#VnVBrasil | Vai começar o Rali da Bóia!

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Rali da Bóia

#VnVBrasilDepois de muito prometer e adiar mais ainda, finalmente vou retomar minhas viagens pelo Brasil. A idéia é passar os próximos 18 meses destrinchando destinos de norte a sul, leste a oeste do patropi. Tudo para construir, aqui dentro do Viaje na Viagem, um guia completo para quem quiser descobrir o Brasil.

(Quer dizer que o Viaje na Viagem vai parar de trazer conteúdo internacional novo? Claro que não! Só o material de campo que eu tenho para ser transformado em post já deve equilibrar o material nacional. E novas viagens vão ser feitas pela equipe e pelos enviados especiais.)

Chapada Diamantina

Se você é viúvo ou viúva do Freire's, vai gostar de saber que ele vai voltar, agora como #VnVBrasil. E se você freqüenta esse cantinho pioneiro da #viajosfera brazuca desde a época da Expedição Pé-na-areia, vai curtir acompanhar a blogagem ao vivo dos melhores momentos, que nem eu fiz daquela vez.

A diferença é que agora no começo eu vou estar longe da praia. O segundo semestre será dedicado a duas das minhas maiores lacunas: o Centro-Oeste e o Norte.

Começo na semana que vem (dia 14) por Goiás. Vou a Caldas Novas, Goiânia, Goiás, Pirenópolis e Chapada dos Veadeiros. Depois, Brasília. E na seqüência, Jalapão. Daí volto para para participar do Seminário #Viajosfera, dia 29 de setembro, no Rio.

Em outubro vou pra Belém, onde fico durante toda a semana do Círio. Daí Marajó e Alter do Chão. Chego a Manaus de barco, e daí vou visitar hotéis de selva.

Rio Amazonas

Espero estar inteiro para me dedicar do meio de novembro a meados dezembro aos Mato Grossos.

Neste semestre a expedição #VnVBrasil conta com o apoio local de associados da ABETA, Associação Brasileira de Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura, e do seu portal Viagem na Natureza. (Muito obrigado!)

Ao contrário do Freire's e da Expedição Pé-na-areia, que foram feitas num blogmóvel próprio, desta vez vou voar aos destinos e usar transporte público sempre que possível. É um tipo de informação valiosa para o viajante independente, sobretudo o gringo.

Vai ser uma fase especialmente rica e divertida na história da Bóia. Conto com a sua companhia -- e com as suas dicas!

Pacajuba, Sergipe

#vaiBóia!


Relembrar é viver:

Como era o Freire's (no Web Archive)

Como foi a Expedição Pé-na-Areia (no Zip.net; role a página)

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


85 comentários

Marcie
MarciePermalinkResponder

Boas viagens!

Tati
TatiPermalinkResponder

Nossa adorei!!! Estive há pouco no Jalapão e pude perceber que tem muitos brazucas conhecendo esse Brazilzão, mesmo com poucas informações disponíveis. A gente gosta de torrar nossos reais lá fora e aqui tb!!!

Clemilson
ClemilsonPermalinkResponder

Que ótima notícia.
Gosto de viajar para o exterior porém acho importante conhecer o nosso país a fundo antes de buscar destinos turísticos em outras nações.
Nosso país tem ma extensão continental, diversidade cultural e belezas naturais incríveis.
Vou acompanhar tudo.

Denise Mustafa

eitaaaaaa! pé na estrada total!
boa viagem, querido!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Adorei! To doida pra conhecer o Brasil fora do litoral! E vc já vai descobrindo tudo pra gente hehe Boa!
Boa viagem, Riq!

Alexandre Costa

Ótima notícia, Riq! Eu, na condição de viúvo do Freire’s, vou acompanhar tudo! Boas viagens!

Cândida Silva

Muito feliz em saber que vens para o meu, nosso, Círio de Nazaré. Espero que possas sentir a emoção q nós paraenses sentimos a cada ano, com a nossa maior festa! Melhor ainda saber que além da minha morena Belém, vão ser visitados e resenhados o Marajó e Alter do Chão (este ainda não conheço). Que o meu Pará possa te surpreender positivamente, com suas belas paisagens, seus sabores, cheiros e cores! Se por acaso precisares de alguma ajuda, terei imenso prazer em ser-te útil. Seja bem vindo à minha terra!

val
valPermalinkResponder

Vacinas em dia e boas viagens!!!

Arthur | Agora vai mesmo

Legal, exatos sete anos depois da Expedição Pé-na-Areia, quando comecei a acompanhar o blog. Boas viagens, chapadas e bonitos!

Dri
DriPermalinkResponder

Geeente, expedição pé de areia já tem 7 anos?? É duro quando a idade vem e bate sem piedade na sua cara assim... To me sentindo idosa, mas feliz com a perspectiva do novo conteúdo!

Sobre o conteudo internacional, quando eu estava planejando minhas férias, ano passado, o Riq prometeu um tira teima Toscana x Provence. Eu fui e já voltei da Provence e nada! E depois disso o Riq saracoteou a beça pelo mundo, ou seja, o que não falta é conteudo pra entrar no ar...

Oscar | MauOscar.com

Que máximo!!!

Boa sorte nesta aventura e tenho certeza que esta viagem será um sucesso.. Agora só uma perguntinha: Vai ter uma versão em inglês para os gringos também?

Boas Viagens Comandante

val
valPermalinkResponder

VnV in english iria bombar!!!

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Pelo que ouvi dizer por aí, então eu mudaria sua frase para:
"VnV in english, IRÁ bombar!!!" wink

val
valPermalinkResponder

wow...que maravilha!!!!

Alessandro A.
Alessandro A.PermalinkResponder

Boa sorte comandante!!!
Tenho certeza que a expedição será um sucesso e que a experiência será inesquecível!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Belê !
E no inicio do segundo semestre , carente de praia , espero que leves teu avatar pra tomar sol e arrebanhar forças prá continuar.

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Boa oportunidade de mostrar, não só para os gringos, como para nós brazucas, o que tem neste interiorzão à fora!
Boa viagem!

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Boas viagens, como disse a Marcie.
Ficamos por aqui, acompanhando e anotando tudo!

Cida L.
Cida L.PermalinkResponder

Que beleza! Vou adorar ver o meu estado brilhando aqui no VnV. Na Chapada dos Veadeiros não perca o Vale da Lua e nem a Matula do Rancho do Waldomiro. Boa Viagem.

Marcelo Lemos
Marcelo LemosPermalinkResponder

Aê!
Boto mó fé. O Centro Oeste agradece wink

Luiz Jr. (Blog Boa Viagem)

legal ver que vai visitar o meu estado amado de Goiás! Estando por aqui seria um grande prazer conhecê-lo em pessoa wink

Liana
LianaPermalinkResponder

Ótima expedição para vc! Te espero aqui no PR! wink

Tiago
TiagoPermalinkResponder

Melhor notícia do ano essa!!! Até hoje eu não saio de casa pra praia sem o Freire's na mão.
Agora sim vou ter alguma chance nas charadas das sextas! ahahah
Boa viagem, Riq!

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Riq, querido, boa viagem! Divirta-se!!!

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Riq, que máximo!
Agora, é um fato que vc vai fomentar o turismo pelo Brasil com esse projeto!
Merecia um superpatrocínio de todos os interessados no aumento do turismo de cada região que vc vai visitar, bem como apoio das Secretarias de Turismo dos governos dos Estados que vc vai promover.#prontofalei
Vou ficar só te acompanhando por aqui! wink

Flavia (@ladyrasta)

Vim até comentar, hehehehe... Mal posso esperar pelas histórias. Como dizia meu filho quando era pequenininho, "é no ônibus que as histórias acontecem, Mã".

Bisous

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

Que bela iniciativa! Vai ser uma surpresa atrás da outra, para todos nós!!! Quem vier para o Brasil 2014 e 2016, vai poder esticar a viagem e fazer ótimas escolhas.

yara xavier
yara xavierPermalinkResponder

Boa notícia! Boas viagens!

Rafael Carvalho

Eba, demais!!! Queremos muitas dicas!!! Boa viagem!!!

Alexandre Giesbrecht

Humpf! Viúvos e viúvas do Freire's ganham o #VnVBrasil. Viúvas e viúvos de Xongas (AVIVIXE!) ganham o quê? razz

Amelia
AmeliaPermalinkResponder

Apoio total!! Ganhamos o que??

Sílvia Oliveira

Estou até emocionada, essa expedição é tudo o que eu gostaria de fazer! Vai ser maravilhoso acompanhar o périplo por aqui. Também tenho algumas viagens agendadas pelo Brasil até o fim do ano (São Luis, Cidade de Goiás, Pirenópolis e vou a Belém, mas uma semana antes do Círio.) Já chegar a Manaus de barco e Jalapão eu deixo por sua conta! mrgreen hohohoho!

Magrineli
MagrineliPermalinkResponder

Riq se é para desbravar, cabe uma segunda maratona etílica aqui em BH, ampliada para aqueles butecos q amamos em ouro Preto, Mariana e outros pequenos segredos da região metropolitana de Belo Horizonte.

Quenia Maia Lourenço

Bárbaro! Tenho planos de fazer uma viagem pelo Centro-Oeste e Norte. Vou acompanhar tudo.
Boa viagem!

Quenia (viagens-porai.blogspot.com)

Luciano
LucianoPermalinkResponder

Legal. Boas Viagens!

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Super legal, acho que as suas dicas ser?o barbaras. Super boa viagem.

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Muito bacana esse novo projeto!
Boa viagem e boa sorte!

Eunice
EunicePermalinkResponder

Boas viagens, Riq!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Adorei! Linda viagem!

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

ueba, boas viagens, boas notícias, boas dicas...

Marcel Alcantara

Boa viagem!!!

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Excelente! Já vejo o VnV como ponto focal de muitos turistas não brasileiros procurando por informações em 2014 e 2016!

Boa viagem e espero que não somente o Brasil fique menos complicado mas também mais acessível (pelo menos em informações caso os preços não ajudem, hehe). E para mim (e para tantos outros), talvez seja o pequeno empurrão necessário para deixar de ver a Terra de Santa Cruz e passar a ver o Brasil wink

RABUGENTO (@RABUGENTO)

Pretende ir até São Gabriel da Cachoeira-AM? Lá na cabeça do cachorro e na esquina da Linha do Equador com o Rio Negro?

Não é uma região de muito turismo mas vale a pena conhecer. É o coração da selva Amazônica.

Ana Maria
Ana MariaPermalinkResponder

É só uma pena que o turista no Brasil seja tão maltratado e explorado - no seu sentido mais literal. Com tantas coisas e lugares tão bonitos para se ver e conhecer, muito se perde pela falta de uma cultura voltada para a recepção e satisfação do turista.

Maria Leonor
Maria LeonorPermalinkResponder

Vou adorar saber que voce vai postar as belezas da minha Brasília, sem política e políticos, só as belezas naturais, arquitetura e pessoas que trabalham muito, como todos os outros brasileiros.

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

É isso ai, Maria leonor.
Vou adorar ... 2.

Anna Francisca

Apertemos os cintos e tenhamos, todos, uma ótima viagem!

Flora
FloraPermalinkResponder

Boa viagem comandante. E nós vamos viajando junto por aqui.

João Branco
João BrancoPermalinkResponder

Boa viagem! Esperamos várias ótimas dicas!!

Ludmila
LudmilaPermalinkResponder

Que delícia de jornada!!!
Não pude deixar de lembrar da música Aquarela Brasileira de Silas de Oliveira, um pedacinho dela para alegrar a viagem:

Brasil, essas nossas verdes matas,
Cachoeiras e cascatas de colorido sutil
E este lindo céu azul de anil
Emoldura em aquarela o meu Brasil.

Divirtam-se!!!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Que maximo! Adorei!
Boa viagem, Riq querido!

Rodrigo Basso
Rodrigo BassoPermalinkResponder

Que notícia deliciosa !
Quando estiver planejando o trecho São Luís - Fortaleza (final de junho de 2013 wink , entre em contato com o Paulo Martins (email@extremonordeste.com), o serviço é impecável.
Já fiz 2 trips com ele (Fortaleza-Jeri 2008 e São Luís-Jeri, agora em junho/julho 2012) e acho muito difícil ter algo melhor no trecho.
Aproveitando a assunto, conheci um casal em Atins que é dono da Pousada Flores do Cerrado em Pirenópolis. Sobrando um tempinho, dá uma olhada na Pousada.
Boa viagem, comandante !!!

Meilin
MeilinPermalinkResponder

Amo muito tudo isso!

Edison
EdisonPermalinkResponder

Segue alguns rabiscos que fiz e que talvez tenham alguma serventia para os caminhos do Planalto Central...

De Brasília ao Jalapão via Chapada dos Veadeiros.

Ao contrário da ideia comumente disseminada e dos resultados obtidos após uma pesquisa na internet sobre o Jalapão é possível chegar à região de carro, sem passar pelo aeroporto de Palmas e sem contratar pacotes (caríssimos) das empresas de turismo que operam na região. Recolhendo o máximo de informações, de mapas e redobrando os cuidados tradicionais com o veículo, e após percorrer 870 km de estradas a partir de Brasília se chega à Mateiros, o coração do Jalapão.
A primeira dúvida: só de veículo 4x4? Pensamos que é muitíssimo recomendável um veículo com tração nas 4 rodas, embora não sejam inviáveis alternativas. Carros leves e mais altos, do tipo Gol e Uno podem chegar, mas é muito provável que isso acarrete aventuras adicionais durante o passeio, e muito trabalho. Nesse caso, seria aconselhável levar na bagagem algumas tábuas e uma pá; lembrando que usar esses apetrechos pode roubar um bom tempo da viagem. Mas para os aventureiros irredutíveis, e que disponham de tempo, isso pode simplesmente tornar a experiência mais radical.
A segunda pergunta: qual o melhor caminho? São muitos e alguns bem parecidos. Via Belém-Brasília (Brasília – Padre Bernardo – Uruaçu... ou Brasília – Cocalzinho – Dois Irmãos – Uruaçu...). Via BR 020 (Brasília até Luis Eduardo Magalhães – BA, provavelmente o mais longo, mas de boas estradas) ou via Chapada dos Veadeiros que, embora não seja o roteiro com as melhores estradas, possibilita uma escala para “aquecimento” no paraíso místico e natural da Chapada. Foi esta a escolha minha e da Leti.
O trecho de estrada entre a BR 020 e São João da Aliança passa por reformas. Ficamos em dúvida se não serão daquelas obras que em pouco tempo se perdem mas, vá lá, está melhorando bastante! Em Alto Paraíso, Vila São Jorge e Cavalcante há numerosas opções de hospedagem para todos os bolsos. Fizemos uma parada para dormir em Alto Paraíso e buscamos a opção mais barata (verdadeiramente, impagável). Passamos apenas uma noite por lá, na casa de um casal de amigos fraternos que sempre nos recebem com carinho (dessa vez com um inesquecível banho de ofurô). Mas, sigamos rumo ao Jalapão.
Ao norte, passando pela cidade de Teresina de Goiás (estrada cheia de defeitos causados por sucessivas operações tapa-buracos) chegamos a Campos Belos, onde nos despedimos dos torrões que permaneceram goianos após a criação do mais novo estado brasileiro. Aqui deve ser escolhido o caminho para entrar em terras tocantinenses: à esquerda, por Arraias ou à direita, seguindo por Taguatinga em direção à Dianópolis. Optamos pelo caminho de Taguatinga, já pensando em voltar pelo “outro lado”...
Nossa escolha foi influenciada pela curiosidade de conhecer imediatamente o menor rio do Brasil, o rio Azuis, no município de Aurora de Tocantins. Além de obrigatória a parada é fascinante. De fácil acesso, essa atração fica a poucos metros da rodovia TO 110, à direita, cerca de 30 km antes de Taguatinga. Ótima pedida para o primeiro mergulho nas águas cálidas do Tocantins ou, simplesmente, para admirar.
O próximo destino é Dianópolis, de onde há mais de uma alternativa para seguir viagem. Não chegamos até a cidade. Antes, a 4 km, existe um trevo com uma estrada à direita, que fica a uns 200 metros de um posto de gasolina. Foi por essa estrada que continuamos em nosso roteiro, sugerido pelo Sr. José Roberto, dono da Pousada Panela de Ferro, nosso refúgio em Mateiros. É aconselhável chegar ao posto, tanto para abastecer a viatura como para assuntar sobre o caminho, chamado de “passagem pela garganta”.
Voltando os tais 200 metros e pegando a estrada da garganta entramos no estado da Bahia. Os primeiros 57 km numa ótima estrada asfaltada que nos leva ao agrodeserto do oeste baiano. O asfalto termina e começa o poeirão. São 154 km de terra, que as autoridades rodoviárias costumam chamar de "leito natural", em meio às intermináveis plantações de soja e de algodão que reconstroem a paisagem e alavancam o agronegócio na região.
Desde a entrada para a garganta e adiante esqueça as placas ou qualquer outro tipo de sinalização. Tampouco há vendas de beira de estrada, pessoas, casas ou qualquer alternativa para obter informação, até que se chegue à Panamby. Seguimos levantando poeira numa espécie de “terrovia” principal, porém há um sem-fim de estradas secundárias e de acessos aos galpões de máquinas dos agroestabelecimentos; nada parecido com as fazendas como as que existem em regiões nas quais o agronegócio não chegou de maneira tão rápida. Alertamos que após 13 km iniciais de estrada de terra existe uma bifurcação. Pegamos a estrada à esquerda, que nos pareceu a principal. Deu certo.
Após Panamby (ou seria Nova Panamby?), onde as pessoas pareceram não saber se estávamos na Bahia ou em Tocantins, existe, de fato, um caminho principal o qual deve ser seguido até a primeira e única placa de sinalização, que indica à esquerda - “Mateiros 43km”, agora numa estradinha sem sustos e sem bifurcações.
Chegando à Mateiros não há mais complicação. Nada que não se resolva num bate-papo com a gente da pequena cidadezinha, conversando com as pessoas das poucas pousadas existentes, com a turma do Centro de Apoio ao Turista ou durante o inevitável ataque às panelas da dona Rosa. Figura singular da cidade e fornecedora de uma comidinha honesta, a dona Rosa é dona de uma prosa superdivertida, além de sempre dispor de uma cervejinha gelada para encerrar o dia e ajudar na remoção da poeira, que sempre se acumula involuntariamente na goela de alguns viageiros. Nosso condutor local foi o Alessandro (63 99490097). Em tempo, em Mateiros só funciona celular da Vivo.
Nosso retorno foi por Ponte Alta do Tocantins, considerada a porta de entrada do Jalapão, por ser a primeira cidade próxima ao Parque Estadual quando se vem de Palmas. A péssima estrada desde Mateiros é o único caminho para concluirmos o circuito jalapônico e conhecer os atrativos mais próximos de Ponte Alta. São 170 km de terra, pedras e de verdadeiras piscinas de areia, onde há o risco de o carro ficar atolado, com a barriga presa no areião.
Em Ponte Alta ficamos na acolhedora Pousada Planalto, onde fomos recebidos pela dona Lázara, guia experiente e possivelmente uma das maiores conhecedoras da região. Proprietária da pousada e operadora tradicional do turismo local, ela dá todas as dicas importantes e indispensáveis e dispõe de boa estrutura, que inclui veículos 4x4, alugados na própria pousada.
Como nosso objetivo foi o de falar sobre como chegar e sair do Jalapão vamos direto ao caminho de volta já que, chegando-se em Mateiros e depois em Ponte Alta, está “tudo dominado”. Antes, duas dicas gastronômicas da cidade merecedoras de registro: os pasteizinhos fabulosos e outros lanches da padaria que fica na rua da dona Lázara, imprescindíveis na hora de montar a matula para os passeios; e o churrasquinho no bar do Belêco (acompanhado de feijão tropeiro, mandioca, vinagrete e arroz) Tudo muito bem servido, gostoso e barato demais. O nosso melhor jantar no Jalapão.
De Ponte Alta seguimos para Pindorama. 56 km, para nossa surpresa, quase todos asfaltados. Dali mais 85 para Natividade. Os primeiros 65 km são de terra, numa estradinha excelente (lembramos que nossa viagem foi em julho/agosto, em ano de eleição municipal. Há motivos para desconfiar que isso tenha influencia na patrolagem recente da estrada). Depois, mais 20 km no ótimo trecho em asfalto da BR 010 até a cidade, fundada no início do Sec. XVIII, na corrida pelo ouro. Recomendamos um passeio nessa cidadezinha.
Depois da parada histórica continuamos mais uns poucos quilômetros na BR 010 até Príncipe. Daí, seguimos na TO 050 (cai a qualidade do asfalto), passando por Conceição de Tocantins e Arraias, fechando o nosso circuito em Montes Belos, onde reencontramos nossas pegadas no contorno de volta à Brasília. (Total percorrido no caminho de volta: 949 km, contra os 870 da ida).

Camila Torres - Colecionando Ímãs

Finalmente vai vir pra Goiás comer um pequi ! Boa viagem !

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Sou viúvo do Freire's. Foi com ele que descobri o Nordeste.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar