Salvador: como chegar às barracas de praia da orla norte

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Barraca Bora Bora, Rio Vermelho

Bora Bora, Pedra do Sal

Em agosto de 2010, cumprindo uma ordem judicial que vinha sendo protelada havia vários anos, todas as barracas de praia de Salvador foram demolidas.

Sem nenhum plano B por parte da prefeitura, a cidade passou três verões com a orla mais bagunçada do que já era. Para começar, os entulhos demoraram meses para ser retirados. E depois, onde havia barracas fixas surgiram barracas enjambradas, que fazem fritura ao ar livre e "guardam" suas mesas e cadeiras empilhadas e acorrentadas sobre a areia.

(Isso de acabar com barraca de praia é fixação de gente que não vai à praia. É evidente que a ocupação da areia precisa ser regulamentada e disciplinada. Mas privar as cidades praianas de sua sala de estar não faz sentido.)

Para este verão, a nova administração anunciou um plano de padronização de barracas: serão 250 tendas como as que hoje existem nas praias do Rio de Janeiro. No lugar das (horrorosas) mesas e cadeiras deplástico, as barracas poderão alugar até 40 cadeirinhas de alumínio e nylon (que são muito mais bonitas e já são padrão em algumas praias de Salvador, como o Porto da Barra e o Farol da Barra). As novas barracas poderão vender alimentos prontos: nada poderá ser preparado no local. E toda a estrutura (tenda + cadeiras + guarda-sóis) deverá ser removida depois das 19h -- ou seja: se der certo, vão sumir as pilhas de mesas que dormem ao relento.

E as megabarracas que existiam em Stella Maris, no Flamengo e em Aleluia? Essas não voltam mais. Até porque -- nem precisam.


View Larger Map

Nesses anos pós-demolição, alguns donos de antigas megabarracas econtraram um formato alternativo, que oferece o conforto que o seu cliente procura e não fere a lei. As novas grandes barracas da orla norte não estão mais na areia, mas em terrenos à beira-mar que se tornaram clubes de praia.

Bora BoraBora Bora, Pedra do SalBora Bora
.

A: Rio Vermelho | B: Bora Bora | C: Lôro e Pipa

Das que visitei, a mais bem-resolvida é a Bora Bora, em Pedra do Sal (Itapuã). Pequena, arejada e charmosa, é a barraca perfeita para quem quer curtir a praia e um bom serviço, sem fazer social. A praia em frente não é das mais calminhas; prefira entrar na maré baixa. A rua Caramujo, onde está situada, sai em frente a um portão de serviço do hotel Deville. Há uma guarita na rua, mas se perguntarem é só dizer que vai à praia.

Barraca do Lôro

Barraca do Lôro, Aleluia

A mais badalada de todas, a Barraca do Lôro, reinstalou-se duas quadras adiante do ponto original. A estrutura está mais completa (agora tem até uma "galeria de arte" na entrada) e a badalação continua intensa, mas na minha opinião o lugar perdeu bastante no novo formato. Imprensado enter dois muros e sem vista para o mar na maior parte do terreno, a sensação é mais de clube do que de praia. Mas o fator ver-e-ser-visto, que sempre importante para a barraca, continua presente.

Pipa

Pipa, Aleluia

Colada ao Lôro instalou-se a Pipa. Com um terreno mais amplo, mais coqueiros e sem vizinho à direita, a Pipa é mais arejada e tem ambiente mais praiano que o Lôro.

As duas estão na última quadra da praia de Aleluia, no Flamengo, imediatamente antes de começar a beira-mar de Ipitanga.

Vilas do Atlântico

Vilas: barracas no calçadão

E se você fizer questão de barracas no formato tradicional, pé na areia... então a solução é ir mais adiante, até Vilas do Atlântico. Por estar no município de Lauro de Freitas e ser um condomínio, Vilas ainda mantém suas barracas entre o calçadão e o mar. Continue por Ipitanga que você chega lá.

Leia mais:

3 comentários

Camila Torres - Colecionando Imãs

A barraca Doce Vida fica no comecinho da Praia do Flamengo e também é excelente ! um dos melhores camarões que já comi na vida.

Natalia Goes
Natalia GoesPermalinkResponder

Puxa! Sou do Rio, mas morava proximo a Salvador quando demoliram as barracas e foi um momento bem triste. Achei um absurdo a maneira como foram feitas as coisas. É bom ver que as barracas voltaram num formato diferente e podem continuar dando conforto as pessoas que frequentam a praia e emprego a quem precisa. Quanod eu voltar a Salvador, vou la conferir de perto. Adorei o post.

Andre calazans

Para quem vai viajar com crianças, recomendo a barraca Buraco da Velha, no Vilas do Atlantico, pois lá formam-se piscinas naturais excelentes. Entretanto, essa dica só fale em marés baixa. Outra dica boa é a barraca Odoya - Iemanjá, tambem no Vilas do Atlantico. Para quem não quer gastar muito dinheiro nas barracas, recomendo o gramado da prai do Surf, também no Vilas do Atlantico

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar