A mulher viajante

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Festa de Iemanjá em Salvador, 2 de fevereiro de 2013

Pela data de hoje, o Dia Internacional da Mulher, o Riq me pediu para escrever um post que falasse sobre viagens para mulheres. Pensei cá com os meus botões: será que isso existe? As mulheres que conheço não parecem planejar viagens diferentes das viagens que fazem os homens. As curiosidades e os desejos são iguais. Talvez nossas malas sejam um pouco maiores, só.


Ser um turista homem e ser uma turista mulher, aí sim é diferente. Principalmente quando estamos sozinhas. Sem precisar ir tão longe -- ao Oriente Médio, por exemplo --, experimentamos algumas situações que só as mulheres viajantes passam.

Lembro de algumas histórias. De férias no sul da Bahia, fui tratada com dó. Viajei em modo solo de propósito, querendo descanso. O recepcionista do hotel em Arraial d'Ajuda, aflitíssimo por eu estar sozinha, não sossegou enquanto não arranjou alguém para me apresentar. "Mariana, essa é a fulana de tal, que chegou hoje! Ela também está aqui sem ninguém! Olha, vocês podem ser amigas". Cumprimentei e fugi. O garçom de um restaurante, que também ficou morrendo de pena de mim por eu estar sem companhia, começou a falar comigo como se eu fosse criança. Trouxe o jantar cantando "Tá na ho-ra da me-ren-da!". Ele foi até fofo, mas... oi?!

Em Punta Cana, a trabalho, a situação complicou. Nos resorts, os garçons, bartenders, vendedores de passeio não têm respeito algum por mulheres sozinhas. No primeiro dia de viagem receber uma cantada é algo engraçado, mas no segundo, no terceiro, no décimo é menos lisonjeiro e mais constrangedor. Não fui tratada de forma rude, exatamente, mas prefiro que um garçom me pergunte se quero queijo ralado em vez de perguntar se posso dar um beijo nele mais tarde.

Percalços à parte, tenho um orgulho tremendo de ser a primeira mulher da minha família a viajar por aí desacompanhada. Que fiquem de vez para trás os tempos em que dependíamos de mais alguém para sair de casa. De malas de rodinha em mãos, estamos prontas para ver o mundo -- sozinhas, se quisermos. Nós podemos.

Por falar em mala, chegando em um albergue em Miami cheio de escadas, um amigo se virou pra mim: "Mariana, quer ajuda?", "Não, tá tudo bem!", "Mariana, deixa eu levar pra você", "Não precisa", "Mariana, pára de dar uma de Malu Mulher e me passa essa mala".

Aí eu aceitei, né.

Feliz Dia Internacional da Mulher pra gente.

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


76 comentários

Adriana Pasello - Diário de Viagem

Mariana, o melhor do seu post "viva nóis" é a seguinte verdade: os homens não sabem mesmo o que fazer diante de uma mulher sozinha viajada. Ou melhor dizendo, sozinha viajando! rs

Ana
AnaPermalinkResponder

Maravilha de post, Mariana...

Hugo
HugoPermalinkResponder

A cada dia que passa as mulheres mostram para todos como são ótimas profissionais, mães, donas de casa e viajantes. Dificilmente um homem consegue reunir duas ou três dessas qualidades, que estão presente em praticamente todas as mulheres.

E além de viajarem sozinhas, de forma independente, ainda são as melhores companheiras de viagem que existem. Viajar com minha esposa é algo que torna qualquer viagem inesquecível.

O que falta ainda é respeito. Muitas vezes a educação da mulher é tida como uma cantada. Deve-se entender que as mulheres, assim como os homens, também curtem momentos de independência.

Um parabéns a todas as mulheres, que sem dúvida tornam esse mundo um lugar melhor para se viver.

Próxima Trip - Erika

Ótimo tema.
Ah gostei tb do comentário acima do Hugo , tão bonito quanto o texto da matéria smile

Parabéns a todas as viajantes( eu inclusive rsrsrs) pelo nosso dia!!

Caru
CaruPermalinkResponder

Mulheres, unidas, com-suas-malas-de-rodinhas-em-punho, jamais serão vencidas!
Que lindeza de post. smile

Nívia
NíviaPermalinkResponder

Fiz a minha primeira travel-solo semana passada e, embora adore viajar com o marido, foi ótima a experiência de pensar só em si! Amei o post Mariana e viva as mulheres viajantes, solo ou bem acompanhadas!

Quenia Maia Lourenço

Ótimo post Mariana.
Gostei também do comentário do Hugo.
Parabéns a todas!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Adorei o seu amigo dizendo "me passa essa mala"! Afinal de contas, não é porque somos mulheres inteligentes, viajadas, independentes e até malhadas que vamos ter a mesma força física de um homem para carregar uma mala escada acima, né? wink

Candida Silva
Candida SilvaPermalinkResponder

Parabéns pelo post! Gosto de viajar só. Muitos estranham isso... Mas, diferente da Mariana, aceito ajudas para as tarefas "pesadas" com mais facilidade! smile

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

Adoro viajar sozinha (claro que nem sempre né). Mas podemos fazer o que quisermos e a hora que quisermos. E até mesmo não fazer nada. Podemos ficar em silêncio, refletir e/ou divertir. Não significa que queremos aprontar. Comigo também as pessoas perguntam o tempo todo: vc não tem medo? As pessoas deveriam ter menos preconceito.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Nunca viajei sozinha. Mas tive uma experiência quase solo ao acompanhar meu marido numa viagem de trabalho ate a Escócia. Fiquei 10 dias, das 9 as 17 horas percorrendo todos os pontos turísticos sozinhas. E embora ame a companhia dele, foi bacana me sentir mais independente e responsável pelo meu próprio rumo.

Post fofo, Mariana! Gostei mesmo!

Bjks

Mon
MonPermalinkResponder

Até agora as minhas experiências também foram, no máximo, quase-solos, rs. Faço todos os passeios sozinha tranquilamente sendo que, de único pontos negativos, só mesmo as auto-fotos wink
Ainda fico mais feliz de encontrar alguém no fim do dia pra conversar e contar sobre o que fiz. Mas em boto o pé na estrada por conta própria e vamos ver como será...

Acho que a sociedade em geral ainda tem resquícios da mentalidade antiga em relação à mulher, que acaba gerando mesmo um pouco de preconceito com a nossa independência. E, mesmo os mais abertos, é engraçado como, ainda assim, ficam meio surpresos e sem saber como reagir.

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Viajar acompanhada é muito bom,mas sozinha....ah é melhor ainda!

Lívia Mochileira

"Deixo que eu carrego" Resposta automática: Muito obrigada! Ser mulher tem que ter alguma regalia de vez em quando né?

yara xavier
yara xavierPermalinkResponder

Muito legal o post. Me fez lembrar de uma das primeiras viagens solo da minha vida. Moleca ainda, fui a Santiago para uma reunião de trabalho. Naquele tempo, a viagem era longa, o embarque em Viracopos, um transtorno e tanto. Lá chegando, bem tarde da noite, tomei um táxi para o hotel. O taxista nem me deu boa noite e já perguntou pelo meu marido. Quando disse que estava só, me convidou ¨a bailar¨. Foi um baile para me livrar dele! Chegando no hotel, tudo que eu queria era um vinho e um banho. No quarto, pedi o vinho e, quando o moço veio entregá-lo, olhou pelo quarto todo e me perguntou: estas sola? Diante do meu sim, ele balançou a cabeça e falou: entonces, va te emborraschaste.
Só rindo mesmo.

Jussara
JussaraPermalinkResponder

"Que fiquem de vez para trás os tempos em que dependíamos de mais alguém para sair de casa. De malas de rodinha em mãos, estamos prontas para ver o mundo — sozinhas, se quisermos. Nós podemos."

Yes, we can! Gosto de viajar sozinha, e como algumas disseram aqui, até as pessoas de mente mais aberta ainda estranham.
Também já tive problemas com garçom (no México), o cara queria marcar encontro e tudo. É como o Hugo falou, nossa educação é vista como cantada ou como uma abertura, e o fato de estarmos sozinhas aumenta essa falsa impressão. Isso é algo que eu considero bastante desagradável em viajar só. Mas não dispenso uma ajudinha na hora de carregar a mala, não; aliás, aprecio uma gentileza, é algo raro hoje em dia, e é uma coisa que ainda me surpreende positivamente. E quando se está sozinha e cansada, uma atitude gentil é como um bálsamo.

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

Excelente! =)

Mirella (@mikix10)

Belo texto, pra variar, né? Sem aquele tom piegas do "Dia da Mulher" que me irrita!
smile

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Tb odeio... smile

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Muito bom, Mariana!
Não viajo sozinha mas viajo com outra "menina". Aí é quase a mesma coisa, com uma dose de constrangimento a mais. Na Tailândia tive que ouvir: "por que vcs não vieram com os seus maridos?" Vou responder o que, hein? Tem horas que só rindo mesmo...

Cristina Paiva

Viajo maior parte do tempo sozinha e as vezes é tão complicado por causa do preconceito que em NY por exemplo deixei claro que meus amigos estavam no hotel descansando ... Mentirinha pra me proteger claro.
Já fui sozinha para B.Aires,NY,Montevidéu, passei um reveillon incrível em Punta del Este, Chapada dos Veadeiros (de carro) pois moro no DF e esse ano passei um reveillon excepcional em Vegas . Realmente viajar sozinha é o que há de melhor pq para nós mulheres quando retornamos voltamos com uma sensação de poder e segurança que não há marido,namorado , amigos , compras que nos proporcione algo parecido.

Flor
FlorPermalinkResponder

Eu nao nasci para viajar sozinha, fiz uma viagem a Bonito sozinha anos atras e me senti muito so' mesmo tendo feitos amigos durante a viagem. Aplausos para quem gosta.

Rosa Bsb
Rosa BsbPermalinkResponder

Eu nao nasci para viajar sozinha 2.
Aplausos para quem gosta 2.

Cynthia Silva
Cynthia SilvaPermalinkResponder

Viajo muito sozinha, mas por falta de opção. Estou faz tempo sem namorado. Salvo um ou outro caso (viagens a trabalho, gente que se separa do companheiro apenas para um ou outro passeio específico, mas no fim do dia se encontra), a grande maioria das meninas que encontro sozinhas por aí são como eu: encalhadas. Sei que vou apanhar aqui, mas é o que sinceramente percebo. Se elas (e eu), tivessem um namorado/marido/ficante/rolo para viajar junto, acordar ao lado e dividir o vinho do jantar, provavelmente prefeririam.

Aurora lorenzo

Oi, Cyntia!
E Tao chato ter que reconhecer que me identifico com o seu comentario!
Torcer para as nossas proximas viagens sejam bem bananas, divertidas e super bem acompanhadas!

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Oi, Cynthia,
Desculpe, mas discordo de você. Agora que estou sem namorado eu viajo muito mais e melhor!(Meu último ex odiava viajar, tudo pra ele era "caro", era um verdadeiro mala sem alça, tudo o que eu NÃO quero numa viagem). E ao contrário do que você diz, as mulheres que conheci viajando sozinhas o faziam por opção, algumas até eram casadas, mas nem por isso deixaram de viajar. Viajar acompanhada também é bom, mas numa viagem o bom e velho ditado "antes só do que mal acompanhado" faz ainda mais sentido. E não é um namorado, marido, ficante que vai tornar minha viagem mais divertida ou agradável, muito antes pelo contrário. Conheci tantas pessoas interessantes viajando sozinha, que se tivesse com alguém teria passado batido, pois os casais costumam se fechar. Mas gosto é gosto!

Manu
ManuPermalinkResponder

Cynthia, também adoro viajar acompanhada e, sendo bem sincera, acho que certas viagens/destinos são mais apropriados quando se está acompanhado, algumas no esquema de casal e outras, de amigos. Já que você diz que viaja só 'por falta de opção', vê se dá pra 'se influenciar' pelo texto e pelos comentários, pra, na próxima, conseguir curtir o lugar e a sua própria companhia! Boa sorte!

Camila
CamilaPermalinkResponder

Adorei os causos em viagens solo! rs

simoni
simoniPermalinkResponder

Costumo viajar sozinha e passo pelas mesmas situações. Ou olham para mim com dó, por eu não ter conseguido arrumar nenhuma companhia para a viagem, ou vêm logo passando cantadas. Apesar de ter milhares de mulheres viajando sozinhas no Brasil e no mundo, infelizmente o preconceito ainda é muito grande. Pouca gente entende que é possível ser feliz sozinha.

Karol
KarolPermalinkResponder

Adorei o post, Mariana! Já viajei sozinha algumas vezes e nunca passei situações constrangedoras, não. Fui pro Peru e não tive nenhum problema, e em NY mesma coisa, tranquilo! Gostei muito da experiência, é uma sensação indescritível de "posso tudo que eu quiser"! Rsrs, sério mesmo, toda mulher (toda pessoa, na verdade)deveria passar por isso pelo menos uma vez, resolve muito problemas dentro da gente. Tem horas que até bate a falta de alguém pra falar, mas é tão enriquecedor que isso não é nada perto do que se ganha!
É isso, vamos viajar, mulherada!

Patrícia B. Maia

Curti 1000 vezes!!!

Cris
CrisPermalinkResponder

Já viajei várias vezes sozinha e não me arrependo. Eu adoro, para falar a verdade. Não tenho medo e nem receio. Quando surgiu a primeira oportunidade de ir para Roma sozinha, eu nem pensei duas vezes, mesmo sem nunca ter ido à Europa. É claro que eu também viajo em família, mas sozinha a sensação de liberdade e de "eu posso fazer tudo o que eu quiser, na hora em que eu quiser, sem dar explicação e sem ter de negociar nada" é indescritível!

O ritmo da viagem é outro, é o ritmo que você mesmo imprime e voce não se vê obrigada a agradar ninguém na programação do roteiro.

Eu voltei no início dessa semana de uma viagem de 31 dias pela Europa. Nos primeiros 16 dias, eu viajei sozinha e pude desfrutar dessa liberdade sem problemas. Se no final do dia a vontade de falar com alguém aperta, o Skype e o Facetime estavam lá para me por em contato ao vivo com minha família.

Na segunda metade da viagem (os últimos 15 dias) minha mãe e meu irmão se juntaram a mim em Praga. Eu estava com muita saudades deles e foi ótimo que eles vieram para fazer a segunda parte da viagem comigo. Mas o ritmo é outro, as regras são outras, a tolerância tem de estar afinada e temos de nos habituar a fazer concessões e a negociar roteiros para tudo correr em harmonia. Não que isso seja ruim, eu também adoro viajar com eles, mas eu confesso que me sinto mais a vontade quando estou sozinha.

Quanto a cantadas e o sentimento de "coitada, está viajando sozinha", é claro que volta e meia acontece. Mas eu evito aparecer como "vítima", e entro sozinha e resoluta em qualquer restaurante e nem dou bola se perguntam sobre marido/namorado. Já recebi umas cantadas muito fracotas, como o convite para um café, etc. Não me ofendi, mas também acho que é uma coisa um tanto desagradável.

E olha, eu tenho o maior orgulho de carregar minha mala de 4 rodinhaas por onde quer que eu vá. Eu realmente não gosto

Hoje no meu local de trabalho, o setor de comunicação socila divulgou uma pesquisa feita entre as servidoras, sobre "o que tota a mulher deve fazer uma vez na vida", e a resposta campeã foi justamente o "viajar sozinha"

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Merél,
Excelente texto! Lembrei de um episódio que aconteceu comigo ao chegar (sozinha) em Kuala Lumpur. A moça do controle de saúde - que checa se você está com o certificado internacional de vacinação - me perguntou se eu viajava sozinha. Respondi que ninguém viaja totalmente sozinho. Ela abaixou a cabeça, sorriu e me liberou. Sinceramente, não estava pensando em Deus (ou Alá) apesar de acreditar que ele me acompanha e que põe anjos no meu caminho: na hora, pensava no twitter e na ajuda dos trips! wink

Beth Castro
Beth CastroPermalinkResponder

Ótimo texto! Eu tenho 66 anos e viajo sozinha. Nem sempre foi assim, claro! Mas como os anos correm eu quero aproveitar e não dá pra esperar companhia. É sempre muito bom. Eu estabeleço o ritmo, os passeios, faço amizades, peço que me fotografem, pergunto tudo a todos. Me divirto sempre.
O único problema do estilo "solo" é que não dá pra dividir os custos. Fica bem mais caro! Hospedagem, restaurantes, táxis, aluguel de carro, etc. Alugar carro nunca! Não tenho coragem de encarar estradas sozinha na minha idade. Mas vou de trem, ônibus VAN, o que der! O importante é encarar os fatos e curtir a viagem!
A quem eu causo mais espanto? Aos brasileiros! Seja no Brasil ou no exterior! As pessoas ficam com uma cara misto de pena e perplexidade! As perguntas sempre são: você gosta? Não fica com medo?kkkkk

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Mariana, você tem que ter orgulho por ser a primeira mulher da nossa família a viajar sozinha, mas também por ser uma excelente filha, amiga, e profissional.

Renata Queiroga-Tempere sua Viagem

E ainda dizem que mulher é o sexo frágil!!...
Parabéns pela matéria! Com um humor refinado, sutil e certeiro, você mostrou ao mundo coragem, ousadia, fortaleza e força!
Adorei!!

Claudia Carmello

Nossa, Mariana, o trecho de Punta Cana é exatamente a minha história de viagem sozinha a trabalho por lá.
Cantadas diárias e invasivas de garçom, camareiro, bartender, mais hóspede me perseguindo pelo hotel. Uma coisa ultrajante não ter direito a paz quando se é mulher sozinha viajando. Caribe e nordeste brasileiro são, pela minha experiência, destinos onde esse desrepeito é muito recorrente.

VIRGINIA
VIRGINIAPermalinkResponder

Mariana,
Por isso as pessoas me chamam de snob , quando prefiro a europa, os homens europeus, não tratam assim as mulheres que estão desacompanhadas.
Mas, pior que estar desacompanhada nas Americas, é vc viajar com um casal gay, o que sempre acontece comigo, sao meus companheiros de viagem e as pessoas literalmente viajam. imaginando e mate insunuando mil coisas, sobre nos três, e se vai uma amigo nossa entao, nem se fala pensao que somos dois casais homosexuais. ima vez um casal hetero (sou hetero, nossa amiga tb) um casal insunuou uma transa com mais parceiros pooooooooodeeeeeeeeeeee.

Lívia
LíviaPermalinkResponder

Beleza de post.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Tema ótimo.
Eu nunca viajei sozinha, mas em algumas viagens a falta de acordo quanto ao que ver ou fazer me fez querer viajar sozinha um dia ...

Maisa
MaisaPermalinkResponder

Adorei o post, parabéns!!

Manu
ManuPermalinkResponder

Organizando a próxima viagem sozinha e eis que me deparo com esse texto e comentários tão legais de gente que, como eu, gosta de desbravar o mundo e, se for sozinha, ok, também é maravilhoso e enriquecedor! Quando viajo sozinha, faço isso por opção! E super recomendo!

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Adorei seu comentário. Assino embaixo!

Manu
ManuPermalinkResponder

Legal!

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Muito bom o texto. Tb adorei o tom, mas pra falar a verdade, nao curto esse dia internacional da mulher nao.

val
valPermalinkResponder

concordo! aliás, acho super machista1 wink

E viajar sozinha é bom demais!!! experimentem!

mariana
marianaPermalinkResponder

Chorei de rir com o garçom da merenda....hahaha

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Só não entendo alguns comentários ou algumas mulheres que conheço que dizem fazer questããão de carregar a própria mala. Eu carrego minha mala o tempo inteiro, claro, mas se ela estiver pesada e aparecer uma boa alma pra me ajudar, e isso é raro, eu vou recusar por quê? Isso me tornará menos mulher? Acredito que não! Realmente não entendo. E nem me refiro a ajuda de homens, pois eu também ajudo mulheres, senhoras, idosos quando vejo que estão tendo problema com a mala, para tirá-la da esteira, por exemplo. Aliás, pegar a mala na esteira no Brasil é um problema sério. Parece uma selva. Por isso quando viajo sem precisar despachar é a glória!

--A.L.
--A.L.PermalinkResponder

Jussara, eu acho que há um equilíbrio necessário nessas situações. Uma coisa são gentelizas sociais (que independem de gênero, aliás)em circunstâncias excepcionais. Como uma estação de trem com escada rolante quebrada no momento e alguém se oferencedo para ajudar a transportar uma mala. Eu não vejo problemas nisso.

Eu já vejo problemas em mulheres que já saem de casa com malas que sabem que não conseguirão carregar, já planejando viajar por aí dependendo da boa-vontade alheia sempre, sem ter uma boa razão excepcional para isso.

É uma questão de ser independente, e inteligente: só leve malas que, em circunstâncias normnais, vc consiga transportar sozinha no tipo/estilo de viagem que está fazendo.

Natalie
NataliePermalinkResponder

Eike texto lindo grin

Não consegui comentar antes, mas me identifiquei em vários momentos mrgreen

Constance Escobar

Adorei!

Valéria
ValériaPermalinkResponder

A melhor parte: "cumprimentei e fugi". smile Já fiz isso também! Adoro viajar sozinha!!!

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Adorei o post!
Já viajei algumas vezes sozinha e, a não ser por esses constrangimentos dos que querem nos arrumar companhia, acho ótimo!
Pra mim, viajar é refletir. Então sozinha vc tem muito tempo pra isso....

Mônica Coelho

Oi! Concordo com quem diz que se tivesse namorado, marido ou ficante não viajaria sozinha, mas a pior solidão é a de quem está acompanhada ou em alguns casos "mal" acompanhada. Já passei pela situação de querer mto estar com alguém em algum lugar, mas tbem já desejei mto estar sozinha em outros... Já sentiram muita pena de mim na EuroDisney por eu estar sozinha... em Trancoso tbem... o q não dá; é fazer da falta de companhia uma desculpa para não viajar. O crescimento pessoal e emocional que adquirimos quando viajamos sozinhas, vale todos os percalços que porventura possam ocorrer!!!Vamos viajar!!!

Michele - PlanejandoaViagem

Muito bom o texto! Concordo com quem escreveu que ao menos uma vez na vida devemos viver essa experiência.

Lúcia
LúciaPermalinkResponder

Um bom texto, há diferença sim de viagem solo entre homens e mulheres. Os homens costumam ir para balada a noite caçar mulheres ou buscam em prostíbulos, e as mulheres não costumam fazer isso, vão a restaurante ou barzinho a noite para se distrairem.
O que acho ruim em viagem solo é ir a um restaurante a noite, dá uma sensação ruim, mas tenho uma dica de levar um livro ou revista e ler até a comida ser servida.
Há lugares que só fica bem acompanhada como Tahiti, Ilhas Maldivas, Dubai.
O resto a gente se vira muito bem. A gente é dona de nosso tempo.

--A.L.
--A.L.PermalinkResponder

Lúcia, na condição de um certo habitue (embora menos que muitos outros 'trips') desse site, e de membro da classe heterossexual masculina, eu me sinto ofendido com sua declaração.

Viajo sozinho desde os 15 anos, uns 70% das viagens que fiz fui sozinho, e certamente não frequento esse tipo de estabelecimento (prostíbulo) que vc citou. Você gostaria de ler algum homem escrevendo aqui que "mulheres viajam sozinhas só pq estão encalhadas e carentes"?

Acho que todas as generalizações são perigosas e precipitadas.

Carolina Gomes

Oi Mari! Adorei teu texto e, pensando em questões que só mulheres entendem quando se fala em viagem, seja sozinha, seja acompanhada, lembrei de um ponto em específico que, eu pelo menos, sofro para caramba (mais que cantadas malas, mais que vendedores ensandecidos, mais que perda de conexão): banheiros públicos!!!! Normalmente, são sujos, sem papel higiênico, sem apoiador para bolsa, sabonete ou até mesmo um espelhinho báááásico para dar uma conferida no visual...Isso quando tem banheiro à disposição! Confesso que saio cansada de banheiros públicos, após a verdadeira maratona para usá-los! Sou a favor de lançar uma campanha mundial a favor do direito das mulheres a banheiros públicos descentes!!! smile smile smile Bjos

Janine
JaninePermalinkResponder

Sou casada e viajo sozinha sim, e meu marido também. Temos as nossas viagens juntas, solo, com amigos...é muito interessante.
Não viajo sozinha porque estou encalhadanão...tenho pena de quem não se dá esse direito..

Joana
JoanaPermalinkResponder

Concordo, Janine. Eu sou casada e viajo com meu marido, sozinha, com amigos. Cada viagem tem sua coisa especial. E é ótimo ter um pouco de cada.

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Ótimo post! Eu não sei de onde vem essa "pena" que sentem de mulheres q viajam sozinhas.
O fato é que penso que deve ser muito gostoso e até aventureiro viajar solo (experiência que me falta).
Agora, o respeito à mulher que viaja sozinha é uma coisa que me incomoda muuuiiitooo! Não precisa ir longe, sinto isso na mesa de um bar, quando um homem pede algo ao garçon é prontamente atendido, já a mulher - muita vezes - o cara demora ou esquece do pedido (nem sempre, graça à Deus). :p
Mas nada disso me abate (aborrece por 1 ou 2 minutos). Decidi ser feliz há muito tempo atrás e essa decisão depende de mim e de mais ninguém. wink

sandra diniz
sandra dinizPermalinkResponder

Queridas viajantes, já viajei solo e me diverti muito porque as pessoas que estão sós parecem se abrir mais para conversas e tenho feito assim algumas amizades e trocas de conhecimento. Mas duas vezes por ano eu e amigas(e também as amigas das amigas)resolvemos tirar férias de marido/namorado/ficante e nos divertirmos sozinhas. O grupo era de 3 pessoas e já triplicou. Fora isso agora comemoramos os aniversarios com viagens curtinhas, tem sido muito interessante e agradável.Parabens a todas

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar