Da Inglaterra aos Estados Unidos de trem ou carro: será que sai do papel?

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Trans-Eurasian
O jornal russo Siberian Times publicou no dia 23 a existência de planos para a construção de uma nova rota de trem de alta velocidade cruzando a Rússia e que, unida à outras estradas já existentes, ligaria Europa, Ásia e América do Norte. Em um encontro da Academia de Ciência Russa, Vladimir Yakunin, responsável pela Russian Railways, apresentou a idéia da Trans-Eurasian, que custaria “trilhões de dólares”, segundo o empresário, mas traria retornos consistentes para a economia do país.

A ligação, que permitiria ir de Londres ao Alaska, envolveria também a construção de uma auto-estrada ao longo da atual ferrovia Transiberiana, além de canais para distribuição de energia elétrica, água e gás. O apelo turístico da rota é óbvio.

A Trans-Eurasian sairia de Londres, aproveitando o Eurotunnel, seguiria a Paris e Berlim e cruzaria a Rússia, passando pela região de Chukotka e seguindo por um túnel (de 100 km) pelo estreito de Bering até o Alaska, num percuso de quase 20.000 km. A Transiberiana liga Moscou a Vladivostok em 9.258km, e leva 7 dias para ser transposta.

Será que sai do papel? Com a economia russa no fundo do poço, é bastante pouco provável. É bom lembrar que, ano passado, o Guardian inglês noticiou estudos de um trem de alta velocidade da China ao Alaska, também passando pela Sibéria e construindo um túnel pelo estreito de Bering. Alguma dúvida de quem chegaria primeiro?

Leia mais:

13 comentários

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Que doideira!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Acredito que o plano na verdade não seja a rodovia, mas sim obter divulgação e publicidade internacional.

Um projeto desses, com chances enormes de se tornar um mamute branco, dificilmente seria iniciado. Mas enquanto isso discutimos isso a Rússia fica no radar de viajantes do mundo todo.

Armando Junior

Uma insanidade, visto que aviões fazem o mesmo percurso em menos de um dia. Mas se sair do papel, veremos no que dá.

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Seria uma forma bem interessante de fazer uma volta ao mundo! smile

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Nenhum de nós vai ver isso sair do papel, é impossível. Não há viabilidade econômica, e não tem sentido nenhum fazer um túnel de 100 kms unindo o nada a lugar nenhum.
Já os trens de alta velocidade são uma tendência mundial e vão, lentamente, continuar sua evolução. Porém atualmente só a China (e talvez Arábia Saudta) tem cacife para aumentar a sua rede. Na Espanha, por exemplo, nenhuma das linhas do AVE é rentável, todas dão altíssimos prejuízos, inclusive a que liga Madrid com Barcelona. É por isso que países mais responsáveis financeiramente, como a Alemanha, não tem linhas de trens de alta velocidade.

Fabio Vianna
Fabio ViannaPermalinkResponder

Neftalí,
A Alemanha possui, sim, uma eficientíssima rede de trens de alta velocidade, chamada ICE. Já viajei diversas vezes nestes trens e os mesmos atingem mais de 200 km/h.
Maiores informações: http://en.wikipedia.org/wiki/Intercity-Express

Um abraço

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Fabio. Sim, eu conhecia os ICE, eles são rápidos, mas não sei se entram na categoria de altíssima velocidade, eles só circulam realmente rápido em poucos trechos. Como exemplo, o ICE mais rápido entre Berlim e Munique (585 kms de distancia) demora 6 horas. Eu acho muito!! Uma distancia equivalente no TGV francês, Paris-Bordeaux (590 kms) demora 3 horas e 15 minutos, quase a metade do tempo do trem alemão. Isso sim é trem de alta velocidade!! Mais rápido ainda é o AVE espanhol, que une Madrid com Barcelona (620 kms) em 2 horas e meia. Então, sinceramente, os trens alemães estão a anos luz dos TGVs, AVEs ou Freccias. Isso pra não meter os trens chineses no meio!
O mais caro não é o trem em si, e sim o custo das vias especiais pra ele.Grande abraço!

Fabio Vianna
Fabio ViannaPermalinkResponder

Interessante seu ponto, Neftali, já viajei pelos outros trens que você citou mas nunca tinha me dado conta de que eram bem mais rápidos que os ICE!
Abração

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Estes mega projetos faraonicos quase que sempre acabam sendo um desastre economico: trens bala em alguns paises, olimpiadas, mega torneios de futebol estadios em Portugal e agora no Brasil e mesmo os estadios olimpicos na China...
Nao me parece que este seja diferente, parece mesmo uma manobra politica, e espero que ele NAO saia do papel.

"Maybe I am in a Grumpy mood" smile

Gustavo - Viajar e Pensar

Fantástico projeto.

Atualmente a maior rota é da China até Madrid na Espanha, em comboios de carga.
http://www.dailymail.co.uk/travel/travel_news/article-2968433/The-world-s-longest-rail-route-Train-finally-arrives-China-four-month-16-000-mile-journey-Spain-back.html
As linhas de trem na Rússia estão em fase de modernização, e poucos, ou pouquíssimas rotas são de alta velocidade dentro de território Russo.

Mas seria um sonho.
@GusBelli

Cledson
CledsonPermalinkResponder

Duvido que saia. Interessa bem mais à Rússia que ao resto, se é que os outros países tem realmente algum interesse.

Ricardo Caldo
Ricardo CaldoPermalinkResponder

Só uma pergunta. Pra que isso???

Izabella Zava
Izabella ZavaPermalinkResponder

Putz. Desculpa, mas mas Rússia e alaska? Que desinteressante. Coisa mais inútil!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar