Enquete: estive na lojinha de souvenirs e me lembrei de você

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Em Petrolina, PE

Que atire o primeiro ímã de geladeira quem nunca se atrapalhou por conta de lembrancinhas de viagem. A compra de souvenirs é daquelas atividades a que o turista se propõe de bom grado, e que à primeira vista parecem simples, mas escondem um alto risco de roubadas. Está no mesmo grupo do city tour, do passeio no cemitério e do show de danças típicas.

Mas que mal pode haver em gastar uns poucos dólares, euros ou pesos para trazer um agradinho para quem a gente gosta? Sobretudo, o senso de obrigação.


A compra das lembrancinhas entra no roteiro assim como bater ponto em obeliscos e chafarizes para tirar foto. E você sabe que se você volta pra casa sem uma pose na frente do obelisco o povo não entende, assim como o povo não entende ficar sem lembrancinha.

Será? Eu não conheço ninguém que esteja precisando de um chaveirinho da torre Eiffel neste momento – um souvenir que eu mesma trouxe de Paris, aos montes, e que ficou esquecido na gaveta por anos. Não consegui identificar qualquer amigo que pudesse ficar feliz de verdade a ponto de trocar o seu chaveiro corrente por um chaveiro de gosto duvidoso de um lugar onde ele não esteve.

E o pior não é o dinheiro gasto, mas o tempo que se perde procurando o que comprar, e decidindo se todas as miniaturas de torre Eiffel em formato de chaveiro – ou seriam todos os chaveiros em formato de miniatura de torre Eiffel? – devem ser prateados, ou dourados, ou rosa para as meninas e azul para os meninos.

Mon Dieu.

Hoje eu só trago souvenirs do gênero “vi numa vitrine enquanto passeava e isso me fez pensar tanto em você”. Afinal, a lembrancinha mais bacana é aquela que demonstra uma lembrança, de fato, daquela pessoa, naquele local. Um presente que diz que quem ficou por aqui fez falta em algum momento da viagem. Senão, nem precisa.

Minhas lembranças de viagem favoritas, para receber e presentear, são temperos, bebidas ou comidinhas que revelem um pouco daquele lugar para quem experimenta. Sem combinar nem nada, eu e minha mãe passamos a fazer essa troca. De suas últimas viagens, ela me trouxe açafrão da Espanha, sardinhas de Portugal, mostarda da França e um vinho da Itália. Eu trouxe stroopwafel da Holanda, biscoitos de amêndoa de Macau, chá de Hong Kong e defumados da Argentina. E compotas de Minas Gerais mrgreen

São presentes que podem custar o mesmo valor de uma caneca ou uma camiseta, mas com muito mais significado.

Desta forma, fim mais do que decretado ao maldito chaveirinho!

Queremos saber: você já se enrolou com lembrancinhas de viagem? Gastou mais tempo e dinheiro do que gostaria? Que tipos de souvenir costuma trazer? O pessoal do escritório sempre cobra, mesmo?

Aos comentários!

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


84 comentários

Marcio Antonio

Socorro, Boia! Já escrevi três vezes (uma na hora do almoço, duas agora) e o comentário não apareceu em nenhuma delas...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcio Antonio! Recuperados! Mas só encontrei dois sad

Marcio Antonio

Obrigado! Os dois recuperados são iguais, pode apagar um se quiser smile

Dadi
DadiPermalinkResponder

Hahaha!Adorei!Eu tbm não compro nada, na ultima viagem não comprei nem prá mim!Qndo compro, é pq tem um carater e contexto exclusivo e aí meus caros, não há critérios,pode ser prá qqr pessoa!
Ah, e agradeço silenciosamente quando não ganho aquelas blusas, imãs e chaveiros, eles deviam vir com uma caixa de antidepressivo junto né?"-olha aqui uma lembrança do que vc não viu!"
Eu vou dizer uma coisa meio horrível, mas prá mim, souvenir significa: Vc não viajou, então te trouxe um consolo...
E já que estamos abrindo o coração, eu queria saber: pq que rola um constrangimento, fantasiado de discrição, prá gente dizer que viajou ou vai viajar hein?

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Pois é... sinto um pouco de constrangimento. Mas acho que é pq as pessoas ainda tem a péssima mania de dizer coisas do tipo "Aê, hein! Viajando... Ta podendo! Ta chique, hein! Ta rico"... e coisas do gênero. Aff! Desnecessários! Cada vez há mais maneiras de viajar sem gastar tanta grana. E é questão de prioridade se eu preferi gastar MINHA grana viajando e o sujeito gasta de outras maneiras.

Clara
ClaraPermalinkResponder

O-dei-O comprar lembrancinhas! Chega, já deu. Chocolates resolvem a parada coletiva super bem. Para a minha família em primeiríssimo grau, gosto de caprichar e trago presentes que combinam com a pessoa. Gosto de ver o sorriso de pessoas tão queridas, e gosto de dar coisas de qualidade.

Higor
HigorPermalinkResponder

Quando possível, compro canecas (locais ou vendidas no Starbucks) com o nome do país ou da cidade. São úteis e decorativas.

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Tenho como regra usar o tempo de viagem somente para mim....ou melhor... para nós, pois tenho viajado sempre com o maridão.

Única coisa obrigatória de comprar é o meu imã.. pois tenho de todos os lugares que fui.... adoro ter eles ali e relembrar de como foi legal.

Presentes obrigatórios em geral somente pra mãe... e já teve vezes que não trouxe nada pois o tempo só me permitia curtir o local... Cancúnnnnnnnnnnnnnnn!!!!

Não tem essa de exigir comigo não.... ja aconteceu no trabalho de ficarem falando e eu só respondo: viajo pra mimmmmmm e não pra comprar trecos pros outros!!!!

Ademais presenteio meu amigos e parentes em outras datas e escolho os presentes com muito mais afinco pra um aniversário por exemplo.

Dar lembrancinha pra todos é um costume chatooooooo que não sigo. E confesso que detesto ganhar chaveiros, canetas e etc.... acabam esquecidos na bolsa ou em alguma gaveta.

Nem imãs gosto de ganhar, pois gosto eu mesma de comprar os meus.

WhereToStay
WhereToStayPermalinkResponder

lembranças às x é mesmo fotos! agora é só para os pais e para os sobrinhos.
adoro mandar postais! para provar que ainda se escreve à mão!

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Pessoal do trabalho não é bem cobrança, mas expectativa. Sempre que alguém viaja, o povo todo fica naquela esperança de ganhar alguma coisinha.
O que eu faço sempre que viajo é comprar alguma comida típica que de para distribuir. Por ex., sempre que viajo para o EUA, trago pacotes de 1kg de MMS de manteiga de amendoim... o povo AMA e vc deixa todo feliz gastando 8usd - e não corre o risco de esquecer alguém!!!
Para mim sempre compro um chaveiro (tenho coleçao) e um enfeite para a casa - para o meu cantinho da saudades do mundo!

Bela
BelaPermalinkResponder

Aaaamo imãs de geladeira ! rsrs Sempre q viajo, tenho q comprar de cada lugar q passei ! E as amigas, tb já sabem disso e trazem pra mim ! wink Para as amigas q tb gostam, trago imãs ! É baratinho e alegra quem recebe ! Pras q não curtem ... Só as mais intimas, q sempre trazem lembrancinhas, dou alguma coisa ... Seja um batom, gloss, chocolate ... Pra familia, geralmente camiseta, mas de outlets, nada turistico ! rsrsrs Chaveiro, to fora !!! rsrs Nunca perco mt tempo nos souvenir's, mas sempre trago ! Acho simpatico ... Uma forma de dizer " lembrei de vc " ! Pq quem não faz falta, a gente nem vai lembrar numa viagem, né ?! rsrs

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Já passei exatamente por tudo isso: desde comprar as torrezinhas coloridas para meninos e meninas na primeira viagem a só trazer o que realmente tem a cara da pessoa (e aí entram definitivamente os comestíveis e os "bebíveis").
Mas tem pessoas (normalmente mais velhas) que não querem saber de uma flor de sal de Guerlande ou biscoitos holandeses: elas querem mesmo aquele ímã made in China ou o chaveiro mequetrefe com uma ovelha escocesa ridícula pendurada... :-0

Pra mim, sempre um ovo (única coleção que tenho) e muitos, muitos consumíveis!!!

Lucio
LucioPermalinkResponder

Sempre passo num supermercado próximo e compro biscoitos locais: algo com sabor local, que ninguém conheça e nada caro... smile

Livia
LiviaPermalinkResponder

pois é, isso é um contratempo mesmo. Eu adoro trazer lembrancinhas pra família (geralmente são mais que lembrancinhas), mas confesso que sempre trago pra mais gente do que gostaria (aquela coisa do "trouxe pra fulano fica chato não levar pra ciclano"), e acaba consumindo um bom dinheirinho. Também evito trazer chaveiros ou coisas sem utilidade.

Poliana
PolianaPermalinkResponder

Olha, eu compro só pros mais chegados. E gosto muito de trazer comidas. Se ganho aceito com alegria. Mas se vou usar aí é outra coisa. Mas sem falta o maridão, meus pais e minha irmã sempre ganham alguma coisa sim. Mas fujo do que é chavão como chaveiros, camisetas que dizem o nome das cidades… Mas busco um sabor ou aroma daquele lugar.
www.comendochucruteesalsicha.com.br blog de viagens

Vera
VeraPermalinkResponder

Poliana,
Pior do que receber lembrancinha de viagem é receber lembrancinha de casamento e de aniversário. Ninguém precisa, gosta ou guarda e as pessoas gastam um bom tempo e dinheiro com elas.

Sandrissima
SandrissimaPermalinkResponder

Gosto, a-do-ro comprar imãs de geladeira e pratos. Sim pratos com aqueles castelos, cenas bucólicas venezianas, flores. arabescos mouriscos, filigranas, o que tiver de pratos... (e estão guardados, riso).
Eu e uma amiga trocamos imãs. Todo mundo me dá pratos. Meus filhos fazem ginástica com camisetas e meus colegas de trabalho ganham lápis e/ou chocolates.
Vou passando e vejo algo deste tipo e... Compro! Cafona? É meu, é minha mania, é meu pequeno prazer, não pesa, não custa muito, não, não interessa... É minha mania! Compro, sim, souvenir.
Há, estudo fotografia e adoro paisagens e cenas urbanas. Odeio gente pousando para mim (somente quando insistem) e raramente apareço nelas...

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Pros mais íntimos (familia), compro presentinhos mais elaborados, que vão aparecendo ao longo da viagem, ao ver vitrine, entrar num museu, etc.

Pros amigos, gosto de ver o que está em promoção em museus, costuma ter sempre algo bonito e interessante a preço acessível. Da última vez, comprei bloquinhos de post-it com pinturas de Murillo por 1 euro cada no museu do Prado. Fiz a festa. Pras amigues, vejo packs ou promos em lojas como Sephora, Body Shop...também dá pra comprar coisinhas legais!

Pra galera do trabalho, compro chocolate! todos amam! E claro que sempre compro a mais, pois se sobrar... com certeza não há perda, rsrs.

Adoro comprar comida pra dar de presente, também!

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalinkResponder

Vishhh... Dificilmente compro alguma coisa! A não ser já pensando nos aniversários próximos! Mas também só se aparecer, não vou à caça não! No meu trabalho não levo nada, um colega abriu o precedente antes, rs, já meu marido tem que levar um chocolatinho do duty free... Aff!
Mas já ganhei de uma amiga um chaveirinho da Torre Eiffel que uso até hoje! Acho lindo, até porque depois passei a lua de mel lá! smile

Margarida
MargaridaPermalinkResponder

Hoje passei um stress muito grande por conta das "lembrancinhas". Estou com meu marido em Punta Cana, escolhi o Barcelo Bavaro Beach (com a ajuda de vcs). Aqui no hotel, tudo ooootimo!!
Fizemos a besteira de sair de taxi, pois o tempo amanheceu nublado. Na volta do passeio, pedimos ao taxista que nos indicasse algum centrinho comercial para comprar os famosos charutos p/ darmos de presente. Eis que o taxista parou num local pra lá de suspeito, as pessoas começaram a nos abordar, nos sentimos coagidos. Foi assustador, mas felizmente conseguimos sair daquela situação sem nenhum prejuízo. Foi só o susto mesmo.
Em resumo, ninguém vai ganhar charuto de presente!

Gabriel Waitmann

Pessoalmente, prefiro tirar várias fotos, comprar um singelo imã de recordação e trazer comes e bebes que não encontro na minha cidade. É muito bom receber a família e os amigos servindo aquele doce de leite argentino, o vinho italiano ou a pimenta baiana. Itens que você mesmo traz na mala e que, enquanto durarem, ainda farão você sentir o gostinho da viagem, literalmente!

Kristen
KristenPermalinkResponder

Depois que eu vi a latinha de chá inglês da Fortnum & Mason jogada de qualquer jeito e esquecida na gaveta de uma pessoa querida nunca mais me preocupei em trazer lembrancinhas pra ninguém.

Renata
RenataPermalinkResponder

Lembrancinha ninguém merece! Não curto comprar nem ganhar (se for do tipo chaveiro ou camisa de dormir). Já nas minhas últimas férias mandei postais de cada lugarzinho q passei na Europa, meu namorado adorou a surpresa de receber algo escrito a mão via correio, rsrsrs e certamente se sentiu lembrado.

Carol S
Carol SPermalinkResponder

Gostei das dicas, e concordo com tudo! Nas minhas primeiras viagens sempre comprei chaveiros, sempre pensando nisso ai mesmo: rosa pras meninas, prateado pros mais velhos, e blabla. Sempre perdi muito tempo, e enfim percebia que a metade das compras era so lembrancinha. Quando eu recebi 5 chaveiros de 5 amigos no mesmo mês, sendo 2 de torre Eifel, e outros 3 de diferentes lugares, decidi nunca mais gastar dinheiro com isso. Algumas nem tirei do pacote, e não foi por mal rs. Gosto mais de comprar pacotes grandes de chocolate, aqueles de kit kat, hersheys. Saio andando por ai distribuindo doces, até pra aqueles que não sao muito intimos. Para os melhores amigos ou familia, compro algo que lembre cada um. Isso é mais significativo wink

Cicer
CicerPermalinkResponder

Pior coisa é chegar de viagem e todo mundo esperar algo, meus amores, se eu passei 40 dias na inglaterra e na frança, nao significa que vou trazer 72637736 presentes!
Uma vez, gastei 120 dolares de lembranças e quase passei aperto na viagem!
Ridiculo isso, e fui obrigada!
Porque se não trouxéssemos 1 chaveiro e uma caneta para todo mundo seriamos vistos como grossos!

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Também não sou fã de comprar nem de ganhar. Primeiro que normalmente não viajo em pegada de compra e não coloco isso no meu roteiro. Se ver algo legal, OK. Mas não compro em toda viagem justamente para não virar obrigação. Tento também algo útil, de comer ou beber. Mas sempre ganho coisas inúteis. Acho que ninguém deve se preocupar demais com isso. Hoje em dia viajamos anualmente ou mais de uma vez por ano, acho que combinava mais quando viajar era algo raro, um evento. Não vamos encher os amigos de tralhas. Rsrs

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar