Budapeste, com afeto: as dicas da Ali

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Budapeste

Budapeste

O itinerário básico de viagem pela Europa Central, segundo a recomendação do Comandante, segue esta exata ordem: Budapeste, Viena, Praga e Berlim. É um roteiro que faz sentido em termos práticos, com deslocamentos mais inteligentes, e que deixa para o final as cidades pelas quais se costuma ter mais expectativas.

A Ali foi para esta região, mas experimentou um outro roteiro: Budapeste, um desvio para Berlim, Dresden e Praga (a viagem ainda continuou rumo a Londres). A capital da Hungria surpreendeu a Ali, que sem rodeios assume ter se encantado mais por Budapeste do que por Praga. Quer saber por quê? Vai por ela:

Texto e fotos | Ali

Roteiro

Pavilhão dos pescadores, Budapeste

Pavilhão dos Pescadores, Budapeste

Eu segui uma receitinha diferente e contra-intuitiva, mas que deu super certo. Primeiro, eu fiz o que todo mundo diz ser necessário fazer: comecei por Budapeste. Não queria correr o risco de ter um sentimento de anti-clímax durante a viagem. Mas também não estava a fim de passar pela adrenalina de comprar as passagens de trem apenas ao chegar lá, em alta temporada. Fui então para Berlim de Easy Jet (foi bem baratinha a passagem) e de lá segui de trem para Dresden (2 horas), onde passei uma noite, e de Dresden segui para Praga (2 horas e meia).

Dessa experiência extraí a seguinte lição: trem, no verão, só em primeira classe. O trem de Berlim para Dresden, que vinha precisamente de Budapeste, estava super-hiper-mega lotado. O perrengue só não foi maior porque o trajeto era curto. As pessoas e as malas viajavam amontoadas no corredor. Eu tinha pago reserva dos assentos, mas não consegui chegar até eles porque havia um amontoado de malas empilhadas e mochileiros dormindo no corredor. A gente viajou sentado em cima das mossas malas na entrada do trem. Uma aventura, para dizer com olhos otimistas.

Ao chegar em Dresden troquei as passagens do dia seguinte para a primeira classe. Vale cada centavo. No verão, não hesite: compre a passagem de trem de primeira classe. É perrengue-free.

Viena ficou para uma próxima vez, quando eu for à Suíça. Ao pesquisar os preços dos hotéis, achei todos caros demais e considerei, ainda, que o roteiro ficaria excessivamente repetitivo. Resolvi passar os últimos dias em Londres (hotéis no mesmo valor de Viena).

Budapeste x Praga

Ao contrário de 95% dos turistas, eu prefiro Budapeste a Praga.

Não há como discutir que a beleza de Praga é de tirar o folêgo. É realmente embasbacante. Mas a vibe de Budapeste, na minha opinião, é muito melhor. Eu poderia ficar uns 10 dias por lá. Parece Paris uns 15 anos atrás, quando era possível flanar e ter a sensação de que certos recantos tinham sido descobertos por você.

Budapeste é mais espalhada. Isso é uma vantagem e uma desvantagem. A desvantagem é que você não tem a sensação nossa-vi-tanta-coisa-em-tão-pouco-tempo que Praga proporciona. A vantagem é que nenhuma atração fica apinhada de gente. Andar na rua em Budapeste é uma experiência mais autêntica do que em Praga. Comer em Budapeste é mais fácil. Considero comer em uma cidade fácil quando consigo acertar mais de uma vez apenas seguindo minha intuição, sem precisar devorar todos os guias.

Não me senti numa festa no formigueiro. Em Praga, por vezes, parecia que eu estava na Disney, que aquilo tudo não era de verdade. Em alguns momentos tive a sensação de estar num parque temático do Leste. Claro que isso foi influenciado pela estação. Will Tizard, que vive em Praga desde 1994, diz que a melhor época para conhecer a cidade é o outono.

Budapeste no verão é alegre, mas não é superlotada, apesar de ser a sexta cidade mais visitada da Europa.

Enfim, me apaixonei por Budapeste.

Dicas de Budapeste

Importante dizer o seguinte sobre táxi em Budapeste. Para quem chega de avião, o aeroporto opera apenas com uma empresa de táxi chamada Fötaxi, que possui balcões na saída dos terminais. (A foto que aparece no site é do balcão que funciona no aeroporto.) Eles estão trabalhando com tarifas fixas, que são as mais baixas de Budapeste. Outra opção é o serviço de shuttle Minibusz do aeroporto que custa 3200 HUF ou 11 euros por pessoa. É logo na saída do controle de passaporte e não precisa de reserva.

Não precisei usar táxi em Budapeste porque o transporte público é eficiente e andei muito a pé, mas para pegar na rua ou chamar por telefone também li relatos na internet recomendando a Fötaxi.

Fiquei no InterContinental Budapest, com uma vista soberba. Pena que o hotel por fora é feio e destoa da cidade.

Gostei de passear e ver vitrines na badalada Váci utca, mas os restaurantes dessa região têm um jeitão mais turístico. Os restaurantes freqüentados pelos locais ficam nas ruas que circundam a Basílica, em torno da Szent István tér (praça Szent István). Ao menos no verão, a noite lá é bem animada. As opções de bons restaurantes são inúmeras, dá para escolher na intuição.

Os Meninos da Rua PauloRoda-gigante da praça Erzsébet

Os Meninos da Rua Paulo | Roda-gigante da Erzsébet tér

A praça Erzsébet fica lotada de gente jovem, há vários bares, barracas e uma roda-gigante no verão.

Ah, por fim, tive uma refeição memorável nesse italiano: Tom George.

Muito obrigada, Ali!

Leia mais:

50 comentários

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Sobre o trem lotado, eu tive o mesmo problema, no início de fevereiro(!), entre munique e innsbruck. No meu caso eu não havia reservado assento, mas conversei com algumas pessoas na mesma situação que você, com lugar reservado e sentados nos corredores. Eu NUNCA mais viajo de trem sem reservar assento, em qualquer época do ano.
E em budapeste, mais do que em amsterdam, tem que tomar mto cuidado com os "talibikers", la eles nâo tem muito dó de atropelar turistas.
Parabéns pelo relato.

Lu Pagliato
Lu PagliatoPermalinkResponder

Ai, cidade linda !!!!

Ari
AriPermalinkResponder

E aqui um relato bacana de Budapeste também, porém focado para homens:

http://www.viajanteanonimo.com/forum/post-Budapeste-Hungria

Pedro (Viaje com Pedro)

Olha, não podia concordar mais com você. Também acho Budapeste muito mais charmosa do que Praga. É mais cidade, enquanto Praga é um lugarzinho surreal vindo de contos de fadas. E como você bem disse, superlotada! Ótimo post!

Eryka Barreto
Eryka BarretoPermalinkResponder

Concordo plenamente com você.Fui em julho de 2011 e segui o roteiro indicado pelo Ricardo Freire.Preferi Budapeste à Praga. O leste europeu é lindo e se souber fazer, não se gasta tanto, diverte-se muito e come-se bem, apesar das dificuldades da língua.

Eryka Barreto
Eryka BarretoPermalinkResponder

P.S. : ...mas com o inglês dá para se virar muito bem.

margherita Duarte

Em setembro de 2010 fiz esse roteiro e adorei Budapeste,que é sim muito mais bonita do que Praga!

Próxima Trip - Erika

Nossa preciso ir pro Leste Europeu já! ????

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Quanto à Praga x Budapeste, não gostei mais de uma e nem da outra... Gostei igual das 2! E de Viena, que conheci na mesma viagem. Aliás, a minha viagem aquela vez foi Paris, Praga, Viena, Budapeste e foi maravilhosa, não acho que a ordem mudaria alguma coisa...

Daniel Conceição

A arquitetura de Budapeste se destaca em relação a de muitas capitais Européias. Achei bem mais legal que a de Praga.

Ana Fiorani
Ana FioraniPermalinkResponder

Gostaria de colaborar com relatos de cidades do Brasil e da Europa, sob um ponto de vista diferenciado. Para onde podem ser enviados?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana! Você pode escrever nas caixas de comentários correspondentes a cada cidade, ou então mandar pra gente em redacao arroba viajenaviagem ponto com smile

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalinkResponder

Caramba, todas as cidades grandes da Europa estão lotadas no verão! Acho que agora, para viajar nesta época do ano, é sempre melhor escolher roteiros mais "alternativos". A percepção do lugar muda muito se está tudo lotado. O prazer acaba virando sofrimento!

Michele - planejandoaviagem

Também sou fã de Budapeste, tive a oportunidade de ficar 7 dias lá e e de curtir toda a cidade de uma forma bem "slow". Amei! Passei a virada de Natal e apesar do frio e de uma certa quantidade de turistas (maior do que esperava), achei uma experiência muito local.
Fiz uma dobradinha com Bratislava que gostei bastante.

http://planejandoaviagem.wordpress.com/2012/01/22/budapeste-e-bratislava/

Meiry
MeiryPermalinkResponder

Posso dizer que "faço minha as palavras da Ali"... Igualmente me encantei e gostei mais de Budapeste que de Praga... concordo plenamente com tudo que foi dito e estarei em Budapeste agora em Setembro de novo... e claro, dicas extras já anotadas!!! Obrigada.

Anna Susy
Anna SusyPermalinkResponder

Fiz uma viagem saindo de Munique de trem, rumo a Budapeste, parando 48hs em Viena, com o mesmo ticket. Ficou super economica, apesar que Viena merece mais dias. No site de trem alemão, é possivel sempre comprar uma passagem com paradas de até 48hs em cidades intermediárias: www.db.de (é possivel alterar o idioma para ingles).
Para quem não quer gastar muito com hotel, recomendo Hid Hotel(http://www.booking.com/hotel/hu/hid.en.html). Não é luxuioso, mas muito limpo e localização de fácil acesso com transporte público. Em Viena, Hotel Geblergasse e Birg-Cyrus, também economicos, razoáveis e ambos de ótima localização.

meme
memePermalinkResponder

Pessoalmente prefiro Praga, questão de gosto né? E Viena é uma das minhas cidades mais amadas, nunca perderia a chance de dar um pulo porque é muito perto.

De toda forma, tenho dica de apartamento, vacation rental em Budapest

Dunaflat.com

eles tem muitos apartamentos para alugar, a um otimo custo beneficio. Fiquei no Carmen, num palazzo art nouveau incrivel, perto do Parlamento, o apartamento tinha mais de 200m2, para quem gosta de espaço como eu, uma festa.

Conheço a Hungria um pouquinho, o interior tb é muito bonito, recomendo a provincia de Zala, a poucas horas de Budapest.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Tb sou mais Budapeste que Praga Ali! Ótimo post

Liliane
LilianePermalinkResponder

Ótimo post! Muito legal ler isso! Acabamos de voltar de Praga (amamos, viu?) e é realmente linda, mas às vezes parece cenário! Não poderia concordar mais com vc!!! Senti falta de ter contato com a cultura ou alguma experiência mais "real life", embora tenhamos até alugado um apê lá... Agora fiquei ainda mais interessada em conhecer Budapeste.

Celina Martins

Budapeste entrou na minha lista das cidades em que pretendo voltar e voltar.É deslumbrante! Apesar do idioma, me senti mais do que bem vinda e aconchegada. A cidade é fantástica e o passeio pelo Danúbio um sonho. Usei o serviço de Minibuzs e adorei. Eles te deixam na porta do hotel e na hora de voltar te pegam na hotel e te deixam no aeroporto, sendo uma minivan, ainda dá para conversar com outros viajantes.

Leila Azevedo
Leila AzevedoPermalinkResponder

Tive a mesma sensação em Praga, parecia aDisney, muita gente , todos os lugares cheios demais, dificuldade de andar e ver a cidade com calma, e eu fui em outubro.
Este ano vou conhecer Budapeste, vou em setembro e estou esperando gostar bastante de lá pelo que li.
Sei que normalmente as pessoas juntam Buda, Viena, Berlin e Praga. Eu fiz diferente, o ano passado fiz Copenhagen, Estocolmo, Hamburgo, Hanover, Dresden e Praga. Este ano faço Budapeste, Viena, Graz, Ljubljana, Zagreb, Split e Dubrovnik.
Não estou conseguindo comprar passagens de trem de Budapest para Viena pela web, alguém tem alguma dica?

Mauricio Fernandes

Leila,

De Budapeste para viena tem que ser pelo site da MAV ( húngara). Eu comprei no final do ano passado e levei o código para imprimir na máquina da estação.Super fácil. Ainda não dava para imprimir em casa.
Não aceite ajuda de ninguém na estação de Budapeste...

Miriam
MiriamPermalinkResponder

Estive no Leste Europeu agora em setembro. Adorei todas as cidades, mas tb gostei mais de Budapeste. A visão do Parlamento e especialmente do castelo iluminado à noite! O que que é aquilo!!! E como disse outro leitor, a arquitetura de Budapeste é fora de série. A Basílica de Sto Estevão maravilhosa, os doces da doceria Gerbaud, os banhos termais, os bares à noite fervilhantes, os souvenirs, restaurantes legais... Fica difícil falar de tanta coisa bacana. E eu não consegui ver tudo. Quanto à Praga, é linda, vale muito a pena ir, mas eu achei que está bem caída. Os monumentos, prédios e igrejas estão pretos de sujeira acumulada, falta manutenção.

Mauricio
MauricioPermalinkResponder

Estive também nas duas cidades no final de 2012/13 e concordo com os comentários acima. Tive o mesmo sentimento.

Lina Reis
Lina ReisPermalinkResponder

Ricardo, tudo bem? Então, devo ir a Polonia, HUngria, Eslovaquia e Republica Tcheca em março de 2014, mas estou na dúvida se as atrações ficam abertas ou não nesses lugares. Comprei um guia de viagem da DK (equivalente ao PubliFolha daqui no Brasil) e todos os lugares que pretendo ir aparecem com opção de abertura somente a partir de abril, tipo: museus, castelos, entre outros. Sabia me ajudar com esta informação? Desde já te agradeço!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lina! É estranho. Um ou outro castelo bem no interiorzão pode ser que só abra no verão, mas museus? Procure o site das atrações que quer visitar e você encontrará os horários.

Otto
OttoPermalinkResponder

Boa Tarde amigos. Pretendo visitar Budapeste em julho deste ano e gostaria de saber como é a melhor forma de fazer o câmbio, se no aeroporto, em casas de câmbio, a segurança, enfim, tudo o que for possível. Grato pela atenção de todos.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Otto! Não use casas de câmbio no aeroporto, em lugar nenhum do mundo. Sempre oferecem a pior cotação.

Mas mesmo no centro da cidade, é bastante complicado usar casas de câmbio. As informações de cotação e comissão nunca são claras; muitas vezes apregoam um valor e na hora de você trocar dizem que é outro, porque o valor anunciado é para grandes quantidades.

Ao levar dólares ou euros vivos do Brasil para trocar por lá, saiba que pelo menos 5% da cotação oficial será "comido" em comissões; logo, não tem tanta diferença do IOF de 6,38% cobrado no Brasil para pagamentos eletrônicos. Por isso vale a pena usar cartão de crédito e tirar dinheiro diretamente do caixa eletrônico, habilitando para isso o seu cartão de conta corrente.

Andre Petroni
Andre PetroniPermalinkResponder

Boa noite amigos viajantes

Pessoal que foi pra Budapeste... 15 euros/dia pra alimentação em média, tá bom?

A idéia é intercalar um restaurante médio (nem dos mais chiques, nem as espeluncas) com uma refeição rápida ou algo de supermercado

abs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, André! É bastante pouco. Leve cartão de crédito, você pode precisar.

Ana
AnaPermalinkResponder

Ola, por favor, pode me ajudar? Quero visitar Amsterdam, ir de trem noturno para Praga e de lá para Viena e Budapeste. Que vc acha? Qtos dias em cada cidade? Como ir de uma p outra?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana!

Não recomendamos trem noturno:
https://www.viajenaviagem.com/2014/03/roteiro-de-viagem-dicas-para-montar/

Leia sobre quantos dias em cada lugar:
https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

O melhor é voar de Amsterdã a Budapeste e seguir de trem a Viena e Praga:
https://www.viajenaviagem.com/2011/04/budapeste-viena-praga-use-a-receita-da-wanessa/

Luzia Paramés

Olá! Vou uma semana a Budapeste, somos 3 pessoas e gostaríamos de ficar num apartamento fiável e a bom preço, com 2 dormitórios.Alguma dica? Muito obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luzia! A dica é buscar pelo AirBnB:

https://www.viajenaviagem.com/2012/08/dicas-airbnb-aluguel-apartamento/

Valentina
ValentinaPermalinkResponder

Viajarei em Julho para Alemanha/R.Checa/Austria/Hungria e já li muita coisa a respeito, mas as vezes bate insegurança. Estudei algumas rotas e optei fazer Munique/rota romântica até Berlim de carro e de Berlim e demais países de trem, voltando a Munique por Viena/Salzburg. Não sei se é a melhor opção, mas foi a conclusão que cheguei considerando que vou entrar e sair por Munique. Espero ter feito a escolha certa, mas tbm é questão de sorte dar tudo 100%, mas vai que dá. Tenho aproveitado bastante as dicas do blog de vocês, se puder fazer algumas considerações a respeito de minha opção, agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Valentina! Uma maneira de evitar a volta é chegar por Munique e voltar por Budapeste (ou o contrário).

Veja como comprar passagens multidestinos:
https://www.viajenaviagem.com/2012/01/passagens-internacionais-como-evitar-o-erro-mais-comum/

Vá a Salzburg como bate-volta desde Munique. Instale-se em Würzburg por dois dias e faça a Rota Romântica de lá, de trem. De lá vá a Berlim, Praga, Viena e Budapeste de trem. Ou o contrário disso.

Jô
PermalinkResponder

Olás!
Budapeste e Praga são duas cidades lindas que valem a pena, mas a superlotação de Praga (fui no início da primavera, porém com clima de inverno ainda) atrapalha o charme da cidade.
Fiz o seguinte roteiro e não me arrependo: Berlin > Praga > Budapeste > Munique.
Ao contrário dos que guardam Praga para o final para o grande impacto, achei interessante conhecer a cidade antes de Budapeste, pois, a segunda ficou na lista sem muita expectativa e acabou se tornando uma bela surpresa.

marai das dores azeredo

Bom dia! por favor, estou fazendo o trajeto Berlin/praga/budapeste (chegando em berlin e voltando por budapeste) gostaria de conhecer a capital da Slovenia, qual seria a melhor forma? poderia me ajudar? obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marai! Ljubljana está a 8 horas de trem de Budapeste. Está fora da rota natural do seu itinerário.

fernanda
fernandaPermalinkResponder

Bom dia, estou pensando em fazer esse roteiro em junho do ano que vem. Comparando horários de chegada dos voos que pesquisei, seria mais vantajoso fazer o roteiro em ordem inversa. A recomendação budapeste - viena - praga é apenas para evitar uma possível decepção ou tem algum outro ponto prático?
No começo de junho Praga já é muito cheia?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! O Ricardo Freire sugere Budapeste antes de Praga porque acha que Praga é bem mais esplendorosa e Budapeste pode decepcionar se for deixada para depois. A Ali achou justamente o oposto, ficou decepcionada com Praga depois de Budapeste, por isso fez esse texto. Não existem verdades absolutas em viagem.

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Eu fiz o roteiro inverso, Praga antes de Budapeste, e não me arrependi. No geral, gostei mais de Budapeste do que de Praga.

Celia Marina Baptistella

Boa noite!
Mais uma vez, estou usando o VnV no planejamento de minhas viagens e adorando!
Pretendo ir com duas amigas, que nunca viajaram, à Budapeste, Viena, Praga, Berlim e passar mais 10 dias na casa de outra amiga que mora em Hanover/Alemanha.
Teremos que viajar em julho/2017 por motivo de férias, mês que particularmente não aprecio mas é o que temos.
Sempre viajei na companhia de meu marido e, em 2017, faremos uma viagem só de amigas.
Hoje um amigo me desanimou, dizendo que o Leste Europeu com trens lotados no verão e etc não é para mulheres inexperientes.
Gostaria de ouvir opiniões.
Obrigada!!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Celia! Minha opinião: seu amigo é um chato de galocha. Quantas horas dos seus 7, 15 ou 21 dias de férias você passará em trens? Ele decerto prefere que você viaje em janeiro, quando anoitece às 4 da tarde, você não consegue passar mais de 30 minutos corridos ao ar livre e todas as fotos saem cinza...

Celia Marina
Celia MarinaPermalinkResponder

Adorei a resposta!!!! Rsrsrsrs.
Muito obrigada!

Caroline
CarolinePermalinkResponder

Visitei Budapeste e fiquei muito surpresa com a cidade. Não esperava tanto! A Opera, o Parlamento e o passeio pelo Danúbio a noite são maravilhosos! O Parlamento parece uma jóia. A Opera e o museu do Holocausto são verdadeiras aulas de História!

Diana Goes
Diana GoesPermalinkResponder

Muito bacana e explicativo seus comentários em breve vou viajar por muitos países realizar meu grande sonho vou seguir sed conselho muitíssimo grata!

Marisa
MarisaPermalinkResponder

Conheci Budapeste, no mês passado e também me apaixonei, linda demais. Castelo, Rio Danúbio, as pontes etc...
Praga é amor antigo kkkk

Maria Angélica

Olá!
Tenho 15 dias para viajar em outubro. Pretendo ir para Berlim, Budapeste, Zurique (Lucerna e Berna) e fazer um pit stop em Lisboa. Quantos dias vc sugere em cada cidade, já que em Berlim terei que ficar 4 dias inteiros. Qual o melhor meio de transporte de Budapeste/Zurique: avião ou trem?
Obrigada, Angélica

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Angélica! Entre Zurique e Budapeste, e entre Budapeste e Berlim, vá de avião.

Veja também:
https://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar