Salar de Uyuni nas dicas de 10 leitores

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Uyuni

Salar do Uyuni | Foto: Bolivia.travel

Um deserto branco, feito de sal, enfeitado aqui e ali por flamingos cor-de-rosa e cactus gigantes: o Salar de Uyuni é uma das paisagens mais exóticas da Terra. A maneira mais fácil de chegar é voando de La Paz até o pequeno aeroporto do povoado de Uyuni (a Amaszonas faz o trecho três vezes ao dia).

A rota mais comum entre os brasileiros, porém, é via Chile, a partir de San Pedro de Atacama, de onde não há transporte regular até Uyuni.

Os passeios -- saindo tanto da Bolívia quanto do Chile -- incluem pernoites no salar, e por isso devem ser arranjados com uma operadora local. De todo mundo que deixou comentários sobre o passeio pelo deserto de sal na Bolívia, quatro empresas foram citadas, em número praticamente igual de indicações: Colque Tours, Red Planet Expedition, Cordillera Traveller e Ruta Verde.

A seguir, alguns dos melhores depoimentos:

Dica da Maria Bernadete Malerbo: “Fechamos pacote com a Colque Tours para um passeio de 3 dias incluindo as lagoas, e o salar. Recomendo a empresa: eles são pontuais e a 4x4 com motorista não deixou a desejar. Nos serviam lanche e refeição na caminhonete mesmo e sempre com muito cuidado.”

Dica da Daniela Araujo: “Em dezembro de 2013 fechamos o passeio de 3 dias e duas noites com a Colque Tour. Durante o passeio, dormimos nos alojamentos do deserto com pessoas que estavam fazendo o passeio com outras empresas. Não espere saneamento básico ou banho, leve seu próprio papel higiênico e baby wipes pra tomar ‘banho’. O passeio todo é maravilhoso, mais bonito até que o deserto do Chile. Demos sorte porque tinha chovido então o espelho d’água estava todo formado e é uma vista maravilhosa, sei que nunca verei algo similar de novo. Contudo, o esquema é bastante primitivo. A comida é ruim, no nosso grupo havia 3 vegetarianos e eles comeram muito mal todos os dias, chegou uma hora que ninguém mais aguentava ver ovo na frente. No segundo dia dormimos no tal ‘hotel de sal’ que parece ser um paraíso diante do primeiro alojamento, mas não se deixe enganar, é tão ruim quanto os outros ‘hotéis’ que você vai encontrar no caminho.”

Dica da Mariana: “Fui para o Salar de Uyuni com a Colque Tours. Contratamos o roteiro de 4 dias e 3 noites, mas não faria esse roteiro de novo, pois o última alojamento foi nojento e passamos uma tarde inteira sem fazer nada em Uyuni. Se encontrar um roteiro de 3 dias e 2 noite, acho o ideal.”

Dica da Ana Carolina Serrano: “Estava com um grupo de 6 pessoas (3 jovens e nossas mães), o que nos dava uma responsabilidade ainda maior, porque nós até aceitávamos passar perrengue, mas colocar as nossas mães numa fria era preocupante. Fechamos com a Cordillera Traveler, após muitas buscas. O nosso motorista foi o Sandro...que era um doce de pessoa, muito atencioso, responsável e educado! Simplesmente sensacional! Recomendo ele e a agência para todos que planejam fazer a travessia.”

Dica da Nívia: “O tour com a Ruta Verde compreendia alimentação (razoável durante o dia e boa nos hotéis à noite), e duas estadias em hotéis da região (melhores do que esperava, no último tinha até wi-fi). O único ponto negativo foi que a empresa não tem escritório em Uyuni, na verdade ela terceiriza o serviço. Quem nos levou foi a Mundi Expeditions, então o motorista parecia não ter o roteiro em mãos e acabamos não vendo algumas atrações mais desconhecidas, como o Salar de Chitana.”

Dica do Tiago: “Toda vez que me perguntam eu respondo: mesmo com todo o nosso perrengue, eu faria aquela viagem toda de novo e com a Ruta Verde - que, apesar de ter furado na bola na escolha do nosso motorista, se mostrou verdadeiramente séria e fez de tudo para minimizar os transtornos, inclusive devolvendo o nosso dinheiro integralmente. Só uma coisa eu faria diferente: contrataria um guia em inglês, só pela segurança de ter mais uma pessoa no carro. Acho que isso poderia inibir atitudes irresponsáveis por parte do motorista. Além disso, os hotéis da Rede Tayka são mesmo as melhores opções de hospedagem no deserto. São superconfortáveis e com aquela arquitetura integrada à região.”

Dica da Mariana Sbrana: “Fiz o passeio pela Red Planet e paguei em torno de 200 dólares por pessoa no passeio de 3 dias e duas noites. Na primeira noite ficamos em quartos duplos e na segunda num alojamento com quarto quádruplo com outro casal. Vale a pena se você não ligar para conforto. No alojamento do último dia, que é dentro da reserva, o banheiro é "natural" (praticamente um buraco no chão). Para o banho há uma fonte termal dentro da propriedade, mas é preciso ficar atento ao entrar pois o chão é muuuito escorregadio e fica absolutamente escuro, não há nenhuma iluminação adicional.”

Dica da Cassiana: “Fiz o tour de 3 dias e duas noites com a Red Planet Expedition. Viajamos em 6 turistas, um guia e um motorista, que também eram os responsáveis pelas refeições, que aliás foram muito boas, o ruim era só a bebida que era temperatura ambiente. Dormimos a primeira noite em um hotel de sal, num quarto privado com pia, e chuveiro coletivo e pago, +/- 3 reais por um banho de 5 minutos de água quente.”

Dica do Daniel Conceição: “O tour é feito normalmente em 4 dias (3 noites), mas nossa agenda estava apertada, então preferimos reduzir um dia. Pra isso, fechamos um carro do tour só para nós. Os carros têm 6 vagas, então tivemos que pagar o preço de 6 pessoas.”

Dica de Dai Godoi: “Chegamos no fim do dia em Uyuni, mortos de cansados e a sorte foi ter encontrado o Lithium Club, um restaurante bem legal e quentinho, pois neste dia estava 6 graus negativos.”

Leia mais:

13 comentários

Mon
MonPermalinkResponder

Uma rota um pouco menos popular é fazer o salar saindo de Tupiza (cidade do Butch Cassidy e Sundance Kid) e terminando em Uyuni.
Resolvi incluir Tupiza no meu roteiro mais por causa do filme e pra conhecer o jeitão de Velho Oeste da cidade, e acabei vendo muitos comentários recomendando essa rota para o salar. Segundo dizem, apesar de ser um pouco mais caro, os tour são também um pouco melhor. Costuma ir junto a esposa do motorista pra cozinhar pro pessoal e também param em alojamentos um pouco mais confortáveis.

Foi o que li, né? Fazer tour no salar do Uyuni acho sempre meio tiro no escuro. Caaaaada história q a gente escuta por aí. Mas, enfim, vou me aventurar partindo de Tupiza. Depois volto pra contar se foi cilada ou não.

Gi
GiPermalinkResponder

Alguém já fez pela World White Travel?
Também gostaria de saber se é possível fazer o tour coletivo pelo Salar, mas ficando em hotéis confortáveis, da rede Tayka.

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

O aeroporto mais próximo fica em Uyuni, com vôos saindo de La Paz com 50 minutos de duração.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Priscila! Esse trajeto era feito apenas por um avião militar. Mas com efeito, Amaszonas está fazendo a rota, 3 vezes por dia. Já estamos corrigindo, obrigada!

Iara
IaraPermalinkResponder

Olá,
Fiz o passeio para o Salar recentemente (02 a 05/04) com um amigo, partindo de San Pedro de Atacama. Optamos pelo passeio de 4 dias, sendo 3 de fato conhecendo pontos turísticos e o último apenas para volta. Fizemos pela Cordillera Traveler, que quase nos deixou lá pois a pessoa que nos atendeu anotou o nome errado de nosso hostel.
1) Primeira dica, então, é conferir bem se a pessoa entendeu o nome de seu hostel.
2) A segunda é perguntar tudo pra agência antes de fechar o passeio, para não ficar com dúvidas sobre como é o transporte, alojamentos, alimentação e não ter surpresas desagradáveis.
3) Levar bolivianos (dinheiro da Bolívia) para pagar entrada no Parque (é uma reserva, tem que pagar 150 bolivianos na chegada, guardar o ingresso para a saída) + 30 para a ilha dos cactus. Alguns a mais para banheiros, mas não leve muito.
3) Levar papel higiênico, água mineral para todos os dias e biscoitos para lanches.
4) Faz frio à noite, mas não achei necessário alugar saco de dormir (vi essa dica em alguns posts sobre o local).
5) Não ter frescura quanto a ficar um dia sem banho e almoçar pelo caminho.
No mais, curtir muito as paisagens pois realmente é algo único!
abs,

Carla
CarlaPermalinkResponder

Muito boas as dicas! Obrigada

Patricia
PatriciaPermalinkResponder

O Salar de Uyuni é demais! Fiz o passeio de 3 dias cheio de perrengues - carro sem freio, pneu furado, greve, estradas e fronteiras fechadas, frio e chuva, e por ai vai. Tudo para enriquecer a história da aventura. Foi uma viagem fantástica! Faria tudo de novo.

Daniel
DanielPermalinkResponder

Acabei de voltar do Salar de Uyuni (fui no início de Outubro/15) e como utilizei diversos relatos para me preparar para essa viagem, sinto a obrigação de deixar os meus comentários também. Vou tentar comentar o que não encontrei nos comentários que li.

Fiz o passeio de 4 dias, partindo e chegando em San Pedro de Atacama. A viagem é uma aventura e apesar da falta total de conforto, eu a faria novamente.
O primeiro passo foi escolher a agência. A seleção passou por uma pesquisa na internet sobre as experiências de outras pessoas, em especial, brasileiros. Fiquei com a percepção que a Cordillera Traveller é a mais bem cotada. Após, fomos fazer a cotação de preços nas agências. Pesquisei 4 agências (Colque, Estrella Del Sur, Cordillera e Sol andino). A diferença de preços é grande - cerca de 30% entre a mais barata e a mais cara - mas mesmo assim ficamos com a mais cara (Cordillera). Não tive muito contato com pessoas que fizeram com outras agências mas pelo que li na internet, estou muito satisfeito com o serviço da Cordillera. Foram pontuais em nos buscar no hotel para sair de San Pedro, em quase todos as paradas para comer eles possuem alguma estrutura para ficarmos abrigados do vento (era comum vermos pessoas de outras agências comendo ao ar livre, no vento e no sol), todos os carros tem identificação, sugerindo que são carros da agência e não terceiros, todas as noites dormimos em hotéis limpos e com infra mínima para a região (na primeira noite: quarto compartilhado com 6 pessoas e banheiro compartilhado com pelo menos 15 pessoas. Sem chuveiro; na segunda noite: quarto privado com banheiro compartilhado também com pelo menos 15 pessoas. Com chuveiro e água quente; terceira noite: quarto privado com banheiro compartilhado também com pelo menos 15 pessoas. Com chuveiro e água quente. Importante dizer que encontramos tomada para carregar câmeras e celulares somente na terceira noite). Estávamos em 2 carros e eram 2 Landcruisers antigas mas que não ofereceram nenhum problema. Os motoristas eram bolivianos e não tivemos nenhum problema com bebida ou direção perigosa, como já li. O motorista do carro no qual estava era muito reservado. Sempre que parávamos ele comentava onde estávamos e sem aprofundar muito nos detalhes.

O frio é predominante na viagem, principalmente no primeiro dia, na metade do segundo e do final do terceiro dia em diante. Isso ocorre principalmente porque são os momentos da viagem na qual estamos a mais de 4000m de altitude. Além disso o vento é constante e muito gelado. No entanto, não há necessidade de desespero. Indo preparado é possível aguentar esse ambiente inóspito (até porque ficamos boa parte do dia dentro do carro e à noite debaixo de cobertas e dentro de sacos de dormir). Dois pontos aqui: Os carros que andamos não tinham ar-condicionado. É até engraçado falar isso, mas no meio do segundo dia e do terceiro dia fez falta. Então se vista de forma a facilitar a retirada de blusas e calças nesses dias. Segundo ponto: se você é friorento, vale a pena alugar sacos de dormir em San Pedro (que foi o que fiz). Se você não é tão friorento, vale deixar para alugar no hotel da primeira noite (o hotel que ficamos na primeira noite tinha essa opção), pois foi a noite mais fria.

Sei que essa sugestão é subjetiva, então seguem algumas informações mais exatas para aqueles que precisam:

1- Primeira noite:
- local: Próximo à laguna colorada - ~ 4600m acima do nível do mar
- Temperatura máxima do dia: +5ºC
- Temperatura mínima do dia: -8ºC
- Vento máximo: 40km/h
- Fonte: https://www.meteoblue.com/pt/tempo/previsao/archive/-22.273N-67.786E

2- Segunda noite:
- Local: San Juan - ~3600m acima do nível do mar.
- Temperatura máxima: +15ºC
- Temperatura mínima: -6ºC
- Vento máximo: 44km/h
- Fonte:https://www.meteoblue.com/pt/tempo/previsao/archive/-20.901N-67.766E

3- Terceira noite:
- Local: Villa Mar - ~4000m acima do nível do mar
- Temperatura máxima: 9ºC
- Temperatura mínima: -5ºC
- Vento máximo: 43km/h
- Fonte: https://www.meteoblue.com/pt/tempo/previsao/archive/-21.755N-67.482E

Lembrando que não existe calefação nos hotéis e pode haver problema de vedação nos quartos (apesar de não ter visto isso nos hotéis que passei).

Outra informação: É importante se aclimatar para encarar essa viagem. Para quem sai de San Pedro, já na primeira hora da viagem sobe-se para uma altitude de 4600m e ficamos em média nessa altitude até a metade do segundo dia. Uma aclimatação inadequada pode trazer falta de ar e dor de cabeça, entre outros efeitos, fazendo com que o passeio seja pouco prazeroso. Algumas dicas que foram dadas por pessoas de San Pedro são: Beber bastante água e não ingerir carne vermelha na véspera. Além disso, mascar ou fazer infusão de folha de coca também ajuda. Também é importante evitar fazer demasiado esforço físico em altas altitudes. E por fim, não fique preocupado em excesso com a altitude. Não fique mentalizando o mal de altitude. Nessas horas o psicológico pode ser um aliado ou um inimigo. Siga as dicas de aclimatação de pessoas especializadas e curta a viagem!

Abs
Daniel

tatiana tamiosso

Eu fiz o tour no final de outubro de 2015, partindo de San Pedro com a agência Cordillera Traveller e recomendo. Não tive nenhum problema. O tour era de 4 dias e 3 noites (com retorno a San Pedro). Estava preocupada com a precariedade dos alojamentos, mas foi bem melhor do que eu esperava. Não é nada tão "sofrível" assim. Dá pra encarar numa boa, caso você não seja muito preocupado com conforto, claro. Meu relato está no blog http://assoviandoemaeroportos.blogspot.com.br/

Athos
AthosPermalinkResponder

Olá pessoal, alguém sabe a distancia de San Pedro até o Salar de Uyuni? Gostaria de saber se há algum tipo de transporte fora dos pacotes de 3 ou 4 dias das agências, ou seja, que vá direto para o Salar ou para Uyuni.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Athos! Não tem não. Só os passeios com pernoite, mesmo.

Maíra S.
Maíra S.PermalinkResponder

Fiz o roteiro de 4 dias e 3 noites ao Salar de Uyuni, saindo e voltando a San Pedro do Atacama, e foi uma experiência muito mais positiva do que eu imaginava. A viagem é, de fato, muito rústica e sem confortos, mas as paisagens são lindas e a vivência foi fantástica. Optei pela Cordillera Traveller e achei que a empresa honrou seus compromissos. Os carros estavam em bom estado de conservação, os motoristas responsáveis e cordatos (embora reservados e de poucas palavras) e a empresa parece ter certas vantagens com relação aos refúgios e aos locais de parada (comer em local abrigado do vento não tem preço!).
Reforço a descrição do Daniel, acima, porque essa foi também minha experiência. Mas alerto aqueles que viajam no inverno que o frio é MUITO intenso, o que é agravado pela falta de estrutura dos alojamentos. Mesmo em fim de maio, peguei entre -10ºC e -15ºC na primeira noite e foi desesperador. Dormi com 3 camadas de roupas nas pernas, 5 no tronco, luvas e meias de lã, gorro, dentro de um saco de dormir, com dois cobertores por cima e ainda assim passei muito frio! Os europeus que estavam no meu jipe estavam desesperados porque não estão acostumados a passar frio dentro de casa, e lá não havia calefação, lareira, fogareiro, vedação nas janelas ou água quente nas torneiras. Isso sem falar na altitude (mais de 4.500m), que já impõe desafios suficientes ao corpo. Fico imaginando que viajar em julho é só para os muito fortes! Levei saco de dormir e recomendo muito (é possível alugar em San Pedro). Usei nas duas primeiras noites por frio e na terceira após perceber que os lençois do refúgio tinham o nome de um hospital!
Quem estiver disposto a se desapegar do conforto e do controle por uns dias (já que ficamos na mão do motorista, aconteça o que acontecer, sem estrada, postos de gasolina, polícia ou telefone) essa viagem é uma curtição! E sobreviver a ela me deu fôlego para começar a expandir meus tipos de viagem, que até agora sempre foram muito urbanas e previsíveis!

Cláudia
CláudiaPermalinkResponder

Pessoal, fui atendida no Cives (Centro de Informação em Saúde para Viajantes) da UFRJ e super recomendo. Eles deram várias dicas sobre a viagem, vacinas, mal de altitude, etc. O atendimento médico é gratuito e pode ser agendado nesse site: http://www.cives.ufrj.br/informacao/agenda/agenda.html

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar