Mão à palmatória: Brasil acertou na reciprocidade à Espanha

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Brazilian Day em Nova York, 2009

Não que alguém se importe com o que eu escreva mas, como quem me acompanha sabe que sou um ferrenho crítico à política de reciprocidade diplomática no turismo, preciso reconhecer que as medidas tomadas pelo Itamaraty contra a Espanha alcançaram sucesso com uma rapidez impressionante.

Segundo acordo firmado ontem entre diplomatas brasileiros e espanhóis (leia aqui), quem hospedar brasileiros na Espanha (ou espanhóis no Brasil) não precisará mais registrar a carta-convite em cartório. Um modelo de carta-convite será publicado nos sites dos ministérios do exterior dos dois países, e bastará que seja preenchido com a identidade e o endereço do anfitrião.

A mesma regra valerá para brasileiros que usarem a Espanha apenas como conexão para outros pontos da Europa, onde as regras de emissão de cartas-convite são bem mais simples do que as que as espanholas. Bastará informar a identidade e o endereço do anfritrião no país para onde se dirige.

Foram também acertadas medidas que permitem assistência diplomática a brasileiros que tenham sido barrados no aeroporto, e que possam ter acesso a sua bagagem em caso de permanência de mais de 24 horas na salinha de deportação.

E sim, foi muito bacana ver a presidente Dilma tocar no assunto no discurso de recepção ao rei Juan Carlos.

Eu achava francamente que as medidas brasileiras (1) não iam dar em nada e (2) desencadeariam uma onda de retaliação truculenta dos nossos agentes de imigração contra quem não tem nada a ver com isso, turistas espanhóis desavisados ou independentes (tente pagar uma reserva em pousada do exterior, tente...).

Felizmente estive redondamente enganado nas duas suposições. Não que alguém esteja ligando para isso, mas deixo aqui meus parabéns ao Itamaraty e aos agentes da imigração brasileira.


Agora: continuo condenando a reciprocidade diplomática no quesito exigência de visto de entrada. É uma política que não conseguiu derrubar nenhum visto de entrada para brasileiros e, na prática, serve apenas para fechar o Brasil a mercados emissores importantes, como Estados Unidos e Canadá. Nosso orgulho não nos permite sequer adotar o modelo do Chile e da Argentina, que cobram o visto no aeroporto.

Além disso, não se esboçou nenhuma reação de reciprocidade positiva a novidades como a autorização eletrônica SAE para entrar no México (por que o Brasil não oferece uma SAE aos mexicanos?) ou o recente empenho dos americanos em agilizar a concessão de vistos aos brasileiros.

E vou avisando que, como sempre, não vou defender este ponto de vista na caixa de comentários. No Brasil é mais fácil defender a eutanásia do que o fim do visto para americanos.

Mas não me queira mal, por favor. Como você pode ver por este post, quando os fatos se impõem eu não tenho problema nenhum em dar o braço a torcer.

Leia também:

Por que o Brasil não deveria esperar os Estados Unidos para mexer no visto

Quando o Brasil vai ser um Bric do turismo?

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


42 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Rafael
RafaelPermalink

Também achei acertada a postura com a Espanha, que aparentemente agora vai resolver a situação. Sobre o visto para americanos, canadenses e outros, concordo com você. O turismo no Brasil ainda é muito mal explorado e o turista americano, na hora que descobre que precisa de visto, escolhe uma outra praia para afogar os dólares dele. É preciso achar uma solução que não feche o Brasil e, ao mesmo tempo, também lute para que o visto de entrada para brasileiros seja facilitado por lá.

rubens garcia
rubens garciaPermalink

tambem concordo, tenho varios amigos que quando veem preco de passagem aerea para o Brasil, preco de resort, e ainda por cima tem que viajar para ter visto, logo desiste e vai para o Mexico, onde as praias sao tao lindas como no Brasil, a comida e' excelente e os precos de hoteis sao em conta.

Cris
CrisPermalink

Comentário não diretamente ligado à questão da reciprocidade:
"...Tente pagar uma reserva em pousada do exterior, tente…"

De fato, ano passado, fiquei em uma pousada em Carcassone. Fiz a reserva pelo Booking.com, mas na hora da reserva sequer era possível a inserção de número de cartão de crédito para pagamento antecipado. O pagamento deveria ser efetuado no local, durante o check-out e em CASH. Mas recomendo totalmente aquela pousada. Linda e muito bem atendida pelo próprio prorietário

Concordo com a medida de reciprocidade em relação à Espanha, mas não concordo que o Brasil deva abolir a exigência de visto prévio para países que assim o exigem de nós. Já fui uma vez aos EUA (Disney), nos idos tempos em que havia consulado americano em Porto Alegre. Como os EUA não é meu interesse da vez, acho que só me interessarei novamente pelo país do Obama quando efetivamente reabrirem o consulado aqui em Porto Alegre, e com critérios bem claros e estabelecidos para a concessão ou não do visto...

Frank (Dois Mapas)
Frank (Dois Mapas)Permalink

Chris, o índice de aprovação de vistos americanos de TURISMO para brasileiros já é de quase 94%. Há uma rejeição maior a alguns outros vistos específicos, em geral por falta de documentação, como vistos work-and-travel para estudantes jovens.

Cris
CrisPermalink

Frank,

A minha posição sobre manter a reciprocidade nem é tanto em relãção à porcentagem de brasileiros que recebem visto TURISMO e os que são barrados também para turismo. Eu apenas acho que não é válido argumentar contra a reciprocidade alegando que a exigência de visto brasileiro é burocracia e gastos demais para a cabeça e bolso dos norte-americanos e que por isso eles preferem investir em países que não exijam o visto, pois eu, como brasileira não residente em cidade dotada de consulado/embaixada norte-americana, também acho burocrático e caro demais tirar um visto norte-americano, e por isso, prefiro viajar e gastar meu dinheiro em lugares que não me exigem visto prévio que envolvam trâmites burocráticos e gastos extras. Ou seja, esse argumento muito utilizado contra a reciprocidade é um tanto fraco. Mas essa é a minha humilde opinão, e sei que quase ninguém aqui vai corrobrorar a minha tese, hehehe

Marcie
MarciePermalink

Totalmente off-topic, mas me lembro quando você tirou esta foto... wink

Carla2
Carla2Permalink

Tanta demonstração de nacionalismo, a foto deve ter sido tirada em NY !!

Marcie
MarciePermalink

Egzactli! lol

Cristina
CristinaPermalink

Pensei nisso meninas!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalink

Riq querido, voce eh realmente especial.
E eu ligo muito para o que voce escreve!
Parabens.
Beijinhos.

RosaBsb
RosaBsbPermalink

Concordo completamente com a Ana!

Nívia
NíviaPermalink

Eu tb e digo mais: Para minhas dúvidas e inquietações, o VnV é como a Enciclopédia Larousse que minha mãe tinha em casa há mil anos atrás!

Frank (Dois Mapas)
Frank (Dois Mapas)Permalink

Dentro dos acordos que o Brasil assinou com a FIFA, está lá entulhada nas exigências um sistema de emissão eletrônica (via Internet) de vistos para qualquer pessoa que viaje ao Brasil com ingressos para partidas da Copa 2014 já comprado.

Ou seja: em 2014 teremos algum sistema que permita a viajantes estrangeiros que já vem com ingresso e precisam de visto fazerem a solicitação via Internet antecipada.

Talvez resolvam manter esse sistema depois. Ou não.

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalink

Na boa, é mais jogo para o Brasil as coisas ficarem como estão do que liberar o visto para brasileiros entrarem nos EUA e vice-versa. A muambada (de Miami) já está incomodando o varejo nacional.

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Hugo,

A sacolagem vem incomodando há pelo menos 3 anos o setor têxtil, especialmente o infantil. Tá uma quebradeira geral.

PêEsse
PêEssePermalink

O problema está aqui dentro, não lá fora. Preços altos, baixa qualidade e variedade, altas margens de lucro, impostos elevados, encargos trabalhistas... Culpar quem vai buscar cenário oposto ainda que no exterior é proibir o doente de buscar remédio. Em vez de encarecer os produtos importados, as empresas e os governantes deveriam é baratear e melhorar o produto nacional, para ele ser escolhido por méritos próprios, não por imposição ou falta de alternativa.

Juliana Rodrigues
Juliana RodriguesPermalink

Realmente acho que precisamos, como país, pensar melhor nos aspectos de turismo. Durante a viagem que estou fazendo agora (6 meses - www.aquioualgumlugar.com), encontrei muita gente que diz que quer vir para o Brasil, muitos americanos, mas a questão do visto (tempo e tb dinheiro) tornam outros destinos mais atrativos. Conheci inclusive um americano que disse que só conheceu o aeroporto porque foi barrado no Brasil. De fato, o visto pode ser um impeditivo. Mas tb acho que precisamos pensar em infra-estrutura e o inglês. Impossível não comparar a estrutura de turismo de outros países e avaliar todo o potencial que temos a explorar e todos os itens a melhorar. Enfim, temos um país lindo para ser visitado cada vez mais! Precisamos fazer a nossa parte.

José Luiz
José LuizPermalink

Eu conheci um norte-americano no começo desse ano em Posadas na Argentina e ele me contou super triste que se sentia muito mal tratado por sul-americanos em geral (e que ele achava que aconteceria isso qdo ele esteve na Ásia e lá ele foi muuuito bem tratado) e que achava um absurdo ter que pagar um valor alto em visto para cada país que ele visitava por aqui...

Lembro que ele disse não ter ido ao Paraguai para conhecer as ruínas jesuíticas nem ao Brasil pra conhecer as cataratas brasileiras pq era tudo difícil/caro pra ele... então ele se focou só na Argentina onde ele já estava...

Clara
ClaraPermalink

Acho que a medida em relação à Espanha já veio muito tarde, mas é claro que aprovei. O que acontecia em Barajas era um absurdo e uma humilhação. Eu, como mãe de uma linda moça em viagens pela Europa, jamais permiti que ela tivesse que botar os pés naquele maldito aeroporto.

Quanto ao visto para os americanos, estou totalmente de acordo com o Riq. É claro que a época é de crise, mas é público e notório que os americanos - a população lá é bem maior que a brasileira - adoram viajar e detestam qualquer tipo de burocracia ou gastos desnecessários ou extras. Então, com um país que já está caro em serviços - o nosso - eles vão preferir destinos tão pitorescos quanto o Brasil, mais baratos e sem pagar as taxas que o Brasil cobra pelo visto(como reciprocidade). Com isso, nós perdemos mais do que eles, com certeza.

Marcio
MarcioPermalink

Concordo!!!

Mas espero que melhore ainda mais.

Aqui entre nós. A Espanha tá precisando dos nossos turista que amam fazer compras!

Abs!

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalink

Ricardo, a posição do Itamaraty foi muito inteligente, pois aguardou um momento no qual a Espanha está mandando mais imigrante espanhol pra cá do que a gente está mandando brasileiro. Eles estão atordoados com isto. Estive na Espanha em janeiro e vi esta notícia na manchete do jornal quando cheguei em Madrid. Talvez, por isto, os efeitos benéficos para nós tenham sido tão rápidos.
Quanto à reciprocidade em geral, veja que existe a questão da soberania envolvida, não é só o lado turístico. Mas, é claro, cada um com a sua opinião.
Adoro seu site!

LUIZ
LUIZPermalink

Aluguei um apto em Buenos Aires, via Airbnb, para dezembro/janeiro vou precisar de carta convite? Tem que registrar?

Chalub
ChalubPermalink

Argentina não pertence mais à Espanha, caro Luiz... grin Brincadeiras de lado, pegue seu RG atualizado ou passaporte válido e vá ViBAnear tranquilo!

Andrea
AndreaPermalink

ahahahahaa, defender a eutanasia é mais facil... hahahahaha, ai Riq, voce é 10!

zenon marques tenorio
zenon marques tenorioPermalink

Todos que dão uma passada por aqui se importam e muito com o conteúdo do seu texto.Ab. Zenon

business
businessPermalink

Por mais que o México (inclusive uma amiga minha ligada ao consulado) desmentisse, sempre me pareceu óbvia que a exigência de visto para brasileiros (e mais 134 nacionalidades) era uma exigência dos Estados Unidos para coibir a entrada de imigrantes ilegais pela porosa fronteira entre os dois países.

Rafael
RafaelPermalink

Ricardo(ou qualquer um que possa me fazer a gentileza de esclarecer a questão)

Afinal de contas, um espanhol que vá visitar o Brasil, passar um mês na casa de um amigo e voltar, necessita requerer o visto ANTES de chegar ao Brasil?

Um abraço e obrigado!
smile

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Rafael! Não se trata de visto. Precisa só da carta-convite caso vá se hospedar na casa do amigo.

Amanda
AmandaPermalink

oi Riq, tudo bem!? Sempre muito util e interessante o que você escreve...
Esse assunto em particular me interessou muito, pois estou namorando um espanhol e estou indo à Espanha por duas vezes esse ano. A primeira vez cheguei lá no dia 24/08 e posso dizer que o agente da imigração nem me olhou direito. Simplesmente carimbou meu passaporte sem problemas e sem pedir nenhuma documentação.
A segunda será semana que vem, chego no dia 21/09. E ai é que estou com uma dúvida...nunca fui a Europa por duas vezes seguidas, ainda mais para a Espanha que sempre foi tão chata com os turistas brasileiros. Pesquisei em vários sites de consulado, embaixada e duvidas sobre vistos e não encontrei a informação: Há alguma restrição para entrar na Europa (em especial a Espanha, mas na verdade no espaço Schengen), duas vezes seguidas, em menos de 90 dias?
Pela ausência de informações, eu imagino que não....mas queria ter certeza para não perder viagem...

Espero noticias!! Obrigada
Amanda

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Amanda! Brasileiros podem permanecer na Europa por até 90 dias a cada 180 dias.

RZ
RZPermalink

Olá Amanda!Pode ir tranquila,mas não se esqueça dos outros itens como seguro saúde e a carta convite,tema deste post,por pura precaução.Aliás,estive hoje na polícia federal para obter mais informações sobre a carta convite pois meu tesouro,que é espanhol,virá em dezembro e não quero ter suspresas.Enfim,o que me informaram é que as exigências caíram muito,que nem a carta-convite estão exigindo mais,que estão exigindo somente o passaporte e a passagem de volta.
Abraços.

Natália
NatáliaPermalink

Olá, vou viajar para Madri dia 28 e estou com muito receio. Claro q tomei a precaução de ter absolutamente todos os requisitos preenchidos. Mas ainda assim sou mulher, jovem, desacompanhada e brasileira. Enfim. Muito do que li aqui me deu certo alívio, mas vc acha mesmo que entrar na Espanha está mais fácil? Que diminuíram as arbitrariedades e a rigidez?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Natália! Não recebemos relatos de problemas há muito, muito tempo mesmo.

Visto de Viagem: Mudanças no Princípio Diplomático da Reciprocidade Entre Brasil e Espanha. - Viajandonlineblog

[...] novo acordo também permite aos brasileiros barrados em Madri, ter acesso as suas bagagens no aeroporto através de assistência diplomática do [...]

Ademir
AdemirPermalink

Em alguns ponto concordo,embora os deportados falam sempre meia verdade, mas é que a coisa é bem diferente pela europa, andei por alguns países e cidades diversas e não vi ninguém fazendo xixi na rua em plena luz do dia, e mexendo com as mulheres como aqui que em alguns lugares chegam até toca-las, andei perto da meia noite sem problemas e saquei dinheiro também tarde da noite. O lugar mas hostil que vi foi Paris na Gare du Nord onde a imigraçao é bem acentuada, isso tarde da noite mas nada de uns cara encarando sem mexer.

Fica difícil não fazer restrição ao povo de um país onde o estado não garante o direito de ir e vir a própria cidade a luz do dia.

Yan Navarro
Yan NavarroPermalink

Olá, Vou com minha esposa a Barcelona em novembro e depois a Zaragoza. Ficaremos 10 dias pois tenho um convite para um estágio na Universidade de Barcelona e em Zaragoza irei a um congresso. Minha dúvida é sobre o seguro saúde, para esse período de 10 dias o seguro saúde é necessário?
Abraços e esse site é tudo de bom!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Yan! O seguro é item obrigatório para a imigração, mesmo sendo uma viagem curta. E é melhor para você garantir cobertura no caso imprevistos, também smile

O Brasil tem um convênio com o INSS espanhol, mas para fazer valer (e estar apto a passar pela imigração) você precisa requerer o documento junto ao Ministério da Saúde. É mais prático comprar o seguro, não é caro.

Marcela
MarcelaPermalink

Querido te entendo, mas não te compreendo rsrsrsr, acho muitíssimo válido a política de reciprocidade de nosso país, já viajei para esses países e te digo não tive burocracias em obter os vistos, no entanto a questão impõe respeito e limites, mostrando que não vivemos na casa da mãe joana, que nos tratam de tal forma devemos tratá-los da mesma maneira. E não há nada de mal nisso, trabalho com estrangeiros e lembro que para muitos somos verdadeiros homens pré-históricos, não falo dos queridos turistas que vem visitar nosso país, pois esses já vêm com a cabeça modificada em relação ao que achar do país, mas falo dos que não conhecem o país e nos jugam pelo nosso modo agitado e alto de falar, pelas diferenças sociais que não existem nos grandes países europeus e que acredite está começando a se acentuar nos EUA. Bem do Canadá não falo muito pois são uns queridos, mas posso dizer que já limpadores de para-brisa limpando vidros por um dinheirinho. Se não temos condições de oferecer serviço e tecnologia adequados às nossas exigências, temos no entanto como nos impor.

Celina
CelinaPermalink

Oi, em primeiro lugar, muito bom seu site!!!
Bom, procurei, mas não achei, as novas regras. Você sabe quais são exatamente, se realmente foi modificado tudo o que propuseram?

Carol Prazias
Carol PraziasPermalink

Olá Bóia,

Não sei se estou no link certo, mas irei para a Europa em Setembro/2013 no voo da Singapore, descerei em Barcelona e de lá pegarei outro voo para Munique pela lufthansa. Minhas dúvidas:

1º - Será que passarei na alfandega de Barcelona? Neste caso, terei que pegar as malas e fazer um novo check-in?

2º - Os requisitos para entrar "tranquilamente" pela Espanha continuam sendo reservas, seguro viagem, e EUR 60 por dia/pessoa?

Obrigada.