Buenos Aires: roteiro completo dia a dia (e como seguir viagem por Uruguai ou Argentina)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

San Telmo
Bienvenido, bienvenida. Finalmente você veio conferir o que tanto falam de Buenos Aires. Garanto que você não vai se decepcionar. Mas também aposto que você vai gostar ainda mais das próximas vezes que vier.

Por que digo isso? Porque Buenos Aires faz parte daquele elenco de cidades especiais que ficam mais bacanas depois que você não precisa mais fazer a rota das atrações turísticas.

Mas pode deixar -- eu sei que você faz questão de ver todos os cartões-postais nessa sua primeira viagem, e minha função é fazer com que você não perca nada de essencial, da maneira mais racional e menos esbaforida possível.

Chegando a Buenos Aires – câmbio

Táxi Ezeiza

Buenos Aires tem dois aeroportos: Ezeiza (na sua passagem: EZE), o maior, a 50 minutos de táxi do centro, e Aeroparque (na sua passagem: AEP), o aeroporto central, a 10 minutinhos de táxi do centro ou de Palermo. Veja todas as possibilidades de transporte dos dois aeroportos no nosso dossiê sobre transporte e câmbio aqui.

  • Vantagem do Aeroparque: proximidade. Desvantagem: free shop pequeno.
  • Vantagem de Ezeiza: free shop grande. Desvantagem: a distância.

Câmbio em Buenos Aires

Desde o final de 2019, argentinos só têm direito a comprar 200 dólares por mês no câmbio oficial. Como os argentinos poupam em dólar, essa restrição fez renascer o mercado paralelo -- o "dólar blue".

Não vale mais a pena fazer câmbio em casas de câmbio oficiais -- inclusive nas agências do Banco Nación dos aeroportos. O câmbio oficial é até 30% inferior ao valor do paralelo, que indica o verdadeiro valor da moeda.

O que fazer?

O melhor é levar dólares, que têm mais valor que reais para argentinos. Para não precisar trocar dólares em casas de câmbio clandestinas, use diretamente no comércio. Normalmente você conseguirá uma cotação mais vantajosa do que nas casas de câmbio convencionais.

Para saber qual é a cotação do dólar paralelo, consulte esta página do site Dolar Hoy. Use o valor do dólar turista como referência.

Em muitos estabelecimentos também dá para pagar com reais por cotações superiores às das casas de câmbio convencionais, mas normalmente o ganho com dólar será maior.

Buenos Aires: Onde ficar

Na minha opinião, a melhor localização para quem ainda não conhece Buenos Aires é o bairro da Recoleta: central (e por isso bem localizado para fazer os passeios), elegante e charmoso. Clique para ver 25 hotéis selecionados na Recoleta.

Quem vai a Buenos Aires com ênfase em gastronomia e compras descoladas, no entanto, deve considerar ficar em Palermo Soho ou Palermo Hollywood. Clique para ver 23 hotéis selecionados em Palermo.

Hospedar-se no Centro pode até ser conveniente para passear -- mas a região está decadente e morre à noite.

Clima de Buenos Aires

Conte com verões quentíssimos e úmidos. Na meia-estação -- outono ou primavera -- prepare-se para um frio moderado, com eventual veranico durante o dia, se estiver ensolarado. Os invernos são gelados. Entre maio e setembro chove menos, mas esteja sempre preparado para chuviscos.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires: Chegando sexta à noite

Muita gente chega em Buenos Aires na sexta à noite e não quer esperar até o dia seguinte para ter um gostinho da cidade. Vamos lá, então.

Tente pegar um vôo que chegue até as 22h em Ezeiza ou 22h30 no Aeroparque. Se você conseguir largar as malas no quarto até a meia-noite, ainda pode pensar em sair para jantar ou até mesmo ver tango em Buenos Aires.

Querendo chegar e já se atirar na melhor carne argentina, recomendo pegar um táxi a Palermo Soho (15 min. do centro, 10 min. da Recoleta) e se esbaldar na La Cabrera (Cabrera y Thames) que costuma abrir até 1h30 (confirme se está aberta pelo telefone 11/4831-7002). Ali as carnes vêm com inúmeros acompanhamentos, que fazem a diferença. Mais perto do centro (5 min. de táxi), em Puerto Madero, tem a Cabaña Villegas (Alicia Moreau de Justo 1048, diga ao taxista para ir pela av. Belgrano), que também promete funcionar até as 2h (confirme se está aberta pelo telefone 11/4331-0642).

Quer desembarcar em Buenos Aires e ir direto para um show de tango? É possível. O Bar Sur (Estados Unidos y Balcarce) é um bar pequeno, em San Telmo, que apresenta um show intimista de tangos, sem palco: só dois pares de dançarinos no salão, em frente à sua mesa, acompanhados por músicos e cantoras da velha guarda. Está longe de ser uma superprodução, mas pode ser bem divertido (é bem provável que em algum momento vocês sejam puxados para a pista). A vantagem do Bar Sur é que o show é contínuo até as 2 horas da manhã, e não é necessário reservar: basta aparecer na porta.

City-tour, táxi ou metrô?

Buenos Aires tem sua linha turística hop-on hop-off, o Buenos Aires Bus, que permite descer em 24 pontos, da Boca ao Barrio Chino (veja todas as paradas clicando aqui). Os ônibus passam de vinte em vinte minutos. Os bilhetes podem ser comprados para 24horas nas modalidades individual ou combo família com 2 ou 3 crianças (de 4 a 11 anos) - veja os preços aqui.

Minha opinião? Não é necessário. A cidade é perfeitamente navegável de táxi ou Uber. (Ao sair de restaurantes, se não pegar Uber, peça para chamarem um radiotáxi).

O metrô ("Subte") é histórico, um dos mais antigos do mundo; é eficiente e barato. E agora, depois da inauguração da estação Las Heras, é conveniente até para quem se hospeda na Recoleta. O mapa das estações está aqui. Consulte preços aqui. Cuidado com seus pertences: há mãos-leves em ação nas estações.

 

Buenos Aires Sábado: Centro e Recoleta

Vai por mim: faça esse city-tour self-service no seu primeiro dia de Buenos Aires. Assim você se familiariza com as principais regiões e já vê onde vai querer voltar com calma nos próximos dias (ou nas próximas vindas). Deixe para fazer o Caminito no domingo, antes de ir à feira de San Telmo (mais adiante eu explico).

Comece o seu passeio do primeiro dia no Café Tortoni (Av. de Mayo 825, entre Suipacha e Esmeralda), o equivalente portenho da Confeitaria Colombo carioca. No inverno pede-se chocolate quente e churros; no verão escolha uma das copas de sorvete. Dica: aproveite que você está ali e veja se ainda há ingressos para as apresentações de tango que acontecem em dois ambientes no subsolo (Sala Alfonsina Storni e La Bodega) e não são caros. Veja a programação aqui.

A Avenida de Mayo, onde está o Tortoni, é a Champs-Elysées de Buenos Aires: vai do Congresso à Casa Rosada, passando pelo Obelisco. O Obelisco está pertinho: a duas quadras para a direita de quem sai pela porta do Tortoni. A Casa Rosada fica descendo a avenida na direção esquerda. Há um pequeno museu dentro do palácio (com entrada pela Bolivar, 65), mas só abre aos domingos de tarde. Contente-se em ir à praça em frente e imagine-se no lugar de uma das Mães da Plaza de Mayo chorando seu filho desaparecido -- ou um fã de Evita ouvindo um de seus discursos na sacada.

Se você curte museus, pode visitar o novíssimo Museu do Bicentenário da Independência, que é cheio de bossas tecnológicas, e fica exatamente atrás da Casa Rosada (abre de 4a. a domingo das 10h às 18h; entrada gratuita).

Na saída, volte à praça, fique de costas para a Casa Rosada e pegue a diagonal da direita (a Presidente Roque Sáenz Peña); vire à direita na Calle Florida. Esta é a famosa rua de pedestres do centro, com o comércio mais tradicional da cidade. Mas é também o maior antro de malandros de Buenos Aires, então é bom que você pare agora para receber essas recomendações:

Calle Florida

Como a Florida é um dos cartões-postais portenhos, dá para encaixar uma sessão consumismo disfarçada de turistagem. Aproveite para dar uma entradinha na superfarmácia Farmacity do nº 474 (entre Corrientes e Lavalle), para xeretar preços de cosméticos; para se perder na loja de departamentos -- de origem chilena -- Falabella , no nº 665 (entre Tucumán e Viamonte), ou ainda fazer uma fezinha na Zara, no número 651 (na mesma quadra da Falabella).

Mesmo que você não esteja numas de comprar, vai querer visitar a Galerías Pacífico, na esquina com a avenida Córdoba -- certamente um dos shoppings mais fotogênicos do planeta. Aqui você vai ter outra oportunidade de descolar um ingresso para um show baratinho de tango: veja se ainda há lugares disponíveis para os espetáculos do Centro Cultural Borges, que fica no segundo andar (o caminho é bem sinalizado por todo o shopping).

Bom. Não posso esconder de você o fato de que estamos muito, muito próximos de outro ícone de Buenos Aires -- o Puerto Madero. Se você pegar a avenida Córdoba na direção do rio (direita), em menos de 15 minutos vai chegar ao porto de embarque do Buquebus, de onde se vai a Colonia del Sacramento. Na quadra ao lado já começa o Puerto Madero propriamente dito (para chegar direto nele, você pode voltar umas quadras atrás na Florida e descer a Lavalle toda a vida). Se essa informação deixar você na fissura de sair correndo para lá, fique à vontade. Mas eu deixaria para ir ao Puerto Madero em outro momento -- num fim de tarde, ou para jantar, ou então para almoçar no domingo (mais adiante tem um tópico dedicado à região).

Prossigamos, pois. Mais duas quadras adiante na Florida e chegamos à Plaza San Martín, já no Retiro, o cantinho mais bonito e elegante do Centro. Ali começa, à sua esquerda, a avenida Santa Fé, que leva à Recoleta e também a Palermo. Aqui vamos pegar um táxi para a Recoleta.

Diga para o taxista: "Posadas y Callao" ("Possadas i Caxáo, por fabor"). Nosso objetivo é almoçar no Sanjuanino, no número 1515 da Posadas, baratíssimo restaurante especializado em fabulosas empanadas. Não se incomode com o fato de o lugar ter se tornado point de brazucas: as empanadas são ótimas, e você me agradecerá quando vier a conta (abre para almoço até às 16h).

Na saída, siga em frente pela Posadas até a Ayacucho, então suba a ladeirinha à esquerda. Você vai passar em frente ao hotel Alvear (o Copacabana Palace portenho) e, uma quadra adiante, vai merecer sua sobremesa na sorveteria Volta da esquina da avenida Quintana. Tomar sorvete em Buenos Aires é tão bom quanto na Itália -- com a vantagem adicional de haver sempre no mínimo meia dúzia de variações de doce de leite. Sempre que passar por uma Freddo, uma Persicco ou uma Volta, pare e experimente um sabor novo grin

Preste atenção no entorno. Você está no coração do bairro mais bonito de Buenos Aires, a Recoleta. Se tiver consultado o Viaje na Viagem antes de organizar a viagem, você deve estar hospedado por aí. Senão, é aqui que eu recomendo que você fique da próxima vez. Flanar pela Recoleta, para mim, é o melhor passeio disponível nas manhãs portenhas.

Que horas são? Como eu não sei quanto tempo você se demorou na Florida, não tenho como adivinhar. Nosso destino final da tarde é Palermo Soho. Caso ainda seja antes de 14h30, você tem direito a uma parada no meio do caminho. Escolha: pode ser uma rápida visita ao museu Malba (Figueroa Alcorta, 3415), que abriga uma espetacular coleção de arte moderna latino-americana, ou um pit-stop no singelo parque Jardín Japonés (Figueroa Alcorta y Casares). Indo a qualquer um dos dois (ou aos dois) você passará pela Floralis Genérica, a flor metálica que acompanha o movimento do sol e é um dos ícones da cidade.

O importante é que entre 15h30 e 16h você esteja em Palermo Soho, a pequena Ipanema de Buenos Aires.. Peça para o táxi deixar você na esquina de "Malabia y Costa Rica". Você descerá na praça mais charmosa do bairro. A essa hora (sobretudo se for fim de semana), o bairro vai estar fervilhando. Namore as vitrines, tente descolar uma mesinha na calçada para tomar um café. As lojas mais bacanas estarão nas calles El Salvador e Honduras. (O trechinho mais bagaceiro é o da praça Serrano, mas se você atravessar a muvuca o comércio e os restaurantes voltam a ser bacanas do outro lado, até o trilho do trem.)

Se você se apaixonar pelo bairro -- pelas minhas contas, pelo menos 62,3% dos leitores do site se apaixonam grin -- pode já ir pensando em ficar por aqui da próxima vez.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Noite: tango

buenos-aires-tango

Os espetáculos de tango são a atração turística número 1 de Buenos Aires. Quase todos funcionam no esquema "cena-show" (jantar + show), e oferecem traslado de ida e volta desde os hotéis mais centrais. São shows superproduzidos, e por isso não custam barato: espere pagar pelo menos 100 dólares com jantar.

É possível comprar só o show, sem o jantar. Você consegue uma economia aí de uns 30 ou 40 dólares e escapa de um jantar fraquinho. Mas em compensação arranja um problema, já que para chegar jantado às 22h na casa de tango, você tem que jantar às 20h, quando os restaurantes estão às moscas. A outra opção é jantar depois da meia-noite, o que restringe a disponibilidade (consulte a seção "Chegando sexta à noite" para ver minhas indicações de churrascarias que funcionam até as 2h).

Os showzões de tango que o Viaje na Viagem viu e recomenda são o sensualíssimo (e caríssimo) Rojo Tango, no hotel Faena, e os caprichados espetáculos do El Querandí e do Café de los Angelitos.

Caso você não faça questão dos espetáculos superproduzidos das casas de tango, sua noite fica mais maleável. O show do Centro Cultural Borges começa às 20h; dá para sair para jantar depois onde você quiser. Os shows dos espaços alternativos do Café Tortoni acontecem em duas sessões; assistindo o das 20h você janta depois, indo no das 22h você janta antes. E como eu já expliquei no tópico "Chegando sexta à noite", mais acima, os shows intimistas do Bar Sur são apresentados a noite toda, com pequenos intervalos, até as 2h da manhã; dá para jantar e aparecer mais tarde por lá, sem reserva.

Noite: jantar

Las Cabras

Há ótimos restaurantes por toda cidade. Mas a principal região gastronômica de Buenos Aires, hoje, é o bairro de Palermo Hollywood, com epicentro nas calles Fitz Roy e Bonpland. Se você está no Centro, o pólo de restaurantes mais à mão é o de Puerto Madero, que é voltado sobretudo aos turistas. Na Recoleta, fuja da fileira de restaurantes em frente ao cemitério; os bons restaurantes da região estão dispersos pelo bairro (querendo encontrar vários lado a lado, vá à Recova de Posadas, que fica no começo da calle Posadas, sob um elevado da 9 de Julio.

Os argentinos jantam ainda mais tarde que os brasileiros; os restaurantes só enchem mesmo lá pelas 22h. Vale a pena reservar, sobretudo nas noites de quinta a sábado e no almoço de domingo. A propósito: antes de sair domingo à noite, confirme se o restaurante abre para jantar. E atenção: alguns restaurantes estão deixando de aceitar cartão de crédito. A melhor fonte de informação sobre horários, telefones e aceitação de cartões em restaurantes é o Guia Óleo.

Noite em Buenos Aires: balada e milonga

buenos-aires-milonga-glorieta

 

A noite em Buenos Aires é pulverizada e diversificada. A balada começa supertarde -- nada esquenta antes da uma da madrugada. Uma boa fonte de informação atualizada é a revista-guia Time Out, que publica edições trimestrais (em inglês) e pode ser comprada nas bancas. (O conteúdo da revista na internet não é tão atualizado; vale a pena dar um novo google no que você escolher antes de ir).

Um jeito divertido de passar uma noite à argentina é experimentar uma milonga -- como são chamados os salões de baile de tango, mais ou menos o equivalente portenho das nossas gafieiras. As milongas esquentam um pouco mais cedo: pouco depois da meia-noite a pista já estará cheia. Chegando cedo (duas horas antes do início do baile) você pode contratar aulas de tango. Cada milonga tem o seu dia da semana; consulte este calendário de milongas para não ir no endereço certo, porém na noite errada. Se você se hospedar em Palermo, a milonga mais perto é a La Viruta (Armenia, 1366; melhores noites: sexta e sábado). Caso você fique em Buenos Aires até domingo à noite, não deixe de ir à milonga La Glorieta, na praça Barrancas de Belgrano. O melhor lugar para se informar sobre as milongas do momento é o blog da Gisele Teixeira, o Aquí me quedo.

Domingo em Buenos Aires: Caminito e Feira de San Telmo

buenos-aires-caminito

 

Não adianta: o cartão-postal de Buenos Aires para o turista brasileiro ainda é o Caminito, em La Boca. De táxi, fica a pouco mais de 15 minutos do Centro, ou 20 minutos da Recoleta. O bacana de visitar o Caminito é que você nunca mais vai precisar ir ao Caminito. Aêêêêê!

Eu adoro falar mal do Caminito -- acho uma ruela sem-graça, que funciona como capa de revista de turismo mas ao vivo é bem meia-boca (ops). No entanto, pessoas mais educadas e com mais paciência do que eu, como a Silvia Oliveira do matraqueando.com.br, conseguem discernir seu valor histórico e artístico. E para não dizer que você rodou tanto só para ver um quarteirão de casebres de zinco não-habitados, você pode turbinar o passeio com duas visitas.

Uma, com verniz intelectual: a Fundación Proa, uma bela galeria sempre com exposições bacanas (fecha segunda-feira); e outra, de cunho, digamos, religioso: o museu do Boca Juniors (oficialmente: Museo de la Pasión Boquense), que funciona sob uma arcada do mitológico estádio La Bombonera. Há visitas guiadas incluindo o estádio. Abre das 11h às 18h (mas nos dias de jogos no estádio o horário é encurtado).

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Da Boca, uma nova corrida de táxi -- 10 minutinhos no máximo -- leva você à Feira de San Telmo (peça ao motorista de táxi: "San Juan y Defensa"). A feira de antigüidades e cacarecos acontece todos os domingos na Plaza Dorrego, mas neste dia a calle Defensa, que leva à praça, fica interditada para veículos. A feira não vale só pelos artigos expostos nas banquinhas, não; há vários artistas performáticos que se vestem de maneira engraçada e posam para fotos. Sempre rola tango na rua, também (com passada de chapéu ao final).

Há bares e cafés na praça e ao longo da Defensa. Duas boas opções para almoçar um belo bife de chorizo: o baratinho El Desnivel (Defensa 855, entre Estados Unidos e Independencia) e o clássico (e meio caro) La Brigada (Estados Unidos 465, entre Defensa e Bolivar). Devo avisar, porém, que domingo não é o melhor dia para nenhuma das duas, já que o overcrowd de turistas acaba deixando os garçons mais irritados do que o costume. Se você ligar antes para reservar, uma boa alternativa é o bistrô francês Brasserie Pétanque (Defensa 596, entre México e Venezuela).

Querendo escapar da muvuca domingueira de San Telmo, pegue um táxi para o Puerto Madero; não dá muito mais do que cinco minutinhos.

Puerto Madero: quando ir, o que ver

Puerto Madero

Outro poderoso ícone de Buenos Aires, o Puerto Madero é um senhor projeto urbanístico: recuperou e incorporou à cidade uma antiga área de armazéns portuários. Passear pelo seu calçadão à beira do canal é um programa gostosíssimo ao entardecer: apareça por aqui depois de um dia de turistagem ou de compras, e caminhe com calma, com uma casquinha (cono) de sorvete (helado) na mão.

O complexo se estende por quase 4 quilômetros: nas duas extremidades estão o terminal de barcos Buquebus (bem em frente à avenida Córdoba) e o Cassino Flutuante (já pertinho de La Boca). O trecho mais atraente vai da altura da calle Tucumán até a avenida Belgrano: por ali está a maioria dos restaurantes, e também a bonita Puente de la Mujer. Aproveite para visitar o Museu-Barco Fragata Presidente Sarmiento -- um barco de 1898 aberto diariamente das 10h às 19h.

À noite, o Puerto Madero funciona como o pólo de restaurantes mais próximo de quem está hospedado no Centro. Recomendo o Cabaña Villegas (para carne; nº 1050-, à altura de Belgrano), o La Parolaccia (para massas; nº 1052, à altura de Belgrano) e o Cabaña las Lilas (para bolsos recheados; nº 51'6, à altura de Sarmiento).

Um pouco mais para dentro, na zona conhecida por Madero Este, vale muito a pena visitar o extravagante hotel Faena. Marque um almoço ou jantar no El Mercado, o mais em conta dos restaurantes do hotel.

A casa de shows Madero Tango fica longe deste miolo, na extremidade sul do complexo; em compensação, o Cassino está ao lado.

Buenos Aires: Às compras

Devolução de IVA. Lojas que vendem produtos argentinos (sobretudo na Florida, na calle Murillo e nos shoppings) emitem certificados que permitem que você receba o imposto IVA de volta. Para isso, é preciso que o formulário seja preenchido no ato da compra. Você vai precisar chegar ao aeroporto (ou no Buquebus) com uma hora a mais de antecedência para passar no posto de reembolso de IVA. Não há posto de devolução de IVA no embarque do Colonia Express.

No Centro: calle Florida. O calçadão da calle Florida é um dos pólos de compras da cidade. É preciso garimpar, porém, as lojas de qualidade. A Galerías Pacífico, na esquina com a avenida Córdoba, vale mais pela arquitetura do que pelos preços. A praça de alimentação é um oásis para a hora do almoço.

Couro: lojas de fábrica. Diga ao taxista: "Scalabrini Ortiz y Murillo" (pronuncia-se "Murixo"). A calle Murillo, em Villa Crespo, concentra as lojas de fábrica de artigos de couro, entre Scalabrini Ortiz e Gurruchaga. As lojas recomendadas são Patagonia Cueros, a 666 e a Reza Duro. (Para botas, vale a pena pesquisar na calle Aguirre.) É mais tranqüilo ir durante a semana. No sábado as lojas da calle Murillo ficam abertas até o fim da tarde. No domingo não abrem.

Outlets de Villa Crespo. Depois dos couros, passe em revista os outlets. Ainda na Murillo, vire à direita na Gurruchaga. Seis quadras adiante você chega à famosa esquina de Aguirre y Gurruchaga, que é o epicentro da zona de outlets de grifes da Villa Crespo. Não pense em termos de Orlando: são lojas pequenas, e nem todas as grifes que você procura estão por lá (não tem Hollister nem Abercrombie). É mais tranqüilo ir em dia de semana; no sábado as lojas abrem até 19h. No domingo algumas abrem à tarde.

Calma, não acabou. Mais quatro quadras (na verdade, cinco, mas a última é curtinha) e você chega à avenida Córdoba, um avenidão megamovimentado. Ali é a região original dos outlets portenhos, onde você encontra marcas como a Levi's, a Adidas e a Hush Puppies. É mais tranqüilo ir em dia de semana; no sábado as lojas da av. Córdoba abrem até as 18h; no domingo não abrem.

Butiques e lojinhas: Palermo Soho Está com todas as sacolas na mão? Então atravesse a rua. Do outro lado da Córdoba já é... Palermo Soho, que é a Ipanema de Buenos Aires. Por aqui estão as butiques mais bacaninhas da cidade. As lojas mais transadas estão nas ruas Honduras, El Salvador e Gorriti e suas transversais, que merecem ser percorridas entre Malabia e Uriarte.

Bateu a fome depois das compras? O que não falta no bairro são restaurantes e cafés. Eu gosto muito do Mott (El Salvador 4685, entre Armenia e Malabia). Indo pela Armenia ou Malabia até a Costa Rica você chega a uma praça rodeada por cafés com mesas na calçada.

Uma visita ao Teatro Colón

buenos-aires-teatro-colon

Depois de ficar fechado por alguns anos em reforma, o Teatro Colón voltou à ativa. A melhor maneira de visitar é assistindo a um espetáculo de ópera, dança ou música erudita; dá para comprar ingressos pelo site Tu Entrada.

visitas guiadas todos os dias, inclusive feriados, das 9h às 17h. Os grupos saem a cada 15 minutos (há saídas em português).

Um dia em Colonia del Sacramento

colonia

Se você vai ficar pelo menos quatro dias inteiros em Buenos Aires, vale a pena dar uma esticadinha ao outro lado do Prata. A cidade histórica de Colonia del Sacramento é uma gracinha -- e é um programa mais fácil fazer estando na Argentina do que no Uruguai. De Buenos Aires você atravessa em uma hora de barco. Se estivesse em Montevidéu, teria que pegar um ônibus que leva duas horas e meia até lá.

A cidade é pequena o bastante para ser destrinchada em cinco ou seis horinhas. Há bons restaurantes no centro histórico. Não há dia impróprio para visitar: os museus fecham em dias alternados. O fim de semana, claro, tem mais movimento do que os dias de semana. É um passeio mais interessante entre meados da primavera e meados do outono: você passa bastante tempo ao ar livre, então no auge do inverno você vai passar muito frio. Compre a passagem com antecedência, pela internet, para conseguir tarifas descontadas.

Um dia pelos parques de Palermo + Malba

Na primavera ou no outono, dá para dedicar um dia de tempo firme à exploração dos belos parques de Palermo -- Rosedal, Jardín Japonés -- emendando com a Flor Metálica e uma visita ao Malba.

Um dia em Tigre

A cidade de Tigre, a 30 km do centro de Buenos Aires, fica à beira do Delta do Tigre (entroncamento dos rios Tigre, Luján e Sarmiento). É uma região onde portenhos ricos mantêm casas de campo e praticam esportes náuticos.

A cidade é um pólo turístico regional. Vai-se até lá para fazer passeios de barco pelo delta, brincar no parque temático Parque de la Costa e também fazer o circuito cultural e gastronômico do centrinho.

O jeito mais interessante de chegar é pelo Tren de la Costa -- um trem antigo que sai da estação Maipú. Vá até a estação Maipú de táxi ou de trem comum (Linha Mitre), saindo da estação Retiro. Não querendo pegar o Tren da Costa, dá para seguir no trem comum mesmo (Linha Mitre), que ele também vai até Tigre. Na ida ou na volta dá para parar em San Isidro, que é um bairro elegante de Buenos Aires.

É muito fácil embarcar nos passeios pelo delta: basta ir à estação fluvial e comprar seu bilhete. Há várias saídas ao longo do dia, todos os dias; os passeios duram entre uma hora e meia e duas horas. Evite ir em dias chuvosos ou muito frios, sobretudo se você planeja passear de barco.

Passeios saindo de Buenos Aires com nosso parceiro Viator

Zôo de Luján: vale a pena mesmo?

A 70 km do centro de Buenos Aires, o zoológico de Luján é uma atração controversa. Depois que fomos ao local, decidimos não recomendar o passeio, por razões que você pode ler aqui.

Caso você não concorde conosco, aí vão as informações práticas. O zôo abre todos os dias do ano. Dá para ir de ônibus de linha (número 67, saindo da Plaza Italia, em Palermo; é preciso avisar o motorista que quer parar no zôo) ou pela van Fabebus. São duas horas de viagem de ônibus ou uma hora com a van.

Um dia no Parque Temaikén

A 54 km do centro, o parque ecológico Temaikèn mistura jardim botânico, zoológico e aquário, com fins educativos. O objetivo é envolver as crianças nos esforços de conservação ambiental.

Abre de terça a domingo. Durante a semana há um ônibus de linha, o 60, que sai da Plaza Italia, em Palermo, e vai para lá. No fim de semana só dá para chegar ou de remis (carro com motorista) ou com tour organizado

Um domingo diferente

Feria de Mataderos

Um domingo gaucho

Uma Buenos Aires pouco conhecida dos turistas se oferece todos os domingos no bairro de Mataderos, a meia hora de táxi, na periferia oeste: ali se realiza uma feira "gaucha", com danças típicas e comidas saborosas.

Um domingo milonguero

À noite acontece a mais singela das milongas da cidade, num coreto da praça de Barrancas de Belgrano (você pode aproveitar e comer num restaurante chinês ou tailandês do Barrio Chino -- calle Arribeños -- que fica ao lado).

Um domingo de fútbol

Muitas agências têm programas sob medida para assistir a jogos do campeonato argentino. Você é buscado no hotel e levado até a arquibancada, sem correr o risco de negociar com cambistas nem pegar a entrada errada do estádio. Uma dessas agências é a Go Football.

Buenos Aires + Montevidéu

Montevidéu

É possível ir e voltar de Montevidéu no mesmo dia -- com o novo buque Francisco, o trajeto foi reduzido a pouco mais de duas horas. Mas mesmo assim, acho que não vale a pena o bate-volta sem pernoite. Querendo dar um pulinho no Uruguai, a pedida é a travessia a Colonia del Sacramento, que leva só uma hora (veja mais acima).

Para combinar Montevidéu e Buenos Aires na mesma viagem, o que eu recomendo é comprar a passagem de ida a Montevidéu, com volta desde Buenos Aires. Entre Montevidéu e Buenos Aires, venha de barco (o desembarque é no terminal Buquebus, no centro da cidade, ao lado do Puerto Madero). Se quiser parar em Colonia del Sacramento no caminho (recomendo!), pegue um ônibus até Colonia, deixe a bagagem no guarda-volume, passeie pelo centro histórico e siga de barco a Buenos Aires.

Na minha opinião, a ordem dos fatores altera o produto. A viagem é mais interessante quando Montevidéu vem antes de Buenos Aires; fazendo a rota contrária, pode ser que Montevidéu encante menos.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires + Punta del Este

punta-del-este

Punta del Este fica no Uruguai, mas pode ser considerado um balneário argentino: a maior parte dos veranistas vem da Argentina. Há vôos diretos o ano todo do Aeroparque para o aeroporto de Punta: em meia hora você já aterrissa.

Por via hidro-rodoviária você vai precisar atravessar o Prata (a Colonia ou Montevidéu) e prosseguir de ônibus. O esquema mais azeitado é via Colonia del Sacramento; a viagem, com os transbordos, dura 5 a 7 horas. Veja o mapa dos deslocamentos no item anterior (Buenos Aires + Montevidéu).

Na minha opinião, Punta del Este só vale a pena no alto verão, entre o Natal e o Carnaval (com um repique na Semana Santa). É quando a cidade está acesa. Fora de temporada o balneário se presta mais ao descanso do que ao turismo.

Buenos Aires + Mendoza

Cavas Wine Lodge

A capital do vinho argentino é também um concorrido destino de ecoturismo. Fica a duas horas de vôo ou 11 horas de ônibus.

Uma excelente continuação de roteiro é cruzar a cordilheira de ônibus (paisagens lindas), voltando para o Brasil desde Santiago.

Buenos Aires + Salta

salta

No norte do país, a 2h20 de vôo, Salta aparece como a nova fronteira turística da Argentina. Tem um centro histórico preservado, um entorno com estradas que passam por formações geológicas incríveis, e a Rota do Vinho até Cafayate, região emergente na produção vinícola.

Salta também é um ponto estratégico para fazer um roteiro por três países, visitando o Salar de Uyuni na Bolívia e deserto do Atacama no Chile, que são vizinhos. Para fazer isso, porém, é preciso tempo sobrando e espírito de aventura, porque o esquema de transporte é rústico.

Buenos Aires + Bariloche

Bariloche

A capital brasileira da neve está a duas horas e meia de vôo -- ou 20 horas de ônibus.

A neve começa a cair no fim de junho, mas é mais garantida em agosto. Se você só pode viajar em julho, o ideal é ir mais para o fim do mês, para dar tempo de acumular neve suficiente para ver, brincar e esquiar. Mesmo sem neve, porém, a região é um deslumbre. Entre os argentinos, a alta temporada é o verão, quando usam os lagos como balneários e centros de esportes náuticos.

Os lagos andinos chilenos são vizinhos: dá para atravessar de barco (pelo Cruce de Lagos) ou de ônibus. Querendo combinar os dois países, o ideal é chegar por um e sair pelo outro.

Fique pelo menos quatro dias inteiros em Bariloche para fazer todos os passeios. Para combinar com o Chile, reserve pelo menos uma semana para a região.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires + El Calafate

El Calafate

Poucas paisagens são tão impressionantes quanto os glaciares -- uma espécie de dunas de gelo, ou cataratas congeladas, que se movem sem a gente perceber (até que a uma pontinha se estraçalha em pequenos icebergs, com sorte à sua frente. Pois nenhuma geleira é tão fácil de ser contemplada quanto Perito Moreno, em El Calafate. Está a apenas uma hora da cidade e se presta a ser apreciada (tanto da terra firme quanto da água) e a ser escalada (em passeios curtos que não requerem preparo físico de atleta).

Andarilhos podem desdobrar a viagem com caminhadas em El Chaltén (4 horas de ônibus) ou Torres del Paine, no Chile (6 horas a Puerto Natales ou 4 horas e meia direto ao parque).

Passe no minimo duas, idealmente três noites em El Calafate. O primeiro dia será perdido em contratar os passeios.

Buenos Aires + Ushuaia

Ushuaia

O vôo de Buenos Aires à cidade mais austral do mundo leva quase quatro horas.

No verão você vê pingüins e faz passeios pelo Canal de Beagle. No inverno, desfruta da estação de esqui com neve garantidíssima desde meados de junho -- e inúmeras atividades na neve para quem não quer esquiar.

Entre setembro e abril partem cruzeiros para a Antártida e também para Punta Arenas, na Terra do Fogo chilena, contornando o o cabo Horn.

Fique pelo menos quatro noites na cidade. O dia da chegada será gasto agendando passeios.

Leia mais:

2120 comentários

Felipe
FelipePermalinkResponder

Com certeza!

Igor
IgorPermalinkResponder

Segui os conselhos dos comentários acima e quebrei a cara com o Sr. Marcelo Bautista, marquei um city tour com ele, um mês antes da minha viagem já estava tudo acertado, data de chegada, horário, local onde iria desembarcar, valores, estava tudo certo.

Quando cheguei aguardei o horário combinado e telefonei para ele, atendeu e disse que estava com um problema e iria chegar em meia hora, aguardei e retornei a ligação, depois de 10 ligações NÃO ATENDIDAS cansei de esperar e peguei outro taxista.

Fiquei muito surpreso e satisfeito com esse taxista de nome Fabian, argentino, fez o maior esforço para entender o português e para conversar com a gente, super bem humorado, morremos de rir, mostrou Buenos Aires toda em um dia (fui de cruzeiro só tive um dia e meio) fiquei super satisfeito com o serviço dele e to aqui indicando o contato dele.

Moral da história agora que o Sr. Marcelo está com muitos clientes (agenciando outros taxistas) ele não está prezando o bom atendimento, te deixa na mão literalmente.

Contato do taxista que me atendeu:
Fabian
0054 15 64285188

karla
karlaPermalinkResponder

Igor, vou discordar de voce!cheguei sabado (01/12) e so volto sabado 08, tbm com ele.
O seu Marcelo me recebeu muito bem, fez um cambio inimaginavel aqui em buenos aires e foi super prestativo.
Pena que vc ficou na mao!!
na verdade, ele n trabalha sozinho.
é socio do seu manuel, outro super gente boa!
realmente é mt chato qnd essas coisas acontecem logo com a gente, aquele azar, mas, vim contar meu relato pq a mim, o serviço foi muito bom

Luciane
LucianePermalinkResponder

Igor, realmente uma pena pq cheguei no mesmo dia que a Karla (comentário acima) e tbm fui bem atendida. Tive que esperar uns min até que o taxi chegasse, mas foi bem tranquilo! Acredito que ele tem vários taxistas que trabalham com ele...
O taxista da ida (aeroporto-hotel) era muito simpático e prestativo, até nos explicou algumas coisas da cidade.
O Da volta (hotel-aeroporto), o Alejandro, então é de longe o melhor argentino que conhecemos. Nos tratou MUITO bem, até a história de Buenos Aires nos contou no caminho da volta, foi tão divertido que quando percebemos já estávamos no aeroporto!

Ele tbm tem uma empresa de city tour - Alejandro Tours tel 15-6721-9578 (e-mail canedoale@yahoo.com.br) - Recomendadíssimo!

Michéle
MichélePermalinkResponder

Oi Ricardo...irei passar minha lua de mel em BA na semana do carnaval... iremos passar 6 dias. Ficaremos na Recoleta. Nossa maior dúvida por agora é em relação a dinheiro, o que vale a pena realmente levar: dólar, real, pesos... ou deixa para trocar la etc. Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Michele! Quem responde é A Bóia. Por favor clique no post "Que moeda levar para Buenos Aires?", está linkado no texto.

Mariana Pereira

Oi Riq, bóias e trips! Eu e a Amanda Mormito, do Buenos Aires Para Chicas nos unimos para armar um guia prático e simpático com um monte de dica boa sobre Natal e Ano Novo em Buenos Aires! Tem toda a info de como fica a cidade nesta época e ainda restaurantes (com detalhes do cardápio, valor por pessoa e telefones para reservas), bares que abrem e festinhas para seguir a noite. Esperamos que ajude quem tá atrás de dicas bacanas de fim de ano em terras portenhas! http://goo.gl/7xBKW

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Gostaria de agradecer aos organizadores do blog e seu leitores pelas excelentes dicas e orientações. Eu e minha noiva fomos a Buenos Aires em novembro e seguimos muitas dicas daqui.
Gostamos muito da cidade. Ficamos na Recoleta e realmente é um bairro maravilhoso. Fizemos o passeio guiado pela casa Rosada ( apenas no domingo e gratuito) e no teatro Colon ( todos os dias e cobrado) e achamos muito interessante. O city tour de onibus oferece uma visão geral dos principais pontos da cidade mas é um pouco cansativo (e demorado). Gostamos muito do restaurante La Cabrera - comida e atendimento muito bons. Fomos também ao restaurante Brasserie Petanque ( em San Telmo) - mas apenas razoável. Sorveteria Volta excelente. Tango no Café de los Angelitos excelente. Não tivemos nenhum problema com taxistas, mas pagamos sempre com dinheiro trocado. Fizemos câmbio e transfer aeroparque-hotel com o pessoal do Marcelo Bautista( R$1: $2,50 ( pesos) . Saquei também alguns pesos com cartão Visa Travel Money sem problema. Andamos muito de táxi e a pé e achamos a cidade muito segura. Para quem está acostumado com centros como São Paulo ou Belo Horizonte, por exemplo, Buenos Aires é muito tranquila, mesmo a Calle Florida. Para quem gosta de museu o de Belas Artes de Buenos Aires é imperdível. O Malba também é muito bacana.
Enfim, foram dias muito bem curtidos nessa linda cidade.
Agradeço novamente pela grande ajuda que nos proporcionaram.

Fabiana
FabianaPermalinkResponder

Bóia, boa tarde.

Li e reli muitos posts em diversos blogs, mas ainda estou com uma dúvida: Para a época de dezembro, qual a quantia razoavel a se levar para passar 5 dias em Buenos Aires? Vou na semana do Natal, 23 de dezembro e retorno dia 29.

Gracias wink

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabiana! Gastos pessoais são pessoais. Na hora a gente ou adapta o budget às condições locais, ou resolve extrapolar. Sempre leve cartão de crédito ou mais dinheiro do que você acha que vai precisar.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2011/03/quanto-vou-gastar-em-alimentacao/

Léo
LéoPermalinkResponder

Olá Pessoal! Em novembro, passei 5 dias em BA com a minha namorada, assim segue as minhas considerações na intenção de ajudar a todos:
- Primeiramente agradeço ao site e aos amigos que postam alguma informação, pois foram bastante úteis durante a minha viagem.
- HOSPEDAGEM: Uma das poucas coisas que discordo do site. Fiquei no centro, juntamente com vários brasileiros, e acho que pra quem vai pela primeira vez é muito bom. O centro só fica "deserto" no domingo e não vi nenhuma situação de "perigo". Fiquei no hotel Imperial Park (decolar.com), que por sinal é muito bem localizado, limpo (recém-reformado), organizado e tem um tratamento especial com o cliente. O defeito do hotel é o café da manhã, que na realidade é um problema típico da cidade, pois comparado aos cafés dos hotéis brasileiros é muito fraco;
- PASSEIOS + TANGO: Fica a critério de cada um. É só seguir o site, mas indico o city tour da prefeitura ou o privado no primeiro dia, o bate perna pelos principais bairros (Centro, Puerto Madero, Recoleta c direito a cemitério, Palermo...), o Zôo de Luján (Show de bola!) e um Show de Tango (Escolhi o Senhor Tango, pois estava muito afim de assistir só a dança, mas sim um pouco de teatro, música...Gostei muito e recomendo); Obs. É só fazer a cotação com JANA, que é uma brasileira que trabalha numa agência em BA, através do info@lyltravel.tur.ar. Vocês vão perceber que é natural encontrar brasileiro vendendo pacotes na Rua Florida, então quem quiser fechar na hora poderá ser uma boa. Sugiro sempre pechinchar.
- TÁXI + MOEDA: Não tive problemas, mas estava sempre "ligado" pra não levar golpe. Quanto ao taxi, sugiro sempre andar com notas "pequenas" das moedas principais. No transfer, utilizei os serviços do Marcelo Bautista, argentino que morou no Brasil e fala o português muito bem. É de confiança, cumpre os horários e prefere receber em real. Sugiro sem restrições. Ele responde e-mail diariamente: marcelo_bautista@hotmail.com. Tem também um argentino muito gente boa, que arranha o português e que gosta muito de brasileiros (Alejandro): canedoale@yahoo.com.br. Quanto a moeda, sugiro não trocar tudo na ocasião da chegada ao aeroporto, até porque a cotação do Banco Lá Nacion é muito baixa. Troque o suficiente pra gastar com besteiras na rua e no comércio informal. Praticamente todos os lugares (restaurantes, agências de viagem e etc) aceitam real e dólar, inclusive até preferem. Claro que é sempre pedir a conta em todas as moedas e fazer o cálculo p saber o que vale mais a pena. Achei lugares com dólar entre 4.85 a 6 pesos e o real de 2.25 a 2.70 pesos. Aqueles que preferem o cartão, poderá ser uma boa também. Lembro que tem taxas.
Acho que é só...
- Cidade muita boa para passeios;
- Apesar da crise econômica, o preço ainda é bom para o turista brasileiro, pois comparada com as nossas capitais ainda é mais barata;
- Não percebi nenhuma atitude suspeita de ladrão, inclusive a quantidade de turistas com câmera na mãe é imensa. Claro que tem muita gente que vacila.
- Pontos negativos: GORJETA EM EXCESSO E CAFÉ DA MANHÃ FRACO. Não vi pedinte pelas ruas, mas a quantidade de vezes que o turista tem que dar gorjetas (propina) é impressionante. Independente do atendimento, os caras já fazem aquela postura: "Cadê a gorjeta?"...Inclusive preferem dólar. kkk...Sugiro andar com várias notas de 5 reais, 5 dólares, 10 pesos e 20 pesos.

Felipe
FelipePermalinkResponder

Léo, onde conseguiu essa cotação de 2.70 pesos?

Guilherme Biazzi

Boa Noite,
Sempre peguei dicas por aqui, agora é a minha vez. Fui para Buenos Aires em 10/11 e ficamos 8 dias, voltei dia 18/11.
- HOTEL: fui com minha noiva e ficamos no centro, na Calle Adolfo Alsina, bem perto do Obelisco, no Room Mate Carlos, é uma rede de hotel espanhola que tem hotel na Espanha, EUA, e Buenos Aires. Um atendimento 110%, atendentes muito simpáticos.
- MOEDA+TÁXI: Levei dólares, e na Florida estavam pagando 6,50 pesos no dólar. Não existe isso de desconfiança, fui no domingo, quando cheguei, sem problemas, todos ficam gritando ''cambio'', pode ir sem medo. Perto da loja Falabella tem um chileno que troca. Em relação a táxi, percebemos que parece que os taxistas do rádio taxi estão querendo mostrar que não tem nota falsa. A maioria das vezes, pagávamos com 100 pesos, e o taxista, colocava a nota no banco do lado, e contava o troco na sua frente.
- PASSEIOS : indico muito o passeio para o zoológico de luján, é bem cansativo, pois o zoo fica há uns 45 kms do Obelisco. Demora mais para ir e voltar do que ficar por lá, a Fabebus que é uma empresa que faz essa ligação entre as cidades sai da frente do Obelisco, um hotel chamado Libertad (não lembro o nome direito).
- RESTAURANTES: Amamos o La Cabrera, fomos 3 vezes. Não deixem de ir ao Don Julio, o custo benefício é inigualável.
- CIDADE: sempre achei e continuo achando Buenos Aires uma cidade encantandora, não vou dizer que está cara, mas um cafézinho com medialunas sai mais ou menos 50 pesos. Como troquei em dólar, tudo a gente divida por 3, então não ficava tão caro.

Renato Morais
Renato MoraisPermalinkResponder

Qual a melhor opção para fazer transfer do aeroporto EZE até o hotel?

regina
reginaPermalinkResponder

Querida Boia!!!!Estou realmente muito feliz!!!fiz minha primeira viagem a Buenos Aires e graças as sua orientações,pude fazer vários passeios adoráveis,pena que o tempo foi curto,mas vou voltar com certeza.e já passeio site a vários amigos que fiz por lá.Grande beijo
Regina

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Regina! Que bacana! grin Fique à vontade para deixar as suas dicas para os próximos viajantes.

Ninho Moraes
Ninho MoraesPermalinkResponder

Alô amigos do VV, segue uma dica boa para quem for a Buenos Aires até Dezembro de 2013: conhecer a fachada artística do Espacio Fundación Telefonica, que foi criada por uma dupla de brasileiros, Leonardo Crescenti e Rejane Cantoni.
Para quem quiser ver mais, segue o link do FB com fotos:
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10151425818022034.444452.597042033&type=3
Abraços, Ninho Moraes

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Em primeiro lugar, obrigada pelas dicas do site! Já fiz um pré-roteiro com suas dicas, e gostaria apenas de mais uma informação. Nos tangos mais famosos algum traje específico (passeio ou esporte completo) é requerido? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Priscila! Normalmente não!

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Obrigada pela resposta!

Paulinho Ramos

Priscila e A Bóia,

Obrigado pela pergunta e pela resposta.

Abraços.

Paulo arthur lobo

estou indo para buenos aires na proxdima terça feira.
queria saber se eu troco o dinheiro de real para peso aqui na minha cidade ou espero para btrocar no aeroporte em buenos aires.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paulo! Por favor clique nos posts em que se fala de chegada e trânsito. Estão relacionados no início do texto.

Julia
JuliaPermalinkResponder

Olá!

Adorei o blog! Gostaria de algumas dicas... Chegarei em Buenos Aires no dia 25 de dezembro pela manhã, já soube que é um dia "morto", com praticamente tudo fechado. O que fazer nesse dia???
Outra coisa, meu hotel fica em Congreso, é uma boa localização?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Julia! Congreso é centro.

Aproveite para fazer passeios que não dependam de comércio ou museus, como o Caminito e a Recoleta.

André L Rodrigues

Olá boa noite....adorei as dicas! Bem, não sei se fiz certo, mas acabei comprando minhas passagens para Buenos Aires, onde ficarei por 10 dias....estou preocupado pois queria passar por Colonia, Punta e Montevidéu...será que dá pra eu fazer isto? Já reservei hotel pelos 10 dias.... abraços e obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, André! Colonia é um ótimo bate-volta. Montevidéu e Punta requerem pernoite.

Amaro - Recife

André,

mesmo já tendo reservado os 10 dias, vê se consegue pernoitar em Colônia. Não fiz isso e me arrependi na hora que pisei lá no centrinho histórico. Essa dica só não vale se você for muito de balada, porque lá segue o clima mais low profile.

André L Rodrigues

Obrigado...vou pernoitar então, posso perder algum dinheiro pelo que já paguei, mas acho que valerá a pena!!!!!!

Andrea Vilela
Andrea VilelaPermalinkResponder

Prezados,

não conhecia o Blog e adorei ao conhecê-lo.
Li o post a primeira vez em Buenos Aires e gostei muito. Eu, meu marido e minha filha (14 anos) pretendemos ir a BA dia 04/01/2013 e voltamos di 11/01/2013. Gostaria de dicas de aluguel de carro. Pretendo ficar 3 dias em Buenos Aires e os 4 dias restantes pretendemos conhecer Mendonza e Bariloche. Quais dicas vc pode nos dá. Nosso orçamento é econômico. Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrea! Uma semana é pouco para cobrir as três cidades. Falamos das dobradinhas Buenos Aires + Mendoza e Buenos Aires + Bariloche no post acima. Dê uma olhada smile

Andrea Vilela
Andrea VilelaPermalinkResponder

Obrigada pela dica!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Verdade Andrea, vai ficar muito corrido. Só para você ter uma idéia, estou planejando ir em Buenos Aires e ficar lá 1 semana, e mesmo assim acho que vai ser pouco tempo.

Se o orçamento é econômico, o melhor é evitar deslocamentos e ficar num lugar só.

Andrea Vilela
Andrea VilelaPermalinkResponder

Obrigada Hugo, seguirei seu conselho!! Valeu...

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

E eu que já fui 4 vezes e ainda não vi tudo o que gostaria?

Erica
EricaPermalinkResponder

Eu fui uma vez, Naila, mas não vejo a hora de voltar para fazer uns programinhas que não tive a oportunidade. São eles:
- conhecer o Faena
- assistir a um espetáculo no Teatro Colon
- visitar Colonia do Sacramento
Beijos,

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Fui à Buenos Aires entre 6 e 11/dez, e como peguei quase todas as dicas da viagem aqui no site, voltei pra registrar a qualidade e o meu agradecimento pelas informações divulgadas. Parabéns e obrigado!!
Para contribuir com informação, confirmo a vantagem de levar moeda em US$ ou R$, a cotação quase sempre é melhor que a oficial; que a maioria dos taxistas foram honestíssimos - os carros de aluguel (remises) é que são muito caros; que o ônibus de turismo BA Bus tem uma qualidade baixa, não dá pra confiar nos horários (esperamos mais que 1 hora em 2 situações); e que a Recoleta é realmente o melhor lugar pra ficar em Buenos Aires.
Valeu!

Marcela Aragão

Bóia e viajantes, bom dia! Estarei em Buenos Aires com meu esposo de 03 a 08.01.13 e gostaria muito de ir a Colonia del Sacramento. Conforme sugerido por vcs o ideal é comprar antecipadamente no site e a Buquebus é mais segura. Alguém já teve a experiência de comprar pelo site? Como é minha primeira vez estou um pouco insegura, até pq é um site de outro país... Além disso, é melhor ir a Colonia durante a semana ou final de semana? Aguarda a ajuda de vcs!

Amaro - Recife

Marcela,
eu fiz a compra pelo site. Super tranquilo.
Optei por ir em dia de semana por dois motivos: em janeiro o movimento nos finais de semana no buquebus é maior (por causa de Punta e outras praias). Pelo mesmo motivo foge-se do movimento de BsAs durante a semana.

Flavinho
FlavinhoPermalinkResponder

Boa tarde,
Conheci ontem este Blog e realmente gostei de tudo que eu Li.
Estaremos chegando em B.A dia 27/12 e ficamos até o dia 09/01/2013. Faremos ainda uma viagem para Santiago - Chile neste meio tempo!
Gostaria de saber algumas coisas: (É minha primeira vez, desculpe as perguntas idiotas...rs
- Neste período é quente? Ou faz frio?
- Sugere que eu leve uma quantia maior em dólar?
- Chegaremos por Ezeiza, quanto fica a corrida de taxi até recoleta? (alguma idéia)
- Faremos compras para cozinharmos no apto que alugamos, supermercados são iguais do Brasil?
- As tomadas são em formatos diferentes não é?

Tenho outras duvidas idiotas, desculpe...rsrs..

Obrigado pelas dicas!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavinho! Faz bastante calor (bastante mesmo) no verão em Buenos Aires.

Leia aqui sobre despesas:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/que-moeda-eu-levo-para-a-argentina/
https://www.viajenaviagem.com/2012/10/novidades-cambio-buenos-aires/

Leia sobre a chegada e trânsfer em Ezeiza:
https://www.viajenaviagem.com/2009/10/chegando-em-buenos-aires-transfer-e-dinheiro/

Sobre as tomadas, leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/12/tomadas-argentinas-tres-pinos-chatos/

Você encontra supermercados como os daqui smile

Tatiana Vieira

Oi Flavinho,
Estou em Buenos Aires no momento, vou tentar ajudar:
1º o clima por aqui está ótimo, bate um friozinho apenas pela manhã. Mas depois o sol aparece mesmo assim até o momento nada se compara ao sol da minha região norte do Brasil..rsrsr Diria que tá agradável!
2º se você tiver dólares traga, mas um real nas compras dependendo das lojas tá cotado a 2,50 pesos. No banco do governo trocamos dia 16/12 há 2,29. Se for pegar táxi é melhor ter pesos argentino na carteira, mais tranquilo.
3º pegamos o taxi ezeiza, e pagamos 220 pesos é o preço da tabela atual, as coisas estão caras por aqui.
4º os táxi da cidade (laranjados com preto) até agora não deu dor de cabeça. Mas traga seu mapa, eu depois de uma semana por aqui já faço atalhos e ando sozinha tranquilamente.
5º Já andei muito pelos bairros do Centro, Recoleta, Retiro e Palermo Soho e o que mais vi foram os pequenos mercadinhos além de milhares de quiosque, a maior rede que encontrei até agora foi a Disco. E sim, tem muitas diferenças nos sabores encontrados aqui só desejo boa sorte...rsrsr
6º as tomadas são de três entradas planas, igual as usadas pelos aparelhos de ar condicionados.

Boa Viagem,
Culturalmente Buenos Aires é espetacular diverta-se!!!

Marcela Aragão

Grata pelo retorno Amaro! Você comprou com cartão de crédito em pesos, reais ou dólares? Obg!

Luiz Sérgio
Luiz SérgioPermalinkResponder

Estivemos em BsAs de 13 a 17/12/2012. Ficamos no HJ Boutique Recoleta, na Calle Peña 2049. Comentei sobre este em outro post (https://www.viajenaviagem.com/2011/01/hoteis-em-buenos-aires-os-depoimentos-dos-leitores/comment-page-5/#comment-254279).
Ricardo Freire tem razão! Nào vale a pena fazer o city tour no ônibus turístico. Custa AR110,00 por pessoa para 24h, mas você acaba não utilizando. Primeiro porque é necessário dormir, almoçar, jantar, tomar banho etc. Também perde-se tempo descendo nos lugares mais interessantes e aguardando o próximo ônibus passar. Se chover é outro problema. Por outro lado, quem aguenta o sol escaldante no verão? Então sou mais favorável a usar o táxi. Achei o serviço superorganizado. Não tive nenhum problema nas corridas, mesmo pagando com notas de cem pesos.
Também não vejo vantagem nos outlets. O mundo está globalizado, e os preços são muito semelhantes em qualquer país. A menos que você tenha sorte, e consiga alguma promoção. Mas promoções ocorrem no seu próprio país, e com mais tempo para escolher. Se formos contabilizar o tempo gasto em compras, somando diária de hotel, táxi, riscos de comprar o que não se precisa, concluiremos que é melhor comprar na nossa cidade. Além do mais, artigos de boa qualidade são caros em qualquer lugar do mundo. Recomendo compras apenas se nos passeios encontrar um produto que deseja, exceto para produtos locais que têm a vantagem de representar a cultura do lugar. O que comprei em BsAs e valeu muito a pena foram vinhos de categoria superior, e difíceis de achar no Brasil. A loja da Winery no Recoleta Mall é muito boa (melhor que a do Shopping Abasto).
Experimentei o restaurante Peruano Francesco em Palermo Hollywood, e fiquei muito satisfeito. Parece culinária molecular. São pratos reinterpretados como o Risoto Negro com Camarões e Lula. Pagamos cerca de AR525,00 por entrada (polvo e lula na parrilla), espumante Animal Rosé, dois pratos pricipais (Risoto Negro e Linguado ao Cognac) e degustação de três sobremesas. O restaurante é muito bem frequentado e mais barato que outros na Recoleta!
O bairro Palermo Soho é bem interessante, mas é melhor ir nos horários de funcionamento das lojas. No domingo e a partir das 19h muitas fecham. Em uma próxima viagem, vou me hospedar neste bairro!

Andrea Vilela
Andrea VilelaPermalinkResponder

Não posso deixar agradecer, e muito, ao blog! Tudibom e mais um pouco!!! Estou encantada!!! Vocês são show de bola. Os posts de todos me ajudaram muito e até mudaram a cara da nossa viagem a Buenos Aires. Começamos a planejar com um fogo e , graças as dicas de vocês, ajustamos e ficou 10!!!Vamos dia 02 e voltamos dia 12 (eu o maridão e a filota de 14 anos). Hoje foi um corre corre no poupatempo para conseguirir tirar o meu RG novo. Nas viagem domésticas nunca questionaram meu RG, mas... vai que!!! Mas está tudo dando certo!!! Valeu... até o dia 2 ainda vou pedir helps a vocês.

Para começar:
1- preciso alugar um carro??? Quais as locadoras com preço bom!
2- comida boa a barata? O que me sugerem
3- Livrarias??? Quais indicam
4- Jantar especial em uma das noites: Qual restaurante sugerem...

Brigadú!!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrea! Alugar carro em Buenos Aires é furada. Aproveite que a cidade é uma delícia para caminhar, e use o táxi para deslocamentos mais longos.

Veja sugestões de restaurantes de todos os tipos aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2011/04/buenos-aires-40-restaurantes-em-9-bairros/

Não deixe de visitar a livraria El Ateneo.

Flavinho
FlavinhoPermalinkResponder

Obrigado pelas dicas gente...

Vou na próxima quinta feira, dia 04/01 vamos para santiago no chile e depois voltaremos para BA e dia 09/01 Brasil!!

Quero curtir muito...

Inclusive...quero tentar malhar....rsrs...sério...serão muitos dias...rsrs...enfim...

Obrigado pela ajuda!

Abração
Flavinho

Denise Behrens

Algumas dicas e roteiro de quase 5 dias
Acabei de voltar de Buenos Aires com 3 senhoras. Fui no dia 13/12 e voltei 17/12. Hotel Vista Sol, a 2 quadras das Galerias Pacífico, na rua paralela ao hotel tem um

Carrefour Express, fica pertaço de muitos lugares. O hotel é super tranquilo, pega wireless no hall, o café é bomzinho e no mais foi tudo tranquilo. Cambiei todas as

vezes em que precisei dentro das Galerias Pacífico na casa Metropolis. O peso tava valendo 1.94, nas lojas cerca de 2.20 e as guias trocavam a 2.50. Pra mim valeu

demais a pena trocar sempre lá. Chegamos quinta dia 13 as 14h, deixamos as coisas no hotel, fomos almoçar na Pacífico, tomar Fredo (o vaso chico custa 22 pesos e só

aceitam-se pesos). Os guias nos falam pra pegarmos sempre o Rádio Táxi pois eles têm telefone e identificação dos taxistas. Fizemos isso mas nem sempre. Compramos água

no supermercado a 19 pesos o garrafão de 5 litros pq a garrafinha de 500ml geralmente custa entre 12 e 16 pesos. Comprei tb o vinho San Humberto a 22 pesos, o alfajor

(recomendado e gostoso Terrabusi de doce de leite - 25 pesos a embalagem com 6), o tb recomendado e muito gostoso doce de leite La Serenissima 11.75 pesos e levei um

monte pra casa, e Quilmes 1 litro pra tomar no hotel antes de dormir a 8.99, nos bares tá em torno de 30 pesos. De noite fomos no San Juanino, Recoleta e tomamos a

jarra de vinho grande a 30 pesos (pra 4 pessoas) e comemos empanadas de carne, milho (choclo, muito boa) e presunto e queijo, 10 pesos cada e água a 16 pesos, sem gás.

Sexta dia 14 fizemos o citytour incluso que sempre vai: Casa Rosada, Plaza de Maio, Cabildo, Catedral Metropolitana, Obelisco, Floralys Genérica que tá estragada e não

consertam imaginem, por falta de dinheiro, Bombonera de longe e Caminito. Lá no Caminito eu e minha mãe tomamos uma long neck num boteco a 15 pesos e no outro quando

fomos perguntar eram 25, voltamos, claro. Na volta pro hotel pedimos e nos deixaram no Siga La Vaca (pq tava tarde, tínhamos que almoçar e tava no caminho). Entrada +

buffet a vontade e com carnes e chorizo + sobremesa e + 1 garrafa de vinho pra cada a 110 pesos cada. Comida muito mais pra menos que pra mais, mas valeu a porção de

frits que vc pode pedir a parte mas tá inclusa, vai saber, a sobremesa e o vinho, claro, que por sinal não pode levar pra casa mas como já estávamos pra lá de bragadá,

pedimos pra abrir mais uma e colocamos na sacola e levamos sim pro hotel. Teatro Colón, visita guiada a 110 pesos em grana. MARAVILHOSO. Vc tem que ir, vale a pena. De

noite Tango no Tortoni a 110 pesos sem jantar mas vale a pena pq não é turisticamente turístico, pequeno e reservado. Dia 15 sábado fomos pra Colônia del

Sacramento/Uruguai pela Seacat. Se embarca no Buquebus mesmo. Comprei no Brasil pelo telefone pq é mais barato do que pela net e a metade do preço do que comprar lá.

Alugamos lá um carro de golf na Viaggio Rent a carpra 4 pessoas a 408 pesos ou 60 dólares pelo dia todo com combustível incluso. Rodamos tudo e mais um pouco começando

pela Plaza de Toros - Coliseu, Portão em ruínas da cidade, calle de los Suspiros e tudo mais. Almoçamos mais uma vez (eu e minha mãe já tínhamos feito essa viagem em

2009) no Bar e Restaurante Mercosur, que fica na avenida principal, General Flores lá no final. Comeu-se nhoque a 159 pesos uruguaios o prato e um combo de hambueguer,

fritas e coca-cola a 139. A long neck Patrícia tava 58 "pu". Fomos à Colônia as 8:30 e voltamos 17:30. Deu e sobrou. De noite eu e minha mãe somente fomos ao Hard Rock

Café, antes entramos no Buenos Aires Design pra comprar uns badulaques. Tomamos um Terrza Malbec a 100 pesos, Onion Ring a 59, água a 20 pesos e comemos um penne que

vinha com 2 fatias de pão torrado e um pedaço de frango grelhado, muito bom, a 65 pesos. Domingo dia 16 eu e minha mãe, companheiraça fomos direto de táxi pra Igreja

Ortodoxa Russa, entrada gratuita, não se pode tirar fotos do interior da igreja que é lindíssima e lá em cima temos que colocar uma saia pra entrar na igreja, do

contrário não se entra. De lá fomos andando pra feirinha de San Telmo (lembrando que tando no Uruguai quanto na Argentina o calor tava rachando, mais que os 32 graus

de BH e nesse dia choveu pra c*, achei foi bom), fotografamos no banco da Mafalda na Defensa Y chile, almoçamos no indicado restaurante El Desnível (comi milanesa de

frango com purê e minha mãe filé com molho de cogumelo e purê - que pra não vir cru mesmo falando ao ponto vc tem que pedir a la mariposa, que é o corte ao meio pra

carne não vir com 3 metros de altura como veio, 35 e 110 pesos respectivamente, pepsi 15 pesos). Cartão só de seg a setxa. Muito bom. Cardápio brasileiro. De noite

fomos no restaurante Las Cholas. perto do hipódromo, longinho, não entendemos bulhufas do cardápio, não se esforçaram em nos ajudar, comemos empanadas a 6.50 bem mais

ou menos, comi um camembert ao forno que é pequeno por 31 pesos, Stella 1 litro quente a 34 pesos e detalhe: as comidas são servidas naqueles prato que normalmente

ficam debaixo dos pratos normais e achei nojentão demais. Todos tavam fedendo e pano molhado e fora o foco de bactéria que aqueles pratos de madeira mal lavados não

deviam ser. Local bonitinho, ambiente tipo Savassi aqui de BH cheio de restaurantes e tal, mas não valeu a pena. Segunda dia 17 eu e minha mãe fomos no Shopping Abasto

e tava vaziaço, crise total. Fomos de táxi 33 pesos e voltamos de metrô, 5 pesos 2 passagens (Estação Carlos Gardel e descemos na Florida), andamos umas 4 quadras até

a Galerias Pacífico e de lá almoçamos no hotel pra esperarmos nos buscar 14h pra voltar. Detalhes mais: os shows que os guias cvc lá vendem custam entre 420 pesos até 1266 pesos. Senor Tango 510, La Ventana 450, El Viejo Almacen 540 pesos e por aí vai. Se vc tá indo pela pimeira vez vale ver um show hollywoodiano desse, se não, vá em Milongas tipo o Tortoni e veja uma coisa mais intimista. Foi bom.

Hirley Neves
Hirley NevesPermalinkResponder

Olá, acabamos de voltar de Buenos Aires (18/dez) e seguem algumas impressões que tivemos:

- ficamos em dois hotéis: Ibis Obelisco (região central) e Ayres de Recoleta Plaza, na Recoleta. O Ibis é aquele padrão: quarto pequeno, só mesmo para dormir. O café da manhã achei muito bom, várias opções de pães, sucos, café, bolos, cereais e frutas. O Ayres de Recoleta é demais!! Quarto enorme, muito confortável e bem decorado. O café é servido no quarto e não deixa a desejar. Ainda conta com uma cozinha no próprio quarto para quem não quiser comer fora. A localização também é perfeita, fica numa ruazinha bem de frente para o cemitério e a um quarteirão do Recoleta Mall e de alguns restaurantes. Excelente!

- Restaurantes: fui louca para comer uma parillada no Cabaña Villegas (Puerto Madero), pois li em algum comentário que o preço era de 68 pesos para entrada, prato principal, vinho e sobremesa. Quando chegamos lá, o preço simplesmente era de 75 dólares por pessoa! Acabamos indo no Brasas Argentinas, quase ao lado. Apesar de ser bem servido, com saladas e frutos do mar, não tive coragem de comer quase nada (e olha que não sou fresca para comer), mas tudo tinha cara de ser comida do dia anterior. Comi só pão e carne, deu pra sair satisfeita, mas não feliz...

- dinheiro: ao contrário do Uruguay, não vi quase nenhum lugar aceitar Reais. Somente poucos restaurantes e serviços de Remis. Hoteis, nenhum. Fiz saques com meu cartão de conta corrente e troquei alguns dólares e reais em casas de cambio.

- zoo lujan: é muito legal, mas tem uma pegadinha: NÃO VÁ sem um guia. Os funcionários fazem a maior sacanagem com turistas que vão por conta própria. Como os guias são conhecidos deles e sempre dão gorjetas, os turistas acompanhados dos guias tem altos privilégios, como ficar vários e longos minutos ao lado dos animais, podem dar leite para eles, tirar fotos privilegiadas, etc. Mesmo quando a gente dava uma gorjetinha pro funcionário, nunca éramos tratados como os outros. Fui pedir pro funcionário pra dar leite pro tigre, a resposta foi "ele já tomou muito leite, está cheio". Só que depois veio uma turista com guia e deu leite! Passamos pela jaula das cobras e tinha um menino tirando fotos com algumas cobras penduradas no pescoço. Quando foi a nossa vez, os tratadores nem olharam na nossa cara, não tivemos nem chance de tirar fotos. Pedi pra tratadora do dromedário tirar fotos minhas com meu filho, ela fingiu que tirou fotos, quando fui ver, não tinha foto nenhuma. É a maior sacanagem que existe, por isso, se vc quiser realmente aproveitar o lugar, vá com um guia.

- JAMAIS perca tempo indo para alguma estância. Fomos passar o final de semana em uma delas, na cidade de Mercedes, cerca de 100km da capital. Gastamos uma grana violenta com remis, além de pagar caro pela hospedagem e a experiência foi péssima. Era mosquito em todo lugar, o que nos impediu de fazer as atividades que queríamos, como andar a cavalo, chegar perto das ovelhas, ficar na piscina, etc. Pagamos uma nota preta e ficamos quase que o tempo todo dentro do quarto, escondidos dos mosquitos.

- compras / preços: Achamos que a cidade está extremamente cara. Uma garrafinha de coca cola está custando 15 pesos (quase 8 reais). Roupas, inviável. Até o sorvete da Freddo, aqui em São Paulo está mais barato que lá!!

- decadência: conheci Buenos Aires há 15 anos atrás. Achei que ela decaiu muito. Somente a Recoleta e Palermo estão legais para passear. O centro está um horror, cheio de camelôs, sujeira, muita gente, muita confusão. A calle Florida, que eu gostei tanto, agora está parecendo o centro de São Paulo. Realmente não reconheço mais essa cidade... uma pena, pois era linda, dava gosto de passear.

- para quem pretende complementar a viagem com Montevideo, vale a pena ir de barco. São 3 horas de viagem, o barco é confortável e ainda tem free shop dentro, com várias promoções. Também tem um tipo de lanchonete, mas com preços abusivos. A dica é levar algum lanche ou comer antes de pegar o barco.

Erica
EricaPermalinkResponder

Hirley,
Estive em Buenos Aires no ano passado, em outubro de 2011, e tive a mesma impressão em relação aos preços: a cidade já não está tãããão mais barata assim... Chegamos a pagar 15 pesos por uma água sad
Ao contrário de Santiago, tenho lembrança de regiões bem sujas em Buenos Aires, como, por exemplo, a Av. Santa Fé.

ALICE
ALICEPermalinkResponder

Quais os lugares vcs recomendam para se conhecer. Meu RG é de 97 posso levar a carteira de motorista

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alice! A carteira de motorista não vale.

Leia sobre RG e passaporte na América do Sul:
https://www.viajenaviagem.com/2011/01/america-do-sul-rg-ou-passaporte/

bel fonseca
bel fonsecaPermalinkResponder

Ola, boa noite!

Eu não conhecia este site, mas li de um só fôlego!
Obrigada, vou anotar as dicas.
Qual a temperatura que faz de 06 a 13/03/2013.
Ficaremos no Hostel Arrabal, situado na rua Salta, é uma boa?

Att

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bel!

Estará quente, ainda.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2010/09/como-pesquisar-temperatura-e-chuvas-no-exterior/

Não gostamos da localização do hostel. Apesar de se dizer "San Telmo", fica do lado errado da 9 de Julio.

ademar alves lira

Olá! Estarei indo à Buenos Aires em janeiro/2013. Estarei em San Telmo (Av Paseo Colon, 1101). Aluguei um apartamento neste endereço.
Alguma recomendação acreca da localização?
Obrigado,

Ademar

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ademar! San Telmo é menos interessante do que Recoleta ou Palermo para se hospedar, principalmente se for a sua primeira viagem.

Marcia Fernandes

Gostaria de agradecer muitíssimo por todas as dicas, mas ainda tenho dúvidas sobre qual moeda utilizar. Como vamos de navio, soube que há uma casa de câmbio no porto. Esta informação é verdadeira? Qual moeda está sendo mais aceita para as pequenas despesas? Muito obrigada, Marcia

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcia! É possível que o Banco Nación tenha aberto uma agência no porto; o banco que havia lá não pode mais operar, de acordo com as novas orientações cambiais argentinas.

Veja nossas dicas de como sair do porto sem se incomodar com a máfia dos taxistas que opera no local:
https://www.viajenaviagem.com/2011/01/chegando-em-buenos-aires-pelo-porto-cambio-e-transfer/

Ozeias
OzeiasPermalinkResponder

Marcia você vai no Gran Holiday do dia 06 saindo do Rio?

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Anexo de novo

ALICE
ALICEPermalinkResponder

O hotel aspen suites é bem localizado? Pode-se andar de bermuda na cidade?

Ricardo Freire

Alice, não gosto do Centro como localização, não. Anda-se de bermudas e havaianas normalmente no verão.

Ozeias
OzeiasPermalinkResponder

Olá prezado, fiquei horas lendo as dicas e comentários de todos, mas não li post sobre eletronicos, se há algum lugar especial para comprar suvenirs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ozeias! Não vale a pena comprar eletrônicos na Argentina. Na calle Florida e no Caminito você encontrará souvenirs.

Priscila Sato
Priscila SatoPermalinkResponder

Olá, bom dia

Gostaria de saber se preciso reservar 1 dia para conhecer: zôo de lujan, outro para colonias de sacramento e outro para rio tigre ou se posso conhecer cada um deles em meio período (manhã ou tarde)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Priscila! São passeios que ocupam boa parte do dia; não vale a pena se apressar.

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Acabo de voltar de Buenos Aires e como li várias dicas úteis aqui no blog, deixo algumas outras mais para os futuros viajantes:

Translado Ezeiza-Recoleta: Na ida, combinei com o Marcelo Bautista, R$ 75 reais. Meu vôo atrasou bastante e ainda assim havia um senhor da equipe dele me esperando no aeroporto quando cheguei em Buenos Aires. Na volta, como consegui câmbio muito bom por lá, peguei um rádio táxi mesmo. O preço é tabelado, 200 pesos.

Câmbio: Só vale a pena o câmbio informal, na Florida. Levei dólares e encontrei cotações entre 6,20 e 6,50 pesos por dólar nas casas de câmbio da Florida. Levar real também vale a pena, vi cotações entre 3 e 3,20 pesos por real. Quandro trocarem, confiram as notas... Não tive nenhum problema com notas falsas, mas conferi todas sempre.

Alimentação: Das dicas que vi no site, aproveitei apenas três:
- Jantar no Villegas, 290 pesos para duas pessoas com entrada, prato principal com acompanhamento, sobremesa e uma garrafa de vinho. Achei a carne (chorizo) extremamente saborosa (pedi ao ponto), mas minhas amigas que pediram bem passada não curtiram.
- Empanadas no El Sanjuanino: 90 pesos para duas pessoas com dois refrigerantes e 6 empanadas. Todas as empanadas estavam muito boas e o atendimento foi muito cordial.
- Café da manhã no Tortoni: não tinham churros, oras! Fiquei em parte decepcionada pois havia ido para comer os famosos churros, mas mesmo assim resolvi comer por lá. Pedimos um chá da tarde (75 pesos), substituindo o chá pelo café e pedimos uma xícara de chocolate a parte (24 pesos). Um chá/café serve duas pessoas que comam moderadamente, vem bastante coisa para comer.

Tango/Zoológico: Fiz um pacote na Florida de Tango + Visita ao Zoo de Luján por 90 dólares por pessoa. Sai um pouco mais caro do que fazer os passeios por conta própria, mas acredito que valha a pena. No Tango (Complejo Tango), tivemos direito a translado desde o nosso apartamento até a casa de tango, tanto na ida quanto na volta. Não é um tango pirotécnico como o Señor Tango ou Rojo Tango, mas exatamente por ser mais intimista, gostei bastante. Havia interação dos bailarinos com a plateia e achei a dança bastante bonita. A comida realmente não vale a pena, mas fazia parte do pacote (mais bebida liberada) e jantando no tango você acaba pegando as melhores mesas. A ida ao zoológico incluiu o translado, mas dessa vez era desde um ponto de encontro estabelecido. Também incluiu um guia, o que pode ser essencial, já que você possui prioridade em certas jaulas e descontos em fotos/refeições no parque.

Táxi: Não tive nenhum problema, mas sempre paguei com notas baixas como haviam comentado por aqui. Para quem vai andar de metrô, tenha bastante cuidado: um amigo meu teve o passaporte furtado de seu bolso da frente da calça. Na embaixada, falaram que isto está acontecendo direto. Mantenham bolsas sempre à frente do corpo, não deixem nada nos bolsos e de preferência levem porta dólar para dinheiro e documentos.

Dica final: caso sobrem pesos ao final da viagem, não se desesperem! A taxa de câmbio no dutyfree é extremamente inferior à que se acha nos câmbios informais da Florida, portanto, acaba sendo até mais vantajoso comprar em pesos do que em dólar. Eu por exemplo, vendi um dolar a 6,40 pesos na Florida e comprei um dolar do dutyfree a 4,95 pesos, extremamente vantajoso!

Espero ter ajudado!

Ariel Pinho
Ariel PinhoPermalinkResponder

Cheguei dia 24 de Buenos Aires e meu roteiro foi todo encima do site... Dicas ótimas que valem a pena conferir.
Fiquei no Ayres de Recoleta: Custo beneficio excelente e há um brasileiro na recepção, o Fabricio que ajuda em tudo e mais um pouco, inclusive até trocou uns reais para pagar o taxi para o aeroporto ahuahuahuaa... É impressionante como o peso não vale nada.
Fui no Senor Tango, valeu cada real gasto, show de 2 horas, otimos bailarinos e direção inquestionável do Fernando Soler.. Ele faz uma homenagem a Hebe Camargo e Roberto Carlos muito linda (olha que não sou fã nenhum pouquinho dos 2).
Quanto ao taxi nenhum problema, sempre solicitava pedir peo radio taxi que vc paga 5 pesos a mais. Quanto pegava na rua ele semprem davam uma voltinha mas nada de mais e nenhum problema com notas falsas.
Sobre o Cambio recomendo troca com o Alejandro que é Parceiro do MArcelo Bautista, ele cambiava a 2,60 e vai até o hotel sem custo nenhum. Notas todas verdadeiras. Vai o email dele: canedoale@yahoo.com.br.
Por enquanto é isso..
Um abraço a Todos

Fátima
FátimaPermalinkResponder

Boa-tarde!
Ah, se eu tivesse encontrado seu blog antes de fechar o nosso hotel..., com certeza ficaria na Recoleta.Mas ...
Bem, estarei em Buenos Aires no dia 6/2 com meu marido e dois casais amigos. Ficaremos hospedados no Hotel Madero, em Porto Madero. Infelizmente, ao fazer a reserva no booking não reparei que não poderia cancelar, e tive que fazer a compra. Gostaria de saber os lugares que ficam mais perto deste hotel, se tem metrô por perto,se o bairro é perigoso. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! É um ótimo hotel. Ali perto está o Faena, que vale a visita (marque um almoço ou jantar no restaurante El Mercado, e se puder, vá ao espetáculo Rojo Tango). Não é um lugar interessante para caminhar, não; é melhor chegar e sair de táxi, que em Buenos Aires não é caro.

(Se você pegou uma tarifa não-cancelável no Booking, é porque aproveitou uma grande oferta.)

Claudete
ClaudetePermalinkResponder

Fátima,
ande de transporte público. Os ônibus são excelentes, muito baratos, cerca de 0,80 de real.
Compre um bom mapa da cidade, na primeira banca de revistas.
Saindo de Puerto Madero vá em direção à Av. Colon, pegue o ônibus de nº 152, dirección Recoleta y sea feliz. Se quiser, pode pedir para parar na Plaza San Martin que é ao lado do acesso à Florida e à 9 julio. Dali é só "caminar y desfrutar": Obelisco, Corrientes, Santa Fé, etc.
Boa estada em Mi Buenos Aires querida!

Claudete
ClaudetePermalinkResponder

Ah! O 52 também te levará direto, em sentido oposto à Recoleta, ao bairro La Boca onde está El Caminito, ruas onde se pode assistir a shows de tango e dançar em plena rua com os instrutores.
É tudo de bom!

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Olá!
Em 1° lugar parabéns pelas dicas e disponibilidade!! Dá vontade de ir amanhã o BA!
Eu gostaria de ficar uns 4 a 5 dias em BAs e tambpem ir a Montevideo / Colonia e (talvez) Punta del Este ... o que iria mais uns 5 ou 6 dias.
Vi no post sobre o tempo de vôo de um lugar outro. Onde eu poderia comprar passagens aéreas (com bons preços) de BA para Mtvd ou Punta? Vcs recomendam comprar por lá?
Pretendo ir em março, pensei em "arriscar" não reservar Hotéis nas outras cidades, e talvez só comprar o aéreo p Mtvd e ir de carro à Punta.
Que tipo de planejamento vcs me sugerem??

Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiana! Entre Buenos Aires e Montevidéu voa-se de Aerolíneas. Veja mais informações no post acima e aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2011/01/de-montevideu-a-buenos-aires-todas-as-possibilidades/

Não recomendamos viajar sem reservas. Punta del Este é melhor na temporada. Depois do Carnaval, a cidade fica vazia.

Carol
CarolPermalinkResponder

Boa Tarde!!

estou encantada com o blog! fiquei paralisada no meu trabalho até acabar de ler a última linha!!!
quase dá para imaginar tudo apenas lendo as informações!! blog perfeito!!!

vou começar a planejar uma viajem a BA para setembro, de 4 a 5 dias... minha prioridade é a visita ao Zoo Lujan, pois será uma viagem de presente de aniversário para meu filho, ele fará 4 anos em setembro.
gostaria de pedir mais dicas para roteiro com criança!!
apesar de não ser uma viagem tão indicada para crianças, quero aproveitar alguns dias para conhecer BA de forma não tão cansativa para meu filho....
quem tiver alguma dica me ajude!!
sei que ainda falta muito tempo, mas quero me organizar para não perder nada e até mesmo encontrar bons preços e reservas com antecedência!!
até lá, estarei sempre aqui conferindo as dicas!!!
muito obrigada a todos!!
aguardo resposta sobre roteiro com crianças!
boa tarde a todos!!!

Rafael Gomes
Rafael GomesPermalinkResponder

Carol, não está cedo não... aproveite que a fase da programação e elaboração do roteiro só não é melhor que a própria viagem, mas é muito boa! Uma dica inicial: abuse do taxi, pois é bem barato e não deixará seu filho cansado em demasia. Boa viagem!

Carol
CarolPermalinkResponder

Oi Rafael!

obrigada pelas dicas!
também curto mto programar as viagens!!
certamente iremos andar só te taxi!!
e no Zoo Lujan iremo com guia também, rs!!!!
até lá vou tirando minhas dúvidas por aki!!

Abraço!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carol! Você pode encaixar no roteiro básico algumas atrações especiais para crianças. No Viajando com Pimpolhos e no Buenos Aires para Niños existem muitas dicas:
http://viajandocompimpolhos.wordpress.com/category/destinos/argentina/buenos-aires/
http://buenosairesparaninos.blogspot.com.br/

Carol
CarolPermalinkResponder

muiiiito obrigada pelas indicações dos blogs! adorei!!! vou programar meu roteiro incluindo as atrações para crianças sim!!!!
voltarei por aqui até a viagem, e depois também para relatar como foi e também dar dicas!!
obrigada e ótimo dia!

Maria Isabel
Maria IsabelPermalinkResponder

Olá! Irei para Buenos Aires nos dias 11 a 14.02/13 (época do carnaval aqui) com meu namorado e nossas mães. Gostei muito das dicas dadas aqui no Blog e dos comentários, mas ainda estou em dúvida em relação ao dinheiro, onde trocar, se levar real compensa (havia pensado em trocar no Aeroporto, agora já vi indicação de outras pessoas que fazem câmbio). Vou ler o post mais umas duas vezes até decidir bem! Ficaremos no Gran Argentino, alguma informação sobre este Hotel que vcs tenham? No Carnaval, o movimento é grande em Buenos Aires? Obrigada! Um abraço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Izabel! O carnaval agora é feriado em Buenos Aires. A cidade deve estar vazia de argentinos. Não gostamos da localização centro, leia o post. O post de que moeda levar tem tudo o que recomendamos.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Bom tarde. Irei viajar para Montevideo/Colonia/Buenos Aires. Gostaria de saber então qual a melhor forma de se deslocar do porto de Buenos Aires (Puerto Madero) onde o Buquebus irá me deixar até meu hotel que fica a duas quadras da Plaza de Mayo. Existem terminais de taxi em Puerto Madero?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leonardo! Veja as dicas de trânsfer para quem chega pelo porto neste post: https://www.viajenaviagem.com/2011/01/chegando-em-buenos-aires-pelo-porto-cambio-e-transfer/

Ana Luisa
Ana LuisaPermalinkResponder

Riq, Boia e tripulação;
Acabo de voltar de mais uma temporada em Bsas dessa vez de 9 dias.
A ultima vez em que estive na terrinha foi em maio. Costumo ir cerca de três vezes ao ano e confesso que a inflação está realmente galopante. De maio para cá as coisas aumentaram muitíssimo. Ainda acho comida e taxi UM POUCO mais barato que no Rio, porém estão bem parelhas. A diferença,, no meu sentir, é que a quantidade de restaurantes bons é infinitamente maior do que aqui. Chegamos com incríveis 12 graus no dia 1/1 e a temperatura permaneceu agradável até os dois últimos dias quando subiu bastante.Ficamos no Art Suites da Azcuenaga, onde geralmente fico em estadas mais longas. Gosto cada dia mais. Localização excelente, apartamento amplo e confortável, com serviço de hotel. Tudo de bom.Fui ao restaurantes que gosto de lá e que continuam bons como o El Mirasol da Recova, Sottovocce, Don Julio, La Brigada e dessa vez fui a três que eu ainda não havia ido: Tarquino ( onde era o La Cabaña e hoje também funciona um novo hotel boutique bacanudo chamado Hub- Calle Rodrigues Peña)- excelente, com bom ambiente e bons vinhos; o Tomo I, que é um clássico de Buenos Aires, mas que eu ainda não conhecia e também gostei bastante e um simples para o almoço, perto do hotel mas que tinha uma comida excelente chamado Covadonga (Riobamba com Arenales), onde comi uma excelente milanesa com papas fritas e um bife de lomo bem gostoso a preços bem camaradas.De resto, a cidade continua linda e não sei se pela alta dos preços me pareceu com bem menos turistas...

KARININA B LIMA DE ABREU

Boa tarde,

Em primeiro lugar parabéns pelo site, muito legal.
Estarei em BU 26/01/13 A 30/01/13, seria melhor fazer o city tour com agência ou por conta própria? Digo em aproveitar melhor os lugares e o custo x benefício e qual melhor dia, estava pensado no domingo, seria proveitoso? Estarei hospedada em Palermo Soho.

Desde já agradeço a atenção,

Karinina.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karinina! Recomendamos fazer por conta própria. Leia o post com atenção, por favor.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Ola! adorei o site, ja fiz reservas em BA nos dias 28.01 a 04.02, mas ficaremos no centro, agora fiquei preocupada pelos comentarios, ficarei no Suites Florida, vocês conhece o hotel?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carla! Leitores comentam sobre o albergue Suites Florida aqui: https://www.viajenaviagem.com/2011/02/tem-um-hostel-para-recomendar-e-para-desrecomendar/

Carla
CarlaPermalinkResponder

se poder gostaria que vcs comentassem uma média de preço das refeições, almoço e jantar, pra poder me organizar, no valor de dinheiro.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carla! Os preços são mais ou menos os que encontramos no Brasil. No Guia Óleo você pode ter alguma idéia de valores:
http://www.guiaoleo.com.ar/

Leia também:
https://www.viajenaviagem.com/2011/03/quanto-vou-gastar-em-alimentacao/

Dante Basso
Dante BassoPermalinkResponder

Parabéns, graças ao seu post vou ir por conta a Buenos Aires e possivelmente irie de carro, partindo de cascavel-pr até lá (~1.500km), teria alguma dica para a viagem de carro?
Quanto a hotel, estou procurando no site booking.com, recomenda?

Parabéns muito bem explicado e muito completo! Nota 10!

Grande Abraça.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dante! Recomendamos o Booking, é nosso parceiro.

Se tiver tempo, visite as ruínas jesuíticas de Posadas. Córdoba e Rosario são boas paradas intermediárias, use uma na ida e outra na volta.

Marcio Doin Gonçalves

Bom dia!

Estou de saída na terça feira, 15/01, sem hotel reservado. Sempre viajo assim, rs!

Há algum problema, pelo fato de ser em outro país? Pelo que li, opções não faltam.

E quanto tempo para conhecer praticamente todos os pontos turísticos de Buenos Aires?

Agradeço e parabéns pelas dicas! Serão de extrema utilidade!

Att
Marcio

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcio! Nossa religião não nos permite viajar sem reserva de hotel. Achamos que nosso tempo em viagem é muito caro para ser perdido procurando hotel -- sem falar que a tarifa-balcão normalmente é mais cara do que a que se pode conseguir com antecipação. O post acima tem sugestões para vários dias, faça suas escolhas.

Mayara Lien Santucci

Olá
Gostaria de saber se o hotel Concorde na 25 de mayo está em uma boa localização?

Ah e parabéns pelo magnífico site.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mayara! Fica no Centro. Não recomendamos a localização Centro. Há um post sobre o assunto linkado no texto.

Renata
RenataPermalinkResponder

Bom dia,

Gostaria de dizer que viajei na última semana de 2012, segui muitas dicas desse site e gostei muito, é tudo bastante explicativo!!! Gostaria também de dizer que estou escrevendo para elogiar o trabalho da equipe do Marcelo Bautista, que fez todo o trabalho conforme o combinado, além de fazer um câmbio que para mim foi bastante favorável.
Parabéns pessoal,
Renata

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar