Buenos Aires: roteiro completo dia a dia (e como seguir viagem por Uruguai ou Argentina)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

San Telmo
Bienvenido, bienvenida. Finalmente você veio conferir o que tanto falam de Buenos Aires. Garanto que você não vai se decepcionar. Mas também aposto que você vai gostar ainda mais das próximas vezes que vier.

Por que digo isso? Porque Buenos Aires faz parte daquele elenco de cidades especiais que ficam mais bacanas depois que você não precisa mais fazer a rota das atrações turísticas.

Mas pode deixar -- eu sei que você faz questão de ver todos os cartões-postais nessa sua primeira viagem, e minha função é fazer com que você não perca nada de essencial, da maneira mais racional e menos esbaforida possível.

Chegando a Buenos Aires – câmbio

Táxi Ezeiza

Buenos Aires tem dois aeroportos: Ezeiza (na sua passagem: EZE), o maior, a 50 minutos de táxi do centro, e Aeroparque (na sua passagem: AEP), o aeroporto central, a 10 minutinhos de táxi do centro ou de Palermo. Veja todas as possibilidades de transporte dos dois aeroportos no nosso dossiê sobre transporte e câmbio aqui.

  • Vantagem do Aeroparque: proximidade. Desvantagem: free shop pequeno.
  • Vantagem de Ezeiza: free shop grande. Desvantagem: a distância.

Câmbio em Buenos Aires

Desde o final de 2019, argentinos só têm direito a comprar 200 dólares por mês no câmbio oficial. Como os argentinos poupam em dólar, essa restrição fez renascer o mercado paralelo -- o "dólar blue".

Não vale mais a pena fazer câmbio em casas de câmbio oficiais -- inclusive nas agências do Banco Nación dos aeroportos. O câmbio oficial é até 30% inferior ao valor do paralelo, que indica o verdadeiro valor da moeda.

O que fazer?

O melhor é levar dólares, que têm mais valor que reais para argentinos. Para não precisar trocar dólares em casas de câmbio clandestinas, use diretamente no comércio. Normalmente você conseguirá uma cotação mais vantajosa do que nas casas de câmbio convencionais.

Para saber qual é a cotação do dólar paralelo, consulte esta página do site Dolar Hoy. Use o valor do dólar turista como referência.

Em muitos estabelecimentos também dá para pagar com reais por cotações superiores às das casas de câmbio convencionais, mas normalmente o ganho com dólar será maior.

Buenos Aires: Onde ficar

Na minha opinião, a melhor localização para quem ainda não conhece Buenos Aires é o bairro da Recoleta: central (e por isso bem localizado para fazer os passeios), elegante e charmoso. Clique para ver 25 hotéis selecionados na Recoleta.

Quem vai a Buenos Aires com ênfase em gastronomia e compras descoladas, no entanto, deve considerar ficar em Palermo Soho ou Palermo Hollywood. Clique para ver 23 hotéis selecionados em Palermo.

Hospedar-se no Centro pode até ser conveniente para passear -- mas a região está decadente e morre à noite.

Clima de Buenos Aires

Conte com verões quentíssimos e úmidos. Na meia-estação -- outono ou primavera -- prepare-se para um frio moderado, com eventual veranico durante o dia, se estiver ensolarado. Os invernos são gelados. Entre maio e setembro chove menos, mas esteja sempre preparado para chuviscos.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires: Chegando sexta à noite

Muita gente chega em Buenos Aires na sexta à noite e não quer esperar até o dia seguinte para ter um gostinho da cidade. Vamos lá, então.

Tente pegar um vôo que chegue até as 22h em Ezeiza ou 22h30 no Aeroparque. Se você conseguir largar as malas no quarto até a meia-noite, ainda pode pensar em sair para jantar ou até mesmo ver tango em Buenos Aires.

Querendo chegar e já se atirar na melhor carne argentina, recomendo pegar um táxi a Palermo Soho (15 min. do centro, 10 min. da Recoleta) e se esbaldar na La Cabrera (Cabrera y Thames) que costuma abrir até 1h30 (confirme se está aberta pelo telefone 11/4831-7002). Ali as carnes vêm com inúmeros acompanhamentos, que fazem a diferença. Mais perto do centro (5 min. de táxi), em Puerto Madero, tem a Cabaña Villegas (Alicia Moreau de Justo 1048, diga ao taxista para ir pela av. Belgrano), que também promete funcionar até as 2h (confirme se está aberta pelo telefone 11/4331-0642).

Quer desembarcar em Buenos Aires e ir direto para um show de tango? É possível. O Bar Sur (Estados Unidos y Balcarce) é um bar pequeno, em San Telmo, que apresenta um show intimista de tangos, sem palco: só dois pares de dançarinos no salão, em frente à sua mesa, acompanhados por músicos e cantoras da velha guarda. Está longe de ser uma superprodução, mas pode ser bem divertido (é bem provável que em algum momento vocês sejam puxados para a pista). A vantagem do Bar Sur é que o show é contínuo até as 2 horas da manhã, e não é necessário reservar: basta aparecer na porta.

City-tour, táxi ou metrô?

Buenos Aires tem sua linha turística hop-on hop-off, o Buenos Aires Bus, que permite descer em 24 pontos, da Boca ao Barrio Chino (veja todas as paradas clicando aqui). Os ônibus passam de vinte em vinte minutos. Os bilhetes podem ser comprados para 24horas nas modalidades individual ou combo família com 2 ou 3 crianças (de 4 a 11 anos) - veja os preços aqui.

Minha opinião? Não é necessário. A cidade é perfeitamente navegável de táxi ou Uber. (Ao sair de restaurantes, se não pegar Uber, peça para chamarem um radiotáxi).

O metrô ("Subte") é histórico, um dos mais antigos do mundo; é eficiente e barato. E agora, depois da inauguração da estação Las Heras, é conveniente até para quem se hospeda na Recoleta. O mapa das estações está aqui. Consulte preços aqui. Cuidado com seus pertences: há mãos-leves em ação nas estações.

 

Buenos Aires Sábado: Centro e Recoleta

Vai por mim: faça esse city-tour self-service no seu primeiro dia de Buenos Aires. Assim você se familiariza com as principais regiões e já vê onde vai querer voltar com calma nos próximos dias (ou nas próximas vindas). Deixe para fazer o Caminito no domingo, antes de ir à feira de San Telmo (mais adiante eu explico).

Comece o seu passeio do primeiro dia no Café Tortoni (Av. de Mayo 825, entre Suipacha e Esmeralda), o equivalente portenho da Confeitaria Colombo carioca. No inverno pede-se chocolate quente e churros; no verão escolha uma das copas de sorvete. Dica: aproveite que você está ali e veja se ainda há ingressos para as apresentações de tango que acontecem em dois ambientes no subsolo (Sala Alfonsina Storni e La Bodega) e não são caros. Veja a programação aqui.

A Avenida de Mayo, onde está o Tortoni, é a Champs-Elysées de Buenos Aires: vai do Congresso à Casa Rosada, passando pelo Obelisco. O Obelisco está pertinho: a duas quadras para a direita de quem sai pela porta do Tortoni. A Casa Rosada fica descendo a avenida na direção esquerda. Há um pequeno museu dentro do palácio (com entrada pela Bolivar, 65), mas só abre aos domingos de tarde. Contente-se em ir à praça em frente e imagine-se no lugar de uma das Mães da Plaza de Mayo chorando seu filho desaparecido -- ou um fã de Evita ouvindo um de seus discursos na sacada.

Se você curte museus, pode visitar o novíssimo Museu do Bicentenário da Independência, que é cheio de bossas tecnológicas, e fica exatamente atrás da Casa Rosada (abre de 4a. a domingo das 10h às 18h; entrada gratuita).

Na saída, volte à praça, fique de costas para a Casa Rosada e pegue a diagonal da direita (a Presidente Roque Sáenz Peña); vire à direita na Calle Florida. Esta é a famosa rua de pedestres do centro, com o comércio mais tradicional da cidade. Mas é também o maior antro de malandros de Buenos Aires, então é bom que você pare agora para receber essas recomendações:

Calle Florida

Como a Florida é um dos cartões-postais portenhos, dá para encaixar uma sessão consumismo disfarçada de turistagem. Aproveite para dar uma entradinha na superfarmácia Farmacity do nº 474 (entre Corrientes e Lavalle), para xeretar preços de cosméticos; para se perder na loja de departamentos -- de origem chilena -- Falabella , no nº 665 (entre Tucumán e Viamonte), ou ainda fazer uma fezinha na Zara, no número 651 (na mesma quadra da Falabella).

Mesmo que você não esteja numas de comprar, vai querer visitar a Galerías Pacífico, na esquina com a avenida Córdoba -- certamente um dos shoppings mais fotogênicos do planeta. Aqui você vai ter outra oportunidade de descolar um ingresso para um show baratinho de tango: veja se ainda há lugares disponíveis para os espetáculos do Centro Cultural Borges, que fica no segundo andar (o caminho é bem sinalizado por todo o shopping).

Bom. Não posso esconder de você o fato de que estamos muito, muito próximos de outro ícone de Buenos Aires -- o Puerto Madero. Se você pegar a avenida Córdoba na direção do rio (direita), em menos de 15 minutos vai chegar ao porto de embarque do Buquebus, de onde se vai a Colonia del Sacramento. Na quadra ao lado já começa o Puerto Madero propriamente dito (para chegar direto nele, você pode voltar umas quadras atrás na Florida e descer a Lavalle toda a vida). Se essa informação deixar você na fissura de sair correndo para lá, fique à vontade. Mas eu deixaria para ir ao Puerto Madero em outro momento -- num fim de tarde, ou para jantar, ou então para almoçar no domingo (mais adiante tem um tópico dedicado à região).

Prossigamos, pois. Mais duas quadras adiante na Florida e chegamos à Plaza San Martín, já no Retiro, o cantinho mais bonito e elegante do Centro. Ali começa, à sua esquerda, a avenida Santa Fé, que leva à Recoleta e também a Palermo. Aqui vamos pegar um táxi para a Recoleta.

Diga para o taxista: "Posadas y Callao" ("Possadas i Caxáo, por fabor"). Nosso objetivo é almoçar no Sanjuanino, no número 1515 da Posadas, baratíssimo restaurante especializado em fabulosas empanadas. Não se incomode com o fato de o lugar ter se tornado point de brazucas: as empanadas são ótimas, e você me agradecerá quando vier a conta (abre para almoço até às 16h).

Na saída, siga em frente pela Posadas até a Ayacucho, então suba a ladeirinha à esquerda. Você vai passar em frente ao hotel Alvear (o Copacabana Palace portenho) e, uma quadra adiante, vai merecer sua sobremesa na sorveteria Volta da esquina da avenida Quintana. Tomar sorvete em Buenos Aires é tão bom quanto na Itália -- com a vantagem adicional de haver sempre no mínimo meia dúzia de variações de doce de leite. Sempre que passar por uma Freddo, uma Persicco ou uma Volta, pare e experimente um sabor novo grin

Preste atenção no entorno. Você está no coração do bairro mais bonito de Buenos Aires, a Recoleta. Se tiver consultado o Viaje na Viagem antes de organizar a viagem, você deve estar hospedado por aí. Senão, é aqui que eu recomendo que você fique da próxima vez. Flanar pela Recoleta, para mim, é o melhor passeio disponível nas manhãs portenhas.

Que horas são? Como eu não sei quanto tempo você se demorou na Florida, não tenho como adivinhar. Nosso destino final da tarde é Palermo Soho. Caso ainda seja antes de 14h30, você tem direito a uma parada no meio do caminho. Escolha: pode ser uma rápida visita ao museu Malba (Figueroa Alcorta, 3415), que abriga uma espetacular coleção de arte moderna latino-americana, ou um pit-stop no singelo parque Jardín Japonés (Figueroa Alcorta y Casares). Indo a qualquer um dos dois (ou aos dois) você passará pela Floralis Genérica, a flor metálica que acompanha o movimento do sol e é um dos ícones da cidade.

O importante é que entre 15h30 e 16h você esteja em Palermo Soho, a pequena Ipanema de Buenos Aires.. Peça para o táxi deixar você na esquina de "Malabia y Costa Rica". Você descerá na praça mais charmosa do bairro. A essa hora (sobretudo se for fim de semana), o bairro vai estar fervilhando. Namore as vitrines, tente descolar uma mesinha na calçada para tomar um café. As lojas mais bacanas estarão nas calles El Salvador e Honduras. (O trechinho mais bagaceiro é o da praça Serrano, mas se você atravessar a muvuca o comércio e os restaurantes voltam a ser bacanas do outro lado, até o trilho do trem.)

Se você se apaixonar pelo bairro -- pelas minhas contas, pelo menos 62,3% dos leitores do site se apaixonam grin -- pode já ir pensando em ficar por aqui da próxima vez.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Noite: tango

buenos-aires-tango

Os espetáculos de tango são a atração turística número 1 de Buenos Aires. Quase todos funcionam no esquema "cena-show" (jantar + show), e oferecem traslado de ida e volta desde os hotéis mais centrais. São shows superproduzidos, e por isso não custam barato: espere pagar pelo menos 100 dólares com jantar.

É possível comprar só o show, sem o jantar. Você consegue uma economia aí de uns 30 ou 40 dólares e escapa de um jantar fraquinho. Mas em compensação arranja um problema, já que para chegar jantado às 22h na casa de tango, você tem que jantar às 20h, quando os restaurantes estão às moscas. A outra opção é jantar depois da meia-noite, o que restringe a disponibilidade (consulte a seção "Chegando sexta à noite" para ver minhas indicações de churrascarias que funcionam até as 2h).

Os showzões de tango que o Viaje na Viagem viu e recomenda são o sensualíssimo (e caríssimo) Rojo Tango, no hotel Faena, e os caprichados espetáculos do El Querandí e do Café de los Angelitos.

Caso você não faça questão dos espetáculos superproduzidos das casas de tango, sua noite fica mais maleável. O show do Centro Cultural Borges começa às 20h; dá para sair para jantar depois onde você quiser. Os shows dos espaços alternativos do Café Tortoni acontecem em duas sessões; assistindo o das 20h você janta depois, indo no das 22h você janta antes. E como eu já expliquei no tópico "Chegando sexta à noite", mais acima, os shows intimistas do Bar Sur são apresentados a noite toda, com pequenos intervalos, até as 2h da manhã; dá para jantar e aparecer mais tarde por lá, sem reserva.

Noite: jantar

Las Cabras

Há ótimos restaurantes por toda cidade. Mas a principal região gastronômica de Buenos Aires, hoje, é o bairro de Palermo Hollywood, com epicentro nas calles Fitz Roy e Bonpland. Se você está no Centro, o pólo de restaurantes mais à mão é o de Puerto Madero, que é voltado sobretudo aos turistas. Na Recoleta, fuja da fileira de restaurantes em frente ao cemitério; os bons restaurantes da região estão dispersos pelo bairro (querendo encontrar vários lado a lado, vá à Recova de Posadas, que fica no começo da calle Posadas, sob um elevado da 9 de Julio.

Os argentinos jantam ainda mais tarde que os brasileiros; os restaurantes só enchem mesmo lá pelas 22h. Vale a pena reservar, sobretudo nas noites de quinta a sábado e no almoço de domingo. A propósito: antes de sair domingo à noite, confirme se o restaurante abre para jantar. E atenção: alguns restaurantes estão deixando de aceitar cartão de crédito. A melhor fonte de informação sobre horários, telefones e aceitação de cartões em restaurantes é o Guia Óleo.

Noite em Buenos Aires: balada e milonga

buenos-aires-milonga-glorieta

 

A noite em Buenos Aires é pulverizada e diversificada. A balada começa supertarde -- nada esquenta antes da uma da madrugada. Uma boa fonte de informação atualizada é a revista-guia Time Out, que publica edições trimestrais (em inglês) e pode ser comprada nas bancas. (O conteúdo da revista na internet não é tão atualizado; vale a pena dar um novo google no que você escolher antes de ir).

Um jeito divertido de passar uma noite à argentina é experimentar uma milonga -- como são chamados os salões de baile de tango, mais ou menos o equivalente portenho das nossas gafieiras. As milongas esquentam um pouco mais cedo: pouco depois da meia-noite a pista já estará cheia. Chegando cedo (duas horas antes do início do baile) você pode contratar aulas de tango. Cada milonga tem o seu dia da semana; consulte este calendário de milongas para não ir no endereço certo, porém na noite errada. Se você se hospedar em Palermo, a milonga mais perto é a La Viruta (Armenia, 1366; melhores noites: sexta e sábado). Caso você fique em Buenos Aires até domingo à noite, não deixe de ir à milonga La Glorieta, na praça Barrancas de Belgrano. O melhor lugar para se informar sobre as milongas do momento é o blog da Gisele Teixeira, o Aquí me quedo.

Domingo em Buenos Aires: Caminito e Feira de San Telmo

buenos-aires-caminito

 

Não adianta: o cartão-postal de Buenos Aires para o turista brasileiro ainda é o Caminito, em La Boca. De táxi, fica a pouco mais de 15 minutos do Centro, ou 20 minutos da Recoleta. O bacana de visitar o Caminito é que você nunca mais vai precisar ir ao Caminito. Aêêêêê!

Eu adoro falar mal do Caminito -- acho uma ruela sem-graça, que funciona como capa de revista de turismo mas ao vivo é bem meia-boca (ops). No entanto, pessoas mais educadas e com mais paciência do que eu, como a Silvia Oliveira do matraqueando.com.br, conseguem discernir seu valor histórico e artístico. E para não dizer que você rodou tanto só para ver um quarteirão de casebres de zinco não-habitados, você pode turbinar o passeio com duas visitas.

Uma, com verniz intelectual: a Fundación Proa, uma bela galeria sempre com exposições bacanas (fecha segunda-feira); e outra, de cunho, digamos, religioso: o museu do Boca Juniors (oficialmente: Museo de la Pasión Boquense), que funciona sob uma arcada do mitológico estádio La Bombonera. Há visitas guiadas incluindo o estádio. Abre das 11h às 18h (mas nos dias de jogos no estádio o horário é encurtado).

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Da Boca, uma nova corrida de táxi -- 10 minutinhos no máximo -- leva você à Feira de San Telmo (peça ao motorista de táxi: "San Juan y Defensa"). A feira de antigüidades e cacarecos acontece todos os domingos na Plaza Dorrego, mas neste dia a calle Defensa, que leva à praça, fica interditada para veículos. A feira não vale só pelos artigos expostos nas banquinhas, não; há vários artistas performáticos que se vestem de maneira engraçada e posam para fotos. Sempre rola tango na rua, também (com passada de chapéu ao final).

Há bares e cafés na praça e ao longo da Defensa. Duas boas opções para almoçar um belo bife de chorizo: o baratinho El Desnivel (Defensa 855, entre Estados Unidos e Independencia) e o clássico (e meio caro) La Brigada (Estados Unidos 465, entre Defensa e Bolivar). Devo avisar, porém, que domingo não é o melhor dia para nenhuma das duas, já que o overcrowd de turistas acaba deixando os garçons mais irritados do que o costume. Se você ligar antes para reservar, uma boa alternativa é o bistrô francês Brasserie Pétanque (Defensa 596, entre México e Venezuela).

Querendo escapar da muvuca domingueira de San Telmo, pegue um táxi para o Puerto Madero; não dá muito mais do que cinco minutinhos.

Puerto Madero: quando ir, o que ver

Puerto Madero

Outro poderoso ícone de Buenos Aires, o Puerto Madero é um senhor projeto urbanístico: recuperou e incorporou à cidade uma antiga área de armazéns portuários. Passear pelo seu calçadão à beira do canal é um programa gostosíssimo ao entardecer: apareça por aqui depois de um dia de turistagem ou de compras, e caminhe com calma, com uma casquinha (cono) de sorvete (helado) na mão.

O complexo se estende por quase 4 quilômetros: nas duas extremidades estão o terminal de barcos Buquebus (bem em frente à avenida Córdoba) e o Cassino Flutuante (já pertinho de La Boca). O trecho mais atraente vai da altura da calle Tucumán até a avenida Belgrano: por ali está a maioria dos restaurantes, e também a bonita Puente de la Mujer. Aproveite para visitar o Museu-Barco Fragata Presidente Sarmiento -- um barco de 1898 aberto diariamente das 10h às 19h.

À noite, o Puerto Madero funciona como o pólo de restaurantes mais próximo de quem está hospedado no Centro. Recomendo o Cabaña Villegas (para carne; nº 1050-, à altura de Belgrano), o La Parolaccia (para massas; nº 1052, à altura de Belgrano) e o Cabaña las Lilas (para bolsos recheados; nº 51'6, à altura de Sarmiento).

Um pouco mais para dentro, na zona conhecida por Madero Este, vale muito a pena visitar o extravagante hotel Faena. Marque um almoço ou jantar no El Mercado, o mais em conta dos restaurantes do hotel.

A casa de shows Madero Tango fica longe deste miolo, na extremidade sul do complexo; em compensação, o Cassino está ao lado.

Buenos Aires: Às compras

Devolução de IVA. Lojas que vendem produtos argentinos (sobretudo na Florida, na calle Murillo e nos shoppings) emitem certificados que permitem que você receba o imposto IVA de volta. Para isso, é preciso que o formulário seja preenchido no ato da compra. Você vai precisar chegar ao aeroporto (ou no Buquebus) com uma hora a mais de antecedência para passar no posto de reembolso de IVA. Não há posto de devolução de IVA no embarque do Colonia Express.

No Centro: calle Florida. O calçadão da calle Florida é um dos pólos de compras da cidade. É preciso garimpar, porém, as lojas de qualidade. A Galerías Pacífico, na esquina com a avenida Córdoba, vale mais pela arquitetura do que pelos preços. A praça de alimentação é um oásis para a hora do almoço.

Couro: lojas de fábrica. Diga ao taxista: "Scalabrini Ortiz y Murillo" (pronuncia-se "Murixo"). A calle Murillo, em Villa Crespo, concentra as lojas de fábrica de artigos de couro, entre Scalabrini Ortiz e Gurruchaga. As lojas recomendadas são Patagonia Cueros, a 666 e a Reza Duro. (Para botas, vale a pena pesquisar na calle Aguirre.) É mais tranqüilo ir durante a semana. No sábado as lojas da calle Murillo ficam abertas até o fim da tarde. No domingo não abrem.

Outlets de Villa Crespo. Depois dos couros, passe em revista os outlets. Ainda na Murillo, vire à direita na Gurruchaga. Seis quadras adiante você chega à famosa esquina de Aguirre y Gurruchaga, que é o epicentro da zona de outlets de grifes da Villa Crespo. Não pense em termos de Orlando: são lojas pequenas, e nem todas as grifes que você procura estão por lá (não tem Hollister nem Abercrombie). É mais tranqüilo ir em dia de semana; no sábado as lojas abrem até 19h. No domingo algumas abrem à tarde.

Calma, não acabou. Mais quatro quadras (na verdade, cinco, mas a última é curtinha) e você chega à avenida Córdoba, um avenidão megamovimentado. Ali é a região original dos outlets portenhos, onde você encontra marcas como a Levi's, a Adidas e a Hush Puppies. É mais tranqüilo ir em dia de semana; no sábado as lojas da av. Córdoba abrem até as 18h; no domingo não abrem.

Butiques e lojinhas: Palermo Soho Está com todas as sacolas na mão? Então atravesse a rua. Do outro lado da Córdoba já é... Palermo Soho, que é a Ipanema de Buenos Aires. Por aqui estão as butiques mais bacaninhas da cidade. As lojas mais transadas estão nas ruas Honduras, El Salvador e Gorriti e suas transversais, que merecem ser percorridas entre Malabia e Uriarte.

Bateu a fome depois das compras? O que não falta no bairro são restaurantes e cafés. Eu gosto muito do Mott (El Salvador 4685, entre Armenia e Malabia). Indo pela Armenia ou Malabia até a Costa Rica você chega a uma praça rodeada por cafés com mesas na calçada.

Uma visita ao Teatro Colón

buenos-aires-teatro-colon

Depois de ficar fechado por alguns anos em reforma, o Teatro Colón voltou à ativa. A melhor maneira de visitar é assistindo a um espetáculo de ópera, dança ou música erudita; dá para comprar ingressos pelo site Tu Entrada.

visitas guiadas todos os dias, inclusive feriados, das 9h às 17h. Os grupos saem a cada 15 minutos (há saídas em português).

Um dia em Colonia del Sacramento

colonia

Se você vai ficar pelo menos quatro dias inteiros em Buenos Aires, vale a pena dar uma esticadinha ao outro lado do Prata. A cidade histórica de Colonia del Sacramento é uma gracinha -- e é um programa mais fácil fazer estando na Argentina do que no Uruguai. De Buenos Aires você atravessa em uma hora de barco. Se estivesse em Montevidéu, teria que pegar um ônibus que leva duas horas e meia até lá.

A cidade é pequena o bastante para ser destrinchada em cinco ou seis horinhas. Há bons restaurantes no centro histórico. Não há dia impróprio para visitar: os museus fecham em dias alternados. O fim de semana, claro, tem mais movimento do que os dias de semana. É um passeio mais interessante entre meados da primavera e meados do outono: você passa bastante tempo ao ar livre, então no auge do inverno você vai passar muito frio. Compre a passagem com antecedência, pela internet, para conseguir tarifas descontadas.

Um dia pelos parques de Palermo + Malba

Na primavera ou no outono, dá para dedicar um dia de tempo firme à exploração dos belos parques de Palermo -- Rosedal, Jardín Japonés -- emendando com a Flor Metálica e uma visita ao Malba.

Um dia em Tigre

A cidade de Tigre, a 30 km do centro de Buenos Aires, fica à beira do Delta do Tigre (entroncamento dos rios Tigre, Luján e Sarmiento). É uma região onde portenhos ricos mantêm casas de campo e praticam esportes náuticos.

A cidade é um pólo turístico regional. Vai-se até lá para fazer passeios de barco pelo delta, brincar no parque temático Parque de la Costa e também fazer o circuito cultural e gastronômico do centrinho.

O jeito mais interessante de chegar é pelo Tren de la Costa -- um trem antigo que sai da estação Maipú. Vá até a estação Maipú de táxi ou de trem comum (Linha Mitre), saindo da estação Retiro. Não querendo pegar o Tren da Costa, dá para seguir no trem comum mesmo (Linha Mitre), que ele também vai até Tigre. Na ida ou na volta dá para parar em San Isidro, que é um bairro elegante de Buenos Aires.

É muito fácil embarcar nos passeios pelo delta: basta ir à estação fluvial e comprar seu bilhete. Há várias saídas ao longo do dia, todos os dias; os passeios duram entre uma hora e meia e duas horas. Evite ir em dias chuvosos ou muito frios, sobretudo se você planeja passear de barco.

Passeios saindo de Buenos Aires com nosso parceiro Viator

Zôo de Luján: vale a pena mesmo?

A 70 km do centro de Buenos Aires, o zoológico de Luján é uma atração controversa. Depois que fomos ao local, decidimos não recomendar o passeio, por razões que você pode ler aqui.

Caso você não concorde conosco, aí vão as informações práticas. O zôo abre todos os dias do ano. Dá para ir de ônibus de linha (número 67, saindo da Plaza Italia, em Palermo; é preciso avisar o motorista que quer parar no zôo) ou pela van Fabebus. São duas horas de viagem de ônibus ou uma hora com a van.

Um dia no Parque Temaikén

A 54 km do centro, o parque ecológico Temaikèn mistura jardim botânico, zoológico e aquário, com fins educativos. O objetivo é envolver as crianças nos esforços de conservação ambiental.

Abre de terça a domingo. Durante a semana há um ônibus de linha, o 60, que sai da Plaza Italia, em Palermo, e vai para lá. No fim de semana só dá para chegar ou de remis (carro com motorista) ou com tour organizado

Um domingo diferente

Feria de Mataderos

Um domingo gaucho

Uma Buenos Aires pouco conhecida dos turistas se oferece todos os domingos no bairro de Mataderos, a meia hora de táxi, na periferia oeste: ali se realiza uma feira "gaucha", com danças típicas e comidas saborosas.

Um domingo milonguero

À noite acontece a mais singela das milongas da cidade, num coreto da praça de Barrancas de Belgrano (você pode aproveitar e comer num restaurante chinês ou tailandês do Barrio Chino -- calle Arribeños -- que fica ao lado).

Um domingo de fútbol

Muitas agências têm programas sob medida para assistir a jogos do campeonato argentino. Você é buscado no hotel e levado até a arquibancada, sem correr o risco de negociar com cambistas nem pegar a entrada errada do estádio. Uma dessas agências é a Go Football.

Buenos Aires + Montevidéu

Montevidéu

É possível ir e voltar de Montevidéu no mesmo dia -- com o novo buque Francisco, o trajeto foi reduzido a pouco mais de duas horas. Mas mesmo assim, acho que não vale a pena o bate-volta sem pernoite. Querendo dar um pulinho no Uruguai, a pedida é a travessia a Colonia del Sacramento, que leva só uma hora (veja mais acima).

Para combinar Montevidéu e Buenos Aires na mesma viagem, o que eu recomendo é comprar a passagem de ida a Montevidéu, com volta desde Buenos Aires. Entre Montevidéu e Buenos Aires, venha de barco (o desembarque é no terminal Buquebus, no centro da cidade, ao lado do Puerto Madero). Se quiser parar em Colonia del Sacramento no caminho (recomendo!), pegue um ônibus até Colonia, deixe a bagagem no guarda-volume, passeie pelo centro histórico e siga de barco a Buenos Aires.

Na minha opinião, a ordem dos fatores altera o produto. A viagem é mais interessante quando Montevidéu vem antes de Buenos Aires; fazendo a rota contrária, pode ser que Montevidéu encante menos.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires + Punta del Este

punta-del-este

Punta del Este fica no Uruguai, mas pode ser considerado um balneário argentino: a maior parte dos veranistas vem da Argentina. Há vôos diretos o ano todo do Aeroparque para o aeroporto de Punta: em meia hora você já aterrissa.

Por via hidro-rodoviária você vai precisar atravessar o Prata (a Colonia ou Montevidéu) e prosseguir de ônibus. O esquema mais azeitado é via Colonia del Sacramento; a viagem, com os transbordos, dura 5 a 7 horas. Veja o mapa dos deslocamentos no item anterior (Buenos Aires + Montevidéu).

Na minha opinião, Punta del Este só vale a pena no alto verão, entre o Natal e o Carnaval (com um repique na Semana Santa). É quando a cidade está acesa. Fora de temporada o balneário se presta mais ao descanso do que ao turismo.

Buenos Aires + Mendoza

Cavas Wine Lodge

A capital do vinho argentino é também um concorrido destino de ecoturismo. Fica a duas horas de vôo ou 11 horas de ônibus.

Uma excelente continuação de roteiro é cruzar a cordilheira de ônibus (paisagens lindas), voltando para o Brasil desde Santiago.

Buenos Aires + Salta

salta

No norte do país, a 2h20 de vôo, Salta aparece como a nova fronteira turística da Argentina. Tem um centro histórico preservado, um entorno com estradas que passam por formações geológicas incríveis, e a Rota do Vinho até Cafayate, região emergente na produção vinícola.

Salta também é um ponto estratégico para fazer um roteiro por três países, visitando o Salar de Uyuni na Bolívia e deserto do Atacama no Chile, que são vizinhos. Para fazer isso, porém, é preciso tempo sobrando e espírito de aventura, porque o esquema de transporte é rústico.

Buenos Aires + Bariloche

Bariloche

A capital brasileira da neve está a duas horas e meia de vôo -- ou 20 horas de ônibus.

A neve começa a cair no fim de junho, mas é mais garantida em agosto. Se você só pode viajar em julho, o ideal é ir mais para o fim do mês, para dar tempo de acumular neve suficiente para ver, brincar e esquiar. Mesmo sem neve, porém, a região é um deslumbre. Entre os argentinos, a alta temporada é o verão, quando usam os lagos como balneários e centros de esportes náuticos.

Os lagos andinos chilenos são vizinhos: dá para atravessar de barco (pelo Cruce de Lagos) ou de ônibus. Querendo combinar os dois países, o ideal é chegar por um e sair pelo outro.

Fique pelo menos quatro dias inteiros em Bariloche para fazer todos os passeios. Para combinar com o Chile, reserve pelo menos uma semana para a região.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Allianz Travel

Buenos Aires + El Calafate

El Calafate

Poucas paisagens são tão impressionantes quanto os glaciares -- uma espécie de dunas de gelo, ou cataratas congeladas, que se movem sem a gente perceber (até que a uma pontinha se estraçalha em pequenos icebergs, com sorte à sua frente. Pois nenhuma geleira é tão fácil de ser contemplada quanto Perito Moreno, em El Calafate. Está a apenas uma hora da cidade e se presta a ser apreciada (tanto da terra firme quanto da água) e a ser escalada (em passeios curtos que não requerem preparo físico de atleta).

Andarilhos podem desdobrar a viagem com caminhadas em El Chaltén (4 horas de ônibus) ou Torres del Paine, no Chile (6 horas a Puerto Natales ou 4 horas e meia direto ao parque).

Passe no minimo duas, idealmente três noites em El Calafate. O primeiro dia será perdido em contratar os passeios.

Buenos Aires + Ushuaia

Ushuaia

O vôo de Buenos Aires à cidade mais austral do mundo leva quase quatro horas.

No verão você vê pingüins e faz passeios pelo Canal de Beagle. No inverno, desfruta da estação de esqui com neve garantidíssima desde meados de junho -- e inúmeras atividades na neve para quem não quer esquiar.

Entre setembro e abril partem cruzeiros para a Antártida e também para Punta Arenas, na Terra do Fogo chilena, contornando o o cabo Horn.

Fique pelo menos quatro noites na cidade. O dia da chegada será gasto agendando passeios.

Leia mais:

2120 comentários

Pedro Costa
Pedro CostaPermalinkResponder

Olá estou com problema ao comprar a passagem pela internet da seacat e da busquebus, na parte de cadastro existe um item que pedeeek cdi,cuil,cuit (acho que é algo relacionado ao cpf argentino),ja tentei deixar em branco esse item,ja coloquei numeros e mesmo assim o cadastro ao ser confirmado sempre da erro.
A Boia ou alguem tem alguma solução ou sugestão?!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pedro! É a primeira vez que nos relatam isso....

fabio
fabioPermalinkResponder

Pedro
entra no buquebus e entra sem cadastrar , ai vai aparecer turista e tu coloca a cedula brasileira e ai sim tu coloca o numero de tua identidade

Patrícia
PatríciaPermalinkResponder

O cuit do Brasil é 50000000059, mas o site geralmente coloca automaticamente. E não é um cpf... tá relacionado a uma legislação deles e é um código de identificação tributária.

Pedro Costa
Pedro CostaPermalinkResponder

A Boia não sei mais o que fazer ja tentei de tudo e não consigo comprar as passagens o link da pagina é esse:

http://ventas.seacatcolonia.com/pasajeros-ingreso.php?pax=0

no buquebus acontece o mesmo...a duvida é na parte que tem: Datos AFIP pasajero para percepción RG 3450Tipo

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pedro! Pode ser que esse detalhe tenha sido implementado depois das últimas leis argentinas de controle de viagens ao exterior. Sugiro que você entre em contato com a Buquebus por email para ver se há uma outra maneira de realizar essa compra online.

atclientes@buquebus.com

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Olha, parabéns pelo blog, é a segunda visita a Buenos Aires e a segunda visita ao site também

Pedro Costa
Pedro CostaPermalinkResponder

obrigado vou tentar...mas será que eu consigo comprar essa passagem na hora, lá no terminal?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

De Buenos Aires para Colonia? Por desencargo de consciência, dê uma passadinha um ou dois dias antes... fica perto da Florida, basta descer a avenida Córdoba (esquina da Galerías Pacífico) toda vida, e em 15 minutinhos no máximo você está no terminal.

Pedro Costa
Pedro CostaPermalinkResponder

Estou indo para Montevideu do dia 11/6 a 14/6 e Buenos Aires 14/06 a 18/06 , vou mandar um e-mail para seacat e buquebus para ver se resolve, se não der certo seguirei a dica de passar 2 dias antes no terminal.Vou de seacat e volto de buquebus.

Desculpe o incomodo com as perguntas, mas é a primeira vez que faço essa viagem e quero aproveitar ao máximo.

Parabéns pela página.

Renan
RenanPermalinkResponder

Eu e minha namorada voltamos ontem de lá, após 9 dias e algumas dificuldades, e agora espero poder ajudar futuros turistas com algumas dicas que salvaram nossa viagem.

Como todos sabem, o transporte público lá é bem barato e fácil de pegar, e menos arriscado do que levar golpe de taxista, até msm o transfer que nos pegou no aeroporto tentou aumentar o valor combinado na hora que chegamos ao hotel. A cidade não é tão grande assim e é plana, o que facilita na hora de pegar um colectivo (como eles chamam os ônibus) e caminhar até um determinado local. O problema está na hora de pagar o ônibus, que só aceita moedas. Todos já sabem disso porque é algo muito comentado, mas poucos falam (ou eu que não vi mesmo) do modo mais fácil que é com o cartão deles, que você pega no Correio, custa 15 pesos e é como nosso bilhete único e serve em ônibus e metrô. Se você perguntar aos portenhos, a grande maioria vai falar pra você não pegar o cartão, pq é uma grande burocracia, tem q levar vários documentos e tal, mas na vdd isso só acontece pra quem usar o cartão por mais de 30 dias, ou seja, se vc for simplesmente ficar 1 mês, você compra o cartão, carrega (infelizmente os 15 pesos q vc paga no cartão não contam como carga) e não precisa mais se preocupar em ficar caçando moedas e sim, elas são difíceis de conseguir. Além disso, com moedas a viagem fica mais cara; da recoleta (onde estávamos hospedados) pra boca, com moedas, custa 7 pesos só a ida pra 2 pessoas. A msm corrida, só q com o cartão, fica em torno de 3,20 3,40 pras mesmas duas pessoas. O pessoal do próprio hotel não nos aconselhou a pegar o cartão pq falavam q era complicado e perderíamos tempo de viagem, mas a vdd é q como eles moram lá e precisam desse procedimento, acham que é o msm pra todos e passam informações erradas.

Outra dica é pra quem quiser ir até Luján, a maioria das pessoas fala do Fabebus. Quem curtir uma coisa mais independente, gostar de descobrir caminhos alternativos, recomendo pegar o ônibus intermunicipal Atlântida, linha 57, na Plaza Itália (Ao lado do Zoológico de Palermo). A tarifa de ida é 16,9 por pessoa e dá pra usar o cartão citado acima. Leva umas 2 horas porque para em outras cidades antes, mas sai beeem mais barato do que pegar o Fabebus e você pode usar pra ir ao Zoo ou à Basílica.

Por fim, Delta del Tigre. Todo mundo recomenda pegar o Trem de la Costa e conhecer as cidades, mas para pegar o trem sempre falam pra ir de metrô. Eu particularmente prefiro ônibus porque o metrô na cidade é todo subterrâneo, diferente de sp, então acho mais legal pra conhecer a cidade andando de busao. A linha 152 - Olivos/Boca também deixa perto da Estação Maipú, onde vc pega o famoso Trem de la costa. É só você pegar o 152, sentido Olivos, e descer na Avenida Maipú na altura do 2300 (você passa pela avenida Santa Fé, Cabildo e aí vem a Maipú). A entrada para o Trem de la Costa tava 20 pesos por pessoa na semana passada.

Espero ajudar aos que costumam fazer os passeios por conta própria. Os hotéis sempre tentam empurrar os pacotes turísticos, mas é tão fácil andar pela cidade que se torna mais proveitoso fazer tudo por conta própria, assim você pode curtir no seu próprio tempo.

Pedro Duarte
Pedro DuartePermalinkResponder

Oi! Estou querendo ir dia 5 e retornar dia 13/06 - para dar tempo de ir a Montevideo também. Diferente do que o autor propõe, não dá pra comprar só a ida pra Montevideo - fica mais caro que ida e volta (acho que as cias aéreas trabalham assim, enfim).

Ainda assim, vale a pena? Fica muita cara a passagem de barco para Montevideo, passar dois dias na capital e voltar Buneos Aires, por exemplo?

Abraços!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pedro! Você fez a simulação na Gol? Eles costumam cobrar os valores estanques de ida e de volta.

Pedro Duarte
Pedro DuartePermalinkResponder

Eu fiz a simulação de uma ida apenas e dava mais 1200 + taxas. Ida e volta ficava 450 cada + taxa. Isso valia para Buenos Aires ou Montevideo, para os dias 05 e 13/06....

Então, vale ir a Colonia e de lá Montevideo e depois voltar para Buenos Aires (se eu comprar Buenos Aires ida e volta?)!

Abraços!

Roberto Bispo
Roberto BispoPermalinkResponder

Olá, primeiramente gostaria de elogiar imensamente o blog, bem completo e muito útil no planejamento de nossas viagens. Estou indo pra BSAS no dia 19/06, com minha esposa e filha (9 anos), minha duvida é......fazer ou não o passeio até Montevideo no buquebus. Se realmente vale a pena?... se devemos passar uma noite lá, ou devemos retornar no mesmo dia para BSAS? Desde já agradeço sua atenção, Abraço!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roberto! O Ricardo Freire não recomenda. São 3 horas para ir, 3 horas para voltar -- muito cansativo. Montevidéu é uma cidade menos esplendorosa do que Buenos Aires, a ordem mais acertada é ir primeiro ao Uruguai. O melhor trajeto entre Montevidéu e Buenos Aires é via Colonia, que é uma atração em si.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Bóia parabéns pelo site... ótimo mesmo....
estou indo a Buenos Aires na próxima semana com 1 casal de amigos; são 4 pessoas e ficaremos hospedados no Aspen Towers - alguém conhece ou tem alguma informação sobre o hotel?
Mandei um e-mail para o Alejandro e ele me pareceu bem disponível estou pensando em fachar com ele, inclusive o câmbio, ele me propôs uma taxa de 1 real - 3,2 pesos e 1 dólar 8,2 pesos; pelo que entendi compensa mais trocar real por dólar no brasil em um banco, e levar dólares e gastar o mínimo possível no cartão de crédito não é mesmo?
Vamos ficar 6 dias e 5 noites em BSAS e estava pensando em ir 1 dia para Colonia e 01 dia para o delta do tigre - o q recomenda? Vale a pena ir até Punta del Este nesta época?
Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Recomendamos levar dólares e usar no comércio; não recomendamos cambistas. Punta del Este nesta época não vale a pena.

Leia sobre hotéis:
https://www.viajenaviagem.com/2011/01/hoteis-em-buenos-aires-os-depoimentos-dos-leitores/

Pedro Costa
Pedro CostaPermalinkResponder

Enfim recebi o e-mail da SEACAT,e a mesma respondeu que o site está com problemas temporarios no cadastro de passageiros, e a compra deve ser feita por telefone ou pessoalmente nos postos de venda.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Pedro!

Gero
GeroPermalinkResponder

Ola, acabamos de chegar de Buenos Aires. Ficamos lá por 4 dias. Gostaria de agradecer todas as dicas daqui, que foram muito legais. Segue então minha colaboração:

1) Quando chegamos ficamos meio perdidos com relação a troca de Reais por Pesos, pois não encontramos os caixas 24h. Acabamos pegando o EZE TAXI que aceitam REais (cash) e pagamos ida e volta (R$ 90/ida + R$ 70/ volta). Tudo certo aqui.

2) Já em Buenos Aires (sem 1 peso qualquer) fomos atrás de caixas 24h. Há várias, mas claro sem a bandeira dos bcos brasileiros. Os caixas que representam os bcos brasileiros tem a bandeira "BANELCO" (ou algo assim). Antes, claro, os cartões precisam ser liberados no Brasil. O valor máximo de saque/dia é de 1000 pesos. Na próxima vez, levaremos dolares para trocar por pesos lá, pois com certeza vale mais a pena.

3) Achei os restaurantes caros. Considerando a relação 2,8 pesos = 1 dolar, dividindo 1 prato principal por dois e pedindo umas entradinhas + 1 vinho, gastamos em média R$ 760 (La Cabrera e Las Lilas). As empanadas do San Juanino custam 11 pesos cada. Achei este pé sujo, sujinho demais, mas valeu. Gostei muito do restaurante que fica ao lado dele (Fervor). Comemos ali uma carne maravilhosa, o atendimento excelente e gastamos aprox R$ 450,00 (tomamos aqui cervejas que custam 25 pesos em media).

Amamos o Brasserie, em San Telmo. Atendimento excelente e a comida muito legal por R$ 430,00. Deste resurante indo para a praçinha há do lado direito uma lojinha de vinhos. Compramos Angelica Zapatta por 140 pesos. Há varios outros legais lá e com preços bem menores
que o que vimos num supermercado em Recoleta.

O Bar 6 está fechado para obras, assim como vários. Fomos em Palermo no MOTT também e gostamos bastante.

Almoçamos um dia no restaurante Jesus, em Palermo... não gostei... muito sujo!

4) Taxi: Ficamos em Recoleta e gastamos em média uns 40 pesos por viagem;

5) Fiacmos no hotel Ulisses em Recoleta que amamos. Um cafe da manha excelente e o quarto limpíssimo, sempre com um perfume especial. Em cada andar só há 4 aptos o que é aconchegante.

6) Fomos a pe de Palermo Soho ao outlet que tem ali perto. Não vale a pena. Os preços no Brasil para compras está muito melhor, inclusive para COURO.

7) O voo Rio - BA durou tanto na ida como na volta menos que 3 horas, sem atrasos, sem problemas.

8) Tango: teremos que voltar a BA, pois não conseguimos ver nenhum tango. É que o ROJO TANGO estava caro demais e achamos que o Senor Tango era só para gringo ver. Dizem que em San Telmo tem, todos os dias, tango na rua e que é o tango de verdade... fomos lá no sabado, mas como neste dia estava chuviscando não rolou.

Amamos Buenos Aires... foi demais !!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada pelo feedback, Gero!

Maria das Graças

Gero, também gostamos muito do Restaurante Fervor. Na última vez que almoçamos lá, em novembro de 2012, comemos muito bem e o preço nos pareceu bastante razoável.
Talvez o fato de comermos muito pouco, e por essa razão dividirmos o prato, e também por ser no almoço explique. Voltaremos lá agora no início de junho.
As suas conversões peso/real peso/dolar estão certas? Em novembro peso/real era 2,50 e lembro-me bem que o almoço no Fervor para 3 pessoas ficou em torno de uns 300 pesos, ou R$120,00.
Quem converte não se diverte, não é mesmo? Mas lendo o seu comentário fiquei curiosa.

Maria das Graças

Gero, o taxi que voce pegou no aeroporto foi o Ezeiza Taxi?

gero
geroPermalinkResponder

Foi esse taxi sim.

Maria das Graças

Gero, cometi um engano. Corrijo o valor do almoço para 3 pessoas no Fervor para 461 pesos, equivalente a R$210,00 e a US$97.00.

Gero
GeroPermalinkResponder

Aproveitando: naõ tivemos problema algum com taxi, mas só pegamos (nos orientaram assim) aqueles taxi que (além do número que todos possuem) tinham numero de telefone na porta traseira. Isso signiofica que era um taxi de cooperativa e não carro particular.

Gero
GeroPermalinkResponder

ERRATA. O item 3 que fala sobre os preços dos restaurantes estão em Reais, mas deviam estar em PESOS!!!!

Desculpe.

Maria das Graças

Gero, acontece. Estamos atentos e por isso a minha pergunta. rsrsrs
Preços bem razoáveis considerando-se a qualidade da comida, o lindo ambiente e o ótimo atendimento. Nesse caso não posso deixar de converter e comparar com os preços dos restaurantes aqui no Rio.

gero
geroPermalinkResponder

É verdade Maria das Graças. O Fervor foi uma surpresa bem positiva para nós... atendimento VIP, comida maravilhosa e um excelente custo beneficio.

Susan Eiko
Susan EikoPermalinkResponder

Olá, parabéns por toda a informação reunida e dicas interessantes! Achei o conteúdo relevante e foge daquelas dicas de Guia Turístico que não dão a real sobre cada local!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Susan! Nós agradecemos! mrgreen

Bianca Felix
Bianca FelixPermalinkResponder

Boa noite. Estarei indo a Buenos Aires com meu esposo no meio do mês de junho, ficaremos por lá 4 dias. O que nos indicam fazer para que já possamos ir com um roteiro para não perdermos tempo e deixar de aproveitar ao máximo?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bianca! A gente sabe que o post é longo, mas ao ler tudo você saberá selecionar os programas que mais lhe interessam para esses 4 dias.

Kelly
KellyPermalinkResponder

Olá.. vou a Buenos Aires eu Junho para passar um final de semana. Nao pretendo gastar tempo com museus, e lugares como o Caminito kkk
Na sexta como chego no Ezeiza as 21h30, estou pensando em ver o Tango no Bar Sur e ir em alguma balada em seguida.
Assim ja aproveito a primeira noite e vejo uma das principais coisas que queri: Tango.
Me recomendaram muito ir a Sacramento. Entao minha pergunta é: vale a pena fazer um bate volta para ficar por +- 1h ? Não falo em questão de valor, mas sim de conhecer o lugar.
Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kelly! A viagem leva uma hora. Uma hora em Colonia é pouco tempo, você vai gastar mais tempo no barco do que na cidade, não faz sentido em nenhum tipo de passeio. É um passeio de dia inteiro, não é para meio dia.

Kelly
KellyPermalinkResponder

quando eu disse que nao pretendo visitar museus, é porque em minha ultima viagem internacional visitei tantas catedrais e museus (Inglaterra e Escocia) que prefiro focar outras coisas em Buenos Aires já que terei tao pouco tempo

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Estou indo a Buenos Aires no início de junho. Ontem fui numa Operadora de Cambio e ñ fui aconselhada adquirir o cartão Visa Travel Money, o próprio funcionário disse que lá este tipo de cartão ñ está sendo bem aceito pelo comércio e me aconselhou levar os pesos em espécie. O que vcs acham? Fico preocupada com as fraudes das notas falsas e o risco de assalto.
Se for levar em espécie, aqui a cotação para comprar é R$ 0,40. É melhor trocar no banco lá, consigo uma cotação melhor?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carrati! Nâo vale a pena comprar pesos no Brasil. Leve reais ou dólares e use no comércio, onde conseguirá a cotação do câmbio paralelo sem os riscos envolvidos no câmbio paralelo.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/que-moeda-eu-levo-para-a-argentina/

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Obrigada pela resposta. E o cartão Visa Trevel money, devo levar mesmo assim?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carrati! Veja o que o Ricardo Freire diz no post indicado smile

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Obrigada mais uma vez. Vou "abusar" mais um pouquinho...queria ter sua opinião sobre os Zôos de de BAs. Tem o de Luján (que fica mais distante) e o de Buenos Aires, que fica em Palermo. Qual é mais legal? Vou sem crianças.
Queria visitar o Unicenter no domingo, dia que vou embora, meu vôo é às 16h, ficarei hospedada em um hotel em Recoleta, dá tempo?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carrati! O de Luján permite que você entre nas jaulas dos bichos, essa é a diferença.

Um leitor foi nos dois e comparou: https://www.viajenaviagem.com/americas/buenos-aires-ricardo-freire/comment-page-17/#comment-164695

Compras em Buenos Aires não estão mais tão atraentes. Ninguém tem falado do Unicenter. Não arranje um stress logístico no dia da volta, não vale a pena em lugar nenhum do mundo.

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Ótimas dicas do leitor. Foi muito esclarecedor. Vocês são demais.

Cadu Alves
Cadu AlvesPermalinkResponder

Olá! Estou planejando minhas férias e queria passar uns dias na Argentina. Em relação ao tempo, fico em dúvida: o que é melhor, 5 ou 7 dias? 2 dias a mais faz diferença? Como não somos baladeiros, não iremos a muitas noitadas de Buenos Aires. Nos atraímos mais por gastronomia e cultura local. O que acham? Melhor ficar 7 dias em Buenos Aires ou ficar 5 dias lá e passar em outro lugar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cadu! Você pode ficar 5 e dar um pulinho em Colonia del Sacramento: https://www.viajenaviagem.com/category/colonia-del-sacramento/

Kleber
KleberPermalinkResponder

Olá Bóia,

Estou indo amanhã pra Buenos Aires, por 4 noites.
Queria saber se o feriado de Corpus Christi afeta o comércio, restaurantes, museus e atrações em geral.

Agradeço,

Kleber

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kleber! Não é feriado na Argentina!

Michele Machado

Olá Ricardo, Estou querendo passar uma semana em B.A. com minha filha de 4 anos, vale a pena levar criança? é muito cansativo? dá pra aproveitar?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Michele! Aqui quem responde é A Bóia! Levar ou não a sua filha é uma decisão só sua, mas com uma semana em Buenos Aires dá pra viajar com menos corre-corre.

Indicamos aqui blogs com dicas para quem vai a Buenos Aires com crianças:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/blogs-viagens-com-criancas/

gisela
giselaPermalinkResponder

Oi
Indo amanhã, e com uma agenda todinha de suas dicas,são tudo de bom
Que vc acha melhor? Churrascaria Las Lillas em Porto Madero ou La Cabrera?
obrigada
abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gisela! As duas são recomendadas. A Las Lilas é mais cara.

Veja:
https://www.viajenaviagem.com/2011/04/buenos-aires-40-restaurantes-em-9-bairros/

Diego
DiegoPermalinkResponder

Olá à todos,

Vou para Buenos Aires agora em junho (depois do dia 09/06). Farei um mochilão (aventura de jovem)
Ficarei hospedado em Palermo e gostei de muitas dicas do bairro, porém, queria saber se vocês sabem de um trem que sai de B. Aires para San Miguel de Tucumán...
Não tenho ideia de quantos reais levar. Ex: Eu aluguei um apartamento (especie de conjugadão) no site air bnb (recomendo o site) no Bairro da Recoleta por R$48,00 reais a diária, achei mais em conta do que ficar em hotel ou hostel (eu não me sinto bem compartilhando com pessoas que não conheço o mesmo espaço). Nesse apartamento tem cafeteira, geladeira e fogão, além de que soube que há um supermercado perto. Sou super economico e qualquer coisa me alimenta. rs
Lá em B. Aires tem banco Itaú? Banco do Brasil?
Fico na dúvida de levar dolares e trocar por pesos ou levar reais e trocar por pesos. Sei que aceitam ambas as moedas, mas não me garanto só com o peso?

Adorei as dicas de todos, aguardo uma resposta e me desejem sorte! smile

Darei um feedback com certeza!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Diego! Leia o post "Que moeda levo para Buenos Aires?"; está linkado no texto.

Sobre o trem:
http://www.sateliteferroviario.com.ar/horarios/tucuman.htm

Guilherme Linux

Diego
Tem Itaú mas não vale a pena.Você vai pagar a taxa local para saques(eu paguei 30 pesos por saque, a taxa do Itaú no Brasil(mais R$ 9 por saque) e além do mais o câmbio não compensa.
Leva dólares ou reais que é bem melhor.

Érica
ÉricaPermalinkResponder

Oi pessoal, acabei de voltar de Buenos Aires, a cidade está cheia de obras devido às eleições de outubro e o trânsito está péssimo, praticamente igual São Paulo, só que em Buenos Aires eles buzinam muito mais! Se programem para chegar aos aeroportos e se preparem para andar em ruas com piso irregular e cheias de desvios...

Roberto Bispo
Roberto BispoPermalinkResponder

Olá Érica, estou indo pra Buenos Aires no próximo dia 18, gostaria de saber de você, como está o câmbio por lá???..Desde já agradeço..Abraço!

Raul
RaulPermalinkResponder

Estou indo no dia 24 de junho para passar 7 dias .. estou animado para a primeira viagem internacional . Reservei o hotel centro naval, pois tem convênio com a FAB e tive um desconto .. Alguém já ficou nesse hotel? é bom? Parabéns pelo site. Obras?? rsrs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raul! Não temos referências! Não curtimos muito a localização; é mais bacana ficar na Recoleta ou em Palermo.

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Olá mais uma vez. Sugiu uma dúvida de última hora. Fique sabendo por um argentino que os bancos de Bas, só trocam reais por pesos se for apresentado o passaporte, só a identidade ñ pode. É verdade?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carrati! Para usar carteira de identidade no banco você precisará da folhinha de entrada no país, carimbada.

Renato
RenatoPermalinkResponder

Compartilhando a experiência como recém chegado da viagem:
_ Cheguei pelo Aeroparque, utilizei o transfer do Marcelo Bautista (R$ 35,00), ao chegar o mesmo já estava me aguardando, combinei tudo com ele por email, inclusive fiz parte do câmbio com o mesmo sem nenhum problema, a volta por Ezeiza também foi feito com ele (R$ 75,00)
_ Fiquei hospedado no centro, hotel concorde (mediano) serve pra dormir, banheiro pequeno e se ficar nos andares mais baixos escuta-se todo barulho da rua, mas valeu pelo preço e o pouco tempo que ficamos nele.
_ Fiz o Buenos aires Bus, sou fã desses onibus turisticos, muito bons pra conhecer a cidade e seguros.
Pontos bons:
_Gastronomia da cidade, relativamente barata, conseguimos boas cotações de real ou dolar em restaurantes de Puerto Madero em torno de (3,5 e 8,5) respectivamente o que diminui em muito os custos.
_ Garimpando e pagando em reais acha-se algumas roupas boas e baratas até mesmo na Florida.
_ A arquitetura da cidade merece uma atenção a parte, assim como os cafés (nada de butecos com adesivos plasticos de propaganda de cerveja).
Recomendo:
_ Feira de San Telmo: Excelente pra achar antiguidades e lembrancinhas.
_ Zoo de Lujan, fiz utilizando o serviço do Marcelo (peçam o motorista Jorge (rorer)super prestativo e ainda foi guia nosso lá dentro) por R$ 200,00 (4 pessoas), é sensacional.
_ Serviços do Marcelo Bautista (fiz 2 transfers e zoo Lujan)
_ Caminhadas a tarde por Puerto Madero.
O que tem de ruim:
_Obras na Florida e em diversos pontos no centro com previsão de termino somente em novembro segundo me disse um empregado da obra, é bastante obra mesmo o que gerou lama e fica impossivel caminhar pela Florida ou outras ruas nas imediações sem contratempos e requer um cuidado maior com a bolsa.
_pessoas insistindo nos city tours e shows de tango e pra fazer cambio, então quando percebem que vc é turista, aí vc não anda 10 metros sem um te parar.
Fujam:
_ Pessoas que ficam gritando cambio nas ruas, a não ser que vc queira ter uma experiência próxima a de ser um comprador de drogas, fui perguntar por curiosidade e já haviam 4 pessoas me oferecendo ao mesmo tempo cotações diferentes, fora o policial que ficou observando de perto.
_ Caminito, foi uma das experiências mais desagradaveis em pontos turisticos que já tive, paguei a agua mais cara da minha vida R$ 6,00 uma garrafinha de 500 ml, extorquem o turista na cara dura, vi um casal brasileiro reclamando num restaurante enquanto caminhava que combinaram um preço e na conta tava quase o triplo e o pior, é cheio de pessoas fantasiadas de bailarino de tangos pra tirar fotos (muitos mesmos) e estes muitas vezes sequer perguntam, vem na sua direção e enfiam o chapeu em sua cabeça quase a força, as mulheres "fantasiadas" praticamente agarram os homens para "sacar una fotita por 10 pesos", fora o bairro e redondezas no caminho entre caminito e la bombonera tivemos a sensação que estava sendo seguido por 3 caras, acredito que se estivessemos somente um casal, seriamos assaltados.
Tirando esses pontos a viagem foi perfeita e espero voltar na cidade novamente, tem muitas outras coisas boas como caminhada na Recoleta que é bom e outras coisas que se colocar tudo aqui é ficar chovendo no molhado, espero ter ajudado.

fred
fredPermalinkResponder

Como consigo o Contato do Marcelo para os transfers?

Renato
RenatoPermalinkResponder

marcelo_bautista@hotmail.com
Dá pra confirmar e marcar tudo por email com ele.

fred
fredPermalinkResponder

vlw,brigadao

Carrati
CarratiPermalinkResponder

Olá! Gostaria de saber o valor do chá da tarde do Hotel Alvear, fiquei sabendo que é muito bom,alguém sabe?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carrati! Por favor, não repita perguntas em posts diferentes mrgreen A gente precisa manter as respostas todas num lugar só, para o site ficar organizado.

Eu respondi a você ontem:
https://www.viajenaviagem.com/2010/04/restaurantes-de-buenos-aires-3-roteiros-by-destemperados/comment-page-1/#comment-296117

Joana Bronze
Joana BronzePermalinkResponder

Pessoal, boa tarde!

Gostaria de saber se vocês tem algum comentário sobre o hotel Amerian Buenos Aires Park Hotel (http://www.amerian.com/hotel-amerian-buenos-aires-park-hotel).

Vou em Outubro passar seis dias. Já conheço lá, gostei muito, e espero que a situação das reformas no centro já estejam melhores!

Abraços e obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Joana! Não temos resenhas de leitores sobre o Amerian Buenos Aires Park Hotel, mas você pode ver relatos de ex-hóspedes no Booking.

A gente não curte essa localização, no centro. Preferimos Recoleta ou Palermo, principalmente para quem já conhece a cidade.

Julliana
JullianaPermalinkResponder

Olá! Adoro este site.
Ajuda, por favor rs
Vou para Buenos Aires no final de julho na companhia de uma tia fofa.
Vamos ficar 5 noites.
Li todas as dicas. Anotei tudo mas to tao insegura...
Fiquei com medo do caminito rs. Nao sei se vale a pena.
Outra coisa, indecisa demais sobre as refeições a noite.
Milongas sao legais? queria ir...adoro dançar
Bjo

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Juliana! Infelizmente não temos como tomar decisões pelos leitores. Milongas são legais.

Dri
DriPermalinkResponder

Estou indo para Buenos Aires dia 27/06 e ficarei 6 dias. Andei lendo que no meio do ano, quando faz mais frio lá, costuma chover menos e os dias são mais abertos. Só que fui consultar a previsão do tempo e parece que será de chuvas para o mês inteiro. Li aqui que entre maio e setembro chove menos, mas que é para estar preparado para chuviscos. Agora fiquei na dúvida. Alguém sabe se é uma época desfavorável para ir então?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dri! Junho e julho são os meses em que, historicamente, chove menos. Veja o gráfico:
http://www.weather.com/weather/wxclimatology/monthly/graph/ARBA0009

Laura Thais Silva

Olá! Voltamos há poucos dias de uma viagem entre Argentina e Chile e as informações do blog foram excelentes para nossa estadia em Buenos Aires!

Somente uma das informações nos deixou na mão. Agora para ir ao Temaiken com a linha 60, que sai da Plaza Italia, é necessário portar o SUBE, a "tarjeta" de transporte público de Buenos Aires, mais ou menos como o cartão já utilizado nas grandes cidades brasileiras. Só que lá a opção de pagar a passagem em dinheiro não existe mais. Ou é o SUBE, ou moedinhas inseridas diretamente na mesma máquina que faz a leitura do cartão.

Infelizmente só ficamos sabendo disso já na Plaza Italia. Poucos lugares vendem o cartão, embora diversos o abasteçam. Os postos mais seguros de aquisição são as agências do correio, e é necessário portar um documento pessoal para solicitá-lo.

Já estávamos quase desistindo do passeio quando descobrimos uma outra empresa que faz o percurso. Os ônibus também saem da Plaza Italia, da mesma calçada que o ônibus indicado, no primeiro ponto. Dá para comprar a passagem na cabine da empresa, em frente ao ponto. Já tem que comprar ida e volta, pois na volta não tem cabine da empresa no parque, então tem que ter o tal do SUBE para pegar o ônibus, ou já estar com a passagem comprada. Mesmo assim, é bom ficar esperto, porque pelo visto esta empresa está dando jeitinho, mas não sei por quanto tempo eles conseguirão atuar neste sistema. O ônibus para dentro do parque, pertinho da bilheteria.

Espero que as informações sejam úteis! A ida ao Temaiken vale a pena, principalmente para quem estiver acompanhado de crianças, como nós.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laura! Obrigada pela dica!

larissa adao
larissa adaoPermalinkResponder

Boa Tarde Bóia!!!li o comentário da Julliana sobre o Caminito. Fui pra lá no final do ano passado e estava muuuuito bem policiado. Só não acho legal ficar andando pelas ruas mais afastadas, mas na parte turística não vi qualquer problema, e não me senti insegura em momento algum. Pra quem gosta de fotografia, o lugar é bem interessante!!!!Bjo

Paula Almeida
Paula AlmeidaPermalinkResponder

Olá... irei na metade de Julho e ficarei por 12 dias lá (de 13 a 25), hospedada em Palermo Hollywood, num apt alugado. Vocês indicam algum pub ou boate? Já fui à BsAs em 2008, e na época só conheci a Sahara (na Recoleta), mas soube que fechou; a Pacha e a Asia del Cuba, em Puerto Madero. Queria dicas para sair a noite, para baladas.
Bjos!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paula! Como bar, sugerimos o 878, em Villa Crespo.

Leia mais sobre o assunto no Buenos Aires para Chicas:
https://www.viajenaviagem.com/2013/06/viajosfera-baladas-em-buenos-aires-um-roteiro-dancante/

Rosângela e Flavio

Olá Bóia,
Parabéns pelo blog. Estivemos, meu marido e eu, em Buenos Aires de 01 à 06/06/13. Utilizamos muitas das informações constantes aqui. Não somos pessoas que utilizam serviço de guias turísticos; gostamos de explorar os locais preferencialmente a pé e com roteiro próprio. Saímos de Porto Alegre com roteiro pronto, hotel reservado e transfer aeroporto-centro e centro aeroporto já contratado.
Embora vocês não aconselhem a hospedagem no centro da cidade, escolhemos um localizado na Av de Mayo com 9 de Julho, bem no centro em função da facilidade de deslocamento a pé. Não tem sofisticação; ao contrário, é bem simples mas servem café da manhã e possuem cozinha com fogão, geladeira e tudo o necessário caso o hóspede deseje fazer sua própria comida. É um Hostel. O ambiente é totalmente aquecido. O prédio é muito antigo o que é um atrativo. O elevador é ainda com portas pantográficas (duas portas). Os funcionários são muito prestativos e simpáticos. Não temos reclamações pois saíamos de manhã e só voltávamos a noite para tomar banho e sair novamente, retornando somente para dormir.
Conhecemos muitos lugares e recomendamos a visita guiada a Casa Rosada (acontece de 20 em 20 minutos), o Jardim Japonês (em Palermo - ingressos 24 pesos por pessoa), a feira de San Telmo (siga pela rua Defensa pois é totalmente ocupada por bancas com artigos de todo tipo e preços bons. Compre suas lembranças aqui. Para almoçar na região da feira vá ao San Firmin que fica na C. Callao esquina com Paseo Colón pois a refeição é deliciosa e o preço é justo, pedimos uma Parrilla completa para 2 pessoas), Caminito (La Boca. Não nos sentimos ameaçados. É um local alegre, pitoresco, cheio de galerias para compras e ótimos restaurantes com pequenos shows de tango), El Atheneu (uma livraria instalada num antigo teatro. Simplesmente LINDO na av Santa Fé, 1860 na Recoleta), Café Tortoni (tradicionalíssimo onde você poderá ver um pequeno porém bom show de tango), Puente de La Mujer e Fragata Sarmiento (em Puerto Madero. A ponte é uma obra moderna e a Fragata pode ser visitada por dentro a 2 pesos por pessoa), Casino de Puerto Madero (construído sobre duas balsas), Restaurante El Sanjuanino (na Recoleta para comer empanadas) o Cemitério da Recoleta (por pura curiosidade), a Flor de Metal (escultura imensa), Rua Florida (vale a pena conhecer a Galerias Pascífico que tem no segundo andar o centro cultural com show de tango e comércio de todo tipo) Av Corrientes (muitos teatros, livrarias e restaurantes como o Los Inmortales que serve uma pizza muito boa).

Como estávamos no centro, jantamos num restaurante na 9 de julho, 111, fomos muito bem servidos e recomendamos com certeza.

Detalhes: o refrigerante (gaseosa) custa caro, vale mais a pena comprar uma garrafa de vinho. A água tem sabor estranho, salgada. Somente a da marca ECO tem gosto de água mesmo.
Se você pretende usar ônibus, consiga moedas ou compre um cartão nos Kioskos (mercadinhos de rua). Nas segundas-feiras os museus não abrem. Se for pedir informação aos portenhos, pergunte a pelo menos 3 pessoas diferentes só pra confirmar porque alguns não nos compreendem bem e se confundem dando indicações erradas.
Com dinheiro, todo o cuidado é pouco, especialmente com as notas de 100 e 50 pesos pois costumam ser falsificadas com frequência e normalmente são passadas por taxistas. Não saia com sua câmera aparente nem fique "dando mole" pelas ruas porque há ladrões e "espertinhos" por toda parte. Fazemos questão de dizer que tivemos uma estada boa e sem NENHUM problema mas para isto, ficamos "ligadinhos" o tempo todo.
Buenos Aires é uma cidade linda e vale a pena ser conhecida.
Boa viagem pessoal e aproveitem.
Rosângela e Flavio.
PS: É muito fácil encontrar na internet os endereços, preços e horários de funcionamento dos locais turísticos.

Victor Begnini

Excelentes dicas!! Obrigado smile

Raul izidoro
Raul izidoroPermalinkResponder

Bom dia! Obrigado pelas dicas, estou indo dia 24 para passar 7 dias.
Ainda estou na dúvida do hotel, fiz a reserva no centro naval, mas com pagamento à vista, estou pensando em mudar, qual o hotel que ficaram?
e sobre a troca de dinheiro. lembram quanto estava a o câmbio para o Dólar e o Real?

Muito obrigado!

Raul

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raul! Uma dica: dê uma olhadinha na seção Onde ficar do post acima smile

JOCIANE
JOCIANEPermalinkResponder

Olá boa noite;
Irei para Buenos aires em julho, dia 10/07
gostaria de saber se vcs oferecem pacotes de passeio pela cidade;
Gostaria de saber quais, valores e detalhes de passeio
E caso eu gostar como faço para reservar, pagar essas coisas.
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jociane! Não oferecemos, não. Nosso site é de consulta. Leia o post e siga as instruções para visitar a cidade por conta própria.

Vânia
VâniaPermalinkResponder

Irei com mais 3 pessoas passar o Reveilon em Buenos Aires e gostaria de uma dica de um ponto bom pra passarmos a noite de 31/12 para assistirmos uns fogos, jantarmos e tomarmos um bom vinho sem desconforto de muito calor e insegurança

alexsander
alexsanderPermalinkResponder

olá vânia, também estou indo passar o reveillon, achou algo ??

Gustavo Leal
Gustavo LealPermalinkResponder

Quero parabenizar o site pelo seu conteúdo, com clareza bem objetiva das informações.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Gustavo! grin

Raul izidoro
Raul izidoroPermalinkResponder

Sobre a identidade, a da minha esposa tem 9 anos desde a sua data de emissão, algué já teve problema com isso?
pelo que ví são 10 anos, certo?

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Olá! O site é excelente e esclarecedor. Eu e meu marido queremos conhecer BA. Pensamos em ir em outubro deste ano, mas será época das eleições legislativas. Será que é melhor adiar a viagem para novembro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiana! Isso não afeta o turismo, tanto faz o mês que você escolher. Novembro estará mais quente.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Olá. Vou mês que vem para BA, posso esperar bastante frio?
Vou ficar 6 dias, pelo que li vou conseguir aproveitar bem a cidade e outros pontos que você comentou. Vi que vc sempre menciona taxi, não fica mto pesado?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Guilherme! Estará bastante frio, espere encontrar temperaturas abaixo de 10ºC diariamente.

Leia sobre ônibus:
https://www.viajenaviagem.com/2013/05/buenos-aires-de-onibus/

Mariana Dantas

Boa tarde, estou no site do FABEBUS buscando informacao para o ZOO de lujan, so nao achei de onde esses onibus / vans saem , estarei hospedada na recoleta, alguem pode me ajudar por favor???

att

Ivo
IvoPermalinkResponder

Fui ao show de tango em buenos aires no Piazolla ( florida. Excelante, 700 pesos por pessoa com cardápio vip (aula de tango, trasfer, jantar, bebidas e show) e área reservada nos camarotes. Mas os preços saem menos dependendo do local e cardápio. São mais de 15 bailarinos, 3 cantores e 7 músicos, 1:40 de show. Fui em muitos restaurantes em Puerto Madero, mas em um deles, o Cabaña Villegas além da ótima comida, preço bom ( + - 150 pesos por pessoa com entrada, principal, um vinho e mais uma bebida, sobremesa e café), o atendimento do Pedro e da Hebe foram 10. Hospedei-me no hotel NH City Tower, apesar de apresentar-se com um 5 estrelas, no máximo um 3,5 estrelas, mas em relação ao preço que paguei e localização ( uma quadra do palácio do governo), vale a pena sim. Ia todas as noites do hotel a puerto madero a pé, e voltava sempre após as 23 hs, nunca tive problemas de assalto, seguro, tranquilo, policiais nas ruas. Certa noite vim da Recoleta ao hotel a pé de noite pela 9 de júlio, em um domingo, muito movimentado as ruas, sem problemas ou medo de assalto. Resumindo, Buenos Aires e um lugar para voltar sempre.

Ivo
IvoPermalinkResponder

Também andei muito de taxi lá, pegava na rua aqueles que ficavam rodando, nunca tive problemas com o pagamento ou serviços prestados por eles, sempre tinha notas menores de pesos para pagar e acompanhava o taxímetro para ver se não estava rodando muito rápido ( o que segundo relatos é comum). Meu maior valor pago foi 50 pesos (+ - 15 reais) da região dos outlets até puerto madero. Na loja do outlet da Lacoste, camisa manga longa paguei 100 reais e de frio manga longa 120 reais. Muito bom os preços nos outlets. Algumas lojas aceitam dólar e rais em cambio oficial, outras aceitam até a 8,5 o dólar e 4,0 o real.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Olá. Vou ficar 6 dias em BA, muito legal o seu roteiro, mas vi que vai sobrar tempo. Me aconselha algo a mais? Obrigado.

Ivo
IvoPermalinkResponder

Fiz o tour no ônibus turistico, vale a pena comprar o ingresso para 2 dias. O passei completo sem parada dura em média 2 hs. Na parte de cima fica mais belo o passeio, porém se estiver frio, não dá. Camenito, recoleta, palermo, teatro colón, todos os principais pontos o ônibus para. Me parece que paguei 120 pesos para um dia, e para dois dias era 150 pesos. A visita guiada ao teatro colón vale a pena. o museu Malba, belas artes(recoleta) e do bicentenário anexo ao palácio do governo também é imperdível. Feira de San Telmo para conhecer é legal, enorme. Mas para conhecer Buenos Aires, vá de Õnibus de Turismo, na diagonal norte tem o ponto de saída e onde compra-se o passe para o dia. Receberá um cartão que lhe dará descontos em restaurantes. Usei e recebi o desconto ofertado. Fiz visitas a outros museus, como o museu Fortabat. Mas se o objetivo e outro, visitar os cafés antigos é uma boa pedia, como o los angelitos, café los 36 billares. Se tiver programação no teatro colón, aproveite para ir, você compra ingressos com preços bons na bilheteria, quando estive lá, não havia nenhuma programação para a semana, apenas fiz a visita guiada. No mais, não se prenda muito a guias turísticos, visite por conta própria, pesquise pontos turísticos. A av. santa fé é legal visitar, principalmente a livraria Ateneu, instalada em um antigo teatro. Boa viagem.

Lílian Di Siervi van Cleef

Olá a todos.
Acabei de voltar de Buenos Aires. Eu já conhecia, mas como o Ricardo diz, realmente fica melhor a cada vez que se volta...
Fui numa quinta e voltei no domingo. Deu para fazer um passeio bem completo, pois meu marido ainda não conhecia.
Levamos dólar, e realmente é a melhor opção a se usar lá. Tem lugares que se paga 8 pesos/dólar, principalmente para compras. Troquei real por peso aqui no Brasil e acabei perdendo $, pq lá pagam bem mais. Não compensa pagar em dólar nos restaurantes. A cotação deles é ruim...
Peguei várias dicas aqui no blog e a do táxi, foi a melhor. Mandamos e-mails para o Marcelo Bautista (taxista de lá, email: marcelo_bautista@hotmail.com), que nos atendeu prontamente sempre que precisávamos. Ele aceita/troca dólar e real. O taxi com ele de EZE para o centro custou 75 reais e na volta, do centro para o Aeroparque, custou 35 reais!
Segue nosso roteiro para ajudar vc que está planejando ir pra lá.
1º dia: Chegamos às 16 hs e fomos ao LA BIELA (café ótimo, super tradicional). De lá fomos na livraria EL ATENEO, linda tb! À noite fomos ao tango El QUERANDI. AMEI! Lindo d+. Pagamos 54 dólares/pessoa só o show. Eles pegaram a gente no hotel! De lá fomos jantar no CABAÑA LAS LILAS (Porto Madero), eu já conhecia, e é realmente sensacional. Vale a pena, é caro, mas compensa... É a melhor carne q vão comer na vida. A conta saiu 700 pesos pra nós 2, com vinho, 2 pratos e couvert. O passeio no Porto à noite é lindo e bem romântico.
2º dia: Fomos aos outlets da VILA CRESPO (fomos de metrô). Achei as coisas caríssimas, não comprei nada... Um camisetinha custava quase 200 reais... Os argentinos viajam... rs. O que compensa é ir na Murillo comprar couro. Fomos na 666 e pagamos 400 reais numa jaqueta lindona q aqui no Brasil não sairia menos de 700 reais. De lá fomos almoçar no LA CABRERA. É muitooo bom, vale a pena ir tb!!! Bem q o Ricardo falou, os acompanhamentos são ótimos e a carne é maravilhosa! De lá fomos ao HardRock café e passeamos no Shopping (do lado do Cemitério na Recoleta). Lá conhecemos o Sérgio, um brasileiro q tem um café (no pátio do shopping q chama Café del 30, dentro de uma caminhonete verde). Ele tb aceita dólares por um preço bom e é super simpático! À noite fomos a um barzinho perto do hotel. Ah, ficamos no Meliá na Reconquista. Mto bom, super recomendo.
3º dia: Passeio cultural, Plaza de Mayo, Florida, Galeria Pacífico, Café Tortoni (mtooo bom), Obelisco, Casa Rosada. Almoçamos no SIGA LA VACA (Porto Madero), é bem gostoso tb, sistema self service com uma carne deliciosa. De lá fomos passear na Recoleta (bairro lindo d+, super charmoso). Fomos ao Cemitério (vale a pena conhecer) e depois nas Empanadas SAN JUANINO (vale a pena tb, são deliciosas). À noite fomos ao Cassino, só pra passear... rs.
4º dia: Nosso voo saia de lá às 22:30, então aproveitamos o dia todo. Fomos ao CAMINITO, BOCA e depois na FEIRA DE SAN TELMO. Ótimo passeio. A feira tem milhões de barraquinhas pra todos os gostos. Tem umas coisas bem diferentes. É tipo uma Benedito Calixto moderninha e bem maior... rs. Almoçamos no EL DESNIVEL, dica aqui do blog tb. Foi sensacional. Mto bom, 900 g de carne macia e suculenta. A conta saiu 230 pesos. De lá fomos a uma cervejaria artesanal chamada BAR EL FEDERAL. Legal q todos os lugars tem wifi! Nem precisamos pagar pela internet.
Aqui no Brasil não se come por esse preço. Lá a comida realmente é boa e barata! Os taxis são baratos, mas fizemos mtos trechos á pé, e se o destino fosse mto longe, íamos um pedaço de metrô e o resto de taxi ou à pé mmo.
Espero ter ajudado.
Bjs,
Lílian

Lílian Di Siervi van Cleef

Olá a todos.
Acabei de voltar de Buenos Aires. Eu já conhecia, mas como o Ricardo diz, realmente fica melhor a cada vez que se volta...
Fui numa quinta e voltei no domingo. Deu para fazer um passeio bem completo, pois meu marido ainda não conhecia.
Levamos dólar, e realmente é a melhor opção a se usar lá. Tem lugares que se paga 8 pesos/dólar. Troquei real por peso aqui no Brasil e acabei perdendo $, pq lá pagam bem mais. Não compensa pagar em dólar nos restaurantes. A cotação deles é ruim...
Peguei várias dicas aqui no blog e a do táxi, foi a melhor. Mandamos e-mails para o Marcelo Bautista (taxista de lá, email: marcelo_bautista@hotmail.com), que nos atendeu prontamente sempre que precisávamos. Ele aceita e troca dólar e real. O taxi com ele de EZE para o centro custou 75 reais e na volta, do centro para o Aeroparque, custou 35 reais!
Segue nosso roteiro para ajudar vc que está planejando ir pra lá.
1º dia: Chegamos às 16 hs e fomos ao LA BIELA (café ótimo, super tradicional). De lá fomos na livraria EL ATENEO, linda tb! À noite fomos ao tango El QUERANDI. AMEI! Lindo d+. Pagamos 54 dólares/pessoa só o show. Eles pegaram a gente no hotel! De lá fomos jantar no CABAÑA LAS LILAS (Porto Madero), eu já conhecia, e é realmente sensacional. Vale a pena, é caro, mas compensa... É a melhor carne q vão comer na vida. A conta saiu 700 pesos pra nós 2, com vinho, 2 pratos e couvert. O passeio no Porto à noite é lindo e bem romântico.
2º dia: Fomos aos outlets da VILA CRESPO (fomos de metrô). Achei as coisas caríssimas, não comprei nada... Um camisetinha custava quase 200 reais... Os argentinos viajam... rs. O que compensa é ir na Murillo comprar couro. Fomos na 666 e pagamos 400 reais numa jaqueta lindona q aqui no Brasil não sairia menos de 700 reais. De lá fomos almoçar no LA CABRERA. É muitooo bom, vale a pena ir tb!!! Bem q o Ricardo falou, os acompanhamentos são ótimos e a carne é maravilhosa! De lá fomos ao HardRock café e passeamos no Shopping (do lado do Cemitério na Recoleta). Lá conhecemos um brasileiro q tem um café. Ele tb aceita dólares e é super simpático! À noite fomo a um barzinho perto do hotel. Ah, ficamos no Meliá na Reconquista. Mto bom, super recomendo.
3º dia: Passeio cultural, Plaza de Mayo, Florida, Galeria Pacífico, Café Tortoni (mtooo bom), Obelisco, Casa Rosada. Almoçamos no SIGA LA VACA (Porto Madero), é bem gostoso tb, sistema self service com uma carne deliciosa. De lá fomos passear na Recoleta (bairro lindo d+). Fomos ao Cemitério e depois nas Empanadas SAN JUANINO (vale a pena, são deliciosas). À noite fomos ao Cassino, só pra passear... rs.
4º dia: Nosso voo saia de lá às 22:30, então aproveitamos o dia todo. Fomos ao CAMINITO, BOCA e depois na FEIRA DE SAN TELMO. Ótimo passeio. A feira tem milhões de barraquinhas pra todos os gostos. Tem umas coisas bem diferentes. É tipo uma Benedito Calixto moderninha... rs. Almoçamos no EL DESNIVEL, dica aqui do blog tb. Foi sensacional. Mto bom, 900 g de carne macia e suculenta. A conta saiu 230 pesos. De lá fomos a uma cervejaria artesanal chamada BAR EL FEDERAL. Legal q todos os lugars tem wifi! Nem precisamos pagar pela internet.
Aqui no Brasil não se come por esse preço. Lá a comida realmente é boa e barata! Os taxis são baratos, mas fizemos mtos trechos á pé, e se o destino fosse mto longe, íamos um pedaço de metrô e o resto de taxi ou à pé mmo.
Espero ter ajudado.
Bjs,
Lílian

SIMONE GONÇALVES

Oi pessoa, estou indo a Buenos Aires agora nesta quinta, dia 20/06 e ficarei no Hotel Nogaro, no centro, alguém já ficou nele ou tem alguma recomendação da localização. É perto de algum ponto de ônibus ou metrô? Desde já agradeço ao site. Sito-me um pouco mais confiante em viajar lendo essas dicas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Seu hotel fica próximo à avenida de Mayo, onde há metrô. Há um tópico inteiro sobre localização em Buenos Aires, por favor leia e clique nos posts linkados.

SIMONE GONÇALVES

Ah, e gostaria tb de saber onde encontro para comprar cosméticos tais como Absolut Repair - Loreal e Maquiagem MAC. Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

Mon
MonPermalinkResponder

Tem produtos no Duty Free.
Na cidade mesmo, tem nas farmácias da rede Farmacity e nos shoppings como Patio Bullrich e Galerias Pacífico (neste, tem MAC Pro).
Nas lojas Fallabella também tem MAC.

Leticia
LeticiaPermalinkResponder

As lojas da MAC de Buenos Aires são caras como aqui no Brasil.... O melhor lugar é no free shop.
Não sei se a linha de cabelos da Loreal está disponível nas farmácias de lá, mas na Farmacity tem muita coisa!

Claudia Matoso

Simone, vai pela Letícia. MAC em Buenos Aires, só no free shop.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar