8 dias em Buenos Aires: o roteiro do Hugo

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Puerto Madero

Puerto Madero

O Hugo passou uma semana em Buenos Aires com a esposa e amigos, nesse mês de junho. Conheceu a cidade sem pressa, e deixou pra gente um roteiro dia a dia na capital argentina para estadias mais longas. As dicas detalhadas do Hugo incluem todos os passeios e avaliações de cada restaurante. Só teremos que discordar em relação às milanesas. mrgreen

Vai pelo Hugo:

Atenção: os preços são de junho de 2013, época da viagem.

Elaborei um roteiro com base no vasto material do Viaje na Viagem e com a ajuda muito atenciosa da Carla Portilho e da Sylvia, que auxiliaram na organização da viagem. Obrigado, vocês foram essenciais para o sucesso das nossas férias!

Assim, considerando o roteiro que eu já tinha e a experiência recém-adquirida, pensei em apresentar, de forma resumida, uma sugestão de viagem para uma semana num ritmo calmo e tranqüilo.

Dicas gerais

Câmbio
No comércio e nos restaurantes, o real era aceito em torno de 70% dos estabelecimentos que visitei; a cotação praticada (em junho de 2013) variou desde a cotação oficial até 4 pesos por real. Já o dólar era aceito em todos os lugares, e a cotação também variou do oficial até 10 pesos por dólar.

Nos restaurantes e lojas eu paguei com pesos, dólares ou reais, de acordo com o que fosse mais vantajoso no momento.

Segurança
Durante todo o período nunca tivemos problemas com golpes, notas falsas ou voltinhas. Lógico que tivemos cautela, e sempre que pagamos com notas de 100 pesos já mostrávamos a fita prata e a marca d'água que indicam que a nota é verdadeira. Nossa única dúvida foi quando um táxi a noite cobrou 5 pesos a mais, só que como ele tinha sido pedido pelo restaurante, descobrimos que essa taxa era normal no caso de rádio taxi.

Transporte
Quanto aos táxis, foram aproximadamente 6 corridas por dia, o que deu um total aproximado de 40 corridas no período.

Para pegar táxis lá é muito tranqüilo. São em torno de 30 mil carros, e em todo lugar sempre tem algum passando. Em uma semana, cada casal gastou em média 750 pesos.

Refeições
Sugiro fazer reserva em todos os restaurantes para jantar. Os preços que indico são sempre para casal, com uma garrafa de vinho (básico), e logo em seguida coloco nossa nota pessoal para o lugar.

Quanto à comida, minha dica é evitar o bife à milanesa, pois a carne é muito fina e sem tempero. Experimentamos em dois restaurantes e não foram boas escolhas. Todos devem tomar cuidado também com a água e o cafezinho nos restaurantes, pois são muito caros. Para se ter uma idéia, em algum lugares uma garrafa de vinho estava 90 pesos e um cafezinho, 22 pesos.

Roteiro

Primeiro dia, sábado

Recoleta, Buenos Aires

Recoleta

Tarde: Considerando que você leu o VnV, provavelmente vai se hospedar na Recoleta. Ficamos no Intersur Recoleta (Av. Callao 1764) e adoramos o hotel, o quarto e principalmente a localização. O café da manhã também é interessante. Reservando com antecedência é possível encontrar tarifas em torno de 200 reais a diária, com taxas. Nesse primeiro dia o melhor é ir para o hotel, descansar um pouco e sair à noite para passear.

Jantar: Nós optamos pelo Sottovoce (Libertador 1098), na Recoleta, e pagamos 60 dólares por casal. (Nota: 8 para os pratos em geral, e 4 para o bife à milanesa.)

Segundo dia, domingo

Caminito, Buenos Aires

Caminito

Manhã: Por volta das 9h fomos direto para o Caminito. Nesse horário o local estava tranqüilo e com poucos turistas, mas mesmo assim é importante ficar atento com bolsas e câmeras. Por volta das 10h, 10h30 começarão a chegar as excursões, então é hora de pegar um táxi para a Feira de San Telmo.

Almoço: Ir ao Faena e comer no El Mercado. O restaurante é muito agradável, e mesmo eu que sou louco por carne adorei a pizza margherita de lá (na verdade acho que é a única que já gostei). Um almoço para casal sai em torno de 350 pesos. (Nota: 8 para a pizza margherita e 4 para o bife à milanesa.)

Tarde: Passeio pelo Puerto Madero para ver o fim de tarde.

La Cabrera

La Cabrera - mas não foi o bife Wagyu do Hugo, não

Jantar: La Cabrera. Tínhamos reserva para as 21h, mas nesse horário o lugar já estava lotado e tivemos que aguardar. Minha dica é chegar mais cedo. Com um cupom de 20% de desconto do Guia Oleo, a conta para um casal fica em média 400 pesos (e olha que comemos a maravilhosa carne Wagyu). (Nota: 8,5 para os pratos em geral e 10 para o filé Wagyu.)

Terceiro dia, segunda-feira

Manhã: Um passeio pelo Centro pode começar na praça San Martín. De lá deve-se subir a Calle Florida em direção à Plaza de Mayo. Assim como no Caminito, deve-se ter atenção redobrada a bolsas, carteiras e câmeras.
No caminho tem as Galerías Pacífico e muitas lojas. A região está passando por reformas, o que traz algum incômodo.
Após o passeio, basta ir a pé até o Puerto Madero.

Almoço: Escolher um restaurante que lhe parecer interessante. Quem não quiser correr muitos riscos, pode optar pelo Cabaña Villegas ou o La Parolaccia Casa Tua.

Tarde: Passeio pelo Museu-Barco Fragata Presidente Sarmiento, e um sorvete no próprio Puerto Madero.

Barrancas de Belgrano

La Glorieta, Barrancas de Belgrano

Noite: A partir das 20h ir para a milonga La Glorieta em Belgrano, praça de Barrancas de Belgrano.

Jantar: Bem próximo da Milonga está o El Pobre Luis. Mesmo estando em um local afastado esse restaurante vale muito a pena. O local é interessante, o atendimento ótimo e o clima muito agradável. O “Luis”, que já não deve ser tão pobre, está sempre por lá garantindo que tudo saia perfeito. As lingüiças de entrada estavam deliciosas, as pamplonas (carnes recheadas) medianas e os bifes de chorizo muito bons. Tudo isso por 350 pesos. (Nota: 9 para a lingüiça, 6 para as pamplonas e 7 para o bife de chorizo.)

Quarto dia, terça-feira

Jardín Japonés

Jardín Japonés

Manhã: Visitar o Jardim Japonês e o Rosedal e depois retornar para a Recoleta.

Almoço: Quando a fome aparecer, independentemente de onde estiver, com uma rápida caminhada chega-se no El Sanjuanino (Posadas 1515), onde é possível comer deliciosas empanadas (a de carne e de carne picante são ótimas). Com meia garrafa de vinho, o almoço fica em 150 pesos. (Nota: 8.)
Quem quiser um chocolate quente depois, pode passar no café La Rambla (esquina da Ayacucho com Posadas).

Tarde: Tour pela Recoleta, com especial atenção para (I) cemitério, (II) Floralis Generis, (III) Faculdade de Direito, (IV) Buenos Aires Design (shopping de decoração), (V) Igreja do Pilar.

Jantar: Para sair um pouco do circuito da carne, fomos jantar no Hernán Gipponi (Soler 5862 - Hotel Fierro), e adoramos os 7 pratos do menu degustação (750 pesos). (Nota: 9).

Quinto dia, quarta-feira

Colonia del Sacramento

Colonia del Sacramento, Uruguai

Manhã: Pegar o barco para o bate-volta a Colonia del Sacramento. Minha sugestão é comprar as passagens no site da Seacat com o máximo de antecedência. Dessa forma pagamos 300 reais ida e volta para um casal. E o barco que fez a travessia era da Buquebus, que na época vendia passagens por quase o dobro do preço. (Nota do VnV: veja mais dicas aqui.)
Não esqueçam do passaporte, da identidade e do papel que recebeu da imigração (se tiver usado a identidade para entrar no país).

Manhã / tarde: Em Colonia, a única atração mais afastada é a Plaza de Toros. Como resolvemos ir lá, alugamos um carrinho elétrico (55 dólares num carro que levava até 6 pessoas). Quem não fizer questão da Plaza pode ir a pé para o centro histórico.
As principais atrações em Colônia são o (I) Bairro Histórico, (II) a Basílica do Santíssimo Sacramento, (III) o Farol, (IV) alguns pequenos Museus espalhados e a (V) Calle de los Suspiros.

Almoço: Por volta das 13h30, fomos para o restaurante Buen Suspiro (Calle de los Suspiros 90), que serve deliciosas tábuas de queijos e presuntos. Sugiro reserva, e o pagamento pode ser em reais (não aceita cartão de crédito). Tomando um ótimo vinho a conta ficou em 100 reais por casal. (Nota 8,5.)

Jantar: De volta a Buenos Aires, recomendo um local mais perto do hotel, pois a viagem para Colonia é cansativa. Nesse dia comemos no restaurante Marcelo, dentro do próprio Hotel Intersur, e gostamos muito (440 pesos). (Nota 8.)

Sexto dia, quinta-feira

Manhã: Fomos para a Plaza de Mayo, de onde fotografamos a Casa Rosada e a Catedral de Buenos Aires. Vale muito a pena visitar o Museu do Bicentenário, que somente fica aberto de quarta a domingo e é de graça.
Em seguida um passeio a pé até o Café Tortoni, onde sugiro experimentar o chocolate espesso. A menos que você seja louco por chocolate, peça somente um para cada duas pessoas.
Nesse dia compramos também ingressos para o show de tango, às 20h30 (140 pesos por pessoa) e em seguida passeamos mais um pouco centro, até o Obelisco.

Almoço: Restaurante El Desnivel (Calle Defensa 855, San Telmo). O lugar estava cheio, mas com algumas mesas vazias. Eu tinha lido muitos comentários sobre a limpeza duvidosa do lugar e o atendimento grosseiro, mas achei o local agradável e o garçom que nos atendeu era ótimo. (Nota 9.)
Acredito que quem vai no domingo, dia de maior movimento, deve ter outra impressão, mas indo durante a semana foi muito tranqüilo e agradável. A conta ficou em 85 reais por casal (dessa vez sem vinho).

Tarde: Por causa do tango, sugiro ir para o hotel descansar, e sair por volta das 19h30 para o Café Tortoni.
O tango foi interessante. Tem um preço acessível e garante bons momentos de diversão. Mas quem quiser algo mais técnico, sugiro optar por outro local. O Tortoni é ideal para quem quer pagar pouco e ter um bom entretenimento.

Fervor, Buenos Aires

Fervor, Recoleta

Jantar: Fervor - Brasas de Campo y Mar (Posadas 1519), que tem uma parrilla de frutos do mar excelente. Serve de 4 a 6 pessoas com tranqüilidade. Nesse dia pagamos 45 dólares o casal. (Nota 9.)

Sétimo dia, sexta-feira

Palermo Soho, Buenos Aires

Palermo Soho, Buenos Aires

Manhã: passeio pelo Jardim Botânico de Buenos Aires e depois pelo Palermo Soho. Minha dica é ficar dentro do “quadrilátero Sylvia”: Nicaragua, Malabia, Gorriti e Uriarte.

Almoço: Don Julio (Guatemala 4691) ou se alguém quiser algo “diferente”, pode ir no Hard Rock Café (Av. Pueyrredón y Libertador - Buenos Aires Design).

Tarde: Livraria Ateneo (Av. Santa Fé 1860), com direito a um cafezinho na lanchonete montada no palco, e depois um passeio pelas lojas da Av. Santa Fé.

Jantar: Para finalizar uma grande viagem, vale a pena uma extravagância no restaurante Aramburu (Salta 1050). É um menu degustação de 12 pratos, simplesmente maravilhoso (pagamento em dinheiro tem 10% de desconto - 950 pesos por casal.) (Nota 10.)

Oitavo dia, sábado

Manhã: volta pela Recoleta, nas proximidades do hotel.

Tarde: Passar no free shop para gastar os últimos pesos e voltar para o Brasil.

Obrigada, Hugo!

[Transcrito manualmente de um post publicado em junho de 2013. Pedimos desculpas pelos comentários que não puderam ser transferidos]

Leia mais:

7 comentários

Vitor Rosa
Vitor RosaPermalinkResponder

Olá Boia, mais uma vez arrebentando e ajudando em todos os meus destinos de viagem, desas vez é Buenos Aires!! smile
Tenho dúvidas em relação a ir para Colonia, caso alguém possa me ajudar, ficaria muito agradecido! Obs.: Vou comprar pela Seacat.

1 - Comprando pelo site, a cobrança no cartão de crédito vem em Pesos (Uruguaios ou Argentinos), ou em Dólar?
2 - Existe cobrança de IOF, independente da moeda?
3 - Melhor comprar em Pesos Argentinos ou Uruguaios?

Fico no aguardo, muito obrigado!!

Flavia Medeiros

Estou planejando minha primeira viagem a Buenos Aires, aliás, minha primeira viagem internacional e estou encantada com o VnV. Tem tudo o que precisamos. Sem contar com a exclusiva preocupação com o viajante, que fica claro ao apresentar roteiro de outros viajantes, como o do Hugo.
Por falar nisso, gostaria de agradecer ao Hugo pelo roteiro. Estou planejando viajar em agosto/2017 e pretendo seguir as dicas, e por que não, o roteiro dele?

Muito obrigada ao VnV e ao Hugo e todos que contribuem para nortear a nossa viagem.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Oi Flávia. Que bom que você gostou. Foi uma viagem muito boa que fizemos, e tenho certeza de que você irá adorar também.

Depois volta aqui para falar como foi. Um grande abraço.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Estou seguindo seu roteiro, muito bom. Parabéns.

JULIANE DOS SANTOS COSTA

Acabamos de voltar de Buenos Aires e como minha principal fonte de pesquisa foi por aqui gostaria de deixar minha contribuição. Passamos uma semana na cidade emendando o carnaval. Chegamos no sábado de carnaval (10/02) num voo direto do RJ pela Gol. Nosso voo chegou por volta das 16:30hs em Ezeiza. Seguimos a recomendação do Ricardo e fizemos câmbio no Banco de La Nacion no Aeroporto e foi o melhor câmbio que encontramos ( 6,20) . Por causa de movimentação do período, levamos em torno de 2 hs entre retirar bagagens , imigração e câmbio. Já havíamos agendado o transfer pelo hotel e foi uma ótima escolha. Pagamos 650 pesos.
Ficamos hospedados no Alta Piazza Apartments na Recoleta. É um apart hotel com excelente custo benefício. Está precisando de pintura no quarto e algumas pequenas manutenções, mas no geral nos atendeu perfeitamente com boa localização, café da manhã, quarto amplo, silencioso além de bom atendimento.
Primeiro dia – Sábado
Chegamos no hotel por volta de 19:30hs. Fomos ao shopping Recoleta Mall para comprar o chip do telefone. Pagamos 30 pesos no chip na loja da Movistar e tivemos que fazer a recarga no kiosko na saída do shopping. A loja apesar de vender o chip ,não faz a recarga. Carregamos 70 pesos e deu para todo período . Basicamente usamos o celular na rua para google maps, pesquisas rápidas e para chamar Uber. Depois saímos passeando pelas ruas em torno do cemitério da Recoleta e escolhemos o El Club da Milanesa para nossa primeira janta. O restaurante é bem moderninho, bom atendimento e cumpre a proposta. Milanesa de todos os tipos e com ótimo custo benefício. Eles não cobram coperto. A conta com serviço deu 600 pesos.
Segundo dia – Domingo
Manhã: Pegamos o Uber por volta das 09:00hs e fomos conhecer o caminito. Nesse dia amanheceu frio ( 15 graus) e com neblina e por isso encontramos o caminito vazio nessas primeiras horas. Depois o sol abriu e rendeu ótimas fotos. De lá fomos caminhando para o Estádio do Boca onde entramos no museu e fomos até a arquibancada tirar fotos do estádio. Nesse dia não teria visita completa ao estádio pois tinha jogo na parte da tarde. Saímos do estádio por volta de 12:00hs, pegamos o Uber e fomos para a feirinha de San Telmo. Passeamos pela feira, compramos doce de leite na La Casa del Dulce de Leche. De lá fomos almoçar no Gran Parrilla del Plata. Um restaurante muito tradicional e que é um respiro daquela confusão da feira. Bom atendimento , excelente carne e bom custo. Pagamos 760 pesos.
Tarde: Após o almoço andamos um pouco mais pela feira e depois pegamos o Uber para o hotel pois a noite tínhamos tango agendado.
Noite: Jantar e tango no Teatro Piazzolla. Gostamos muito do conjunto. Tivemos aula de tango, um ótimo jantar e o show de tango muito elegante e profissional. Valeu o investimento.
Terceiro dia: Segunda-feira
Manhã: Como segunda de carnaval também é feriado em Buenos Aires resolvemos ir até os Parques de Palermo. Fomo caminhando pela larga e agradável Avenida Del Libertador até o Jardim Japonês e depois fomos ao Rosendal. Para almoço escolhemos o descolado e saudável Mooi que fica nos Arcos del Rosendal. Comemos ótimos sanduíches com sucos. A conta deu 710 pesos. Essa área é uma uma região simpática com vários restaurantes e que deve ficar bem interessante a noite.
Tarde: Caminhamos até o metrô em Palermo onde compramos nosso cartão Sube para utilizarmos o transporte público. De lá fomos de metro até Casa Rosada onde tínhamos visita guiada em português agendada para às 14:45hs. Toda Plaza de Mayo está isolada devido às obras na região. Pode trazer um certo incômodo essa obra. Após a excelente visita na casa Rosada fomos conhecer a Catedral.
Noite: Tínhamos reserva no Don Julio às 20:00hs. O restaurante é lindo com comida excelente e ótimo atendimento. A conta deu 1400 pesos, sem vinho.
Quarto dia : Terça-feira
Manhã: Fomos conhecer o bairro da Recoleta passando pela flor Metálica, faculdade de direito, Museu Nacional de Belas Artes, Plaza Francia e sua feira de artesanato ( que por ser feriado estava montada ainda). Depois fomos almoçar empanadas no Sanjuanino. As empanadas são ótimas e o custo benefício melhor ainda. Mas me parece que estão deixando limpeza e atendimento de lado devido à fama do local. Nossa conta foi 300 pesos.
Tarde: Continuamos passeando pelas lindas ruas do bairro, fomos ao cemitério, igreja do Pilar e tomamos sorvete.
Noite: No final da tarde fomos para Puerto Madeiro conhecer o local com uma luz de fim de tarde lindíssima. Tínhamos reserva no La Parollacia Casa Tua. Ambiente lindo, ótimo atendimento, porém não gostamos da comida. Os dois pratos de massa que pedimos estavam bem sem gosto. Por ser um restaurante super recomendado acredito que não tivemos sorte. A conta deu 1100 pesos, sem vinho.
Quinto dia: Quarta-feira
Manhã: Fomos conhecer o centro. Caminhamos da Recoleta até a torre dos ingleses e Praça San Martin onde foi nosso ponto inicial para caminhar pelo centro. De lá circulamos pela Rua Florida e conhecemos o shopping Galerias Pacífico. Almoçamos dentro do shopping mesmo num restaurante na praça de alimentação chamado Postavecchia que serve carne feita na churrasqueira de carvão. Foi uma ótima escolha com carne saborosa e custo benefício excelente: 570 pesos
Tarde: Continuamos caminhando até o Obelisco e depois fizemos visita guiada no lindíssimo teatro Colón. De lá pegamos um ônibus para Av. Santa Fé e fomos conhecer a lindíssima livraria El Ateneo. Tomamos café e comemos empanadas na cafeteria da livraria. Compramos alguns livros e depois continuamos nosso passeio caminhando de volta até a Recoleta.
Noite: Para jantar escolhemos o restaurante Sarkis na Vila Crespo. Um restaurante armênio com comida excelente e custo melhor ainda. Era noite de San Valentim e o restaurante estava lotadíssimo. Porém chegamos alguns minutos antes de abrir e fomos logo acomodados. Conta 550 pesos.
Sexto dia – Quinta-feira
Manhã – pegamos o metrô até o bairro Almagro para conhecer a Basílica de Nossa Sra Auxiliadora e São Carlos. A lindíssima e colorida igreja onde foi batizado o Papa Francisco. Retornamos de metrô até o Congresso. Após tirar fotos do incrível prédio do Congresso Nacional fomos caminhando pela belíssima praça que tem na frente e fomos até a escultura do El Pensador de Rodin. De lá descemos pela belíssima Av. de Mayo até a Casa Rosada, passando pelo Café Tortoni. Nesse dia o centro estava com muitas manifestações e ruas interditadas. Almoçamos no excelente Elauge Hermanos, onde comemos um delicioso ojo de bife acompanhado de batata canoa. Restaurante com uma pegada moderna e excelente atendimento. Conta 650 pesos.
Tarde: Tentamos ir até o Museu da Casa Rosada mas as interdições e manifestações no local dificultaram. Andamos mais um pouco pelo centro, trocamos mais alguns peso na Casa de Cambio Alpes e com uma cotação desfavorável em relação ao aeroporto (6,10) e além de toda demora e burocracia do local. Voltamos na Galerias Pacífico para um café e comprar Alfajor no quiosque da Cachafaz. Retornamos para Recoleta.
Noite: Não tínhamos nenhuma reserva para o jantar e decidimos caminhar pelo bairro para encontrar algo ao acaso. Definitivamente fujam dos restaurantes no entorno do cemitério. Paramos novamente no agradável El Club de La Milanesa. Dessa vez comemos Milanesa Napolitana (nosso bife a parmegiana) com salada de rúcula. Ótima escolha e custo melhor ainda.
Sétimo dia – sexta-feira
Manhã: Fomo passar a manhã em Puerto Madero e explorar melhor o local. As fotos também ficam lindas com o dia claro. Fomos ao interessante Museu Fragata, atravessamos a ponte de La Mujer e fizemos um lanche rápido no Mostaza (uma rede local de fast food). Continuamos nossa caminhada e nos despedimos de Puerto Madero com um ótimo sorverte.
Tarde: Estava muito calor e decidimos ir para o hotel descansar pois nossa janta seria cedo.
Noite: Fomos jantar no Happy Hour do La Cabrera em Palermo que fornece 40desconto para quem janta das 18:30hs às 20:00hs (o horário limite para entrar é até às 19h15). Foi uma excelente escolha para nosso jantar de despedida. A carne excelente, local e atendimento agradáveis. Conta com vinho: 900 pesos. Como era cedo fomos caminhar pelas ruas de Palermo que ficam fervilhando nesse horário. Tomamos sorvete e nos despedimos de uma grande viagem.
Oitavo dia – nosso transfer para o Aeroporto seria às 10:30hs, portanto não fizemos nada nesse dia. Chegamos com antecedência ao aeroporto e ainda tivemos tempo para almoçar no Hard Rock Café de lá.

Fernanda S. L. Souza

Gostaria de saber se para fazer o bate volta em Colonia del Sacramento é preciso ter passaporte. Só com a identidade pode?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! O mesmo documento que permite que você entre na Argentina permite que você entre no Uruguai.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar