Fotokê (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Ilustração: Daniel KondoIlustração | Daniel Kondo

Comprei minha primeira câmera digital, uma Olympus, em 1999. Eu estava começando a fazer um guia de praias e levei a bichinha para a primeira semana de campo, no sul da Bahia.

Cheguei a Trancoso em meio a uma frente fria daquelas – e para piorar, quem disse que a tinhosa queria funcionar? Ligava, mas não batia fotos. Quando voltei a São Paulo, minha amiga Ester me ensinou as manhas: o segredo para fazer aquela câmera moderníssima funcionar era tirar a tampinha da lente.

Mesmo depois de dominados os fundamentos básicos, minha primeira digital continuou dando trabalho. Cabiam só 20 fotos na qualidade máxima. Eu não tinha comprado nenhum cartão suplementar de memória. Resultado: ficava apagando as fotos piorzinhas e no fim do dia descarregava apenas as menos horríveis.

A verdadeira revolução da imagem digital só veio um pouco mais tarde, quando as câmeras passaram a armazenar centenas de fotos. De uma hora para outra, clicar passou a ser grátis. E fotógrafos chinfrins como eu pudemos sair praticando à vontade.


Minhas fotos evoluíram quase tanto quanto as câmeras. E ganharam um upgrade definitivo quando aprendi a usar três ou quatro comandos café-com-leite do Photoshop. Cortar a foto (no jargão técnico, cropar) é o que eu faço de melhor. Reenquadro a cena, elimino o que não é importante – enfim, ajo como um bom editor salvando o trabalho de um fotógrafo deficiente (eu mesmo).

Quer dizer: na internet, minhas fotos até que funcionam. De vez em quando até impressionam – na certa porque estão casadas com o texto (coisa que diretores de arte raramente sabem fazer). Mas basta que sejam publicadas em papel, para que imprimam a realidade. Fotógrafo enganador procura foco, luz e profundidade!

O negócio é deixar o papel para os fotógrafos de verdade – e nos divertir com o brilho falso das telinhas.

Você já começou a brincar de Instragram? É o passatempo mais viciante dos últimos tempos. Você fotografa com o celular, joga um filtro que transforma qualquer foto ruinzinha numa foto instigantezinha -- e compartilha com o mundo, num karaokê de imagens non-stop. Clicar e postar é só começar.

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


27 comentários

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Ricardo,

Uma das coisas mais gostosas de viajar é poder rever e compartilhar nas fotos, aquilo que de melhor vivenciamos (e as furadas também Rsss).

Ana
AnaPermalinkResponder

Fotokê já entrou para o meu houaiss privê!

Merél
MerélPermalinkResponder

Que fofiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha a ilustração!

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

Perfeito!

Beto
BetoPermalinkResponder

smile

Alexandre Costa

Melhor definição do Instagram que já li: karaokê de imagens non-stop!

Lena
LenaPermalinkResponder

Olha só, você já me enfiou no Twitter; vai me enfiar no Instagram também??? Tô perdida com esse monte de SM!! shock

PS:AMEI o desenhinho!

Tania Janin
Tania JaninPermalinkResponder

Quando criança brincava de estátua. Uma tentativa lúdica de parar o tempo.
Agora, adulta, brinco de fotografar, outra tentativa de parar o tempo, congelar momentos, emoções, prazeres e revive-los a qualquer tempo.

Felizmente a qualidade das lembranças são bem maiores que a qualidade das minhas fotos, um dia, de brincadeira em brincadeira, eu chego lá.

Ótima ilustração!

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Fofo...

Marcie
MarciePermalinkResponder

O Daniel Kondo é incrível, maravilhoso. Sou fã.

(para que ciúmes não ocorram...seu texto é, como sempre, um primor!) wink

Douglas Cunha
Douglas CunhaPermalinkResponder

Bem legal o texto, mas "InstRagram" foi proposital, tipo um trocadilho ou erro de digitação mesmo (o nome correto é Instagram)?

Abs!

Claudia Matoso

O brinquedinho eh viciante!

gabrieli
gabrieliPermalinkResponder

Muito bom! Gostei!

Renata Queiroga

Eu vou falar: esse Instagram é genial!!! Vicia mais que facebook!!!

Mauro Nogueira

Texto do Ricardo e ilustração do Daniel: sempre perfeitos !!!

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Adorei esta e a crônica na revista da Gol deste mês. Me distraiu no perrengue de ontem - antecipei CGH-SDU de 21:10 para 19:45 e só cheguei no Rio as 22:50. Primeiro aeronave em trânsito, depois uma luzinha vermelha na hora de decolar, manutenção...O Brasil tem que entrar na rota dos mais visitados sim!

petter
petterPermalinkResponder

A ilustração desse texto ficou perfeita mesmo! Quanto ao Instagram, já estou viciado e seguindo o capitão! Euheuehue

Gustavo - Viajar e Pensar

Sou fã do Instagram, e acho que mudou a forma das pessoas verem as fotografias. Antes elas ficavam escondidas nos HDs e agora estão partilhadas instantaneamente.

Show o desenho Daniel Kondo.

Abração Riq!!

Clarissa Donda

Adorei a definição, é isso mesmo!

E preciso confessar: passei a me sentir parte integrante, ativa e inserida na humanidade quando lançaram a versão do Instagram para o Android e democratizaram a brincadeira!

Ah, a foto ficou show! smile

Clara
ClaraPermalinkResponder

A propósito de gostar de fotografar, mas não saber minimamente a técnica, gostaria de saber se alguém do Rio de Janeiro conhece ou ouviu falar de algum curso de fotografia(digital) para principiantes. Adoro fotografar- faço na intuição - mas adoraria aprender a técnica. Não tenho qualquer pretensão profissional, é apenas para aprimorar algo que gosto. Obrigada.

Paulo Sallorenzo

Ola, Clara.

Me chamo Paulo Sallorenzo e sou professor de fotografia.
Ministro o curso de fotografia básica em empresas e no meu escritório.
Se vc quiser mais informações, envie um email para curso@sallorenzo.com.br

abs

Clara
ClaraPermalinkResponder

Pensando bem, Bóia, talvez essa pergunta pudesse ser levada ao perguntódromo, pois fotografia e viagem, como disse o Riq, têm tudo a ver. Dá para levar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Clara! Pronto, está lá grin

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Clara:

Ateliê da Imagem, na Urca

http://www.ateliedaimagem.com.br/index1.php

Jackie
JackiePermalinkResponder

O atelier da imagem tem bons cursos, em módulos, pra ir fazendo aos poucos. E temmuitas opções de horários. Pretendo fazer um lá em breve.
Abs,

Thais
ThaisPermalinkResponder

Ateliê da Imagem é muito bom.

Clara
ClaraPermalinkResponder

Naila, Jackie e Thais, super obrigada. Com a recomendação unânime de vocês, é para lá que vou! smile

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar