Buenos Aires: 5 dicas para não ser enrolado no táxi

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Táxi em Buenos Aires

Como tudo em Buenos Aires, o táxi já foi mais barato – mas ainda assim continua em conta para os padrões paulistanos e cariocas.

Muitos brasileiros se queixam de pequenos golpes -- como taxímetro adulterado e troca de cédulas (você dá uma de 100, o taxista diz que era de 10, ou troca na hora por uma cédula de 100 falsa e diz que não pode aceitar).

Vasculhando caixas de comentários na internet você é levado a pensar que todo taxista de Buenos Aires é trambiqueiro e que todo brasileiro vai se dar mal ao pegar um táxi na rua.

Só que não é assim. De minha parte, posso dizer que viajo freqüentemente a Buenos Aires há 10 anos e nunca fui vítima de golpe de notas, taxímetro adulterado ou trajetos alongados (e note: eu nunca indico o trajeto, não sou tão íntimo com a cidade assim).

Siga essas dicas e a possibilidade de ser engambelado vai diminuir drasticamente:

1) Em Ezeiza

Chegando pelo aeroporto de Ezeiza, saia para a calçada do aeroporto e recuse todo espertinho que oferecer táxi: esses são os malandros. Vá direto ao guichê do Táxi Ezeiza, que é tabelado. Negocie o pagamento em reais ou dólares. Para ver preços aualizados, clique aqui.

2) No Aeroparque

Entre o saguão e a calçada do aeroporto, recuse todos os espertinhos que vierem oferecer táxi: esses são os malandros. Saia pela calçada e atravesse a pista: o ponto de táxi fica na ilha central, no canto esquerdo. Antes de sair, pergunte se pode pagar em dólar ou real. O taxista pode oferecer ir pela autopista, que é mais rápido, mas tem um pedágio (baratinho). Pode aceitar.

3) Não entre no táxi só com notas de 100

O ideal é sempre ter notas de 10 e 20 pesos no bolso. São notas que não estão mais disponiveis no caixa eletrônico, então faça compras em quiosques e sorveterias. (No Aeroparque, tome um café antes de pegar o táxi.) Pagando com notas de 10 e 20 não há golpe de troca de cédulas possível.

4) Dê o endereço incluindo as ruas transversais

Os moradores nunca dão o endereço com a numeração; as ruas são longuíssimas e ninguém sabe o trecho pelo número do prédio. Aproveite o wifi grátis dos hotéis, cafés, restaurantes e sorveterias de Buenos Aires para pesquisar no mapa onde exatamente fica o seu destino, e informe ao taxista usando uma ou duas transversais. "El Salvador entre Malábia e Armênia", ou "Arenales e Santa Fé" são formatos de endereço que inibirão o taxista malandro.

5) À noite, peça para o restaurante chamar um radiotáxi

Custa a mesma coisa que os táxis de rua e você não fica à mercê do que passar.

Leia mais:

234 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Fabio NG
Fabio NGPermalink

Tem que ficar esperto, mesmo. Na nossa última visita a BsAs (ano passado), taxistas malandros "erraram" o caminho tanto na ida quanto na volta do Aeroparque -- como o hotel era em Palermo, não "doeu" no bolso, mas que irrita...

Sylvia
SylviaPermalink

Fica a dica : para ir a PSoho diga para o taxi usar a Scalabrini ou Malabia q são mais desimpedidas( eles gostam de ir pela muvuca hehehe)

Fabio NG
Fabio NGPermalink

Por acaso tivemos problemas com os dois taxis para traslado ao aeroporto -- o da saída chamado pelo hotel, olha como não dá pra confiar...

Mas só pra não reforçar a paranoia: todos os outros (vários!) que usamos pela cidade foram na boa, sem qualquer problema.

Bruno Vilaça
Bruno VilaçaPermalink

Eu acho essa história de taxi em BsAs meio paranóia demais... Se a pessoa já sai de casa com esse medo toda, vai acabar sendo enrolado mesmo! Nessa última viagem achei super tranquilinho, até peguei taxi que só tocava Frank Sinatra! wink

Sylvia
SylviaPermalink

Hehe Bruno é isso meRmo ! Em 10 dias pegamos no minimo 30 taxis diferentes e não tivemos nenhum problema ; é claro que sempre indicava qual o caminho que queria fazer e pagava com notas pequenas. Pra saber o caminho e o valor da corrida veja em viajoentaxi.com.ar

Li
LiPermalink

Na realidade passei pelo problema de troca de notas em 2005.
Não é para ficarmos neuróticos, mas de sobre aviso.

Fabio NG
Fabio NGPermalink

Vide comentário acima: por mais que existam perrengues (e nunca são agradáveis), são exceção.

Guilherme
GuilhermePermalink

Que no Brasil o turista é "enrolado" de alguma forma, isso é verdade. Mas isso acontece em todos os lugares. Em relação aos táxis, é inevitável, ao menos que você já conheça a região, pois não conhecemos nada e qualquer trajeto que o motorista faça, é o "correto". Já fui enrolado por motoristas de táxis na Itália, Hungria e República Tcheca. Na Argentina nunca me aconteceu nada.
A questão é que nós, brasileiros, achamos que só aqui no Brasil essas coisas acontecem, o que não é verdade.
Outra coisa. Os preços dos lugares turísticos aqui no Rio de Janeiro, por exemplo, são muito caros... será? Dá última vez que fui levar amigos ao Pão de Açúcar, desembolsei, se não me falha a memória, 55 reais por cabeça!!!! É caro? Para o morador é sim. Mas se fizermos uma comparação com outros países europeus, é barato. Na Itália, qualquer "respiração" mais prolongada custa 8 euros. Tudo custa 8 euros! Ou seja, nós não somos tão "maus" assim. smile

Luiza W
Luiza WPermalink

Pior do que ser enrolada é a falta de educação de muitos taxistas. Também achei um absurdo fumarem dentro dos veículos. Só fim da viagem descobrimos um adesivo colado nos vidros que indicava taxistas não fumantes.

Camila Torres
Camila TorresPermalink

Peguei um táxi oficial em Ezeiza, com adesivo de não fumante, e o cara acendeu um cigarro ! Peloamordedeus... Mandei uma reclamação pra empresa depois, mas nem tivemos resposta.

Vladimir
VladimirPermalink

Também passei por problemas com motorista fumando no táxi!!! É realmente INACREDITÁVEL. Pior, é que fazia um frio desgramado! Pedimos para ele fechar a janela e ele jogou o cigarro fora, antes de fechar!!!

Só entrei em Táxi com dinheiro trocado. Não tive nenhum problema com troca de notas em Buenos Aires, mas, estava sempre atento. Não dá para ficar de bobeira em nenhuma parte do mundo...

Outra coisa que fazia era ABRIR O MAPA DENTRO DO TÁXI e mostrar ao motorista que tinha certo controle sobre o trajeto. Isso inibiu qualquer tentativa de passeios "secundários"!!!

Abraços e Boas Viagens,
Vladimir.

Marcie
MarciePermalink

Cadê a Lena Máximo pra contar nossa história, cadê?!?!

Lena
LenaPermalink

Hahaha, Marcie!
Pois é! Foi acontecer beeem com a gente, né? E eu que nem tinha paranóia nenhuma de taxi! Quando ele me devolveu a nota, nem me ocorreu que pudesse ser golpe dele. Só bem depois é que fui me tocar. E pelo jeito o golpe é antigo, já tem relato aqui até de 2005!
A Lu Betenson contou o caso de um casal que temendo o golpe, fotografou as notas antes de entregá-las ao taxista. Quando o taxista tentou devolver uma delas, chamaram a polícia.
Enfim, não acho que seja uma situação tão comum assim. Mas vale ficar atento, tanto com o caminho (como citado nas dicas), quanto com as notas. wink

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

ihh, acabei de usar um exemplo com fotografia das notas no meu comentário lá embaixo, hahaha. Infelizmente sempre tem algum problema com turista em cidade grande. Mas eu vi muuuuuito mais turista caindo em golpes em Paris do que BsAs.... Pena que vocês não deram sorte desta vez!

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Aconteceu comigo tb em 2007. Paguei com uma nota de 100 pesos o almoço na Galerias Pacifico (!!!!) e me deram o troco com várias notas de 10.
Ao pagar o taxi ele viu que a nota era falsa - quase morri de tanta vergonha - e me devolveu. Ele não trocou, eu estava prestando muita atenção.
Alguém imaginaria receber uma nota falsa de um restaurante dentro do shopping? Eu não...

Anne
AnnePermalink

Gente tá todo mundo falando de casa de câmbio que fazem a troca com câmbio desfavorável. Estou indo a BsAs mês que vem e queria ter uma ideia de valores para fzer um bom negócio =). Por quantos pesos consigo trocar o real? Obrigada!

Sylvia
SylviaPermalink

Veja a cotação diária em dolarhoy.com.ar

Camila F.
Camila F.Permalink

Em Novembro estive em Buenos Aires e todos os taxistas foram muito simpáticos e atenciosos. Só tivemos problema com um, que estava com o taxímetro adulterado. A corrida de ida até a Recoleta custou 38 pesos... A de volta, 12! sad

Wilson Salvador Neto
Wilson Salvador NetoPermalink

Cheguei domingo passado de Buenos Aires e no retorno o que mais ouvi foram pessoas reclamando de golpes dos taxistas, com corridas pequenas a 80 pesos e devolução de notas falsas. Acho que tive sorte, pois em uma semana de viagem, com uma média de umas 4-5 corridas de táxi por dia, nenhum golpe. Uma das táticas que utilizei foi sem dúvida falar (em espanhol) a esquina de onde eu gostaria que ele parasse com a via que eu gostaria que ele fosse falada primeiro - Callao y Alvear - ao invés do endereço completo. Acho que isso já mostrava ao taxista que tinha algum domínio da cidade. Uma outra questão foi na hora de pagar: eu seguro a nota e só entrego ao motorista quando que ele separa o troco - dessa forma fica bastante visível a nota que eu estou dando e o que ele me devolve... Costuma funcionar!

Dionísio
DionísioPermalink

Oi! Faltou a chegada pelo Buquebus, que é exatamente onde há uma quadrilha de taxistas desonestos atuando.

Esses malandros pegam passageiros dentro do pátio do Buquebus e, por serem bandidos, não deixam que taxistas honestos peguem passageiros ali. Todos os taxistas de Buenos Aires confirmam isso e têm medo de desafiar as regras dos bandidos.

Os malandros que pegam passageiros dentro do pátio do Buquebus têm taxímetros que "correm" mais, tornando mais cara a corrida. Para quem está acostumado com Buenos Aires, a rapinagem é facilmente perceptível, pois o preço fica muito mais alto do que o correto. Já aconteceu comigo e logo depois de sair do Buquebus já pedi para descer do táxi. Peguei outro na rua e foi normal.

Portanto, na chegada pelo Buquebus, descarte os taxistas que estão dentro do patio. Saia dali, e pegue um taxi na avenida.

JB
JBPermalink

Dionísio,

Isto acontece também no Aeroparque. Nas 3 vezes que tive que utilizar táxi saindo de lá houve problemas parecidos.

Sylvia
SylviaPermalink

Sobre táxis no Aeroparque : pergunte o valor médio da corrida antes de entrar no táxi.
Se o taxista falar 70 pesos para Palermo é pq o taxímetro está adulterado.
Perguntamos para três táxis e só fizemos a corrida com o quarto motorista .

Dionísio
DionísioPermalink

Essa dica é mesmo de ouro: ter o referencial de valor antes de pegar o táxi.

Por exemplo, de Caballito ao Aeroparque (Caballito é bem longe), com trânsito infernal (50 minutos de trajeto de manhã, dia de semana), paguei 60 pesos a um táxi confiável.

Então, de fato, a locais onde os turistas ficam mais, como Centro, Palermo e Recoleta, a corrida tem que sair bem menos, como o próprio post indica.

É isso: perguntar antes.

Bernardette Amaral
Bernardette AmaralPermalink

Na ultima vez que estive em BsAs cheguei por ezeiza e o caixa eletronico não estava funcionando e estava com uma certa pressa, o taxi ezeiza aceitou reais, fez a 90 reais.
Nunca tinha tido uma experiência ruim com taxistas na cidade, mas na semana santa, peguei um taxi na boca e estava com mais tres pessoas, ele deve ter pensado que eu não conhecia a cidade e começou com uma conversa de não poder transportar mais de tres pessoas no taxi. Dei um passa-fora nele e mandei parar para descer., disse que ja tinha ido mais de vinte vezes a BsAs e nunca tinha ocorrido isso. Ele ficou caladinho e continuou o trajeto, eu nem quis ouvir o resto da conversa, certamente ia querer cobrar algo a mais. Fiquei de olho no trajeto para qualquer gracinha eu saltar mas ele se enquadrou e seguiu direitinho.
Procuro ter cuidados basicos : ter dinheiro trocado para o taxi, pegar taxi de companhia, se viajo com mais pessoas, aviso que so um vai pagar o taxi, para não me distrair na hora do pagamento e ao contrário tirando o taxista que peguei na Boca a experiencia tem sido muito boa.

JB
JBPermalink

Bernardette,

O que eu observei desta vez é que quando éramos em 4 ele colocava a bandeira 4, que fazia o taxímetro rodar mais rápido. Segundo o taxista existem 7 tipos de bandeira, mas ele não soube (ou não quis) me explicar quais seriam. Alguém sabe?

Sylvia
SylviaPermalink

Jb:
em Bue só existem 2 bandeiras : a um e a dois ( das 22h as 6)

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

Dica: se você acha que o taxista está fazendo o caminho errado, então é porque você sabe o caminho certo! Avise para o motorista que você notou o percurso errado. Mas eu não vejo porque se irritar... Muito melhor pagar alguns pesos a mais e fazer um city-tour de táxi do que pagar centenas de pesos para city tour de agência! smile Você está em férias, não deixe 10 ou 15 pesos estragar a viagem! Eu nunca, em todas as vezes que fui a BsAs, usei notas maiores do que 20 pesos para pagar corridas de táxi. Sempre falo o endereço com convicção, e tento usar pelo menos algumas palavras de espanhol. Digo que adoro Buenos Aires e vou com frequência para a cidade, conheço muito bem. (mesmo não conhecendo muito bem, isso já inibe o (improvável) golpe) wink. Lembre-se que os malandros estão sempre em busca dos descuidados, desatentos... Segure a nota e diga em voz alta o valor, ou , se você for totalmente neurótico, anote o número de série da nota (ou faça uma foto no celular, hehe), para comprovar a nota que usou. Mas, se precisar chegar a este ponto, recomendo nem sair de casa, hehehe. Não se assuste com comentários negativos na internet, as pessoas se motivam muito mais para criticar do que elogiar. Para cada mil turistas que não tiveram nenhum problema (e não fizeram comentários elogiando os taxistas), um fará um comentário amedrontando o futuro turista. Eu só tenho uma lição que tirei de toda minha experiência com taxistas em BsAs: todos adoram o Brasil, alguns chegam a cantar alguma música, e sempre tem alguma história sobre nosso país. Deixe a postura beligerante em casa, e aproveite!!!! smile

Lena
LenaPermalink

Marco, eu também tenho história boa de taxista em BsAs! wink Inclusive com fita cassete do próprio cantando Roberto Carlos! mrgreen
O golpe dessa vez foi azar. Nem ligo wink

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

esta é a melhor forma de encarar o problema, Lena! Com bom humor! Não deixar algo assim estragar uma viagem!! Uma só vez eu recebi troco errado, mas como até hoje não sei se a culpa foi do taxista ou do Malbec, o episódio não entrou pra estatística oficial, hehehe. Abração!

Frank (Dois Mapas)
Frank (Dois Mapas)Permalink

Respeito quem tem opinião diferente, mas eu discordo totalmente dessa ideia de aceitar golpes e fraudes como parte normal da vida. Para mim, a raiva vem não do valor monetário em si, mas da ideia de que pessoas que dependem de pessoas como eu (turistas) agem com desonestidade aproveitando a natural vulnerabilidade de quem é de fora da cidade.

Se algo acontecesse comigo, eu falo meu mesmo, para todos os amigos, no TripAdvisor, onde puder, para afastar pessoas do hotel/cidade/restaurante onde tive problemas. É a única coisa que possoa fazer para punir os desonestos: uma resenha negativa ácida mas bem escrita, por exemplo, exerce mais efeito do que ficar indignado comigo mesmo.

Buenos Aires é lugar para onde eu nào vou: batedores de carteira, assaltos frequentes e aumentando, golpes relativamente frequentes em todo lugar (no táxi, no restaurante, nas locadoras de carros)e por aí vai. Também, morando aqui na Europa, sempre quando perguntando eu desrecomendo ativamente visitas à cidade pelos riscos gerais que ela oferece.

Eu acho que essa postura de achar fraudes "normais" e "nào esquentar pq vc está de férias" só reforça esse tipo de comportamento deplorável de certos fornecedores de serviço turístico. Para mim, NUNCA será normal taxista adulterar taxímetro, garçom adicionar intencionalmente itens que eu não pedi, e por aí vai.

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

Frank, evite também Nova Iorque, Paris, Rio de Janeiro, São Paulo, Barcelona, Madrid, Porto Alegre, Roma... Puxa vida, que generalização infeliz a sua... Vi em cada dia, dos 15 que fiquei em Paris, tentativas de golpe contra turista (golpe do anel, da pulseirinha, do questionário...) Infelizmente isso é algo que acontece em TODA a grande cidade do mundo. Se você não vai para BsAs por isso, deixe também de visitar metrópoles. Isso me parece muito mais preconceito contra BsAs do que lógica, pois estes tipos de abuso contra turistas desavisados acontecem, e muito, na Europa também. Você desrecomenda ativamente visitas às grandes cidades européias??? Claro que em um mundo ideal isso não existiria, mas infelizmente toda grande cidade do mundo oferece riscos à turistas. Não tenho problema algum com reclamação contra comportamento deplorável, o que me irrita é a generalização.

Frank (Dois Mapas)
Frank (Dois Mapas)Permalink

Marco, é uma questão de incidência.

Vamos usar um exemplo extremo: até em Luxemburgo existem acidentes automobilísticos com morte em um ano qualquer, mas isso não quer dizer que segurança no tráfego seja irrelevante, ou que as estradas da Índia e dos Estados Unidos sejam igualmente seguras...

O nível de criminalidade em Buenos Aires é elevadíssimo, e está piorando. Acontecem lá coisas que acontecem também aqui, mas em frequência (por 100.000 habitantes) muito maior.

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

Me desculpe, Frank, mas volto a insistir: "desrecomendar" uma visita à BsAs porque existe a possibilidade de alguém bater a carteira ou roubar sua câmera é de uma generalização incrível. A criminalidade pode estar crescendo, mas ainda está muuuuuito menor do que em São Paulo,Rio de Janeiro ou Porto Alegre. Então vamos espalhar pânico na internet e evitar turismo no Brasil na época da Copa do Mundo, seguindo sua lógica. O que eu tento dizer é: só porque você teve um problema em BsAs isso não quer dizer que todos terão. BsAs é uma cidade maravilhosa, receptiva, cheia de atrações culturais, sem a menor sombra de dúvidas um dos melhores destinos turísticos da América do Sul, e do mundo. Agora, é uma das maiores cidades do continente, e com certeza problemas existirão. Volto a frisar, meu problema não é a crítica aos problemas da cidade, mas sim à generalização: dizer para evistar BsAs por estas razões que você colocou no seu comentário é generalizar demais. Evite toda a cidade com mais de 500 mil habitantes no mundo então. E se o nível de criminalidade está "elevadíssimo", imagina então o que nossos hermanos pensam ao planejar uma visita ao nosso país... É uma pena, Frank, mas esta é uma realidade mundial.Abraço!

Marcie
MarciePermalink

Concordo totalmente, Marco! Não dá para generalizar. E não dá para deixar de ter experiências novas, mesmo que por vezes possam ser desagradáveis. Fazem parte.

E aproveito para dizer que em todos os anos em que morei em São Paulo nunca entrou ladrão na minha casa. Nos 15 anos em que morei em Roma, entraram duas vezes... sad

PêEsse
PêEssePermalink

Eu concordo com o Frank na parte relativa a contar, com detalhes e de maneira fundamentada, as experiências vividas em cada lugar. Procuro fazer isso em relação a tudo que cerca minha viagem: empresa aérea, hotel, transportes, restaurantes, passeios, atrações, experiências positivas e negativas. Faço-o por agradecimento, já que gosto muito quando outros me contam suas experiências.

Na minha opinião, é importante sim saber os perrengues, golpes e enrolações vividas por outros viajantes, para que eu possa avaliá-los e tomar decisões que incluam a análise desses fatos. Já que o assunto é Buenos Aires, para mim, por exemplo, tão relevante quanto o post daqui que ensina como obter dinheiro no Aeroparque é o post no qual o Ricardo Freire contou a experiência de ter tido uma câmera roubada ou aquele outro que alerta em relação às notas falsas. Em todos eles eu obtenho dicas práticas de como devo me comportar, seja em relação à obtenção de dinheiro, seja quanto a questões de (falta de) segurança.

Não se trata de comentar para afastar as pessoas de Buenos Aires. Entre a decisão de ir ou não ir para um lugar há várias outras hipóteses possíveis para as quais conhecer as experiências de outras pessoas pode ser relevante: adiar a ida para outro momento, ficar menos tempo, ir mas ficar mais atento etc. Alguém que iria para Buenos Aires e ficaria livre, leve e faceiro com sua câmera pode continuar querendo ir, mas agora ficará mais alerta. É para isso que servem as resenhas de experiências.

Assim como o Frank, eu também jamais vou considerar fraudes como normais, sejam quais forem (notas falsas, taxistas pilantras, golpe do anel, pickpockets, venda de pulseiras em escadaria de igreja parisiense). Isso não significa que vou deixar esses fatos arruinarem minha viagem. É como uma bagagem que não chega ou um vôo que atrasa doze horas. Você detesta, mas não vai deixar de aproveitar por conta disso, na medida do possível. Mas não dá para considerar normal. Ter bom humor e encarar a vida positivamente não significa ser inocente nem bobo. Eu não deixo de ir para um lugar por conta de terremoto, gripe suína nem de insegurança, mas quero ter conhecimento do risco que corro. Isso vale para Buenos Aires, Paris, EUA, África do Sul...

Atualmente, quando as pessoas me pedem dicas sobre viagens pela América do Sul, eu já não recomendo mais Buenos Aires, não só pela insegurança. Primeiro porque já não é mais a primeira vez de ninguém, ou seja, boa parte das pessoas (pelo menos as que me procuram) já foram pelo menos uma vez. Então eu sugiro (mera sugestão) para abrir os horizontes e ir a Montevidéu, Lima, Santiago. Segundo porque a cidade está cada vez mais cara, e crescendo. Algumas coisas podem até seguir baratas para o brasileiro deslumbrado com a (falsa e temporária) valorização do real, mas é inegável que a relação custo X benefício da Argentina como um todo piorou significativamente. Menciono também a insegurança e o descuido. Buenos Aires tem ficado suja, feia e mal cuidada. Não é que a cidade esteja horrível, muito longe disso, mas quem vai lá com frequência percebe que a cada ida a coisa vai piorando um pouco. Mas é como eu disse: essa é apenas a minha opinião, assumidamente minoritária.

Marco Cavalheiro- Buenos Aires Dreams

PêEsse,concordo plenamente sobre dicas de segurança, como evitar problemas, etc. O que eu não consigo e não posso admitir é a GENERALIZAÇÃO. Estou buscando dados mais concretos, para evitar comentários do tipo "a violência está horrível", ou " o nível de criminalidade é elevadíssimo". Talvez porque eu pense sempre em como o leitor que está aqui em busca de informações, e nunca foi para BsAs, se sentiria vendo estes tipos de generalizações, talvez porque que tenha a certeza que a maioria dos comentários são por preconceito mesmo (afinal, golpes contra turistas em Paris, Roma, Lisboa, Barcelona, etc. parecem não gerar tanta comoção...). Infelizmente nem o Brasil nem a Argentina tem tradição em manter boas estatísticas. Difícil encontrar dados concretos sobre o assunto. Mas li que no ano passado quase um milhão de brasileiros visitaram BsAs, e 2.623 requisitaram no consulado o ARB (Autorização de Retorno ao Brasil) por falta de documentos. Deste número, não se sabe quantas ARB´s foram por furto de documentos ou extravio. Mas temos um dado concreto aqui. de um milhão de pessoas, duas mil e poucas ou perderam ou tiveram os documentos furtados. Sinceramente não me parecem números alarmantes, analisando o universo de turistas que visitaram a cidade, um milhão, e apenas dois mil... Eu adoraria encontrar um site com informações sobre quantas ARB´s são emitidas em outras cidades, e comparar o número de turistas versus número de ARB, só pra ter um parâmetro.

Em relação a achar furtos e golpes normais, não sei de onde surgiu esta associação, pois em nenhum dos comentários foi dito que isso é normal. O que foi dito é que não é uma boa idéia deixar que isso estrague uma viagem. Bom humor em frente a um problema. Só isso.

O que me assusta na blogsfera é a quantidade de gente dizendo "não vá pra Buenos Aires!!!" porque existem golpes e chances de furtos. Este é o meu problema. Parece que existe uma campanha, fundamentada na nossa velha e idiota rivalidade, que faz com que as pessoas deixem de ter fatos objetivos e usem apenas de opiniões distorcidas para desorientar futuros turistas. Quem nunca foi à BsAs e lê comentários deste tipo pode achar que o país se encontra em guerra civil. Eu vou pra BsAs com bastante frequência e a cada ida a coisa está realmente piorando. A cidade está mais suja, existem mais furtos a turistas, a sensação de insegurança está maior. Agora, por favor, isso está acontecendo em todo o mundo. Pelo menos nas grandes cidades que eu já visitei... Na minha própria cidade, Porto Alegre, as coisas pioram a cada dia. E nasci no interior, toda vez que vinha a Porto Alegre os taxistas faziam gato e sapato de mim. Ah, e não temos tanto problema com notas falsas, agora sequestro relâmpago e assassinatos estão na moda por aqui... Então, não recomendo a ninguém uma visita à Porto Alegre, corram enquanto é tempo, fujam todos!!!!! Menos, né? bem menos... smile

Ana Luisa
Ana LuisaPermalink

Concordo plenamente com o Marco. Esse tipo de coisa ocorre em qualquer grande metrópole. Já fui a Bsas mais de uma dezena de vezes e nunca me passou nada. Já meu marido que é filho de Argentinos e morou lá muitos anos, teve um problema com troca de notas no ano passado. Fazer o quê???Deixar de visitar uma cidade que eu amo por isso? Generalizar que todo Argentino é desonesto? De forma alguma...semana que vem estou indo para lá de novo. Bom dia a todos!!!

Eduardo
EduardoPermalink

Só espero que os srs. Pe Esse e Frank sejam coerentes e desrecomendem também Paris (infestada de golpistas), Barcelona (o paraíso dos punguistas), Lisboa (campeã de furtos em bondes), Roma (antro de mãos leves), Praga e Budapest (80% de taxistas desonestos), São Francisco (a capital mundial dos homeless agressivos) e Amsterdam (perigosíssima à noite por causa dos drogados espalhados pelas ruas).

PêEsse
PêEssePermalink

Eduardo, eu não recomendo nem desrecomendo nada. Quem sou eu. No máximo apresento sugestões. Apenas gosto de tomar decisões sabendo dos fatos. Eu disse em meu comentário expressamente que não deixo de ir para um lugar por insegurança, terremoto nem gripe. Quando eu vou a Roma já sei que devo tomar cuidado com pickpockets, a Paris com os golpistas e estelionatários e assim por diante. Só isso.

Marco
MarcoPermalink

"Atualmente, quando as pessoas me pedem dicas sobre viagens pela América do Sul, eu já não recomendo mais Buenos Aires" Desculpe se entendi errado. smile

Dani
DaniPermalink

Já fui para Bienos Aires mais de 10 vezes e nunca fui enrolada, mas acho que é porque eu passo por local. Se não tivéramos trocar o dinheiro, minha dica é não entregar a nota de 100 e ficar esperando o troco, você deve segurar a sua nota, mostrar ao taxista e dizer: "Usted tiene vuelto para cien?" Espere ele contar o troco e só entregue a sua nota quando o taxista te entregar o troco, assim ele não te enrola dizendo que você tinha entregue menos. Aliás eu faço isso no Rio também,não entregue a nota antes de ele separar o troco nunca,emqualquer lugar tem gente desonesta!

Thiago Augusto
Thiago AugustoPermalink

Falando de taxista em BsAs, certa vez estavamos eu e minha esposa entrando num taxi, quando o motorista percebeu que ela estava grávida (seis meses). Ele então pediu desculpas e disse pra descermos do carro, se recusando a nos levar ao restaurante. Fizemos a maior cara de ? e ele apenas dizia: embarazada non!

Mon
MonPermalink

Que loucura!
Será que ele achou que ela ia parir dentro do táxi, igual naquela novela Bebê a Bordo?

Douglas
DouglasPermalink

Ola,

estou indo amanha para Buenos Aires...eu, minha esposa e minha bebe de 9 meses!!!

Sera que eles cobram extra por levar o carrinho do bebe no porta malas??

Ninguem quem conhece uma taxista ou serviço semelhante de ficar a minha disposição o dia todo???

grato

Douglas

Sylvia
SylviaPermalink

Veja com o taxi premium e peça um orçamento http://www.taxipremium.com/

Eduardo Baró
Eduardo BaróPermalink

também podem reservar com Walter, o taxista amigo de Gisele teixeira wcespi@gmail.com ou checar en www.viajoentaxi.com.ar onde tem os telefones de diferentes radio taxi

Fábio Erasmo
Fábio ErasmoPermalink

Sylvia, concordo com vc, se alguém não quer problemas é só chamar o taxipremium e pronto. Fiquei nove dias em Buenos Aires e só usei taxi premium, dei nota de 100, de 50, fui para perto, pra longe, de madrugada e de manhã, não tem erro, grandes hotéis pedem taxi premium para não dar dor de cabeça aos clientes. Recomendo pegar os cartões e ligar toda vez que precisar inclusive do telefone público.

Cintia F
Cintia FPermalink

Douglas,

os taxistas nao cobram a mais pelo carrinho, mas muitos simplesmente se recusam a parar para voce por conta dele...

A dica eh ja estar com o carrinho fechado quando for pegar um taxi, e, de preferencia, nem pedir para colocar no porta-malas. Quer dizer, de preferencia mesmo, esconde o carrinho quando for chamar o taxi!!

Fui para Buenos Aires com minha bebe de 8 meses na Semana Santa e os taxistas se recusaram a nos levar inumeras vezes...

Amaro - Recife
Amaro - RecifePermalink

Para quem acha que os hermanos são "inimigos atrás de uma canela alheia para dar um pontapé":

'Polícia Civil deteve pela segunda vez em menos de uma semana um taxista clandestino que atuava no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista.' O carro é um Ford Fusion...
'A Justiça do Rio proibiu 32 taxistas de se aproximarem do Aeroporto do Galeão. O inquérito mostrou que os acusados cometiam várias irregularidades nas áreas de embarque e desembarque do Galeão.'

Sabe aquela história do telhado de vidro? Quem não tem atire a primeira pedra.

Marcie
MarciePermalink

Eu acho que todas estas desaventuras fazem parte da aventura! wink

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Riq,
Só uma pequena correção,o guichê do Táxi Ezeiza está dentro do saguão de desembarque, logo depois que se sai da área restrita. Eu, muito avoada, fui logo para a calçada, mas não encontrei o guichê (há uma obra do lado esquerdo de quem sai; deve ser lá que ele fica normalmente). Voltei para o saguão e fui para o balcão de informações e, para minha vergonha, o guichê do táxi Ezeiza estava ao lado! eekops:

gisele teixeira
gisele teixeiraPermalink

Gente, eu tenho um super taxista de confiança. O nome dele é Walter e entende bem o português, além de ser fluente em inglês e italiano. Simmm! O email dele é wcespi@gmail.com.

raimundo
raimundoPermalink

Uma opção em Ezeiza (provavelmente no Aeroparque também) é pegar táxi especial, lá chamados de REMIS. Funcionam como os táxis especiais do Galeão, no Rio (apesar dos carros serem bem inferiores). O preço é fixo e você pode pagar com cartão.

Douglas
DouglasPermalink

Sylvia,

valeu pela dica..mas achei muito caro comparando pelo que leio aqui no site!!!

veja:
Our radio taxi service is charged por reloj taximeter.

We can ofer the service per 3 hours o the time you need , this cost $267.

Eduardo Baró
Eduardo BaróPermalink

Hola, tengo muchos amigos brasileros y me da da mucha bronca cuando algunos taxistas estafan a los turistas. No son muchos pero todos se concentran en Aeroparque o Buquebús o cerca de los hoteles.
SIEMPRE anotar el número de licencia.
Hay una forma fácil de prevenirse: la pagina www.viajoentaxi.com.ar calcula cuánto sale, segun tarifa 1 o tarifa 2 (domingo y despues de las 22)
suerte.
Tengo muchos ejemplos de taxistas maravillosos, que devuelven cosas, asisten a partos etc etc. pero los espertinhos ensucian a todos.

Diego / Meus Roteiros de Viagem

É questão de sorte/azar... acontece em qualquer cidade, seja no Brasil ou no exterior. Fui enrolado por um taxista em Santiago, que me deu como se eu tivesse dado 2 mil pesos, quando na verdade entreguei uma nota de 5 mil. Vivendo e aprendendo!

abs
Diego

Cintia
CintiaPermalink

Quando estive em Buenos Aires em set/2010 tomei vários cuidados com os taxistas, mas sem neuroses. No aeroporto para o hotel peguei o táxi oficial dentro do aeroporto; sempre dava o endereço certo e dinheiro trocado. Ainda bem que não fui enrolada, mas sempre demonstrava estar mais esperta do que os taxistas, afinal sofremos isso por aqui também. Não é porque somos turistas que vamos descuidar da nossa segurança.

Sylvia
SylviaPermalink

Para os que desejarem colaborar com sugestões e/ ou reclamações
através do sitio oficial de turismo, o link é

http://www.bue.gob.ar/?ncMenu=719

Fábio Ribeiro Corrêa
Fábio Ribeiro CorrêaPermalink

Gente, discordo do Ricardo. É quase 100% o percentual das vezes em que você será enrolado pelo taxista. É irritante mesmo. Eu que sempre saio com o mapa e o caminho pré-traçado é que sei. A minha solução é não indicar o destino final. Apenas digo: siga pela Armênia. Agora pegue a Santa Fé. Etc. Assim eu consigo chegar no destino pelo melhor caminho. Quando não fiz isso o taxista fez os caminhos mais absurdos. Meu melhor conselho é: não vá a Buenos Aires. A Argentina acabou. Está tudo extremamente caro e os vendedores estão mais mal humorados do que nunca. Mesmo os bons restaurantes andam sujos e economizando em tudo que podem. Acreditem, vão para o Chile, mas não para a Argentina.

Dionísio
DionísioPermalink

Fábio, desculpe, mas discordo.

Já fui "trocentas" vezes a Buenos Aires e tenho certeza que só tentaram me passar a perna uma única vez.

Então, recuso-me a aceitar que a pessoa será enrolada em quase 100% das vezes, porque, nessa hipótese, Buenos Aires estaria numa situação de absoluta incompatibilidade com a vida civilizada e com a indústria do turismo ocidental, o que, sabemos todos nós que conhecemos a cidade, não é verdade.

Tem bandido, espertinhos, malandros, sim, talvez mais ou talvez menos que em qualquer lugar do mundo, mas não a ponto de desaconselhar a visita a Buenos Aires ou dizer que a Argentina acabou.

Reduzir Buenos Aires e a Argentina a isso é, sim, atestar falta de conhecimento sobre ambas.

Com todo o respeito.

Leticia Centeno
Leticia CentenoPermalink

Ola!

Eu ja deixei mminhas dicas em outros posts e estou com mta preguiça para reescreve-las aqui mas duas dicas:

- Compre um chip local para o seu cel, assim vc sempre pode chamar Radio Taxi. Eu fiz isso e recomendo muitissimo! As vezes vc vai ao teatro, ao cinema a sei la onde e não tem ninguem para chamar Radio Taxi para vc! E creia, radio taxi na rua tem sim, mas geralmente eles estão indo buscar alguem!

- Recomendo MUITO a Premium. Foi o 1° taxi que peguei no Aeroparque até Palermo (pertinho da estação Plaza Italia) e paguei 26 pesos pela corrida. Sempre usei taxi deles e nenhuma vez tive problemas.

- Se vc liga para eles (Premium, não sei as outras empresas) do seu celular quem te atende confirma o endereço onde vc quer o taxi e pergunta se aquele ali é seu cel. Logo eles te mandam um sms dizendo:

Hola "seu nome aqui", o movil n° xxx placa xxxx arribara en xx minutos.

Isso, na minha opinião é super! Eu me senti mto segura (estava viajando sozinha por Buenos). E se por acaso eles atrasam p te conseguir um taxi eles mandam um sms dizendo: Desculpe fulano, estamos com dificuldades para te arranjar um taxi. Por favor mais uns minutinhos e já te ajudamos!.

Ou se eles já informaram que o taxi chegaria em 5 minutos mas atrasou por qualquer motivo, eles mandam um sms assim:

Oi fulano, registramos maior demora do que a informada, por favor aguarde mais xx minutos.

Super eficiente. E confiavel. E com taxistas simpaticos, prestativos e honestos. RECOMENDO SUPER! Fiquei fã da Premium!

Masssssssss, independente disso, saiba o endereço entre ruas, e troque suas notinhas... o seguro morreu de velho!

Besitos!

Claudia
ClaudiaPermalink

Letícia, eu já não recomendo o Premium. Foi o único táxi que tentou nos enrolar. A corrida saiu a incríveis 47 pesos e quando tentamos pagar com uma nota de 50, o taxista falastrão e simpático até demais veio com o papo "Vc não teria uma nota sem essa marca?". Não caímos e nem pegamos mais táxis dessa companhia. Pagar somente com notas de 20 pesos no máximo, gente.

Dóris M.
Dóris M.Permalink

Na minha última ida a Buenos Aires ano passado o taxista que nos levou ao hotel errou a rua e teve que dar uma volta grande para acertar a quadra. Ao desembarcarmos, ele me deu a dica de como falar o endereço do hotel de uma maneira mais compreensível para outros taxistas e não haver o risco do motorista errar o caminho. A partir daí, não tivemos mais problemas.
Aliás, sempre andei de táxi em Buenos Aires e nunca tive problemas, nem com dinheiro nem com erro de endereço - essa última foi a primeira vez. Sempre pago com notas de baixo valor (separo para as viagens de táxi), converso bastante em espanhol, e como adoro a cidade, não dou bola para os comentários. Ainda acho um melhores lugares para se visitar, seguro, barato e muito fácil para mim que sou gaúcha. Não vejo a hora de voltar, pela sexta vez.

Viajante Oficial
Viajante OficialPermalink

Otimo. As tres ultimas servem para qualquer cidade.
PS.: Ande, conheça a cidade, use metro, onibus, trem, etc. Taxi só em percursos muito longos, a noite ou quando tem pressa.

Dionísio
DionísioPermalink

Pessoal, vamos relaxar e aproveitar, mas sempre com os cuidados de praxe.

Como diz meu sogro missioneiro, é só ter "golpe de vista", hehehe.

Eunice
EunicePermalink

Fui tres vezes a Buenos Aires. Segui as dicas aqui do site e das vibanas: dar o endereço de forma correta, pagar com notas pequenas,pedir ao restaurante para pedir o táxi à noite; usar o táxi oficial no aeroporto.Mas de dia, batia a mão e pegava o primeiro táxi que passava.Nenhum problema. É uma amostra pequena, a minha, mas provavelmente a mais representativa. Provavelmente a maioria dos turistas em B. Aires não tem problema nenhum com taxistas. E convenhamos, nós que somos brasileiros, acostumados a conviver com o medo da violência generalizada ( urbana e rural ) temos muito a aprender com os argentinos sobre como fazer cidades mais seguras.

Marco Cavalheiro- Buenos Aires Dreams

Para tentar mostrar a diferença entre histeria e sabedoria, uma frase do nosso querido Ricardo Freire:

"Não é o fim do mundo: apenas temos que atualizar o arquivo Buenos Aires no nosso mapa de preocupações. Temos que tirar Bs. As. da categoria “muito mais seguro que o Brasil” e colocar na categoria “tomar todas as precauções de praxe”."

smile

Érica França
Érica FrançaPermalink

Ótimas dicas como sempre. Também costumo prestar atenção se os táxis têm aquela autorização, um documento que fica pendurado no vidro. Não é uma garantia de imunidade, mas até hoje não tive nenhum problema por lá, graças a Deus.

Alexandre
AlexandrePermalink

Pra mim a melhor dica foi aprender espanhol. Vou de 3 a 4 vezes por ano a Buenos Aires, e nas primeiras vezes fui vítima de taxistas espertinhos sim, caminho mais longo, nota falsa, cobrança a mais por bagagem ( principalmente do Aeroparque).
Agora que aprendi melhor o espanhol, vou puxando papo, conversando, sendo simpático. Na minha última estadia em Buenos Aires estava quase impossível sacar dinheiro e muitas casas de câmbio estavam fechadas, meus pesos estavam acabando no meio da corrida e eu pedi que me deixasse antes que eu caminharia o restante, expliquei a situação dos caixas eletrônicos ( em espanhol obviamente), e o parou o taxímetro e me levou até o destino sem cobrar a mais por isso. Fiquei espantado,mas sim, do mesmo jeito que existem taxistas golpistas em Buenos Aires, existem também os gente boa, aliás por experiência digo que os gente boa estão em número muito maior que os primeiros.

Geraldo Freitas
Geraldo FreitasPermalink

Olá Bóias e Trips!!!
Alguém informa que cartão local (Chip) e operadora menos complicada para usar no celular em BsAs e Santiago/CL para utilizar nas chamadas a táxis e reservas de restôs, nessas cidade?? Alguém já usou??
Onde adquir esses chips?? Meu celular é 3G Nokia Asha 303 !!!!
Obrigado pelas dicas que tenho certeza que virão...
geraldo

roberta
robertaPermalink

Estive em Buenos Aires semana passada e lendo os posts fico pensando... ou levei muita sorte ou sei lá o que... Confesso que no inicio fiquei um pouco preocupada em andar nos Taxis, mas não tive problema algum e pasmem teve taxista que até deu troco a mais.... andei pela cidade até estourar meus pés e observei duas situações: eu não vi NENHMA CAPSULA DE DROGA IGUAL A PAPEL DE BALA QUE É AQUI NO BRASIl , e um aumento de andarilhos moradores de rua porém com comportamentos bem diferente dos Brasileiros...Morando no Brasil com a criminalidade em alta do jeito que esta, prá mim Buenos Aires foi mega tranquilo E VOLTO PRÁ LÁ ASSIM QUE PUDER....POIS SÓ TIVE EXPERIENCIAS BOAS COM A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

Norma
NormaPermalink

Cheguei hoje de BsAs e no desembarque contratei o taxi de ezeiza e eles disseram que o retorno para o aeroporto seria mais barato e só bastava agendar com 01 dia de antecedência....Ledo engano, assim o fiz e simplesmente o taxi ezeiza não apareceu no horário agendado...fui obrigada a solicitar o radio taxi...tudo engodo.
Tome seu táxi e não confie no retorno......se agende da melhor maneira que achar.

Douglas
DouglasPermalink

Cheguei de BA ontem a tarde, vamos la:

- tive apenas um problema com um taxista so, mas tbm vacilei de nao contar o troco e ele me deu 50 pesos a menos... todos os taxis eu tinha trocado, bem nesse que eu nao tinha mais, fui levado em 50 pesos!!! vivendo e aprendendo, tinha q ter conferido na hora!!!

- todos pararam para mim, mesmo com o carrinho de bebe, mochila e sacolas...sempre colocava o carrinho de bebe no banco do passageiro da frente, onde nao senta ninguem!!!

- 1 dia andando em BA de taxi eu ja sabia de cor e saltiado o nome das ruas e em quais o taxista tinha q entrar para voltar ao meu hotel ou fazer algum trajeto (quem dirigi em SP, conhece rapidamente as ruas de qq cidade do mundo)

- ps. sem ser taxi: achei absurdo os preços em BA, sempre ouvi dizer q era barato e tal...achei tudo muito caro!! so para comparar uma garrafa de agua de 1,5l no mercadinho da esquina do meu hotel estava PESO 8,00 ou seja, R$ 4,00, sendo q no Brasil pagamos media de R$ 1,80 (bonafonte)

Fui comprar uma camisa do Boca e estava PESO 420,00 (R$ 210,00), nao comprei e sai comentando dentro do taxi com minha esposa sobre os preços das coisas, o taxista entendeu o que nos estavamos falando e entrou na conversa, ele perguntou seu tinha reparado que as etiquetas de preços sempre estao a lapis, ele disse q sao assim pq quase toda semana tem reajuste de preço, coisa q hj é 100,00 semana que vem esta 120,00 e por ai vai....

Tirando vinho e taxi, o resto esta mais barato no Brasil!!!

Outlets???? Calça da levis por PESO 450,00 (R$ 225,00) nao acho isso barato, sei q nao é comparação, mas paguei a mesma calça ano passado em Miami por US$ 30,00, isso é Outlet!!!!!

De resto...gostei da cidade, ruas limpas, carne maravilhosa (La Cabrera é fundamental na viagem!!!!) bastante verde, sorvete muito bom (fredo de dolce de leite é melhor q da Italia)..mas nao achei nada q me faça voltar nao!!!!

Josi
JosiPermalink

Olá,
Lí várias dicas de BA aqui nesse site e por conta dos comentários indicando o Marcelo Batuista, eu acabei fechando com ele para nos pegar no aeroporto de Ezeiza. Ele estava lá no horário, de fato tem o preço melhor que os outros motoristas e é uma pessoa sensacional! Super simpático, ele só trabalha fazendo transfer para brasileiros, é muito prestativo e se tornou um ótimo amigo durante nossa estadia em Buenos Aires.Podemos perceber que ele faz o que faz e do jeito que faz por amor.

Alberto
AlbertoPermalink

OI acabei de chegar a BUA e também quero agradecer as dicas. Entrei em contato com o Marcelo por e-mail e na chegada enviou o Henrico para nos receber no horário combinado. Muito atencioso nos deu muitas dicas. Recomendo: marcelo martin bautista

Sebastião Laercio Machado

Pois e, mesmo os recomendados falham. Combinei com Marcelo Bautista por e-mail com antecedência de 2 dias, confirmei por telefone na véspera, mas, na hora combinada, às 3:50h, cadê o táxi que não chega para nos levar ao Ezeiza? Esperei 30 minutos e nada. Tive que sair em busca de pelas ruas de Palermo Soho, num horário em que eram raros os táxis libres. Foi um sufoco achar um.

Juliana Rodrigues
Juliana RodriguesPermalink

Todo mundo tb fala das notas falsa, mas quase ninguém explica como saber se é verdadeira ou falsa. Algumas dicas: O número que está em verde, meio prateado, muda de cor conforme você gira a nota; na parte branca ao lado esquerdo tem uma marca d’água com o mesmo rosto do presidente que estiver estampado na nota; e tem a mesma fita de segurança que as notas no Brasil – a de Cien pesos é prateada e as outras são como do Brasil.
E não é preciso ter vergonha nenhuma em conferir a nota!!!
Espero tb ter contribuido! wink

Gilson
GilsonPermalink

Segui as dicas lidas nesse site e nao tive problemas. Gostaria de repassá-las:

-Transfer do Aeroporto: Marcelo Bautista. Em junho de 2012 cobrava do Ezeiza ao centro 75 reais. Aceita reais. Confiável e fui pontual na ida e na volta ( que foi de madrugada inclusive).

-Câmbio: Banco de La Nacion. No aeroporto Ezeiza fica, assim que passamos pela imigraçao e pegamos as malas na esteira, fica na saida, naquela área onde ficam as pessoas com as plaquinhas esperando quem chega de viagem. Possui câmbio justo, sem risco de notas falsas. Importante dica é trocar metade do seu dinheiro em peso e guardar a outra metade em reais, pois a maioria absoluta das lojas aceitam reais com taxa melhor que qualquer casa de càmbio da cidade. Por exemplo: em junho de 2012 a taxa do banco de la nacion era 2,04 e em muitas lojas o real valia 2,30, 2,40 pesos.

- Custo de vida em B.A: prepare-se. Tudo está muito, mas muito caro em Buenos Aires. Uma coca cola media, de garrafa, por exemplo, estava em junho de 2012, R$ 8,00. Uma garrafa de cerveja Quilmes estava em junho de 2012 por R$ 20,00. Um prato em qualquer restaurante para um casal, restaurante sem fama etc, nao sai por menos de 130 reais. Almoço ou jantar para casal no La Cabrera ou Cabanha Las Lilas estava em junho de 2012 em torno de R$ 300,00 a R$ 400,00 reais. Me senti muito, mas muito explorado. Você. Só percbe brasileiro reclamando e ninguem comprando. Pense bem nesse ítem antes de comprar sua viagem. Eu nao comi bem (exceto nos lugares que cobram 300 a 400 reais por casal), nao fui em atendido, nao comprei quase nada e NAO VOLTO.

Taxi: Nao precisa ter neura. A fraude é algo criminoso e habitual. Mas basta só pagar taxi com notas de 5, 10 ou 20 pesos que não verá nota falsa. Apos fazer o câmbio, compre no centro, de preferencia no carrefour express ou a Farmacity, algo baratinho e pague com nota de 100 pesos. Faça isso umas 4 vezes e terá uma ba uantdade das velhas e imundas notas de 2, 5, 10 e 20 pesos para pagar taxi. Nao pague taxi com notas de 50 e 100 pesos e só pegue taxi de radio taxi.

- Metrô ( subte): ótima opçao. Usei muito. Vi no google, antes da viagem, onde eu queria ir e as rotas devidas. Taxi fica preso no trânsito. Já o metrô, alem de barato ( em junho de 2012 estava 2,50 peis cada viagem) te permite visitar vários lugares no mesmo dia.

- nao deixe de visiar a livraria Atheneo Grand Explendid e o jardim japonês. Ja a Caminito é lugar para ir e nunca mais voltar ( pq. nao tem nada que justifique a fama) e o Cemitério de Recoleta só vai se tiver muito tempo sobrando, pq. é muito nojento e de baixo astral aquilo lá. Os caixões não são enterrados, ficam aparentes e muitos gatos, que vivem no cemitério, dormem juntos aos caixões. Alas, veja no youtube cemiterio de recoleta e avalie se falei besteira.

Fran Pereira
Fran PereiraPermalink

Acabamos de voltar e gostaria de agradecer a dica do Transfer. Combinamos com o Marcelo e pagamos em reais (R$ 75 de Ezeiza para Porto Madero e R$ 35 de Porto Madero para o Aeropark). Para quem não pegou a dica: Marcelo Bautista 0054 9 11 5714 9991 ou Nextel 54*644*1222.
Não deixem de ir ao Restaurante la Brigada, em San Telmo: eles cortam a carne com a colher, de tão macia!
Fizemos o passeio do Buquebus para Colonia, no Uruguai e foi bacaninha também: free shop de primeira no barco (na ida e na volta) e aluguel de carrinho (tipo aqueles de golf) para passear pela cidade - Pode pegar o barco do meio dia e meia e voltar no das oito e meia da noite: se sobrar tempo no final, passem no Shopping..Tem uma loja de casacos femininos " La parisienne" baratíssima (Tipo R$ 120 para um daqueles sobretudos de lã!.Vamos ver o quanto dura!. rs)
Ah, tem que chegar 1 hora antes para o embarque e, quem estiver sem passaporte, não esquecer o ticket de entrada no país!
De resto, Buenos Aires é boa para comer, beber (vinho baratos!.) e caminhar!Ah, não caiam no golpe do Ônibus turistico (aquele de 2 andares!.) - é caro, demora muito para passar ( e muitas vezes vc esperou 40 minutos e ele chega lotado e tem que esperar outro)e, pelo preço, você anda de taxi e ainda sobra!.

andre batista
andre batistaPermalink

Fran
Pra combinar com o Marcelo, temos que ligar internacional ou ele tem outro meio de contato? Grato!

cidinha silva
cidinha silvaPermalink

entao pessoal estou indo a BA com minha irmã semana que vem e minha amiga chegou de lá dizendo que tudo está muito caro!, inclusive roupas de couro, dei uma desanimada, o pior é que ja estou com passagem marcada grata
cidinha

regina campos
regina camposPermalink

Ficamos agora 6 noites em BA, adoramos. Eu não conhecia e amei: amei as ruas, as praças, as grandes avenidas, os restaurantes, o tango, os museus e até os taxistas ( não tive nehum problema, muito pelo contráruio els me surpreenderam com a cordialidadae e alegria, sorte?
Está muito caro, fui nos out lets, mas não comprei nada. Gostei da Loja da Rapsódia.
Fiquei no Urban suite da Recoleta, é bom mas, tem seus problemas. Na sexta e sábado tem uma balada que toca até às 6:00hs, fica difícil dormir se você acordar por causa do tuntuntun. Quando reservei com a Hoteis.com pedi em andar mais alto, mas acho que as promoções só vão pros piores quartos. Como tem uma obra do lado do hotel nos mudaram para o quinto andar, melhorou.
Assistimos um concerto no teatro Colón, lindíssimo e fomos no Tango do Madero, acheio muitoi bom, a vista do lugar é demais.
Chocolate no Café no Tortoni e no La violeta, flanar pela Ricoleta e por Palermo. Andei de metro, muito prático. Fomos ao Malba sem Tarcila ou Frida Kahlo.
Não recomendo o restaurante Lola, caro e naõ apreciamso a comida. è isso, obrigada.

Ivana
IvanaPermalink

Um tema que dá tanto comentário tem alguma razão de ser! Eu moro em BsAs e frequentemente me sinto enganada. Caminhos longos, taxímetro adulterado, notas truchas... Uma vez me deram de troco uma de 50 com a ponta rasgada. Só depois vi, e tava rasgada na numeração, o que fazia com que ninguém aceitasse a nota. Menos mal que a trocaram no Banco de la Nación. Também já fui vítima da Nota de 100 trocada por uma de 10. Também já me cobraram do aeroparque 80 por uma corrida de 35. Uma vez o cara não ligou o taxímetro, reclamei e ele ligou - tinham passado duas quadras...e ele me deixou duas quadras depois do meu destino!! Vão dizer que sou azarada... Mas a verdade é que uso muito taxi, então tenho maior amostragem! Hoje uso notas pequenas, indico o trajeto preferido no começo, uso radiotaxi quando posso esperar - isso tem diminuído as chances de golpe. As dicas do site são importantes!

ana
anaPermalink

Fomos a Bsas pela primeira vez e não tivemos problemas com taxis, pegamos na rua mas apenas os que tinham o nome da empresa na porta.Na verdade nosso problema foi no metro, entramos eu meu marido e meus dois filhos (dois adolescentes) no vagão.Atrás de nós um pouco antes da porta fecharentrou um rapaz bem vestido que fingiu estar passando mal, começou a gesticular como se fosse vomitar (desculpem mas não cahei melhor maneira de xeplicar do que escrever de maneira direta o que ele fez)e começo um empurra empurra afinal ninguém queria ficar perto.Ele melhorou e oferecerma até um suco para ele.Na próxima estação desceram ele e um casal que havia subido ma mesma estação.Um dos três com o celular do meu marido de presente!Apesar de sermos moradores de São Paulo caímos direitinho.Recomendo que sempre que tiver lugar no metro, sente-se e não leve nada nos bolsos pois meu marido não percebeu nada e nem sentiu o roubarem.Coloque por dentro da blusa ou da calça.NÃO DEIXE DE IR A BSAS POR CAUSA DESTE COMENTÁRIO.Estávamos distraidos e agindo como turistas e falando uma lingua estangeira no metro, e pelo comportamento todos cairam no golpe.Fique atento e aproveite o passeio,batedores de certeira existe aos montes em SP e eu moro aqui para poder dizer isto!

Val Barbieri
Val BarbieriPermalink

Contrariando a expectativa dos leitores neuróticos que "fortemente desencorajam os amigos a ir a BsAs" (ou algo semelhante), acabei de voltar de uma estadia de 4 dias por lá, pegando diversos táxis por dia, usando metrô, andando pelas ruas e não tive NENHUM contratempo. Tomei as precauções de praxe (bolsa devidamente segura, troco para o taxi, etc, e também confesso que apenas fui até a Casa Rosada e imediações, e subi a Avenida de Mayo para conhecer o Tortoni, não fiquei passeando pelo Centro, e sequer cheguei até a Calle Florida), e foi muito melhor do que esperava. Palermo Puerto Madero e Recoleta são muito agradáveis para caminhar, com restaurantes e lugares excelentes. Então, desculpem, mas eu fortemente encorajo que as pessoas visitem Buenos Aires, tomando os devidos cuidados.

Grazi
GraziPermalink

Olá! Acabei de voltar de BA e gostaria de alertar sobre notas falsas no próprio Banco de La Nácion! Chegando lá, fomos trocar nosso dinheiro no Banco de La Nación que fica no aeroporto de EZEIZA e tivemos uma surpresa! Só tinha uma atendente naquele horário, e como não estamos acostumados com essa situação, não percebemos que a luz azul que fica no balcão para identificar as notas falsas estava DESLIGADA. Ela nos entregou várias notas de 100 pesos e junto veio uma nota FALSA. Sabendo dos golpes de notas falsas na cidade ficamos sempre atentos quando entregavamos um nota para ver se ela era trocada por falsas. Então no outro dia num restaurante, a caixa não quis receber a nota dizendo que era falsa! Voltamos no Banco de La Nación e então percebemos a luz azul ligada em todos os balcões de atendimento. Com certeza, a atendente aproveitou que estava sozinha naquele dia e passou várias notas falsas e as pessoas nem perceberam! Andamos de táxi durante todo o tempo e NUNCA tivemos problemas com os taxistas.

Wagner
WagnerPermalink

Olá, pessoal, tudo bom?
Acabei de voltar de BA e por ser a primeira vez, um amigo tinha me recomendado ler esse post de primeira vez em BA.... Ricardo, parabéns, segui direitinho o roteiro do city tour, de táxi por sinal, e achei o passei fantástico.
Em relação aos táxis, posso dizer que me senti muito seguro e não tive contratempo nenhum, sempre seguindo as dicas de dinheiro trocado, indicar as vias com as paralelas ou os cruzamentos.
A Cidade é muito gostosa, agradável, fiquei hospedado em um hotel em palermo soho, muito próximo a Av. Sta Fé e recomendo de verdade... chama-se Aspen Square. Quartos limpíssimos, grandes, um hotel novo, cheiroso, com um café da manhã agrabilissimo e com um atendimento fora de série....

Enfim, não vou ficar me prolongando, mas as dicas dadas aqui são fantásticas e muito usuais, siga o roteiro indicado pelo site que não se sairão mal e atenção sempre aos pertences... isso é uma dica em qualquer lugar e em relação aos taxistas, apenas um não foi de muito papo, os outros foram de uma extrema educação e foram muitos gentis.

E aproveitem o que de melhor os portenhos tem pra nos proporcionar.

Joaquim
JoaquimPermalink

E aí pessoal,

Tb acabei de chegar de Buenos Aires e Graças a Deus não tive nenhum contratempo com os taxistas, sempre seguindo as dicas do site, indicação da rua, notas menores. Achei os preços caríssimos, inclusive para alimentação. A cidade é muito bonita, porém no quesito de limpeza deixa a desejar, tal qual a maioria das grandes cidades brasileiras. No mais, foi uma boa viagem e experiência. Diferente, porém muito bonita é Santiago. Recomendo demais. Um abraço