Enquete: viajar é uma aventura

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Serra do Espírito Santo, Jalapão

| Serra do Espírito Santo, Jalapão |

Merel em MendozaNão sou uma pessoa muito aventureira. Nem muito corajosa. Até hoje, meus instantes de bravura coincidiram com as minhas viagens.

Aproveitando que viajar é por si só uma aventura, usei o empurrãozinho para fazer uma coisa ou outra fora do ordinário. E lá fui eu montanha acima na garupa de um cavalo, ou em um bote corredeira abaixo.

Nesses dois casos, lembro bem da sucessão de sentimentos: "que legal!", "será que ainda dá pra desistir?", "vou morrer!", "quero ir de novo!".

Pela superação, guardo essas memórias com ainda mais carinho.

Na minha lista de desejos de próximas viagens há mais destinos-natureza do que destinos-museu. O que significa que vêm outras aventuras por aí. Confesso por enquanto preferir os esquemas de ecoturismo para preguiçosos, com van com ar-condicionado, trilhas planas e um hotel confortável para descansar ao final, mas espero um dia ter coragem e pernas para fazer a Trilha Inca.

E você: prefere com emoção ou sem emoção? Qual foi a sua viagem mais aventureira? O que fez de mais audacioso em uma viagem? De quais confortos você não abre mão?


Aos comentários!

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


47 comentários

JB
JBPermalinkResponder

Gosto de aventura na medida certa, mas não me lembro de ter algum dia viajado apenas com este objetivo (ir a Disney não vale, né?).

Acho que o mais aventureiro que fiz foi pular de paraquedas (com instrutor, claro!) na Nova Zelandia. A adrenalina foi tanta que não deu nem tempo de sentir medo. O silêncio lá em cima era atordoante e a trilha sonora dentro da minha cabeça mudava a cada instante!

Inesquecível!!! De novo!!!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Não sabia desse paraquedas. Uau!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Rsrsrs... Eu também não sabia desse pára-quedas, não!!! grin

JB
JBPermalinkResponder

Hehe, vou ter que postar lá no blog... É que esta viagem foi feita antes de eu ter uma máquina digital e vou ter que escanear as fotos... Aguardem!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Isso mesmo! Faz uma série "Fundo do Baú" também, que é muito divertido! wink

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Oba!

JB
JBPermalinkResponder

Eu tenho este plano sim, Carlinhas, mas estou tão atrasado nos posts das viagens recentes que nunca consigo abrir o baú smile

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Posta, JB, posta...Quero ver tb!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Merel, super me identifiquei no seu texto. Sempre fui mega medrosa e nada aventureira e foram as viagens que me soltaram sim.
Hoje planejo várias viagens de destino-natureza e sempre quero colocar alguma aventura no meio e uma das minhas viagens preferidas, quem diria, foi pra Chapada Diamantina, não queria voltar.
Os mergulhos mesmo, que hoje amo, sempre falei que nunca mergulharia, a primeira vez foi numa viagem, claro. E agora minha listinha de destinos de viagem tem sempre um mergulho envolvido.
Acho que minha viagem mais aventureira foi pra patagônia argentina, não que tenha feito coisas super radicais, mas foi a primeira vez que me apeguei na minha botinha de trekking pra fazer mil trilhas.
Em relação ao conforto, não tem regra, cada viagem é uma viagem, e cada vez posso estar disposta a abrir mão de mais coisas. Encararia um acampamento sim, sem problemas (e a trilha inca está totalmente nos meus planos).

Rapha Aretakis

Eu sou ultra medrosa, Merel. Mas ultimamente, como tenho viajado bastante sozinha, me pego em situações onde não posso dar pra trás. E, surpreendentemente, estou começando a gostar da brincadeira. Lógico que ainda estou no nível "ecoturismo para preguiçosos" - adorei esse termo, mas já é uma vitória. A vida vem se mostrando mais bonita no seu estado mais mal passado. grin

Luciana Betenson

Adorei o "ecoturismo para preguiçosos" haha! Minha cara smile

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Estou na fase do eco para idosos .
Adoro uma emoç?o e uma surpresa
com 100% de conforto antes e depois.
Minha última trilha foi no mes passado
pra Lopes Mendes ( sério, ninguem merece
aquele sobe- desce )
Vou de busao , de barco, de trem, de van
mas nao vou a pé, de cavalo, de camelo,
de bote.
No ver?o ar condicionado e bebida gelada
s?o indispensáveis ao longo do caminho
e no acampamento wink

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Sylvia querida, eu descobri que não ia casar com meu 1o namorado por conta dessa trilha. E eu tinha 21 anos, ok? rsrs Parabéns!

Jackie
JackiePermalinkResponder

Olha, eu morro de medo de telefericos. So de olhar ja teemo. E em Ushuaia subi naquele treco no Glaciar Martial, pra mim foi a Maior aventura hahaha
Achei mais tenso do que chacoalhar no aviaozinho em Nazca, ou subit Huayna Pichu ou até mesmo a Isla del Sol na bolivia (que fica a 4800 m de altitude p que torna 1 passo uma grande jornada).
Sou muito urbana e tal mas tenho feito passeios bem mais natureza. Atravessar Uyuni, Machu Picchu, Paracas e agora Ushuaia,
Onde fizemos trekkking e remo. Mas mada nivel dificil. Acho que td se encaixa em "aventura empacotada" hahaha
Bom, dps de Uyuni abro mao de qq conforto. Por mim ta td tranquilo agora.
Bjs

Carla
CarlaPermalinkResponder

Eu já tive meus pequenos momentos-trilha, na Ilha Grande, nos Aparados da Serra, em Bonito... Mas confesso que não é a minha praia, não é o que me dá prazer - acho que sou naturalmente urbana demais pra isso!

Por outro lado, gosto de uma aventura como fiz no Havaí, sobrevoar de helicóptero um vulcão ativo... Será que conta?!? wink

Rosa Bsb
Rosa BsbPermalinkResponder

Sou naturalmente urbana demais pra isso! 3 (eu e meu marido)

Carla
CarlaPermalinkResponder

Rsrsrsrs... Já o meu marido gosta de natureza, curte ir pro mato, andar a cavalo - mas acho que os desconfortos também não são a praia dele, não...

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Acho que aproveitei essas aventuras quando eu era jovem e cheia de saúde, hahahaha. Agora com 3.5 eu quero mais é muito conforto. Tá, vai: ainda me amarro numa trilha. A maior aventura da minha vida foi justamente a trilha de Aracatiba a Aventureiro, passando por Provetá, em Ilha Grande. Pauleira, mas maravilhoso demais! A praia de Aventureiro é recompensa mais que suficiente na chegada.

Meu sonho aventureiro é fazer o caminho de Santiago, ou parte dele. Vamos ver se vai rolar.

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Ah, acho que passar uma temporada de inverno nos EUA descendo de snowboard também foi aventura massa no auge dos meus 20 aninhos.

Liliana
LilianaPermalinkResponder

Faço viagens econômicas e de mochila nas costas mas não sou exatamente uma aventureira. Topo caminhadas longas e uma aventurazinha de leve, não preciso do maior conforto do mundo, durmo em barraca, e meu nível de frescura é quase 0 mas aventura no nível máximo não é o tipo de viagem que eu escolho, geralmente. Prefiro a natureza ao museu, sem dúvida, mas não é a minha praia fica 5 dias caminhando, subindo morro, etc. A não ser que no final da caminhada tenha um Machu Picchu me esperando, por exemplo. Tem que ter um objetivo final que não seja unicamente a superação para mim.Fui ao Nepal e não fiz trekking, o que pode ser absurdo para muita gente. Se tivesse tempo, teria feito um curtinho de 2/3 dias, mas honestamente, ficar andando e subindo escada por 10 dias para ver um monte de montanha não é para mim.

Vladimir
VladimirPermalinkResponder

Com certeza estou esquecendo de várias, mas, o que lembro agora que são legais, foram:

- Andar de quadriciclo, saindo da praia que fica em frente ao maior cajueiro do mundo em Natal... em Pirangi. É um caminho muito bacana e foi um passeio muito gostoso. Vá de camisa escura, pois, a minha branca foi pro lixo devido a qtde de terra. Vá com um tenis surrado, eu fui de chinelo e meu pé tava pedindo arrego no final!

- Na minha cidade todo ano eu faço a trilha do Morro da Urca: https://www.viajenaviagem.com/2013/01/rio-de-janeiro-como-e-a-trilha-do-morro-da-urca/

- Ir pra Trindade é uma aventura em si. A gente chega, para o carro e fica fazendo algumas trilhas lights para chegar nas praias e na Pedra Que Engole. Quem quiser pode ir pras praias de barco. Detalhe: Só ligamos o carro de novo para ir embora.

- A mais recente foi em Ponta de Mangue, onde fiquei hospedado, próximo a Maragogi!!! Em frente ao resort Gran Oca, na maré baixa da Lua Cheia ou Nova, a gente anda mais de 1 km pra dentro do mar sobre os bancos de areia até chegar aos corais, que são belíssimos naquela região, com a água cristalina. é um passeio mágigo com hora marcada, pois, depende da maré!

Uma coisa que nunca me adaptei foi Acampar. Devo ter acampado umas 5 vezes e só lembro de 1 que foi legalzinho... em Aventureiros/Ilha Grande.

Prefiro mesmo estar numa pousada ou hotel. Chega uma hora que uma TV com o noticiário faz muita falta pra mim! Mesmo que numa língua que eu não entenda bulhufas!!! razz

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Se possível com ambos.
O mais radical? Sem dúvidas o Bungy na Nova Zelândia, mas o snorkel na Barreira de Corais também valeu - não era radical, mas vai que aparece um tubarão faminto??? Rsss

Luiza
LuizaPermalinkResponder

Viagem mais aventura que já fiz foi para a parque do PETAR em São Paulo. Tem cavernas para exploração, além de esportes radicais e muitas horas de caminhada. Vale a pena passar um feriado conhecendo as belezas naturais. As cavernas são muito interessantes. E bom é que depois de um dia inteiro de caminhadas, as pousadas oferecem ótimos chuveiros e uma cama bem gostosa!

Camila Navarro

Eu também não sou nada aventureira, mas nas viagens acaba rolando uma emoçãozinha. Acho que às vezes, para se ter a experiência completa, uma dose de aventura e falta de conforto é inevitável. Por isso não abro mal do trekking quando eu for a Torres del Paine! grin Mas meu histórico aventureiro não é muito extenso. O máximo a que me convenci foi subir o Vulcão Villarrica em Pucón. Nível altíssimo de adrenalina para os meus padrões. wink

Flor
FlorPermalinkResponder

Minha maior aventura foi fazer a caminhada ate' o Rio Colorado descendo do South Rim/Grand Canyon, perdi duas unhas do pe' e 2 kilos mas valeu a pena. O lugar e' magico.

Luciana Betenson

Nunca fui muito aventureira, mas já fiz umas "aventurinhas", que hoje em dia nem pensar rsrs... Não ligo para luxos, mas hoje não abro mão do conforto de ter um quarto com banheiro privativo e de ficar em um lugar limpo, sempre. Também detesto barulho, pra mim é intolerável ficar numa muvuca pois tenho sono leve e se não descanso não aproveito a viagem. Minha maior aventura foi uma viagem ao Nordeste indo e voltando de ônibus, dura, aos 18 anos - só de ida até Maceió me lembro que foram 42 horas smile Ficamos hospedados em albergues em Maceió, Fortaleza, Olinda e Natal. Uma semana em cada lugar. Na volta, passamos o dia todo em Vitória com direito a um banho de chuveiro na rodoviária smile Fora isto, hoje curto as aventuras com conforto, como fizemos no Atacama!

Candida Silva
Candida SilvaPermalinkResponder

Não sou aventureira em viagens. Pra mim, Disney tá valendo sim! E nem lá consegui ir nos brinquedinhos mais aterrorizantes. Só ia nos simuladores e nas montanhas russas para criancinhas. Não gosto de adrenalina, nem de sustos. Gosto de um teleférico, acho que facilita na subida aos mirantes. Tenho vontade de voar de balão na Capadócia. Trilhas não faço, pois tenho um pouco de limitação para caminhadas. Na verdade, sou mesmo urbana. Adoro cidade grande, metrópoles me atraem pela diversidade de gente. Adoro ver e observar pessoas, mais do que paisagens.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Comecei a surfar em Byron Bay, Australia, lugar icone do surf australiano. Me empolguei vendo gente de todas as idades surfando. Na Indonesia comecei a fazer snorkel. Depois quando fui para a Tailandia, virou minha grande paixao junto com o surf. Tudo comecou com minhas viagens. Ambientes novos nos trazem novas experiencia. Acho que mais coragem tambem....sei la, ninguem conhecido te vendo pagar mico acho que ja encoraja kkkk.

Quenia Maia Lourenço

Gosto de aventura com moderação. Nada de acampar, gosto de conforto (ter um chuveiro e boa cama).
A maior emoção foi saltar de paraquedas (sozinha), fiz o curso e salto em Americana-SP que foi lindo. Detalhe: Há 20 anos, experiência única (ponto)
Creio que a viagem mais aventureira foi Chapada Diamantina, que além das trilhas "sem fim", fizemos rappel em uma caverna. Demais!
Meu marido e eu gostamos muito de caminhar subimos o Vulcão Villarica em Pucón, que é imperdível. Recentemente fizemos trekking a Torres del Paine, sem palavras.
Algo que me emocionou também foi mergulhar em Fernando de Noronha, maravilhoso!
Confesso que tenho muito medo de cavalo. Mariana você está de parabéns.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Mariana, me identifiquei demais com o texto. Sou super mega ultra medrosa, urbana e tenho frescurinhas com conforto. Nunca acampei e adoro um hotel com pretensão de design. No entanto, a exemplo de outros aqui, fui encarando aventuras pequenas em viagens e tenho procurado cada vez mais encaixar um "ecoturismo para preguiçosos" nos meus roteiros. A cada viagem tenho gostado mais de cidades pequenas do que de grandes cidades.
A coisa mais linda e minha aventura máxima em viagem foi o voo de balão na Capadócia mas é tão soft que não senti como adrenalina. Já andei de bike no interior da Noruega, brinquei de snorkel e tomei banho com elefantes na Tailândia com direito a sair montada no pescoço do bichinho. Nunca fiz trekking de verdade. Acho que está na hora de começar a planejar um!
Beijos

Luciana Bordallo Misura

Eu gosto de viagem pra lugares com muita natureza mas não gosto de aventura, andam usando aventura por aí atualmente pra indicar ecoturismo. Aventura no meu conceito é algo que tem risco, como o salto de paraquedas que o JB fez por exemplo, ou descer um rio com corredeiras fortes, fazer uma escalada com cordas e tal. Então eu gosto de ecoturismo, mas sem aventura, por favor! Pra mim ver os bichos e a natureza de perto já são emoção suficiente! smile

Eunice
EunicePermalinkResponder

Faço meu o comentário de Luciana...eek)

Robson Dombrosky | viajenaimagem.com

Minhas viagens são, via de regra, regadas à boas doses de aventura. E acho que a mais aventureira delas, até o momento, foi ter ido sozinho de moto ao Deserto do Atacama e à Patagônia. E eis que levei um belo tombo bem no meio do deserto, num lugar sem a menor perspectiva da presença de outro ser humano por dias. Felizmente consegui voltar são e salvo (mas com a perna machucada) ao acampamento no vilarejo de San Pedro do Atacama. Fui ao postinho de saúde do vilarejo, coloquei um gesso na perna e dia seguinte pilotei até a Laguna Colorada, na Bolívia, onde peguei até nevasca na estrada. Depois, mais 4.000 de viagem até Porto Alegre - 1 semana pilotando com a perna engessada. Fiz um vídeo dessa viagem, que pode ser visto no link clicando-se no meu nome.

Oscar | MauOscar.com

Eu AMO visitar para lugares de natureza.. Aqui na Nova Zelândia estamos no paraíso neste sentido... Mas ao mesmo tempo que curto aventura não abro mão de certos confortos como um bom banho ao final do dia. Escolher a viagem mais aventureira é difícil dizer, pois nossas viagens tem um perfil bastante eclético.. Mas se fosse para escolher 1 entre todas certamente foi uma viagem lá em 2005 no Parque Nacional de Berchtesgaden.. Na verdade, parte de uma disciplina da universidade de Freiburg em que por 10 dias fizemos 80 Km de trilha, 120 km de bicicleta, Rafting, Arvorismo, Canoagem e afins.. Uma experiência inesquecível...

Kely
KelyPermalinkResponder

Prefiro com emoção, tenho muitas aventuras na minha Bucket list

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Eu adoro viagem aventura, mas nao sei se meu nivel eh de repente passeio no parque para outros!
Nos 2 anos que estive na australia, tive mais emicies que em qualquer outro lugar!
Acho que nossa maior aventura foi Fraser Island, meu coracao nunca bateu tao forte dirigindo na areia na quase mare baixa e passando por riachos e me vendo a 30 metros de um dingo!!!
Hoje procuro mais aventuras que museus!!! E meu sonho agora eh o norte do Canada!!!

Julio Corrêa
Julio CorrêaPermalinkResponder

Só faço aventura se não tiver outro jeito. Viajar em si já, em si, uma certa aventura. Não abro mão de um hotel/pousada razoável. Cruzar o Delta do Parnaíba na cara e a coragem, sem reserva de hotéis ou esquema de transportes, em junho de 2011, foi a minha maior aventura até a presente data.
abraço

Christine Barbosa

Adoro uma aventura, viagem tipo cruzeiro de navio não me pegam nunquinha. A maior foi o Egito em 2005, viagem 3 em 1: melhor ponto de mergulho do mundo peninsula do sinai atravessando o deserto do saara + 100m visibilidade, a viagem histórica a Luxor e Cairo com pirâmides e templos, e a viagem social ao mundo mulçumano cheio de mercados e valores diferentes que hoje respeito mais. Viagem de sonho, hoje mais perigosa infelizmente. Segunda colocada está Patagônia com acampamento em Torres del Paine no Chile inóspito demais (nunca mais, quero mais!), trecking perito moreno e ilha dos pinguins em Ushuaia. Minha preparação física nunca foi das melhores mas sou uma eterna encantada por novas culturas e lugares diferentes. Kilimanjaro, Nova Zelândia e Indonésia que me aguardem smile Contagem regressiva!

Ludmila
LudmilaPermalinkResponder

Recentemente descobri que o tipo de viagem que mais gosto é aquela que mistura cidades com natureza. Minha viagem mais aventura foi para Yellowstone em 2011. É verdade que muita coisa dentro do parque não é tão aventureiro assim mas fizemos um trilha morro acima onde vimos muitos animais, entre eles um urso que simplesmente cruzou o nosso caminho. Confesso que foi emoção suficiente pela viagem toda!!

Michele - PlanejandoaViagem

Eu também acho que faço parte do time dos não muito aventureiros, sou muito medrosa. Porém nada como a satisfação de uma aventurinha depois ter ficado umas boas horas antes decidindo se ia encarar ou não. Amei saltar de parapente no Rio e sempre recomendo aos amigos que vão visitar a cidade, depois dessa, andar de Balão da Capadócia foi muito mais tranquilo. Outra coisa que amo e que fui me aventurando pouco a pouco é o esqui, hoje uma paixão, muito bom mas também não foi fácil ir encarando pistas cada vez mais íngremes e teleféricos cada vez mais altos. Entre ar, montanha e mar acho que o mar é o que mais tenho medo, adoro um passeio de barco com emoção e snorekling em águas mais rasas e tranquilas porém mergulho e ondas maiores de 1 metro ainda me fazem tremer na base. Adorei o post! Realmente viajar em si já é uma grande aventura.

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Eu acrescentaria também a categoria de ecoturismo para medrosos. E me encaixaria nela, claro!
Dentre as viagens aventureiras que já fiz, posso contar da Trilha Inca, do Caminho de Santiago, do roteiro Fortaleza/São Luiz via Lençóis Maranhenses, da caminhada de 4 dias pelas praias do sul da Bahia, de muitos acampamentos e até do teleférico de Ushuaia... mas sempre escolhendo as opções menos "perigosas".

Schnaider
SchnaiderPermalinkResponder

Nao fiz a trilha Inca e me arrependo!
Nao fiz a Death Road (El Camino de la Muerte) e nao me arrependo nadinha!
Barraca so em ultima das ultimas opcoes... (trauma dos tempos de escotismo, rsrsrs)
Bungee jump nem de graça!
Agora, tiroleza, voo de asa delta, paraquedas, mergulho to dentro!

Lúcia
LúciaPermalinkResponder

Concordo com Ludmila gosto de cidade com natureza pois gosto de fotografar e nada melhor que estar junto da natureza, e viagem que é feita com seu próprio roteiro já é uma aventura. Não gosto de nada muito radical mas aprecio trekking de pequena distância, cavalgada, e coisas interessantes que cada cidade tem.

Vaneza Narciso

Pra mim, a viagem precisa de emoção e muuuita!

Viajar pela 1ª vez pra europa sozinha, foi uma aventura inesquecível.
Recentemente, em familia fomos conhecer a cachoeira da Fumacinha e Buracão em Ibicoara, interior da Bahia, e outros atrativos da Chapada Diamantina, uma aventura e tanta.... estradas de terra,andar quase 4h pra conhecer uma cachoeira, sobe desce pedra, passar por despinhadeiros, nadar em águas geladíssimas e escuras, saltar de cachoeiras, curtir a queda d´agua, enfim valeu a pena e repetiríamos sem problemas.
Ter o conforto básico: quarto ventilado, água morna, colchão macio e um café da manhã reforçado torna a aventura mais gostosa e isso não dispensamos.

O que vale é curtir a aventura de uma viagem emocionante!

Marcio Antonio

Minha maior aventura foi o Big Ice no glaciar Perito Moreno, em El Calafate, na Patagônia argentina. Faria de novo sem pensar duas vezes (minha esposa, então namorada, acho que já não concorda comigo).

Em Aruba experimentamos pela primeira vez windsurfe e snorkel. Eu me apaixonei por snorkel, agora fico pensando em novas oportunidades de botar uma máscara, um colete de flutuação (nado muito mal) e ficar olhando pro fundo do mar (ou do rio).

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Fiz essa pergunta para o meu marido e ele autorizou eu contar para vocês a maior aventura que já fiz em comemoração aos 9 meses em que meu Rick está sem fumar. Nem a minha mãe sabe o que eu fiz...
Quando fomos para Machu Picchu (e ele decidiu parar de fumar!), subimos Wayna Picchu. Pedi para ele me deixar 20 minutos sozinha meditando lá no alto, depois de eu ter vencido aquela subida que eu achava que já era um perrengue extremo (logo eu que só corro na esteira). Ele queria tirar umas fotos, cocordou e foi passear.
Há anos eu sonhava em estar naquele lugar, consegui, acabei pensando na vida, aproveitando aquela energia por uma meia hora... Terminei e fui procurá-lo. Não o achei.
Como a gente ia descer até a Gran Caverna e o Vale de La Luna (ninguém havia me dito que o retorno destas direto para MP seria um perrengue muito maior que a subida para Wayna), achei que ele já tinha ido, me podia ter me avisado e eu no meu "transe" não ouvi, enfim, EU NAO SEI ONDE EU ESTAVA COM A CABEÇA PARA ACHAR QUE MEU MARIDO TINHA SE ADIANTADO E ME DEIXADO NAQUELE LUGAR (que pouca gente vai) SOZINHA RSRS!
Sei que fui descendo, tranquilamente, até que chegou um momento que tinha uma escada de madeira (quem foi lá sabe, tenho foto!), SINISTRA! Passava pouca gente...Se meu marido estava supostamente a minha frente na trilha, quem disse que eu voltei para o início? O máximo que eu fiz foi esperar 2 chinesinhas passarem pela escada e pedir para elas me esperarem (caso eu caisse daquela altura...). Um pouco antes de chegar a Gran Caverna, escutei alguém me gritando. Era ele atrás de mim. Sei que levei um esporro, mas ganhei muitos beijinhos com pedidos de não faz mais isso NUNCA MAIS kkkk e quando chegamos na Caverna, a 1a coisa que o guarda me perguntou era se meu nome era Cristina e me informou que meu marido estava me esperando. Ele já tinha acionado um dos guardas que avisou aos demais do meu desaparecimento (#ashamedhehe)

eva
evaPermalinkResponder

Já fizemos várias aventuras de caminhadas e travessias. Abro mão de tudo se for a única maneira de viver aquela experiência.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar