Enquete: companheiros de viagem

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Rio Preguiças

| G.R.E.S. Unidos Pelo Mico |

A viagem ideal é aquela que leva ao destino dos sonhos, na melhor época, com dinheiro o suficiente para não passar aperto ou vontade. Certo? Bom... quase. Pois até a mais paradisíaca das ilhas pode se tornar um inferno se, como companhia de viagem, temos um daqueles tipos mala sem alça que passa todo o tempo reclamando do vento em Aruba, da falta de resorts em Los Roques ou da ausência de vida noturna em Bora Bora.

Companhias de viagem podem pintar por escolha ou por mil e uma circunstâncias: o seu namorado; a sua família; aquele colega de trabalho que tirou férias no mesmo período e perguntou se você tinha planos... ou alguém que você tenha conhecido aqui pelo VnV. mrgreen (Já deu uma olhadinha na página Solo do site? Virou um Classificadão de gente em busca de companhia para viajar.) Mas, mesmo entre pessoas que tenham muita intimidade ou gostos em comum, há coisas que só uma semaninha de convívio intenso em um lugar desconhecido são capazes de revelar.


(Tenho cá pra mim que firmar qualquer compromisso antes de uma viagem é uma decisão de altíssimo risco. Espera pintar um feriado, chama pra passar uns dias na praia ou na serra, e depois avalia se o romance deve ir pra frente. Palavra.)

Viagens são o maior teste de afinidade pelo qual uma amizade ou um relacionamento podem passar. Exemplo: você decide viajar com um grande amigo. Apenas lá você descobre que ele acorda no maior pique, viaja para conhecer cada um dos cartões postais e curte bater perna até escurecer, e depois descansar. Você é do tipo que perde o café da manhã todos os dias, e gosta de visitar as atrações com calma, para poder ter energia para badalar à noite. Muitas vezes, hábitos que não têm importância nenhuma no dia-a-dia viram questões cruciais quando se está viajando.

Por isso eu acho que podemos roubar uma boa idéia das turmas de excursão: pelo menos um dia livre, ou uma tarde livre, em que cada um faça o que bem entende. Se você quiser ir às compras, e ele quiser ir a mais um museu, taí: às 17h vocês se encontram de volta no hotel, sem ter passado por nenhuma escolha difícil em que alguém sairia insatisfeito.

Queremos saber: alguma vez, alguma companhia mal escolhida fez da sua viagem um desastre? E quem são os seus melhores companheiros de viagem? Aos comentários!

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


100 comentários

Maria Helena
Maria HelenaPermalinkResponder

Para mim o pior companheiro de viagem é aquele que fica fazendo questão de "merrecas", contando centavos, dividindo a conta do restaurante com aquele rigor matemático de dar inveja... Aff...

Camilla Kafino

credo, isso é a pior companhia do mundo em qq ocasião, em viagem então, acho que mataria o infeliz.

leticia z
leticia zPermalinkResponder

Interessante este tema! Realmente, a cia de viagem faz toda a diferença.E acho que não é imutável, depende do objetivo. Sempre alterno entre marido, irmã , filhos ou solo. Solo é libertador.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Viajo com minha esposa, e nosso perfil é de acordar cedo, bater perna a viagem inteira até moer os pés, conhecer muita coisa. Tenho amigos que amo, mas que sei que gostam de dormir mais, não se importam de perder o café, gostam de programas diferentes. Não dá.

Mas em 2009, antes de casar, fiz um mochilão de um mês na Europa com um amigo. No decorrer da vigem, em algumas noites eu me estressava porque estava moído e queria ir embora e ele sempre queria tomar mais uma, ficar mais um pouco, e ele se estressava porque eu moído ficava chato e resmungão. Uma noite estávamos num "churrasco" num canto qualquer de Veneza, tipo uma feira noturna que vendia assados e cerveja. Eu queria ir embora, ele queria ficar. Fomos embora discutindo, eu chamando ele de sem noção, sem limites, ele me chamando de chato, de estraga prazeres, até que demos de cara com uma parede. Tínhamos nos perdido nos labirintos meio sinistros de Veneza de madrugada. Olhamos um para o outro e ao invés de continuar discutindo, começamos a rir! smile

Anônima A
Anônima APermalinkResponder

Sorte de quem define o cônjuge como o melhor companheiro para viagens.
Eu fiz um mochilão com o meu, neste ano, e vou te contar... Nunca brigamos tanto, ele até ameaçou voltar pra casa e me deixar lá.
Perdido, envergonhado, lento... Acordava onze horas todos os dias e deixava o hotel mais de uma hora depois... Todas as manhãs foram perdidas. Enquanto eu queria curtir cidades históricas ele queria ficar nas lojas, vendo coisas que não podíamos comprar. Irritante, foram semanas críticas.

Não sei o que fazer nas próximas ferias q não tenho outra cia.

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Nunca considerou viajar sozinha? Não é por ser casada que se é obrigada a viajar com o cônjuge, ainda mais do jeito que você falou que foi a viagem... Dê uma lida na seção "Solo" aqui do site, quem sabe te inspira? E como a Mariana disse no texto, as pessoas costumam buscar companhias de viagem por lá também.

Anônima A
Anônima APermalinkResponder

Olha, eu realmente não curto viajar sozinha, acho chatíssimo. Mas acho que na próxima vou na sugestão da Jussara. Deixarei ele dormindo e vou vazar do hotel cedinho.
As separações no decorrer do dia funcionaram, isso vai funcionar também. Valeu!

-- A.L. (Dois Mapas)

Uma sugestão, que obviamente não funciona para todos os casais, é combinarem de viajarem juntos para algum lugar em que fazem programas separados durante o dia, e se encontram no fim do dia. Às vezes funciona, seja em um resort cheio de atividades, seja em uma cidade grande com muitas coisas diferentes para fazer.

Rejane
RejanePermalinkResponder

Vc pode conviver socialmente por anos, mas só nas viagens é que as pessoas se revelam.
Viajo há quase 20 anos com uma amiga que adora as mesmas coisas que eu, nos esbaldamos pelas ruas e museus das cidades, adoramos as comidas de mercados e não somos de badalações noturnas. O roteiro é sempre feito em comum acordo e nunca tivemos problemas pq conversamos e esclarecemos tudo.
Nos anos 90 fiquei 15 dias em NY e perdi a 'suposta' amiga. Os hábitos eram chatos, só saia depois de meio dia, não falava inglês e queria ser entendida em português?@???, e outras coisas mais. Eu continue viajando com outras pessoas e ela nunca mais, deve ter percebido que não levava jeito pra coisa.
A ideia de um manual de 'convivência viajativa' é perfeita, resolveria muitos problemas.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Pra mim existem duas caracteristicas que
inviabilizam qualquer programa: a compania dos abusados
e dos que se ofendem por qualquer coisa.

Pra viajar junto não é preciso gostar de fazer
as mesmas coisas o tempo todo,mas é indispensável
respeitar a liberdade de ir e vir de cada um.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Perfeito, Sylvia!

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Grande Sylvia! Perfeito! De resto, tudo se ajeita!

Lia
LiaPermalinkResponder

Post perfeito! As pessoas só se revelam de verdade em uma viagem, fato comprovado.
Já tive algumas frustrações, outras ótimas revelações, mas o que mais me recordo de problema foi uma amiga muito próxima que quando viajamos pra acampar se revelou uma porquinha relaxada. Rsrsrs, triste. Poxa, acampar é colaborar, é perrengue mesmo, temos que nos esforçar pra no mínimo lavar o que usamos pra fazer comida, sabe? Rolou bastante conflito e acabamos nos afastando depois.
O marido é minha companhia quase perfeita. Digo quase pq por mim acordo cedo, visito tudo, bato perna até moer e só paro pra dormir. E ele é da turma do relax. Então os dois abrem mão um pouquinho, um dia ele me acompanha, outro dia fico devagar. Tb já saímos daqui com uma proposta definida: essa viagem é de descanso, romantica ou é pra explorar? Assim já ficamos combinados. Tem dado certo.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Grande idéia Lia! Nunca havia pensado
em definir antes o tipo de viagem .
Vou plagiar já !

Luciana Jordão

Perfeito o post! Minhas companhias perfeitas são o meu marido e a minha filha de 4 anos, que está acostumada com o nosso ritmo de sair cedo, bater muita perna e só voltar para o hotel para dormir, já destruídos.
Mas mesmo com as companhias perfeitas, a coisa pode enroscar. Fizemos uma viagem eu e meu marido para Paris e ele estava num super mal-humor na época. Nem aquela beleza de cidade fez com que ele entrasse no clima. Aí, não há santo que ajude.
Agora em dezembro viajo com meu irmão, pela primeira vez em muitos anos. Como ele tem um perfil um pouquinho diferente, já segurei a onda na lista dos museus e estou programando longos e deliciosos almoços e jantares. Sem pressão.
Abs aos trips!

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Tema muito bom, que poucas pessoas analisam com o cuidado que deveriam. Meu pior mico foi uma viagem pra Sardenha com um cara que me paquerava, eu descobri rapidinho que eu nao queria nada com ele, mas ainda sobravam 7 dias de viagem. Ainda bem que tinhamos uma amiga comum conosco, mas ela sofreu muito com meu mau-humor, coitada. Lembro muito bem de pensar que n?o adiantava nada estar em Porto Cervo com aquela companhia, e que preferia estar em Mongagua bem acompanhada!!! smile

Leonardo Sá
Leonardo SáPermalinkResponder

Viajo com o mesmo grupo de amigos ha bastante tempo! cada um sabe o limite do outro, sabe quem se atrasa pra sair, quem é murrinha, quem reclama de tudo, mesmo sem ter porque reclamar... Mas o mais legal é saber que essas 'questões' ajudam a fazer a história da viagem!

Sonia Pompermaier

Realmente um tema adequadissimo!!!
Ja tivemos de tudo: o pao duro dividindo os centavos em cada conta (nnca mais viajamos juntos), a estrela que sugeriu fica com minha maquina que fica mais facil para voce tirar fotos minhas…e nao entendia porque eu queria a foto da coisa e nao eu na frente da coisa…, o amigo que queria ir jogar futebol e nao ver o Museu Capitolino - afinal so velharias…ate que decidimos por viajar solo! Recentemente passamos um ano na Franca e as viagens foram sempre planejadas e compartilhadas com os filhos ja adultos…Maravilha!!!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Ri alto com "a estrela que sugeriu fica com minha maquina que fica mais facil para voce tirar fotos minhas". Tenho uma amiga exatamente assim.

Luis
LuisPermalinkResponder

Acabo de voltar de uma viagem de duas semanas com um grupo de seis pessoas, sendo que uma delas era a minha sogra. Pense num arrependimento! Em alguns momentos durante a viagem cheguei a repensar meu relacionamento com a filha dela (que, a propósito, é a melhor companhia de viagens que já tive). O pior é que temos uma outra viagem de duas semanas marcada para o início do próximo ano. Ah, se eu soubesse que ela era assim... só mesmo uma viagem para realmente conhecermos as pessoas.

Simone Lustosa

Ao longo de muitas viagens que fiz, cheguei a conclusão que quanto menos pessoas melhor, meu marido é uma ótima companhia e minha filha de 06 anos já entrou no nosso ritmo. Das vezes que viajamos com mais pessoas, algumas não deram muito certo, pois são muitas as diferenças, mas chegamos a conclusão que quando queremos reunir mais pessoas para viajar uma semana é o suficiente, pois não se torna cansativo, não dá tempo enjoar das pessoas e evita aquele casamento sem amor, de ter que ceder tantas vezes sem querer.

cibelli rosa
cibelli rosaPermalinkResponder

Realmente o post é ótimo, muito inspirado! Para conhecer intimamente uma pessoa, viaje com ela. Já tive várias experiências, a maior parte delas incrivelmente positiva. Amigas que se tornaram mais próximas e queridas após uma viagem, e casamento desfeito após uma viagem bela e terrível: foi o ponto final da relação! Viajar sozinha também se tornou um hábito: se não fosse o custo extra de pagar mais pelo quarto single, viajaria sempre assim!

Porcina
PorcinaPermalinkResponder

Viajar junto com alguém requer uma certa arte...acho que precisa ter um mínimo de interesses em comum, além de respeito e tolerância. Não tem coisa pior do que você estar se sentindo vivo e parte do mundo, conhecendo lugares, pessoas e culturas novas, enquanto seu companheiro de viagem reclama de tudo e de todos o tempo inteiro. Antes só que mal acompanhado...pura verdade!

Jorge Otavio Gonzaga Reis

Essa eu nunca mais caio. Viajei outrora com amigos pela Europa e alternamos momentos de stress, falta de bom senso, mesquinhez.Nao foi de todo ruim mas me mostrou o velhi ditado: 2 eh bom...assim tenho uma excelente companheira de viagem hj na minha esposa...nem reclama de ir de carro de Londres a Moscou...rsrs e de quebra nossas gemeas de 6 anos nos acompanham no mesmo pique.Sair cedinho do hotel e voltar a noite,como uso muuuuuito e sempre carro eh estrada afora pelo mundo dormindo do sotao di hostel em Smolensk na Russia ao 5 estrelas em Kuala Lumpur...tem de se adaptar e se divertir e as meninas seguem juntas conosco desde os 2 anos qdo debutaram em uma ida do Rio a Carretera Austral...de carro desde aqui do RJ.

Monica Coelho
Monica CoelhoPermalinkResponder

Eu ja viajei com uma amiga que chegou na praia e começou a reclamar e a me ofender porque estava chovendo... Como se eu pudesse fazer algo sobre o assunto....rsrs falava mal do lugar o tempo inteiro pelo celular com as pessoas que nao estavam lá, um verdadeiro pesadelo...

-- A.L. (Dois Mapas)

Tema interessantíssimo.

Minha hipótese é a de que viajar para um lugar novo traz o que há de melhor e pior nas pessoas. Já deixei de engatar namoro sério por conta de viagem que trouxe à tona chiliques e falta de paciência de uma mulher muito legal em jantares ou passeios na cidade. Sem as "estruturas de apoio" que normalmente temos onde vivemos, é preciso mais "energia mental" para colocarmos nosso lado positivo sempre em ação, e depois de 2-3 dias até mesmo as pessoas mais preparadas acabam se mostrando como são.

A maioria das minhas viagens é de carro, e quase sempre eu sou tanto o motorista como quem conehce mais a priori o roteiro. Aprendi a sempre descrever o roteiro, quantas horas no carro temos etc. Ainda assim, já tive viagens frustradas duas vezes por companhias que terminaram por descontar em mim fatores além do controle, como impossibilidade de chegar a tempo em um local pré-planejado devido a interdições, ou congestionamento-monstro. O que eu faço quando estou de motorista de mais gente no carro é logo dar um "briefing" do tempo que temos, para diminuir contratempos e frustrações como "pq vc não avisou que chegaríamos 20h no hotel, daí a gente poderia ter não parado naquele lugar para evitar chegar mais tarde cansados"

Outras ações simples que tomo atualmente para viajar acompanhado:

- jamais insisto com alguém viajar comigo, se a companhia estiver pouco interessada, é certeza de perrengue durante a viagem

- não gosto de viajar com pessoas com habildiade linguística em inglês ou língua do destino muito diferente das minhas, pois isso causa sempre um stress de um virar tradutor do(s) outro(s). A menos que conheça bem mesmo, prefiro não arriscar.

- SEMPRE entro antes em acordo que não precisamos estar junto o tempo todo e não viajo com quem ache a ideia ruim. É muito sufocante não ter um momento pra ficar um pouco distante de quem vc já está junto o restante do tempo.

Próxima Trip - Erika

Hahahah muito legal e complicado esse assunto do post. Desde 2006 viajo com o marido, e temos um estilo bem parecido de viajar e de encarar toda a rotina de uma viagem. Apenas separamos atividades quando quero fazer umas comprinhas, daí a gente combina de se encontrar em algum lugar algumas horas depois.

Off- topic: a propósito estamos nesse momento em Pequim, no 5º dia de uma trip de 25 dias totalmente desempacotados aqui na China.

Abs a e boas trips a todos!

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Eu já tive perrengues viajando com as pessoas que mais amo (marido, irmãos e, mais recentemente, meus pais), mas tudo vai se ajeitando no caminho, com conversa e nivelamento de expectativas.

O que se mostrou interessante nas viagens e identificado pelo marido é que nós dois temos uma validade de boa convivência de 20 dias. Depois disso, a gente começa a se irritar com as coisas com mais facilidade. Prestando atenção, reparei que os grandes stresses de viagem realmente se davam depois desse período. Depois disso, colocamos meio que como padrão que 20 dias viajando era o período para uma viagem perfeita, e que se passamos mais tempo que isso, damos um desconto para os pitis de cada um. razz

-- A.L. (Dois Mapas)

Boia, fiz um post, foi pro spam sad

Gustavo - Viajar e Pensar

Putz, sou o maior chato, tirando a Juliana poucos me aguentam (ela tb não aguenta e me manda passear sozinho alguns dias), não preciso dormir muito, tenho pique para atividades diurnas e noturnas, fico estressado no início da viagem, uma ansiedade, relaxo depois de uns 2 dias, sério, o início de todas as viagens para mim são angustiantes.
Planejo estudo, tento saber o máximo dos locais, mas então qualquer companhia abaixo disto me irrita, entrar num lugar e pessoa me pergunta o que tem para ver, saiu bufando. DEu seria um excelente solo traveler, mas agora terei mais o jovem Belli de carona.
Apesar de tudo isso tenho excelentes viagens com galera num cruzeiro pelo Caribe, temos um casal de amigos que nos acompanham e ele dorme menos do que eu e sabe muito de muitas coisas, aprendo mais com ele do que nos destinos, então temos que nos adequar as companhias.
Fiquei quase um ano sem falar com um casal de amigos por que na volta de Búzios para o Rio eu não peguei o acostamento, odeio que faz isso e nunca na minha vida faria isso, mas no Rio todos andam no acostamento e este casal ficou irritado que eu não concordo.

Curto grupos para um dois dias no máximo, festa e almoço, não andar em bando etc. Meu medo é que as pessoas descubram este meu lado negro.

@GusBelli

Gabi E.
Gabi E.PermalinkResponder

Já viajei muito sozinha e também com irmão, irmão e cunhada, amigo, amiga, turma de amigos, namorados, prima... E, de repente, descobri que a melhor companhia de viagem que eu jamais tive é minha mãe. Temos o mesmo pique, gostamos de dormir e comer bem, ela não liga de eu ficar horas dentro de um museu ou livraria, topamos tardes fazendo nada, shopping, construções históricas e, principalmente, adoramos caminhar. (Eu já viajei com gente que queria pegar táxi pra ir de um quarteirão a outro em Nova York.) Ela, com 70 anos, tem um pique até maior do que o meu, com 43, e encara na boa ônibus, trem, carro - só avião um pouco menos. Desde 2009, já fomos juntas a Paris, Buenos Aires, Portugal, Marrocos, Belém, Minas e Estados Unidos. Se eu soubesse, teria começado a viajar com ela mais cedo. smile

Francisco
FranciscoPermalinkResponder

Eu brinco sempre que tenho uma lista negra de companheiros de viagem. Pessoas com as quais eu já viajei uma vez para nunca mais. Mas descobri também que tem outras que depende da forma como se viaja, para algumas viagens rola, para outras não.

Até o momento, a minha noiva é a minha melhor companheira de viagem mesmo, ela topa quase tudo. O problema está no que ela não topa. Em Aruba queria fazer snorkel, mas ela não gosta de barco, mas fomos mesmo assim. Eu simplesmente ignorei a cara feia dela de que não estava gostando do balanço do barco e mergulhei na maior.

No mais, concordo com o post. Um fim de semana antes de experiência é importante. Já viajei com três amigos para a Europa por um mês sem nunca ter viajado antes com dois deles. Foi uma experiência terrível e a amizade com um deles até ficou bastante abalada.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Para mim, minha companhia de viagem ideal é o meu marido, porque ele, também, é o companheiro de viagem perfeito na vida cotidiana. Ele aceita proposta viagens com entusiasmo admirável e gosta de viajar sem saber nada sobre o lugar que você viajar (ao contrário de mim, eu gosto de planejar e projetar a viagem). Com ele, eu posso aquietar viagens, diversão, culturais ou de aventura, nós adoramos lazer da viagem em si.

Um dia eu fui com a minha melhor amiga e foi um fiasco. Não houve um momento de paz. Durante todo o dia falando sobre as nossas coisas, sem trégua ... totalmente desgastante. Eu preciso de algum silêncio quando eu viajo para se concentrar no prazer da descoberta de novos lugares.
Eu ainda adoro minha amiga, mas para a saúde e paz de espírito... não viajar juntas.

Ni
NiPermalinkResponder

Meu marido virou um bom companheiro de viagem depois de eu dar um chilique com ele em plena ilha grega, falando que nas próximas férias era pra ele ficar indo na casa da mamãe todo dia enquanto eu rodava o mundo sozinha. Foi totalmente ridículo eu ter surtado tanto, mas valeu, depois desse dia nossa viagem ficou mto melhor e em todas as outras eu não tive q aturar cara feia pra nada!

Mas minha melhor companhia de viagem é minha irmã! Ela topa tudo, não reclama de nada e ainda damos boas risadas dos perrengues!

E pra mim a pior cia de viagem é quem viaja pelo status de viajar, não pq gosta. Acreditem, conheço gente assim e mesmo depois de vários convites pra irmos em grupo pra vários lugares eu continuo fazendo de conta q não é comigo!

Bela
BelaPermalinkResponder

A cada viagem, risco uma pessoa da minha lista !!! rsrs Numa ida à Pipa - RN, pousada a R$ 30,00 a diária, uma amiga lisa-fresca, queria queijo branco e pão integral no café da manhã !!! Oi ?? kkkk Outra vez, Chile, com uma amiga, o marido dela e mais 7 amigos DELES ! Roteiro todo pronto, guia contratado, aprovado por todos e ... Ao chegar no shopping, na tarde livre, o povo ficou estressado pq não queria shopping. Como assim ?!? Estava no roteiro ! Sem falar q dispensaram o guia no último dia ! Situação delicada ! Tudo ótimo com a amiga e marido, mas com esses outros 7 ... Jamais !!! rsrs Mas tb tenho ótimos companheiros de viagem ! 2 amigas q topam tudo, são companheiras na várias idas à Pipa ! E bem recentemente, "montei" um grupo de 16 pessoas e fomos p Noronha ! Foi perfeito !!! Sem estresse, todos bem integrados ... Maravilhoso ! Me tornei BelaTur e o pessoal já quer mais !!! rsrs Ano que vem vai ser a prova de fogo : 35 dias entre Portugal, Espanha, França e Grécia !!! Com 1 ou 2 amigas. Mas sinto q não terei problemas ! rsrs

WISELADY
WISELADYPermalinkResponder

Ótimo post, incrivelmente verdadeiro. Especialmente aquela parte de virar tradutora de todo o mundo, o que me acontece muito. Já fiz promessa que não viro "tia" de excursão nunca mais. Mas a tolerância em qualquer viagem tem de existir um pouquinho, sim. Boa educação, polidez, bons modos salvam qualquer viagem.

Anjinho
AnjinhoPermalinkResponder

Tenho feito pelo menos 1 viagem ao ano com meu namorido rsrs, combinamos harmonicamente em quase tudo, posso até dizer que isso é perfeito. Este ano viajei com uma amiga muito querida que tive que fazer um grande e rico treinamento pessoal trabalhando muito a questão de adaptação à diversas situações de alimentações, horários e passeios, mesmo assim não diminuiu o prazer de viajar nem de aproveitar de sua companhia, até porque ela também foi maleável à algumas diferenças minhas. Devemos lembrar que o equilíbrio deve existir em todos os momentos de nossa vida! ...Foi uma viagem incrível!

Ginger
GingerPermalinkResponder

Assim como tem aquele minucioso nos centavos da conta, um chato, tem aqueles que nunca tem trocado, somem da mesa na hora da conta chegar e deixam para quem ficou acertar. Ha o que toma todas e depois pega a conta e simplesmente dividi pelo numero de "companheiros" e por ai vai. Como viajo com pessoas diferentes aprendemos a optar por contas separadas e cada um faz a festa do seja que preferir, sem regulagem.

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Já fiz algumas viagens acompanhada, que sinceramente teria sido melhor ir sozinha... e foi isso que fiz em 2012, viajei sozinha para um lugar que não conhecida nada e ninguém, foi maravilhoso! Desde então sempre incluo no meu roteiro de férias um lugar que ainda não conheço, e este ano fui para BsAs acompanhada de (hoje) uma amiga, que conheci quando estava sozinha ano passado no Recife. Nossa viagem foi maravilhosa, nos demos super bem e fiquei mto feliz por encontrar alguém com mesmo pique que eu!
Se quer conhecer alguém de verdade, viaje com essa pessoa.

elizabeth rodrigues

Estarei viajando para Paris no dia 28/12 e retornando em 16/01/2015. e a primeira vez que viajo sozinha. apavorada!!!! Se vcs conhecem alguém que esteja interessada em uma companheira de viagem alegre, divertida, antenada, simples, simpática. Entre em contato pelo e-mail. Att

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar