Anderson Cooper, da CNN: "St.-Barth não tem vida real, Trancoso tem"

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Anderson Cooper no Quadrado
Anderson Cooper no Quadrado (foto: Travel & Leisure)

A edição online da revista americana Travel & Leisure publicou anteontem um apaixonado relato sobre Trancoso assinado pelo âncora da CNN Anderson Cooper.

Cooper fala da má impressão inicial, ao chegar pela parte nova da cidade (ele não menciona o nome, mas o bairro é conhecido como "a Invasão"), que se desfez completamente quando ele abriu a janela da sua casinha no hotel Uxuá e contemplou o singelo Quadrado. Ah, o Quadrado...

Trancoso by Anderson Cooper
Do Instagram do Anderson Cooper

E então eis que o cara, que nem é muito de praia ("pela minha palidez você pode notar", escreveu), caiu de amores por Trancoso. E não resistiu quando Wilbert Das, o holandês dono do Uxuá, lhe mostrou o último terreno disponível no Quadrado, que tinha acabado de ser posto à venda. Cooper comprou e está construindo uma casinha, com o arquiteto e a equipe de pedreiros e carpinteiros que fizeram as casinhas novas do Uxuá.

Ou seja: Elba Ramalho acaba de perder o posto de residente mais famosa do pedaço.

Além da notícia da casa de praia do Anderson (enfim uma celebridade com nome de jogador de futebol), o que eu achei interessante no texto foi a versão by Cooper da comparação-clichê entre St.-Barth e Trancoso:

St.-Barth é inegavelmente bonita, mas tem dinheiro demais, famosos demais, gente demais querendo ser convidada para a festa de alguém. É difícil achar a vida real do lugar. Mas em Trancoso a vida real está à sua volta. Você ouve briguinhas ocasionais nas casas das famílias perto de onde você está, você ouve comemorações, crianças rindo e chorando. No fim de semana da Páscoa você pode se juntar à congregação da igreja para fazer a via-sacra, ou ainda se encaixar na roda de capoeira para ver os capoeiristas praticarem ao som de cânticos e batuques.

O engraçado é que a crítica a St.-Barth é exatamente a mesma que brasileiros costumam fazer a Trancoso smile

Mas vai por mim: Trancoso só fica excessivamente paulistana e insuportavelmente dasluzenta entre o Réveillon e meados de janeiro (e em escala bastante reduzida, no Carnaval). No resto do ano, é só você e o Quadrado.

Não acredita em mim? Deu na CNN.

Leia mais:

5 comentários

Lívia
LíviaPermalinkResponder

Romantizou bastante Trancoso esse aí... claro, ele é jornalista e é papel dele hahaha Curto mto trancoso, mas acho que já perdeu mto mesmo do seu charme e da sua "vida real" pra virar um camarote de preços exorbitantes...

Augusto
AugustoPermalinkResponder

DIgo sobre Trancoso o mesmo que sobre, por exemplo, a Praia do Rosa: tenho a impressão de ter chegado uns, no mínimo, 30 anos atrasado. Devia ser lindo quando ainda não era tão..."pop".

Lu
LuPermalinkResponder

Ca entre nos, esse cara deve ter ficado frustrado pq n foi convidado p uma determinada festa q ele queria mto ir. Eu, q n conheço ninguém por la, adorei. Alias, p minha surpresa, ao contrário dele, n percebi nenhum esnobismo no ar, nem ostentação desmedida. Andei o tempo td super descontraída e ninguém virou a cara, tds mto simpáticos. Como ele n conhece ninguém em Trancoso, nem ficou sabendo de nenhuma festa bacanuda q tenha rolado, achou ótimo. Assim, q nem eu em St. Barth.

Cindy & Raimundo

Welcome to the neighborhood neighbor ! We´re a couple from Alaska that discovered Trancoso 30 years ago.
Our house is right across from yours in the Quadrado.
The only one with a big wooden gate in front, next to Carmim.
Sounds like you are hooked allright. Even though there has been a lot of changes here the Quadrado is MAGICAL and will leave you with SAUDADES when you´re away.BEMVINDO !

Kênia
KêniaPermalinkResponder

Acho que muito da nossa "vida real" que encanta os gringos já perdeu seu encanto para nós, brasileiros.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar