#Linkódromo | Liliane, ao encontro de sua ancestralidade na Turquia

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Esmirna

| Pôr do sol em Esmirna |

Uma das maiores gafes geopolíticas que a gente comete aqui no Brasil é chamar qualquer descendente de árabe de "turco". O equívoco não é totalmente fora de propósito, já que boa parte do Oriente Médio um dia já pertenceu ao Império Otomano. Mas hoje em dia rotular libaneses e sírios de "turcos" não faz sentido. (Até porque, tcharaaaam!: turcos não são árabes.)

Pois bem. A querida Liliane Gondim -- não vou dizer há quantos anos ela freqüenta a caixa de comentários do VnV sob o risco de revelar sua idade -- é uma autêntica descendente de turcos. Seu avô, filho de judeus vindos da França, nasceu em Esmirna, e lá viveu até que o general Atatürk expulsasse os estrangeiros do país. Estrangeiros? O avô da Lili morreu se considerando turco. Veio para o Brasil, casou com uma cearense, e passou aos filhos o amor que tinha pela Turquia da sua infância e mocidade.

"Sempre soube que conheceria a Turquia", escreve a Lili no começo do lindo post que publicou sobre o significado dessa sua viagem.

Dali ela nos conduz por um itinerário muito pessoal, em que vai desvendando não só a Turquia dos turistas, mas a Turquia que explica o avô que ela nem chegou a conhecer, mas que sempre esteve presente na sua vida.

Passa lá: é um post lindo e muito bem escrito. Brava, Lili!

Leia mais:

13 comentários

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Já li e amei!

Lili-CE (@lilianesonsol)

Obrigada, Carmem!

Lili-CE (@lilianesonsol)

Fiquei muito emocionada com essa chamada! Obrigada, querido Riq, escrever esse post foi muito significativo para mim! Você tocou num ponto relevante: até hoje me pergunto que nacionalidade meu avô sentia que era a sua: ele estudou 12 anos na França e a tinha como pátria, mas imagino como deve ser estranho viver imerso em uma cultura não-ocidental, depois vir parar no Brasil, país que finalmente o acolheu. Na década de 1920 a Europa não era nada segura para um judeu, provavelmente a situação de animosidade foi considerada na hora de escolher o país onde viver. Mais uma vez, muito obrigada!

val
valPermalinkResponder

Lindo e emocionante!

Lili-CE (@lilianesonsol)

Obrigada, Val!

Flavio
FlavioPermalinkResponder

Lindo post! Parabéns!

Lili-CE (@lilianesonsol)

Obrigada, Flavio

Carla
CarlaPermalinkResponder

Deixei um comentário lá para ela, mas vale deixar registrado aqui também - o texto está lindo e emocionante, vale a pena dedicar alguns minutos e curtir sem pressa! wink

Lili-CE (@lilianesonsol)

Lido e respondido, Carla! Obrigada.

Quenia  - Viagens por aí

Lindo post! Amei.
Obrigada

Lili-CE (@lilianesonsol)

Obrigada, Quenia!

Marcia Palhares

Muito emocionante mesmo. Obrigada!!

Lili-CE (@lilianesonsol)

Eu que agradeço, Marcia! Obrigada pela visita.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar