TAM: como a mudança de aliança e resgate de milhas afetam você

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Fidelidade TAM

Quinta-feira passada a TAM finalmente anunciou o que se esperava desde a associação à LAN para formar a LATAM: em 2014 sairá da Star Alliance e ingressará na oneworld, a aliança à qual pertence a LAN.


Uma semana antes -- e por causa das minhas andanças eu não tinha nem registrado -- a cia. tinha anunciado mudanças importantes nas regras do programa de milhagem Multiplus Fidelidade, que entram em vigor agora em 1º de julho (e, na minha opinião, causam um impacto muito maior do que a mudança de aliança).

A seguir, o que eu penso das duas notícias e como impactam os clientes TAM.

--> Da Star Alliance para a oneworld: qual a diferença?

A saída da Star Alliance, apesar de esperada, é motivo de consternação para grande parte dos clientes Fidelidade. Os brasileiros se acostumaram com a Star desde a época da Varig: esta foi a aliança que nos ensinou a usar as alianças. Com o tempo, a Star se tornou a aliança com o maior número de cias. aéreas associadas mundo afora. O vínculo do passageiro brasileiro com a aliança também foi reforçado com a migração de muitas contas Smiles, durante o ocaso da Varig, para o programa Victoria da TAP (a cia. portuguesa fez promoções agressivas, dobrando as milhas dos clientes Smiles que migrassem).

Por outro lado, a situação da TAM na Star Alliance estava anômala, já que, por determinação da Justiça chilena, as cias. aéreas do grupo LATAM não poderiam ter nenhum tipo de sinergia com grandes concorrentes sul-americanas, como AviancaTACA. Com isso, cias. que entraram recentemente na Star, como a AviancaTACA e a Copa -- três cias. com atuação crescente no Brasil -- não permitiam pontuação nem resgate para clientes TAM. Era uma situação bem esquisita.

A data exata da saída da TAM da Star Alliance deve ser anunciada no fim deste ano. Até que a saída ocorra (provavelmente, o fim do segundo trimestre de 2014), os clientes Multiplus Fidelidade continuam acumulando milhas e emitindo passagens nas cias. parceiras da Star Alliance exatamente como vinha sendo feito.

As milhas não usadas até a mudança permanecerão com a mesmíssima validade que tinham, mas só poderão ser usadas nas cias. associadas à oneworld. Que são: American, British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, JAL, LAN, Malaysia, Qantas, Royal Jordanian e S7. A Srilankan e a Qatar estão em processo de admissão. É um time respeitável; American, Iberia, British, Lan e Qatar voam ao Brasil. A Qantas leva à Austrália a partir de Buenos AiresSantiago. Para o cliente Fidelidade, vai funcionar assim: o que antes ele pensava em fazer com TAP, Lufthansa ou United, vai passar a fazer com Iberia, British ou American.

Quem sai perdendo mesmo são os clientes brasileiros de outras cias. associadas à Star Alliance, como TAP e United. A partir da entrada da TAM na oneworld, esses clientes perdem a possibilidade de emitir passagens domésticas com milhas no Brasil, por falta de uma cia. brasileira associada.

--> Mudança de regras do Fidelidade: acabaram as mamatas domésticas

Sempre que mexem nas regras dos programas de fidelidade, é preciso relembrar: os regulamentos não são imexíveis e já mudaram muito ao longo do tempo. E sempre piorando para o lado do consumidor. (Por exemplo: na década de 90 eu comprava passagem internacional econômica descontada, tanto no Smiles da Varig quanto no AAdvantage da American, dava 12.500 milhas por trecho e ia e voltava de executiva pra onde quisesse.)

Quando a TAM se associou à LAN, eu logo imaginei que estava com os dias contados a grande mamata do programa Fidelidade, que era a concessão de assentos-prêmio em vôos nacionais por 10.000 milhas (em vôos sul-americanos por 15.000), com até uma semana de antecedência, sempre que houvesse algum lugar disponível no avião. Em teoria, todos os assentos de qualquer vôo nacional ou sul-americano da TAM poderiam ser trocados por milhas na tabela básica de pontuação, bastando que fossem resgatados com até uma semana de antecedência. Essa característica era especialmente genial quando usada para vôos em datas caras, como feriados e semanas mais quentes de férias. Todos os anos eu "comprava" minhas passagens para o Réveillon em Alagoas por 10.000 pontos a perna, em vôos que custavam R$ 1.200, R$ 1.400 na época do resgate. Foi excelente enquanto durou, mas eu sabia que essa mamata ia acabar.

(Pouca gente se dava conta disso, porque todo mundo vive obcecado com uso de milhas para passagens internacionais. Eu só uso as minhas milhas, tanto no Fidelidade quanto no Smiles, para passagens nacionais, e faço minhas milhas renderem muuuuuito mais.)

A partir de 1º de junho, porém, babau. A TAM passa a cobrar milhas variáveis pelos assentos. Quanto mais perto da data, mais caro custará (a não ser que o vôo esteja encalhado). Querendo pagar poucas milhas, resgate com a maior antecedência possível. Para que isso seja factível, a cia. mudou a regra de antecedência de resgate: agora todas as passagens-prêmio podem ser emitidas com até 360 dias de antecedência (antigamente eram 180 dias para vôos internacionais e 90 dias para vôos nacionais e sul-americanos). No entanto, as datas caras (Natal, Réveillon, Carnaval, começo de férias) provavelmente nunca terão tarifas baratinhas em pontos.

Essa mudança, a meu ver, é a mais crucial. Mas há várias outras, como por exemplo o início da cobrança em dinheiro da multa por cancelamento e remarcação de bilhete-prêmio (entre R$ 100 e US$ 200, conforme o tipo de bilhete), em vez de milhas (anteriormente a fatura era fechada com uma penalidade de 10% das milhas usadas). Mudam também a tabela de pontuação e resgate nas cias. parceiras, assim como as categorias de associado. Todas as mudanças podem ser consultadas aqui.

--> Dicas práticas: o que fazer agora

Algumas providências que você pode tomar para usar melhor os pontos já acumulados:

- Vai emitir passagem-prêmio nacional ou sul-americana na TAM para as férias de julho? Emita em abril ou maio.

Emita suas passagens-prêmio Fidelidade para as férias de julho ou para o Dia dos Pais assim que estiverem disponíveis (90 dias antes da data). Desta maneira você garante a pontuação básica de resgate (10.000 o trecho para vôos domésticos, 15.000 o trecho para sul-americanos), evitando a pontuação variável que começará dia 1º de junho e pode tornar essas datas mais caras em pontos.

- Tem milhas Fidelidade e quer voar TAP ou United ou Lufthansa?

Você tem até o segundo trimestre do ano que vem para emitir sua passagem. Mas se quiser aproveitar a tabela atual, precisa emitir até 31 de maio.

- Tem milhas Victoria ou Mileage Plus e quer voar dentro do Brasil ou na América do Sul?

Emita suas passagens antes da saída da TAM da Star Alliance. Depois disso, as milhas só serão válidas para viajar no Brasil caso outra cia. aérea entre no lugar da TAM na Star Alliance. (A candidata natural é a Avianca Brasil.)

--> Um último conselho:

Fique de olho nas promoções de milhagem que devem para contrabalançar a repercussão da notícia, por agora, e da implantação das novas regras, em junho. Clientes Smiles também devem ficar antenados, porque quando uma das duas faz promoção, a outra costuma responder.

--> E você?

O que achou das mudanças? Como gerencia suas milhas? Compartilhe com a gente!

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


312 comentários

Miriam Pereira da Silva

Estou arrasada e decepciona com o tal do multiplus, liguei o mês passado e vi o meu saldo que era de 69800, o atendente não me disse nada que iria expirar meus pontos. A múltiplas enche minha caixa de e-mail com propagandas, mas não mandou nenhum me informando que iria expirar quase o total de pontos acumulados, gostaria que vcs da tam verificassem com carinho meu caso. Fico no aguardo

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Miriam! O Viaje na Viagem é um site de turismo e não representa nenhuma das empresas. Escreva para Multiplus - https://www.multiplusfidelidade.com.br/junte/detail?name=tamlinhasaereas

Ge B
Ge BPermalinkResponder

Olá,
Teria mais informações sobre como está a operação entre a Tam e a Lan, pois comprei uma passagem Curitiba/Auckland pelo site da Tam e não consigo marcar os assentos nos trechos da Lan e também tive que conseguir um código na central de atendimento da Lan para fazer check-in separado do trecho da Tam, ou seja elas aparentam continuarem operando como se fossem companias completamente diferentes. E quanto as bagagens será que irão para o destino final ou terei que retirar em Guarulhos e despachar na Lan? Venderam os trechos com 2horas de conexão, estou contando que a passagem é vinculada mas na prática a Tam e a Lan se responsabilizam ou uma fica empurrando para a outra em caso de problemas? Em Janeiro de 2014, viajei para Santiago e no retorno a Lan não encontrava a minha reserva, sendo que a compra tinha sido feita pelo site da Tam.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ge! Tente reclamar nas redes sociais da TAM, é mais útil e você recebe uma resposta oficial.

Ge B
Ge BPermalinkResponder

Ola Bóia, o cometário saiu como desabafo, lamento. Se puder apagar agradeço e peço desculpas novamente.

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Ge B. Está certo desabafar, não tem nada que pedir desculpas, realmente essa fusão é uma confusão! Comprei pela TAM uma passagem Santiago-Rio, sendo a volta pela Lan. Também não conseguiram encontrar minha reserva pra volta na Lan, que culpa a TAM, e vice versa. Eu me sinto como uma bolinha de ping pong.
Acho a Lan uma excelente empresa, nunca tive um voo atrasado ou perda de malas. Mas qualquer problema com eles que saia um pouco do esquema (crédito de kms Lanpass, problemas na reserva ou na página web) é um verdadeiro inferno kafkiano, com um call center que é uma tortura psicológica. Eles tem uma tática de marketing que é enervar tanto o cliente, que o sujeito simplesmente desiste de reclamar. Já perdi um vôo de volta com eles porque liguei para o call center para remarcar a passagem as 11 e meia da noite, e depois de 40 minutos de gravações e corte de ligações, quando finalmente consigo falar com um humano, ele comenta que não podia fazer nada pois o prazo de remarcações tinha terminado a meia noite, 10 minutos antes...Eles simplesmente me deixaram na mão, lavaram a deles e não me deram resposta, apesar da remarcação do vôo ter sido por um caso de morte. Uma insensibilidade total.
Mas o pior é que sou teimoso e masoquista, e continuo preferindo a Lan, se o preço da passagem for semelhante.

Ge B
Ge BPermalinkResponder

Obrigado pelo apoio Neftalí. Afinal são detalhes simples de resolverem porém causam grande ansiedade e insegurança ao consumidor.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar