Jao Camp: felicidade em estado natural no Delta do Okavango

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Jao Camp

Enviado especial | Hugo Medeiros

“Não há nada com os incríveis sons da natureza para acalmar nossas mentes, renovar nossas almas e curar nossos corações” (Equipe do Jao Lodge Camp, em tradução livre.)

Durante uma viagem passamos dias em ritmo intenso. Pouco tempo para pensar em nossas famílias ou nas obrigações que deixamos para trás. No entanto, foi no Jao Camp onde tive o mais forte desejo de um dia retornar com minha esposa e filho.

Jao Camp

Jao Camp

Jao Camp

Quarto no Jao Camp

Os quartos do lodge são finamente decorados com elementos charmosos e elegantes. A cama proporciona um excelente descanso, enquanto a banheira ao lado permite o relaxamento ideal após um dia de passeios.

Jao Camp

Jao Camp

Áreas comuns e piscina

As áreas sociais, todas em madeira, são ao mesmo tempo rústicas e sofisticadas. Até mesmo a loja de conveniência é especial, oferecendo itens que não encontrei em nenhum outro lugar durante a nossa viagem.

As diárias a partir de US$ 1200 por pessoa englobam tudo que você precisa. Certamente longe, muito longe, de ser barato. Mas acredito que este seria um hotel para se visitar pelo menos uma vez na vida.

Spa

Spa

O spa do Jao é o melhor de Botswana, e um dos melhores da África, com diversas opções de massagem e tratamentos de beleza. Infelizmente os serviços do spa não estão incluídos na diária, mas quem já pagou alguns milhares de dólares, é bem provável que possa investir em torno de 250 reais por uma massagem.

Jao Camp: vista do avião

Jao Camp: vista do avião

Vista do avião

Localizado no Delta do Okavango, o Jao se esconde entre águas límpidas e uma floresta exuberante. A vida animal floresce em cada recanto. Vive-se ali um conforto inimaginável. Em plena floresta a vida segue como um sonho.

Safári

Safári

Mas o Jao vai muito além do charme e beleza de suas instalações. Por isso, saímos em mais um safári.

Safári

Safári

Após rodar por alguns minutos nos deparamos com um grande número de leoas, passeando pacificamente por entre a vegetação. O nosso veículo parecia invisível aos seus olhos. Ficamos a menos de 2 metros de distância, e ainda assim sequer notaram nossa presença.

Safári

O silêncio e os movimentos lentos são essenciais nesse momento. Caso se sinta ameaçado, qualquer animal pode atacar, e certamente não gostaríamos de nos desentender com um dos maiores predadores da África.

Nesse momento cheguei a uma conclusão: que vida boa tem os leões! Caçam, comem e passam o resto do dia na maior preguiça que se pode imaginar. Ninguém incomoda o seu repouso.

A noite chegou. E com ela um agradável jantar ao redor da fogueira. O céu estrelado tornava o momento ainda mais especial. Tudo estava perfeito, até que se tornou melhor. Todas as segundas-feiras há uma apresentação musical de dança típicas no Jao Camp. E era exatamente esse o dia da nossa hospedagem.

Festa no Jao Camp

Festa no Jao Camp

Diversas pessoas, cantando músicas cujas letras não entendíamos, mas com ritmos que tocavam nossos corações e nossas almas. Danças genuínas e belas, evocando tradições milenares.

Um momento único, para ser lembrado para sempre. A alegria era contagiante. A fogueira ardia, criando sombras que nos abraçavam. Todos sentados tentando fotografar ou filmar aquele evento. Mas melhor do que as fotos tremidas ou que os vídeos escuros, são as lembranças que ficaram, vívidas como o dia.

O jantar chegou ao fim, e fomos repousar. Até então eu não sabia, mas algo maravilhoso nos aguardava pela manhã.

Mokoro

Passeio de barco

No dia seguinte fizemos pegamos um barco que nos levou até um ponto remoto onde estavam localizados os mokoros, tradicional jangada da região. Cada um acomoda duas pessoas, mais o jangadeiro responsável pela condução.

No início, pensei, um passeio normal, como vários outros.

Mas eu não poderia estar mais errado.

Em poucos minutos, ao entrarmos em movimento, com o céu sobre as nossas cabeças, as águas aos nossos pés, animais ao redor e o silêncio em nossas mentes, senti-me como se estivesse flutuando no ar, em direção a um lugar de paz e reflexão.

Passeio de barco

Passeio de barco

A beleza das águas era inebriante. As flores que surgiam pincelavam o rio com cores e formas.

Passeio de barco

Aproveitei aquele isolamento para conversar com o barqueiro. Ele me explicou que em sua jornada regular passa 3 meses trabalhando no lodge e 1 mês em casa descansando. Com uma escala tão rigorosa, questionei o que lhe dava forças para suportar a ausência da família e amigos. A resposta não poderia ser mais honesta: a vida selvagem e as belezas naturais eram sua alegria do dia a dia.

Enquanto compramos carros, imóveis, celulares, roupas e joias, e ainda assim não encontramos a felicidade, outros preenchem sua vida com a simplicidade e perfeição daquilo que lhes rodeia.

De Botswana não trouxe apenas lembranças e fotos, mas também a certeza de buscar a vida em sua essência.

Durante o retorno ainda fizemos uma rápida parada em uma ilha para tomarmos café. Um toque de charme que torna o passeio ainda mais memorável.

 

Passeio de barco no Jao Camp

Ao fundo, surgiu um elefante. Como hóspedes educados, ficamos em nosso lugar, de forma a não invadir o espaço daquele enorme animal, que rapidamente seguiu à procura de alimento.

Passeio de barco no Jao Camp

Como não gostar de um lugar como esse? Como não querer retornar?

O Jao Camp é a síntese da perfeita harmonia entre o homem e a natureza. Um lugar que nos mostra a perfeição com que tudo foi criado. Um lugar para sentirmos com o coração. Um lugar para não esquecermos jamais.

De lá trouxe uma belíssima estátua. Uma africana com um bebê no colo. Uma recordação de um momento belo e singular. Uma experiência única.

Mas como já dizia Cazuza, o tempo não para. E por isso embarcamos em mais um voo, e durante todo o trajeto fiquei me perguntando: seria possível que algo melhor do que o Jao estivesse à minha espera?

Hugo Medeiros viajou a convite do Botswana Tourism.

Leia mais:

6 comentários

Geovane Paulo Hoelscher

Prezado Hugo Medeiros, que linda e inspiradora esta sua viagem. O texto flui como se fosse contado, encantador! Depois de todo este relato, ficou aquela vontade de conhecer este fantástico destino. Aí vem a dúvida: quanto custa? Poderia nos fornecer dados aproximados dos valores gastos por um casal? E a duração do passeio, 15 dias são suficientes?

Aguardamos e agradecemos pelo delicioso texto.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Geovane! Quem responde é A Bóia. A viagem ainda está no meio, temos mais posts a caminho. Com a viagem toda publicada vai ficar mais fácil escolher as escalas e calcular os custos.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Oi Geovane. Como a Bóia já disse, ainda tem muita coisa por vir.

Mas já antecipando, o valor dos Lodges é fechado. Você paga e tudo está incluído. Normalmente os mais baratos começam em 400 dólares por dia/pessoa, e chegam até a 2.000 dólares por dia/pessoa.

O ideal seria 3 noites em 2 lodges diferentes, para poder ter uma experiência bacana.

Carla Pereira dos Reis Santos

Hugo esse lugar parece mágico, surpreendente e ao mesmo tempo imprevisível. A cada publicação fico pensando na beleza do lugar e aguardando ansiosa as próximas publicações.

Guta | Blog Vambora!

Nossa que lindo! Viagem e destino dos sonhos! Acompanhando cada post com mais e mais vontade de ir para ai!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Carla e Guta, que bom que gostaram. Em breve te mais.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar