas diretamente em dólar e depois convertidas para real.

geraldo silva
geraldo silvaPermalinkResponder

Olá Boias e demais Trips e quem já tenha passado por situação igual !!!
Qual o critério usado no comércio, restaurantes, hotéis etc, em Santiago/CL,Buenos Aires/ARG e Montevideo/UGY, em certas ocasiões para solicitarem que assine o comprovante de pagamento dos cartões e, em outras vezes apenas inserir a senha.Uso cartões das bandeiras VISA e MASTER nas funções múltiplas e tmb em cartões VTMs ??
Ainda não consegui entender.
Boa Páscoa a todos e grato pela colaboração.
geraldo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geraldo! Se o seu cartão é com chip, em princípio você colocará senha em todos os estabelecimentos. Nem todos os cartões operam na função débito no exterior. Leve um VTM caso o seu cartão não seja aceito nos estabelecimentos na função débito e você não queira usar o crédito.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Ricardo,

Em primeiro lugar, parabéns pelo site! Que preciosidade! Já está salvo no bookmark.

Entrei em busca de informações sobre Santiago e no futuro vou pesquisar sobre meus próximos destinos!

Enfim, vou no final do mês com minha esposa e ficaremos 4 dias. Naveguei muito pelo site e vamos a Valparaíso e Viña Del Mar, além de uma vinícola e os passeios "leres" hehe..

Gostaria de compartilhar com as outras bóias que, após ler as recomendações no site, estamos levando dólares e também gostei da idéia do débito em meu cartão do banco. Verifiquei hoje e não pago nenhuma tarifa por isso (HSBC), tenho direito a 8 saques por mês, limite de US$ 300,00 cada. Também posso fazer compras no débito, pagando 0,38%. Não vamos levar o VTM por pagar 5,5% na conversão do dólar x peso (Mastercard Cashport).

Abraços e até o próximo comentário, sobre a viagem!

Diego / Blog Meus Roteiros de Viagem

Na minha viagem para o Chile há poucos dias eu levei uma quantia em dólares para trocar nas casas de câmbio de lá. Pelas minhas contas, foi mais vantajoso levar a moeda americana ao invés de levar reais. Acabei de publicar um post com essa conta e também mostrando a cotação em algumas casas de câmbio da cidade:
http://www.meusroteirosdeviagem.com/2012/04/casa-de-cambio-santiago-chile.html

Abs,
Diego

Simone
SimonePermalinkResponder

Olá, parabéns a todos pelos valiosos comentários. Tenho um Cartão confidence, carregado com euros e tenho alguns euros em espécie, que sobraram da minha última viagem. Vale à pena levá-los em espécie e lá trocar por pesos ou é melhor trocá-los aqui no Brasil por dolar? Sobre o confidence, será que eles aceitam lá, mesmo estando carregado com euros? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Você pode usar seu cartão no Chile tanto para saque quanto para compras. Não importa a moeda em que esteja carregado, o câmbio é feito automaticamente para a moeda do local em que você estiver. No Brasil o seu saldo será devolvido com uma cotação bastante desfavorável, melhor usar fora, seja onde for.

Ligia
LigiaPermalinkResponder

Olá.. Boa Tarde, estarei viajando para o Chile dia 12/04 e ficarei 20 dias, ainda estou um pouco insegura quanto ao que levar por isso estou lendo todas as dicas aqui e está sendo muito muito importante, mas ficou uma dúvida: meu banco aqui no Brasil é Santander, já habilitei para saques e compras no exterior mas gostaria de saber aonde consigo fazer esses saques? é fácil encontrar caixas eletrônicos para esse banco?? Esse saque só conseguirei fazer em peso ou também em dolar? Ficarei esse período em Santiago e Atacama..
Muito muito obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ligia! Uma vez habilitado e desbloqueado, seu cartão pode fazer saques em qualquer caixa eletrônico de qualquer banco que trabalhe com a bandeira do seu cartão múltiplo (Visa ou MasterCard). Normalmente os caixas trabalham com as duas redes.

Joyce
JoycePermalinkResponder

Olá, Bom Dia!
Primeiramente gostaria de agradecer as dicas e ótimas informações passadas pelo site, tenho me ajudado demais no planejamento de minha viagem.
Pois bem, eu sou correntista do Santander e desejo usar o cartão de débito lá para sacar dinheiro. Como meu vôo chega bem tarde e no outro dia bem cedo estarei fazendo um passeio não terei tempo para ir a uma casa de cambio sacar dinheiro, logo, terei que fazer isso no aeroporto. Alguém saberia me informar se há algum caixa do Satander o Aeroporto de Santiago para sacar? Aonde eu poso verificar qual é o valor do câmbio que o Santander está utilizando tanto de pesos para dólar quanto de dólar para real. Desde já agradeço muito a ajuda.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Joyce! Provavelmente há um caixa do Santander no aeroporto. Note que, ao habilitar o seu cartão para saques internacionais e desbloquear o seu cartão para uso durante a viagem você poderá usar qualquer caixa automático de qualquer banco. Não precisa se ater ao Santander.

Diego / Meus Roteiros de Viagem

Encontrei dois caixas do Santander bem próximo à saída do desembarque, já no saguão do aeroporto. Consegui fazer saque direto da conta, mas ela precisa estar habilitada para isso. O sistema do caixa eletrônico é estranho, diferente do que estamos acostumados, mas o que importa é que o dinheiro sai.

abs
Diego

Joyce
JoycePermalinkResponder

Muito Obrigada Bóia e Diego!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar