#VnVBrasil | Salvem Jericoacoara

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Jericoacoara: equilíbrio rompido

Jericoacoara: equilíbrio rompido

Vou a Jericoacoara desde 1995. Passei alguns dias por lá no início do mês. Tinha estado em Jeri pela última vez em 2008. Nesses anos todos, pude acompanhar as transformações do vilarejo.

Por boa parte da primeira década deste século, as mudanças foram benéficas. O boom do windsurf e a chegada do kitesurf trouxeram um turismo saudável, antecipando a bonança que aconteceria em outros vilarejos da costa do Nordeste voltada para o norte. Pousadas confortáveis e restaurantes charmosos apareceram para dar o necessário contraponto a dias longos, de intensa exposição aos elementos: o sol, a areia, o vento.

Os elementos continuam lá, mas ganharam a companhia de mais duas forças, estranhas à natureza: o trânsito e o barulho.

O vilarejo está dominado por todo tipo de veículo: jipes, caminhonetes, carros de passeio, bugues e um batalhão de motinhos. Caminhar pelas ruas de areia, algo que já exigia esforço, agora requer perícia: é preciso desviar de carros que passam a velocidades inacreditáveis.

O desrespeito não é restrito aos que vivem de transporte ou à classe do sabe-com-quem-você-está-falando. É democrático: as motinhos pertencem aos moradores e funcionários, e zunem a qualquer hora do dia e da noite com motores envenados ou escapamentos quebrados. Para tirar uma foto da praia ou da duna sem um carro ou moto aparecendo, você precisa parar e esperar o momento mágico.

Duna de Jeri

Paisagem sem carro ou moto passando? Tem que esperar para clicar

Às sextas e sábados à noite (e intuo que na temporada isso aconteça todos os dias), as barracas de caipirinha do final da Rua Principal, à beira da praia, abrem a rodinha e instalam um DJ ao centro. O som alto começa às 10 da noite e fica MAIS ALTO à meia-noite. Às duas da manhã o luau termina, mas o barulho das motos e das caixas de som instaladas em carros continua madrugada afora.

Luau em Jeri

1h30 da madrugada no parque nacional

O Conselho Comunitário de Jericoacoara tem uma página no Facebook onde não faltam relatos sobre as irregularidades . Prezado Ministério Público: pode isso numa APA? Honorável ICMBio: é cabível tamanha bagunça vizinha a um parque nacional?

Jericoacoara

O único trânsito organizado é o das velas

O único trânsito regulamentado é o do windsurf e do kitesurf, que têm locais demarcados na praia. (Aposto que quem organizou isso foram os próprios esportistas.)

Se Jericoacoara quiser mesmo deixar de ser um santuário para virar uma Ibiza sujinha, uma Canoa Quebrada do oeste, uma Morro de São Paulo do norte, então que pelo menos siga o exemplo dos seus "modelos".

Morro de São Paulo -- que sempre se caracterizou por luaus na praia; o leitmotiv de Morro é o agito, não a paz -- há muitos anos acabou com o trânsito de jardineiras na praia. Criou uma via paralela no interior onde passam todos os veículos. Dois verões atrás, o centro foi calçado e as praias ganharam decks de madeira. Para meu mais absoluto espanto, ficou ótimo.

Canoa Quebrada, que é infinitamente mais popular (no sentido social, mesmo) do que Jeri, também é muito mais organizada. Os bugues têm sua rota definida e não passam na praia dos banhistas. A grande maioria das pousadas está instalada longe do foco de barulho noturno da Broadway. As barracas de luau na praia não são vizinhas de nenhum hotel. Acabo de passar três noites em Canoa, em pleno feriado, e dormi como o anjo que mamãe achava que eu sou.

Mas onde Jeri precisava se espelhar era em Bonito, que acaba de receber o prêmio de melhor destino de turismo responsável do mundo. Por que será que os destinos brasileiros não conseguem aprender com as melhores práticas de outros?

Alô, Jericoacoara! O turista mais desejável vota com os pés. Se nada for feito para reverter a bagunça e a indiferença, cada vez mais visitantes vão trocar Jeri por Barra Grande do Piauí, Icaraizinho de Amontada, Flecheiras. Não se contente com o turismo predatório, Jericoacoara.

Ceará: vocês podem mais do que isso. Francamente.

Leia mais:

120 comentários

Cintia
CintiaPermalinkResponder

Não acredito que Jeri está desta forma. Perdi a vontade de voltar para este Santuário. Conheci há dez anos e sempre quis retornar. Brasil!! Acorda!!!

Flavia (@ladyrasta)

Tô quase chorando. Duas das viagens mais lindas que fiz pelo Brasil tem Jeri no meio: uma num Carnaval que fui pra lá sozinha e outra que fui pros Lençois e terminei lá com o Leozinho ainda pequeno. Espero que isso tenha conserto.

Bisous

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalinkResponder

Estive em Jeri em 2007. Adorei. Fiquei na Pousada Vila Bela Vista, que é um pouco afastada do Centro. Mesmo assim, em uma das noites, havia uma festa não sei onde, com som altíssimo que varou a madrugada. Não dormi. Felizmente, foi só uma noite. Se foi assim em 2007, imagina agora...

Thiago Parente

Super super super curtido e apoiado.

Mariana G.
Mariana G.PermalinkResponder

Excelente post, mais uma vez! Parabéns, Riq!

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Estive em Jeri pela primeira vez em outubro desse ano e infelizmente preciso concordar com todos os parágrafos deste texto.
Minha expectativa, por se tratar de uma APA, era um local bem mais consciente da preservação da área, mas infelizmente, pra minha decepção, não foi o que aconteceu.
Jeri é linda, encantadora, tem um potencial turístico fantástico por toda a infraestrutura que vc mencionou, mas a falta de bom senso do pessoal que encabeça as atividades por lá espanta... Uma pena! Seria bom que acordassem antes que destruam esse paraíso...

Ronaldo Giusti

Moro em Fortaleza atualmente e concordo plenamente com você, Riq!

Na última vez que fui a Jeri (salvo engano em 2010), a vila já estava infestada de veículos. A magia já estava acabando. E se essa magia acabar, qual a vantagem de percorrer os quase 300km que a separam da capital?

A solução não é complicada, na minha opinião: proibir a circulação de veículos a motor na vila de Jericoacoara. Estacionamentos em Jijoca custam apenas 5 reais por dia, e o transporte entre essas localidades e frequente.

Por alguma "lógica maluca" da minha cabeça, achei Zermatt parecida com Jeri (eu disse que era maluca a lógica). Todos os carros ficam num mega estacionamento fora do vilarejo alpino, e lá só circulam pequenos veículos elétricos. A solução é por aí...

Ed
EdPermalinkResponder

Recentemente o esgoto estourou na praia central de Jeri...

Viajante Oficial

Eu nunca entendia: ia a Jeri e não encontrava a "JERI DAS PROPAGANDAS". O que eu via era sujeira nas ruas e na praia, muito barulho, todo tipo de veículo nas ruas, bebedeiras e consequentemente brigas, etc, etc.

jefferson
jeffersonPermalinkResponder

Essa prática está tomando conta do País Brasil. Pessoas sem o mínimo de educação e um governo omisso, uma polícia omissa. Já já vai rolar PANKADÃO em plena Jericoacoara. E disso eu não duvido, pois nós somos um povo com muita pouca cultura e sem a minima intenção de MUDAR.

Emerson
EmersonPermalinkResponder

Estive em Jeri na primeira semana de Outubro/13 pela primeira vez e fiquei encantado com o lugar. Concordo totalmente com o relato do Ricardo, pois pude constatar o que acontece pelas ruas de Jeri, bem como a praia em frente. O pior que a maioria dos condutores são os próprios nativos, de quem se espera uma conduta exemplar, afinal, eles dependem dos turistas. Espero que as autoridades tomem as devidas providências antes que estraguem as férias de alguém.

Érika - Próxima Trip

Pois é. Muitos me criticam mas eu prefiro continuar gastando meu rico e suado dinheiro no exterior. Que vergonha do turismo nacional, onde poucos destinos se salvam (não no sentido de belezas naturais, mas com infra pra receber os turistas, organização, segurança etc e etc.

Lamentável essa situação de Jericoacoara! Tomara que tomem nota da crítica do Ricardo Freire, muito justa!

Depois de quase 1 mês na China e há alguns dias na Alemanha, estou até com depressão de voltar pro BR!

Boas trips a todos!

Henrique Carvalho

Excelente abordagem!!

VaneZa NarciSo

Neste feriado (15/Nov) fomos pra uma praia tão bonita e que antes era tão tranquila, mas que tivemos que a todo momento nos desvencilhar de quadriciclos e motos,sem falar nos jets ski pilotados por irresponsáveis.
O que era paz e tranquilidade hoje é bagunça e terror na maioria promovida por jovens com músicas degradantes e altíssima.Essa é a tendência, pode ser o acesso mais difícil, infelizmente os predadores chegam lá, hoje é Jeri, amanhã será Barra Grande do Piauí.
Sem fiscalização e punição não haverá turismo responsável.
No carnaval de 2014 irei a Jeri e imagino o que vou encontrar... é lamentável!

Gerson
GersonPermalinkResponder

Ricardo.
Muito oportuno, parabéns.
Érika.
Concordo contigo.
Viajante Oficial.
etc,etc,etc e mais um certo cigarrinho entre os nativos...

Viajante Oficial

Sem falar nos carros com aquelas músicas lixo, forró(SIC) de duplo sentido e em volume máximo. A maior atração do lugar é "uma pedra".
Voce anda kms no sol escaldante para ver, acredite, "UMA PEDRA".

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Que droga isso! Quando fui pela primeira vez até Jeri não havia nem luz elétrica ( 1994 salvo meu engano), quando voltei anos depois já tomei banho quente, mas sem nada parecido com o que você descreveu no post. Só lamento que meu filho não tenha conhecido Jeri dos bons tempos.
Alias amo o Nordeste de modo geral , mas em todas as últimas ocasiões que fui viajar em um feriado esticado consegui passagens e hotéis mais baratos no exterior ( Chile, Argentina) do que no Nordeste. Lamentável!

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Que triste.
Fiz reserva para seis dias em Jeri, estou decidida a cancelar, seria minha terceira vez.
Riq, voce conheceu em Fortim a Vila Selvagem? Estou em duvida entre ela e Zorah Beach. As passagens ja estao compradas para Fortaleza.
De-me uma luz, por favor.

Ricardo Freire

Ana, não me hospedei na Vila Selvagem, só visitei. Não tem o mesmo luxo do Zorah; as instalações são mais para o rústico. O vilarejo do Pontal de Maceió é uma gracinha, com uma praça bem de interior, adorável.

Outra boa alternativa a Jeri é o Rancho do Peixe, no Preá, que tem bangalôs rústicos que são um deslumbre. A pousada oferece traslado a Jeri duas vezes ao dia (até a Vila Kalango, que é do grupo). Dá pra ir às 4 da tarde, pra ver o pôr do sol, ou às 7, só pra jantar na cidade. A volta é às 10 da noite. O Preá tem jipe e bugue na praia, mas são bem mais rarefeitos do que em Jeri.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Riq, muito, muito obrigada.
Esqueci da Rancho do Peixe, ja ate fiquei uma noite, super bacana.
Vamos decidir entre as tres.
Bjs pra vc e Nick.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Riq, ja cancelei a casa de areia em Jeri e fiz reserva na Vila Selvagem. Qdo o Miguel leu q o vilarejo eh uma gracinha, pronto, decidido!
Depois conto a experiencia de ficar la, mas vamos so no final de janeiro.
Bjs

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Bom dia Ana Claudia, se ja esta com passagem marcada para Fortaleza, va conhecer Icaraizinho de Amontada que é muito lindo e ainda tranquilo

Viajante Oficial

Estive em Icaraizinho e fiquei
na Pousada Vila Mango. A praia
é limpa e tranquila, tem algumas
opções de restaurante servindo
peixes e camarão, comida simples
e saborosa.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Obrigada Marcelo e Viajante Oficial. Tambem ja pensei na Vila Mango, boa ideia!

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Ana Claudia, não cancele a viagem a Jeri. Não sou especialista, claro, mas fui pará-la no fim de outubro e adorei. Concordo com a infinidade de buggys e afins. O barulho noturno não ouvi, estava com criancas e só demos uma voltinha a noite. Mas foi uma das minhas melhors viagens pelo Brasil.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Tatiana, obrigada pela ajuda, mas eh uma questao de comparacao. Da primeira vez que fui, amei. Da segunda vez ja achei um pouco baguncado e se piorou...e ainda tem barulho...nao vou suportar.

Vou aguardar a opiniao dos querido comandante e boia quanto a ficar os 6 dias em Fortim ou Guajiru.

Patrícia Maia J

Mto triste! Sempre falo que foi um dos lugares mais mágicos que conheci no Brasil (fui em 2007 e queria mto voltar).

Joao Lucena
Joao LucenaPermalinkResponder

Ricardo, sou do ceará mas há muito tempo não visito a minha terra. A princípio, parabéns pelo artigo.

O desrespeito no Brasil acontece em todas as frente, assim sempre foi, e assim sempre será. Infelismente as coisas não mundam por ai. Em se falando e jeri, é uma pena, mas no anos 80 aconteceu a mesma coisa com Conoa Quebrada(também no Ceará), que de vila de pescador não têm mais nada. Essa duas praias que eram pra sere, um recanto de turistas extrangeiros, virou o encontro da moçada, que não respeitam as leias(que são impraticáveis no Brasil).

A exploração do turismo é totalmente sem planejamento(como se isso fosse somente nas praias do Ceará). Que pena que as nossas riquezas estão sendo devastadas, é outro ponto importante, para essa e tantas outras praias do litoral do Nordeste.

Se deixaram essas má-zelas chegarem a Jericoacoara, não existe mais paraíso a ser preservado no Nordeste.

Aliado a falta de respeito aos seus frequentadores, os visitantes ainda podem contar com a venda de drogas pelas ruas do vilarejo, assaltos em qualquer parte da vila ou das praias ao seu redor, estrupos e todo o tipo de violência.

Será que o visitante que vai ai hoje, realmente vai fazer uma boa propagando desta praia que já foi considerada uma das mais bonitas do mundo? É certo que a beleza do lugar vai continuar, mas a falta de planejamento, e a exploração desenfreada, a falta de leis para garantir a privacidade e segurança de todos, destroi aquilo que seria positivo. Turismo com planejamento!

Vai Vai Brazil!!!

Ricardo Freire

João, não dá pra impedir que os lugares mudem. Uma vez descobertos, deixam de ser como eram.

O que dá pra fazer é administrar/regular o crescimento -- e, se já tiver chegado a esse ponto, tentar reverter a degradação.

A Bahia tem conseguido fazer isso.

A Praia do Forte (mérito do finado Klaus Peters, que conduziu aquilo com mão de ferro), que fica a meros 55 km de Salvador, obriga todos os carros a estacionarem em bolsões na entrada (e guincha quem estaciona na rua). Dentro do coração da vila só funcionam tuk-tuks. Apenas os quiosques da praia central têm autorização para fazer comida (e são devidamente encanados). Não há venda de alimentos perto da piscina natural. Não é mais uma vila de pescadores: virou uma espécie de shopping a céu aberto, com uma cenografia que lembra o que já foi. Mas a natureza está preservada.

A vizinha Imbassaí, igualmente município de Mata de São João, também ganhou uma urbanização bem-feita.

Morro de São Paulo foi requalificada. O Arraial d'Ajuda nunca degringolou, mesmo estando ao lado da perdida Porto Seguro. O Quadrado de Trancoso está preservadíssimo. Caraíva só permitiu a chegada da luz com fiação subterrânea. Barra Grande, em Maraú, também teve o trânsito disciplinado.

Na Bahia, o caso que degringolou e que será difícil reverter é Itacaré -- mas aí o problema é a pobreza e o crime causados por uma imigração que não tem como ser absorvida.

Passei dois meses na Bahia e vim do Piauí, onde Barra Grande do Piauí faz um trabalho admirável contra a bagunça (que reina ali perto, na vizinha Luís Correia).

Foi esse conjunto de experiências que me fez ficar tão decepcionado com Jeri e irritado com a idéia dominante de que é assim que tem que ser porque não existe outra forma de crescer...

Joao Lucena
Joao LucenaPermalinkResponder

É verdade, tenho algumas infos de alguns lugares que têm bons exemplos de administrações coerente com um desenvolvimento baseados em planejamento. É esse o meu ponto de vista quando falei de jeri e canoa. Porém esses exemplos são poucos. É claro que devemos aplaudir essas iniciativas, e quem sabe um dia elas não influenci outros municípios a fazerem os mesmo.

Quando fui Guia de Turismo, ainda nos anos 80, era tudo muito primitivo e agora já existem alguns locais com melhores infra-estruturas, é um progresso.

Se não forem degradadas pelo mau uso, especulação imobiliária etc, já é uma grande coisa!

Kênia
KêniaPermalinkResponder

Excelente alerta para os turistas desavisados. Quem curte este tipo de praia, rústica, para curtir a natureza, não é o mesmo turista que busca agito e barulho.
A propósito, Ricardo, seria interessante que você desse uma passadinha em Noronha outra vez. Eu sou uma das pessoas mais apaixonadas por Noronha que conheço. Já estive lá 4 vezes mas, da última vez (2011), notei que o astral da ilha estava bem diferente dos anos anteriores... Quem viu Noronha antes, e conheceu a "magia" rústica que a tornava tão diferente das outras praias brasileiras, agora fica com aquela sensação nostálgica de que nunca mais aquele paraíso será o mesmo de antes.
Pode ser que seja só uma impressão minha, mas sei lá... certos lugares não deveriam mudar em nome do mercado de turismo.

Luis Gustavo
Luis GustavoPermalinkResponder

Fui em Jeri em 2001 e vi uma placa assim: "Seu carro é feio aqui. Ande a pé em Jeri". Parece que eles não aprenderam, que pena!

Viajante Oficial

Em Jeri porcos andam livremente pelas ruas.
Muita gente reclama que sai de lá com "bichos de pé".

Ricardo Freire

Não sei quando você foi, Viajante. Não há porcos em Jeri.

Viajante Oficial

Fiz "n" vezes o trajeto Fortaleza/Parnaiba(trilha 4X4)
com parada em Jeri. A primeira vez em 1986 e a última
em 2012.

Nico
NicoPermalinkResponder

Estive em Jeri agora em outubro/2013, pela segunda vez. E não há porcos em Jeri, e nunca voltei com bicho do pé de lá. Aliás, entendo esse texto do Riq mais como um alerta as autoridades que cuidam do local, de não deixarem as coisas correrem à solta. Estive em 2009 e agora em 2013, realmente houve um aumento de veículos, sem dúvida que houve, mas Jeri ganhou restaurantes ainda mais gostosos, o Clubventos continua ótimo e a paisagem continua deslumbrante. Tive ótima noites de sono tranquilo, sou chato com barulho e costumo dormir cedo. Realmente tem o que melhorar, mas ainda é muito bacana e longe de ser esta desgraça que o Viajante quer fazer crer.

Viajante Oficial

Nico,

Não acho que Jeri seja uma desgraça.
Mas não é a oitava maravilha como
alguns tentam pintar.

Dri
DriPermalinkResponder

Acabei de voltar de lá e não vi nenhum porco. Existem muitos jegues e saber que eles estão ali sem "ser de ninguém" foi um dos pontos altos da minha viagem, voltei apaixonadapor eles. No meio das dunas do parque nacional também existem cabras e vacas, mas não porcos...

Viajante Oficial

Com a chegada das motos os jegues foram abandonados.

ledaarndt
ledaarndtPermalinkResponder

Jeri não tem porcos pela s ruas,jeri continua linda!E nos não vamos deixar isso acontecer.Moro em jeri 8 anos,concerteza muita coisa mudou,mas qto ao barulho estamos lutando como também os carros ,eu mesmo acho rediculos estes carros rodando aqui.Nao deixem de vir a jeri ,!!

Viajante Oficial

Junto com os gringos chegam drogas e prostituição.
Quem lembra o que aconteceu com a Praia de Iracema
em Fortaleza ?

Cacá
CacáPermalinkResponder

Ricardo, concordo com tudo que vc disse com relação a Jerí. Nessa região, o único paraíso que ainda me atrai é a Lagoa de Jijoca. A cidade cresceu, mas a lagoa continua do mesmo jeito, preservada e com uma beleza de tirar o fôlego. Estive lá no finalzinho de outubro, depois de 10 anos ausente e o meu deslumbramento foi o mesmo de sempre! Na minha opnião, a praia mais bonita do Ceará!!!

Ricardo Freire

Concordo, Cacá! A Lagoa do Paraíso continua uma jóia. Falarei mais disso quando vier o miniguia das praias do Ceará.

Márcia
MárciaPermalinkResponder

Aí, que tristeza!! Não conheço Jeri, e estou com passagem emitida e pousada reservada para janeiro, com um grupo de seis casais e nossas crianças de dez anos. Amo as praias do nordeste, e estava tão animada pra voltar... Na verdade, entrei no blog em busca de dicas de transporte entre Fortaleza e Jeri para um grupo com esse perfil, e a vontade que dá é desistir e mudar o roteiro...

Viajante Oficial

Marcia,

Acho que não deve deixar de ir.
Mas é importante saber o que
encontrará. A supervalorização
de um determinado lugar faz a
gente criar expectativas que nem
sempre se comfirmam e "aquela"
viagem torna-se decepcionante.

Maria de Assunção

Ai, ai que pena! Também estou de passagem marcada pra Jeri em março/2014. Vendo estes relatos me dá um desanimo com o turismo doméstico...Mas vamos lá não tem jeito, não vou perder o dinheiro já foi investido. Detesto muvuca e sou uma pessoa que adora o dia e acho que a noite foi feita pra dormir, hehehe. Estou pensando em ficar na Pousada Casa de Alice, alguém sabe me informar se lá perto tem essa bagunça toda que o Ric mostrou na foto?

Helena Cezar
Helena CezarPermalinkResponder

Casalice é tudo de bom já fiquei lá, fica bem no centro, mas março já é mais tranquilo.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Que tristeza, vamos criar uma campanha na internet pra tentar melhorar as coisas e acabar com essas barbaridades, pode contar comigo!
Abraço
Luciana

Rosana Stucchi

Não conheço Jeri, queria muito, mas depois disso, desanimei...
Não conheço Bonito, e depois disso, animei demais!!!!! Que orgulho!!!

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Que saudades daquela Jericoacoara que conheci em 1999, sai de madrugada para pescar com um senhor nativo, andava pelas vilas de Jeri encontrando com vacas e porcos na vila, carro quase não se via e os buggs que tinham não incomodavam tanto como agora as caminhonetes, buggs e carros que circulam pela vila livremente, estive no feriado de 15 de novembro e realmente fiquei triste com o que vi, Jeri continua sendo um lugar magico, mas o encanto que tive quando fui a primeira vez, ja não tive das vezes que fui este ano.

Afonso Celso
Afonso CelsoPermalinkResponder

Estive em Jeri em janeiro/2013 e pude assistir o relato acima e, com certeza, não retornarei.

NIVAL MARTINS CORREA

Estive em Jeri no mês passado e pude constatar que o lugar caminha para a degradação. Você pode ser atropelado a qualquer momento nas ruas.O "Turista Profissional" tem toda razão.

Riedo Marie France

Nunca vi uma tal destruição de uma natureza maravilhosa. Conheci Jericoacoara 1985 ia duas vêzes por ano morei 10 mêses em 1990.
Lamento que não haja o minimo respeito por este lugar cheio de magia. E lamento que os politicos não fazem absolutamente para salvar esta beleza pura

Abel
AbelPermalinkResponder

Esqueceu de Relatar Trafico de drogas livremente pelas ruas, estupros, roubos a turistas e moradores, Eu fui vitima do golpe Boa noite cinderela.... Jericoacoara o Paraiso para bandidos !!! JERI JA ERA !!!

Luciana Betenson

Post utilidade pública, perfeito! Quem sabe eles abrem os olhos. O Brasil precisa ter muito mais respeito pelos seus locais turistáveis. Adorei. Beijos,

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Se de 2001 para 2007, eu já fiquei chocada como Jeri estava mal tratada, imagino você em 2013 depois de ter ido tantas vezes...vou esperar isolarem os carros num lugar ou regular os caminhos por onde transporte pode passar, como vi em Morro em 2002, para voltar.

Helena Cezar
Helena CezarPermalinkResponder

Eu conheci Jeri em 1985, e de lá pra cá nunca deixei de andar lá.Em 1988 passei um ano lá e em 1992 também. E sempre passava ferias , sou de São Paulo, mas moro em Fortaleza a 7 anos , em julho agora passei um mês de ferias , amo aquele lugar ,mas também acho que tem que ser feito alguma coisa. Jeri virou uma terra sem dono, sem lei. Espero que seja feito alguma coisa, por que apesar de todas essas coisas que vc citou que não é legal , Jeri continua mágica e linda.

Helena Cezar
Helena CezarPermalinkResponder

Tenho fotos lindas no meu face das antigas , de uma época que era tudo de bom. Se quiserem conferir o nome é Lena Cezar.

Angelo Pavan
Angelo PavanPermalinkResponder

Fiquei uma semana em Jeri em julho de 2001 (Sol "dentro" da Pedra Furada e tudo mais).
A época fiz questão que minha agente de viagem montasse um trajeto para que eu ficasse o maior tempo possível no vilarejo, com pouquíssimo tempo em Fortaleza, dadas todas as indicações que tive a respeito do pequeno paraíso.
Foi fantástico! Desde o trajeto de uma hora de jardineira de Camocin até o famoso por do Sol visto da duna de mesmo nome. Tudo muito “outro mundo”, principalmente para um paulista.
E nesta principal duna não me esqueço de ver turistas alemães soltando latinhas de refrigerante no topo para vê-las rolar até embaixo (enquanto riam como babacas que eram) e garotos caiçaras, que desciam em sandboards, descerem para pegar este lixo "gringo" enquanto xingavam esses turistas que "vêm para estragar nossa natureza"!
Onde está essa juventude consciente que 12 anos depois não continua defendendo seu (nosso?) santuário?
“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.”
Tinha intenção de retornar, mas acho que vou ficar com minhas fotos (reveladas!) e lembranças de um lugar que não existe mais.

áthila
áthilaPermalinkResponder

respondendo a pergunta: a "vila de Jericoacoara-Ce" nao e mais APA http://www.oktiva.net/oktiva.net/1364/nota/53123...E pergunto ao responsavel pela materia pq nao citou a mega construçao na praia e resolveu focar nas festa q as barracas de caipirinhas fazem..isso ta parecendo materia paga por dono de pousada.

mariah
mariahPermalinkResponder

Nossa, que decepção. Seria meu próximo destino, ainda bem que ainda não reservei nada. Fui lá há dez anos atrás e tinha adorado, agora queria levar meu marido e meus filhos. É uma pena, tomara que algum órgão responsável tome alguma providência.

áthila
áthilaPermalinkResponder

venha tenho certeza q nao irao se arrepender..jericoacoara e lugar magico e unico por suas belezas naturais, povo acolhedor e uma energia emanada q nao se encontra em lugar nenhum no mundo..problemas existem mais nada q afete o astral dessa vila maravilhosa. fora q conta com excelentes restaurantes e pousadas mais q aconchegantes...uma otima oportunidade de trazer sua familia para conhecer a vila seria do dia 03/08 de dezembro 2013 onde acontecera o festival ChoroJazz q conta com show do Joao bosco na praça de jeri.

antonio
antonioPermalinkResponder

Boa noite a todos!!!!

depois de todos esses comentários, já desisti de ir a Jeri. Acabei de chegar de noronha isso sim é um paraiso, sem bagunça sem baderna, por isso que tem que cobrar e limitar a entrada no local, do contrário fica difícil botar ordem!!!!

Carol Salles
Carol SallesPermalinkResponder

Que triste!!!!!Semana passada mesmo estava elogiando Jeri, dizendo pra uma amiga viajante que era demais, sem carros, um lugar imperdível!!!!é com grande tristeza que leio essa má notícia...
Espero que alguma providência seja tomada!!!Para frear isso!!!

Luis Faria
Luis FariaPermalinkResponder

Acho que nunca vi por aqui tantos comentários relativos a um assunto. Não ia nem escrever mas como senti o mesmo que o Riq, quando estive lá no início de novembro (depois de 15 anos) quis registrar o que me marcou tão profunda e negativamente. Concordo com tudo que foi escrito, principalmente com a invasão dos veículos de todos os tipos e o barulho. Não sou daqueles que gostavam de Caraíva porque não tinha luz elétrica, ou Noronha porque não tinha pousadas decentes - um mínimo de conforto é fundamental. Mas Jeri de agora está muito pior do que há 15 anos. Que isto se transforme num movimento - Salvem Jeri !

Michel Dias
Michel DiasPermalinkResponder

Sou cearense e vou a Jeri uma vez por ano desde 2003.
O turismo da região mudou bastante nesses 10 anos, mas a tranquilidade do lugar ainda é incrível. O pôr do sol continua sendo o mais bonito que conheço e acho justa a crítica, entretanto, cabe lembrar que Jeri vem mudando radicalmente por conta da busca insana por conforto da maioria dos "turistas" que viajam procurando um paraíso perdido mas não conseguem abrir mão de uma banheira de hidromassagem num bangalô à beira-mar.

Angelo Pavan
Angelo PavanPermalinkResponder

Perfeito Michel!
Todo mundo gosta de paraísos, desde que não tenha que andar nu...
É mesma questão da ecologia: todo mundo gosta de árvores, desde que as folhas não caiam no meu quintal...

Loanda
LoandaPermalinkResponder

Estava planejando voltar a Jeri. A última vez que estive lá, foi em 1996, era um verdadeiro santuário... 17 anos se passaram! Estou repensando meu roteiro depois desses depoimentos. Prefiro ficar com a imagem daquela época e torço para que salvem Jeri. Já estou pensando em ir ao Piauí seguindo o Guia Canon.

kikameirelles
kikameirellesPermalinkResponder

Caros amantes de paraísos tropicais e praias paradisíacas...estou em JeRi há 3 dias e fiquei sim, deslumbrada com as belezas naturais do lugar...as mazelas existem, como o RF bem descreveu no post - barulho, sujeira, etc...no entanto, como estamos em baixa estação, acho que tudo isso não esteja tão acentuado ainda...o gerente da pousada que estou, disse que há uma semana, no feriadão, a rua aqui em frente estava intransitável... imagino o horror!!! por esse motivo, viajar a lugares como Jeri, e outras praias famosas, pra mim, somente na baixa estação e, se possível, longe de feriados prolongados, férias escolares e períodos afins... Perequê já acaba amanhã:////

kikameirelles
kikameirellesPermalinkResponder

Perequê- leia-se: pena que

Carol
CarolPermalinkResponder

Vou para Jeri na semana que vem, fiquei um pouco desanimada com tudo que li, mas vou manter a viagem.

Estou receosa com o transfer de Fortaleza p Jeri, todos os cadastrados no site portaljericoacoara são confiáveis?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carol! Peça uma indicação à sua pousada, é o melhor a fazer.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Realmente não existe turismo sustentável com falta de regras ou limitações. O Brasil possui um potencial enorme para o turismo ecológico e, salvo exceções, os locais acabam destruídos, como relatado acima. Conhecerei Jeri em breve, mas como em outros locais no Brasil, não ficarei na expectativa, vou buscar fazer o que (ainda) existe de bom por lá. Agora...como estamos num fórum, acho q a situação relatada pelo RF reflete um pouco do Brasil (samba, suor e cachaça). Se não cuidarmos, a imagem de um "país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza" não vai durar para sempre. São discussões assim que nos tornam pessoas melhores.

Kelly Basso de Oliveira

Estive em Jericoacoara pela primeira vez em Outubro deste ano, fui para uma estada de cinco dias e acabei ficando vinte e quatro dias, acho este fato explica o quanto me apaixonei pelos seus encantos. Mais infelizmente tambem conheci seu lado ruim, e este texto mostra um pouco disso, quando digo um pouco, e porque alem de tudo isso, tambem vi exploracao e mal trato animal. Realmente Jeri precisa de cuidados mais que especiais para que nao se transforme em um "ex paraiso".

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar